Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

TECNOLOGIA: ESTUDANTE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO FOI PREMIADA PELO MINISTRO DA TECNOLOGIA PELA DESCOBERTA DE 25 ASTEROIDES PARA A NASA

Estudante brasileira descobre 25 asteroides para a Nasa com imagens de telescópio no Havaí

Verena Paccola explica em entrevista à CNN como funciona o processo e diz que colisão com a Terra é improvável

Layane Serrano

Renata Souza

da CNN *em São Paulo

 

A estudante da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, Verena Paccola, foi premiada pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, pela descoberta de 25 asteroides para a Nasa.

Depois de passar por um treinamento com cientistas da agência espacial dos Estados Unidos, a jovem brasileira de 22 anos passou a receber pacotes de imagens capturadas por um telescópio no Havaí.

“Eu analisava esse pacote de imagens. São quatro imagens piscadas em sequência para mim. Elas são tiradas com diferença de segundos entre cada uma. Então eu via se tinha alguma coisa se movendo”, explicou.

Quando notava a presença de algum objeto em movimento nas imagens, Verena fazia uma análise numérica para identificar se havia padrão de asteroide. Os relatórios da jovem eram enviados à Universidade de Harvard para confirmação da descoberta.

Dos 25 asteroides encontrados, um deles é raro. Categorizado como “asteroide fraco”, um dos achados de Verena faz parte de um grupo de objetos que podem colidir com a Terra.

A Nasa ainda estuda a órbita do asteroide para identificar a dimensão do objeto e se há possibilidade de colisão com o nosso planeta.

No entanto, Verena explica que “o espaço é muito gigante para o tamanho da Terra. Então a probabilidade de um asteroide colidir com a Terra e causar algum efeito é muito pequena”.

A estudante conta que sempre foi muito curiosa. Apesar de sua área de maior interesse ser a saúde, a jovem lembra que desde pequena gostava de observar o céu com um telescópio que possuía.

“Eu não trocaria a medicina por nada, mas agora que estou tendo mais estímulo na área espacial, vamos vendo. Uma medicina espacial, talvez, não sei”, avalia.

Verena recebeu medalhas, certificados e troféu do ministro Marcos Pontes na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, realizada em Brasília.

Agora, a estudante se prepara para um treinamento presencial na Nasa. “Vamos ver se sai do papel para esse ano”, diz.

Verena pretende continuar a caça aos asteroides e está buscando candidatos interessados. “Eu estou recrutando pessoas no meu Instagram para fazer um treinamento em massa de quem tiver interesse e criar equipes para caçarmos asteroides esse ano juntos.”

Fonte: CNN

Continuar lendo TECNOLOGIA: ESTUDANTE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO FOI PREMIADA PELO MINISTRO DA TECNOLOGIA PELA DESCOBERTA DE 25 ASTEROIDES PARA A NASA

TECNOLOGIA: PELA PRIMEIRA VEZ UM MÓDULO LUNAR DETECTA ÁGUA NA LUA

A TECNOLOGIA chinesa permitiu, pela primeira vez, que u módulo lunar Chang E-5 detectasse água na lua. De acordo com a emissora estatal chinesa, CGTN, a espaçonave pousou em um depósito “jovem” de basaltos provenientes dos mares lunares. Portanto, convido você para ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes desta incrível descoberta!

Módulo lunar chinês detecta água na Lua pela primeira vez

1 min de leitura
Imagem de: Módulo lunar chinês detecta água na Lua pela primeira vezImagem: CNSA

módulo lunar chinês Chang’E-5, presente na Lua desde o início de dezembro, detectou água na superfície do satélite pela primeira vez na história. Segundo a emissora estatal da China, CGTN, a espaçonave pousou em um depósito “jovem” de basaltos provenientes dos mares lunares, localizado em latitude médio-alta, e extraiu 1.731 gramas de amostras. O espectrômetro mineralógico lunar (LMS) detectou 120 partes por milhão (ppm) de água na amostra.

Esse teor de água é mensurado uma vez que a molécula de hidroxila é absorvida, a uma frequência de cerca de três micrômetros. O processo revelou, em outra rocha localizada próximo ao local, um teor de 180 ppm. Todos os resultados foram publicados na revista científica Science Advances, na sexta-feira (7).

Segundo a equipe de pesquisa liderada pelos professores Lin Yangting e Lin Honglei, do Instituto de Geologia e Geofísica da Academia Chinesa de Ciências (IGGCAS), a exploração feita in loco pela sonda Chang’E-5 revelou sinais de água em dados espectrais de refletância da superfície lunar. Os cientistas concluíram que o baixo teor do regolito sugere a desgaseificação do reservatório basáltico abaixo do local de pouso da espaçonave.

A busca de água na Lua

Fonte: Lin Honglei et al./Divulgação.Fonte: Lin Honglei et al./Divulgação.Fonte:  Lin Honglei et al. 

Depois de várias missões terem detectado sinais de hidratação na superfície lunar no final dos anos 2000, a NASA confirmou, em outubro de 2020, a existência da molécula de água – H2O – em áreas da Lua iluminadas pelo sol. No entanto, a descoberta não foi registrada na Lua, mas a bordo de um Boeing 747SP que abriga o Observatório Estratosférico de Astronomia Infravermelha da NASA (SOFIA).

Até agora, a água nunca havia sido detectada diretamente na Lua por nenhum veículo nem sonda lunar, o que atesta o ineditismo da descoberta chinesa. Segundo os cientistas, a detecção in loco dos sinais de água na superfície lunar pela sonda Chang’E-5 fornece novas evidências à questão da ausência de água na Lua.

De acordo com os pesquisadores, o vento solar foi o responsável por uma maior “umidade” do solo lunar, pois trouxe o hidrogênio, que compõe a água. Para eles, a diferença de 60 ppm verificada entre as amostras de regolito e rocha pode ter origem no interior lunar, o que só pode ser atestado por uma sonda in loco, diz Lin Honglei.

ARTIGO Science Advances: doi.org/10.1126/sciadv.abl9174

Fonte: TecMundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: PELA PRIMEIRA VEZ UM MÓDULO LUNAR DETECTA ÁGUA NA LUA

TECNOLOGIA: UMA TELA DE TV LAMBÍVEL É A MAIS NOVA INVENÇÃO QUE VEM LÁ DO JAPÃO

Uma invenção incrível deum cientista japonês é o destaque desta edição da coluna TECNOLOGIA desta quinta-feira. Homei Miyashita, pesquisador e professor da Universidade de Meiji (Japão) criou um protótipo de televisão com uma tela literalmente “lambível” cheia de sabores. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes dessa invenção incrível!

Cientista japonês cria tela de TV para lamber que reproduz sabores

1 min de leitura
Imagem de: Cientista japonês cria tela de TV para lamber que reproduz saboresImagem: YouTube

Após quase dois anos em casa por conta da pandemia causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, o pesquisador e professor da Universidade de Meiji (Japão), Homei Miyashita, disse que sente saudades dos restaurantes ao redor do mundo e, por isso, teve uma ideia: criou um protótipo de televisão com uma tela “lambível” cheia de sabores.

Em outras palavras, ele desenvolveu um aparelho que oferece o sabor da comida que está sendo exibida na TV — é aí que entra a lambida. Por exemplo, em uma demonstração, uma das alunas de Homei experimenta chocolate diretamente da tela.

Como funciona a tela “lambível”?

Nomeado de Taste The TV (TTTV), o aparelho funciona quase como um acessório para a TV, já que ele produz sabores borrifados em um tipo de papel filme posicionado sobre uma tela plana. Para criar a experiência, o dispositivo tem dez tubos com diferentes aromas que se misturam e criam as combinações.

“O objetivo é tornar possível para as pessoas terem a experiência de algo como comer em um restaurante do outro lado do mundo, mesmo estando em casa”, disse o criador da TTTV.

Segundo o professor, o aparelho pode ser usado para diversos fins, como em um menu de restaurante ou para “experimentar” sabores que estão presentes em filmes e programas de culinária. Isso quer dizer que, por exemplo, você poderia assistir a uma receita em vídeo de salpicão e sentir o gosto do prato quase em tempo real.

Por enquanto, não existe previsão de lançamento para a TTTV, contudo, Miyashita revelou que uma versão comercial do aparelho custaria US$ 875 (cerca de R$ 4.929 na cotação atual).

Fonte: TecMundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: UMA TELA DE TV LAMBÍVEL É A MAIS NOVA INVENÇÃO QUE VEM LÁ DO JAPÃO

TECNOLOGIA: SONDA PARKER LANÇADA PELA NASA É A PRIMEIRA A TOCAR O SOLO DO SOL

A cada dia a TECNOLOGIA avança em alta velocidade em todas as direções e principalmente na direção do espaço infinito desse universo infinito, onde nem o céu é o limite. E é com essa ânsia incrível de desbravar esse infinito universo que o homem já alcançou a superfície solar, a estrela maior do nosso sistema planetário, há 14 milhões de quilômetros. Algo incrível e que você vai conhecer em detalhes ao ler  o artigo completo a seguir.

NASA: sonda Parker é a primeira a ‘tocar’ o Sol

2 min de leitura
Imagem de: NASA: sonda Parker é a primeira a 'tocar' o SolImagem: NASA/Johns Hopkins APL/Steve Gribben

Uma conferência de imprensa realizada no encontro de outono da União Geofísica Americana (AGU), realizada na terça-feira (14) em Nova Orleans, nos EUA, divulgou os resultados de um evento histórico para a heliofísica mundial: a primeira vez que uma nave terrestre tocou diretamente a superfície do Sol.

Parte do estudo “Sonda solar Parker entra na coroa solar magneticamente dominada”, publicado na terça-feira (14) na revista científica Physical Review Letters, o evento ocorreu no dia 28 de abril de 2021, às 5h33 no horário de Brasília. Naquele momento, a espaçonave não tripulada atingiu a camada mais externa da atmosfera do Sol, conhecida como coroa, e passou cinco horas ali.

Diferentemente da Terra, o Sol não possui uma superfície sólida. No entanto, tem uma atmosfera superaquecida, constituída por material solar que se liga à estrela através da gravidade e pelas forças magnéticas. À medida que o calor e a crescente pressão empurram esse material para longe do núcleo, ele atinge um ponto em que tanto a gravidade quanto os campos magnéticos tornam-se muito fracos para contê-lo.

Fonte: NASA/Johns Hopkins APL/Ben Smith/Reprodução.Fonte: NASA/Johns Hopkins APL/Ben Smith/Reprodução.Fonte:  NASA/Johns Hopkins APL/Ben Smith 

Entrando na atmosfera solar

O ponto de interseção entre o fim da atmosfera solar e o início do vento solar é chamado de superfície crítica de Alfvén, que marca o começo da borda externa do sol. O vento solar é feito do material solar com energia suficiente para atravessar essa fronteira crítica. Ele é tão forte que arrasta consigo o campo magnético do Sol enquanto cruza o sistema solar, em direção à Terra e além. Nesse movimento, as ondas internas do vento não têm velocidade para voltar.

No entanto, a localização exata da superfície crítica de Alfvén não era conhecida pelos cientistas. Estimativas feitas através de imagens remotas do envoltório luminoso indicavam para uma região entre dez e 20 raios solares da superfície do Sol, entre -7 a 14 milhões de quilômetros. “Estávamos esperando que, mais cedo ou mais tarde, encontraríamos a corona por pelo menos um curto período de tempo”, disse Justin Kasper, principal autor do artigo.

Foi somente durante o seu oitavo sobrevoo solar, no dia 28 de abril, que a Sonda Solar Parker localizou as condições magnéticas e de partículas específicas a 18,8 raios solares (ou 13 milhões de quilômetros) acima da superfície solar, o que indicou aos cientistas que a espaçonave havia cruzado Alfvén pela primeira vez, e entrado dentro da atmosfera solar. Nesse ponto, a Parker havia atravessado para dentro e para fora da coroa umas três vezes.

O manuscrito do estudo é de acesso aberto e pode ser baixado neste link.

Fonte: TecMundo
Continuar lendo TECNOLOGIA: SONDA PARKER LANÇADA PELA NASA É A PRIMEIRA A TOCAR O SOLO DO SOL

TECNOLOGIA: APLICATIVO WHATSAPP SOFRE ATUALIZAÇÃO E AUMENTA PRIVACIDADE DO USUÁRIO

Uma nova atualização do aplicativo WhatsApp vai impedir que apenas os seus contatos  saibam se você está online, esse o destaque da nossa coluna TECNOLOGIA desta edição de quinta-feira. Saiba mais sobre a novidade lendo o artigo completo a seguir e se atualize.

WhatsApp: agora só os seus contatos saberão se você está online

1 min de leitura
Imagem de: WhatsApp: agora só os seus contatos saberão se você está onlineImagem: Pixabay

O mensageiro WhatsApp lançou um novo recurso de privacidade para todos os usuários do app.

Em breve, pessoas que você não adicionou na lista de contatos ou aquelas que nunca receberam uma mensagem sua não serão mais capazes de ver alguns detalhes sobre o seu acesso. Mais especificamente, eles não poderão ver se você está ou não online no momento e nem qual foi a última vez que você abriu o aplicativo.

Como o próprio suporte do serviço confirmou a um usuário, a novidade vale tanto para contatos normais quanto contas comerciais.

O recurso é uma nova camada de privacidade para evitar cobranças fora do horário de serviço, por exemplo, ou espionagem e stalking. Desse modo, os aplicativos que coletam essas informações quase de forma automatizada — e que existem na Google Play Store, mesmo tendo uma função tão controversa — deixarão de funcionar.

Esse recurso será ativado por padrão, ou seja, sem precisar de qualquer configuração por parte do usuário. Ela é diferente do mecanismo que, há alguns meses, estava em teste para a versão desktop do mensageiro. De acordo com a companhia, nada vai mudar entre os chats que você já mantém com amigos e parentes.

Disponibilidade

Segundo o site WABetaInfo, a função já começou a ser liberada nos últimos dias para o aplicativo do WhatsApp no Android e iOS, o que significa que em breve toda a comunidade terá essa proteção.

Fonte: TecMundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: APLICATIVO WHATSAPP SOFRE ATUALIZAÇÃO E AUMENTA PRIVACIDADE DO USUÁRIO

TECNOLOGIA: NOVOS CUBOS DE RESFRIAMENTO PODEM REVOLUCIONAR A FORMA COMO OS ALIMENTOS SÃO MANTIDOS

Pesquisadores desenvolveram um novo tipo de cubo de resfriamento que pode revolucionar a forma como os alimentos são mantidos frios e enviados frescos sem depender de gelo ou pacotes de resfriamento tradicionais. Esses cubos são suaves ao toque como uma sobremesa de gelatina e mudam de cor dependendo da temperatura. Eles não derretem, são compostáveis ​​e antimicrobianos e evitam a contaminação cruzada. Os cubos de resfriamento contêm mais de 90% de água e outros componentes para reter e estabilizar a estrutura. 

Eco-friend ly ‘Jelly Ice Cube’ pode transformar armazenamento frio: sem plástico e não derrete

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, Davis, desenvolveram um novo tipo de cubo de resfriamento que pode revolucionar a forma como os alimentos são mantidos frios e enviados frescos sem depender de gelo ou pacotes de resfriamento tradicionais.

Esses “cubos de gelatina” sem plástico não derretem, são compostáveis ​​e antimicrobianos e evitam a contaminação cruzada.

“Quando o gelo derrete, não é reutilizável”, disse Gang Sun, professor do Departamento de Engenharia Biológica e Agrícola. “Achamos que poderíamos fazer o chamado gelo sólido para servir como meio de resfriamento e ser reutilizável.”

Os cubos de resfriamento contêm mais de 90% de água e outros componentes para reter e estabilizar a estrutura. São suaves ao toque como uma sobremesa de gelatina e mudam de cor dependendo da temperatura.

Reutilizável e flexível

Esses cubos reutilizáveis ​​podem ser projetados ou cortados em qualquer formato e tamanho necessários, disse Jiahan Zou, um Ph.D. aluno de pós-graduação que trabalha no projeto há dois anos.

“Você pode usá-lo por 13 horas para resfriar, coletar, enxaguar com água e colocá-lo no congelador para congelar novamente para o próximo uso”, acrescentou Sun.

Uma patente para o design e conceito foi depositada em julho.

Os pesquisadores esperam eventualmente usar resíduos agrícolas reciclados ou subprodutos como material refrigerante.

“Queremos ter certeza de que isso é sustentável”, disse Luxin Wang, professor associado do Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Água residual do mercado de peixes e blocos de gelo mofados estimularam a ideia

Os pesquisadores começaram a trabalhar nos cubos de refrigerante depois que Wang viu a quantidade de gelo usada nas fábricas de processamento de peixe e a contaminação cruzada que a água do degelo poderia espalhar entre os produtos ou pelo ralo.

“A quantidade de gelo usada por esses locais de processamento de peixe é enorme”, disse Wang. “Precisamos controlar os patógenos.”

Sun também lamentou o mofo encontrado nas bolsas de gelo de plástico usadas na merenda escolar das crianças e freqüentemente encontradas em embalagens de transporte.

Os primeiros testes mostraram que os cubos podem suportar até 22 libras sem perder a forma. Eles podem ser reutilizados uma dúzia de vezes – apenas uma rápida lavagem com água ou alvejante diluído – e depois descartados no lixo ou com o lixo do quintal.

Alternativa ao gelo

Os cubos de gelatina oferecem uma alternativa ao gelo tradicional e podem reduzir o consumo de água e o impacto ambiental. Eles também oferecem temperaturas estáveis ​​para reduzir a deterioração dos alimentos e podem ser ideais para empresas de preparação de refeições, empresas de transporte e produtores de alimentos que precisam manter os itens frios.

O aplicativo pode reduzir potencialmente o consumo de água na cadeia de abastecimento de alimentos e o desperdício de alimentos, controlando contaminações microbianas. A pesquisa foi publicada no jornal da American Chemical Society, Sustainable Chemistry & Engineering .

ASSISTA o vídeo para esta história abaixo.)

Fonte: UC Davis

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: NOVOS CUBOS DE RESFRIAMENTO PODEM REVOLUCIONAR A FORMA COMO OS ALIMENTOS SÃO MANTIDOS

TECNOLOGIA: FIQUE ANTENADO E SAIBA QUAIS SÃO AS NOVAS PROFISSÕES TECNOLÓGICAS

Com o evento da 4ª revolução industrial muitas profissões estão desaparecendo e outras surgindo no mercado de trabalho mundial. A coisa é tão dinâmica que algumas profissões podem durar apenas alguns anos. Diante dessa nova e dura realidade é muito importante que as pessoas que estão no mercado de trabalho fiquem antenadas nessa, por assim dizer, dança das cadeiras, para se manterem atualizadas e presentes no mercado de trabalho. Por isso a publicação de hoje, aqui na coluna TECNOLOGIA trata das novas profissões em tecnologia. 

Arquivos Tecnologia - Tem lugar para mim?

As novas profissões em tecnologia

Com o avanço dos últimos anos, a tecnologia deixou de ser um diferencial. Hoje, investir em digitalização é essencial para empresas de todos os setores se manterem competitivas no mercado. As incertezas geradas pela pandemia, junto da evolução do trabalho remoto e a tendência de adoção do modelo híbrido, aceleraram os processos de transformação digital e impulsionaram as iniciativas de inovação, com aplicação de metodologias de gestão ágeis e digitalização de processos.

Segundo a McKinsey, o déficit de profissionais em tecnologia no Brasil até 2030 passa de 1 milhão de pessoas e, de acordo com o Institute For The Future (IFTF), 85% das profissões que existirão nesse mesmo ano ainda não foram criadas. Foi percebendo essa volatilidade no mercado de trabalho que Leandro Herrera, fundador e CEO da edtech Tera, começou a capacitar profissionais nas habilidades digitais mais importantes para os negócios. A startup já formou mais de 6.000 estudantes, que hoje ocupam posições em empresas como PicPay, Nubank e Loft. “A maneira como os adultos se qualificam para o mercado de trabalho está em processo acelerado de “disrupção”. Vamos ver cada vez mais pessoas procurando mudar de carreira ou se desenvolver para avançar profissionalmente e os métodos tradicionais de educação não darão conta”, conclui Herrera.

Segundo a consultoria norte-americana de RH Robert Half, entre as principais carreiras para o futuro do trabalho estão Tecnologia, Recursos Humanos e Jurídico. Confira como é o dia a dia dos profissionais dessas áreas:

BUSINESS INTELLIGENCE (BI) 

O interesse por organização de dados começou muito cedo na vida de Jeferson Luiz Rosa, mentor da Acelerar, aceleradora de Negócios Colaborativos, da Área Central — o projeto visa estruturar o processo de compra conjunta das centrais de negócios. Ele conta que sempre gostou de organizar demandas por meio de planilhas e formulários e que, por isso, procurou se capacitar com cursos práticos e de especialização. “Para essa profissão é essencial gostar de resolver problemas, ser organizado e colaborativo. Além de fazer cursos, também é preciso praticar: mesmo que seja algo simples, como uma tabela de gastos pessoais, pegue esses dados, crie um dashboard e analise. Isso fará toda a diferença”, explica. No dia a dia, Rosa é responsável por analisar dados internos e elaborar dashboards com indicadores que apoiem a tomada de decisões da empresa. Além disso, como mentor, auxilia os clientes a explorarem os dados que o software para gestão de redes e centrais de negócios da Área Central coleta e trata, gerando informações sobre as compras conjuntas que ocorrem dentro da plataforma.

SEGURANÇA DIGITAL 

A rotina de Rafael Aceno, DevSecOps na fintech Transfeera, se divide entre monitorar eventos de segurança, melhorar regras automáticas de detecção de ataques, investigar e tratar incidentes, além de implementar novas medidas de segurança para proteção de clientes — a empresa possui uma plataforma open banking de gestão e processamento de pagamentos. Aceno é formado em Sistemas da Informação, com nove certificações internacionais em segurança digital: “Todos os dias surgem novas vulnerabilidades e metodologias de ataques cibernéticos, por isso, é primordial se manter atualizado e tentar estar sempre à frente dos hackers”, explica. Para ele, é essencial saber solucionar problemas, ter curiosidade e conseguir trabalhar sob pressão durante os incidentes. De habilidades técnicas, Aceno ressalta que, como não existem muitos cursos práticos focados em cybersecurity, é importante estudar por conta própria, além de dominar algumas tecnologias, como arquitetura de segurança nos provedores de cloud; IaC (infraestrutura como código); ferramentas de SAST (Static Application Security Testing) e DAST (Dynamic Application Security Testing); conhecer as linguagens de programação python e GO para criação de scripts automatizados; e frameworks de cybersecurity como NIST, CIS e ISO27001.

COMPLIANCE E LGPD 

Fernanda Arruda, head de compliance na fintech Transfeera e graduada em Direito, conta que começou a trabalhar na área em 2016, mas que foi em 2019, com o andamento de operações como a Lava Jato e a consequente necessidade que algumas empresas tinham de desenvolver o compliance — criando código de ética, políticas anticorrupção e antissuborno, por exemplo — que ela percebeu a grande demanda por um serviço especializado. “Ano passado formalizamos na empresa um programa de compliance, que é voltado para ética e Prevenção à Lavagem de Dinheiro de Combate ao Financiamento do Terrorismo (PLD/FT). Diariamente monitoramos centenas de operações para avaliar os riscos de PLD/FT. Desenvolvemos critérios para análise de clientes que querem ingressar em nossa base. Fazemos treinamento de toda equipe e de cada colaborador que ingressa para que todos tenham conhecimento do nosso programa de compliance e o apliquem em seu dia a dia”, conta. Fernanda explica que o compliance não é uma atividade exclusiva da advocacia e dá dicas para quem quer entrar no ramo: “Meu conselho é investir em um curso voltado para a área de compliance e trabalhar habilidades que ajudem em múltiplas demandas. Também, ter energia e se manter informado é fundamental para entender os movimentos das empresas e do poder público”.

