CONFIRA O HORÁRIO DE AMOSTRA DA EXPOSIÇÃO “O SERTÃO VIROU MAR” NA PINACOTECA DE NATAL

Exposição “O Sertão Virou Mar” do artista potiguar Azol chega a marca de 1 mil visitantes na Pinacoteca; confira horários da amostra

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Assessoria de Comunicação

A exposição multimídia “O Sertão Virou Mar”, do artista potiguar Azol, superou a marca dos mil visitantes. Em destaque na Pinacoteca do Estado, as obras de arte que compõem a amostra estão disponíveis para a visitação do público de forma gratuita até 24 de julho. Entre os visitantes da exposição estão escolas, proporcionando aos jovens muitas vezes a primeira oportunidade de estar em contato pessoalmente com obras de arte. Esta semana, por exemplo, um grupo de estudantes da Instituto Padre Miguelinho, localizado no Alecrim, deslocou-se para uma aula in loco na Pinacoteca.

A exposição consta de variadas linguagens e formatos: são 43 fotomontagens, 10 pinturas em tinta acrílica sobre tela, três videoartes, dois videodepoimentos, uma instalação, tudo isso distribuído em quatro salas confortáveis com ambientes intimistas. Uma experiência bastante agradável para os apreciadores da arte. A temática é sempre o sertão, a caatinga e a vida simples do homem do campo.

Inspirada no sertão nordestino, a exposição retrata a vida cotidiana dessa região de forma lúdica, porém com uma mistura de linguagens e diferentes estéticas. O Castelo de Seu Zé dos Montes, localizado no município de Sítio Novo, está presente em diversas obras de arte. Um burrinho solitário, os vaqueiros cavalgando pela mata e o menino caído ao chão são algumas das peças feitas pelo artista, que demonstram a beleza do sertão e não apenas a aridez da terra seca.

“Não é apenas a representação pictórica de um espaço físico, mas a criação de uma experiência que coloca o observador dentro da imagem e o convoca a embarcar numa jornada poética”, assim Azol define as suas obras.

Apesar da riqueza de detalhes, cores, filtros e linguagens utilizadas pelo artista, as obras de arte que compõem a exposição foram produzidas em um período de, aproximadamente, um ano. No entanto, o trabalho de pesquisa feito por Azol sobre o sertão nordestino já dura 10 anos. Então, baseado nesse estudo, nas viagens ao Nordeste e conversas com o curador Marcus Lontra, o artista montou a exposição.

A exposição está aberta de terça a sexta, das 8h às 17h, e aos sábados e domingos das 10h às 16h. Neste final de semana, de modo especial devido ao feriado de Corpus Christi, a exposição funionará das 9h às 16h

Fonte: Portal da Tropical _ Notícias

Deixe uma resposta