UTILIDADE PÚBLICA: CONDOLÊNCIAS DO GOVERNO DO ESTADO E PREFEITURA PELO FALECIMENTO DO MEGA EMPRESÁRIO NEVALDO ROCHA

Governo do Estado e Prefeitura do Natal emitem notas de pesar pelo falecimento do empresário Nevaldo Rocha; legado de inspiração e vida, citam Fátima e Álvaro Dias

 DIVERSOSECONOMIA

Fátima diz que Nevaldo deixa um legado de inspiração para as gerações presentes e futuras do povo potiguar

O povo potiguar está em luto hoje pela perda de Nevaldo Rocha, um visionário que alavancou o nome do Rio Grande do Norte para o Brasil e mundo, com os grupos Guararapes e Riachuelo. Todo meu sentimento ao empresário Flávio Rocha e demais familiares, e amigos, pela perda irreparável do pioneiro da família Guararapes.

Nevaldo deixa um legado de inspiração para as gerações presentes e futuras do povo potiguar, em simplicidade no trato com todos e grandiosidade no espírito empreendedor e desenvolvimentista, que gerou milhares de empregos para milhares de famílias em nosso Estado e em outros Estados brasileiros, ao longo de décadas. Que a perda inestimável se transforme, também, em força para superar a dor da família e que o povo potiguar tenha sempre nele um ícone a se inspirar.

Fátima Bezerra
Governadora do Estado do Rio Grande do Norte.

Prefeitura do Natal também se manifesta e cita exemplo de vida como legado

A Prefeitura do Natal vem, por meio desta Nota de Pesar, lamentar o falecimento, nesta quarta-feira (17), do empreendedor potiguar Nevaldo Rocha, fundador do Grupo Riachuelo.

A administração municipal se solidariza com familiares, amigos e funcionários da rede, ressaltando o grande empresário e ser humano que empregou milhares de pessoas e contribuiu diretamente para o desenvolvimento de Natal e do Rio Grande do Norte.

O prefeito Álvaro Dias destaca que Nevaldo Rocha será sempre lembrado e deixará o seu exemplo de vida como legado para muitas gerações de natalenses e norte-rio-grandenses.

Fonte: Blog do BG
Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: CONDOLÊNCIAS DO GOVERNO DO ESTADO E PREFEITURA PELO FALECIMENTO DO MEGA EMPRESÁRIO NEVALDO ROCHA

FISCALIZAÇÃO: VEJA A MONTANHA DE RECURSOS QUE O GOVERNO FEDERAL DISPONIBILIZOU PARA O RN

COVID-19: Além de repasses em mais de R$ 605 milhões, saiba o que o Governo Federal disponibilizou ao RN; de EPI´s a insumos em medicamentos como cloroquina

 SAÚDE

Num total de R$ 605,58 milhões, em ações de enfrentamento a Covid-19, o Governo Federal disponibilizou repasses, insumos e Equipamentos de Proteção Individual(EPI´s).

Nas EPI´s, itens como álcool gel, máscara, óculos e protetor facial, avental, luvas, sapatilha e toucas, além de testes e respiradores foram encaminhados.

Nos insumos, além da disponibilidade dos leitos via SUS, medicamentos como cloroquina e oseltamivir.

No total disponibilizado, oriundos do Fundo Nacional de Saúde, FPE, FPM e PFEC(Programa Federativo).

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo FISCALIZAÇÃO: VEJA A MONTANHA DE RECURSOS QUE O GOVERNO FEDERAL DISPONIBILIZOU PARA O RN

UTILIDADE PÚBLICA: VEJA AQUI LISTA DE AGÊNCIAS DA CAIXA QUE ABRIRÃO NESTE SÁBADO NO RN PARA PAGAMENTO DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

 

Centenas de pessoas se aglmoeram em filas em frente à Caixa do Alecrim, em Natal (arquivo). Agência será uma das abertas neste sábado (2). — Foto: Luiz Gustavo Ribeiro/Inter TV CabugiCentenas de pessoas se aglmoeram em filas em frente à Caixa do Alecrim, em Natal (arquivo). Agência será uma das abertas neste sábado (2). — Foto: Luiz Gustavo Ribeiro/Inter TV Cabugi

A Caixa Econômica anunciou a abertura de 13 agências neste sábado (2), das 8h às 12h, no Rio Grande do Norte. De acordo com o banco, a medida visa dar agilidade e reduzir o tempo de fila para atender aos beneficiários nascidos de janeiro a outubro que recebem o auxílio emergencial de R$ 600 através da Poupança Social Digital e optaram por realizar o saque em espécie.

O auxílio está sendo pago pelo governo federal durante a pandemia do novo coronavírus. Veja quem tem direito.

Em todo o Brasil, 902 agências vão abrir na data. “A abertura no sábado permitirá a antecipação do calendário do saque em espécie, contribuindo para o escalonamento no atendimento a quem recebe o auxílio. A data para os nascidos em novembro e dezembro está mantida na terça-feira (5)”, informou o banco.

De acordo com a Caixa, grande parte do público que tem direito ao auxílio “estava fora do sistema bancário ou não possui facilidade com os canais digitais. Muitos outros procuram as unidades da Caixa em busca de informações confiáveis, inclusive pessoas que não têm direito ao benefício”, informou o banco, a respeito das filas que têm se formado nas portas das agências, causando aglomeração de pessoas em meio à pandemia de coronavírus.

