Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!
CIÊNCIAS: ESTUDO COMPROVA QUE AMEIXAS SECAS PODEM PROTEGER MULHERES MAIS VELHAS CONTRA OSTEOPOROSE

As ameixas secas são ricas em antioxidantes que amortecem a inflamação e destroem os radicais livres nocivos. Elas contêm substâncias químicas vitais que podem proteger as mulheres mais velhas contra a osteoporose, segundo estudo de Pesquisadores do Programa de Fisiologia Integrativa e Biomédica e dos Departamentos de Ciências Nutricionais e Cinesiologia da Universidade Estadual da Pensilvânia. Então leia o artigo completo a seguir e conheça os detalhes desta incrível descoberta.

Ameixas secas podem proteger as mulheres mais velhas contra a osteoporose, diz estudo da Penn State

Um punhado de ameixas secas por dia protege as mulheres mais velhas contra a osteoporose, de acordo com uma nova pesquisa.

Os níveis de estrogênio, hormônio que aumenta os ossos, caem após a menopausa, o que desencadeia um aumento na inflamação no corpo, o que também pode contribuir para a perda óssea.

As ameixas secas contêm substâncias químicas vitais que a imitam.

Eles são ricos em antioxidantes que amortecem a inflamação e destroem os radicais livres nocivos.

Mais de 50 anos que comiam regularmente eram menos propensos à doença que deixa as pessoas com ossos quebradiços que aumentam o risco de fraturas.

A condição afeta três milhões de adultos britânicos, principalmente mulheres. Todos os anos, 300.000 pessoas sofrem uma “fratura por fragilidade” devido a uma queda da própria altura ou menos.

Eles causam dor significativa, incapacidade e perda de independência. Mais de 1.000 pessoas morrem por causa deles – todos os meses.

Pesquisas anteriores mostraram que as ameixas contêm extratos de polifenóis, compostos vegetais que atuam como antioxidantes e reduzem a inflamação.

Eles promovem níveis mais baixos de estresse oxidativo e inflamação em um tipo de célula óssea chamada osteoclastos.

Pesquisadores do Programa de Fisiologia Integrativa e Biomédica e dos Departamentos de Ciências Nutricionais e Cinesiologia da Universidade Estadual da Pensilvânia exploraram os efeitos das ameixas secas na saúde óssea após a menopausa.

O estudo de 235 mulheres com escore de densidade mineral óssea definido como baixo é o primeiro a demonstrar o benefício da simples mudança na dieta.

As mulheres na pós-menopausa foram divididas em três grupos: um que comeu 50 gramas de ameixas (cerca de seis) diariamente por 12 meses, um que comeu 100 g de ameixas (cerca de 12 ameixas) diariamente por 12 meses e um grupo controle que não comeu ameixas.

A equipe de pesquisa analisou amostras de sangue retiradas de todos os voluntários antes e depois do teste e encontrou reduções significativas nos marcadores inflamatórios em ambos os grupos que comem ameixas em comparação com o grupo controle.

O primeiro autor do estudo, o estudante de doutorado Janhavi Damani, disse: “Nossas descobertas sugerem que o consumo de seis a 12 ameixas por dia pode reduzir os mediadores pró-inflamatórios que podem contribuir para a perda óssea em mulheres na pós-menopausa.

“Assim, as ameixas podem ser uma intervenção nutricional promissora para prevenir o aumento de mediadores inflamatórios frequentemente observados como parte do processo de envelhecimento”.

A principal autora, professora Mary Jane De Souza, da Pennsylvania State University, disse: “É emocionante que os dados de nosso grande estudo controlado randomizado em mulheres na pós-menopausa mostraram que consumir de cinco a seis ameixas por dia demonstrou o benefício de proteger contra a perda óssea no quadril.

“Nossos dados apoiam o uso de ameixas secas para proteger o quadril da perda óssea após a menopausa.

“De fato, esses dados podem ser especialmente valiosos para mulheres na pós-menopausa que não podem fazer terapia farmacológica para combater a perda óssea e precisam de uma estratégia alternativa”.

Com menos de 100 calorias por porção, as ameixas são uma fruta rica em nutrientes que contém um poderoso soco de vitaminas e nutrientes.

Eles também contêm boro, potássio, cobre e um coquetel de compostos vegetais saudáveis ​​que são bons para os ossos.

Eles são considerados um ‘superalimento’ para melhorar as bactérias intestinais, retardar o envelhecimento, combater a deficiência de ferro, diabetes e doenças cardíacas.

Este estudo foi publicado em Advances in Nutrition .

Fonte: Good News Network

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×

Carrinho