GEOPOLÍTICA: FILHA DO EX-DITADOR ANGOLANO TEM CONTAS BANCÁRIAS CONGELADAS

Congelamento das contas bancárias da mulher mais rica da áfrica e uma das mais ricas do mundo é o destaque da nossa coluna GEOPOLÍTICA desta sexta-feira. A justiça portuguesa a pedido do Ministério Público Angolano congelou as contas bancárias de Isabel dos Santos, filha do ex-presidente de Angola, José Eduardo dos Santos. Veja reportagem completa a seguir e entenda o porquê da ação e todos os detalhes!

Justiça portuguesa ordena o congelamento das contas da empresária Isabel dos Santos

12 de Fevereiro, 2020

A empresária Isabel dos Santos tem as contas em Portugal congeladas, por ordem das autoridades judiciais. A notícia é desde ontem avançada pelo jornal Expresso, confirmada pelo Dinheiro Vivo.

Esta decisão da justiça portuguesa acontece numa altura em que a empresária angolana está a desfazer-se de participações em empresas portuguesas, como é o caso do Eurobic
Fotografia: DR

“Confirma-se que o Ministério Público requereu o arresto de constas bancárias, no âmbito de pedido de cooperação judiciária internacional das autoridades angolanas”, esclarece fonte da Procuradoria-Geral da República ao Dinheiro Vivo.
Além das contas de Isabel dos Santos, estarão congeladas também as contas do marido, Sindika Dokolo, e de Paula Oliveira, sócia da empresária. Os bancos serão quatro: Eurobic, CGD, Millennium BCP e BPI. O Dinheiro Vivo contactou a empresária Isabel dos Santos, a Polícia Judiciária, o Banco de Portugal, o BCP e o Eurobic e todos escusaram-se a comentar.
A filha do ex-Presidente angolano está a ser investigada por suspeitas de gestão danosa e evasão fiscal, num caso relacionado com a petrolífera Sonangol, envolvendo 115 milhões de dólares.
No total, de acordo com a decisão de arresto de bens decretada pelo Tribunal Provincial de Luanda, em Dezembro, Isabel dos Santos é suspeita de ter lesado o estado angolano em mais de mil milhões de dólares em negócios que envolveram a Sonangol, a Sodiam e o processo de compra da Efacec.
No passado dia 19 de Ja-neiro, o Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação divulgou informações suportadas em mais de 715 mil ficheiros, sob o nome de Luanda Leaks, que incidem sobre os esquemas financeiros de Isabel dos Santos e de Sindika Dokolo, o seu marido, e que terão permitido retirar dinheiro do erário angolano para paraísos fiscais.
Esta decisão da Justiça portuguesa acontece numa altura em que a empresária angolana está a desfazer-se de participações em empresas portuguesas, como é o caso do Eurobic.

Fonte: Jornal de Angola

Deixe uma resposta