“O banco tem somado todos os esforços para otimizar e acelerar o atendimento em seus canais físicos e digitais. E ressalta a importância de apenas buscarem as agências aqueles usuários que precisam realizar serviços essenciais ou os beneficiários que receberam o auxílio na Poupança Social Digital e desejam fazer o saque em espécie”, informou ainda em nota.

De acordo com a Caixa, a prioridade ainda é manter o atendimento digital, por meio do cadastramento por aplicativo, site e a movimentação do benefício pelo Caixa Tem. O pedido do banco é que a população só se dirija às agências em último caso.

Aqueles que receberam o crédito por meio da Poupança Digital Caixa podem pagar boletos e contas de água, luz, telefone, entre outras, bem como fazer transferências para outros bancos por meio do aplicativo Caixa Tem.

Os beneficiários do Auxílio Emergencial que receberam o crédito em poupança da Caixa também podem movimentar o valor digitalmente pelo Internet banking ou mesmo utilizando o cartão de débito em suas compras.

Os beneficiários do Bolsa Família elegíveis para o auxílio recebem o crédito no mesmo calendário e na mesma forma do benefício regular, por meio do cartão Bolsa Família nos canais de autoatendimento, lotéricas e correspondentes Caixa Aqui; ou por crédito na conta Caixa Fácil.

Para quem busca informações sobre o cadastro, os canais são o aplicativo Caixa | Auxílio Emergencial, o site auxilio.caixa.gov.br e a central telefônica exclusiva 111.

Listas de agências que abrirão neste sábado (2) no RN

  1. Caicó
  2. Ceará-Mirim
  3. Currais Novos
  4. Goianinha
  5. Macaíba
  6. Mossoró Centro (Rua Coronel Gurgel)
  7. Natal Alecrim
  8. Natal Potengi
  9. Parnamirim Centro
  10. Pau dos Ferros
  11. Santa Cruz
  12. São Gonçalo do Amarante (Av. Tomaz Landim)
  13. São José de Mipibu
Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: VEJA AQUI LISTA DE AGÊNCIAS DA CAIXA QUE ABRIRÃO NESTE SÁBADO NO RN PARA PAGAMENTO DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

UTILIDADE PÚBLICA: ESTUDO DA FIOCRUZ APONTA QUE NÚMERO DE INTERNAÇÕES POR SRAG EM 2020 É O MAIOR DESDE 2010

 

Um estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) mostra um aumento expressivo nas internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) neste ano no Brasil em comparação com a média dos últimos dez anos.

Esses dados, de acordo com a Fiocruz, infectologistas, epidemiologistas e outros especialistas ouvidos pelo G1, indicam uma subnotificação dos casos da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus Sars-CoV-2.

SRAG, ou Síndrome Respiratória Aguda Grave, é uma doença respiratória grave que exige internação e é causada por um vírus, seja ele o novo coronavírus, o influenza ou outro. Os casos são relatados pelos hospitais ao Ministério da Saúde, e a Fiocruz consolida e divulga esses dados pela plataforma Infogripe.

Na contagem da Fiocruz até 4 de abril deste ano, o Brasil teve 33,5 mil internações por SRAG, muito acima da média desde 2010, de 3,9 mil casos. Mesmo em 2016, quando houve um surto de H1N1, foram registrados 10,4 mil casos no mesmo período do ano.

“O número de casos está muito alto. Completamente fora do padrão”, afirma Marcelo Gomes, coordenador do Infogripe, da Fiocruz.

Os motivos, segundo ele, são:

  • Há mais hospitalizações em decorrência da Covid-19
  • E a velocidade com que o vírus se espalha é maior que em anos anteriores (há uma “maior rapidez de disseminação”)

Um terceiro fator, diz, é que o sistema da Fiocruz passou a receber um número maior de notificações de hospitais privados. Por isso, a comparação deste ano com os anteriores não é perfeita. Mas, segundo Gomes, mesmo descontando os dados de hospitais privados, a alta seria expressiva.

“Outro fator, cuja contribuição não é tão grande, é o fato de que nos últimos anos quem reportava fundamentalmente era praticamente só a rede pública. E, neste ano, a rede privada também passou a reportar. Mas a contribuição não é tão grande quanto os outros [fatores].”

Os cientistas da Fiocruz listam três motivos que apontam o Sars-Cov-2 como o responsável pelo expressivo crescimento dos casos:

  1. aumento das internações fora da época
  2. idosos como os mais afetados
  3. percentual de testes negativos para outras gripes mais alto

“Não tem nada que justifique o aumento do número de casos de idosos. A gente teve até vacinação antecipada dessas pessoas neste ano. Pode ter certeza que é Covid-19. É provavelmente quase tudo Covid-19. Não tem outra explicação pra isso”, afirma o epidemiologista, infectologista e diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia, Antonio Bandeira.

Número de internações por síndromes respiratórias é muito maior neste ano, o que indica uma subnotificação de casos de Covid-19 — Foto: Guilherme Gomes/G1

Número de internações por síndromes respiratórias é muito maior neste ano, o que indica uma subnotificação de casos de Covid-19 — Foto: Guilherme Gomes/G1

Além disso, o último boletim do Ministério da Saúde mostra que há mais de 20 mil casos de SRAG ainda em investigação, aguardando o diagnóstico.

Fora de época

O rápido aumento das internações por problemas respiratórios aconteceu neste ano em uma época em que normalmente não há muitos casos. O normal é que os casos comecem a aumentar junto com o frio, no fim do outono e início do inverno. Não foi o que aconteceu em 2020.

