FÍSICA QUÂNTICA: A GLÂNDUAL PINEAL COMO UMA FERRAMENTA PARA LIGAR O MUNDO FÍSICO AO NÃO FÍSICO

Nesta edição da nossa coluna FÍSICA QUÂNTICA trago uma reportagem muito extensa sobre a “Glândula pineal”, um órgão do corpo humano com uma função muito maior do que a medicina tradicional acredita ter. Por ser muito vasta resolvi dividir essa matéria em várias publicações para que você possa assimilar melhor tanta informação. Portanto convido você a entrar nesse mundo tão complexo da física quântica!

Glândula pineal “ponte” entre o mundo físico e o não físico

Postado por 

Glândula pineal “ponte” entre o mundo físico e o não físico

 

 

 

As cinco narrações constantes neste texto procuram construir com informações em cada uma delas, o melhor entendimento final o que é realidade paralela, que com ela comumente o ser humano “se acotovela”, mas não sendo fisicamente visível não é percebida, a não ser quando ele é especialmente “estimulado” pela sua glândula pineal.

A ciência através da Psicobiofísica e especialmente da especialidade médica Astrobiologia, vêm hoje aprofundando neste campo de pesquisas, o que já fazem os pesquisadores de Dakila, que com outras palavras buscam também respostas neste campo.

Estudos destas ciências vêm proporcionando conhecimento com conteúdo cientifico, que despido de informações emocionalmente exacerbadas de cunho místico-religioso, volta-se com outra compreensão para mundos paralelos energeticamente mais vibráteis, menos densos tidos “espiritualizados”.

Interações entre o mundo de realidade física e mundos paralelos de realidade não física estão cada vez mais se consolidando, permitindo já ter noção mais clara e de maneira mais consistente, que não existe a morte com o sentido de tudo terminado, com o seu “séquito” de tristeza e de perda total.

Estas duas realidades que “se entrelaçam”, em uma estão aqueles “biologicamente vivos”, ainda possuidores de corpos densos visíveis e, em outra estão os “não biologicamente vivos ou “os mortos” comumente não visíveis.

____________________________________________


A neurociência explica hoje, quanto mais conhecimento com informações que esclarecem e harmonizam, o ser humano tornando-se mais consciente, vai iluminando através de seus pensamentos seu campo biomagnetico (aura) e literalmente irradiando cada vez mais luz.

O ser humano em sua busca para alcançar harmonia entre corpo, mente e essência/”espirito” e poder de fato exercitar autoconhecimento e autoconsciência, ele deve ao nível do mundo quântico mudar a vibração de seu campo de energia.

Entretanto, alguns físicos não aceitam implicações que dizem filosóficas deste alinhamento, particularmente alguns estudiosos da física quântica, que apenas aceitam ramificações teóricas e experimentais desta ciência.

Para eles implicações deste alinhamento quântico, tendo em vista a percepção de energia, vibração e frequência, está fora do contexto científico, apesar de que os próprios criadores da física quântica como Niels Bohr, Werner Heisenberg, Wolfgang Pauli e Erwin Schrödinger procuraram fontes de conhecimento além da matemática e da física, para com elas pudessem de certa forma esclarecerem a estranheza desta nova ciência, que passou a ser conhecida como física quântica.

Eles tiveram este procedimento, quando viram que as regras das partículas subatômicas eram totalmente diferentes das regras que regem o mundo macroscópico, explicado pela física clássica e regido pelas leis da mecânica newtoniana. Na escala quântica muitas equações da física clássica deixavam de ser explicáveis.

Assim, eles procuraram respostas disponíveis no único e milenar ramo do conhecimento humano, contendo uma enorme bagagem de possíveis explicações interpretativas, especialmente através do conhecimento oriental do hinduísmo e do budismo.

No momento, explicações interpretativas especialmente através do conhecimento oriental milenar do hinduísmo e do budismo, vêm em socorro da física quântica – Imagem da Internet.

Os fenômenos quânticos continuam intrigantes principalmente para muitos físicos, que apenas aceitam o que para eles mostra e descreve a lógica da linguagem matemática fornecida pelos seus sentidos normais, que vão “construindo”” seu raciocínio e, que quaisquer outras explicações por eles inalcançáveis, tornam-se conceitos inaceitáveis que devem cair no rol do esquecimento.

Eles continuam a proceder de acordo com o conhecimento, que adquiriram dentro de uma lógica materialista e mecanicista nas universidades e em outros locais de ensino, incapazes de realmente clarearem suas mentes.

Mas, hoje outros físicos já mais conscientes e já com outra noção percebendo melhor a “dualidade onda-partícula”, onde qualquer entidade quântica como um elétron, um átomo e mesmo uma molécula inteira, podem ser descritos ora como ondas e ora como partículas e, o que determina isso é a forma como alguém com elas interage, eles não mais se constrangem em associar o mundo quântico ao mundo metafisico relacionado às realidades suprassensíveis: à totalidade cósmica, à alma humana e a Deus.

Entretanto, mesmo estes cientistas em seus estudos e em suas pesquisas neste “campo filosófico-cientifico” não estão totalmente conciliados, por terem de um lado o mais perfeito “laboratório” ou, o corpo humano como fonte ilimitada de informações e de um outro lado o laboratório tradicional ou, o espaço físico com instrumentos limitados de informações criados pelo próprio homem, resultando em consequência desta gigantesca diferença mais perguntas do que repostas.

O corpo humano como o mais perfeito “laboratório” é fonte ilimitada de informações – Imagem da Internet

Muitas respostas relacionadas ao mundo quântico poderiam ser alcançadas, se os estudiosos desta ciência não divergissem, mas somassem seus esforços, já com suas mentes clareadas com outra percepção da mecânica quântica.

Assimilassem informações de maior abrangência que no momento muitos deles dizem filosóficas ou impertinentes, mas que os permitiriam acessar infinitas possibilidades do conhecimento associado às suas habilidades mentais e que poderiam estar para eles disponíveis, se mentalmente as exercitassem.

Possibilidades que poderiam ajuda-los a mudar/acelerar a vibração de seu campo de energia, para que pudessem ir além de suas experiências físicas em laboratórios de um mundo também físico. Eles mesmos pudessem experienciar outras mais além e mais verdadeiras de seu universo mental e dar seu “salto quântico”, com informações experimentadas de seu próprio mundo interior.

O pensamento é poderosa fonte de energia que o ser humano gera contida em suas palavras direcionando suas ações, que tornam hábitos e configuram como a soma total do que ele é ou do que ele vibra.

Fonte de energia enviada como frequência especifica para o universo em forma de ondas, que através delas é criada uma grande força que volta para ele como sua realidade.

Portanto, sendo seu pensamento uma força tão poderosa, é importante que ele esteja ciente do que pensa e de como pensa, controlando mentalmente suas palavras, sentimentos e comportamentos. Ele assumindo controle consciente destas suas capacidades, ele tem controle sobre o que para ele se manifesta.

Ele possuindo latente capacidade de criar e de direcionar seus pensamentos para o que ele quer, fazer e ter e, uma vez que uma quantidade do que ele está pensando vai se realizando, ele pode também começar a mudar seu estado de ser.

Mudança através das palavras que diz, das ações que toma e dos sentimentos que incorpora como energia em seu campo, resultando-lhe condições não só de melhor qualidade de vida, como também mais perceptivo, mais intuitivo.

O que ele pensa sobre o que é, comumente identificado através de seus cinco sentidos não é dificil, como também não é dificil pensar sobre o que ele quer, porque o sentimento que ele está gerando neste momento está em alinhamento mental momentaneo, com que está sendo por ele pensado e desejado. Mas, pensar em algo já como realidade, sem estar fisicamente presente, não é tão facil.

 O O ser humano neste novo tempo deve aprender através de seu vórtice (chakra) cardíaco  transmitir uma nova assinatura energética para o campo quântico – Imagem da Internet

O cérebro humano confia na percepção sensorial para validação, geralmente rejeitando algo que não considera real ou, quando não tem prova disto. Mas, se ele puder aceitar que algo é  real, irá trabalhar para encontra-lo como tal ou, valida-lo sem parar até que isto aconteça, transformando-se em “maquina de criação” até gerar o que é desejado.

O pensamento é algo real, como também os sentimentos que estão nele inseridos. Assim, o que é pensado com intensa emoção, já é verdade para o cérebro independente do que está sendo pensado.

Quanto mais o ser humano vai repetindo algo para si mesmo, mais esta repetição vai se transformando em crença e se tornando parte dele, porque quanto mais este algo é sentido em seu cérebro, mais ele irá procurar formas de lhe dar validade através de experiências tangíveis.

Aquele que está em processo de criatividade, de realização mental estimulando seu cérebro, ele deve imaginar o que quer, já sendo seu com antecipada emoção, ficando atento aos pensamentos e às palavras, que diariamente os têm.

Se ele estiver gerando pensamentos mesmos inconscientes contrários ao que deseja, vai mentalmente neutralizando a intenção de sua realização.

O ser humano dando informações corretas à sua mente, alimentando-a com sua energia emocional como estimuladora para o que ele almeja e, sobretudo acreditando realmente no poder que possui para realizar o que quer, ele faz seu “mecanismo cérebro-mente” trabalhar, para fisicamente manifestar através de seu pensamento o seu desejo.

Criar-se ainda a partir da 5ª dimensão, nada tem a ver como se construir fisicamente na realidade de 3ª dimensão. Sem a ir em lugar nenhum, o que se deve fazer como clara intenção é gerar um padrão de ondas cerebrais coerentes e as combinar com um padrão de ondas coerentes em seu coração, através de elevada emoção.

Pensamentos emitem ondas elétricas – Imagem da Internet

Pensamentos quando são gerados emitem ondas elétricas e as emoções emitem ondas eletromagnéticas e, neste processo criativo o magnetismo gerado na região cardíaca transforma-se em energia, que conduz uma intenção.

O corpo humano como uma antena de rádio, está transmitindo constantemente “nova assinatura energética” para o campo quântico em volta e, se seu dono souber com esta noção se conduzir de maneira adequada para o objetivo desejado, já também com a compreensão do funcionamento de sua mente, ele não precisa ir a lugar nenhum para conseguir o que deseja.

Neste novo tempo que está sendo erigido, o novo ser humano que dele já está emergindo, deve aprender a transmitir de seu vórtice (chakra) cardíaco uma “nova assinatura energética” para o campo quântico.

Em nova frequência mental ele deve aprender a direcionar seu pensamento, impelindo-se com intensa emoção, para que possa alterar sua percepção de espaço e de tempo e não mais se sentir humanamente denso, mas se perceber transcendente, energeticamente mais leve ou, mais livre como vórtice.

   
Para fotografar os vórtices/”portais” e interagir já na frequência dos mundos paralelos, deve-se na frequência do mental sutil, ao nível da 5ª camada do campo biomagnetico (aura), vibrar-se ou “se tornar” fisicamente como um vórtice de energia, para que se possa trazer do mundo paralelo, inclusive do futuro a “Placa” física, que materializada mostra-se ainda escrita com informações na linguagem universal dos símbolos, como está na última das três fotos acima. Mais informações neste Site. Na Página: O Portal e no texto: No milharal, “a entrega da Quinta Placa” – Fotos de Antônio Carlos Tanure

No ser humano quando existe compatibilidade vibracional entre seu campo de energia – biomagnetico (aura) e o potencial energético já existente no campo quântico ao seu derredor, ele já se acha com este último em sintonia vibracional e pode comparativamente, como girasse o dial de seu rádio para sintonizar à estação que deseja na realidade física, se sintonizar à “estação” que deseja no campo quântico.

Nesta sintonia ele experiencia o momento em que “o universo conspira a seu favor”, proporcionando-lhe não só posses materiais como também outras conquistas, porque ele agora se fazendo como um vórtice de energia, mentalmente “movimentando-se” ou, vibrando totalmente livre, atrai para si as experiências que são fontes de seus desejos.

Desejos que ele realiza, se ele estiver realmente inserido em processo mental criativo e atemporal, sem mais se perceber inserido no domínio do “eu” já esquecido de si mesmo ou, “já se fazendo como ninguém” ou ainda, “como nada em nenhum lugar”.

Neste seu processo criativo ele se mostra também em sintonia mental à frequência de pura generosidade ou, de consciência do estado de graça, com todos os seus desejos já existindo como possibilidades em sua alma.

Chegar nesta frequência mental é o verdadeiro objetivo do ser humano, mas a maioria não o alcança, ao criar sua própria realidade a partir da terceira dimensão. Ao agir apenas como matéria tentando interferir ou mudar também matéria.

Move-se apenas pelas suas necessidades físico-biológicas, ao se buscar tanto bens materiais quanto os que julga satisfazer à saúde e à vida afetiva. Mas ao agir assim, conduzindo-se apenas pelas informações de seus cinco sentidos, não alcança seu objetivo ou demora em demasia alcança-lo.

Fonte: Pégasus Portal

Deixe uma resposta