ECONOMIA: ALTA NO PREÇO DO CHOCOLATE DIFICULTA COMPRA DA PÁSCOA PARA FAMÍLIAS POTIGUARES

Por g1 RN

 

Ovos de páscoa no supermercado (Arquivo) — Foto: Carlos Alberto Jr/G1Ovos de páscoa no supermercado (Arquivo) — Foto: Carlos Alberto Jr/G1

Os potiguares têm intenção de compras maior para a Páscoa de 2022 do que em 2021, segundo levantamento feito com moradores de Natal e Mossoró e divulgado pelo Instituto Fecomércio Rio Grande do Norte nesta quarta-feira (6).

Segundo a pesquisa, os natalenses pretendem gastar em média R$ 97,66 para comprar presentes para familiares e amigos. O chocolate é o principal produto, citado por mais de 90% das pessoas entrevistadas.

De acordo com a Federação do Comércio do RN (Fecomércio), o cenário favorável para o consumo no período da Semana Santa, entre 15 a 17 de abril, anima os empresários.

Porém praticamente metade do público ainda diz que não vai às compras por causa da situação financeira.

“O comércio já esperava uma Páscoa mais animada, tanto que a preparação para as vendas começou ainda no Carnaval. Os números mostrados pela nossa pesquisa empolgam o varejo potiguar, após dois anos complicados de vendas no período da Páscoa. Ainda não chegamos aos índices de 2019, mas sabemos que o caminho de retomada não seria numa crescente rápida e estamos trabalhando para isso”, disse o presidente da Fecomércio, Marcelo Queiroz.

Intenção de compra

Entre os consumidores natalenses que irão às compras, o índice avançou de 39,2% para 53,5%, na comparação entre 2021 e 2022.

Em Mossoró, 48,4% dos consumidores disseram que vão presentear na data este ano. Em 2021, percentual foi de 43%.

Nas duas cidades, o número em 2019 foi superior, alcançando 59% e 58,4%, respectivamente.

Situação financeira dificulta consumo

Entre os que afirmaram não ter intenção de presentear, a maior justificativa dos consumidores das duas maiores cidades do RN é a situação financeira, sendo a falta de dinheiro o argumento com maior adesão dos entrevistados (43,4% – Natal; 47,9% – Mossoró).

O ticket médio entre os consumidores das duas cidades se diferencia. Em Natal, o valor será de R$ 97,66, aumento nominal de 6% em relação ao levantamento feito no ano passado, o qual havia sido de R$ 92,15. Já em Mossoró, o valor deve ficar em R$ 87,65, valor 2% menor nominalmente do que o registrado no ano passado (R$ 89,40).

Chocolate é o principal produto

Para os entrevistados de Natal, o sentimento de afeto pelas pessoas que vão presentear é o motivo de ir às compras (50,7%), e para os mossorenses é o costume de presentear na data (41,9%).

Em ambas as cidades, o chocolate será a principal escolha para mais de 95% dos entrevistados, presenteando, pela ordem de preferência, filhos, companheiros, sobrinhos.

Na hora de escolher o presente, serão consideradas principalmente as ofertas/promoções (Natal 59,5% e Mossoró 53,5%) e a marca do produto (Natal 29,2% e Mossoró 19,8%). Já sobre pesquisas de preço, 72,8% dos natalenses e 60,5% dos mossorenses afirmaram que vão fazer antes de efetuar a compra.

Na capital, os shoppings serão os locais preferidos para comprar (48,6%) e em Mossoró, o comércio de rua lidera a preferência (50,2%). O público também difere quanto a forma de pagamento, em Natal, a maior parcela dos consumidores pretende pagar utilizando cartão (51,8%), sendo 33,7% no crédito e 18,1% no débito; em Mossoró, o pagamento à vista em dinheiro será a forma escolhida pela maior parte dos consumidores, 51,4%. Para os consumidores das duas cidades, a compra será feita na semana que antecede a data comemorativa (mais de 75%).

Peixes

Outro mercado também impactado pela Semana Santa é o consumo de peixes e crustáceos. Em Natal, 76,1% dos entrevistados têm pretensões de comprar o produto para a data; o percentual é 9,5 pontos percentuais maior que o do ano passado, quando 66,6% colocaram os frutos do mar entre os itens a serem consumidos. O gasto médio será de R$ 73,02.

Em Mossoró, 75% dos entrevistados têm intenção de consumir peixes e crustáceos durante este período, gastando em média R$ 69,66.

Viagens

A Semana Santa também acende o desejo de viajar. 17,5% dos natalenses tem a pretensão de viajar – um aumento de 12,5 pontos percentuais em relação a 2021, quando o índice chegou a 5,3%, causado pela incerteza da pandemia.

Em 2019, período anterior à pandemia, o número foi 22,7%. Sobre os gastos na viagem, 81% disseram que deverão desembolsar até R$ 500.

Entre os mossoroenses, a intenção de viajar no feriadão da Semana Santa subiu de 8,3% em 2021 para 14,8% neste ano. Em 2019, a pretensão de realizar uma viagem no período era de 22,1%.

Gastos na viagem não devem passar de R$ 500,00, para 62,2% dos consumidores.

As duas pesquisas aconteceram entre os dias 14 e 23 de março de 2022 nas duas cidades. O levantamento tem um índice de confiança de 95% e um erro amostral de aproximadamente 3%.

Deixe uma resposta