“A chegada da Covid-19 ocorreu durante a estação do ano em que a atividade dos vírus respiratórios é, em geral, baixa”, afirmam os pesquisadores da Fiocruz. “Apenas em 2010 e 2016 a sazonalidade da SRAG ocorreu mais precocemente (no final do verão e outono) na maioria dos estados brasileiros, com predominância do vírus da Influenza A.”

A preocupação dos especialistas é que a situação se agrave no inverno, quando os outros vírus começam a causar internações por SRAG, o que pode causar uma sobrecarga ainda maior ao sistema de saúde.

“O aumento da hospitalização por SRAG tão precocemente em 2020 chama a atenção, uma vez que existe a tendência de aumento de casos entre o outono e o inverno, sobretudo nos estados de maior latitude (mais ao sul)”.

Idosos x crianças

O estudo da Fiocruz foi motivado pelo rápido aumento dos casos sem identificação da doença. Ao analisar os números, os pesquisadores viram que havia uma mudança no perfil dos pacientes. As gripes comuns, registradas nos anos anteriores, afetavam principalmente crianças, com menos de 2 anos.

Já os casos novos são predominantemente de idosos e pessoas com comorbidades, como diabetes, uma característica da Covid-19.

Das internações por SRAG em 2020, 36% foram de idosos, com mais de 60 anos. Já os pacientes com menos de 2 anos responderam por apenas 10% dos casos

Idosos integram principal grupo de risco para Covid-19 e compõem o maior percentual de internados por síndromes respiratórias neste ano — Foto: Helene Santos/SVM

Testes negativos e aguardando resultado

Outro dado que chamou a atenção dos pesquisadores da Fiocruz foi o grande número de testes negativos para outras gripes, como Influenza A, o tipo mais comum. O índice chegou a 91%. Segundo os especialistas, isso indica que o motivo da SRAG é outra doença, nova.

“Chama a atenção a alta negativação dos testes laboratoriais de SRAG na vigilância, tanto historicamente, como em 2020”, afirmam os pesquisadores. “A negativação dos testes alcançou 91%, um nível antes não encontrado.”

Além disso, não há testes disponíveis de Covid-19 para todos os pacientes. E mesmo entre os que foram testados, muitos ainda aguardam o resultado.

Professor mostra ano ‘fora da curva’

O professor de estatística da UFRN Marcus Nunes analisou os dados do Infogripe, da Fiocruz, e fez dois gráficos, mostrando como o número de casos em 2020 está em um patamar muito acima do restante, inclusive 2016, quando houve o surto de H1N1.

Todos os meses, ele escolhe um tema para fazer uma análise estatística e mostrar para seus alunos na faculdade, que também é publicada em seu blog.

O professor diz que viu que não havia testes suficientes no Brasil e resolveu buscar os dados de problemas respiratórios para conferir se havia subnotificação da Covid-19. Depois de analisar os dados do Infogripe, concluiu que essa probabilidade é muito alta. “O gráfico mostra claramente que 2020 é um outlier (fora da curva)”, diz.

Nunes publicou também um site com as curvas para cada estado, mostrando a diferença de número de casos entre cada ano. Em estados como RJ, MG e CE, a discrepância é ainda maior.

Especialistas apontam subnotificação

Antonio Bandeira, epidemiologista, infectologista e diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia, diz que o alto número de internações deixa clara a subnotificação, assim como o perfil das vítimas. “[O fato de ter mais idosos] é por causa do Covid-19. Não tenho nem dúvida.”

“A SRAG é um quadro com maior gravidade respiratória associada a manifestações virais. Ela não vai diferenciar que tipo de vírus é de acordo com os sintomas, não. Ela pode ser causada por qualquer um desses vírus, Influenza, Covid, H1N1. Em tempos normais, sem pandemia, ela geralmente reflete casos de Influenza, porque dentro desses vírus é o mais comum ano a ano. Mas a Covid-19 reproduz um quadro respiratório. Então esse número deve refletir as duas coisa juntas.”

“Não tem como saber sem testes o que é cada um. No início do ano, na Bahia, tinha muito mais Influenza dando nos testes. Agora não. Tem muito mais Covid do que Influenza. Só que como a demanda de Covid ficou muito grande, a gente tem que esperar para mostrar os resultados de tudo isso” , afirma.

Paulo Inácio Prado, que trabalha com biologia quantitativa e é integrante Observatório Covid-19, grupo voluntário de pesquisadores, diz que o estudo da Fiocruz tem uma importância muito grande. “Eles foram os primeiros a perceber que estavam detectando provavelmente os casos de Covid”, diz. “Esses dados confirmam a hipótese da equipe da Fiocruz de que a gente estava tendo um aumento muito importante dos casos de SRAG e que isso se deve muito possivelmente à Covid-19”

“A grande pergunta é por que a gente tem tantos casos ainda não testados, se entre os testados a gente uma taxa de 70% para o Covid?”, questiona. “Acho importante distinguir duas coisas diferentes que afetam esses dados. Uma é o atraso de notificação. Uma parte já aconteceu e vai ser registrado. A segunda é a subnotificação mesmo. Significa que o sistema não está conseguindo notificar todos os casos.”

Tulio Batista Franco, sanitarista da Universidade Federal Fluminense, diz que esse fenômeno da subnotificação é visível no país todo.

“Está muito acima. Como não tem testagem, tem a síndrome respiratória aguda grave, mas a verdade é que a maioria está morrendo de Covid-19”, afirma.

