EDUCAÇÃO: PENITENCIÁRIA ESTADUAL DE ALCAÇUZ TERÁ MAIS UM REFORÇO NA OFERTA DE EDUCAÇÃO AOS PRIVADOS DE LIBERDADE

Parceria oferta de cursos profissionais para internos do sistema prisional do RN

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Divulgação/Seap

A Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, terá mais um reforço na oferta de educação aos privados de liberdade. Uma parceria entre a Secretaria da Administração Penitenciária (SEAP), a Associação dos Juízes Federais do Brasil (AJUFE) e a entidade sem fins lucrativos Instituto Mundo Melhor (IMM) oferecerá, através do projeto “AJUFE por um mundo melhor”, cursos on-line aproveitando a estrutura de salas de aula e computadores já existentes. O projeto deve ampliar o número de beneficiários também através da destinação de valores de contas de prestação pecuniária para equipar salas de aulas virtuais. Os policiais de distância ainda terão acesso aos mais de 15 cursos de forma gratuita na modalidade de ensino.

Os juízes Rafael Wolf, do Rio Grande do Sul, e Walter Nunes, do Rio Grande do Norte, visitaram como instalações de Alcaçuz, acompanhados do secretário da SEAP, Pedro Florêncio, e da secretária adjunta Ivanilma Carla. “O projeto surgiu da dificuldade de destinação de verba de prestação pecuniária e também da necessidade de implementação da educação no sistema penitenciário. A ONG Instituto Mundo Melhor oferece quatro anos de cursos grátis e os magistrados com destino pecuniário para a compra de computadores. Esse projeto entre a AJUFE e o IMM existe desde 2016 e está em plena construção”, explicou Rafael Wolf.

Além de uma reinserção dos apenados na sociedade, uma possibilidade dos cursos concluídos será usada na rescisão de pena, de acordo com a contribuição da Vara de Execuções Penais. “O Sistema Penitenciário do Rio Grande do Norte avançou na questão da segurança e da disciplina. Hoje, estamos com as prisões sob controle e ampliando cada vez mais as unidades na área de educação e trabalho com uso de mão de obra carcerária”, destacou Pedro Florêncio.

O projeto tem dimensão nacional, sendo realidade no Maranhão, Paraná, Alagoas, Rio Grande do Sul, Paraíba, Santa Catarina e Pernambuco. Oferece, através do ensino a distância, cursos nas áreas de educação, saúde e bem-estar, informática, plataforma de ensino, administração e empreendedorismo, e governança doméstica. Os cursos certificados divulgados pela Universidade do Estado do Paraná, oportunizando aos egressos a inserção no mercado de trabalho e aumentaram a reincidência criminal e a ressocialização dos presos.

O juiz Walter Nunes participou da visita às instalações de Alcaçuz para o início do projeto. “Aspeito de tudo que sabia que tinha sido feito, preservado com a realidade da penitenciária. Realmente é um trabalho fantástico em termos de estabelecimento de uma unidade de segurança, mas me impressionou a questão da disciplina, os padrões e protocolos, muito semelhantes aos adotados no Presídio Federal. Ponto que é de importância vital é a parte assistencial: o propósito de usar o sistema prisional como um ambiente de ressocialização, reabilitação e redução de danos . O Governo do Estado e o secretário Pedro Florêncio merecem o reconhecimento ao trabalho que implementa na área das assistências à saúde, jurídica e social. A área educacional eu já tinha ideia do que está sendo feito aqui, até mesmo pelo projeto que estamos a implementar. Vejo que está no caminho certo”, destacou.

Os juízes visitam os postos de segurança e de monitoramento através de câmeras, o setor de revista o uso do scanner corporal, as além das duas salas de aula e espaços multiusos, o setor médico. Também acompanharam a chegada da alimentação dos internos, a pesagem e a conferência das “quentinhas”. A Penitenciária de Alcaçuz abriga atualmente 1.818 presos.

Fonte: Portal da Tropical _ Notícias

Deixe uma resposta