PRODUCT MANAGER  

Quando Maíra Storch descobriu o que era Product Management — área que conecta desenvolvimento, experiência do usuário e negócios —, percebeu que já estava trabalhando com isso. Ela, que agora é a Product Manager da startup global de vendas e gestão Kyte, conta que a profissão tem uma rotina bem diversa e exige empatia e capacidade de aprendizado. “Lidamos com muitas pessoas diferentes: entender os clientes, discutir estratégia com líderes, pensar em soluções com designers e desenvolvedores, planejar lançamentos com o marketing… e ainda ser mediador entre todos! Por isso, a comunicação é outra habilidade fundamental”. Formada em Administração de Empresas e com diversos cursos de gestão de produto, Maíra reforça que estudar a teoria é muito importante, mas que a base da profissão está na experiência diária. “Por conta disso, não há muitas vagas de entrada. Uma alternativa é entrar por áreas próximas, como UX Design e Análise de Negócios. Você também pode praticar de outra forma — como freelancer ou desenvolvendo um produto seu, por exemplo”, aconselha. “Tem várias formas de criar (ou pelo menos testar) um produto sem programar, inclusive!”.

UX DESIGNER  

Garantir que os usuários de produtos digitais tenham uma experiência agradável é o principal objetivo profissional da Patrícia Klitzke, que trabalha como UI/UX Designer na divisão de Agricultura da Hexagon — empresa que desenvolve e fornece tecnologias para o campo. No seu dia a dia, Patrícia recebe solicitações de melhorias e de novas funcionalidades, buscando encontrar soluções que atendam à empresa e ao cliente. “Vontade de aprender e de resolver problemas são essenciais, assim como as soft-skills de empatia, boa comunicação e curiosidade”, explica. Entre as habilidades técnicas necessárias para a área, a UI/UX Designer aponta escrita, pesquisa, prototipação e noções de programação. Graduada em Design de Produto, com Pós-Graduação em User Experience Design e cursos de Front-End, ela ainda reforça que o estudo é o principal caminho para quem quer seguir na área. “Existem diversos cursos gratuitos e tutoriais que ensinam a utilizar as ferramentas mais comuns. Além disso, também é interessante participar de grupos e meetups e interagir com pessoas da área no LinkedIn”, diz.

ENGENHEIRO DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL 

Doutoranda em Engenharia de Automação e Sistemas, Alana de Melo e Souza, é desenvolvedora de software na Sensorweb, líder em soluções de IoT para cadeia fria da área da Saúde e logística. Dedicada a tecnologias de Inteligência Artificial (IA), ela conta que seu conhecimento foi adquirido através da pós-graduação e graduação e no desenvolvimento de projetos. Além do conhecimento científico, parte do aprendizado foi conquistado por meio autodidata. “O campo da IA muda todos os dias, portanto o Engenheiro de IA deve se manter atualizado constantemente. Aprofundando na pesquisa autodidata sobre inovações científicas e tecnológicas do momento. Utilizando livros, artigos e conteúdos na internet para entender como é o desenvolvimento de sistemas que envolvem IA (Inteligência Artificial), abordando diferentes linguagens de programação, e aprofundando no mundo da matemática e probabilidade/estatística para o aprendizado de máquina”, explica. Na Sensorweb, os projetos no setor de P&D aos quais Alana participa tem como objetivo desenvolver ferramentas avançadas de predição de informações futuras e suporte à tomada de decisões técnicas baseadas em dados. “Essa tecnologia possibilita usar informações para fazer previsões ou classificar novos dados em formato de diagnósticos com muito mais agilidade que qualquer ser humano”. Em paralelo, a engenheira trabalha no projeto de doutorado com IA ligada à visão computacional, outra tecnologia que monitora ambientes visuais através das câmeras de maneira automatizada. Como lição de casa aos futuros profissionais, ela reforça que aprender a programar é essencial. Ela também aconselha: seja curioso (a) e invista nos estudos. “Digo isso, no sentido que, ao se deparar com problemas, esteja pronto para investigar e infiltrar no mais assertivo conceito que possa existir para contribuir com a redução de erros, eliminando trabalhos repetitivos e mostrando agilidade e precisão nos resultados com a automação de processos. Essa é uma área que demanda do profissional levar a sério os métodos de estudo, saber conectar o meio científico com o meio prático ao desenvolver sistemas, levando a teoria para o mundo real”, finaliza.

ESPECIALISTA EM TRANSFORMAÇÃO DIGITAL 

Ter pensamento intuitivo e menos convencional; deixar fluir a criatividade; desenvolver a capacidade de ficar confortável com o desconforto; foco em inovação e resultados; interagir com profissionais multidisciplinares; resiliência; e manter uma visão holística. Esses são os conselhos de Rafael Scala, executivo de novos negócios e especialista em Transformação Digital da Softplan, para quem quer seguir este caminho. Engenheiro de Controle e Automação, ele conta que já na universidade era instigado a otimizar processos e automatizá-los, desde a extinção do papel até o uso de Inteligência Artificial para solucionar problemas que antes eram exclusivos dos seres humanos. “A transformação digital é um mindset imposto pela própria engenharia, e as cadeiras de automação nos obrigam a sedimentar esse conceito”, explica. Na Softplan há oito anos, Rafael atua para levar tecnologia ao segmento de infraestrutura e transportes de cargas e passageiros, onde todas as ações são voltadas para gerar transformação digital por meio de soluções e aplicativos especializados para a gestão pública. Tecnologias que resultam em mudança para clientes e usuários finais, que auxiliam na redução de tempo e de burocracia, facilitando a interação dos cidadãos com os órgãos públicos, e que asseguram a responsabilidade na gestão dos recursos públicos. “Nossa principal atividade é promover a otimização dos serviços públicos prestados ao cidadão, proporcionando maior celeridade, automatização e transparência, levando maior autonomia para a sociedade no seu relacionamento com o governo. É importante entender que as rodovias têm diversos dispositivos que devem ser geridos pelo órgão público para garantir a segurança e conforto dos usuários da via — transformamos para o digital esse processo, antes realizado por meio presencial, reduzindo o tempo de atendimento e automatizando diversos setores”, conclui.

ESPECIALISTA EM DATA SCIENCE 

Sempre buscar conhecimento, especializar-se em estatística e programação, ser curioso e focar em áreas do seu interesse são os conselhos do Thiago Stabile, gerente de Data Science, que também atua na Softplan. Thiago é formado em Sistemas de Informação e se especializou em novas tecnologias, hoje focadas na área jurídica. Atualmente, está à frente dos estudos e do desenvolvimento das inovações que a empresa oferece ao ecossistema de Justiça. As soluções da Softplan promovem a transformação digital em Tribunais, Ministérios Públicos, Defensorias, Procuradorias e escritórios de advocacia. “Eu cresci em uma companhia de tecnologia que atende e informatiza vários segmentos da nossa sociedade, mas foi a Justiça que me motivou a focar meus estudos e minha carreira. Hoje, atuo como gestor de um time de ciência de dados que trabalha com tecnologia de ponta e análise de dados jurídicos”, conta. Na rotina, estão atividades como gerenciar as equipes técnicas, definir tecnologias, fazer levantamentos de requisitos funcionais e não funcionais, além de levantamentos de dados e métricas. Para trabalhar com ciência de dados, Thiago destaca que é essencial gostar de matemática, estatística, programação e computação em nuvem. “Independentemente da área, é necessário entender a fundo as informações que estão sendo trabalhadas e o modelo de negócio de onde os dados são extraídos. Também é importante trabalhar em equipe e compartilhar conhecimentos, principalmente se você atuar em um segmento diferente do seu, como é o caso do direito digital”, ressalta.

Fonte: TI Nordeste

Continuar lendo TECNOLOGIA: FIQUE ANTENADO E SAIBA QUAIS SÃO AS NOVAS PROFISSÕES TECNOLÓGICAS

TECNOLOGIA: CONFIRA SE A PROFECIA DA EXAME SE CONCRETIZOU EM 2021

A nossa coluna TECNOLOGIA desta quinta-feira vem com o artigo publicado na revista EXAME de 14/02/2021 sobre o ranking das 10 tendências tecnológicas que deveriam dominar 2021. Como estamos praticamente finalizando o ano de 2021 convidamos você a conferir se a profecia feita pela prestigiosa revista se materializou. Leia a seguir o conteúdo e tire suas conclusões!

As 10 tendências tecnológicas que devem dominar 2021

Em um ranking enviado com exclusividade à EXAME, a consultoria de gestão global Bain & Company antecipou 10 tendências tecnológicas

Se em 2020 a tecnologia esteve na ponta da língua das pessoas e foi o foco de muitas empresas que, durante a pandemia do novo coronavírus, buscaram se digitalizar para se tornarem mais competitivas, 2021 não deve ser diferente.

Em um ranking enviado com exclusividade à EXAME, a consultoria de gestão global Bain & Company antecipou 10 tendências tecnológicas que devem dominar o ano de 2021 – entre elas a Inteligência Artificial (AI), que já vem ganhando espaço nos últimos anos e se tornando cada vez mais importante para mercados variados.

1. Limite da Inteligência Artificial

Segundo a Bain & Company, a primeira tendência é a do Edge AI. “Considerada a próxima onda de inteligência artificial,
é uma infraestrutura de rede que possibilita que algoritmos de inteligência artificial sejam executados na extremidade de uma rede, ou seja, mais perto ou até mesmo nos dispositivos que coletam os dados”, explica a companhia em comunicado. De acordo com a consultoria, a aceleração do movimento aconteceu principalmente pelas mudanças repentinas no tráfego de rede que acompanharam os bloqueios da covid-19 e a necessidade de trabalhar em casa.

“Os benefícios desta tendência incluem a preservação da largura de banda e o aumento da eficiência ao processar as informações mais perto dos usuários e dispositivos ao invés de enviar esses dados para processamento em locais centrais na nuvem. Ao incorporar IA localmente, os fabricantes podem reduzir os problemas de latência e acelerar a geração de insights, enquanto diminuem o uso e o custo dos serviços em nuvem”, diz.

Com isso, cai também o custo da conectividade, uma vez que o processamento por parte dos dados localmente reduz a largura da banda e o uso dos dados do celular. “E como a inteligência está sendo executada localmente, as fábricas localizadas em áreas remotas com infraestrutura de comunicação deficiente estão menos sujeitas a perdas de
conectividade que podem impedir a tomada de decisões de missão crítica e urgente.”

2. 5G para quê te quero

A segunda tendência que pode vir com força neste ano é a rede 5G em fábricas. Segundo uma pesquisa da IHS Markit, o Fórum Econômico Mundial espera que a rede móvel de quinta geração alcance uma produção econômica global de 13,2 trilhões de dólares e gere 22,3 milhões de empregos até 2035.

De acordo com a Bain & Company, com a mudança, é esperado que “um grande e rápido avanço na indústria 4.0 e na internet das coisas industrial” aconteça. “Capaz de atender aos requisitos de energia de milhões de conexões para aplicativos de dados intensivos, a previsão é que o 5G impulsione a indústria de manufatura com novos e mais poderosos recursos digitais”, afirma a consultoria.

A Bain & Company explica que o 5G, até 100 vezes mais rápido que o 4G, oferece latência drasticamente reduzida, “o que torna possível compartilhar dados com extrema rapidez, eliminar atrasos de processamento e garantir que os sistemas de fábrica possam reagir em tempo real.”

Outro ponto que irá fortalecer a rede de quinta geração, é a confiabilidade da conectividade do 5G, que “garante uma conexão de rede estável e constante em qualquer lugar e a qualquer momento no chão de fábrica, garantindo a execução contínua e desimpedida de missões críticas de negócios. O 5G poderá até mesmo inaugurar uma era de comunicação entre máquinas.”

3. Crescimento no seguro

Estimativas do mercado de seguro baseado em uso (UBI) projetam que ele chegará até 126 bilhões de dólares até 2027. De acordo com a empresa de consultoria Gartner, o crescimento deve “se conectar com o desenvolvimento da chamada ‘telemática’, que é o uso de dispositivos sem fio e tecnologias de ‘caixa preta’ para transmitir dados em tempo real de volta para uma organização.”

Até 2021, é esperado que existam 3,8 bilhões de usuários de smartphones e a telemática móvel irá levar o UBI um passo adiante, “permitindo que as seguradoras usem sensores e tecnologias de rastreamento incorporadas em smartphones para coletar dados em tempo real e entender melhor os hábitos de direção de seus clientes”. “Em última análise, isso dará às seguradoras a oportunidade de oferecer programas de seguro baseados em comportamento mais competitivos e inovadores, ao mesmo tempo em que promove a segurança do motorista”, diz a Bain.

4. Ainda mais Inteligência Artificial

De acordo com a The Economist Intelligence Unit, bancos e seguradoras devem aumentar seus investimentos em IA em 86% até 2025 – e, para a Bain & Company, as empresas precisam explorar todo o potencial da Inteligência Artificial. “Os funcionários com pouca ou nenhuma formação em ciência da computação precisam ser capazes de usá-la para aumentar seu desempenho operacional”, diz.

É por isso que, segundo a consultoria, plataformas mais simples de IA devem surgir, para permitir que os funcionários criem modelos rapidamente, compreendam e confiem em seus resultados com facilidade, além de tomar decisões com segurança.

5. Cibersegurança

A crise da covid-19, segundo a Interpol, criou uma oportunidade sem precedentes para os golpes na internet aumentarem. Segundo a Fortinet, empresa especializada em cibersegurança, 2020 registrou uma alta no número de ataques cibernéticos em todo o mundo. Só no Brasil foram mais de 3 bilhões de tentativas de ataques virtuais.

É por isso que, para a consultoria, “identificar pontos fracos comuns de segurança de TI e desenvolver maturidade em segurança cibernética é fundamental para construir organizações digitais verdadeiramente resilientes.”

6. Otimização de pessoal

Com o custo alto do absenteísmo para as empresas, que chega a custar bilhões de dólares por ano, o varejo, segundo a consultoria, é particularmente dependente de interações presenciais entre clientes e funcionários da loja, “algo que a covid-19 tornou especialmente desafiador.”

De acordo com a Bain, cerca de 88% dos varejistas globais preferem trabalhar com força de trabalho extra do que correr o risco de ficar com falta de pessoal. Essa abordagem leva a altos custos de mão de obra e lucros menores.

Para a consultoria, o que pode resolver a situação são as tecnologias de gerenciamento de força de trabalho, aumentando substancialmente a agilidade e respondendo aos picos de atividade e absenteísmo dos funcionários o que, segundo a Bain, melhoraria o desempenho operacional e a lucratividade das empresas.

7. Dados de saúde

O mercado de big data na área da saúde deve alcançar quase 70 bilhões de dólares em 2025 – valor quase seis vezes mais alto que em 2016, quando era de 11,5 bilhões de dólares. Impulsionada pela pandemia da covid-19, a rápida aceleração da coleta de dados de saúde oferece ao setor uma oportunidade sem precedentes de alavancar e implantar recursos digitais inovadores, como a IA, para melhorar o tratamento.

“O uso inteligente de dados de saúde tem o potencial de melhorar drasticamente o atendimento ao paciente”, diz a Bain.

8. O novo RH

A área de recursos humanos vem crescendo nos últimos anos e estimativas apontam que, em 2025, os millenials serão responsáveis por 3/4 da força de trabalho global.

Com a entrada de mais pessoas dessa geração no mercado de trabalho, as organizações precisarão trabalhar com um grupo cada vez mais digital, modernizando o recrutamento.

“Usar a tecnologia para desenvolver um processo de contratação inovador pode melhorar o desempenho das equipes de RH e permitir a identificação mais rápida dos candidatos mais promissores, ao mesmo tempo que atende às expectativas de uma nova geração de talentos”, afirma a Bain & Company.

9. Economia circular

A penúltima tendência que deve ganhar força em 2021, é “a mudança de relações transacionais baseadas na venda
de produtos para um modelo de produção e consumo que envolve compartilhamento, aluguel, reutilização e reciclagem de materiais e produtos existentes está ganhando força conforme as preferências dos consumidores e acionistas mudam em direção à sustentabilidade.”

Segundo a Bain & Company, as empresas estão sob pressão crescente para reduzir os recursos naturais consumidos na produção de serviços e produtos – como a Apple, por exemplo, que retirou seus carregadores das caixas de seus dispositivos para “evitar o desperdício no ambiente”.

Segundo Jim Sullivan, chefe do Global Sustainability Innovation Accelerator da SAP, “a tecnologia tem o potencial de ajudar a humanidade a administrar melhor a biosfera e dar início à existência de uma economia circular verdadeiramente inclusiva.”

10. Sem desperdício

Em linha com a economia circular, outra tendência que deve se tornar ainda mais forte neste ano é a queda no desperdício de alimentos. De acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, mais de 30% dos alimentos do mundo são perdidos ou desperdiçados todos os anos.

Para a Bain, “usar a tecnologia para reduzir o desperdício pode diminuir significativamente os alimentos descartados por varejistas e empresas, aumentar a segurança alimentar e aliviar o sofrimento de centenas de milhões de pessoas que passam fome”. Em 2019, o valor era estimado em aproximadamente 821 milhões de pessoas.

Fonte: EXAME

Continuar lendo TECNOLOGIA: CONFIRA SE A PROFECIA DA EXAME SE CONCRETIZOU EM 2021

TECNOLOGIA: SEXTA-FEIRA (19) OCORRERÁ UM ECLIPSE LUNAR PARCIAL

Eclipse lunar parcial poderá ser visto na América do Sul nesta sexta-feira (19)

Fenômeno ocorre se a Lua estiver passando por uma porção da sombra da Terra; eclipses parciais podem ser vistos a olho nu

DUARTE/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Mariana Toro Nader

da CNN

Eclipse solar fotografado em São Paulo, no dia 14/12/2020Eclipse solar fotografado em São Paulo, no dia 14/12/2020 Foto: JOCA

Nesta sexta-feira (19) ocorre um eclipse lunar parcial, que terá visibilidade nas Américas do Sul e do Norte, Europa e Ásia, segundo a Nasa.

Em 26 de maio, houve um eclipse lunar total, que também pôde ser visto na Ásia e nas Américas. Ao longo do próximo ano haverá dois eclipses lunares – com uma diferença: ambos serão totais.

Um deles acontecerá no dia 16 de maio e o outro no dia 8 de novembro do próximo ano. O eclipse lunar desta sexta-feira deve ser duração de cerca de 3 horas.

O que é esse fenômeno, o que o causa e qual a sua frequência? Aqui estão as respostas para essas e outras perguntas.

O que é um eclipse lunar?

A Lua orbita a Terra cerca de uma vez a cada 29 dias e meio, explica o astrofísico e ex-cientista da Nasa Fred Espenak em seu site.

Portanto, conforme ela gira ao redor do planeta, sua posição em relação ao Sol faz com que ela mude de fase.  Geralmente ouvimos falar de quatro fases lunares: lua nova, quarto minguante, quarto crescente e lua cheia.

Um eclipse lunar só pode ocorrer quando a Lua está cheia. E ocorre se a Lua estiver passando por uma porção da sombra da Terra.

Tipos de eclipses lunares

Existem três tipos de eclipses lunares:

  • Eclipse penumbral (em que a Lua passa pela sombra externa da Terra, que bloqueia parte dos raios do Sol, mas não todos).
  • Eclipse parcial (em que uma parte da Lua passa pela sombra interna ou limiar da Terra, onde bloqueia a luz solar direta).
  • Eclipse total (em que a Terra bloqueia toda a luz do Sol e impede que ela alcance a Lua).

Todos eles podem ser observados?

Depende. Os eclipses penumbrais são difíceis de observar porque são muito sutis, diz Espenak.

No entanto, eclipses parciais podem ser vistos a olho nu. Os mais impressionantes são os eclipses totais, já que a Lua parece vermelha.

Ao contrário de quando se trata de um eclipse solar, os eclipses lunares podem ser observados com segurança, sem a necessidade de proteção.

Quais são as diferenças?

Já sabemos que o eclipse lunar acontece quando a Lua passa pela sombra da Terra e isso bloqueia a chegada dos raios solares.

Já o eclipse solar ocorre quando a Lua passa entre a Terra e o Sol, o que só é possível na fase de Lua Nova.

Com que frequência eles ocorrem?

Os eclipses se repetem durante o ciclo de Saros, período que dura aproximadamente 18 anos e 11 dias, segundo a Nasa.

De duas a quatro vezes por ano, a Lua passa por uma parte das sombras da penumbra ou limiar da Terra e é assim que ocorrem os eclipses, de acordo com Espenak.

(Este texto é uma tradução. Para ler o original, em espanhol, clique aqui)

Continuar lendo TECNOLOGIA: SEXTA-FEIRA (19) OCORRERÁ UM ECLIPSE LUNAR PARCIAL

TECNOLOGIA: 1ª MOTO VOADORA DO MUNDO JÁ É UMA REALIDADE E ESTÁ EM TESTES

A primeira moto voadora do mundo é o destaque da edição desta quinta-feira da nossa coluna TECNOLOGIA. A XTurismo, como ela é chamada, foi testada pela primeira vez em público numa pista de corrida na cidade de Oyama, pela empresa japonesa A.L.I. Technologies. A ideia é vender pelo menos 200 unidades no primeiro ano de produção. Leia o artigo completo e saiba dos detalhes dessa incrível invenção.

Empresa japonesa apresenta a primeira moto voadora do mundo

O modelo é chamado de XTurismo e foi exibido em uma pista de corrida na cidade de Oyama

GZH

 

No dia 26 de outubro, a empresa japonesa A.L.I. Technologies realizou a primeira demonstração pública da XTurismo. Fisicamente, o equipamento é semelhante a um drone, com a diferença de que é controlado por um piloto montado, como se fosse uma moto voadora. As informações são do TechTudo.

O modelo foi exibido em uma pista de corrida em Oyama,  cidade ao norte de Tóquio. O vídeo mostra o piloto fazendo movimentos simples, sem acelerar ou subir muito alto.

De acordo com a empresa, o equipamento está em desenvolvimento desde 2017 e pode chegar a 100 km/h, tendo até 40 minutos de autonomia de bateria. O veículo consegue chegar até uma altura de dois metros em apenas três segundos e pesa cerca de 300 kg.

A XTurismo não vai ser vendida para uso cotidiano, como meio de transporte, pois ainda não há leis regulatórias para esse tipo de veículo. Por isso, será restrito para o uso em pistas de corridas e em ambientes fechados. Cerca de 200 unidades devem ser vendidas no ano que vem por cerca de R$ 4 milhões, ou 77 milhões de ienes em valores japoneses.

Fonte: GZH Ciência e Tecnologia

Continuar lendo TECNOLOGIA: 1ª MOTO VOADORA DO MUNDO JÁ É UMA REALIDADE E ESTÁ EM TESTES

TECNOLOGIA: PNEU SEM E QUE NÃO FURA CRIADO PELA MICHELIN E GM VAI REVOLUCIONAR INDÚSTRIA AUTOMOBILISTICA

Uma novidade tecnológica que vai revolucionar a indústria automobilística é o destaque da nossa coluna TECNOLOGIA desta quinta-feira. Um novo pneu que não é inflável e nem fura. É construído em fibra de vidro e, além de causar menor impacto ambiental, oferece mais segurança aos consumidores. Conheça em primeira mão o pneu sem ar e que não fura lendo o artigo completo a seguir!

Conheça o pneu sem ar e que não fura criado pela Michelin e GM

1 min de leitura
Imagem de: Conheça o pneu sem ar e que não fura criado pela Michelin e GMImagem: YouTube
Avatar do autor

Lucas Vinicius Santos

via nexperts

A Michelin e a General Motors (GM) não estão exatamente reinventando a roda, mas as companhias anunciaram um novo pneu que não é inflável e nem fura. Nesta última segunda-feira (26), foi apresentado ao público pela primeira vez o protótipo do Uptis — sigla para Sistema Único de Pneu à Prova de Furos, em português.

Apesar de ser um produto único, o design do pneu não é totalmente diferente do que já conhecemos. Porém, ele é vazado nas laterais e tem um aspecto mais robusto em comparação a um pneu comum. Conforme revelado pela Michelin, o lançamento está previsto para 2024.

Sem ar e com furos? Não tem problema!