O especialista diz que, como não há a testagem adequada, “cada um fala o que quer”. “Não se está conseguindo dar o diagnóstico correto para as pessoas. Você não tem o teste para se contrapor ao número do governo.”

Sérgio Cimerman, coordenador científico da Sociedade Brasileira de Infectologia, também diz que o número “não é normal”.

“É por causa da circulação da Covid-19. Porque o coronavírus é mais transmissível e mais contagioso. A gente achava que o H1N1 era muito mais agressivo, e muito pelo contrário.”

Para Patrícia Canto, pneumologista da Escola Nacional de Saúde Pública, com uma notificação baixa, a estimativa da mortalidade da doença também não é real. “Você só está testando os casos graves. Se você tivesse o total, alteraria. Então, com certeza, a taxa de mortalidade cairia se você tivesse uma testagem maior, porque você aumenta o número de pessoas infectadas.”

“Outra coisa é que a gente tem um impacto mais sentido nos profissionais de saúde. Então o profissional de saúde que está acometido da doença, ele precisa do exame para poder retornar ou para manter a sua quarentena. A questão dos testes é fundamental”, diz. “O fato de a gente não testar a população traz pra gente um subdimensionamento dos números. Então se a gente pensa que, cada um desses casos contaminou pelo menos 2, 3 [pessoas], se não forem mais, a gente tem que multiplicar por pelo menos 3 o número de infectados na população.”

Sem saber o número real de infectados, o planejamento dos sistemas de saúde fica prejudicado, segundo ela. “Se a gente consegue avaliar que, em determinados locais, você está com um número maior de casos, você drena melhor os seus sistemas de vigilância e de ações de serviços de saúde e até de equipagem dos dispositivos hospitalares. Você pode enviar médicos. Você acaba sabendo isso pela gravidade dos casos. Se você tivesse uma dosagem mais ampla, uma testagem mais ampla, você talvez pudesse se antecipar à gravidade dos casos e aí você consegue manejar melhor a questão de leitos, de respiradores ou mesmo de profissionais de saúde.”

O que preocupa, segundo a especialista, é o impacto desse quadro. “O problema é, em pouco tempo, os sistemas ficarem sobrecarregados e não termos leitos de UTI e respiradores/ventiladores mecânicos para o grande número de pacientes que se avolumam ao mesmo tempo. Os serviços são estruturados para a população em situações normais, não para situações de pandemia, como estamos vivendo agora. E a gente não pode esquecer que as outras situações continuam acontecendo. As pessoas ainda infartam, as pessoas ainda têm apendicite, as pessoas ainda têm infecções bacterianas. E agora estamos começando a época do ano em que a gente tem as doenças respiratórias sendo mais prevalentes também. Então a gente vai ter uma sobreposição da pandemia, que, por si só, já esgota o nosso sistema de saúde, sobreposta às outras doenças que a gente espera encontrar na população, em especial nessa época do ano.”

“As pessoas ficando mais em casa, a gente tende a protegê-las de exposições a esses vírus respiratórios de um modo geral, tanto que essa é uma das principais estratégias no combate a essa pandemia. Com isso, você reduz, por exemplo, essa transmissão para crianças. As crianças não estão indo às escolas, não estão indo às creches. Com isso, você tende a diminuir essas infecções respiratórias”, afirma.

“Uma outra coisa que a gente espera, seguindo o perfil dos outros países que nos antecederam à pandemia, é que as condições mais graves da doença da Covid 19 aconteçam nas pessoas com comorbidades e com idades mais elevadas, com pacientes acima de 60 anos, aumentando essa internação, então, nessas faixas etárias. Isso tem a ver com o perfil da doença, e a redução de infecção nas crianças muito provavelmente tem relação com o fato de elas estarem mais em casa”, diz Patrícia.

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: ESTUDO DA FIOCRUZ APONTA QUE NÚMERO DE INTERNAÇÕES POR SRAG EM 2020 É O MAIOR DESDE 2010

UTILIDADE PÚBLICA: SAIBA COMO CONTESTAR RECUSA DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

Trabalhadores que tiveram Auxílio Emergencial negado podem contestar resultado da análise ou fazer nova solicitação

Imagem: reprodução

Os trabalhadores que tiveram o pagamento do Auxílio Emergencial de R$ 600 negado pelo governo podem contestar a decisão, segundo a Caixa Econômica Federal (CEF).

Desde segunda-feira (20), o aplicativo do Auxílio Emergencial passou a disponibilizar ao trabalhador a possibilidade de fazer uma nova solicitação ou de contestar o resultado da análise efetuada pela Dataprev, responsável por validar os dados.

Veja abaixo como fazer:

Inscritos no Cadastro Único

Os trabalhadores inscritos no Cadastro Único e que atendem aos critérios do Auxílio Emergencial devem ter seus benefícios pagos automaticamente. Caso o trabalhador não tenha recebido e acredite que se enquadra nos critérios, ele pode verificar o resultado da análise por meio do aplicativo do Auxílio Emergencial.

Clique aqui para baixar o aplicativo para celulares Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.caixa.auxilio

Clique aqui para baixar o aplicativo para iOS (celulares Apple): https://apps.apple.com/br/app/caixa-aux%C3%ADlio-emergencial/id1506494331

Caso o trabalhador tenha tido seu auxílio reprovado, pode fazer uma nova solicitação através do próprio aplicativo.

Inscritos via aplicativo e site

O trabalhador deve verificar por meio do aplicativo do Auxílio Emergencial o andamento de seu pedido. A Caixa promete disponibilizar até o final da semana o resultado da análise feita pela Dataprev com a relação dos pedidos não aprovados.

Em análise: os dados ainda estão sendo analisados pela Dataprev.

Benefício não aprovado: o trabalhador pode contestar o motivo da não aprovação através do aplicativo. Também pode, alternativamente, realizar nova solicitação.

Dados inconclusivos: o trabalhador poderá fazer nova solicitação. Ao fazer o novo pedido, deve ficar atento aos possíveis motivos para a inconclusão, segundo a Caixa:

– marcação como chefe de família sem ter indicado nenhum membro;
– falta de inserção da informação de sexo do requerente;
– inserção incorreta de dados de membro da família, como CPF e data de nascimento;
– divergência de cadastramento entre membros da mesma família;
– inclusão de alguma pessoa da família que já tenha falecido.

Fonte:  Blog do BG

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: SAIBA COMO CONTESTAR RECUSA DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

UTILIDADE PÚBLICA: VEJA COMO ABRANDAR SIGNIFICATIVAMENTE O CORONAVÍRUS

Desde o início dessa pandemia que a lógica me dizia ser importante até mesmo quem não estava contaminado utilizar máscara para se proteger e proteger as outras pessoas. Então toda vez que saia de casa usava máscara. Mas os especialistas em todos os canais de televisão aconselhavam a só usar a máscara quem estivesse contaminado e/ou os profissionais da saúde. Agora entendo que o conselho deles era apenas uma questão de prioridade, que em suas publicações era omitido. Acontece que essa omissão pode ter ocasionado uma disseminação mais rápida do vírus na população. Teria sido mais inteligente e prudente, desde o início ter explicado sobre essa prioridade e ter incentivado as pessoas a fabricarem as máscaras caseiras. Bem o que foi feito foi feito, o que não foi feito não foi feito. Portanto, convido você a assistir o vídeo a seguir, que vem da República Tcheca com a experiência vivida la e entender a importância de se usar a máscara em todas as ocasiões. 

Fonte:

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: VEJA COMO ABRANDAR SIGNIFICATIVAMENTE O CORONAVÍRUS

UTILIDADE PÚBLICA: NÚMEROS ATUALIZADOS DA PANDEMIA DO CORONAVÍRUS EM TODO O MUNDO

Atualizando os dados da pandemia temos na coluna UTILIDADE PÚBLICA deste domingo aos números atualizados dos novos casos de infecção e de baixas em todo o mundo, por país. 

Coronavírus: os sites em tempo real que mostram dados de mortes, curvas de contágio e mutações

Coronavirus visto pelo microscópioDireito de imagemBSIP

A pandemia do novo coronavírus tem sido marcada por diversas características, como a transmissão do vírus por pessoas sem sintomas, o gigantesco impacto econômico, as quarentenas de milhões de pessoas e o acompanhamento em tempo real do avanço da doença pelo mundo.

Para tornar o volume extraordinário de dados em informações compreensíveis para a população, especialistas, veículos jornalíticos e autoridades de saúde criaram sites interativos nos quais é possível acompanhar quase em tempo real a evolução do número de infectados e mortos por dia e localidade, entre outros dados.

A exemplo do mapa abaixo, produzido e atualizado pela BBC.

Mapa da disseminação do coronavírus, por 21 de março de 2020

A apresentação usa dados periódicos da Universidade John Hopkins e pode não refletir as informações mais atualizadas de cada país.

Total de casos confirmadosNúmero de mortes
297.34512.758
CasosMortes
China81.4573.261
Itália53.5784.825
Espanha25.3741.375
Estados Unidos22.135278
Alemanha21.82875
Irã20.6101.556
França12.463450
Coreia do Sul8.799102
Suíça6.28472
Reino Unido4.145178
Holanda3.632136
Bélgica2.81567
Áustria2.8148
Noruega2.1187
Suécia1.76320
Dinamarca1.32613
Portugal1.28012
Malásia1.1834
Canadá1.13713
Austrália1.0717
Japão1.05436
Brasil1.02115
República Tcheca925
Israel8831
Cruzeiro Diamond Princess7128
Irlanda6833
Turquia6709
Luxemburgo6708
Paquistão6663
Chile537
Grécia53013
Finlândia5211
Islândia4731
Catar470
Polônia4525
Indonésia45038
Cingapura4322
Equador4267
Tailândia4111
Arábia Saudita392
Eslovênia3831
Romênia367
Índia3304
Filipinas30719
Rússia3061
Estônia306
Bahrein3051
Egito2858
Peru2634
África do Sul240
Iraque21417
Croácia2061
México2032
Panamá2001
Colômbia196
Líbano1874
Kuwait176
Bulgária1633
Armênia160
Argentina1584
Taiwan1532
Emirados Árabes Unidos1532
Sérvia1491
San Marino14420
Eslováquia1441
Argélia13915
Letônia124
Costa Rica1132
República Dominicana1122
Uruguai110
Hungria1034
Vietnã94
Bósnia-Herzegóvina931
Ilhas Faroe92
Andorra88
Marrocos863
Jordânia85
Macedônia do Norte85
Chipre84
Lituânia831
Brunei83
Moldávia801
Sri Lanka77
Albânia762
Malta73
Belarus69
Venezuela65
Burkina Fasso642
Tunísia601
Cazaquistão53
Guadalupe53
Camboja53
Omã52
Nova Zelândia52
Cisjordânia52
Trinidad e Tobago49
Geórgia49
Senegal47
Ilha Reunião45
Azerbaijão441
Ucrânia413
Liechtenstein37
Uzbequistão37
Martinica321
Camarões27
Bangladesh252
Honduras24
Afeganistão24
República Democrática do Congo231
Nigéria22
Cuba211
Porto Rico21
Gana19
Bolívia19
Paraguai181
Ruanda17
Jamaica161
Togo16
Jersey15
Guam15
Polinésia Francesa15
Guiana Francesa15
Montenegro14
Costa do Marfim14
Maurício141
Quirguistão14
Maldivas13
Guatemala131
Mônaco11
Gibraltar10
Mongólia10
Etiópia9
Mayotte7
Seicheles7
Guiana71
Quênia7
Tanzânia6
Ilhas Virgens Americanas6
Guiné Equatorial6
Barbados6
Aruba5
Gabão41
Bahamas4
Suriname4
Ilha de São Martinho (parte francesa)4
Antilhas Holandesas31
El Salvador3
Madagascar3
Namíbia3
Ilhas Cayman31
Libéria3
Cabo Verde3
Congo3
República Centro-Africana3
São Bartolomeu3
Zimbábue3
Guernsey2
Zâmbia2
Santa Lúcia2
Mauritânia2
Kosovo2
Sudão21
Haiti2
Butão2
Bermuda2
Groenlândia2
Nicarágua2
Benin2
Angola2
Guiné2
Papua Nova Guiné1
Gâmbia1
Eswatini1
Somália1
Nepal1
Ilha de Man1
Vaticano1
São Vicente e Granadinas1
Níger1
Timor Leste1
Fiji1
Antigua e Barbuda1
Djibuti1
Montserrat1
Chade1

Fonte: Universidade John Hopkins (Baltimore, EUA), autoridades locais

Última atualização em 21 de março de 2020 18:00 GMT.

Mas há algumas limitações em todos esses sites, que podem ser até complementares.

Vale lembrar que não se recomenda usá-los para comparar o avanço da doença entre países, já que alguns adotam a política de testes em massa da população e outros afirmam que o importante é se concentrar em tratar quem apresenta sintomas graves (e não identificar todo mundo que está infectado).

Por outro lado, os números de mortos apresentados nesses sites têm uma subnotificação menor que o de infectados, dada a quantidade de pessoas que não apresentam sintomas da doença ou não chegam a recorrer a unidades de saúde.

De todo modo, eles oferecerem um panorama da situação da doença no mundo.

Conheça abaixo cinco desses sites, todos em inglês.

Universidade Johns Hopkins

O painel online da prestigiada instituição americana de ensino se tornou uma referência durante a pandemia, principalmente pela agilidade da atualização dos dados.

A ferramenta, que pode ser acessada neste link, apresenta mapa com os casos registrados e listas com os números de infectados, mortos e curados, separados por país ou região.

painel da johns hopkins

Há também infográficos com a evolução diária dos casos, mas não há separação geográfica desses dados especificamente.

Organização Mundial da Saúde (OMS)

Braço para a saúde da Organização das Nações Unidas (ONU), o órgão centraliza informações e recomendações em torno da crise.

painel da omsDireito de imagemEMPICS

O site da OMS pode ser acessado neste link e é bastante parecido com o da Universidade Johns Hopkins, já que ambos foram desenvolvidos com a mesma ferramenta ArcGIS.

Universidade de Washington

Um dos diferenciais do site criado por essa instituição de ensino americana é a possibilidade de explorar separadamente as curvas de contágio, ou seja, o avanço do número de infectados e de mortos por dia e por país.

painel da universidade de washington

O site, atualizado com menos frequência que o da Johns Hopkins, pode ser acessado neste link.

Segundo especialistas ouvidos pela BBC News Brasil, a velocidade de propagação do novo coronavírus no Brasil tem repetido o padrão dos países que mais sofrem com o avanço da covid-19, como Alemanha, França e Reino Unido.

Worldometer

O site especial sobre coronavírus do Worldometer — plataforma internacional colaborativa alimentada por programadores, pesquisadores e voluntários — tem a maior quantidade de informações sobre as pessoas atingidas pela pandemia.

A ferramenta, que pode ser acessada neste link, se baseia em dados da Organização Mundial da Saúde e de governos, além de artigos científicos e textos jornalísticos publicados sobre o tema.

plataforma do worldometer

No Worldometer, é possível encontrar uma espécie de Wikipedia estatístico, com dados como o perfil dos mortos, testes realizados, o número de casos por 1 milhão de habitantes, as curvas de contágio em cada país e uma tabela que separa o número de pacientes em estado mais grave de saúde.

Nextstrain

Plataforma científica colaborativa apresenta o mapeamento genético do vírus a partir da análise de casos ao redor do mundo. Isso permite, por exemplo, identificar padrões de disseminação da doença.

painel da nextstrain

O site, que pode ser acessado neste link, traz uma animação para acompanhar as cadeias de transmissão de um país para outro a partir dessas variações do vírus encontradas.

