ECLIPSE LUNAR TOTAL OU LUA DE SANGUE PODERÁ SER VISTA EM TODO BRASIL NA NOITE DESTE DOMINGO (15)

Lua de Sangue’: eclipse lunar total poderá ser visto no Brasil neste final de semana

Fenômeno acontece duas semanas após um eclipse solar parcial e poderá ser visto em todas as regiões do Brasil

INTERNACIONAL

 Maria Cunha*, do R7

O eclipse lunar total deixa a Lua avermelhada

PIXABAY

Um eclipse lunar total, conhecido popularmente como “Lua de Sangue”, irá ocorrer na de noite de domingo (15) para segunda-feira (16). O fenômeno acontece duas semanas após um eclipse solar parcial e poderá ser visto em todo o Brasil.

De acordo com Rodolfo Langhi, coordenador do Observatório de Astronomia da Unesp (Universidade Estadual Paulista), um eclipse lunar ocorre quando a Lua entra na sombra da Terra e deixa de receber parte da luz do Sol.

“Atrás da Terra tem um cone de sombra e então, de vez em quando, a Lua cheia passa pela sombra, atravessa esse cone no espaço, e acontece um eclipse lunar”, explica. “Pode ser que, às vezes, o satélite só passe raspando ou parcialmente passe pela sombra da terra, então nós temos um eclipse lunar parcial”.

Assim, para que haja um eclipse lunar total, é necessário que a Lua inteira mergulhe na sombra da Terra.

“Lua de Sangue”

O satélite natural da Terra não ficará totalmente escuro durante o eclipse deste fim de semana. Langhi conta que quando a luz do Sol bate na Terra, a maior parte da luz é bloqueada, por isso que uma sombra atrás do planeta é formada. Porém, a atmosfera, que é uma camada fina de gases na superfície do planeta, permite a passagem de parte da luz.

“Os gases da atmosfera desviam a luz do Sol para dentro do cone de sombra, então existe um pouquinho de luz solar entrando e, por isso, o eclipse não deixa a Lua ficar totalmente escura, ela fica avermelhada”, explica o astrônomo.

Como ver o eclipse?

Mesmo com o envolvimento da luz do Sol, para observar o fenômeno nenhuma precaução é necessária, diferente de um eclipse solar, no qual é preciso colocar uma proteção especial para os olhos.

“Se tiver binóculo, pode apontar o binóculo. Se tiver telescópio também pode apontar o telescópio, não precisa de filtro e é muito lindo este fenômeno. A gente só precisa de um céu sem nuvens”, diz Rodolfo Langhi.

O especialista orienta que o melhor lugar para observar o fenômeno será na América do Sul, e na América Central, não importando se é uma área urbana ou rural. Parte da África e da América do Norte também conseguirão ver.

“Nós vamos ver o eclipse completo, desde a hora que a Lua começa a entrar na sombra que é às 23h27 de domingo (15) e ela só vai sair completamente às 2h55 da segunda-feira (16). O máximo, o ápice, vai ser às 1h11 do dia 16”.

O fenômeno do domingo não é tão raro. Todos os anos, ocorre um eclipse lunar total ou mais de um eclipse lunar. “Mas considerando o fato que a gente tem que esperar de um ano para o outro e, às vezes, a gente espera um eclipse total e naquela noite nubla ou chove e a gente perde, como aconteceu no último aqui em Bauru, acaba sendo raro”, diz Langhi.

O próximo eclipse irá acontecer no dia 28 de outubro de 2023 e será um eclipse lunar parcial, visto durante o nascer da Lua.

“A gente acaba sempre esperando com bastante expectativa o próximo eclipse, tanto para uma observação casual de deleite, de contemplação, quanto para coleta de dados para fins científicos, então vamos esperar aí uma excelente noite para todos nós”, conclui Langhi.

Fonte: R7

Deixe uma resposta