E não é só a aparência que apresenta robustez. Segundo a Michelin, o pneu é resistente a furos, não apresenta queda de pressão, é construído em fibra de vidro e, além de causar menor impacto ambiental, oferece mais segurança aos consumidores.

Em 2017, o protótipo Vision foi criado em parceria entre a Michelin e GM e, poucos anos depois, se tornou o Uptis. As empresas ainda não revelaram muitos detalhes sobre o produto, mas é possível compará-lo aos pneus desenvolvidos para veículos enviados à lua.

A novidade é fabricada com pequenos raios de plástico e fibra de vidro — basicamente, isso significa que ele é um “pneu sólido” e não precisa de ar pressurizado para funcionar. As primeiras imagens divulgadas revelam os pneus instalados em um Chevrolet Bolt.

Fonte: Tecmundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: PNEU SEM E QUE NÃO FURA CRIADO PELA MICHELIN E GM VAI REVOLUCIONAR INDÚSTRIA AUTOMOBILISTICA

TECNOLOGIA: 2º VOO TRIPULADO DA BLUE ORIGIN LEVA ATOR WILLIAM SHATNES AO ESPAÇO AOS 90 ANOS DE IDADE

O destaque desta quinta-feira, aqui na coluna TECNOLOGIA é o segundo voo tripulado da Blue Origin, empresa fundada por Jeff Bezos, CEO da Amazon, que levou o homem mais velho ao espaço, o ator canadense William Shatner,  famoso por interpretar o Capitão Kirk na série de TV Jornada nas Estrelas aos 90 anos de idade. A cada dia está mais comum esses voos tripulados por civis, graças a TECNOLOGIA que não para de evoluir. Convido você a ler o artigo completo a seguir e depois assistir ao vídeo com o registro completo dessa aventura espacial!

Veja como foi voo espacial de William Shatner com a Blue Origin

1 min de leitura
Imagem de: Veja como foi voo espacial de William Shatner com a Blue OriginImagem: Blue Origin
Avatar do autor

Equipe TecMundo

O texto foi atualizado às 13h33 da quarta-feira (13/10/2021).

O ator canadense William Shatner, famoso por interpretar o Capitão Kirk na série de TV Jornada nas Estrelas, foi ao espaço nesta quarta-feira (13) em um voo da Blue Origin, empresa fundada por Jeff Bezos.

O voo, lançado por volta das 11h30 (horário de Brasília) aconteceu na nave New Sheppard, a partir de uma base de lançamento no estado do Texas, nos Estados Unidos.

“Eu já ouvi tanto sobre o espaço e por um bom tempo. Estou tendo a oportunidade de ver ele por conta própria. Que milagre”, afirmou Shatner ao site da Blue Origin antes do lançamento.

O voo foi todo transmitido ao vivo e o vídeo completo do evento está disponível no link ou no vídeo abaixo.

Com a viagem desta quarta, Shatner se torna a pessoa mais velha a ir ao espaço — o ator tem 90 anos de idade.

Este foi o segundo voo tripulado da Blue Origin. O primeiro, realizado em julho deste ano, levou à borda da Terra o próprio Bezos.

Em nota publicada nesta quarta, a Blue Origin afirma que tem mais um voo tripulado agendado para 2021. A empresa diz ainda ter vários lançamentos marcados para o ano de 2022.

Fonte: Tecmundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: 2º VOO TRIPULADO DA BLUE ORIGIN LEVA ATOR WILLIAM SHATNES AO ESPAÇO AOS 90 ANOS DE IDADE

TECNOLOGIA: ASTRO, O ROBÔ DOMÉSTICO, É A MAIS NOVA VEDETE DA AMAZON

A nova vedete da Amazon é o destaque desta quinta-feira, aqui na coluna TECNOLOGIA. É o robô Astro, que inicialmente foi projetado para ser um dispositivo de segurança, mas acabou evoluindo para ajudante doméstico. O Astro pode vigiar a casa de forma autônoma, verificando cada cômodo do imóvel, além responder a comandos e enviar lembretes. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer todos os detalhes de mais uma fantástica invenção da Amazon!

Amazon Astro evoluiu de robô de segurança para ajudante doméstico

1 min de leitura
Imagem de: Amazon Astro evoluiu de robô de segurança para ajudante domésticoImagem: Amazon/Reprodução

robô Astro, lançado terça-feira (28) pela Amazon, foi projetado inicialmente para ser um dispositivo de segurança, contou Dave Limp, diretor de hardware da companhia, no programa TechCheck, exibido pelo canal americano CNBC nesta sexta-feira (01).

“Escrevemos um documento em que pensamos que os clientes gostariam especialmente dos aspectos de segurança de um robô doméstico”, disse Limp. “Desde então, evoluiu para cobrir muito mais áreas do que isso, mas essa era a ideia original”, explica o diretor.

O Astro é equipado com sensores que permitem um deslocamento sem problemas por toda a casa e ao redor de objetos segundo a Amazon. A empresa começou a fazer experiências com robôs em seus próprios depósitos antes de desenvolver um produto de consumo. O desenvolvimento do dispositivo demorou quatro anos, afirma Limp.

O robô possui dois chips Qualcomm que proporcionam recursos como a identificação visual, para diferenciar um usuário do outro e evitar acidentes durante movimentos. O Astro pode vigiar a casa de forma autônoma, verificando cada cômodo do imóvel, além responder a comandos e enviar lembretes.

O dispositivo custará US$ 1.000 para clientes convidados de forma antecipada. No lançamento, que será limitado aos Estados Unidos, o valor do Astro passará para US$ 1.500.

Família de dispositivos

Os dispositivos desenvolvidos pela Amazon vão desde os eletrônicos de leitura Kindle até tablets, alto-falantes inteligentes ativados por voz e TVs inteligentes. Mas o robô integrado com a assistente virtual parece ser o mais ambicioso de todos.

Limp explica que atualizações recentes na tecnologia de casa inteligente, como sensores e processadores, permitiram que a Amazon considerasse o lançamento de um robô equipado com Alexa.

A Amazon ainda conta com uma plataforma de comércio eletrônico, computação em nuvem e publicidade para a maior parte de sua receita. A empresa geralmente vê as vendas de equipamentos como uma maneira para que os consumidores comprem outros serviços, incluindo o streaming de vídeo e música.

Avatar do autor
Continuar lendo TECNOLOGIA: ASTRO, O ROBÔ DOMÉSTICO, É A MAIS NOVA VEDETE DA AMAZON

TECNOLOGIA: A DIREÇÃO AUTONOMA JÁ É UMA REALIDADE REAL E IMINENTE

Na coluna TECNOLOGIA desta quinta-feira, aqui no Blog do Saber você vai conhecer o beta do  Full Self-Driving (FSD) para direção autônoma, que será testada por motoristas com bom histórico no volante. “Se o comportamento ao dirigir for bom por sete dias, o acesso ao beta será concedido”, informou Musk. Então, convido você a ler o artigo completo a seguir e saber como esse processo está evoluindo!

1 min de leitura
Imagem de: Tesla: direção autônoma será testada por motoristas comportadosImagem: Elektrowoz/Reprodução

A Tesla usará dados pessoais de direção para selecionar os motoristas que terão acesso ao beta do software Full Self-Driving (FSD). A informação foi revelada pelo CEO Elon Musk em uma publicação no Twitter.

Os proprietários dos veículos, que pagaram pela assinatura do serviço, podem solicitar o acesso ao teste do programa. Contudo, a montadora pedirá a permissão para verificar os dados do histórico de direção do motorista.

“Se o comportamento ao dirigir for bom por sete dias, o acesso ao beta será concedido”, informou Musk. A versão beta 10.0.1 do FSD foi liberada para um grupo de proprietários neste fim de semana e deve chegar a mais pessoas a partir de 24 de setembro.

Atualmente, o Autopilot é o recurso padrão dos veículos Tesla.Atualmente, o Autopilot é o recurso padrão dos veículos Tesla.Fonte:  Tesla/Divulgação 

Do Autopilot ao FSD

Os veículos da Tesla saem da fábrica com um sistema de assistência chamado Autopilot. Usando câmeras e sensores, o recurso de direção semiautônoma permite que o motorista use o carro no modo piloto automático em estradas e cidades.

Enquanto isso, o FSD é um software adicional no valor de US$ 10 mil (cerca de R$ 53 mil). Segundo a montadora, a plataforma vai oferecer recursos completos de direção autônoma no futuro.

Atualmente em testes, o programa já possui funções que possibilitam que o carro estacione sozinho. Além disso, o sistema de direção ativa faz com que o veículo troque de faixa automaticamente em uma rodovia, conforme o trânsito ao redor.

Motoristas ainda encontram diversas falhas no FSD.Motoristas ainda encontram diversas falhas no FSD.Fonte:  Reuters/Reprodução 

Mais melhorias a caminho

A Tesla afirma que a nova versão beta do FDS automatiza a direção em estradas e ruas. Entretanto, o sistema ainda exige que o motorista preste atenção no percurso e mantenha as mãos no volante para assumir o controle a qualquer momento.

Conforme alguns relatos, o software ainda precisa evoluir bastante até chegar ao nível totalmente autônomo. Por exemplo, diversos condutores citam que tiveram que assumir a direção após curvas perdidas ou por falhas no reconhecimento de pedestres.

Fonte: Tecmundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: A DIREÇÃO AUTONOMA JÁ É UMA REALIDADE REAL E IMINENTE

TECNOLOGIA: CONHEÇA AS TVs GIGANTES DA LG COM ATÉ 325 POLEGADAS

O lançamento da nova linha de TVs gigantes com tela de até 325 polegadas da LG é o destaque da coluna TECNOLOGIA desta quinta-feira. São modelos com muita tecnologia e custam milhões de reais. São produtos fantásticos, mas para poucos. Leia o artigo completo a seguir e conheça os detalhes!

LG lança linha de TVs gigantes com tela de até 325 polegadas

1 min de leitura
Imagem de: LG lança linha de TVs gigantes com tela de até 325 polegadas
Imagem: LG/Divulgação
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.

A LG apresentou nesta terça-feira (14) a sua nova linha de TVs gigantes voltada ao mercado de luxo. Um dos modelos anunciados tem 325 polegadas, tamanho anteriormente reservado aos clientes do segmento corporativo.

Intitulada Direct View LED Extreme Home Cinema (DVLED), a série de televisores gigantescos é composta por telas que têm a partir de 81 polegadas e podem ser personalizadas, trazendo uma experiência mais imersiva. Elas serão comercializadas nas resoluções 2K, 4K e 8K.

A TV de 325 polegadas é a principal da nova linha.A TV de 325 polegadas é a principal da nova linha.Fonte:  LG/Divulgação 

Segundo a marca sul-coreana, as TVs DVLED contam com milhões de diodos de LED para formar telas tão grandes. A configuração inicial parte de 2 milhões de LEDs, mas é possível chegar a até 33 milhões, oferecendo uma altíssima resolução para garantir a melhor qualidade de imagem no cinema em casa.

Os aparelhos serão vendidos apenas sob encomenda.Os aparelhos serão vendidos apenas sob encomenda.Fonte:  LG/Divulgação 

Os modelos têm proporção padrão de 16:9, mas a fabricante pode modificar para o formato 32:9 nas versões mais avançadas, caso o cliente queira. Nesta última opção, a visualização simultânea de múltiplos conteúdos é um dos atrativos.

Prepare o bolso

As novas TVs gigantescas trazem processador quad-core e rodam o sistema operacional webOS, oferecendo suporte a apps de streaming e funções inteligentes. Outro destaque é o controle remoto, que permite configurar modos de imagem, brilho e também gerenciar a exibição de conteúdos.

Com relação aos preços, a empresa não forneceu detalhes. Mas de acordo com o TechRadar, os modelos mais simples custam US$ 70 mil, o equivalente a R$ 366 mil em conversão direta, pela cotação do dia. Já a TV de 325 polegadas da LG pode custar US$ 1,7 milhão (R$ 8,9 milhões).

Há ainda os custos de transporte aéreo, em um case especial, e instalação das TVs DVLED LG, estimados pela publicação em cerca de US$ 30 mil (R$ 157 mil). Os serviços incluem garantia de cinco anos e duas manutenções anuais.

Continuar lendo TECNOLOGIA: CONHEÇA AS TVs GIGANTES DA LG COM ATÉ 325 POLEGADAS

TECNOLOGIA: SAIBA QUAIS OS SMARTPHONES QUE O WHATSAPP IRÁ PARAR DE FUNCIONAR

WhatsApp vai parar de funcionar em mais de 40 modelos de smartphones; veja lista

Foto: Sergei Konkov/TASS

O WhatsApp compartilhou nesta semana uma lista de smartphones que, em breve, deixarão de ter acesso ao aplicativo de mensagens. Isso porque os celulares estão obsoletos demais para receber as atualizações necessárias para que ele continue a funcionar normalmente.

A partir do dia 1º de novembro, por exemplo, smartphones com versões do Android mais antigas que a 4.1, que o iOS 10 (sistema operacional do iPhone e do iPad) e que o KaiOS 2.5.1 deixarão de integrar o grupo de dispositivos que possuem o app baixado.

Se o seu celular estiver na lista, a solução é utilizar outro serviço para mensagens ou trocar de aparelho. Agora, para facilitar o trabalho, o WhatsApp permite que o usuário faça o backup do app de um smartphone da Apple para um Xiaomi, por exemplo.

Confira a lista de smartphones que não terão mais o WhatsApp:

Apple: caso o iPhone não suporte mais atualização para o iOS 10 ou superior

Samsung: Galaxy Trend Lite, Galaxy Trend II, Galaxy S2, Galaxy S3 mini, Galaxy Xcover 2, Galaxy Core e Galaxy Ace 2

LG: LG Lucid 2, Optimus F7, Optimus F5, Optimus L3 II Dual, Optimus F5, Optimus L5, Optimus L5 II, Optimus L5 Dual, Optimus L3 II, Optimus L7, Optimus L7 II Dual, Optimus L7 II, Optimus F6, Enact, Optimus L4 II Dual, Optimus F3, Optimus L4 II, Optimus L2 II, Optimus Nitro HD and 4X HD, e Optimus F3Q

ZTE: ZTE Grand S Flex, ZTE V956, Grand X Quad V987 e Grand Memo

Huawei: Huawei Ascend G740, Ascend Mate, Ascend D Quad XL, Ascend D1 Quad XL, Ascend P1 S e Ascend D2

Sony: Sony Xperia Miro, Sony Xperia Neo L e Xperia Arc S

Outros: Alcatel One Touch Evo 7, Archos 53 Platinum, HTC Desire 500, Caterpillar Cat B15, Wiko Cink Five, Wiko Darknight, Lenovo A820, UMi X2, Faea F1 e THL W8.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo TECNOLOGIA: SAIBA QUAIS OS SMARTPHONES QUE O WHATSAPP IRÁ PARAR DE FUNCIONAR

TECNOLOGIA: A ACATE FEZ MAPEAMENTO DE PROFISSIONAIS DE TI E COMPETÊNCIAS MAIS DEMANDADAS PELO MERCADO DE TRABALHO

A nossa coluna TECNOLOGIA desta quinta-feira trás informações importantíssimas para quem trabalha na área de TI, já que é a área que mais cresce e se desenvolve no mundo e daqui por diante comandará todo tipo de atividade. O artigo a seguir esclarece, mostra e mapeia todas as áreas de TI que você pode se desenvolver e crescer como profissional. Por isso convido você a ler e ficar atualizado(a)!

Veja quais são as áreas de TI que têm mais chances de emprego

1 min de leitura
Imagem de: Veja quais são as áreas de TI que têm mais chances de emprego Imagem: Reprodução/Tim Gouw, Pexels

A Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) revelou um estudo que mapeou os profissionais de TI e as competências mais demandados pelo mercado de trabalho. De acordo com o projeto, só no estado de Santa Catarina, as companhias da base tecnológica abrirão 16,6 mil vagas até 2023, e mais da metade são para desenvolvedores de software, os também conhecidos como DEVs.

As funções mais procuradas são: desenvolvedores Full Stack (22,63%), Back-end (18,43%) e Front-end (12,48%); analista de serviço e suporte de TI acabou aparecendo em 4° lugar (7,42%). Confira a classificação completa no gráfico abaixo.

O estudo foi feito com 228 empreendedores do setor, em parceria com professores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).O estudo foi feito com 228 empreendedores do setor, em parceria com professores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).Fonte:  Reprodução/ACATE 

Na parte financeira, a instituição aponta que os salários ficam acima dos R$ 3 mil, sendo até 3 vezes maiores do que a média da indústria. “São postos que podem representar um ganho significativo para as famílias e auxiliar na retomada econômica no período pós-pandemia”, adicionou o presidente da ACATE, Iomani Engelmann.

Competências exigidas

A pesquisa também revelou as competências mais exigidas e diferenciadas que chamam a atenção na hora da seleção. Destacam-se os candidatos com conhecimentos em metodologias ágeis (27,84%), experiência profissional na área (25,28%), habilidade em execução de projetos (24,04%) e domínio de linguagens de programação (21,60%).

A pesquisa também identificou habilidades interpessoais valorizadas, conhecidas como soft skills. Resolver problemas (90,8%), trabalho em equipe (78%) e proatividade (68%) são alguns dos pontos que podem se tornar diferenciais na contratação.

Fonte:  Reprodução/ACATE 

E o inglês?

Cerca de 20% das empresas procuram o domínio de inglês, e companhias podem perder profissionais por conta dessa exigência. Silvia Petreca, recrutadora da startup LogComex, informa que é necessário estar atento à necessidade real da habilidade no cargo, pois as linguagens de programação são dominadas pelo idioma.

“Pedimos que o candidato entenda inglês no nível técnico, que é a capacidade de compreender as demandas e reportar para seu superior”, explicou a recrutadora. “Ter profissionais que falam inglês é do nosso interesse, então queremos prepará-los para continuar conosco nessa jornada”, ela explicou.

A profissional também ressalta que diversas empresas exigem o idioma, mas nem sempre estão dispostas a oferecer meios para o funcionário melhorar o domínio da língua estrangeira. A LogComex, por outro lado, oferece aulas opcionais aos funcionários em parceria com escolas de idiomas, sendo que o aluno precisa apenas comprar o material didático.

Fonte: Tecmundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: A ACATE FEZ MAPEAMENTO DE PROFISSIONAIS DE TI E COMPETÊNCIAS MAIS DEMANDADAS PELO MERCADO DE TRABALHO

TECNOLOGIA: SISTEMA DE IRRIGAÇÃO CONVERSA COM PLANTAS PARA SABER QUANDO ELAS PRECISAM DE ÁGUA

A TECNOLOGIA no agronegócio não para de surpreender a cada dia que passa. A Irrigação por gotejamento responsivo ou DRI projetou um sistema de irrigação que instala tubos sob a terra preenchidos com depressões semelhantes a poros. Os microporos nos tubos, liberam um gotejamento de água ao detectar um produto químico liberado pelas plantas até detectar que as plantas se encheram. Ao ler o artigo completo a seguir você vai conhecer os detalhes desse sistema de irrigação que, literalmente, conversa com plantas para descobrir quando elas precisam de água.

Sistema de irrigação conversa com plantas para descobrir quando elas precisam de água – reduzindo o uso de água em 30-50%

Irrigação por gotejamento responsivo

Se as plantas pudessem falar, que novidades poderiam compartilhar! Felizmente para os agricultores, uma empresa agrícola ‘traduziu’ o sinal bioquímico relacionado a determinado comportamento das plantas, permitindo-lhes ‘ouvir’ os gritos das plantas por água quando estão com sede.

Tem a capacidade de reduzir o uso de água em qualquer sistema, de um gramado bem cuidado a uma fazenda rural de vegetais no Norte da África e, em comparação com a irrigação por gotejamento que se baseia em uma ideia semelhante, pode reduzir o uso de água em 30-50% , revolucionando a ciência e os métodos de irrigação em face do aquecimento do clima, das secas mais prolongadas e da escassez de água.

A Irrigação por gotejamento responsivo (DRI) projetou um sistema de irrigação que instala tubos sob a terra preenchidos com depressões semelhantes a poros. À medida que as plantas começam a ficar com sede, elas produzem um certo produto químico em suas raízes. Os microporos nos tubos, por sua vez, detectam esse produto químico e liberam um gotejamento de água que continuará até detectar que as plantas se encheram.

Nos Emirados Árabes Unidos, perto de Abu Dhabi , os agricultores estão cultivando vegetais no deserto, e a DRI venceu o início do ano de 2019 no Fórum Global para Inovações na Agricultura, enquanto no Paquistão, perto da área seca em torno de Islamabad, vegetais como tomate e bok choy foi cultivado 81% mais rápido e duas vezes maior, respectivamente, do que com a irrigação por gotejamento regular.

Na verdade, a DRI está estabelecida em 14 países, desde a zona rural do Zimbábue até gramados em Utah e Los Angeles nos Estados Unidos

O maior obstáculo que impede a RDI de mudar a indústria é que os métodos existentes de irrigação já estão estabelecidos e pagos. Convencer os agricultores a fazer a troca pode ser difícil, especialmente em certas áreas, como a Califórnia, onde os sistemas de irrigação não só existem há décadas, mas conectam várias fazendas e pomares como uma teia de aranha.

No entanto, “sempre que houver um problema com escassez de água e segurança alimentar, queremos estar lá”, disse Jan Gould, fundador da Responsive Drip Irrigation, à Fast Company.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: SISTEMA DE IRRIGAÇÃO CONVERSA COM PLANTAS PARA SABER QUANDO ELAS PRECISAM DE ÁGUA

TECNOLOGIA: TESLA BOT É O ROBÔ HUMANOIDE FEITO PARA TAREFAS MANUAIS

O mega empresário Elon Musk acaba de dar mais uma grande cartada no desenvolvimento da Inteligência Artificial. A Tesla anunciou o Tesla Bot, um robô capaz de realizar tarefas cotidianas no lugar de humanos. Você precisa ler o artigo completo a seguir e saber tudo sobre essa incrível evolução tecnológica!

Tesla anuncia o Tesla Bot, um robô humanoide para tarefas manuais

1 min de leitura
Imagem de: Tesla anuncia o Tesla Bot, um robô humanoide para tarefas manuaisImagem: Tesla

A montadora Tesla apresentou nesta quinta-feira (19), durante um evento sobre Inteligência Artificial, o projeto de construir um robô humanoide capaz de realizar tarefas cotidianas no lugar de humanos. Trata-se do Tesla Bot, uma espécie de assistente pessoal para ser usado em fábricas, escritórios ou residências.

Apresentado por Elon Musk, o androide foi revelado somente com especificações técnicas e uma renderização, que não corresponde ao visual final, de acordo com a Tesla.

Algumas das características do robô Algumas das características do robô “amigável”.Fonte:  Electrek 

Ele terá câmeras e um “computador de bordo” baseados no sistema de piloto automático da própria Tesla para navegação autônoma, além de um conjunto de câmeras e sensores que alimentam uma rede neural sempre em desenvolvimento.

Segundo o CEO da Tesla, Elon Musk, a ideia é que o Tesla Bot faça “tarefas chatas, repetitivas ou perigosas”, como trabalhos de esforço manual repetitivo ou ir às compras na mercearia próxima. Ainda não há nenhuma previsão de lançamento ou mesmo exibição prática do projeto.

Até mesmo os pés do robô possuem resposta háptica ao movimento no solo.Até mesmo os pés do robô têm resposta háptica ao movimento no solo.Fonte:  Electrek 

O modelo revelado tem 1,72 m de altura e pesa 55 kg, sendo capaz de carregar um terço do próprio peso. No rosto, uma tela embutida exibe informações que facilitam a configuração por humanos.

E os riscos da IA?

Durante uma sessão de perguntas e respostas após o anúncio, Musk foi questionado sobre os eventuais perigos de construir um robô humanoide aparentemente bastante inteligente — o próprio executivo já deu diversas declarações sobre os riscos da Inteligência Artificial e um possível domínio da humanidade por máquinas.