Fonte: BBC

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: NÚMEROS ATUALIZADOS DA PANDEMIA DO CORONAVÍRUS EM TODO O MUNDO

UTILIDADE PÚBLICA: CORRIDA PARA DESENVOLVER VACINA CONTRA O CORONAVÍRUS JÁ PRODUZ RESULTADOS

Começou a corrida para encontrar a vacina mais eficaz no combate ao coronavírus. Muitos países estão trabalhando na produção de uma vacina que definitiva para parar a pandemia antes que haja um colapso econômico mundial. Os Estados Unidos largaram na frente e já começaram os testes em humanos. A China já está com o primeiro protótipo da vacina pronto para ser testado em humanos também. O Brasil está desenvolvendo uma vacina baseada em princípios diferentes, mas que segundo seus pesquisadores se mostrará mais segura e eficaz. Entretanto ainda entrará em fase de testes em animais. Veja a reportagem completa a seguir e saiba a quantas andam essas pesquisas!

Vacina contra coronavírus passa a ser testada na China e EUA

Entenda como funciona e em quanto tempo elas podem começar a ser aplicadas no mundo todoResultado de imagem para Vacina contra coronavírus passa a ser testada na China e EUAEscrito por Patricia Beloni

Redação Minha Vida

Em 19/3/2020

O primeiro protótipo chinês da vacina, realizado pela CanSino Biologics, em parceria com a Academia Militar de Ciências Médicas, está pronto para ser testado em seres humanos. E a busca por voluntários já começou: pessoas saudáveis, entre 18 e 60 anos, sem sintomas foram convocadas.

A técnica que formulou a imunização é considerada mais segura, porque contém antígenos específicos (substâncias que estimulam a produção de anticorpos), sem os patógenos enfraquecidos (agentes causadores das doenças), conforme explicou o Ministério da Defesa da China.

Já nos Estados Unidos, o projeto utiliza o método RNA-mensageiro – nunca aprovado antes para nenhuma vacina. Financiado pelo Instituto Nacional de Saúde, em parceria com uma empresa de biotecnologia, ele já está na fase de testes.

No caso da vacina norte-americana, o efeito é auxiliar o sistema imune a precipitar a ação do vírus – ou seja, ajuda o corpo a agir antes que ele comece a se reproduzir e enfraquecer o organismo. A previsão para o término da fase de análise é de seis semanas.

Entretanto, não há muitas esperanças de que a vacina contra o novo coronavírus saia antes de 2021. Isso porque alguns fatores influenciam no prazo, como a fase de testes, a aprovação oficial, o tempo e a capacidade de produção. Tudo isso pode levar, pelo menos, 12 meses.

“As vacinas em andamento estão em seus estágios iniciais, por isso será um longo período (…) e o fato de existirem não significa que estejam disponíveis”, alertou Fernando Simón, diretor do Centro de Coordenação de Alertas e Emergências Sanitárias, em coletiva à imprensa.

Vacina contra coronavírus no Brasil

O Brasil também está na luta contra o novo coronavírus, mas, diferente do resto do mundo, os pesquisadores brasileiros estão desenvolvendo uma plataforma que é fundamentada no uso de partículas semelhantes ao vírus (conhecidas como VLPs – Virus Like Particles, em inglês).

Elas são facilmente reconhecidas pelo sistema imunológico, mas não possuem material genético do vírus, o que impossibilita sua replicação no organismo. E serão introduzidos junto com os antígenos, que estimulam a produção de anticorpos.

“[A vacina] é muito promissora e pode induzir uma resposta imunológica melhor do que as baseadas no RNA”, disse à Agência FAPESP, Jorge Kalil, diretor do Laboratório de Imunologia do Incor e coordenador do projeto, apoiado pela FAPESP.

Desenvolvida por pesquisadores do Laboratório de Imunologia do Instituto do Coração (Incor) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), a vacina brasileira é uma alternativa segura, contém componentes biológicos naturais, é facilmente degradada e em breve poderá ser testadas em animais.

“Neste momento, em que estamos lidando com um vírus pouco conhecido, por questões de segurança é preciso evitar inserir material genético no corpo humano para evitar eventos adversos, como multiplicação viral e possivelmente reversão genética da virulência”, ressaltou Gustavo Cabral, pesquisador responsável.

Fonte: Minha Vida

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: CORRIDA PARA DESENVOLVER VACINA CONTRA O CORONAVÍRUS JÁ PRODUZ RESULTADOS

BOAS NOTÍCIAS: EMGALITY, A SOLUÇÃO PARA SUA ENXAQUECA JÁ ESTÁ NO MERCADO BRASILEIRO

Caro(a) leitor(a),

É com muita satisfação que depois de 15 meses da publicação sobre  “EMGALITY É O NOME DA INJEÇÃO QUE VAI ACABAR COM A SUA ENXAQUECA” venho até você informar que, finalmente esse poderoso remédio chegou ao mercado brasileiro. Uma leitora do BLOG DO SABER acaba de informar que o Emgality está disponível na 4BIO Farmácia de São Paulo. Eu tive o cuidado de checar a informação ligando para a referida farmácia e fui informado que o remédio ainda não está em estoque, mas deverá estar disponível na loja na próxima semana. Portanto, a informação procede e você que sofre desse terrível mal vai poder ficar livre dele muitíssimo em breve.

A Farmácia 4BIO também está presente em outras cidades e estados brasileiros que você pode obter a informação acessando o link a seguir: 4BIO Farmácias

Foto: Divulgação

Acessa a reportagem de 16 de Outubro de 2018 sobre o Imgality clicando no link abaixo.

Fonte: Blog do Saber

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: EMGALITY, A SOLUÇÃO PARA SUA ENXAQUECA JÁ ESTÁ NO MERCADO BRASILEIRO

UTILIDADE PÚBLICA: PRIMEIRO CASO SUSPEITO DO CORONAVÍRUS É INVESTIGADO POR MÉDICOS DO GISELDA TRIGUEIRO

Um provável primeiro caso de contaminação por coronavíruis é investigado por equipe de médicos do hospital Giselda Trigueiro. Paciente diz ter sentido primeiros sintomas há sete dias. Veja a reportagem a seguir e saiba de todos os detalhes!

Médicos do Giselda Trigueiro investigam primeiro caso suspeito de coronavírus no RN

Homem relatou ter tido contato com chineses na Praia de Pipa, no litoral sul potiguar. De acordo com ele, sintomas começaram a aparecer sete dias atrás. Ele já tem leucemia mieloide crônica

13/02/2020 às 09:40

Governo do RN / Divulgação

Paciente deu entrada no hospital na quarta-feira à noite

Médicos do Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, investigam o primeiro caso suspeito de coronavírus no Rio Grande do Norte. Um homem de 25 anos, que não teve a identidade revelada, deu entrada no hospital nesta quarta-feira (12), por volta das 19h, com febre e sintomas gripais.

Segundo apurou o Agora RN, o homem relatou à equipe médica ter tido contato com chineses na Praia de Pipa, no litoral sul potiguar. Ele não detalhou quando isso aconteceu e afirmou ter começado a apresentar os sintomas há cerca de uma semana. Ele já tem leucemia mieloide crônica.

Um infectologista do hospital confirmou à reportagem que o homem está em “isolamento total” dentro do Giselda Trigueiro e que o caso dele é tratado como suspeita de coronavírus.

Amostras de sangue do paciente foram recolhidas e serão examinadas pelo laboratório central do Estado, que vai apresentar resultado para doenças comuns, como gripe. Outra parte da amostra foi enviada para o laboratório da Fiocruz, que é credenciado pelo Ministério da Saúde para realizar o teste para o coronavírus. O resultado do teste para o coronavírus deve sair em até sete dias. A doença, contudo, pode ser descartada antes caso o exame feito pelo Laboratório Central do RN dê positivo para outra doença.

À reportagem, o especialista contou que o isolamento do paciente é praxe, já que ele relata ter tido contato com chineses oriundos da cidade de Wuhan, epicentro do surto de coronavírus na China, e tem sintomas da doença. Não está confirmado, porém, se os asiáticos com os quais o brasileiro teve contato estavam infectados.

Um fator que minimiza a suspeita de coronavírus, segundo apurou o Agora RN, é o fato de o paciente ter leucemia. Como as defesas de uma pessoa com essa doença normalmente são mais frágeis, era de se esperar que, em uma semana, uma eventual infecção por coronavírus tivesse evoluído para um quadro mais grave – o que, felizmente, não aconteceu.

Nesta quarta-feira (12), chegou a 1.350 o número de mortes causadas por coronavírus no mundo. Somente na província de Hubei, epicentro do surto na China onde fica Wuhan, já foram confirmados 48.206 casos da doença.

No Brasil, até agora nenhum caso da doença foi confirmado, segundo o Ministério da Saúde.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública convocou entrevista coletiva para esta sexta-feira (14), às 8h30, na Escola de Governo, para apresentar as informações sobre o caso do paciente que está em observação no Hospital Giselda Trigueiro.

Em nota enviada à imprensa, a Sesap informa que no momento está apurando os fatos para que possa inferir se há ou não um caso suspeito de Infecção Humana pelo Novo Coronavírus, uma vez que para ser considerado caso suspeito esse deverá atender aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. No momento as investigações estão em curso e ainda não há informações precisas.

Giselda Trigueiro tem ala de isolamento para casos suspeitos de coronavírus

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) montou no Hospital Giselda Trigueiro uma enfermaria, com 25 leitos, para o atendimento de possíveis casos coronavírus diagnosticados no Rio Grande do Norte, além do Hospital Giselda Trigueiro, também foi designado o Hospital Maria Alice Fernandes, na Zona Norte, para atuar na retaguarda para o tratamento de possíveis doentes.

Transmissão da doença

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas – gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo –, bem como a partir do toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, os principais sintomas clínicos referidos são principalmente respiratórios: tosse, febre e dispneia (dificuldades ao respirar). Não existe tratamento especifico para infecções causadas por coronavírus humano. Dependendo do caso algumas medidas podem ser adotadas para alivio dos sintomas, como uso de medicamento para dor e febre. Assim que os primeiros sintomas surgirem, é fundamental procurar ajuda médica imediata para confirmar ou descartar o diagnóstico e iniciar o tratamento.

A Sesap orienta aos profissionais de saúde que todo caso suspeito deverá ficar mantido em isolamento respiratório e deve ser notificado de forma imediata pelo profissional de saúde responsável pelo atendimento, ao Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS/RN).

As precauções recomendadas para o público em geral são:

  • Lavagem de mãos frequente com água e sabão, com duração mínima de 20 segundos, ou usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca, com as mãos não lavadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes;
  • Ficar em casa quando estiver doente;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com lenço de papel descartável, jogando-o no lixo após uso;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
    Limpar e desinfetar objetos e superfície tocados com frequência;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal (talheres, pratos ou garrafas);
  • Evitar aglomeração de pessoas;
  • Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações;
  • Evitar viagens à China e países com transmissão local do vírus, neste momento, e se possível evitar locais com casos suspeitos da doença.

*Atualizado às 11h58, para acréscimo de informações.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: PRIMEIRO CASO SUSPEITO DO CORONAVÍRUS É INVESTIGADO POR MÉDICOS DO GISELDA TRIGUEIRO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar