ECONOMIA: O CONSUMIDOR DEVE FICAR ATENTO AS FRAUDES E ARMADILHAS  QUE SURGEM NA BLACK FRIDAY

Veja dicas e cuidados na hora de comprar na Black Friday

Redação / Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Ney Douglas

O consumidor deve ficar atento às fraudes e armadilhas que surgem na Black Friday, marcada para o próximo dia 26. O Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor do Natal – Procon Natal, elaborou uma série de necessárias que devem ser feitas para evitar perdaszos. O órgão disponível atento para atuar, caso necessário.

O dia de promoções, criado nos Estados Unidos, se expandiu para todo o mundo, tanto em lojas físicas como pela internet, que apareceu bastante e onde costumava estar concentrado o maior número de reclamações.

Entre os problemas comuns relatados estão situações em que o consumidor finaliza uma compra on-line e algum tempo depois a mesma é cancelada. Nesse caso, segundo o Procon Natal, a dica é sempre guardar anúncio, e-mails com a operação, recibos, contratos, além de imprimir ou salvar, as telas com as ofertas, e as confirmações de transações financeiras realizadas.

Preocupado também com o endividamento das famílias, o Procon Natal, conselha que os consumidores evitem gastos desnecessários. Uma das formas mais eficazes de evitar cair na “tentação”, é fazer uma lista de produtos que você precisa e que gostaria de comprar, estabelecendo limites de gasto, evitando o comprometimento do orçamento, afinal, logo no início do ano existem obrigações como: o IPTU, o IPVA, além da matrícula e o material escolar.

Devolução e prazo de entrega

Algumas lojas físicas não permitem a troca de produtos na Black Friday, isso é permitido. Segundo o CDC, o fornecedor não tem obrigação de trocar o produto caso não apresente vício ou defeito.

No entanto, para o caso de compras feitas para o estabelecimento comercial (por telefone, em domicílio, telemarketing, catálogos, internet), o consumidor tem prazo de sete dias para desistir da operação, sem precisar apresentar justificativa. O período é contado a partir da data de aquisição do produto ou do seu recebimento.

Na compra feita pela internet, ou fora do estabelecimento comercial, é direto do consumidor o arrependimento em sete dias. Nesses casos, o consumidor pode receber de volta os valores eventualmente pagos e corrigidos monetariamente, mesmo os custos do frete, como reza o Art. 49º paragrafo único da lei 8.078 / 1990 (CDC).

Em relação a entrega dos produtos, o CDC determina que o fornecedor estipula um prazo para entrega. A regra está explícita no Art. 39, inciso XII e a lei também processo o direito a informação segundo o Art. 6º inciso III da lei 8.078 / 1990 (CDC).

A loja virtual é obrigada a informar a previsão de entrega do item. Quando o logista descumpre com o prazo que foi determinado, o consumidor deve acionar a empresa, por meio de atendimento ao consumidor (SAC).

Cuidados que o consumidor deve tomar para evitar prejuízos:

1 – O consumidor deve ficar atento às falsas ofertas. Durante uma Black Friday, hackers costumam usar um golpe conhecido como phishing (pescaria), ou seja, o envio de links maliciosos em que páginas falsas se passam por sites de venda on-line com valores e preços dos produtos muito abaixo do mercado, com o objetivo de roubar dados do cartão de crédito. Então, o consumidor deve estar atento a erros de português e conferir se o endereço pelo qual ele foi direcionado é o mesmo da loja do anúncio.

2 – VERIFIQUE se a loja virtual no CNPJ, endereço e telefone de contato. O consumidor também deve conferir se as páginas oficiais nas redes sociais como Facebook, Instagran, Twitter, tem selo de verificação. O ideal é utilizar-se de sites com HTTPS, pois a comunicação é criptografada, aumenta a segurança dos dados.

3 – Nunca fazer transações on-line em casas lan, cyber cafés, computadores de redes públicas, pois essas máquinas não podem estar protegidas.

4 – Assinar o documento de recebimento do produto da internet apenas após examinar o estado da mercadoria. Se for constatada irregularidade, deve ser informada, justificando o não recebimento. Nas lojas fisicas, só assinar o termo de recebimento após conferir o produto.

5 – Preferir fornecedores favoritos ou indicados por amigos e familiares, pesquise sua reputação em sites que avaliam lojas virtuais.

6 – O consumidor deve ficar atento a “maquiagem dos preços” para que os produtos pareçam mais baratos, ou seja, elevam os valores na véspera e baixam na data, como se individuais ofertas. Essa prática é considerada enganosa, e o estabelecimento pode ser penalizado. Arte. 37º paragrafo 1º e 2º da lei 8.078 / 1990 (CDC), faça uma denúncia aos órgãos de defesa do consumidor.

7- O consumidor deve usar o cartão de crédito virtual para compra online, ele é um espelho do cartão, sua numeração alterada e com prazo de validade, só pode ser usado uma vez por compra, com isso, ele garantia segurança e o retorno no caso de golpe ou mesmo de não entrega do produto, diferente de outros métodos de pagamento como boleto e transferência bancária.

8 – Nunca forneça dados pessoais ou bancários em sites desconhecidos. É importante observar o valor do frete, pois pode está alterado para mais caro e compensar o valor do produto que em tese estará em “promoção”.

9 – Desconfie de preços muito abaixo dos praticados normalmente no comércio.

10 – Denuncie como irregularidades aos órgãos de proteção ao consumidor.

Deixe uma resposta