EMBAIXADA DA CHINA NA UCRÂNIA PUBLICA COMUNICADO COM DICAS DE SEGURANÇA PARA SEUS CIDADÃOS QUE VIVEM NO PAÍS EUROPEU

Embaixada da China na Ucrânia pede que seus cidadãos coloquem bandeira do país no carro

Documento emitido pela embaixada chinesa dá dicas de segurança e de como se portar durante os ataques

INTERNACIONAL

 Do R7

Embaixada chinesa na Ucrânia pede que seus cidadãos usem bandeira do país em local visível do carro

GENYA SAVILOV/AFP – 24.2.2022

A embaixada da China na Ucrânia publicou em seu site, nesta quinta (24), um comunicado com várias dicas de segurança para seus cidadãos que vivem no país europeu. Uma delas é para que, caso os chineses tenham de dirigir, que coloquem uma bandeira da China em algum lugar visível do veículo.

O documento da embaixada, que se dirige também às empresas financiadas pela China na Ucrânia, tem como título “Lembrete para que os cidadãos chineses na Ucrânia prestem muita atenção à segurança”. A primeira dica diz que “a ordem social é caótica e descontrolada, principalmente quando há um grande tumulto na cidade. Ao andar na rua, você pode se tornar alvo de ataque, o trânsito pode ser bloqueado a qualquer momento e sair correndo pode gerar riscos incontroláveis. É melhor ficar em casa e longe de janelas e vidros para evitar ferimentos acidentais”.

A mensagem segue pedindo que os chineses procurem ajudar uns aos outros e que busquem sempre informações divulgadas pela embaixada através de diversos meios, “principalmente a conta pública do WeChat e o site oficial”.

A embaixada diz que se algum cidadão chinês “estiver viajando por muito tempo de carro, fique atento para reabastecer ao longo do caminho, antes que o posto de gasolina feche, o que impossibilitaria a continuação [da viagem]. A bandeira chinesa pode ser afixada em local visível do veículo”.

O documento encerra pedindo que chineses prestem atenção aos avisos de segurança emitidos localmente e que evitem entrar em áreas em que a situação é instável. Afirma ainda que “o povo chinês sempre teve uma bela tradição de solidariedade, luta e assistência mútua. É ainda mais necessário que os compatriotas chineses levem adiante esse espírito quando vão para o exterior, e eles devem se esforçar para ajudar uns aos outros para refletir a imagem do povo chinês e a força da China. (…) Em particular, devem ajudar outros compatriotas com pouca experiência, especialmente estudantes internacionais”.

Por fim, o texto diz que a embaixada está pronta para ajudar os chineses a resolver seus problemas.

O governo da China, nesta quinta, pediu que haja negociações para encerrar a crise e evitou chamar o ataque russo de invasão. Apesar disso, o país asiático pediu moderação e respeito à soberania nacional. Hua Chynying, ministro das Relações Exteriores chinês, disse que “esperamos que as partes envolvidas não fechem a porta para a paz e se envolvam em diálogo e impeçam que a situação se agrave ainda mais”

Fonte: R7

Deixe uma resposta