CIÊNCIAS: VEJA AQUI AS ÚLTIMAS DESCOBERTAS SOBRE O AUTISMO

O foco da nossa coluna CIÊNCIAS desta segunda-feira é o Autismo. Trago aqui resumidamente as três descobertas mais recentes por cientistas e pesquisadores dos Estados Unidos, China, Austrália, Suécia, Finlândia, Dinamarca e Israel sobre o Autismo. Caso você queira se aprofundar em cada uma dessas descobertas é fácil acessando o google e procurando pelo título.

Conheça as últimas descobertas sobre o autismo

Novas descobertas podem significar evolução no tratamento do transtorno

Escrito por Redação

Redação Minha Vida

Em 31/3/2020

Autismo: saiba o que é, as principais características e ...

autismo é um transtorno de desenvolvimento que compromete as habilidades de comunicação e interação social. Ainda que as causas sejam desconhecidas, muitas pesquisas recentes apontam descobertas significativas para a compreensão desta condição e para o desenvolvimento de tratamentos.

Em 2 de abril, celebra-se o dia do autismo. Confira abaixo algumas das novas descobertas sobre a condição.

Estudo identifica 102 genes associados ao autismo

Um estudo feito por pesquisadores americanos, e publicado na revista ?Cell?, identificou 102 genes ao risco de desenvolver o espectro autista.

Segundo declaração do pesquisador Joseph D. Buxbaum à revista, essa descoberta servirá de base essencial para o desenvolvimento dos futuros tratamentos.

“Quanto mais se entende as causas, mais é possível compreender a biologia do autismo. Cada gene dará novos insights sobre essa biologia”, comenta ele.

Cientistas conseguiram provocar autismo em macacos

O experimento publicado na revista Nature foi feito por cientistas chineses e americanos. Após a intervenção, os animais passaram a demonstrar comportamentos semelhantes ao dos humanos com o transtorno.

Os pesquisadores afirmam que técnica aplicada em macacos pode também ajudar a mapear mais profundamente essa condição e criar melhores opções de tratamentos para os pacientes com o autismo.

Pesquisa global indica possível causa do autismo

Estudo publicado no site JAMANetwork descobriu uma das principais questões sobre o autismo: sua causa. Segundo a pesquisa, a genética é o maior fator de risco para o desenvolvimento do autismo.

O estudo foi realizado com mais de 2 milhões de crianças com o transtorno na Suécia, Finlândia, Dinamarca, Israel e Austrália Ocidental no período de 1998 até 2011. Os pesquisadores acompanharam esses pacientes até completarem 16 anos.

Síndrome rara pode estar por trás de milhares de casos de autismo no Brasil

Segundo estudo realizado na Universidade de São Paulo (USP), um dos fatores que pode contribuir para milhares de casos do espectro autista no Brasil é uma alteração no DNA que causa a síndrome Phelan-McDermid.

Essa doença é definida como um transtorno global no desenvolvimento que afeta a condição motora, intelectual e verbal, além de complicações nos rins e no aparelho gastrointestinal.

Segundo a pesquisa, dos 2 milhões de autistas brasileiros, existem 12 mil casos relacionados a essa condição rara. No entanto, devido ao fato de o teste genético não ser indicado pelos médicos com frequência, grande parte dessa população não sabe que possui essa condição.

Fonte: Redação

Minha Vida

Deixe uma resposta