O CEO reforça essas preocupações, mas também avisou que o Tesla Bot é um robô bastante limitado fisicamente, sendo facilmente superado por humanos em qualquer capacidade.  “O que estamos tentando fazer aqui na Tesla é criar uma IA útil, que as pessoas amem e que seja inequivocamente boa”, concluiu Musk.

Quanto ao lançamento, a Tesla estima que um protótipo do robô deve ser apresentado no ano que vem.

Fonte: Tecmundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: TESLA BOT É O ROBÔ HUMANOIDE FEITO PARA TAREFAS MANUAIS

TECNOLOGIA: UMA MANEIRA PESSOAL E PORTÁTIL DE SE LEMBRAR DE UM ENTE QUERIDO, PEDRAS ORNAMENTAIS

A TECNOLOGIA está ajudando as pessoas a encontrarem formas mais leves, amenas e decorativas de se eternizar os seus entes queridos a partir de suas cinzas. A Parting Stone é uma startup que busca dar às pessoas uma maneira pessoal e portátil de se lembrar de alguém que perderam, com as cinzas de uma pessoa capazes de produzir uma coleção de pedras. Então te convido a ler o artigo completo a seguir e conhecer essa nova técnica de transformação de cinzas em seixos rolados decorativos!

Empresa transforma as cinzas de quem você ama em pedras elegantes

Parting Stone 

Uma pedra lisa, queimada em um forno com as cinzas de um falecido, é a última maneira que os americanos podem escolher para carregar a memória de um ente querido.

Parting Stone é uma startup que busca dar às pessoas uma maneira pessoal e portátil de se lembrar de alguém que perderam, com as cinzas de uma pessoa capazes de produzir uma coleção de pedras.

Como  GNN  relatou antes, os americanos como um todo não têm a melhor relação com a morte. Enquanto o custo dos enterros de caixões tradicionais está atingindo níveis insustentáveis, um mar de novas empresas está surgindo para ajudar as pessoas a encontrar soluções melhores e mais baratas.

Alguns se inclinaram para o movimento funerário verde, com caixões de compostagem feitos de cogumelos , ou conservação da floresta financiada espalhando cinzas na base de uma árvore. Outros mudaram para a fabricação de cinzas personalizada, como prensar um ente querido em um disco de vinil , uma bela escultura de vidro ou até mesmo um diamante artificial.

Parting Stone é uma mistura dos dois, poupando solos dos níveis de pH próximos da amônia encontrados nas cinzas humanas, enquanto também permite que as pessoas carreguem discretamente uma pequena memória dos que partiram com eles.

Um presente de despedida

Parting Stone 

“É uma tela para a experiência, não a experiência em si”, explica o fundador Justin Crowe para a  Fast Company. 

As cinzas são moídas em um pó realmente fino e misturadas com água para criar uma base semelhante a argila. Isso é colocado em um forno e queimado na pedra que é então polida. Sem saber exatamente por que, as pedras tendem a variar na cor, o que Crowe supõe que pode ser devido a diferenças fisiológicas entre os mortos, como composição da dieta ou medicamentos.

Independentemente disso, eles podem ter uma aparência branca, marrom, levemente cinza-azulada ou verde, lilás ou com uma variedade de padrões pontilhados. Pesando entre 4 e 8 libras, uma família geralmente consegue algo entre 40 e 60 pedras ao custo de US $ 675 para um humano e US $ 300 para um animal de estimação.

Crowe explica que teve a ideia depois de perder seu avô em 2014 e queria uma experiência melhor com seus restos mortais, que pareciam destituídos de ânimo, mesmo em uma urna decorativa.

Claro, como Crowe aponta, as cinzas geralmente vêm em um saco plástico antes de uma urna ser escolhida. “Não aceitamos essa experiência em nenhuma outra parte da vida moderna. Por que estamos aceitando isso pelas pessoas que amamos? ” ele disse.

Ele se lembra de como as pessoas se sentiram em torno das pedras em uma conferência de negócios, quando mais de 200 pessoas pediram para realizá-las. Coletar pedras pequenas, bonitas ou fascinantes é algo que muitos de nós fazemos, especialmente em lugares naturais como uma cachoeira ou em um deserto onde ocorrem processos geológicos interessantes.

Segurar uma pedra lisa que caiba bem na palma da mão, sabendo que contém um pedaço de algo que você ama, fala com esse desejo primordial.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: UMA MANEIRA PESSOAL E PORTÁTIL DE SE LEMBRAR DE UM ENTE QUERIDO, PEDRAS ORNAMENTAIS

TECNOLOGIA: AS BEBIDAS EM CÁPSULA E A TECNOLOGIA POR TRÁS DESSA NOVA MANEIRA DE TOMAR CAFÉ

Na nossa coluna TECNOLOGIA desta quinta-feira conheça tudo que está por trás dessa nova onda das bebidas em cápsulas e saiba qual a tecnologia utilizada. Leia o artigo completo a seguir e fique atualizado(a).

Conheça a tecnologia por trás das bebidas em cápsula

4 min de leitura
Imagem de: Conheça a tecnologia por trás das bebidas em cápsulaImagem: Dolce Gusto

A tecnologia avança todos os dias — isso é fato. Mas é incrível quando vemos tanta inovação chegando ao nosso lar e à nossa rotina. O café, por exemplo, faz parte do dia a dia de grande parte da população, e as máquinas disponíveis hoje são cada vez mais surpreendentes. Pensando nisso, o TecMundo vai contar um pouco como chegamos até aqui e explicar as bebidas em cápsula, que estão cada vez mais populares.

Como saímos do café solúvel para as bebidas em cápsula?

O café solúvel surgiu em 1937, criado pelo químico Max Morgenthaler, da Nestlé. A ideia inicial era solucionar um excedente de café no Brasil, mas essa invenção manteve características bastante parecidas às do café coado. Então, 1 ano e alguns aprimoramentos depois, tudo estava pronto, e a marca lançou o Nescafé na Suíça.

Qual foi o resultado? Sucesso imediato. A ideia de um café fácil de fazer, prático e saboroso ganhou o coração dos europeus e chegou aos Estados Unidos, o que fez, inclusive, que os soldados norte-americanos utilizassem muito café solúvel durante a Segunda Guerra Mundial, a fim de ter energia de forma prática.

É claro que houve muitos avanços de lá para cá, até chegar ao que encontramos nas prateleiras dos mercados hoje. Porém, mais do que isso, avançamos muito em tecnologia e pulamos do simples café solúvel para algo realmente incrível: as bebidas em cápsula.

Se já era surpreendente ter um café prontinho com uma xícara de água quente e um pó solúvel, chegamos à maravilha da inovação que nos permite tomar bebidas dignas de cafeteria em alguns minutos. É isso que as máquinas de cápsulas entregam hoje. Embora inicialmente fossem itens de luxo, elas se popularizaram e agora fazem parte não só de ambientes corporativos, mas também de muitos lares.

E sabe o que é ainda mais instigante? Foi a própria Nestlé que registrou e patenteou a primeira máquina de café em cápsula, em 1986. Isso mesmo, não é um lançamento recente, e sim um produto que vem sendo aprimorado há uns bons anos.

Qual é a tecnologia por trás das bebidas em cápsula?

Você pode estar se perguntando: mas o que há de tão tecnológico nas bebidas em cápsula? Embora tenham surgido apenas como uma forma de “imitar” a dinâmica de uma máquina de café expresso com um preparo mais simples, muitos mecanismos levam a bebida da cápsula até a xícara (ou copo, por que não?).

Para explicar melhor, o processo funciona da seguinte forma: tudo precisa de água para funcionar. Primeiro, uma bomba faz que a água colocada no reservatório se movimente na máquina. A cafeteira regula até mesmo qual é a quantidade correta para o tamanho da bebida. Depois, o líquido passa por um bloco térmico (a caldeira) que o aquece até 90 °C antes que chegue à etapa final do processo. E o líquido sai com alta pressão, para deixar a bebida bem cremosa.

Passado por esses dois processos, chegamos a quem abre a cápsula inserida na máquina. Isso é feito por uma agulha, que pode variar de acordo com a marca, mas que sempre tem a mesma função: furar o alumínio que protege o pó dentro da cápsula, permitindo que a água quente e com alta pressão passe por ali para que o café (ou outra bebida) comece a cair na xícara.

capsula caféA máquina reage ao tipo de bebida para definir o melhor preparo. Crédito de imagem: Dolce Gusto

Dá para notar que as máquinas são bem inteligentes, não é? Elas regulam tudo de forma automática, identificando a cápsula e o tipo de bebida, a fim de definir o melhor preparo de acordo com a quantidade e a pressão da água. Tudo para garantir que a degustação seja de uma bebida com alta qualidade.

E é sempre bom lembrar que essas máquinas vão muito além do café. A Dolce Gusto, por exemplo, oferece chás, lattes e chocolates, tendo diversos sabores para tornar o dia a dia bastante funcional.

Quais são as vantagens das bebidas em cápsula?

Uma das principais (e saborosas) vantagens das bebidas em cápsula é o fato de poder desfrutar de uma alta qualidade na hora de tomar um café, chá ou achocolatado. As máquinas são muito práticas, fáceis de usar, de limpar e até transportar, então por que não levar essa queridinha em uma viagem ou para o escritório?

E é claro que o design também é um ponto forte. Cada vez mais, as máquinas de bebidas em cápsula têm se tornado um objeto de decoração, e os “cantinhos do café” estão presentes em muitos locais. Além disso, a grande variedade de bebidas e sabores é incrível. É possível receber amigos e família para um café da tarde e agradar a todos os gostos. Dá para aproveitar e apreciar a companhia também, mas sem enjoar do cafezinho básico matinal.

Como vimos, a Nestlé é pioneira nesse segmento, então nada melhor do que ter uma máquina desenvolvida para proporcionar a melhor experiência diariamente. Todas essas vantagens (e outras) você tem na Dolce Gusto, junto ao bônus de desfrutar de bebidas exclusivas, como o lançamento Chococino Alpino. Uma verdadeira delícia!

Fonte: Tecmundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: AS BEBIDAS EM CÁPSULA E A TECNOLOGIA POR TRÁS DESSA NOVA MANEIRA DE TOMAR CAFÉ

TECNOLOGIA: DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA TERÁ MONITORAMENTO DE IA DA MICROSOFT

Um monitoramento feito através de IA criada pela Microsoft para prevenir desmatamento na Amazônia é o destaque desta edição da coluna TECNOLOGIA. Uma nova plataforma de Inteligência Artificial (IA) foi lançada nesta quarta-feira (4) para facilitar as ações de prevenção e combate ao desmatamento na floresta amazônica. Leia o artigo completo a seguir e conheça os detalhes desta descoberta tecnológica.

Microsoft anuncia IA que ajuda a prevenir desmatamento na Amazônia

1 min de leitura
Imagem de: Microsoft anuncia IA que ajuda a prevenir desmatamento na AmazôniaImagem: Microsoft/Reprodução

Uma nova plataforma de Inteligência Artificial (IA) foi lançada nesta quarta-feira (4) para facilitar as ações de prevenção e combate ao desmatamento na floresta amazônica. A ferramenta PrevisIA, desenvolvida pela Microsoft, pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e pelo Fundo Vale, antecipa informações de regiões suscetíveis a desmatamento e incêndios.

O algoritmo analisa dados de topografia, cobertura do solo e estradas legais e ilegais em imagens de satélite, para encontrar riscos de derrubada de árvores ou queimadas e informar órgãos públicos para realizarem ações de prevenção e de combate. Os alertas gerados pela plataforma também são abertos ao público em um painel de controle da iniciativa.

Os recursos de nuvem do Microsoft Azure e o algoritmo de IA da Imazon para detectar estradas ajudou a melhorar o modelo de risco de desmatamento para identificar territórios mais ameaçados pelo desmatamento na Amazônia, como Terras Indígenas e Unidades de Conservação.

Amazônia sob risco

Parque do Xingu, no Pará, é uma das áreas com maior vulnerabilidade ao desmatamento até março de 2022, segundo Inteligência Artificial. (Fonte: PrevisIA/Reprodução)Parque do Xingu, no Pará, é uma das áreas com maior vulnerabilidade ao desmatamento até março de 2022, segundo Inteligência Artificial. (Fonte: PrevisIA/Reprodução)Fonte:  PrevisIA/Reprodução 

O mapa de risco oferecido pela plataforma PrevisIA aponta que 9.635 km2 da floresta amazônica estarão vulneráveis ao desmatamento ou a incêndios em março de 2022. A área representa 29% de toda a Amazônia Legal e abrange municípios, unidades de conservação e terras indígenas, além de comunidades quilombolas e assentamentos rurais.

São Félix do Xingu (Pará), fronteira do garimpo ilegal e da pecuária de corte, é o município com o maior risco identificado pela plataforma, seguido de Colniza (Mato Grosso), Lábrea (Amazonas) e Porto Velho, capital de Rondônia.

Entre as Unidades de Conservação com maior vulnerabilidade, estão o Parque Nacional dos Campos Amazônicos (entre o Amazonas e Rondônia), a Área de Proteção Ambiental do Tapajós e Floresta Nacional do Amana (ambos no Pará).

De acordo com a PrevisIA, os territórios ocupados pelos povos Yanomami, Apyterewa, Karipuna, além dos parques do Xingu e do Araguaia, que abrigam diversas etnias, estão entre os mais ameaçados pela destruição ambiental.

Fonte: Tecmundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA TERÁ MONITORAMENTO DE IA DA MICROSOFT

TECNOLOGIA: O CABO USB-C É A NOVA VEDETE TECNOLÓGICA DE 2021

O destaque desta quinta-feira, aqui na nossa coluna TECNOLOGIA é o cabo USB tipo C, cujo artigo a seguir vai lhe mostrar todas as vantagens de se possuir um cabo como esse, que é um padrão de conector para transmissão de dados e energia em um único cabo. Leia o artigo completo a seguir e conheça todas as vantagens dessa maravilha da conexão!

Entenda as vantagens de ter um cabo USB tipo C em 2021

3 min de leitura
Imagem de: Entenda as vantagens de ter um cabo USB tipo C em 2021Imagem: Pexels/Reprodução

Os modelos de cabos e portas USB tipo C estão presentes em diversos computadores e dispositivos móveis modernos. Essa é uma tecnologia que oferece diversas vantagens para o dia a dia dos usuários.

A seguir, conheça mais sobre o formato e as possibilidades que proporciona. Tal como, entenda os motivos pelos quais ele se tornará um conector cada vez mais comum nos produtos.

Cabos e portas USB-C estão presentes em muitos dispositivos modernosCabos e portas USB-C estão presentes em muitos dispositivos modernos.Fonte:  IT Pro/Reprodução 

O que é USB-C?

O USB-C é um padrão de conector para transmissão de dados e energia em um único cabo. O modelo foi desenvolvido pelo USB Implement Forum, grupo formado por mais de 400 empresas que aperfeiçoou, certificou e guiou a tecnologia ao longo dos anos.

Isso possibilitou que o formato fosse adotado por importantes marcas de computadores, dispositivos móveis e outros gadgets. Ele já é o padrão de conexão de smartphones e outros acessórios modernos.

Embora tenha um visual semelhante ao antigo micro USB, o USB-C tem várias aplicações importantes para a rotina dos usuários. Conheça algumas:

O design simétrico é um dos diferenciais do USB-CO design simétrico é um dos diferenciais do USB-C.Fonte:  Pexels/Reprodução 

Conector simétrico e simplificado

O design oval e achatado é uma das vantagens do USB tipo C. O cabo não tem uma orientação para cima ou para baixo, possibilitando que ele esteja sempre em uma posição correta para a conexão.

Além disso, ele é um modelo reversível. Se o cabo tiver o mesmo formato de conector em ambas as extremidades, o usuário não precisa pensar muito para descobrir qual é a ponta que se conecta com determinada porta.

Os conectores USB tipo C possuem longa vida útilOs conectores USB tipo C têm longa vida útil.Fonte:  Muy Computer/Reprodução 

Grande durabilidade

Estudos revelaram que os cabos USB-C têm uma grande durabilidade. Esses modelos foram desenvolvidos para suportar até 10 mil ciclos de conexão, o que é seis vezes mais durável do que qualquer USB tipo A.

O formato simétrico também reduz os danos causados pelo uso constante dos conectores. Esse é mais um segredo para o modelo ser um acessório com extensa vida útil.

Pen-drives USB-C se destacam pela alta taxa de transferência.Pen-drives USB-C se destacam pela alta taxa de transferência.Fonte:  Kingston/Divulgação 

Alta taxa de transferência de dados

O USB-C tem a maior velocidade de transferência de dados em comparação aos antecessores. Entretanto, isso pode variar conforme a tecnologia padrão USB suportada pelo cabo.

Por exemplo, os modelos USB 3.0 registram taxas de transferência de até 5 Gbps. Enquanto isso, o USB 3.2 de 2ª geração suporta até 20 Gbps de transferência e o padrão USB 4 atinge até 40 Gbps.

Esses detalhes são extremamente importantes na hora de adquirir um cabo USB tipo C. Também é recomendado observar se os dispositivos são compatíveis com os padrões encontrados nos acessórios.

Os cabos USB-C trazem suporte a carregamento rápido.Os cabos USB-C trazem suporte a carregamento rápido.Fonte:  Stanley Ng/Pexels 

Suporte a carregamento rápido

Outro recurso dos cabos USB-C é o suporte a tecnologia Power Delivery Charging (PD Charging). Essa é uma tecnologia que oferece carregamento rápido para alguns dispositivos com sistema operacional Android ou iOS.

O poder pode ser medido em uma breve comparação. Os antigos modelos USB 2.0 podem carregar um celular com 2,5 watts de potência, enquanto o USB-C pode fornecer até 100 watts de potência.

Assim, o PD Charging promove energia suficiente para alimentar um notebook. Para mais, os cabos que têm o mesmo conector nas duas pontas são bidirecionais, o que permite que o dispositivo envie e receba energia conforme a preferência do usuário.

O formato USB tipo C possibilita diversas conexões.O formato USB tipo C possibilita diversas conexões.Fonte:  Pexels/Reprodução 

Facilidade de conexões

Além da transmissão de dados e energia, o USB tipo C facilita a conexão entre dispositivos. Por exemplo, esse formato pode conectar um desktop a um monitor externo — dispensando o uso do cabo HDMI.

O modelo também transfere dados entre um notebook e um HD externo que estejam conectados a um mesmo monitor. Mais um exemplo de como um único cabo possibilita realizar várias tarefas e otimizar o tempo.

Há testes em andamento para fornecer um novo padrão de áudio usando o USB-C. Assim, o formato é um potencial substituto do tradicional conector P2.

O USB-C deve se tornar um padrão universal de conexão.O USB-C deve se tornar um padrão universal de conexão.Fonte:  Review Geek/Reprodução 

Futuro conector universal

Com essa quantidade de vantagens, o USB-C deve se tornar um conector universal muito em breve. Várias companhias de tecnologia já estudam adotar esse modelo de conector como padrão para os futuros lançamentos.

Fabricantes de computadores e dispositivos móveis continuam incorporando portas USB-C na maioria dos principais produtos. Fato que mostra a grande força que o modelo de conexão tem na indústria.

Está convencido das vantagens de ter um cabo USB tipo C em 2021? Conte sua experiência com o formato nos comentários!

Fonte: Tecmundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: O CABO USB-C É A NOVA VEDETE TECNOLÓGICA DE 2021

TECNOLOGIA: A NEUROPROTESE DE FALA PERMITE AO HOMEM COM PARALISIA SE COMUNICAR ATRAVÉS DAS ONDAS CEREBRAIS

Uma nova TECNOLOGIA está permitindo cientistas da UC San Francisco a um homem com paralisia severa se comunicar em sentenças – traduzindo sinais de seu cérebro para o trato vocal diretamente em palavras que aparecem como texto em uma tela. É o que eles chamam de “neuroprótese de fala”. Em breve essa TECNOLOGIA permitirá que pessoas acometidas pela síndrome ELA se comunicarem através do pensamento. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer essa fantástica descoberta!

As ondas cerebrais do homem paralisado transformam-se em sentenças no computador, cientistas ‘emocionados’ além das palavras

 

Pesquisadores da UC San Francisco desenvolveram com sucesso uma “neuroprótese de fala” que permitiu a um homem com paralisia severa se comunicar em sentenças – traduzindo sinais de seu cérebro para o trato vocal diretamente em palavras que aparecem como texto em uma tela.

A conquista se baseia em mais de uma década de esforços do neurocirurgião da UCSF, Edward Chang, para desenvolver uma tecnologia que permite que pessoas com paralisia se comuniquem, mesmo que não consigam falar por conta própria.

“Até onde sabemos, esta é a primeira demonstração bem-sucedida de decodificação direta de palavras completas a partir da atividade cerebral de alguém que está paralisado e não pode falar”, disse Chang, que é o autor sênior do estudo. “Ele mostra uma forte promessa de restaurar a comunicação, aproveitando o mecanismo natural da fala do cérebro.”

Todos os anos, milhares de pessoas perdem a capacidade de falar devido a um acidente vascular cerebral, acidente ou doença. Com mais desenvolvimento, a abordagem descrita neste estudo pode um dia permitir que essas pessoas se comuniquem plenamente.

Traduzindo sinais cerebrais em fala

Anteriormente, o trabalho no campo da neuroprostética da comunicação se concentrava em restaurar a comunicação por meio de abordagens baseadas na ortografia para digitar as letras uma a uma no texto.

O estudo de Chang difere desses esforços de uma maneira crítica: sua equipe está traduzindo sinais destinados a controlar os músculos do sistema vocal para falar palavras, em vez de sinais para mover o braço ou a mão para permitir a digitação.

Chang disse que essa abordagem explora os aspectos naturais e fluidos da fala e promete uma comunicação mais rápida e orgânica.

“Com a fala, normalmente comunicamos informações em uma taxa muito alta, até 150 ou 200 palavras por minuto”, disse ele, observando que as abordagens baseadas na ortografia usando digitar, escrever e controlar um cursor são consideravelmente mais lentas e trabalhosas. “Ir direto às palavras, como estamos fazendo aqui, tem grandes vantagens porque está mais próximo de como normalmente falamos.”

Na última década, o progresso de Chang em direção a esse objetivo foi facilitado por pacientes do Centro de Epilepsia da UCSF que estavam se submetendo a uma neurocirurgia para identificar as origens de seus ataques usando matrizes de eletrodos colocados na superfície de seus cérebros.

Esses pacientes, todos com fala normal, se ofereceram para ter suas gravações cerebrais analisadas para atividades relacionadas à fala. O sucesso inicial com esses pacientes voluntários pavimentou o caminho para o teste atual em pessoas com paralisia.

Anteriormente, Chang e colegas do UCSF Weill Institute for Neurosciences mapearam os padrões de atividade cortical associados aos movimentos do trato vocal que produzem cada consoante e vogal.

Para traduzir essas descobertas em reconhecimento de fala de palavras completas, David Moses, PhD, um engenheiro de pós-doutorado no laboratório de Chang, desenvolveu novos métodos para decodificação em tempo real desses padrões e modelos estatísticos de linguagem para melhorar a precisão.

Mas o sucesso deles em decodificar a fala em participantes que conseguiam falar não garantia que a tecnologia funcionaria em uma pessoa cujo trato vocal está paralisado. “Nossos modelos precisavam aprender o mapeamento entre padrões complexos de atividade cerebral e a fala pretendida”, disse Moses. “Isso representa um grande desafio quando o participante não consegue falar.”

Além disso, a equipe não sabia se os sinais cerebrais que controlam o trato vocal ainda estariam intactos para pessoas que não são capazes de mover seus músculos vocais há muitos anos. “A melhor maneira de descobrir se isso funcionaria era experimentando”, disse Moses.

As primeiras 50 palavras

Para investigar o potencial dessa tecnologia em pacientes com paralisia, Chang fez parceria com o colega Karunesh Ganguly, professor associado de neurologia, para lançar um estudo conhecido como “BRAVO” (Restauração da Interface Cérebro-Computador de Braço e Voz).

O primeiro participante do estudo é um homem de quase 30 anos que sofreu um derrame cerebral devastador há mais de 15 anos, que danificou gravemente a conexão entre seu cérebro e seu trato vocal e membros.

Desde a lesão, ele teve movimentos extremamente limitados da cabeça, pescoço e membros e se comunica usando um ponteiro preso a um boné de beisebol para inserir letras em uma tela.

O participante, que pediu para ser referido como BRAVO1, trabalhou com os pesquisadores para criar um vocabulário de 50 palavras que a equipe de Chang pudesse reconhecer a partir da atividade cerebral usando algoritmos avançados de computador. O vocabulário – que inclui palavras como “água”, “família” e “bom” – foi suficiente para criar centenas de frases expressando conceitos aplicáveis ​​à vida diária do BRAVO1.

Para o estudo, Chang implantou cirurgicamente um conjunto de eletrodos de alta densidade sobre o córtex motor da fala do BRAVO1. Após a recuperação total do participante, sua equipe registrou 22 horas de atividade neural nesta região do cérebro ao longo de 48 sessões e vários meses. Em cada sessão, BRAVO1 tentou dizer cada uma das 50 palavras do vocabulário muitas vezes enquanto os eletrodos gravavam sinais cerebrais de seu córtex da fala.

Tradução da tentativa de fala em texto

Para traduzir os padrões de atividade neural gravada em palavras pretendidas específicas, os outros dois autores principais do estudo usaram modelos de rede neural personalizados, que são formas de inteligência artificial. Quando o participante tentava falar, essas redes distinguiam padrões sutis na atividade cerebral para detectar tentativas de fala e identificar quais palavras ele estava tentando dizer.

Para testar a abordagem, a equipe primeiro apresentou o BRAVO1 com frases curtas construídas a partir de 50 palavras do vocabulário e pediu-lhe que tentasse repeti-las várias vezes. Enquanto ele fazia suas tentativas, as palavras foram decodificadas de sua atividade cerebral, uma a uma, em uma tela.

Em seguida, a equipe passou a fazer perguntas como “Como você está hoje?” e “Quer um pouco de água?” Como antes, a tentativa de discurso de BRAVO1 apareceu na tela. “Estou muito bem” e “Não, não estou com sede”.

A equipe descobriu que o sistema era capaz de decodificar palavras da atividade cerebral a uma taxa de até 18 palavras por minuto com precisão de até 93% (mediana de 75%).

Contribuindo para o sucesso estava um modelo de linguagem que Moses aplicou que implementou uma função de “autocorreção”, semelhante ao que é usado por mensagens de texto de consumidor e software de reconhecimento de voz.

Moses caracterizou os primeiros resultados do teste – que aparecem no New England Journal of Medicine – como uma prova de princípio. “Ficamos emocionados ao ver a decodificação precisa de uma variedade de frases significativas”, disse ele. “Mostramos que é realmente possível facilitar a comunicação desta forma e que há potencial para uso em ambientes de conversação.”

Olhando para o futuro, Chang e Moses disseram que vão expandir o estudo para incluir mais participantes afetados por paralisia severa e déficits de comunicação. A equipe está trabalhando atualmente para aumentar o número de palavras no vocabulário disponível, bem como melhorar a velocidade da fala.

Ambos disseram que, embora o estudo tenha enfocado um único participante e um vocabulário limitado, essas limitações não diminuem a realização. “Este é um marco tecnológico importante para uma pessoa que não consegue se comunicar naturalmente”, disse Moses, “e demonstra o potencial dessa abordagem para dar voz a pessoas com paralisia severa e perda de fala”.

ASSISTA o vídeo sobre esta pesquisa abaixo.)

Fonte: Universidade da Califórnia em São Francisco

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: A NEUROPROTESE DE FALA PERMITE AO HOMEM COM PARALISIA SE COMUNICAR ATRAVÉS DAS ONDAS CEREBRAIS

TECNOLOGIA: UM ROBÔ QUE SALVA VIDAS POR RESSUSCITAÇÃO CARDIOPULMONAR

Um robô que faz ressuscitação cardiopulmonar no lugar dos paramédicos é o destaque da nossa coluna BOAS NOTÍCIAS desta quinta-feira. Leia o artigo completo a seguir e conheça essa nova TECNOLOGIA desenvolvida no Reino Unido, que logo estará se juntando a equipes de primeiros socorros no sul da Inglaterra.

Paramédicos no Reino Unido têm um novo colega de equipe – um robô que faz a ressuscitação cardiopulmonar para eles

Normalmente limitado a ouvir todos os seus pedidos de música para tocar em sua sala de estar ou montar coisas em uma fábrica, um robô paramédico que pode realizar RCP logo estará se juntando a equipes de primeiros socorros no sul da Inglaterra.

Pela primeira vez, foi feito um autômato que pode realizar a compressão torácica que salva vidas – uma parte vital para manter o fluxo de oxigênio pelo corpo durante uma parada cardíaca.

Chamado de LUCAS-3, sua realização de RCP libera as mãos dos paramédicos para outras tarefas, que podem ser essenciais para garantir a sobrevida do paciente.

O South Central Ambulance Service (SCAS) será o primeiro a receber o robô, que custa £ 12.000 ($ 17.000), para a manutenção de Hampshire, Berkshire, Buckinghamshire e Oxfordshire. A SCAS Charity financiou a compra de 28 com a finalidade de equipar suas ambulâncias.

Um porta-voz do SCAS disse : “Assim que os paramédicos chegarem e começarem a RCP ou assumirem o lugar de observadores que possam ter iniciado, a transição das compressões manuais para o LUCAS pode ser concluída em sete segundos, garantindo a continuidade das compressões”.

O LUCAS funciona através da conectividade Bluetooth e realiza a RCP de acordo com vários dados, como tempo entre as compressões, força das compressões ou de acordo com as orientações de instituições médicas.

O Dr. John Black, diretor médico da SCAS, disse: “Sabemos que aplicar compressões torácicas ininterruptas e de alta qualidade em uma parada cardíaca é um dos principais determinantes da sobrevida até a alta hospitalar, mas pode ser muito desafiador por uma série de razões”.

“As pessoas podem ficar cansadas ao realizar a RCP manualmente, o que afeta a taxa e a qualidade das compressões, e os pacientes podem precisar ser movidos de locais difíceis, como descer um lance estreito de escadas ou locais remotos que impedem o processo.”

O grande dia de LUCAS finalmente chegou, mas o tempo que leva para um aluno terminar a faculdade de medicina antes de estar pronto para o salto para a ação ao vivo – a iteração atual é baseada em um modelo que foi testado pela primeira vez pela Universidade de Warwick em 2014.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: UM ROBÔ QUE SALVA VIDAS POR RESSUSCITAÇÃO CARDIOPULMONAR

TECNOLOGIA: O REACT É UM DISPOSITIVO QUE PODE INTERROMPER INSTANTANEAMENTE O SANGRAMENTO CAUSADO POR FERIMENTO DE FACA

Um dispositivo conhecido como tamponamento rápido acionado por emergência, ou REACT é o destaque desta edição da coluna TECNOLOGIA. Um estudante universitário do Reino Unido inventou um dispositivo que pode ajudar os socorristas a selar melhor os ferimentos de crimes violentos com faca. Leia o artigo completo a seguir e conheça é incrível descoberta tecnológica!

O aluno constrói um dispositivo que salva vidas que pode interromper instantaneamente o sangramento causado por facadas

Um estudante universitário do Reino Unido está fazendo sua parte para ‘parar o sangramento’ de crimes violentos com faca, inventando um dispositivo que pode ajudar os socorristas a selar melhor os ferimentos.

Dependendo do local, a vítima de um esfaqueamento não tem muito tempo sem os primeiros socorros adequados para impedir a perda de sangue, mas se a nova invenção de Joseph Bentley estiver em cena, isso pode reduzir significativamente essa possibilidade.

O dispositivo é conhecido como tamponamento rápido acionado por emergência, ou REACT, e empresta a função, há muito utilizada, mas dificilmente perfeita, da gaze para aplicar pressão no local da ferida para impedir a perda de sangue. Uma vez que os coágulos sanguíneos parem o sangramento, a remoção ou distúrbio da gaze pode reabrir tanto a ferida quanto o problema.

Em contraste, REACT infla uma manga em forma de balão de silicone conhecida como tamponamento, que aplica pressão semelhante e permite que o sangue coagule. Uma vez que o balão precisa ser removido, ele é esvaziado lenta e suavemente, permitindo que os coágulos permaneçam intactos.

Os primeiros respondentes inseririam a luva em uma ferida aberta e usariam o dispositivo atuador, que se parece um pouco com uma furadeira manual movida a bateria, para primeiro selecionar em qual parte do corpo a ferida está localizada e, em seguida, inflar o tamponamento por meio de um válvula exatamente nas proporções corretas para o local.

Universidade de Loughborough 

“Eu conheço vários amigos que foram as infelizes vítimas de crimes com faca, felizmente nenhum dos incidentes foi fatal”, explicou Joseph à imprensa da Universidade de Loughborough.

“O tamponamento pode ser colocado e parar uma hemorragia em menos de um minuto, salvando centenas de vidas por ano, e como o tamponamento é adequado para grandes cavidades como o abdômen, também é mais fácil e rápido de remover do que os métodos atuais usados ​​para parar sangramento, dando ao paciente a melhor chance de cirurgia reconstrutiva ”, acrescentou.

Atualmente em busca de uma patente para sua tecnologia, o REACT da Bentley ainda é um protótipo , mas ele espera que consiga passar pelos estágios necessários para garantir que os primeiros socorros tenham acesso a ele o mais rápido possível.

CONFIRA: O tratamento simples do diabetes tipo 2 com dieta de baixa caloria é tão eficaz que reverte a doença em estudos

“O desenvolvimento de dispositivos médicos leva muito tempo, mas esperamos que em alguns anos o sistema REACT seja usado para controlar o sangramento em vítimas de crimes com faca e salvar vidas”, disse Bentley em um comunicado. “Espero que um dia seja transportado por todos os serviços de emergência: polícia, ambulâncias, até militares, mas o objetivo absoluto é fazer com que este produto seja utilizado o mais rápido possível.”

ASSISTA o vídeo sobre REACT abaixo.)

Continuar lendo TECNOLOGIA: O REACT É UM DISPOSITIVO QUE PODE INTERROMPER INSTANTANEAMENTE O SANGRAMENTO CAUSADO POR FERIMENTO DE FACA

TECNOLOGIA: UMA RODA DO LIXO QUE É TOTALMENTE SUSTENTÁVEL

GNN relatou em 2017 que o Sr. Roda do Lixo gira com base na energia retirada da corrente do rio e devora 15 toneladas de lixo todos os dias. Se não for possível gerar eletricidade suficiente apenas com o rio, a roda usa energia solar. Sua ideia teve tanto sucesso que várias outras organizações estão construindo sua própria roda do lixo. Leia o artigo completo a seguir e conheça como funciona essa TECNOLOGIA que gera energia limpa.

‘Sr. Roda do lixo ‘devora 15 toneladas de lixo todos os dias dos portos – e mais cidades estão adotando

Durante anos, a face ambígua, porém satisfeita do Sr. Roda do Lixo tem sido um ícone do Inner Harbor de Baltimore.

O coletor de lixo de olhos arregalados vem devorando milhões de libras do lixo transportado pelo rio da cidade há anos e levou à criação de vários aliados da roda d’água, como o Capitão Roda do Lixo e o Prof. Roda do Lixo.

A ideia de algum tipo de coletor de lixo veio do inventor local John Kellet, que atravessaria a passarela que atravessa o riacho Jones Falls que alimenta o porto de Baltimore – e ficaria perturbado ao ver o fluxo ininterrupto de lixo flutuando em sua direção.

Kellet olhou em volta para ver se havia alguma solução potencial para o problema, mas não encontrou nenhuma. Ele acabaria não apenas dando ao porto uma aparência mais cintilante e livre de lixo, mas uma das maiores celebridades da cidade e ícones da mídia social – embora ele admitisse que não foi sua ideia colocar os olhos arregalados na barcaça.

GNN relatou em 2017 que o Sr. Roda do Lixo gira com base na energia retirada da corrente do rio. Se não for possível gerar eletricidade suficiente apenas com o rio, a roda usa energia solar.

Kellet, que dirige a Clearwater Mills , também fabrica gaiolas especialmente projetadas para caber em emissários de drenagem pluvial – que é a fonte da maior parte da poluição do lixo no porto.

Sua ideia teve tanto sucesso que várias outras organizações estão construindo sua própria roda do lixo. Em breve, chegará ao rio Gwynns Falls, em Maryland, Gwynda, a roda boa do oeste, enquanto Oakland, na Califórnia, está construindo um chamado Trasharella.

O primeiro Mr. Trash Wheel internacional vem ao Panamá, com a “Sra. Wheel ”ou“ Doña Rueda ”.

“Eu nunca imaginei que teríamos olhos arregalados sobre esta máquina, com um nome para ela e uma cerveja [com o nome], e as camisetas da roda do lixo e um fã-clube da roda do lixo e uma festa dos fãs da roda do lixo, é gentil além dos meus sonhos mais selvagens ”, disse Kellet no documentário na CNET.

Por trás da marca Mr. Trash Wheel está um dos conceitos mais importantes da teoria moderna da poluição – que os rios depositam a maior parte do lixo existente nos oceanos. A organização sem fins lucrativos The Ocean Cleanup , que opera sofisticados interceptores de lixo de rios de energia verde, explica em seu site que mil dos rios do mundo geram 80% de todo o lixo encontrado no oceano.

O documentário sugere fazer lobby com seus políticos locais para instalar uma roda do lixo, enviando-lhes alguns dos fatos – como a capacidade da tecnologia de coletar 38.000 libras de lixo por dia – ou até mesmo o fato de que tem a capacidade de se tornar uma mídia social influenciador para sua cidade.

ASSISTA o documentário da CNET abaixo).

Continuar lendo TECNOLOGIA: UMA RODA DO LIXO QUE É TOTALMENTE SUSTENTÁVEL

TECNOLOGIA: COMEÇA A CONSTRUÇÃO DO 1º ESPAÇOPORTO FLUTUANTE PELA SPACEX

A SpaceX, companhia espacial do bilionário Elon Musk, também CEO da Tesla Motors; vice-presidente da OpenAI, fundador e CEO da Neuralink e co-fundador e presidente da SolarCity, está desenvolvendo um projeto ambicioso de operar uma rede global de viagens hipersônicas com veículos espaciais. Para tanto iniciou a construção do 1º espaçoporto flutuante utilizando uma antiga plataforma de petróleo que será convertida em uma área dedicada para lançamentos e pousos dos foguetes reutilizáveis. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes deste ambicioso e promissor projeto!

SpaceX inicia a construção do 1º espaçoporto flutuante

1 min de leitura
Imagem de: SpaceX inicia a construção do 1º espaçoporto flutuanteImagem: SpaceX/Divulgação

SpaceX anunciou o início da construção do seu primeiro espaçoporto flutuante. Os planos da companhia aeroespacial indicam que o local estará pronto para atividades a partir do começo do próximo ano.

No Twitter, o CEO Elon Musk revelou mais detalhes sobre o projeto Deimos. Em destaque, uma antiga plataforma de petróleo será convertida em uma área dedicada para lançamentos e pousos dos foguetes reutilizáveis.

No início deste ano, a SpaceX adquiriu duas plataformas de petróleo para a criação dos espaçoportos flutuantes Deimos e Phobos. As estruturas servirão de campo de preparação offshore para ações com veículos espaciais.

Além da homenagem às luas de Marte, os nomes têm relação com a função dos locais. No futuro, eles servirão de base para lançamento e pouso de naves espaciais de transporte de passageiros e mercadorias do Planeta Vermelho.

Para mais, a SpaceX pretende criar outros espaçoportos como Deimos próximos dos principais centros do planeta Terra. Isso tornará viável o projeto de operar uma rede global de viagens hipersônicas com veículos espaciais.

Por exemplo, pessoas poderão viajar entre destinos distantes como de Pequim para Nova York em voos de cerca de 30 minutos. Entretanto, a companhia deve realizar testes com modelos específicos de naves antes de iniciar o serviço.

Imagem conceitual do espaçoporto flutuante da SpaceX.Imagem conceitual do espaçoporto flutuante da SpaceX.Fonte:  SpaceX/Divulgação 

Os avanços da SpaceX

Nos últimos meses, a SpaceX fez ótimos progressos em relação ao programa de veículos espaciais. Entre eles, o teste de lançamento e pouso bem-sucedido da Starship SN15 realizado na Starbase – instalação de desenvolvimento da empresa no Texas.

No momento, a companhia se prepara para o primeiro voo orbital de uma espaçonave Starship acoplada ao foguete propulsor Super Heavy. Tal como, eles estão trabalhando em ensaios no solo com o novo motor Raptor.

Fonte: Tecmundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: COMEÇA A CONSTRUÇÃO DO 1º ESPAÇOPORTO FLUTUANTE PELA SPACEX

TECNOLOGIA: LUZ ENERGÉTICA COM POTENCIA JAMAIS VISTA É DETECTADA POR CIENTISTAS

A novidade aqui na coluna TECNOLOGIA nesta quinta-feira é a detecção da luz energética mais potente já vista. Mais de 530 deles apresentaram valores acima de 0,1 quatrilhão de elétron-volts, enquanto o mais potente tinha impressionantes 1,4 quatrilhão. É algo realmente extraordinário não? Por isso, convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes dessa incrível descoberta!

Cientistas detectam luz energética mais potente vista até então

1 min de leitura
Imagem de: Cientistas detectam luz energética mais potente vista até entãoImagem: Reprodução

Cientistas do Large High Altitude Air Shower Observatory (LHAASO) anunciaram, na revista Nature, a detecção de raios gama com as maiores cargas de energia vistas até então. Enquanto mais de 530 deles apresentaram valores acima de 0,1 quatrilhão de elétron-volts, o mais potente tinha impressionantes 1,4 quatrilhão.

Na Terra, por exemplo, com experimentos no Grande Colisor de Hádrons (LHC), o máximo testemunhado por pesquisadores foi de alguns trilhões, e, de acordo com a equipe, a Via Láctea pode abrigar poderosos aceleradores de partículas cósmicas, dado que o grupo também descobriu a existência de 12 pontos prováveis de origem dessas manifestações.

Além disso, explica, para que raios gama atinjam tais características, campos eletromagnéticos devem acelerar prótons ou elétrons a velocidades imensas, e a interação com outras matérias pelo caminho que percorrem é que geram aquilo que se analisa daqui.

Observatório LHAASO possibilitou descoberta impressionante.Observatório LHAASO possibilitou descoberta impressionante.Fonte: LHAASO

Apostas interestelares

Ainda não se sabe exatamente quais ambientes são capazes de criar coisas tão potentes, mas as novas observações apontam para duas possibilidades.

Segundo os especialistas, um dos locais de onde os raios gama sem precedentes podem ter vindo para cá é a Nebulosa do Caranguejo, formada por restos de uma supernova, primeiramente visualizada em 1731 e registrada inicialmente por astrônomos árabes e chineses em 1054. Ela se encontra na constelação do Touro, a cerca de 6,3 mil anos-luz da Terra.

Nebulosa do Caranguejo é um dos prováveis locais de origem.Nebulosa do Caranguejo é um dos prováveis locais de origem.Fonte: Hubble Site

Já a outra fonte potencial é a Cygnus Cocoon, uma região a cerca de 4,6 mil anos-luz do Sol e em que estrelas massivas estão em formação, soprando ventos espaciais carregados de partículas no processo.

De todo modo, o LHAASO, localizado na montanha Haizi (na província chinesa de Sichuan) não está totalmente operacional, algo que deve ocorrer a partir do final deste ano. Então, o equipamento poderá revelar mais fatos inéditos a respeito dos mistérios do Universo.

Fonte: Tecmundo
Continuar lendo TECNOLOGIA: LUZ ENERGÉTICA COM POTENCIA JAMAIS VISTA É DETECTADA POR CIENTISTAS

TECNOLOGIA: A NOVA TECNOLOGIA RTX SÉRIE 30 NO NOVO ANÇAMENTO DA AVELL NO BRASIL

A nossa coluna TECNOLOGIA desta quinta-feira trás um artigo sobre a última novidade de lançamento em notebooks da Avell, o Storm One é uma máquina dedicada e poderosa para todo tipo de utilização, desde o manuseio de editores de vídeos e imagens até experiências com os games mais recentes do mercado. Um equipamentos de alto desempenho para softwares e games. Convido você a ler este artigo e ficar por dentro do que há de melhor em tecnologia de computadores no mercado brasileiro.

Avell lança primeira linha de notebooks com RTX Série 30 no Brasil

1 min de leitura
Imagem de: Avell lança primeira linha de notebooks com RTX Série 30 no BrasilImagem: https://avell.com.br/

A Avell Notebooks, marca dedicada à produção de equipamentos de alto desempenho para softwares e games, anunciou o Storm One, primeiro modelo da linha Avell Gamer Storm a trazer periféricos de última geração para o segmento no Brasil.

Com um design slim e dimensões que entregam conforto e praticidade no transporte e uso diário, o Storm One é uma máquina dedicada e poderosa para todo tipo de utilização, desde o manuseio de editores de vídeos e imagens até experiências com os games mais recentes do mercado. O notebook possui uma tela Quad HD (2560 x 1440) de 15 a 17 polegadas e taxa de atualização de até 165 Hz, com alta fidelidade de cores e contraste, assim como teclado retroiluminado em RGB com dois LEDs laterais personalizáveis.

(Fonte: Avell / Divulgação)(Fonte: Avell / Divulgação)Fonte:  Avell 

A grande novidade do modelo fica por conta de seu potencial de processamento, sendo disponibilizado em duas opções com AMD Ryzen Série 4000: AMD Ryzen 5 4600H (6 núcleos e 4 Ghz) ou AMD Ryzen 7 4800H (8 núcleos e 4,2 Ghz). Além disso, ambas as versões são equipadas com GPU Nvidia GeForce RTX 3060, que utiliza o poder da arquitetura Ampere para entregar Ray Tracing Cores com os Tensor Cores aprimorados e memória GDDR6.

O Storm One também será disponibilizado com grandes vantagens em relação ao consumo de energia e ao sistema de resfriamento. Com o Dynamic Boost 2.0 da Série 30, a tecnologia alterna automaticamente entre processador e placa de vídeo para regular com precisão a energia, e o sistema de ventilação XCooling, com 5 tubos de cobre e quatro saídas de ar com ventiladores duplos, garante temperaturas seguras e maior durabilidade.

(Fonte: Avell / Divulgação)(Fonte: Avell / Divulgação)Fonte:  Avell 

A Avell Notebooks revelou que sua nova linha será completa nos aspectos de conectividade e terá portas USB  3.1 Geração 1 e 2 e USB Tipo C Geração 2, entrada HDMI, leitor de cartão SD, integração com Wi-Fi 6 e suporte para Windows Hello.

A pré-venda do Storm One será iniciada nesta quinta-feira (20), e você pode conferir mais detalhes sobre o modelo no site oficial da Avell Notebooks.

Fonte: Avell

Continuar lendo TECNOLOGIA: A NOVA TECNOLOGIA RTX SÉRIE 30 NO NOVO ANÇAMENTO DA AVELL NO BRASIL

TECNOLOGIA: NOVO CELULAR SANSUNG GALAXY S20 FE COM NOVO PROCESSADOR DA QUALCOMM

O celular Sansung Galaxy S20 FE com Snapdragon 865, o novo processador top de linha da Qualcomm, lançado no ano passado é a novidade tecnológica na nossa coluna TECNOLOGIA desta quinta-feira. Veja no artigo a seguir todos os novos recursos e habilidades dessa nova tecnologia em processador.

Samsung Galaxy S20 FE com Snapdragon 865 chega ao Brasil

1 min de leitura
Imagem de: Samsung Galaxy S20 FE com Snapdragon 865 chega ao BrasilImagem: Samsung
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.

A Samsung lançou recentemente no Brasil o Galaxy S20 FE 4G com Snapdragon 865, o processador top de linha da Qualcomm do ano passado. A nova edição chegou sem fazer muito alarde e já está disponível em algumas lojas na internet com preços a partir de R$ 2.270.

O celular já estava disponível no Brasil desde novembro do ano passado com o chip Exynos 990. Feito pela própria Samsung, o componente gerou polêmica em 2020 por trazer performance inferior ao Qualcomm Snapdragon 865.

Fonte:  Samsung 

Em um comunicado enviado ao TecMundo, a empresa disse que ambas as edições do Galaxy S20 FE disponíveis no Brasil oferecem “desempenho consistente e ideal”.

“A Samsung tem trabalhado com vários fornecedores para atender a demanda de nossos consumidores”, disse a empresa. “Ambos os processadores usados na versão LTE do Galaxy S20 FE passaram pelos mesmos cenários, estritos e rigorosos, de teste em condições reais de uso. Continuaremos a oferecer desempenho consistente e ideal ao longo de todo o ciclo de vida do smartphone.”

Chip diferente, mesmo celular

Apesar do chip diferente, o Galaxy S20 FE com Snapdragon 865 é exatamente igual ao modelo com Exynos 990 no restante das especificações. O aparelho é praticamente uma versão “Lite” do smartphone top de linha da Samsung para o ano passado, fazendo alguns cortes para garantir melhor custo-benefício.

O Galaxy S20 FE conta com tela de 6,5 polegadas de resolução Full HD+ e taxa de atualização de até 120 Hz. O modelo possui câmera tripla na traseira, com módulo principal de 12 MP, além de sensores secundários de 12 MP ultrawide e 8 MP com lente teleobjetiva. A solução para selfies é de 32 MP.

Quando o assunto é autonomia, o smartphone conta com uma bateria de 4.500 mAh com recarga rápida de 25W. O celular também possui 6 GB ou 8 GB de memória RAM, além de trazer opções com 128 GB ou 256 GB de armazenamento.

Preço no Brasil

O Galaxy S20 FE 4G com Snapdragon 865 chegou ao Brasil com preço sugerido de R$ 4.999 na versão mais básica e R$ 5.499 na edição com 256 GB de armazenamento e 8 GB de RAM. No entanto, a tendência é que os preços caiam rapidamente.

O novo celular já apareceu em lojas como Magazine Luiza com preços na casa dos R$ 2.270, mas o estoque está esgotado. A versão do celular com chip Exynos também pode ser encontrada no e-commerce por valores próximos de R$ 2.199.

Fonte: Tecmundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: NOVO CELULAR SANSUNG GALAXY S20 FE COM NOVO PROCESSADOR DA QUALCOMM

TECNOLOGIA: ELETRODOS EM BATERIAS DE LÍTIO CONTENDO COBALTO PODE SER REUTILIZADOS APÓS UM PROCESSO ESPECIAL

Um aumento estimado de 25% em todo o mundo na fabricação de baterias recarregáveis ​​a cada ano, como consequência da proliferação de carros elétricos, smartphones e dispositivos portáteis provocou uma pesquisa para a reutilização de eletrodos em baterias de lítio contendo cobalto após um processo especial. Ao ler o artigo completo a seguir você vai saber como isso é possível!

As peças da bateria podem ser recicladas sem esmagar ou derreter, economizando matérias-primas valiosas

Pesquisadores na Finlândia descobriram que eletrodos em baterias de lítio contendo cobalto podem ser reutilizados após um processo especial.

Em comparação com a reciclagem tradicional, que normalmente extrai metais de baterias esmagadas derretendo-os ou dissolvendo-os, o novo processo – que satura os eletrodos com lítio – economiza matérias-primas valiosas e provavelmente também energia.

Aalto University

O problema das baterias recarregáveis

A proliferação de carros elétricos, smartphones e dispositivos portáteis está levando a um aumento estimado de 25% em todo o mundo na fabricação de baterias recarregáveis ​​a cada ano.

Muitas matérias-primas usadas nas baterias, como o cobalto, podem em breve se esgotar. A Comissão Europeia está preparando um novo decreto sobre as baterias, que exigiria a reciclagem de 95% do cobalto das baterias. No entanto, os métodos de reciclagem de baterias existentes estão longe de ser perfeitos.

Quase como novo

As baterias recarregáveis ​​de íons de lítio têm dois eletrodos entre os quais se movem partículas eletricamente carregadas. O óxido de lítio-cobalto é usado em um eletrodo e, na maioria das baterias, o outro é feito de carbono e cobre.

Nos métodos tradicionais de reciclagem de baterias, algumas das matérias-primas das baterias são perdidas e o óxido de lítio-cobalto se transforma em outros compostos de cobalto, que requerem um longo processo de refinamento químico para transformá-los novamente em material de eletrodo.

O novo método dos cientistas da Universidade de Aalto contorna esse processo meticuloso: ao reabastecer o lítio gasto no eletrodo por meio de um processo de eletrólise – comumente usado na indústria – o composto de cobalto pode ser reutilizado diretamente.

Os resultados, publicados em ChemSusChem j ournal , mostram que o desempenho dos eléctrodos recém saturado com lítio é quase tão boa como a dos feitos de material novo.

A professora da Aalto University, Tanja Kallio, acredita que com o desenvolvimento do método também funcionaria em escala industrial.

“Ao reutilizar as estruturas das baterias, podemos evitar muito do trabalho que é comum na reciclagem e, ao mesmo tempo, potencialmente economizar energia. Acreditamos que o método pode ajudar as empresas que estão desenvolvendo a reciclagem industrial ‘, diz Kallio.

Os pesquisadores pretendem ver se o mesmo método também pode ser usado com baterias de carros elétricos à base de níquel.

Fonte: Aalto University

Continuar lendo TECNOLOGIA: ELETRODOS EM BATERIAS DE LÍTIO CONTENDO COBALTO PODE SER REUTILIZADOS APÓS UM PROCESSO ESPECIAL

TECNOLOGIA: NOVA BATERIA PARA RESIDÊNCIAS POWERWALL 2 PLUS DA TESLA É A MENINA DOS OLHOS DE ELON MUSK

A nova bateria recarregável de íons de lítio para uso doméstico, Powerwall 2 Plus, é a nova vedete da Tesla, cuja produção iniciou em 2020 é a revelação feita por Elon Musk e também o destaque desta edição da coluna TECNOLOGIA do Blog do Saber. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer essa bateria que tem até o dobro da capacidade das baterias anteriores.

Elon Musk revela que produção de Powerwall 2 Plus iniciou em 2020

1 min de leitura
Imagem de: Elon Musk revela que produção de Powerwall 2 Plus iniciou em 2020Imagem: Tesla/Divulgação
Avatar do autorKris Gaiato via nexperts

Elon Musk afirmou, durante uma recente conferência com investidores, que a produção do Tesla Powerwall 2 Plus teve início em novembro de 2020. O sistema de armazenamento com baterias recarregáveis de íons de lítio para uso doméstico foi primeiramente lançado em 2016, e agora a fabricante pretende lançar uma nova versão da tecnologia.

O magnata havia dado pistas da novidade, quando indicou possíveis aumentos na capacidade de energia para baterias domésticas da fabricante. Musk, contudo, não entrou em detalhes. “Basicamente, todos os Powerwalls feitos desde novembro do ano passado têm muito mais capacidade de potência do que a especificação no site. O novo modelo têm, cerca de, duas vezes a capacidade de energia”, afirmou, finalmente.

Powerwall 2 Plus e painel solar

a Tesla/Divulgação 

Semelhante ao Model 3 Standard Range Plus, o “Plus” do novo Powerwall indica uma mudança de capacidade. A versão anterior apresenta 5 kW de fornecimento contínuo de energia, podendo chegar a 7 kW se levado à sua produção máxima. Segundo as informações fornecidas por Musk, esses valores serão dobrados.

Em sua fala, o magnata também indicou que os Powerwalls serão vendidos somente com instalações solares. “A dificuldade de instalação será muito menor. Será muito mais fácil porque a energia do painel solar só irá diretamente para o Powerwall. E o Powerwall sempre fica entre o utilitário e o painel de energia principal da casa, o que significa que você nunca precisa tocar nos disjuntores principais da casa”, afirmou, ressaltando a importância da união das tecnologias para sua escalabilidade.

Vale ressaltar, contudo, que nesta segunda-feira (26), Elon Musk afirmou que sua empresa cometeu “erros significativos” em seu projeto de painéis solares, o que causará alterações no custo e atrasos nas instalações. Musk disse que Tesla teve dificuldades em “avaliar a dificuldade de certos telhados”, justificando que “a complexidade dos telhados varia dramaticamente”. Não se sabe, contudo, se essas falhas irão interferir na disponibilização do Powerwall 2 Plus.

Fonte: Tecmundo

Continuar lendo TECNOLOGIA: NOVA BATERIA PARA RESIDÊNCIAS POWERWALL 2 PLUS DA TESLA É A MENINA DOS OLHOS DE ELON MUSK

TECNOLOGIA: CIENTISTAS DESVENDAM MISTÉRIO POPULARMENTE CONHECIDO COMO “EFEITO CASTANHA-DO-BRASIL

Finalmente foi elucidado o mistério da física envolvendo a castanha-do-pará, que intrigava os cientistas há muito tempo. O fenômeno popularmente conhecido como “efeito castanha-do-Brasil”, aborda qual é a rota traçada por castanhas-do-pará para estarem sempre no topo do mix de castanhas? Foi desvendado através de uma TECNOLOGIA 3D. Lendo o artigo completo a seguir você conhecerá como foi desvendado esse mistério!

 ATUALIZADO EM 
Aparentemente trivial, descoberta pode ter implicações para as indústrias alimentícia e farmacêutica – e até para a mineração (Foto: pictavio/Pixabay)Aparentemente trivial, descoberta pode ter implicações para as indústrias alimentícia e farmacêutica – e até para a mineração (Foto: pictavio/Pixabay)

Pela primeira vez na história, pesquisadores da Universidade de Manchester, na Inglaterra, desvendaram o mistério por trás de um fenômeno popularmente conhecido como “efeito castanha-do-Brasil”. A partir de tecnologia 3D, a equipe respondeu a uma pergunta que intrigava a comunidade científica – e a indústria – há anos: qual é a rota traçada por castanhas-do-pará para estarem sempre no topo do mix de castanhas?

À primeira vista, o trajeto não guarda enigmas e pode ser explicado pela Física, mais especificamente pelo conceito da segregação por tamanho. Por causa de seu formato irregular, em um mix de grãos, a noz brasileira costuma ficar “por cima” de outras castanhas (a de caju, por exemplo). Facilmente observado a olho nu, numa tigela ou pacote de nozes, o fenômeno ainda não havia sido rastreado em três dimensões – foi o que fizeram os cientistas de Manchester.

Na empreitada, o grupo conseguiu acompanhar o interior de uma mistura de castanhas-do-pará com amendoins. Enquanto a embalagem era repetidamente agitada, técnicas de tomografia computadorizada de raios-X de lapso de tempo capturaram como os grãos interagiram. “Isso nos permitiu ver pela primeira vez o processo pelo qual as castanhas-do-Brasil passam o amendoim para chegar ao topo”, relata Philip Withers, professor de Ciência de Materiais e coautor do estudo, em comunicado.

Experimento capturou a evolução temporal de uma mistura de castanhas-do-pará com amendoins. Acima, as castanhas foram coloridas de acordo com o seu volume (topo), assim como os amendoins (meio). (Foto: Scientific Reports/Reprodução)Experimento capturou a evolução temporal de uma mistura de castanhas-do-pará com amendoins. Acima, as castanhas foram coloridas de acordo com o seu volume (topo), assim como os amendoins (meio). (Foto: Scientific Reports/Reprodução)

Os pesquisadores resumiram o experimento em uma imagem que revela a evolução temporal da mistura de nozes em 3D. Nela, é possível notar que o amendoim se infiltra para baixo, enquanto três castanhas-do-pará maiores alcançam o topo do recipiente – ao mesmo tempo, as castanhas brasileiras restantes aparecem presas na parte inferior.

Publicado na revista Scientific Reports nesta segunda-feira (19), o estudo explica que a primeira noz brasileira atinge os primeiros 10% da altura do reservatório após 70 ciclos de cisalhamento – como, na Física, são chamadas as tensões geradas por forças que agem em direções semelhantes –, o que acontece com as outras duas castanhas do Brasil após 150 ciclos.

O experimento também mostrou que, quando inicialmente colocadas no recipiente, as castanhas-do-pará tendem a ficar planas – isto é, no eixo horizontal – e não começam a subir até que primeiro tenham girado o suficiente em direção ao eixo vertical. Quando finalmente alcançam a superfície, elas retornam à orientação plana, como mostram gráficos feitos a partir de imagens realizadas no Centro de Pesquisa Nacional para Tomografia Computadorizada de Raios-X baseada em Laboratório (NSCT), no Instituto Henry Royce.

Segundo os pesquisadores, a orientação da castanha-do-pará é a chave para seu movimento ascendente. Acima, imagem ilustra movimento das castanhas do Brasil e amendoins ao longo do tempo. (Foto: Scientific Reports/Reprodução)Segundo os pesquisadores, a orientação da castanha-do-pará é a chave para seu movimento ascendente. Acima, imagem ilustra movimento das castanhas do Brasil e amendoins ao longo do tempo. (Foto: Scientific Reports/Reprodução)

E por que algumas das castanhas-do-pará ficaram “presas” e não chegaram ao topo como as outras? Segundo os pesquisadores, isso aconteceu em função do baixo número de amendoins na parte inferior do recipiente. São esses grãos que, ao atravessar as castanhas maiores e se infiltrar para baixo, “forçam” a subida das nozes brasileiras. Com apenas quatro deles na parte inferior, não houve fluxo de massa suficiente para impulsionar a subida dessas castanhas do Brasil – mesmo que elas tenham girado para a vertical.

E por que isso importa?

Aparentemente trivial, a descoberta pode ajudar pesquisadores a compreender melhor os efeitos que características como tamanho e a orientação de partículas têm em processos de separação (ou segregação) de materiais. Isso, de acordo com o estudo, é um fator-chave para a projeção de equipamentos industriais que promovam uma distribuição mais uniforme de ingredientes em misturas alimentícias e comprimidos medicinais – e até nas atividades de mineração.

Mas não só isso. “Essa capacidade de rastrear o movimento em 3D abrirá o caminho para novos estudos experimentais de misturas de segregação e para simulações ainda mais realistas e modelos preditivos poderosos”, sugere o estudo.

Fonte: Revista Galileu

Continuar lendo TECNOLOGIA: CIENTISTAS DESVENDAM MISTÉRIO POPULARMENTE CONHECIDO COMO “EFEITO CASTANHA-DO-BRASIL

TECNOLOGIA: O PRIMEIRO TRANSPLANTE PULMONAR COM DOADORES VIVOS DO MUNDO FOI REALIZADO NO JAPÃO

Temos o orgulho e o prazer de noticiar, aqui na coluna TECNOLOGIA do Blog do Saber o primeiro transplante de pulmão, em paciente Covid-19, com doadores vivos do mundo, realizado por médicos japoneses do Hospital Universitário de Kyoto, que foi realizado na última quarta-feira. Uma notícia como essa você não pode deixar de ler para saber como foi realizado!

Médicos japoneses realizam o primeiro transplante pulmonar de doador vivo do mundo em paciente COVID-19

Um paciente COVID-19 no Japão recebeu o primeiro transplante de pulmão do mundo de doadores vivos.

Recebendo um transplante de tecido pulmonar de seu filho e marido, a paciente foi submetida a uma operação de 11 horas no Hospital Universitário de Kyoto para receber seu transplante na última quarta-feira.

Antes (L) e depois (R) da operação. As áreas escuras mostram onde o tecido pulmonar foi transplantado. Hospital Universitário de Kyoto

A mulher operada contraiu o COVID-19 no final do ano passado. De acordo com o Hospital Universitário de Kyoto, ela passou meses em uma máquina de suporte de vida atuando como um pulmão artificial, porque o dela não funcionou mais. Espera-se que ela se recupere da operação da semana passada em alguns meses.

Como acontece em todo o mundo, as listas de espera para transplantes de pulmão de doadores de órgãos falecidos são muito longas no Japão.

O Dr. Hiroshi Date – que liderou a operação – disse em um comunicado que o sucesso deste transplante de doadores vivos pode fornecer otimismo entre outros que sofrem graves danos pulmonares causados ​​pelo vírus. “Acho que há muita esperança para este tratamento no sentido de que ele cria uma nova opção”, disse o cirurgião torácico ao Kyodo News.

ASSISTA a história da Nippon TV News 24 Japan sobre a operação abaixo.)

Imagem em destaque: Hospital Universitário de Kyoto

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: O PRIMEIRO TRANSPLANTE PULMONAR COM DOADORES VIVOS DO MUNDO FOI REALIZADO NO JAPÃO

TECNOLOGIA: UMA SEQUÊNCIA DE 8 TELESCÓPIOS PARA CRIAR MAPA REQUINTADO DO CAMPO MAGNÉTICO GIRATÓRIO DO BURACO NEGRO

Uma nova TECNOLOGIA desenvolvida por uma equipe mundial de astrônomos usando o Event Horizon Telescope (EHT) é o destaque desta quinta-feira, aqui na coluna. Os cientistas ligaram oito telescópios ao redor do mundo para criar um telescópio virtual do tamanho da Terra, o EHT. A impressionante resolução obtida com o EHT é equivalente à necessária para medir o comprimento de um cartão de crédito na superfície da lua. Então convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer essa incrível descoberta!

Telescópio global cria mapa requintado do campo magnético giratório do buraco negro

Uma nova visão da região mais próxima do buraco negro supermassivo no centro da galáxia mostrou detalhes importantes dos campos magnéticos próximos a ele – e dicas sobre como jatos poderosos de material podem se originar naquela região.

Uma equipe mundial de astrônomos usando o Event Horizon Telescope (EHT) mediu uma assinatura de campos magnéticos – chamados de polarização – ao redor do buraco negro. Polarização é a orientação dos campos elétricos em ondas de luz e rádio, e pode indicar a presença e alinhamento de campos magnéticos.

As novas imagens permitiram aos cientistas mapear as linhas do campo magnético perto da borda do buraco negro de Messier 87 (M87) e são a chave para explicar como o buraco negro, a 50 milhões de anos-luz da Terra, pode lançar jatos energéticos de seu núcleo.

O buraco negro no centro de M87 é mais de 6 bilhões de vezes mais massivo que o sol. O material puxado para dentro forma um disco giratório – chamado de disco de acreção – orbitando próximo ao buraco negro.

A maior parte do material do disco cai no buraco negro, mas algumas partículas circundantes escapam e são ejetadas no espaço em jatos que se movem quase à velocidade da luz.

“As imagens polarizadas recém-publicadas são fundamentais para entender como o campo magnético permite que o buraco negro ‘coma’ matéria e lance jatos poderosos”, disse Andrew Chael, pesquisador do Hubble da NASA no Princeton Center for Theoretical Science e da Princeton Gravity Initiative em os EUA

Os cientistas compararam as novas imagens que mostravam a estrutura do campo magnético do lado de fora do buraco negro com simulações de computador baseadas em diferentes modelos teóricos. Eles descobriram que apenas os modelos com gás fortemente magnetizado podem explicar o que estão vendo no horizonte de eventos.

“As observações sugerem que os campos magnéticos na borda do buraco negro são fortes o suficiente para empurrar o gás quente e ajudá-lo a resistir à atração da gravidade. Apenas o gás que desliza pelo campo pode espiralar para dentro do horizonte de eventos ”, explicou Jason Dexter, professor assistente da Universidade de Colorado em Boulder e coordenador do Grupo de Trabalho de Teoria EHT.

Vista do buraco negro supermassivo M87 e colaboração do jato / EHT, ALMA 

Para fazer as novas observações, os cientistas ligaram oito telescópios ao redor do mundo para criar um telescópio virtual do tamanho da Terra, o EHT. A impressionante resolução obtida com o EHT é equivalente à necessária para medir o comprimento de um cartão de crédito na superfície da lua.

Esta resolução permitiu que a equipe observasse diretamente a sombra do buraco negro e o anel de luz ao seu redor, com a nova imagem mostrando claramente que o anel está magnetizado. Os resultados são publicados em dois artigos no  Astrophysical Journal Letters.

À medida que a colaboração do EHT continua a trabalhar mais no que está acontecendo ao nosso redor no espaço, com certeza informaremos a você suas últimas descobertas.

Continuar lendo TECNOLOGIA: UMA SEQUÊNCIA DE 8 TELESCÓPIOS PARA CRIAR MAPA REQUINTADO DO CAMPO MAGNÉTICO GIRATÓRIO DO BURACO NEGRO

TECNOLOGIA: AUTONOMIA DE CARRO ELÉTRICO ALCANÇA 1.000 MILHAS E JÁ DESLANCHA NAS VENDAS

Aptera a novidade revolucionária no mercado de carros movidos a energia solar é o destaque, aqui na coluna TECNOLOGIA, deste sábado. O carro tem uma autonomia de 1.000 milhas e já recebeu 7.000 encomendas. Ele recarrega as baterias até ficando exposto ao sol e em postos de recarga, completa em 15 minutos. Leia o artigo completo a seguir e conheça todos os detalhes desse incrível lançamento tecnológico.

Carro movido a energia solar Aptera com alcance de ‘1.000 milhas’ recebe 7.000 encomendas para entrega em 2021

 

Parecendo uma mistura entre um carro F-1 e o Batmóvel, o primeiro carro movido a energia solar produzido em massa deu vários passos em direção ao seu primeiro dia de mercado.

Em 18 de fevereiro, a  Aptera Motors anunciou uma rodada de financiamento de US $ 4 milhões da Série A – e também 7.000 reservas de seu novo veículo elétrico, no valor total de US $ 250.000.

O triciclo elétrico Aptera tem três rodas, custa cerca de US $ 25.000 e contém 34 pés quadrados de células solares que geram eletricidade para abastecer o carro na maioria das viagens diárias.

Ele pode ser conectado, é claro, em dias chuvosos ou à noite, mas ao contrário dos EVs básicos, ele precisa de apenas 15 minutos de carga para dirigir 150 milhas sem parar. Até mesmo o simples ato de deixá-lo estacionado ao sol por um dia pode fornecer 40 milhas de alcance por conta própria – o equivalente a seu carro se recarregando com dois galões de gasolina.

Como parte de uma proposta para colocar o carro no mercado até o final do ano, a Aptera mudou-se para uma nova unidade de produção e design em San Diego, Califórnia.

Um estuário tecnológico

Aptera 

Um estuário é um ambiente único onde uma grande foz ou delta de rio se mistura com água salgada do mar – uma comparação adequada com o triciclo solar Aptera, que é um estuário de diferentes tecnologias se juntando, uma se complementando.

Apesar de parecer tão dramático quanto qualquer Pagani Zonda ou Lamborghini, a parte traseira afilada, o corpo aerodinâmico e o trem de pouso arqueado em forma de golfinho foram projetados para reduzir o arrasto.

Na verdade, o detalhe prestado à redução do arrasto e do uso de energia beira o obsessivo. Mas é por meio dessa ultraeficiência que a energia solar, uma forma relativamente limitada de geração de eletricidade, pode realmente se tornar um recurso útil para alimentar um carro.

“Achamos que a energia deve ser usada para girar as rodas – isso começa com a aerodinâmica”, diz Anthony, em um vídeo divulgado pela empresa anunciando que estava fazendo encomendas.

“Em um veículo típico, você usa 60% do combustível apenas empurrando o ar para fora do caminho em velocidades de rodovia; então, se você pudesse reduzir a resistência aerodinâmica a 0, obteria instantaneamente uma economia de combustível 60% melhor.

“Em vez de ter 200-300 partes na carroceria, [o Aptera] tem quatro partes na estrutura principal, o que torna muito mais fácil construir, rastrear e montar”, diz Steve Fambro, o segundo cofundador da empresa, no mesmo vídeo.

De fato, feito de materiais compostos envolvendo fibra de vidro, carbono e alumínio, a maior parte do painel é projetada para ser impressa em 3D – reduzindo ainda mais a produção de emissões e os custos.

Eles também adicionaram recursos de piloto automático inteligente e aproveitaram mais de 20 anos de inovação em tecnologia de bateria e transmissão elétrica para criar o que eles chamam de melhor carro elétrico do mundo.

ASSISTA o novo vídeo do Aptera abaixo).

Fonte: Good news Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: AUTONOMIA DE CARRO ELÉTRICO ALCANÇA 1.000 MILHAS E JÁ DESLANCHA NAS VENDAS

TECNOLOGIA: OSSOS VIVOS SÃO CRIADOS EM IMPRESSORA 3D POR CIENTISTAS AUSTRALIANOS

A que ponto chegou a tecnologia não? O destaque desta segunda-feira aqui na coluna TECNOLOGIA é uma nova tinta com cálcio à base de cerâmica que pode permitir aos cirurgiões no futuro imprimir em 3D peças ósseas completas com células vivas que podem ser usadas para reparar o tecido ósseo danificado. Um show de tecnologia pra ninguém botar defeito e vem da UNSW Sydney. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer todos os detalhes sobre essa nova descoberta dos pesquisadores australianos!

Cientistas usam nova tinta com cálcio para imprimir “osso” em 3D com células vivas

As impressoras 3D podem um dia se tornar um acessório permanente de salas de cirurgia, agora que os cientistas australianos mostraram que podem imprimir estruturas semelhantes a ossos contendo células vivas.

Cientistas da UNSW Sydney desenvolveram uma tinta à base de cerâmica que pode permitir aos cirurgiões no futuro imprimir em 3D peças ósseas completas com células vivas que podem ser usadas para reparar o tecido ósseo danificado.

Usando uma impressora 3D que implanta uma tinta especial feita de fosfato de cálcio, os cientistas desenvolveram uma nova técnica, conhecida como bioimpressão omnidirecional de cerâmica em suspensões de células (COBICS), que lhes permite imprimir estruturas semelhantes a ossos que endurecem em questão de minutos quando colocado na água.

Embora a ideia de impressão 3D de estruturas que imitam ossos não seja nova, esta é a primeira vez que tal material pode ser criado em temperatura ambiente – completo com células vivas – e sem produtos químicos agressivos ou radiação, disse o Dr. Iman Roohani da Escola de Química da UNSW .

“Esta é uma tecnologia única que pode produzir estruturas que imitam o tecido ósseo”, disse ele, apontando para reparos de defeitos ósseos causados ​​por acidentes ou câncer.

O professor associado Kristopher Kilian, que co-desenvolveu a tecnologia inovadora com o Dr. Roohani, diz que o fato de que as células vivas podem fazer parte da estrutura impressa em 3D, junto com sua portabilidade, é um grande avanço na tecnologia de ponta atual .

Até agora, diz ele, fazer um pedaço de material semelhante a um osso para reparar o tecido ósseo de um paciente envolve primeiro ir a um laboratório para fabricar as estruturas usando fornos de alta temperatura e produtos químicos tóxicos.

“Isso produz um material seco que é levado para um ambiente clínico ou laboratório, onde é lavado abundantemente e, em seguida, adicionado células vivas”, diz o professor Kilian.

“O legal da nossa técnica é que você pode simplesmente extrudá-la diretamente para um lugar onde há células, como uma cavidade no osso de um paciente. Podemos ir diretamente ao osso, onde existem células, vasos sanguíneos e gordura, e imprimir uma estrutura semelhante a um osso que já contém células vivas, bem naquela área. ”

“Atualmente não há tecnologias que possam fazer isso diretamente.”

Em um artigo de pesquisa publicado recentemente na Advanced Functional Materials , os autores descrevem como desenvolveram a tinta especial em uma matriz de microgel com células vivas.

“A tinta tira vantagem de um mecanismo de fixação por meio da nanocristalização local de seus componentes em ambientes aquosos, convertendo a tinta inorgânica em nanocristais de apatita óssea mecanicamente interligados”, diz o Dr. Roohani.

“Em outras palavras, ele forma uma estrutura quimicamente semelhante aos blocos de construção óssea. A tinta é formulada de tal forma que a conversão é rápida, não tóxica em ambiente biológico e só se inicia quando a tinta é exposta aos fluidos corporais, proporcionando um amplo tempo de trabalho para o usuário final, por exemplo, cirurgiões. ”

Ele diz que quando a tinta é combinada com uma substância colágena contendo células vivas, ela permite a fabricação in-situ de tecidos semelhantes aos ossos que podem ser adequados para aplicações de engenharia de tecido ósseo, modelagem de doenças, triagem de drogas e reconstrução óssea in situ e defeitos osteocondrais.

Já existe um grande interesse de cirurgiões e fabricantes de tecnologia médica. A / Prof. Kilian pensa que ainda é cedo, esse novo processo de impressão óssea pode abrir uma nova maneira de tratar e reparar o tecido ósseo.

“Esse avanço realmente abre caminho para inúmeras oportunidades que acreditamos podem ser transformadoras – desde o uso da tinta para criar osso no laboratório para modelagem de doenças, como um material bioativo para restauração dentária, até a reconstrução óssea direta em um paciente”, diz A / Prof. Kilian.

“Imagino um dia em que um paciente que precisa de um enxerto ósseo possa entrar em uma clínica onde a estrutura anatômica de seu osso é fotografada, traduzida para uma impressora 3D e impressa diretamente na cavidade com suas próprias células.

“Isso tem o potencial de mudar radicalmente a prática atual, reduzindo o sofrimento do paciente e, por fim, salvando vidas”.

Em seguida, a dupla realizará testes in vivo em modelos animais para ver se as células vivas nas construções semelhantes a ossos continuam a crescer após serem implantadas no tecido ósseo existente.

ASSISTA o vídeo do artigo completo no UNSW …

Continuar lendo TECNOLOGIA: OSSOS VIVOS SÃO CRIADOS EM IMPRESSORA 3D POR CIENTISTAS AUSTRALIANOS

TECNOLOGIA: BATERIA DOMÉSTICA A BASE DE HIDROGÊNIO SÓLIDO É A PRIMEIRA A SUPRIR POR 3 DIAS A ENERGIA DA SUA CASA

Uma bateria doméstica que pode dar autonomia de 3 dias a uma casa no abastecimento de energia elétrica é o destaque, aqui na coluna TECNOLOGIA. Uma Startup desenvolveu o primeiro sistema de armazenamento de energia renovável movido a hidrogênio. Uma célula de combustível converte o hidrogênio armazenado de volta em eletricidade quando a bateria é ligada, com a vantagem de eliminar o risco de incêndio pelo fato de o hidrogênio ser armazenado no estado sólido. Veja mais detalhes dessa incrível descoberta lendo o artigo completo a seguir.

A primeira bateria doméstica de hidrogênio do mundo fornece energia para sua casa por 3 dias, é reciclável e não representa risco de incêndio

Com os cortes de energia no Texas atingindo as manchetes esta semana, vale a pena olhar para uma startup que desenvolveu o primeiro sistema de armazenamento de energia renovável movido a hidrogênio. Com carga total, pode fornecer eletricidade para uma casa por cerca de três dias.

Se você já disse a um amigo que queria mudar para painéis solares, pode ter recebido uma resposta sarcástica do tipo: “O que acontece quando está nublado?”

Por mais frustrante que seja ouvir, por algum tempo tem sido uma desvantagem legítima para painéis fotovoltaicos de telhado. Mas, assim como as baterias de carros elétricos melhoraram na década de 2010, as opções de armazenamento de energia solar durante a noite ou durante os períodos nublados tornaram-se rapidamente mais disponíveis.

Para residências em Nova Gales do Sul, Austrália, a LAVO está oferecendo um sistema de armazenamento de bateria verde para reter o sol nos dias mais escuros, usando um sistema inteligente de eletrólise para gerar energia a partir do hidrogênio armazenado. O material especial no qual o hidrogênio é armazenado é muito mais seguro do que as tecnologias convencionais. Tem uma vida útil de cerca de 30 anos, podendo ser reciclado.

Inovação no seu melhor

Conectado à tubulação principal de água e a qualquer painel solar fotovoltaico disponível comercialmente, a energia solar é usada para alimentar um eletrolisador para converter água em hidrogênio e oxigênio, com o primeiro indo para o material de armazenamento de hidreto patenteado, e o último simplesmente retornando para o ar.

Uma célula de combustível converte o hidrogênio armazenado de volta em eletricidade quando a bateria é ligada, e o fato de o hidrogênio ser armazenado em estado sólido, em vez de líquido ou gás, elimina o risco de incêndio normalmente considerável do material.

Do tamanho de um refrigerador doméstico e custando cerca de US $ 29.500 , a bateria de hidrogênio LAVO pode armazenar 3 vezes mais energia do que sistemas domésticos de bateria de lítio comparáveis.

Dentro da bateria está um banco de unidades destacáveis ​​que também podem ser usadas para alimentar outras máquinas elétricas a hidrogênio da LAVO – incluindo uma bicicleta e uma churrasqueira.

Porta-vozes da empresa dizem que um eco-lodge já encomendou um, enquanto a Gowings Bros, uma empresa australiana de investimentos e roupas, anunciou em janeiro que assinou contrato como investidor para a LAVO, se comprometendo a comprar 200 baterias para suas propriedades em todo o país. Avisaremos quando a tecnologia chegar ao Texas e além.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: BATERIA DOMÉSTICA A BASE DE HIDROGÊNIO SÓLIDO É A PRIMEIRA A SUPRIR POR 3 DIAS A ENERGIA DA SUA CASA

TECNOLOGIA: TÊNIS NIKE GO FLYEASE É A SOLUÇÃO PARA DEFICIENTES, GRÁVIDAS E PESSOAS ARTRÍTICAS

Um tênis revolucionário especialmente para pessoas artríticas, deficientes e grávidas é o destaque de hoje, aqui na coluna TECNOLOGIA. É um tênis totalmente mãos-livres, no estilo Homem de Ferro, específico para quem não pode usar as mãos para calçá-lo. Um lançamento da Nike, a maior empresa mundial de calçados esportivos e roupas esportivas e deve estar no mercado muito em breve. Leia o artigo completo a seguir e saiba de todos os detalhes.

A Nike fez um tênis viva-voz para que pessoas artríticas, deficientes e grávidas possam entrar facilmente

Por mais que a Nike tenha revolucionado o calçado, seu mais recente inovador é uma opção projetada não para atletas de elite, mas para atender a uma necessidade específica que não foi abordada.

Chamado de Flyease Go, é o primeiro calçado totalmente mãos-livres, envolvendo e liberando seus pés apenas por meio de movimentos naturais – um pouco como Tony Stark vestindo seu terno do Homem de Ferro .

O sapato revolucionário é perfeito, diz um estilista da Nike, para mulheres grávidas no terceiro trimestre, pacientes com artrite ou aquelas que perderam parte ou todo o uso de seus braços – como vítimas de derrame ou veteranos militares feridos.

Em um artigo animado na Fast Company , o designer da Nike Tobie Hatfield contou a história de como, em 2008, a maior empresa mundial de calçados esportivos e roupas esportivas recebeu a infeliz notícia de que seu primeiro funcionário havia sofrido um derrame e não podia mais usar um dos braços .

Hatfield foi encarregado de projetar um sapato especial para acomodar um de seus membros mais valiosos da equipe e criou um envolvendo um zíper e velcro.

Agora, a gênese dessa ideia levou à criação do Flyease Go, um “tênis de estilo de vida de desempenho diário”, que é totalmente mãos-livres e será lançado em um lançamento lento este ano a partir de US $ 120.

Desenho universal

Dividido em duas metades restringidas por uma banda de tensão de neoprene, mas com uma dobradiça limitada de dois estágios no meio da sola, o chinelo ou parte da frente semelhante a um mocassim do sapato se arqueia em um ângulo de 30 graus conforme a dobradiça se abre quando o sapato não está sendo usado.

O calcanhar dobra da mesma forma, mas na direção oposta, e quando o pé é inserido na frente semelhante a um mocassim, um simples movimento de pressão fecha a dobradiça, reapertando a faixa de neoprene e puxando as duas metades juntas, confortavelmente em torno de seus pés.

No passado, a Nike se inspirou nos titãs do atletismo humano – Mohammed Salah, LeBron James e outros – mas aqui eles se inspiraram em um dos movimentos biomecânicos mais icônicos e universais de nossa espécie.

O salto traseiro do sapato tem uma concha de plástico rígido, terminando em uma pequena saliência, chamada de “salto de suporte”, que é o mecanismo de mãos livres para abrir a dobradiça e se baseia no movimento que todos fazemos com nossos tênis quando não temos vontade de desamarrar os laços.

Você sabe o que queremos dizer, quando você pressiona a parte de trás do calcanhar com um pé para puxá-lo para fora do sapato.

“O que adoro neste sapato em particular é que ouvimos as necessidades extremas de [pessoas com limitações específicas]”, disse Sarah Reinertsen, diretora sênior da Nike Ease, à Fast Company . “Mas, com esta solução, sentimos que é uma proposta universal.”

“Falamos muito sobre design universal e o que o design universal faz quando cria um convite para todo e qualquer atleta”, disse também o diretor de design John Hoke. “E quando resolvemos esse problema realmente, muito, bem – como eu acho que o Nike Go faz – cria um apelo universal. Não será limitado por um público único. Recebe qualquer público porque é muito inteligente. ”

ASSISTA ao vídeo da Nike abaixo para ir ‘por trás do design’.)

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: TÊNIS NIKE GO FLYEASE É A SOLUÇÃO PARA DEFICIENTES, GRÁVIDAS E PESSOAS ARTRÍTICAS

TECNOLOGIA: BATERIAS QUE CARREGAM EM 5 MINUTOS PODEM REVOLUCIONAR MERCADO DO CARRO ELÉTRICO

Uma das principais barreiras à entrada de veículos elétricos pode desaparecer, O longo tempo de recarga das baterias. Este é o destaque, aqui na coluna TECNOLOGIA desta sexta-feira. É que uma startup israelense passou a produzir em massa baterias de automóveis que podem fornecer 160 quilômetros de carga em apenas cinco minutos, ou seja, é como abastecer um carro a gasolina. Leia o artigo completo a seguir e conheça a TECNOLOGIA que permitiu esse up grade na evolução do carro elétrico!

Novas baterias de carros elétricos podem ser totalmente carregadas em 5 minutos, como abastecer seu carro com gasolina, se carregadores melhores estiverem no lugar

Uma das principais barreiras à entrada de veículos elétricos pode desaparecer, já que uma startup israelense está agora produzindo em massa baterias de automóveis que podem fornecer 160 quilômetros de carga em apenas cinco minutos.

StoreDot

A empresa inovadora StoreDot , que forneceu versões de carga rápida de baterias de íon de lítio para telefones e scooters, agora se empanturrou de milhões em dólares de investimento e tirou 1.000 baterias de automóveis de uma linha de montagem chinesa.

A descoberta substitui o ânodo de grafite que causa problemas ao tentar forçar a energia para a bateria. Os íons de lítio ficam congestionados por meio desse método, antes de se transformarem em metal e, em seguida, causar um curto na bateria.

O StoreDot substitui o grafite pelo silício, o que não apenas contorna esse problema, mas reduz os custos, pois o silício é muito mais barato. A safra atual de mil baterias usa germânio, que também é à prova d’água, e as de silício são esperadas para o final do ano.

A Tesla e seu fundador Elon Musk gostaram da ideia e, portanto, montaram um centro de pesquisa e desenvolvimento em Israel para aproveitar as inovações que saíam do StoreDot, que foi nomeado pela Bloomberg como o vencedor do New Energy Finance Pioneers para 2020.

Depois que a inovação constante derrubou o preço do carro elétrico na década de 2010, o obstáculo final para a adoção generalizada que permanece é a velocidade de carregamento e os pontos de carregamento.

A British Petroleum (BP) investiu US $ 20 milhões nas baterias StoreDot, embora mantenha 18.200 postos de gasolina no Reino Unido. De acordo com Doron Myersdorf, CEO da StoreDot, “eles [BP] entendem que daqui a 10 anos, todas essas estações estarão obsoletas se não as reaproveitarem para carregamento – as baterias são o novo óleo”.

Atualmente, as estações de carregamento de bateria não podem fornecer a eletricidade necessária para carregar uma bateria StoreDot totalmente em cinco minutos, o que significa que a bola está nas quadras das estações de energia para atualizar sua tecnologia. No entanto, cinco minutos ainda preencherão um com 100 milhas, o que para a maioria dos usuários é suficiente.

As forças do mercado criam as melhores inovações

À medida que os custos sociais e fiscais de fabricação de carros a gasolina e a diesel aumentaram, todos os gigantes automotivos começaram a jogar fora os veículos elétricos (VEs) para amenizar os temores dos acionistas e éditos políticos.

À medida que as empresas lutavam para frente e para trás, a tecnologia de bateria começou a seguir o exemplo, com tempos de carga reduzidos, intervalos maiores e – aprendendo com o caso do Fisker Karma – tentando ser menos inflamável.

StoreDot é um dos vários inovadores de bateria que está atraindo muito dinheiro para seus novos produtos.

Outra é a QuantumScape, que não produz baterias de íon-lítio, mas sim baterias de estado sólido. Agora no valor de $ 3,3 bilhões, QuantumScape substitui o lítio líquido por material cerâmico sólido, fornecendo densidade de energia muito maior, custos mais baixos e muito menos riscos de incêndio.

No entanto, a bateria da QuantumScape vai de 0% de carga a 80% em 15 minutos, o que, embora seja rápida, não é de cinco minutos, e por isso existe um problema para seus acionistas.

Enquanto esses dois produtores – um apoiado por Bill Gates e Volkswagen, o outro pela Tesla e BP – lutam por participação de mercado, as inovações criadas em sua concorrência provavelmente produzirão o “Chevrolet V8 de bloco pequeno” ou o “Boxer flat-seis da Porsche” ”Ou seja, a bateria que definirá a primeira era de ouro dos EVs.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: BATERIAS QUE CARREGAM EM 5 MINUTOS PODEM REVOLUCIONAR MERCADO DO CARRO ELÉTRICO

TECNOLOGIA: ARABIA SAUDITA INVESTE EM CIDADE REVOLUCIONÁRIO DE ZERO CARBONO

Uma cidade de carbono zero é o destaque, aqui na coluna TECNOLOGIA desta sexta-feira. Apesar do regime autoritário e ditatorial da Arábia Saudita está entregando ao mundo um exemplo válido de vida futura. Uma cidade revolucionária de zero carbono e tráfego zero para mais de um milhão de pessoas , abrangendo 105 milhas e apresentando tecnologia futurista. É algo extraordinário que você não pode deixar de tomar conhecimento, pois é a cidade que já vimos em filmes de ficção e agora vai virar realidade. Portanto, leia o artigo completo a seguir e assista ao vídeo mostrando como vai ser essa cidade futurista! 

A Arábia Saudita está construindo uma cidade de carbono zero, sem carros ou poluição: ‘Uma nova era de civilização’

Embora nem sempre seja um modelo de justiça social, liberdade ou democracia, a Arábia Saudita está entregando ao mundo um exemplo válido de vida futura: conforme é anunciado, planos para construir uma cidade revolucionária de zero carbono e tráfego zero para mais de um milhão de pessoas , abrangendo 105 milhas e apresentando tecnologia futurista.

O príncipe saudita, Mohammed bin Salman, disse em um anúncio que a cidade, chamada de The Line por sua forma longa e estreita e rota ao longo da costa, preservará 95% do ambiente natural dentro e ao redor do qual é construída, e será um cenário econômico motor para o Reino.

“Precisamos transformar o conceito de uma cidade convencional em futurista”, disse o príncipe Mohammed em um evento de lançamento da cidade, segundo o  Arab News

“Em 2050, um bilhão de pessoas terão que se mudar devido ao aumento das emissões de CO2 e do nível do mar. 90 por cento das pessoas respiram ar poluído. ”

A construção está prevista para começar no primeiro trimestre deste ano. Eventualmente, está planejado que uma rede de 105 milhas de transporte automatizado operado por IA transportará uma população futura através de quatro distritos distintos (litoral, deserto costeiro, montanhas e vale superior) no canto noroeste do Reino, na costa do Mar Vermelho.

O custo desta maravilha tecnológica onde não haverá carros, ruas e poluição, e onde o sol e o vento irão gerar quase toda a eletricidade, está entre $ 100 bilhões e $ 200 bilhões, muitos dos quais virão de fundos domésticos, e o resto de investimento estrangeiro, tanto de empresas que desejam uma participação na cidade do futuro, quanto de empresas que buscam mostrar inovação tecnológica.

Na verdade, US $ 1,5 bilhão deve ser despejado apenas da tecnologia da informação em nuvem. Os dados são a fonte central em torno da qual o NEOM e a The Line serão planejados, como o economista saudita Mazen Al-Sudairi descreveu ao Arab News , a  maioria das grandes cidades do mundo são organizadas em torno do fluxo de água e do posicionamento das safras, enquanto a The Line será planejado em torno do acesso aos dados.

Todos os membros da realeza saudita apoiaram o projeto, com o ministro da Educação, Hamad bin Mohammed Al-Asheikh, descrevendo-o como “caracterizado pelos princípios da humanidade global, diversidade econômica e inteligência artificial, e o aumento das oportunidades de pesquisa e inovação para o indústria do futuro. ”

A caminhada definirá a vida na Linha, com planejadores supostamente trabalhando para garantir que educação, transporte e instalações médicas, locais de compras e lazer, bem como áreas verdes estejam entre 5 e 15 minutos a pé de qualquer ponto nas comunidades da Linha.

“É uma nova era de civilização, um novo modelo de cidade limpa, adequada e com zero de carbono”, disse Al-Sudairi.

ASSISTA o vídeo sobre The Line abaixo).

 

Continuar lendo TECNOLOGIA: ARABIA SAUDITA INVESTE EM CIDADE REVOLUCIONÁRIO DE ZERO CARBONO

TECNOLOGIA: O FAMOSO BOULEVARD CHAMPS-ÉLYSÉES VAI PASSAR POR UMA EXTRAORDINÁRIA REVITALIZAÇÃO

Um projeto futurista e audacioso é o destaque da nossa coluna TECNOLOGIA. O icônico Boulevard Champs-Élysées será transformado em um ‘jardim extraordinário’, graças a concordância da prefeita de Paris, Anne Hidalgo. O upgrade custará US $ 300 milhões para recuperar o esplendor da lendária Cidade Luz. Leia o artigo completo a seguir, conheça os detalhes e assista ao vídeo!

Veja o upgrade de Paris para o icônico Boulevard Champs-Élysées com um ‘jardim extraordinário’

 

A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, concordou com um projeto de restauração de quase US $ 300 milhões para os Champs-Élysées, a famosa avenida no coração da Cidade das Luzes.

O sinal verde chega mais de um ano depois que arquitetos, líderes comunitários e empresas revelaram planos para transformar o trecho de 1,2 milhas da estrada em um “jardim extraordinário”.

Para conseguir este jardim, o plano é reduzir o espaço de estacionamento pela metade, converter estradas em espaços de pedestres, plantar túneis de árvores ao lado de velhos olmos plantados em dias longínquos, que lutam para sobreviver no ar poluído, e geralmente criam mais verde espaços.

“A lendária avenida perdeu seu esplendor durante os últimos 30 anos”, disse um comunicado do comitê da Champs-Élysées em 2019. “A Champs-Élysées tem cada vez mais visitantes e grandes empresas lutando para estar lá, mas para Franceses, está parecendo desgastado. ”

A Champs-Élysées é um lugar onde os parisienses celebram há muito tempo: quando os nazistas foram expulsos, quando Les Bleu ganhou a Copa do Mundo FIFA 2018 e para o desfile anual do Dia da Bastilha.

Antes da pandemia de COVID-19, 100.000 pedestres, mais da metade dos quais eram turistas, gostavam de passear aqui, enquanto o tempo todo mais carros passavam pelo boulevard do que no anel viário de Paris.

O arquiteto Philippe Chiambaretta, cuja empresa está cuidando da reforma, descreveu as questões para o The Guardian como características de todos os problemas enfrentados pela Paris moderna: “poluição, o lugar do carro, turismo e consumismo”. Ele continuou explicando que a Champs-Élysées precisava ser reconstruída em algo “ecológico, desejável e inclusivo”.

Reforma parisiense

Prestação de obras de requalificação planeada dos Champs-Élysées, PCA-StreamOs historiadores da empresa de arquitetura PCA-Stream de Chiambaretta remontam a uma época em que a Champs-Élysées era, embora difícil de acreditar, um pântano e uma área para cozinhar ao ar livre. Então, em meados de 1700, a Champs-Élysées tornou-se o arquetípico passeio europeu.

“A Champs-Élysées acomodou pessoas de todas as classes sociais, bem como todos os tipos de atividades, tanto plebeus quanto eruditas”, explica o artigo . “Sua história é pontuada pela instalação de cafés-concertos, espetáculos de marionetes, bailes – que testemunharam o nascimento do cancan francês -, campos de jogos de bola e pau e assim por diante.”

Hoje, além de tipificar os problemas enfrentados pelo parisiense médio, tipifica os problemas do turismo de massa, ou seja, que o senso de localidade desaparece e o lugar começa a ser “amado até a morte”.

Embora a reforma não esteja completa antes dos Jogos Olímpicos de Verão de 2024 em Paris, uma tentativa de embelezar e repensar outro local famoso, a Place de la Concorde, no extremo sudeste da Champs-Élysées, está programada para ser concluída antes disso.

Outra parte da cidade também receberá um pouco do amor – a famosa torre de Eiffel, que Hidalgo promete transformar em um “parque extraordinário no coração de Paris”. A Champs-Élysées não jogará fora seu tráfego poluente até perto de 2030.

ASSISTA o vídeo de como os futuros Champs-Élysées poderiam ser abaixo.)


Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: O FAMOSO BOULEVARD CHAMPS-ÉLYSÉES VAI PASSAR POR UMA EXTRAORDINÁRIA REVITALIZAÇÃO

TECNOLOGIA: COVID DATA TRACKER É A NOVA FERRAMENTA PARA RASTREAR A DISTRIBUIÇÃO DAS VACINAS CONTRA COVID-19

Uma ferramenta incrível que vai rastrear a distribuição de vacinas contra a Covid-19 é o destaque, aqui da coluna TECNOLOGIA deste sábado. Você vai pode acompanhar em tempo real todo os números referentes a distribuição das vacinas no seu estado ou região através do  COVID Data Tracker dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, que possui um mapa interativo que inclui contagens estado a estado. No final desta postagem você pode acessar a ferramenta através do link.

O rastreador de distribuição de vacinas COVID-19 permite que você veja para onde as doses nos EUA estão indo

Se você gostaria de ver a rapidez com que as vacinações estão progredindo em seu estado, o COVID Data Tracker dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças possui um mapa interativo que inclui contagens estado a estado.

No site, você verá dados do número total de vacinas distribuídas, bem como o número total de pessoas que receberam a primeira dose. Outro painel de dados mostra a distribuição em instalações de cuidados de longo prazo, que são priorizadas nas diretrizes atuais de vacinação dos Estados Unidos.

Na quinta-feira, você pode ver no mapa do CDC que os estados que receberam a maioria das doses per capita até agora são: New Hampshire, Connecticut, DC, Alasca, West Virginia, Kentucky, Tennessee, Oklahoma, Novo México, Colorado, Iowa , Nebraska, Dakota do Sul, Dakota do Norte e Montana.

Ao todo, de acordo com o CDC, mais de 21 milhões de doses foram distribuídas.

Os dados vêm de provedores de saúde e espera-se que os dados no site do CDC sejam atualizados três vezes por semana: às segundas, quartas e sextas-feiras.

Continuar lendo TECNOLOGIA: COVID DATA TRACKER É A NOVA FERRAMENTA PARA RASTREAR A DISTRIBUIÇÃO DAS VACINAS CONTRA COVID-19

TECNOLOGIA: FAZENDO AMIZADES AUTÊNTICAS É O NOVO APLICATIVO PARA PESSOAS ESPECIAIS

Um novo aplicativo Batizado de Fazendo Amizades Autênticas é o destaque desta edição da coluna TECNOLOGIA. Juliana Fetherman, uma americana de Connecticut, desenvolveu um aplicativo para conectar pessoas maiores de 13 anos com necessidades especiais para que possam fazer amigos com base na idade, diagnóstico, interesse e localização geográfica, de acordo com a KING 5 news, por causa do seu irmão autista. Você pode conhecer todos os detalhes desse aplicativo irado lendo o artigo completo a seguir!

Inspirado no irmão com autismo, o novo aplicativo ajuda adultos com necessidades especiais a fazer amigos

O irmão de Juliana Fetherman, de 22 anos, tem autismo e TDAH e tem se sentido muito solitário devido à falta de amigos.

Michael não tem habilidades sociais para conhecer e se envolver com novas pessoas e isso a incomoda por um longo tempo – então ela fez um aplicativo para isso.

Batizado de Fazendo Amizades Autênticas, o aplicativo pode conectar pessoas maiores de 13 anos com necessidades especiais para que possam fazer amigos com base na idade, diagnóstico, interesse e localização geográfica, de acordo com a KING 5 news .

O aplicativo, disponível para dispositivos Android e iOS, agora atende comunidades em todos os 50 estados, bem como em 45 países.

Juliana, que recentemente obteve um MBA em uma universidade de Connecticut, diz que está se comprometendo a dedicar “toda a sua vida” para “melhorar a vida de pessoas com autismo e outras necessidades especiais”.

ASSISTA o vídeo abaixo – e aprenda mais em seu site, Fazendo Amizades Autênticas .

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: FAZENDO AMIZADES AUTÊNTICAS É O NOVO APLICATIVO PARA PESSOAS ESPECIAIS

TECNOLOGIA: TIJOLOS DE COGUMELOS PARA EDIFICAÇÕES DE CRESCIMENTO RÁPIDO, SÃO MAIS FORTE DO QUE CONCRETO

Um designer da área da baía acha que pode fazer um edifício de crescimento rápido se ele apenas produzir o suficiente de seus “tijolos de cogumelo” patenteados. ele usa o micélio, as raízes fibrosas de crescimento rápido que constituem a grande maioria das formas de vida dos fungos. O micélio cresce rápido e é incrivelmente durável, à prova d’água, não tóxico, resistente ao fogo e biodegradável. Leia o artigo completo a seguir para conhecer essa incrível obra de engenharia!

Stanford Designer está fazendo tijolos para edifícios de crescimento rápido com cogumelos que são mais fortes do que concreto

 

 

Embora não haja nenhuma espécie de cogumelo grande o suficiente para viver, um designer da área da baía acha que pode fazer um se ele apenas produzir o suficiente de seus “tijolos de cogumelo” patenteados.

Copyright Philip Ross, Mycoworks 

Na verdade, ele sabe que pode fazer isso, porque já construiu uma obra-prima chamada “Mycotecture” – um arco de tijolo em formato de cogumelo 6 × 6 de Ganoderma lucidum  ou cogumelos reishi.

Phil Ross não usa o cogumelo, ou o corpo frutífero do reishi; ele usa o micélio, as raízes fibrosas de crescimento rápido que constituem a grande maioria das formas de vida dos fungos.

O micélio cresce rápido e é incrivelmente durável, à prova d’água, não tóxico, resistente ao fogo e biodegradável.

Ross o usa para construir tijolos cultivando micélio em sacos de deliciosa serragem (para cogumelos), antes de secá-los e cortá-los com lâminas de aço extremamente resistentes.

Isso funciona porque os cogumelos digerem a celulose da serragem, convertendo-a em quitina, a mesma fibra de que são feitos os exoesqueletos de insetos.

“Os tijolos têm a sensação de um material composto com um núcleo de polpa esponjosa de grão cruzado que se torna progressivamente mais denso em direção à sua camada externa”, explicou a Revista Discover . “A pele em si é incrivelmente dura, resistente a estilhaços e pode suportar enormes quantidades de compressão.”

Copyright Philip Ross, Mycoworks 

Um site de design / arquitetura descreveu esses tijolos em forma de cogumelo como “mais fortes do que concreto”, enquanto outro cita Ross em uma entrevista sugerindo que eles poderiam substituir todos os tipos de materiais de construção de polímero plástico.

Na verdade, os designers já usaram o micélio para fazer chapéus de pano, canoas dignas do mar e caixões ecológicos . O próximo plano de Ross, de acordo com a mesma entrevista, é construir uma casa inteira para 12-20 pessoas com micélio reishi.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: TIJOLOS DE COGUMELOS PARA EDIFICAÇÕES DE CRESCIMENTO RÁPIDO, SÃO MAIS FORTE DO QUE CONCRETO

TECNOLOGIA: UMA TECNOLOGIA RUDIMENTAR PARA PRODUZIR MÁSCARAS HIGH TECH

Criatividade é  a palavra chave da edição desta terça-feira da coluna TECNOLOGIA. Muitas soluções de assuntos aparentemente complexos podem ser simples e inacreditavelmente baratas. É o caso da descoberta do aluno de pós-graduação em física que criou a máscara facial mais eficaz, a N95, com pouco mais do que um aceno de mão. Ele utilizou uma máquina de algodão doce,  para criar máscaras faciais de maneira mais barata e rápida do que qualquer outro processo industrial utilizado atualmente. Mahesh Bandi, da Universidade de Pós-Graduação do Instituto de Ciência e Tecnologia de Okinawa é o herói dessa façanha.

Físico usa uma máquina de algodão doce para fazer filtros respiratórios para máscaras N95 mais baratos

 

 

Um aluno de pós-graduação em física está criando a máscara facial mais eficaz, a N95, com pouco mais do que um aceno de mão.

Usando uma máquina de algodão doce, Mahesh Bandi, da Universidade de Pós-Graduação do Instituto de Ciência e Tecnologia de Okinawa, pode criar máscaras faciais de maneira mais barata e rápida do que qualquer outro processo industrial utilizado atualmente.

Isso porque os filtros de espuma de plástico eletrocharged exclusivos, mas caros, que caracterizam um N95 podem ser feitos retirando pedaços de plástico comum de objetos como garrafas de água e sacolas de compras, aquecendo-os a uma temperatura alta e girando-os em uma máquina de algodão doce até que eles formar uma malha.

A malha torna-se eletricamente carregada – o aspecto principal que permite filtrar 95% das partículas – enquanto gira em torno do tambor de metal da máquina e pode ficar mais eletro-pegajosa depois que Bandi corta a malha em quadrados e os coloca no ventilação de um ionizador de ar.

Funcionamento de Bandi, OIST 

A análise microscópica e as comparações com máscaras N95 certificadas mostram que os filtros da Bandi são tão eficazes quanto impedir que partículas estranhas, incluindo vírus SARS-CoV-2, sejam inaladas.

Nos primeiros dias da pandemia, especialistas médicos deixaram claro que máscaras de pano, feitas em casa ou não, ou máscaras cirúrgicas padrão, não eram um método de proteção muito eficaz, mas que os N95s, as máscaras usadas por pessoas que realmente precisam manter a boca e nariz seguro, como trabalhadores de amianto, eram uma ferramenta seriamente eficaz.

O design da máscara exigiu uma impressora 3D para ser criado e, embora não esteja claro se o produto pode ser produzido em massa, o artigo correspondente de Bandi nos Proceedings of the National Academy of Sciences é uma prova de conceito fascinante.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: UMA TECNOLOGIA RUDIMENTAR PARA PRODUZIR MÁSCARAS HIGH TECH

TECNOLOGIA: VOCÊ VAI PODER VER A CONJUNÇÃO DE JUPTER E SATURNO EM 21 DE DEZEMBRO. ALGO QUE SÓ ACONTECE A CADA 800 ANOS!

Uma conjunção planetária que só acontece a cada 800 anos vai acontecer no próximo dia 21 de dezembro e poderá ser observada por quem tiver acesso a um telescópio. Os planetas jupter e saturno parecerão mais próximos um do outro do que em oito séculos.

Uma ‘estrela de Natal’ rara chegará em dezembro pela primeira vez em 800 anos

Joe Yates

Olhe para o céu noturno no solstício de inverno deste ano e você terá uma visão rara. Em 21 de dezembro, Júpiter e Saturno aparecerão mais próximos um do outro do que em oito séculos.

Os alinhamentos entre os planetas, conhecidos como ‘conjunção’, são “bastante raros”, explicou o astrônomo da Rice University, Patrick Hartigan, em um comunicado , “mas essa conjunção é excepcionalmente rara por causa da proximidade dos planetas”.

A última vez que esses gigantes gasosos apareceram tão de perto, com uma separação visível de apenas 0,1 grau, foi na Idade Média: antes do amanhecer de 4 de março de 1226.

Claro, o aparecimento da ‘Estrela do Natal’ ou ‘Estrela de Belém’ – assim chamada porque a proximidade dos planetas cria um ponto de luz brilhante – é um fenômeno observado apenas da Terra. Na realidade, Júpiter e Saturno permanecem separados por milhões de quilômetros.

Onde ver a ‘estrela de natal’

Saturno e Júpiter têm se aproximado cada vez mais um do outro desde o verão de 2020.

Vale a pena reservar um tempo para procurar esses planetas nas próximas noites. “Você pode assistir [os planetas] se moverem, o que é super legal, porque você está realmente vendo planetas em órbita” Hartigan disse ao USA Today , e observar o par se juntando antes da noite do solstício tornará a identificação deles um pouco mais fácil no dia 21.

Embora visível em todo o mundo, o melhor lugar para ver a conjunção é perto do equador, entre o anoitecer e logo após o anoitecer, quando o céu está escuro o suficiente para que Saturno apareça mais fraco, mas quando não é tão tarde para que os planetas tenham se movido abaixo o horizonte para a noite.

Olhando para baixo no horizonte ocidental, no solstício de inverno, os dois planetas parecerão estar separados por menos de um quinto do diâmetro de uma lua cheia.

Se você puder acessar um telescópio, várias das maiores luas dos planetas também serão visíveis no mesmo campo de visão naquela noite.

Se estiver nublado onde você está em 21 de dezembro? Júpiter e sábado ainda parecerão mais próximos um do outro durante a semana próxima ao solstício. E se você perder o fenômeno completamente? Sempre há 15 de março de 2080. É quando a próxima conjunção próxima dos planetas deve ocorrer.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: VOCÊ VAI PODER VER A CONJUNÇÃO DE JUPTER E SATURNO EM 21 DE DEZEMBRO. ALGO QUE SÓ ACONTECE A CADA 800 ANOS!

TECNOLOGIA: FAZENDAS VERTOCAIS PRODUZ 350 VEZES MAIS MELHOR DO QUE AS PLANAS

Cada vez me impressiono mais com a velocidade com que a TECNOLOGIA, em praticamente todos os setores, está evoluindo. Faz tempo que vejo essa evolução se processar na indústria de uma maneira geral. Por exemplo, há 30 anos os teares mecânicos foram substituídos por teares mecatrônicos. Os teares mecânicos precisavam de 02 homens por turno para operá-los. Os mecatrônicos de um homem para cada 6 teares por turno e com uma velocidade 9 vezes maior. Agora estamos vendo uma fazenda vertical de 2 acres produzir mais do que uma fazenda plana de 750 acres, com uma economia de 95% da água consumida. Os números são exponenciais e não param de crescer. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes dessa incrível evolução tecnológica!

Esta fazenda vertical de 2 acres produz mais do que ‘fazendas planas’ que usam 750 acres

Abundância

 

Outra startup de agricultura vertical de enorme sucesso está empurrando o futuro da agricultura para o céu, literal e figurativamente.

De uma startup ag-tech chamada Plenty , uma fazenda vertical interna de dois acres produz rendimentos que normalmente exigiriam uma ‘fazenda plana’ de 720 acres – e isso pode ser feito com 95% menos água.

Economizar água é fundamental em um estado agrícola como a árida Califórnia, onde Plenty deve fornecer produtos frescos para 430 supermercados Albertsons.

A visão é verdadeiramente única de Star Trek, com o uso de robótica e inteligência artificial de Plenty para garantir plantas perfeitas durante todo o ano.

As razões para apoiar a agricultura vertical interna são variadas, variando de benefícios relacionados ao clima à remoção de desafios logísticos complicados, como transporte de longa distância.

O site da empresa diz que a tecnologia “libera‌ ‌agricultura‌ ‌de‌ ‌as ‌estrições‌ ‌de‌ ‌tempo, ‌ ‌estações, ‌ ‌tempo, ‌ ‌distância, ‌ ‌pestes, ‌ ‌ ‌desastres naturais e‌ ‌estações do clima‌ extraordinariamente ‌‌ e tempo.

Talvez seja por isso que a Driscoll’s, os maiores produtores de frutas frescas da América, concordou em cultivar seus morangos o ano todo no portfólio crescente de fazendas verticais da Plenty.

E os investidores estão vendo o potencial de semear suas próprias carteiras com a Plenty.

O método da empresa para o cultivo de verduras, como couve-bebê e alface, em racks verticais gigantes movidos pela robótica recentemente acumulou $ 400 milhões em capital de investimento de empresas como SoftBank , CEO da Amazon, Jeff Bezos, e o ex-presidente do Google, Eric Schmidt.

Hora de crescer

As reduções nas cadeias de transporte eliminariam milhões de toneladas de CO2 todos os anos, uma vez que, em vez de importar produtos para os centros das cidades de fazendas em todo o país ou no mundo, você poderia encomendá-los de um depósito na periferia da cidade.

Além disso, as fazendas da Plenty’s cultivam safras não transgênicas sem o uso de pesticidas ou herbicidas e reciclam cada gota de água que não é usada, tornando-as extremamente amigáveis ​​ao meio ambiente – exceto pelo uso de energia.

Banhado por luzes LED que imitam a luz do sol em espaços climatizados durante todo o ano, Plenty garante que o crescimento da produção nunca pare para criar surpreendentes 350 vezes mais alimentos por acre.

MAIS:  A maior estufa de telhado do mundo em Montreal é tão grande quanto 3 campos de futebol – agora pode alimentar 2% da cidade

Quebras na cadeia de suprimentos resultantes do COVID-19 e interrupções naturais como os incêndios florestais deste ano na Califórnia demonstram que a necessidade de um fornecimento previsível e durável de produtos só pode vir da agricultura vertical.

Isso será ainda mais importante se o aquecimento contínuo do planeta levar a secas ou outras perturbações relacionadas ao clima que não podem ser superadas por fazendeiros e biólogos que tentam tornar as safras mais resistentes ao clima e à seca.

“A realidade é que existem cinco lugares no mundo onde você pode cultivar frutas e vegetais frescos de forma realmente econômica, e toda essa terra está esgotada neste momento”, disse Nate Storey, cofundador da Plenty em uma entrevista à Forbes , referindo-se às terras agrícolas mais ricas e produtivas do planeta.

Além disso, vegetais e frutas contêm muito mais micronutrientes do que cereais, mas também se deterioram rapidamente e, portanto, são mais caros. Nações e cidades do interior que têm que importar todos os produtos frescos colocam os mais pobres da sociedade em extrema desvantagem nutricionalmente falando.

A agricultura vertical pode ser a maneira de resolver esse problema permanentemente.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: FAZENDAS VERTOCAIS PRODUZ 350 VEZES MAIS MELHOR DO QUE AS PLANAS

TECNOLOGIA: CONTAR AS ARVORES DE TODO O PLANETA AGORA JÁ É POSSÍVEL E A NASA UTILIZA SUPERCOMPUTADORES E IA PARA REALIZAR

O desenvolvimento tecnológico já permite que o pessoal da NASA utilize supercomputadores para contar todas as arvores do planeta terra, através de imagens de cima para baixo do espaço. Mais de 1,8 bilhão de árvores foram encontradas fora das florestas, em uma área de mais de meio milhão de milhas quadradas. É por isso que a equipe da NASA procurou se concentrar em árvores isoladas em terras áridas e regiões semi-áridas na África Ocidental. Então saiba em detalhes como essa nova tecnologia está sendo usada, inclusive para calcular quanto carbono a Terra pode armazenar e como ele muda com o tempo.

NASA usa supercomputadores e IA para contar as árvores da Terra a partir do espaço pela primeira vez

NASA

Para ter uma noção de quanto carbono a Terra pode armazenar e como ele muda com o tempo, os cientistas precisariam contar um número surpreendente de árvores e monitorar seu crescimento ao longo do tempo. Incrivelmente, o pessoal da NASA agora está usando supercomputadores para fazer exatamente isso – por meio de imagens de cima para baixo do espaço.

Cientistas do Goddard Space Flight Center da NASA em Maryland recentemente fizeram parceria com uma equipe internacional de pesquisadores para mapear as árvores usando imagens de satélite de alta resolução – mais de 1,8 bilhão de árvores encontradas fora das florestas, em uma área de mais de meio milhão de quadrados milhas.

A equipe usou um dos supercomputadores mais rápidos do mundo (Blue Waters na Universidade de Illinois) para realizar uma análise de “aprendizado profundo” em imagens de terreno de grandes partes da África Ocidental. Eles descobriram que podiam não apenas contar as árvores que os satélites não conseguiam ver antes, mas também começar a avaliar o potencial de armazenamento de carbono dessas árvores ao mesmo tempo.

Muitos dos esforços mundiais para avaliar um grande número de árvores têm se concentrado em regiões bem florestadas. É por isso que a equipe da NASA procurou se concentrar em árvores isoladas em terras áridas e regiões semi-áridas na África Ocidental – para uma imagem mais completa.

“Essas áreas secas são brancas nos mapas – elas estão basicamente mascaradas porque os satélites normais simplesmente não veem as árvores”, disse o autor principal Martin Brandt em um comunicado . “Eles veem uma floresta, mas se a árvore está isolada, eles não veem. Agora estamos no caminho para preencher essas manchas brancas nos mapas. E isso é muito emocionante. ”

Para treinar os algoritmos de aprendizado de máquina, Brandt, um professor assistente de geografia da Universidade de Copenhagen, marcou pessoalmente cerca de 90.000 árvores em diferentes terrenos – dando ao software diferentes formas e sombras para aprender a diferença. A equipe também treinou seus algoritmos para reconhecer árvores individuais e pequenos aglomerados em diferentes tipos de terreno, variando de savanas a desertos, e publicou seu novo estudo  na Nature.

Com o treinamento certo implementado, um trabalho que pode ter levado vários anos para olhos treinados levou apenas algumas semanas para a inteligência artificial.

A equipe foi capaz de mapear o diâmetro da copa (a largura de uma árvore vista de cima) de 1,8 bilhões de árvores, abrangendo uma área de mais de 500.000 milhas quadradas (1,3 km quadrados). Eles também compararam a variabilidade na cobertura e densidade das árvores sob diferentes padrões de chuva – informações que a equipe planeja comparar com os próximos dados de altura e biomassa das árvores para identificar o potencial de armazenamento de carbono.

No futuro, avaliações desse tipo rastrearão de maneira mais eficaz o desmatamento em todo o mundo para os conservacionistas. Os dados gerais de um ano também serão comparados aos anos posteriores para que os cientistas avaliem se os esforços de conservação estão funcionando ou não.

A contagem de árvores precisa e automatizada também deve aumentar a capacidade dos proprietários de monetizar o espaço não utilizado que possam ter para o plantio de novas árvores – para quantificar quanto carbono estão armazenando para os créditos de carbono.

Em última análise, melhorar a capacidade dos pesquisadores de localizar árvores onde antes não podiam com imagens de satélite – e medir o armazenamento de carbono dessas árvores – acabará permitindo que os cientistas do clima façam medições globais do armazenamento de carbono na terra. Essa será uma ferramenta vital em um mundo onde armazenar nosso excesso de carbono está se tornando cada vez mais crucial.

ASSISTA um vídeo da NASA sobre a descoberta …

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: CONTAR AS ARVORES DE TODO O PLANETA AGORA JÁ É POSSÍVEL E A NASA UTILIZA SUPERCOMPUTADORES E IA PARA REALIZAR

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho