Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

REFLEXÃO: QUANTO PESA ESSE COPO? UMA CURTA HISTÓRIA, POR CAMILA ZEN

Uma história que nos convida a ver os nossos problemas por um ângulo um pouco inusitado. Segurar um problema sem trégua, indefinidamente é o mesmo que segurar um copo com água por um dia inteiro ou até mesmo dias. Quanto mais tempo você passa com ele na mão mais ele parece pesar. E aí, por quanto tempo você tem segurado o copo? Assista ao vídeo de Camila Zen a seguir contando uma curta história que merece a sua REFLEXÃO. Namastê!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: QUANTO PESA ESSE COPO? UMA CURTA HISTÓRIA, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: TRAIR O AMOR É MESMO QUE TRAIR A SUA PRÓPRIA ESSÊNCIA

O texto a seguir que trazemos para REFLEXÃO nesta terça-feira, “Não traia o amor”, nos adverte que precisamos obedecer a Lei de Causa e Efeito, pois não existe castigo, mas apenas a forma como o Universo nos ama e nos proporciona experiências, para o seu aprendizado. Como viemos aqui para aprender a amar, ao trairmos o amor estamos traindo a nossa própria essência. Então convido você a ler esse texto super esclarecedor, refletir e fazer o seu juízo de valor.

Não traia o amor

 em 

 

Talvez você acredite que aqueles que estão neste planeta para ajudar na sua elevação devam ser pessoas muito especiais, pessoas totalmente puras, amorosas, sábias.

Será que são perfeitas? Reflitamos juntos.

Quando um mergulhador quer ir ao fundo do mar, em geral usa um cinto de chumbo, para que aquele peso o ajude a não ser levado de volta à superfície pelo ar que carrega no peito, certo? Então, todos nós, para estarmos neste planeta, precisamos de certa quantidade de peso, um lastro de escuridão, para conseguirmos adentrar a densidade que aqui imperava e aqui permanecer.

Não há quem aqui esteja e que não possua suas dificuldades, negatividades, medos e emoções densas. Eu ressalto isso porque é importante que você compreenda que não estamos aqui à espera dos salvadores deste planeta. Nós, com todas as nossas imperfeições, somos os salvadores. Eu e você.

Para fazer isso, não precisamos ser perfeitos, mas precisamos nos envolver em dar o nosso melhor. Precisamos ser capazes de ser fiéis ao amor, à vida, à liberdade que nos foi dada a todos por essa inteligência criativa que manifestou tudo o que existe.

Se você trai o amor , está traindo sua própria essência, e isso colocará em andamento uma série de eventos que retornarão a você pela lei de causa e efeito. Isso não é nenhum tipo de castigo. É a forma como o Universo o ama e lhe proporciona experiências, para o seu aprendizado.

Ouça, este planeta está num processo de elevação de sua vibração. Estamos num momento histórico deste Universo. Assim, preste muita atenção nas suas escolhas agora. Não faça escolhas que beneficiem apenas seu ego em detrimento de valores maiores. Não se submeta a nada que vá contra os valores da luz.

Apenas aqueles que servirem à luz serão conduzidos em segurança. Não acredite em mim. Experiente por si mesmo. Faça uma escolha luminosa e observe como isso lhe traz força, paz, confiança. Algo em nós se expande quando nos tornamos guerreiros da luz, pelo simples fato de nos negarmos a trair o amor, o respeito, a liberdade. Não se submeta por medo a nada que seu coração não aprove. Seja forte. Chegou a hora.” (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: TRAIR O AMOR É MESMO QUE TRAIR A SUA PRÓPRIA ESSÊNCIA

REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE GRATIDÃO, POR CAMILA ZEN

Nesta sexta-feira de REFLEXÃO com Camila ZEN você vai conhecer uma curta história sobre gratidão como você nunca viu igual, que se você assistir até o fim, isso pode mudar completamente a sua vida e a boa notícia é: para muito melhor. Então não perca tempo e comece logo a assistir ao vídeo completo a seguir e expanda sua consciência!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE GRATIDÃO, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: A TRANSMUTAÇÃO OCORRE ATRAVÉS DA PRÁTICA DA GRATIDÃO

Transmutar significa: Fazer com que fique diferente; ir de um lugar para outro; mudar de uma circunstância para outra; transformar ou transformar-se: a felicidade transmutou-se em tristeza. No caso do desenvolvimento espiritual, transmutar é o mesmo que dar um salto quântico evolutivo e isso ocorre através da prática da GRATIDÃO. Um sentimento que pode ser comparado com o AMOR. O texto a seguir é um verdadeiro compendio acerca da GRATIDÃO. Por isso convido você a ler, refletir e fazer o seu juízo de valor!

É hora de transmutar

 em 

 

“Gratidão. Palavra interessante essa. Essa é uma palavra na qual eu identifico como amor. Ter gratidão é algo muito mais amplo do que a forma como estamos usando hoje em dia.

Melhor forma de demonstrar amor que não a sendo grato a tudo que acontece? Ter a sabedoria, serenidade e discernimento de entender que tudo que acontece é algo bom para crescimento espiritual, evolução.

Imaginemos um fim de relacionamento que, em muitas vezes, a carga negativa é maior do que tudo que fora vivido antes.

Vivemos o momento do rompimento como se aquilo fosse uma verdade absoluta de toda a trajetória vivida. Podem ter sido meses, anos ou décadas, mas o que fica, parece que o momento final ou o tempo final do relacionamento. Seja por desgaste, por traição, por omissão ou qualquer outro motivo, o que fica no coração por algum tempo é a raiva, a mágoa, o rancor.

Criamos diálogos imaginários em nossa cabeça de que poderia ter feito, falado para mudar aquilo. E normalmente a primeira coisa é: perdi tanto tempo da minha vida!

Somos ingratos naturalmente e para sermos gratos, precisamos parar, respirar, desacelerar e então trabalhar isso. Ainda não vem de dentro e, sim, algo racional. É ótimo, melhor do que nada. E todo início é racional até que se torne orgânico.

Acredito que jogar anos pretéritos pelo momento atual é conceito de ingratidão. Se fôssemos realmente gratos, não nos machucaríamos. Não seríamos tão apegados. Entenderíamos rapidamente que o que o outro fez é dele, pertence apenas a ele. Não temos o poder de machucar ninguém que não seja fisicamente.

Nós nos machucamos porque nos decepcionamos com o que nos é falado ou feito (ou não feito). Nós nos machucamos por aceitarmos aquilo como verdade. Porque uma ferida é exposta e isso nos faz mal. Queremos ser blindados e fazemos justamente o contrário abrimos a guarda ainda mais.

Se alguém, fisicamente, nos der uma pedrada, vai doer. E deveria doer apenas fisicamente. Acontece que dependendo da pessoa e/ou da circunstância, a pedrada dói na alma. Magoamo-nos por monstros nossos, criados por nós mesmos, dentro de nossas cabeças.

A vida nos dará coisas que machucam, mas nunca nos dará algo para sofrermos. Sendo a gratidão algo intrínseco nosso, nada nos ressentiria, pois entenderíamos que cada qual fará algo dentro de suas capacidades.

Focamos no que perdemos e esquecemos o quanto temos a agradecer. Chegaremos lá, todos nós, algum dia. Uns antes, outros depois, mas subiremos todos o mesmo podium, porque a vida não é uma pista de corrida, mas várias trilhas para o mesmo objetivo.

É mais fácil (muitos nem assim sentem a gratidão) estar num lugar lindo e dizer gratidão. O difícil é estarmos em qualquer lugar “ruim” (cada um sabe o que é ruim para si) e termos gratidão. Agradecer a cura, mas não sermos gratos pelo processo da doença. Se estivéssemos abertos ao que a vida nos dá, perceberíamos a cada instante que a vida é um eterno ensinamento. A vida é uma academia de musculação que a cada dia nos fortalece. Mas a decisão de agradecermos ao que passamos de “ruim” é de foro íntimo.

Percebo que quando estou numa fase que dá vontade de desistir, ao fazer exercício da gratidão as coisas se tornam mais leve e me faz olhar em outra direção.

Fico imaginando se isso fosse tão natural quanto respirar, como a vida seria ainda mais colorida. A leveza consiste em aceitarmos. Não significa não fazer nada e sim, compreender, entender e de forma tranquila saber o que será feito para mudar ou a coisa em si ou a direção a seguir.

Compreendendo que o que acontece em nosso externo é projetado do interno, e por isso lemos com frequência que ao mudar o nosso interno, o externo muda ou se queremos paz, temos que ter a paz dentro de nós.

É hora de começarmos a ser proativos e não reativos. Viver o momento presente sempre com gratidão no coração.

Eu, particularmente, não vejo melhor forma do que conseguir essa serenidade que não sendo meditação. Silenciar a mente para ouvir sua própria essência. Técnicas existem inúmeras e cada um tem que saber qual a melhor se adapta. Tudo é remédio ou veneno, depende de como será usado. Tem quem goste de silêncio, tem quem goste de músicas calmas, outros de músicas mais aceleradas. Isso é processo interno.

Silenciando a mente, viveremos o momento presente com gratidão, alegria, serenidade. Calar os diálogos internos que normalmente são verdadeiras discussões internas. Perda de tempo e energia.

É hora de transmutarmos. “

(Fonte: Blog Rashuah)

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: A TRANSMUTAÇÃO OCORRE ATRAVÉS DA PRÁTICA DA GRATIDÃO

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A VIRTUDE DA PACIÊNCIA É A PONTE PARA A SABEDORIA

A nossa REFLEXÃO deste domingo, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL, é sobre a virtude da Paciência. Algo que precisa ser exercitado ao longo da vida, como uma lapidação. Virtudes não são propriedade de um determinado espírito, pois compõem a sua própria essência, mas muitas vezes estão adormecidas no âmago do ser. Por isso a necessidade de se lapidar. Por isso te convido a ler esse texto de grande sabedoria!

A virtude da paciência - Diário Itaporã

Ser paciente

É comum ouvir-se dizer que alguém perdeu a paciência.

Sendo a paciência uma virtude, parece estranha a ideia de que possa ser perdida.

Virtudes são conquistas do espírito, que as incorpora em seu modo de ser.

Não se trata de algo exterior, que o homem encontra e vê desaparecer sucessivas vezes.

Quem desenvolve uma virtude passa a ser melhor em determinado aspecto de sua vida imortal.

É possível perder-se apenas o que se possui, mas não o que se é.

Se uma característica nobre foi assimilada por alguém, ela não pode ser perdida.

A criatura genuinamente honesta jamais extravia a própria honestidade.

A pessoa bondosa não é privada repentinamente de sua bondade.

Assim, quando alguém afirma que perdeu a paciência é porque nunca chegou a ser verdadeiramente paciente.

Isso não significa que as virtudes surjam de um momento para o outro.

Elas devem ser paulatinamente elaboradas no íntimo do ser.

No longo processo de aquisição da nobreza interior, trava-se uma autêntica batalha entre os vícios e as virtudes.

É comum que certas quedas ocorram, pois se trata de um processo de transição.

Mas a verdade é que, enquanto a criatura titubeia entre atos nobres e mesquinhos, ela ainda está lutando contra si mesma.

Virtudes não são propriedade de um determinado espírito, pois compõem a sua própria essência.

Tanto é assim que habitualmente se fala que alguém é bondoso, e não que possui bondade.

Enquanto estamos com dificuldade para tolerar certas pessoas ou situações, ainda não somos pacientes.

No máximo, estamos lutando para incorporar essa virtude.

Afinal, é fácil conviver pacificamente com quem pensa igual a nós, ou suportar pequenos inconvenientes.

O teste para nossa fibra moral é suportar com serenidade grandes contrariedades ou provocações.

A verdadeira paciência é sempre exteriorização da alma que já realizou muito amor em si mesma.

Plena de amor, ela distribui os tesouros de seu afeto aos que a rodeiam, mediante a exemplificação.

A alma paciente já consegue considerar todas as criaturas como irmãs, em quaisquer circunstâncias.

Se necessário, ela esclarece a ignorância, mas sempre de modo fraterno.

Paciência é a tolerância esclarecida que revela a iluminação do ser que a manifesta.

Trata-se de uma conquista sublime, somente alcançada a custo de disciplina e esforço.

Para ser paciente é preciso domar os próprios impulsos inferiores.

Quem pretende ser tolerante deve cessar de ver problemas nos elementos externos, sejam pessoas ou circunstâncias.

Precisa compreender que todo o mal que atinge a criatura em evolução vem dela própria, de seu interior carente de renovação.

Quem percebe as suas sequelas morais, sem disfarces ou desculpas, naturalmente tende a olhar o próximo com tolerância.

Mas não basta apenas perceber os próprios problemas.

É necessário corrigi-los, com a adoção de novos padrões de comportamento.

A disciplina antecede a espontaneidade.

Transformar vícios em virtudes pressupõe disciplina e determinação.

Assim, para ser paciente é preciso esforço em tolerar as dificuldades e os defeitos alheios.

Mas também é indispensável trabalho concentrado para vencer os próprios vícios.

Pense nisso.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base na questão 254 do livro ‘O Consolador’, do Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. FEB.

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A VIRTUDE DA PACIÊNCIA É A PONTE PARA A SABEDORIA

REFLEXÃO: O SEGREDO DA FELICIDADE, POR CAMILA ZEN

Sexta-feira é dia da coluna REFLEXÃO com Camila Zen. A curta história de hoje é “O Segredo da Felicidade”: Dizem que as crianças nascem sabendo todos os segredos do mundo, mas antes que possam nos contar, elas esquecem. Essa é uma curta história sobre um pai, um filho e o segredo da felicidade. Espero que essa história possa alegrar o seu dia ou o dia de alguém que você ama ❤️ Amor e luz, namastê 🙏🏼

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: O SEGREDO DA FELICIDADE, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: A MANIFESTAÇÃO DO EU SUPERIOR DENTRO DE NÓS É O ESTADO DO SER

No nosso momento de REFLEXÃO desta terça-feira o aclamado e renomado Eckhart Tolle aborda o estado do ser como sendo o estado no qual o ser humano consegue se desprender do ego e se libertar dos pensamentos que povoam a nossa mente e corrompem o nosso consciente. Ao alcançar o estado do ser o homem está pronto para alçar um novo voo rumo a libertação.

O estado do Ser

 em 

 

No caso da maioria das pessoas, quase todos os pensamentos costumam ser involuntários, automáticos e repetitivos. Não são mais do que uma espécie de estática mental e não satisfazem nenhum propósito verdadeiro. Num sentido estrito, não pensamos – o pensamento acontece em nós.

A afirmação “Eu penso” implica volição. Ou seja, podemos nos pronunciar sobre o assunto, podemos fazer uma escolha. Mas isso ainda não é percebido pela maior parte das pessoas. “Eu penso” é uma afirmação simplesmente tão falsa quanto “eu faço a digestão” ou “eu faço meu sangue circular”. A digestão acontece, a circulação acontece, o pensamento acontece.

A voz na nossa cabeça tem vida própria. A maioria de nós está à mercê dela; as pessoas vivem possuídas pelo pensamento, pela mente. E, uma vez que a mente é condicionada pelo passado, então somos forçados a reinterpretá-lo sem parar. Quando nos identificamos com essa voz, ignoramos isso.

Se soubéssemos, não seríamos mais possuídos por ela, porque a possessão só acontece de verdade quando confundimos a entidade que nos domina com quem nós somos, isto é, quando nos tornamos essa entidade. Além da agitação do pensamento, embora não inteiramente separada dele, existe outra dimensão do ego: a emoção. Isso não quer dizer que todo pensamento e toda emoção pertençam ao ego.

Esses elementos se convertem no ego apenas quando nos identificamos com eles ou quando eles assumem o controle sobre nós, isto é, quando se tornam o eu. O ego não é apenas a mente não observada, a voz na cabeça que finge ser nós, mas também as emoções não observadas que constituem as reações do corpo ao que essa voz diz. A voz na cabeça conta ao corpo uma história em que ele acredita e à qual reage.

Essas reações são as emoções. Estas últimas, por sua vez, devolvem energia para os pensamentos que as criaram originalmente. Esse é o círculo vicioso entre emoções e pensamentos não questionados que suscita o pensamento emocional e a invenção de histórias emocionais. O componente emocional do ego difere de pessoa para pessoa. Em alguns casos, é maior do que em outros.

Os pensamentos que fazem o corpo disparar reações emocionais algumas vezes aparecem tão rápido que, antes de a mente ter tempo de expressá-los, o corpo reage com uma emoção, e esta é convertida numa reação. Esses pensamentos existem num estágio pré-verbal e podem ser chamados pressupostos não expressos, inconscientes. Eles se originam num condicionamento pessoal do passado, normalmente ocorrido na tenra infância. “Não se pode confiar nas pessoas” seria um exemplo desse pressuposto inconsciente numa pessoa cujos relacionamentos primordiais, isto é, com os pais ou irmãos, não foram de solidariedade e não inspiraram confiança.

Mais alguns deles: “Ninguém me respeita nem me valoriza. Preciso lutar para sobreviver. O dinheiro nunca é suficiente. A vida sempre nos decepciona. Não mereço a prosperidade. Não sou digno do amor.” Essas suposições inconscientes criam emoções no corpo que, por sua vez, geram atividade mental e/ou reações instantâneas. Dessa maneira, elas criam sua realidade pessoal.

A voz do ego perturba continuamente o estado natural de bem-estar do ser. Quase todo corpo humano se encontra sob grande tensão e estresse, mas não porque esteja sendo ameaçado por algum fator externo – a ameaça vem da mente. Há um ego vinculado ao corpo, que não pode fazer nada a não ser reagir a todos os padrões desajustados de pensamento que constituem o ego. Assim, um fluxo de emoções negativas acompanha o fluxo de pensamento incessante e compulsivo.

O que é uma emoção negativa? É aquela que é tóxica para o corpo e interfere no seu equilíbrio e funcionamento harmonioso. Medo, ansiedade, raiva, ressentimento, tristeza, rancor ou desgosto intenso, ciúme, inveja – tudo isso perturba o fluxo da energia pelo corpo, afeta o coração, o sistema imunológico, a digestão, a produção de hormônios, e assim por diante. Até mesmo a medicina tradicional, que ainda sabe muito pouco sobre como o ego funciona, está começando a reconhecer a ligação entre os estados emocionais negativos e as doenças físicas.

Uma emoção que prejudica nosso corpo também contamina as pessoas com quem temos contato e, indiretamente, por um processo de reação em cadeia, um incontável número de indivíduos com quem nunca nos encontramos. Existe um termo genérico para todas as emoções negativas: infelicidade.Será que as emoções positivas têm o efeito oposto sobre o corpo físico? Será que fortalecem o sistema imunológico, revigoram e curam o corpo?

Sim, com certeza, mas precisamos diferenciar as emoções positivas que são produzidas pelo ego das emoções mais profundas que emanam do nosso estado natural de ligação com o Ser. As emoções positivas geradas pelo ego já contêm seu próprio oposto no qual podem rapidamente se converter. Alguns exemplos: o que o ego chama de amor é possessividade e apego dependente, que podem se transformar em ódio em questão de segundos.

A expectativa em relação a um acontecimento, que é a supervalorização do futuro por parte do ego, transforma-se no oposto – abatimento ou decepção – quando aquilo termina ou não satisfaz as expectativas do ego. Sermos elogiados e reconhecidos nos faz sentir vivos e felizes num dia, enquanto sermos criticados ou ignorados nos faz sentir rejeitados e infelizes no dia seguinte.

O prazer de uma festa animada transforma- se em ressaca e em algo desinteressante na manhã seguinte. Não existe bom sem mau, nem alto sem baixo. As emoções produzidas pelo ego decorrem da identificação da mente com fatores externos que são, é claro, instáveis e sujeitos a mudanças a qualquer momento.

As emoções mais profundas não são emoções de maneira nenhuma, e sim estados do Ser. Elas existem dentro do âmbito dos opostos. Os estados do Ser podem ser obscurecidos, porém não têm opostos. Eles emanam de dentro de nós, como o amor, a alegria e a paz, que são aspectos da nossa verdadeira natureza.

(Eckhart Tolle – Um Novo Mundo)

Luz e Paz!!!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: A MANIFESTAÇÃO DO EU SUPERIOR DENTRO DE NÓS É O ESTADO DO SER

REFLEXÃO: UMA HISTÓRIA SOBRE O AMOR E A LOUCURA, POR CAMILA ZEN

A nossa REFLEXÃO desta sexta-feira é com a maravilhosa Camila Zen, que vai lhe contar uma história muito interessante. Você já ouviu dizer que o amor e a loucura andam juntos? Então ouça essa interessante história de como tudo começou!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA HISTÓRIA SOBRE O AMOR E A LOUCURA, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: PESSOAS DESPERTAS VEEM A VIDA COM OS OLHOS DA ALMA

Estamos vivendo uma transição planetária e com ela um despertar de Consciência. Processo pelo qual a maioria da humanidade experimenta neste momento. A pessoa desperta enxerga o que a maioria das pessoas não vê. Ela consegue enxergar os 90% das coisas do universo que essa mesma maioria não enxerga. Por isso a pessoa desperta possui uma força que poucas coisas se comparam. Ao ler o texto completo a seguir você vai entender como essas pessoas vivem e se comportam!

A força de uma pessoa desperta

 em 

 

“Poucas coisas se comparam a força de uma pessoa desperta. Pessoas despertas são indomáveis, intuitivas e possuem a serenidade e a confiança daqueles que aprenderam a ver a vida com os olhos da alma. São pessoas que passaram por situações difíceis, viram sonhos que não se concretizaram, tiveram que se despedir de quem amavam e viram a vida colocar a prova toda confiança em si mesmas e na sua crença no bem.

Ainda assim curaram cada ferida com a sabedoria de quem acolheu a dor como uma sábia conselheira, e optou por guardar os seus ensinamentos ao invés de um acumulado de mágoas e desilusões. Por isso carregam um certo brilho no olhar, uma presença cheia de luz e de carisma e uma aura de aconchego que não passa despercebida.

São pessoas que não seguem o grande coletivo, não tem medo de parecerem ridículas por acreditarem no invisível e cuidam da sua energia, da sua mente, da sua alma e do seu coração como um templo a ser cuidado. Uma pessoa desperta aprendeu a honrar a si mesma, ama quem é, tem orgulho da sua trajetória, já não dá mais poder para as críticas ou julgamentos, assim como tampouco perde seu tempo julgando os demais.

Sabe que todos estamos entre a inconsciência e o despertar e que esse processo é algo sagrado e individual. Todos têm o seu tempo e seus próprios ‘despertadores’. É esse motivo que a pessoa desperta agradece por tudo e todos que passaram por sua jornada: os que a amaram e os que a despertaram. Porque é inevitável. Ninguém pode viver para sempre na dependência, na insegurança ou adormecido de si mesmo.

Às vezes a vida vai mesmo nos chacoalhar, pra que despertemos, para a nossa força, para o nosso poder, para a infinitude que habita em nós. É isso que traz a segurança da pessoa desperta. Não a segurança que menospreza a cautela, mas sim a segurança de quem está bem em ser quem é e que fez de si mesma um lugar de paz para se viver. Uma pessoa desperta, ajuda a despertar o mundo!”(Alexandro Gruber)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: PESSOAS DESPERTAS VEEM A VIDA COM OS OLHOS DA ALMA

REFLEXÃO: A DOR É UMA LEI DE EQUILÍBRIO E EDUCAÇÃO

A realidade da terceira dimensão na qual vivemos nossas experiências é de sofrimento e dor. A maioria das pessoas não questiona o porquê disso. Apenas uma minoria de buscadores se preocupa em questionar e quando isso acontece a resposta aparece. Para esses, os benfeitores espirituais vem nos esclarecer que a dor é uma lei de equilíbrio e educação. Ao ler o texto completo a seguir você compreenderá que a dor é um dos meios de que Deus se utiliza para nos chamar a Si e, ao mesmo tempo, nos tornar mais rapidamente acessíveis à felicidade espiritual, única duradoura.

A dor em nossas vidas

Você já parou para pensar na razão da existência da dor, do sofrimento, em nossas vidas?

Talvez num daqueles momentos de extrema angústia, em que o coração parece apertar forte, você tenha pensado em Deus, na vida, e gritado intimamente: por quê?!

Os benfeitores espirituais vem nos esclarecer que a dor é uma lei de equilíbrio e educação.

Léon Denis, reconhecido escritor francês, em sua obra “O Problema do Ser, do Destino e da Dor”, esclarece que o gênio não é somente o resultado de trabalhos seculares; é também a apoteose, a coroação de sofrimento.

De Homero a Dante, a Camões, a Tasso, a Milton, todos os grandes homens, como eles, têm sofrido.

A dor fez-lhes vibrar a alma, inspirou-lhes a nobreza dos sentimentos, a intensidade da emoção que souberam traduzir com os acentos do gênio, e que os imortalizou.

É na dor que mais sobressaem os cânticos da alma.

Quando ela atinge as profundezas do ser, faz de lá saírem os gritos sinceros, os poderosos apelos que comovem e arrastam as multidões.

Dá-se o mesmo com todos os heróis, com todas as pessoas de grande caráter, com os corações generosos, com os espíritos mais eminentes. Sua elevação mede-se pela soma dos sofrimentos que passaram.

Ante a dor e a morte, a alma do herói e do mártir revela-se em sua beleza comovedora, em sua grandeza trágica que toca, às vezes, o sublime, e o inunda de uma luz inapagável.

A história do mundo não é outra coisa mais que a sagração do espírito pela dor. Sem ela, não pode haver virtude completa, nem glória imperecível.

Se, nas horas da provação, soubéssemos observar o trabalho interno, a ação misteriosa da dor em nós, em nosso “eu”, em nossa consciência, compreenderíamos melhor sua obra sublime de educação e aperfeiçoamento.

A dor é um dos meios de que Deus se utiliza para nos chamar a Si e, ao mesmo tempo, nos tornar mais rapidamente acessíveis à felicidade espiritual, única duradoura.

É, pois, realmente pelo amor que nos tem que Deus envia o sofrimento.

Fere-nos, corrige-nos como a mãe corrige o filho para educá-lo e melhorá-lo; trabalha incessantemente para tornar dóceis, para purificar e embelezar nossas almas, porque elas não podem ser completamente felizes, senão na medida correspondente às suas perfeições.

A todos aqueles que perguntam:

para que serve a dor? A sabedoria divina responde:

para polir a pedra, esculpir o mármore, fundir o vidro, martelar o ferro.

***

A dor física é, em geral, um aviso da natureza, que procura preservar-nos dos excessos. Sem ela, abusaríamos de nossos órgãos até o ponto de os destruirmos antes do tempo.

Quando um mal perigoso se vai insinuando em nós, que aconteceria se não lhes sentíssemos logo os efeitos desagradáveis? Ele nos invadiria cada vez mais, terminando por secar em nós as fontes de vida.

É assim que, em nosso mundo, para o nosso crescimento, a dor ainda se faz necessária.

Momento Espírita, a partir do livro “O Problema do Ser, do Destino e da Dor, Léon Denis, cap XXVI.

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: A DOR É UMA LEI DE EQUILÍBRIO E EDUCAÇÃO

REFLEXÃO: A ZONA DE CONFORTO É O MAIOR OBSTÁCULO A ASSIMILAÇÃO DAS NOVAS CRENÇAS

A resistência em assimilar novas crenças e paradigmas pela maioria da humanidade é a total submissão ao EGO poderoso e preguiçoso que impõe as pessoas o confinamento em sua “zona de conforto”. A partir disso as pessoas encontram todo tipo de desculpa como: não posso nem pensar em outra crença, pois estarei pecando, prefiro continuar com a minha velha crença e as dores que já conheço do que me submeter ao desconhecido e outras desculpas amarelas, só para não ter trabalho. O texto a seguir nos convida a uma séria REFLEXÃO sobre o porquê da resistência às novas crenças pela maioria das pessoas!

Crença e Resistência

 em 

 

“A maioria dos nossos hábitos e costumes é fruto da cultura e da tradição. Os nossos avós absorveram esses hábitos de seus progenitores e os comunicaram aos nossos pais; os nossos pais, por sua vez, passaram esses costumes a nós; nós, aos nossos filhos; os nossos filhos,… Se alguém, nessa cadeia, coloca em dúvida um desses conhecimentos, respondemos que sempre funcionou assim. Sobre esse mister, há, na gíria futebolista, uma frase célebre: “Time que está ganhando não se mexe”. Seguindo esse ritmo, o nosso pensamento se acomoda às coisas. O verdadeiro conhecimento exige uma ruptura desse status quo.

A inovação tem, em primeiro lugar, um caráter assustador. Teme-se perder o status, o emprego e a comodidade. Por isso, toda ideia nova sofre resistência. Em primeiro lugar, porque as pessoas, tão logo recebem a informação, não conseguem – de chofre – absorver o alcance total da proposição. Em segundo lugar, porque o medo acaba maculando o bom entendimento da nova proposta. As pessoas ficam na defensiva e não conseguem ver o lado positivo da mudança.

Cristo, em uma de suas passagens evangélicas, tratou desse problema, o da ideia nova. Ele disse que não tinha vindo trazer paz à Terra, mas a espada, que veio para separar o pai do filho, o filho da nora, e o homem da mulher. Interpretados ao pé da letra, podemos concluir que esses ensinamentos não foram veiculados pelo Mestre. Contudo, o que está por detrás dessas palavras é que a nova ideia, ou seja, os preceitos de sua doutrina, não seriam aceitos sem luta, sem contrariedade e sem discussões.

A mudança é uma proposição sempre bem-vinda. Mas, na hora de a colocarmos em prática? As dificuldades aparecem. Estar aberto ao novo não é tão fácil quanto poderíamos pensar. Quantas já não foram as vezes que propusemos mudar a nossa conduta? E depois? Voltou tudo como era. Dizemos: segunda-feira eu vou começar o meu regime; quando a segunda-feira chega, transferimos o problema para terça-feira, depois para quarta e assim sucessivamente, até chegarmos ao dia do são nunca.

A formação de hábitos salutares exige fortaleza de ânimo. Os novos paradigmas não podem ser uma extensão do passado, porque a continuidade dos costumes nada mais faz do que alimentar os automatismos do cérebro velho. Há necessidade de se romper com a mente velha, inclusive com os automatismos na prática do bem. O espírito tem que estar sempre livre, solto para criar condições de agir criativamente. A repetição apenas acomoda a nossa mente. A evolução do espírito exige movimento, reflexão.

Inovar é estar alerta para o que estiver acontecendo aqui e agora. Observe o computador: ele facilita a vida de muita gente. E quando ele começou a ser implantado? Não sofreu resistência das pessoas e das empresas?” (Sérgio Biagi Gregório)

Fica, então, esta reflexão.

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: A ZONA DE CONFORTO É O MAIOR OBSTÁCULO A ASSIMILAÇÃO DAS NOVAS CRENÇAS

REFLEXÃO: O CAMINHO DO MEIO, UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE BUDA, POR CAMILA ZEN

Sexta-feira é dia de Camila Zen na coluna REFLEXÃO com suas histórias que deixam lições de sabedoria. Desta vez ela narra uma curta história sobre Buda sobre “o caminho do meio”. Quantas vezes nos pegamos querendo encontrar uma resposta 100% certa, um caminho, uma escolha 100% certa? Essa é uma curta história sobre Buda, que nos ensina a viver de uma forma mais leve e tranquila. Do meu coração pro seu, eu espero que essa história possa te ajudar ou ajudar alguém que você ama. Então assista ao vídeo completo a seguir, reflita e faça o seu juízo de valor!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: O CAMINHO DO MEIO, UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE BUDA, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: SÓ QUEM VIVE BEM OS AGOSTOS É MERECEDOR DA PRIMAVERA

Hoje, em nosso momento de REFLEXÃO temos um texto inspirador sobre o mês de agosto, que representa o momento de semear para colher em breve, a mudança de estação e anuncia com seus ventos o florescer da primavera com toda a sua beleza e pujança. É quando Deus deixa a natureza traduzir visivelmente o tempo das mutações. Então lhe convido a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Momento de semear para colher em breve

 em 

 

Só quem vive bem os agostos é merecedor da primavera! Lembro-me bem. Foi quando julho se foi, que um vento mais gelado, mais destemperado, que arrastava ainda folhas deixadas pelo outono, me disse algumas verdades.

Convenceu-me de que o céu começaria a apresentar metamorfoses avermelhadas. Que a poeira levantada por ele daria lições de que as coisas nem sempre ficam no mesmo lugar e que é preciso aceitar que a poeira só assenta depois que os redemoinhos se vão.

Foi quando julho se foi que a minha solidão me convidou para uma conversa. E me contou de tempo de esperas. E me disse que o barulho das árvores tinha algo a dizer sobre aceitação. E eu fiquei pensando como elas, as árvores, aceitam as estações que, se as estremecem, também lhes florescem os galhos. Mas tudo a seu tempo.

Foi em agosto que descobri que os cachorros loucos são, na verdade, os uivos que não lançamos ao vento. São nossos estremecimentos particulares que a nossa rigidez de certezas não nos permite encarar. O mês de agosto tem muito a ensinar. Porque agosto é mês jardineiro, é dentro dele, berço do inverno, que as sementes dormem. Aguardam seu tempo de brotar.

Agosto é guardador da boa-nova, preparador de flores. Agosto é quando Deus deixa a natureza traduzir visivelmente o tempo das mutações. Mude, diz agosto, em seu recado de sementes. Aceite, diz agosto, com seu jeito frio de vento que levanta poeira e a faz avermelhar o céu. Compartilhe, diz agosto. Agasalhos, sopas quentinhas, cafés com chocolate, abraços mais apertados – eles também aquecem a alma e aninham o corpo. Distribua mais afetos, que inverno é acolhimento, é tempo de preparar setembro.

E, de setembro, todos sabemos o que esperar. Esperamos a arrebentação das cores, que com seus mais variados nomes vêm em forma de flores. Vamos apreciar agosto, vive-lo com o espanto feliz de quem não desafia ventos. Que ele desarrume e espalhe suas folhas e levante suas poeiras. Aceite as esperas, mas coloque floreiras na janela. Só quem vive bem os agostos é merecedor da primavera! ( Miryan Lucy )

Luz e Paz!

(fonte: eter quintessência)

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: SÓ QUEM VIVE BEM OS AGOSTOS É MERECEDOR DA PRIMAVERA

REFLEXÃO: PARA REFLETIR COMO FUNCIONA A MANIPULAÇÃO DE MASSA

A nossa coluna REFLEXÃO desta sexta-feira está um pouco diferente, pois não nos chama a refletir sobre espiritualidade pura, mas sobre algo que tão importante quanto, pois aborda a psicologia das massas, para nos fazer entender como funciona a ideologização política sob a qual as massas mundo afora está se submetendo, tal qual uma rã quando colocada em uma panela em banho maria e vai cozinhando lentamente até entrar em inanição e morrer sem saber que morreu. O texto a seguir: IMINIZAÇÃO COGNITIVA vai te fazer compreender o porquê de ladrões como Lula estarem livres e correndo um sério risco de se eleger presidente da república depois de tudo que passamos nesse país por causa dele.

Ataque Aberto: A IMUNIZAÇÃO COGNITIVA

IMUNIZAÇÃO COGNITIVA

Porque ladrões ainda ganham seu voto!!

Como trabalho com Neurociência aplicada a negócios, e ministro cursos de psicologia e neurociência aplicada ao comportamento, trabalhamos em algumas formações temas como “Lavagem cerebral” e “Manipulação de massa”, de tal forma que fui levado ao termo “Imunização Cognitiva”…

Através deste viés conseguimos compreender como funciona a crença e a fidelização de pessoas inteligentes em defender políticos evidentemente corruptos e ladrões, e, ainda que em seu intimo, busquem a mudança real para o país e o bem comum, continuam buscando seus ídolos antigos como salvadores, desconstruindo e desconsiderando contextos, provas, evidências, imagens, depoimentos e tudo que tange o real perfil de seu ícone/líder supremo…

Muito usado em ambientes que envolvem a fé como premissa de construção de crença, a imunização cognitiva é um escudo que permite que as pessoas se agarrem a valores e credos, mesmo que fatos objetivos demonstrem que eles não correspondem à verdade. A pessoa cognitivamente imunizada transita no terreno da fé da ideologia e do sonho futuro, que dispensa o raciocínio lógico. Para ela, argumentos lógicos não têm relevância, sendo os argumentos, minimizados, desacreditados ou menos relevantes, sendo o fim, justicando os meios.

E então assistimos gente estudada, inteligente, articulada, evidentemente sem intenção de tirar nenhuma vantagem ou proveito material de tal situação, defendendo em público o indefensável.

Como é que essas pessoas chegam a esse ponto?

Bem, existem ao menos cinco fases no processo de imunização cognitiva.

Primeira fase: Isolamento de quem tem opiniões contrárias, protegendo suas ideias. A pessoa vai eliminando de seu convívio ou mesmo de sua atenção, quem pensa diferente.

Segunda fase: Redução da exposição às ideias contrárias. Passa a ler e ouvir apenas as opiniões em linha com seus credos. Nos estados totalitários, é quando a liberdade de expressão passa a ser ameaçada, quando a imprensa perde a liberdade, quando vozes dissidentes são caladas. É quando os processos educacionais adotam opiniões selecionadas, com autores e textos cuidadosamente escolhidos para seguir apenas uma visão de mundo.

Terceira fase: Conexão dos credos à emoções poderosas. Se você não seguir aquelas ideias, algo de ruim pode acontecer. Lembra do “Se você pecar, vai para o inferno?”, ou, “Se você não votar naquele candidato, sua vida, suas economias, seus benefícios estarão em perigo”…

Quarta fase: Associação a grupos que trabalham para combater as idéias dos grupos contrários. Isso acontece não só em política, mas até mesmo na ciência, quando métodos de investigação científica focam nas fraquezas das teorias adversárias, ignorando os pontos fortes. Em outra perspectiva, buscar enfatizar somente o lado ruim da outra parte, justificando a apatia, ou pensamentos contrários que possam contribuir como colapso alheio.

Quinta fase: A repetição. Repetição, repetição, repetição. Cria-se um tema, um lema, simbolo ou slogan que materializa um determinado credo ou visão, que passa a ser repetido como um mantra, numa técnica de aprendizado incondicional. Os gritos de “Não vai ter golpe”, por exemplo, não é uma criação espontânea, obra do acaso. É pensado, calculado. Sua repetição imuniza cognitivamente as pessoas contra os argumentos a favor do impeachment, assim como tantos outros, de fácil absorção, e fácil repetição para qualquer classe, credo ou nível intelectual.

Os especialistas em psicologia das massas sabem que nossas mentes evoluíram muito mais para proteger nossos credos que para avaliar o que é verdade e o que é mentira.

Principalmente quando este senso de percepção tem relação com elementos como “Justiça, moralidade e ética”, elementos coordenados pelo nosso córtex pré frontal, porém profundamente afetados pelas questões emocionais, como Raiva, Desprezo, Nojo, Vergonha, Tristeza, entre outras, ativadas no sistema límbico, e, que, sobre forte estimulo, superam as áreas morais, amortecendo sua atividade, ou seja, você, literalmente deixa de raciocinar sob forte pressão emocional.

Além das vias normais que geram as emoções interpretadas como negativas, como medo e ansiedade, nas quais razão e emoção se integram e neste ponto há um equilíbrio nas tomadas de decisões, Joseph Le Doux descobriu uma via que ele chamou de “Shortcut”. Essa via é ativada quando a situação é de extremo perigo ou extrema raiva. Neste caso, ela não passa pela área racional, o pré-frontal, então as emoções instintivas ficam livres para agir, nos tornando cegos a quaisquer tipo de evidências racionais.

Os especialistas em comunicação constroem retóricas fantásticas, com intenção de desviar o tema principal e, especialmente, imunizar cognitivamente os soldados da causa.

E aí, meu caro, minha cara, não adianta mostrar o vídeo, o recibo, o cheque, o testemunho do caseiro, a ordem da transportadora, o grampo telefônico… O imunizado cognitivo está vacinado contra fatos objetivos tangíveis ou intangíveis.

Tá explicado então? Se você está se sentindo entorpecido das idéias, incapaz de descer do muro, disposto a olhar o outro lado, cego diante de uma crença totalmente unilateral, provavelmente alguém está lhe ministrando umas doses de imunizante cognitivo.

Estar “Consciente”, é um exercício de grande esforço, estamos 95% de nosso tempo em estado automático “Inconsciente”, de tal forma que, somente mediante muito esforço e análise critica, conseguimos discernir as reais intenções do imunizantes cognitivos a nossa volta, principalmente diante de tanta falta de informação, informações alteradas, maquiadas e distorcidas, fica quase impossível colocar-se em um lado, assumir uma luta, ou dar a cara a tapa por algo ou alguém que nem sabe, ou, não da a mínima se você existe.

Prof. Alexandre Rodrigues
Continuar lendo REFLEXÃO: PARA REFLETIR COMO FUNCIONA A MANIPULAÇÃO DE MASSA

REFLEXÃO: FAZER A TRAVESSIA DE OLHOS BEM ABERTOS EVITA ATALHOS INDESEJADOS

O texto desta terça-feira, aqui na coluna REFLEXÃO, nos remete a uma postura de muita coragem e determinação, que poucas pessoas ousam enfrentar, em virtude da dimensão ilusória sob a qual estamos submetidos. É comum as pessoas fecharem os olhos durante a travessia, posto que um dos termos mais utilizados atualmente é: “fazer vista grossa”, já que a maioria das pessoas não querem sair da sua zona de conforto. Preferindo sofrer e sentir uma dor que já conhece do que encarar a dureza da realidade que pode lhes conduzir a autolimpeza e autocura. Por isso te convido a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor! 

Não feche os olhos durante a travessia

 em 

 

“Quando olhamos para tudo o que vem acontecendo ao nosso redor, somos inevitavelmente colocados no lugar de ter que tomar algumas posições na vida.

Pense numa linha. Alguns de nós estão lá, num dos extremos dessa linha. Escolhem abrir mão de se envolverem com o que acontece ao seu redor. Procuram fingir que nada acontece. Dóceis reféns, acreditam no que lhes dizem para acreditar, não se aprofundam, não ouvem a si mesmos. Vivem em suas bolhas, numa espécie de cegueira, que faz com que responsabilizem “os outros” pelo que quer que aconteça.

No outro extremo estão aqueles que se acreditam detentores da verdade. Armados com suas próprias crenças, querem convencer os outros de que estão errados. Hipnotizados por seus egos, se tornam facilmente bélicos, polarizados, e também responsabilizam os outros, o “outro lado” por toda a injustiça que acreditam viver.

Não é fácil escapar desses dois extremos. Aqueles que conseguem, buscam “dentro de si” algum tipo de orientação. Buscam enxergar a realidade, por mais dura que seja. A realidade, hoje, é que estamos em meio à uma onda de extremo controle, rodeados de mentiras, manipulações, ganância, egoísmo, censura e pouquíssima consciência. É difícil enxergar isso, mas é preciso.

Ver a feiura de todos nós assim exposta não é fácil. O desafio é enxergar tudo isso, sem negar , e sem ser dominado, pelas emoções que essa visão nos evoca. Lembrem-se de que somos cocriadores. Criamos a partir da nossa emoção. Então, se eu enxergo a sombra, no outro e em mim, se olho para as emoções que vem à tona, sem me perder de minha luz, isso é algo bom, pois me permite uma ação de limpeza e cura.

Mas se eu for dominado por essa sombra, me “tornando” o medo, a raiva, a tristeza, então me torno sua cocriadora. Percebem? A diferença parece sutil, mas é enorme. Precisamos andar por um caminho estreito e escorregadio. Mantenha seus olhos abertos, mas jamais se perca de seu coração. Não feche os olhos durante a travessia, mas tampouco lhe dê poder para tirar você de sua confiança na vida. Acreditem. Nós podemos fazer isso, juntos, guiados pela luz , a única verdade deste Universo.” (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: FAZER A TRAVESSIA DE OLHOS BEM ABERTOS EVITA ATALHOS INDESEJADOS

REFLEXÃO: O QUEBRADOR DE PEDRAS, POR CAMILA ZEN

Sexta-feira também é dia de REFLEXÃO, com Camila Zen, que nos conta uma história sobre os nossos desejos, talvez infinitos. Na verdade, não, não sobre os desejos em si, mas sobre desfrutá-los ou não quando os alcançamos. Sobre um querer sem fim. Sobre estarmos presos em uma roda sem parar pra refletir… e apreciar… Apreciar, é viver a vida! Quando ficamos muito presos lá na frente, no futuro, sempre focando no próximo passo, fica difícil apreciar o presente, ou seja, apreciar a vida. Que você tenha muitos sonhos pra ser seu combustível de seguir em frente, mas que também tenha muita clareza pra apreciar cada passo, cada fase. Com carinho, do meu coração pro seu, e pro das pessoas que você ama. Amor e luz, namastê!

Fonte:

 

Continuar lendo REFLEXÃO: O QUEBRADOR DE PEDRAS, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: SOLTE-SE, FIQUE LEVE E SE DEIXE SER GUIADO PELA LUZ!

O nosso texto de REFLEXÃO desta terça-feira fala de leveza, de soltar-se, de ascender-se, pois o a saída é para cima, rumo a liberdade, através da luz, pois somos filhos da luz e seremos guiados em meio à ilusão do caos que paira na terceira dimensão para uma dimensão feita de paz, onde não há dor nem sofrimento. Portanto, leia o texto completo a seguir, faça sua reflexão e faça o seu juízo de valor.

Fique leve

 em 

 

“Quando o medo bater à sua porta, pois todos nós, humanos, temos sido por ele visitados neste momento planetário, eleve seus olhos ao céu.

Olhe para o Sol, para as estrelas, para o movimento das árvores. Sinta a brisa acariciando sua pele. Ouça o canto de um pássaro e lembre-se : – Tudo é energia. Você é luz. Seu corpo é luz.

Quando nos lembramos disso, somos convidados a confiar nessa luz. Você confia na luz? Mesmo quando tudo está escuro? Ouça, a luz que você é vai guiar você através da escuridão. Você não precisa conhecer o caminho, não precisa se antecipar ou tentar controlar as coisas para que isso aconteça.

O que você precisa é manter uma conexão com a luz. Recebemos, a cada instante, tudo o que necessitamos para o nosso bem, e para o bem maior. A voz do amor (outro nome da luz) sussurra com delicadeza em nossos ouvidos. Nos fornece instruções, direcionamento, acolhimento.

Podemos receber tudo o que necessitamos. Apenas precisamos estar atentos. Ouvir essa voz é a única proteção real neste momento. Seremos intuitivamente guiados. Para ouvir sua voz interior, sua intuição, você precisa confiar na luz, confiar no amor, nessa força inteligente que criou tudo o que existe, nessa força que tudo sabe, que tudo pode.

Feche os olhos. Respire. Dissolva o medo ao entregá-lo à essa força. Você é um filho da luz e será guiado em meio à ilusão do caos que paira na terceira dimensão, nesta camada de espaço/tempo. Nos moveremos para uma dimensão feita de paz.

Para facilitar isso, fique leve. Torne sua vida leve. Solte os excessos, os apegos, as crenças, as bagagens que acumulou em sua vida. Solte e confie. Permita-se ser guiado pela sua luz. A saída é para cima.” (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: SOLTE-SE, FIQUE LEVE E SE DEIXE SER GUIADO PELA LUZ!

REFLEXÃO: A HISTÓRIA DO MENINO MAIS RICO DO MUNDO, POR CAMILA ZEN

Sexta-feira é dia de REFLEXÃO, aqui no Blog do Saber, com Camila Zen. Hoje ela conta uma história sobre uma família muito rica e ensinamentos passados de pai pra filho… ou seria de filho pra pai?… Depois de ouvir a história, me conta, o quão rico você se sente? Eu espero que essa história possa trazer um pouco de luz pro seu dia e pro dia das pessoas que você ama 🧡

Amor e luz, Namastê 🧡✨🙏🏼

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: A HISTÓRIA DO MENINO MAIS RICO DO MUNDO, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: A MENTE RACIONAL E A CONSCIÊNCIA INTUITIVA

Não é a toa que Eckhart Tolle é um dos mais respeitados pensadores de todos os tempos. Citado por pelo menos 9 de cada 10 estudiosos da mente humana. No texto escolhido para a nossa REFLEXÃO de hoje o extraordinário pensador faz um paralelo entre a mente racional e a consciência humana, mostrando que somos todos Consciência e que a mente racional pode ser muito poderosa, mas está resumida e restrita aos pensamentos e não alcança de longe o que na realidade é a nossa consciência. Convido você a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Para além da mente racional

 em 

 

“É muito fácil uma pessoa ficar encarcerada nas suas próprias prisões conceituais.

Na ânsia de conhecer, de entender e controlar, a mente humana confunde as suas opiniões e pontos de vista com a verdade. Afirma: isto é assim.

Teremos de ser mais abrangentes do que o pensamento para percebermos que qualquer interpretação que se tenha sobre a “nossa vida” ou a vida e o comportamento dos outros, qualquer juízo que se faça sobre uma situação não é mais do que um ponto de vista, uma de muitas perspectivas possíveis.

Não passa de um amontoado de pensamentos. A realidade é um todo uno, onde todas as coisas estão entrelaçadas, onde nada existe em si e por si mesmo. Porém, o pensamento fragmenta a realidade, retalha-a em mil e um pedaços conceituais.

A mente racional pode ser um instrumento útil e extraordinário, mas também muito limitativo quando se apodera completamente da vida e o impede de ver que a mente não passa de um aspecto bastante diminuto da consciência que nós somos. ” (Eckhart Tolle – A Voz da Serenidade)

Luz e Paz!!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: A MENTE RACIONAL E A CONSCIÊNCIA INTUITIVA

REFLEXÃO: SABER VIVER E SER RECONHECIDO É UMA ARTE

O texto escolhido para REFLEXÃO de hoje aborda “a arte da sobrevivência” e com uma pequena história contada pelo velho sábio podemos entender como é difícil sobreviver e principalmente ser reconhecido pelos nossos méritos, pois sobreviver é uma arte. Convido você a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor.

A arte da sobrevivência

Um fazendeiro colecionava cavalos e só faltava uma determinada raça.

Um dia ele descobriu que o seu vizinho tinha este determinado cavalo. Assim, ele atazanou seu vizinho até conseguir comprá-lo.

Um mês depois o cavalo adoeceu, e ele chamou o veterinário:

-Bem, seu cavalo está com uma virose, é preciso tomar este medicamento durante 3 dias, no terceiro dia eu retornarei e caso ele não esteja melhor, será necessário sacrificá-lo.

Neste momento, o porco escutava toda a conversa.

No dia seguinte deram o medicamento e foram embora. O porco se aproximou do cavalo e disse:

– Força amigo! Levanta dai, senão você será sacrificado!!!

No segundo dia, deram o medicamento e foram embora. O porco se aproximou do cavalo e disse:

– Vamos lá amigão, levanta senão você vai morrer! Vamos lá, eu te ajudo a levantar… Upa! Um, dois, três.

No terceiro dia deram o medicamento e o veterinário disse:

-Infelizmente, vamos ter que sacrificá-lo amanhã, pois a virose pode contaminar os outros cavalos.

Quando foram embora, o porco se aproximou do cavalo e disse:

– Cara é agora ou nunca, levanta logo! Coragem! Upa! Upa! Isso, devagar! ótimo, vamos, um, dois, três, legal, legal, agora mais depressa vai… Fantástico! Corre, corre mais! Upa! Upa! Upa!!!
Você venceu, Campeão!!!

Então de repente o dono chegou, viu o cavalo correndo no campo e gritou:

– Milagre!!! O cavalo melhorou. Isso merece uma festa…”Vamos matar o porco!!!”

Isso acontece muito dentro de uma empresa e ninguém percebe, quem é o funcionário que merece o mérito pelo sucesso. Saber viver e ser reconhecido é uma arte.

Fonte: Velho Sábio

Continuar lendo REFLEXÃO: SABER VIVER E SER RECONHECIDO É UMA ARTE

REFLEXÃO: HOJE EU POSSO ESCOLHER A GRATIDÃO

Nesta terça-feira, no nosso momento de REFLEXÃO temos um texto extraordinário sobre GRATIDÃO. Um olhar diferente lançado sobre o cotidiano, as coisas da vida que valoriza o lado bom das coisas, ao invés do foco nas coisas negativas e sombrias. A gratidão que é o sentimento mais nobre e vibra em alta frequência, onde o mal e a escuridão jamais se aproximam. Então convido você a ler esse texto maravilhoso, refletir e fazer o seu juízo de valor!

O Poder da Gratidão - Evolução Pessoal

Hoje eu posso escolher

Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite.

É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.

Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição.

Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.

Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.

Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.

Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter um trabalho.

Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a deus pela oportunidade da experiência.

Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.

Se as coisas não saíram como planejei, posso gastar os minutos a me lamentar ou ficar feliz por ter o dia de hoje para recomeçar.

O dia está na minha frente esperando para ser vivido da maneira que eu quiser.

E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma às idéias e utilidade às horas. Tudo depende só de mim.”

Nesta mensagem atribuída ao saudoso Charlie Chaplin, astro de Hollywood que encantou o mundo no tempo do cinema mudo, encontramos motivos de reflexões.

Sem dúvida, a vida é feita de escolhas…

O tempo todo estamos fazendo escolhas, elegendo o que fazer e o que não fazer, o que pensar e o que não pensar, em que acreditar e em que não acreditar.

A vida está sempre a nos apresentar opções. E as escolhas dependem exclusivamente de nós mesmos.

Não há constrangimento algum. Somos senhores absolutos da nossa vontade, no que diz respeito às questões morais.

Se é verdade que às vezes somos arrastados pelas circunstâncias, é porque optamos anteriormente por entrar nesse contexto.

Assim, antes de optar por qualquer das opções que a vida nos oferece, é importante pensar nas conseqüências que virão em seguida.

Importante lembrar que não estamos no mundo em regime de exceção. Todos estamos na terra para aprender. E as lições muitas vezes são mais simples do que pensamos.

Não imaginemos que as coisas e circunstâncias desagradáveis só acontecem para nos atingir. Elas fazem parte do contexto em que nos movimentamos junto a milhares de pessoas que vivem na terra conosco.

***

Olhe, em seu jardim, as flores que se abrem e nunca as pétalas caídas.

Contemple, em sua noite, o fulgor das estrelas e nunca o chão escuro.

Observe, em seu caminho, a distância já percorrida e nunca a que ainda falta vencer.

Retenha, em sua memória, risos e canções e nunca os seus gemidos.

Conserve, em seu rosto, as linhas do sorriso e nunca os sinais da mágoa.

Guarde, em seus lábios, as mensagens bondosas e esqueça as maldições.

Conte e mostre as medalhas de suas vitórias e encare as derrotas como uma experiência que não deu certo.

Lembre-se dos momentos alegres de sua vida e não das tristezas.

A flor que desabrocha é bem mais importante do que mil pétalas caídas.

E um só olhar de amor pode levar consigo calor para aquecer muitos invernos.

Seja otimista e não se esqueça de que é nas noites sem luar que brilham mais forte nossas estrelas.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em texto atribuído a Charlie Chaplim e em mensagem de autoria desconhecida.

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: HOJE EU POSSO ESCOLHER A GRATIDÃO

REFLEXÃO: O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA É COMO AS FASES DA METAMORFOSE DA BORBOLETA

Precisamos entender que esse invólucro em que estamos acondicionados não é diferente do casulo da borboleta em suas 4 fases, ovo, lagarta, crisálida e imago. O que passamos nesse corpo que tomamos emprestado para vivenciar essa incrível experiência é o mesmo processo de libertação da borboleta. Quando esse casulo não nos serve mais não significa o fim e sim o começo de uma nova fase. Aquela em que criamos asas e desafiamos a gravidade em busca da liberdade e de voos extraordinários em planos mais elevados. O texto a seguir aborda essa linha de pensamento e de consciência!

As Quatro Fases do Despertar da Consciência! | Embaixadores do Cosmos

A libertação da borboleta

A doutora Elisabeth Kübler-Ross, psiquiatra de origem suíça, especializou-se em doentes terminais.

Assistindo centenas de crianças que estavam morrendo, ela nos diz que devemos aprender a ouvir.

Ouvir o que a criança expressa verbalmente. E mesmo aquilo que ela transmite pela linguagem não verbal.

Crianças terminais, conta ela, sabem quando vão morrer. E precisam de algum atendimento especial. Atendimento que só o amor incondicional pode dar.

Falando de sua experiência, narra que conheceu um menino que aos nove anos se encontrava à beira da morte.

Portador de câncer, desde os 3 anos de idade, Jeffy nem conseguia mais olhar para as agulhas de injeção.

Tudo era doloroso para ele. No hospital, esperava a morte. O médico sugeriu que se iniciasse uma nova quimioterapia.

Mas o menino pediu: “quero ir para casa, hoje.”

Os pais optaram por lhe satisfazer a vontade.

Quando Jeffy chegou em casa, pediu ao pai que descesse da parede da garagem a sua bicicleta.

Durante muito tempo, seu sonho tinha sido andar de bicicleta. O pai a comprou, mas por causa da doença ele nunca pode andar.

A dificuldade era imensa, até mesmo para se manter em pé, então Jeffy pedalou a bicicleta com o amparo das rodinhas auxiliares.

Disse que iria dar uma volta no quarteirão e que ninguém o segurasse. Ele desejava fazer aquilo sozinho.

A médica que o acompanhava, a mãe e o pai ficaram ali, um segurando o outro. A vontade era de segui-lo.

Ele era uma criança muito vulnerável. Poderia cair, se machucar, sangrar.

Ele se foi. Uma eternidade depois, ele voltou, o homem mais orgulhoso que se possa ter visto um dia.

Sorria de orelha a orelha. Parecia ter ganho a medalha de ouro nas olimpíadas.

Sereno, pediu ao pai que retirasse as rodinhas auxiliares e levasse a bicicleta para seu quarto. E quando seu irmão chegasse, era para ele subir para falar com ele.

Queria falar com o irmão a sós. Tudo aconteceu como ele pediu.

Ao descer, o irmão recusou-se a dizer aos pais o que haviam conversado.

Uma semana depois, Jeffy morreu. E, na semana seguinte, era o aniversário do irmão. Foi aí que o menino contou o que tinha acontecido naquele dia.

Jeffy dissera a ele que queria ter o prazer de lhe dar pessoalmente sua amada bicicleta.

Mas não podia esperar mais duas semanas, até o aniversário dele, porque então já teria morrido.

Por isso, a dava agora. Entretanto, havia uma condição: que ele nunca usasse aquelas rodinhas auxiliares, próprias para crianças bem pequenas.

Quando os pais souberam de tudo, sentiram muita tristeza. Uma tristeza sem medo, sem culpa, sem lamentar.

Eles tinham a agradável lembrança do filho dando a sua volta de bicicleta pelo quarteirão.

E mais do que isso: o sorriso feliz no rosto de Jeffy, que foi capaz de conseguir sua grande vitória em algo que a maioria encara como comum.

***

Dizemos que uma pessoa é como o casulo de uma borboleta. O casulo é o que ela vê no espelho. É apenas uma morada temporária do ser imortal.

Quando esse casulo fica muito danificado, o ser o abandona.

É como a borboleta que se liberta do casulo.

Deixar o ser amado partir sereno, só é possível aos corações que amam de forma incondicional e verdadeira.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no cap. O casulo e a borboleta (Jeffy), do livro O túnel e a luz, de Elisabeth Kübler-Ross, ed. Verus

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA É COMO AS FASES DA METAMORFOSE DA BORBOLETA

REFLEXÃO: EMPATIA, AUTRUÍSMO E COMPAIXÃO NA VISÃO DE CHARLES DARWIN

A nossa REFLEXÃO desta terça-feira vem de um texto impressionante escrito por Paul Eckman sobre a face desconhecida de Charles Darwin, conteúdo de uma obra não impressa, o maior livro não lido de Darwin até então, “A Descendência do Homem e Seleção em Relação a Sexo”, que foi publicado em 1871. Nesta obra Darwin sobre compaixão e revela um lado de seu pensamento ignorado por muitos. Ele descreve como os humanos e outros animais vêm em socorro de outros que estão em perigo. Você precisa ler o artigo completo a seguir para entender em profundidade a visão de Darwin sobre  empatia, altruísmo e compaixão!

Darwin e compaixão

 em 

 

“Um debate pouco conhecido de Darwin sobre compaixão, revela um lado de seu pensamento ignorado por muitos, diferente da visão competitiva, cruel e egoísta da natureza humana que tem sido erroneamente atribuída a uma perspectiva darwinista.

Em 1871, onze anos antes de sua morte, o maior livro não lido de Darwin, “A Descendência do Homem e Seleção em Relação a Sexo” foi publicado. No quarto capítulo, Darwin explicou a origem do que ele chamou de simpatia (que hoje pode ser  chamado de empatia, altruísmo e compaixão), que descreve como os humanos e outros animais vêm em socorro de outros que estão em perigo.

Embora ele reconheça que tais ações fossem mais prováveis dentro do grupo familiar, ele descreveu que a maior realização moral refere-se a preocupação com o bem-estar de todos os seres vivos, humanos e não humanos.

Não é de se surpreender, dado o compromisso de Darwin para a continuidade da espécie,  que ele afirmaria que a preocupação com o bem-estar dos outros não é uma característica exclusivamente humana. Ele escreveu:

“Há vários anos, um zelador do Jardim Zoológico me mostrou algumas feridas profundas e mal curadas em sua nuca, causadas por um babuíno feroz, enquanto ele estava ajoelhado no chão.

O macaquinho americano, um grande amigo do zelador e que morava na mesma dependência,  ficou extremamente assustado com o grande babuíno. No entanto, assim que ele viu o amigo em perigo, correu para socorrê-lo, e, entre gritos e mordidas, conseguiu distrair o babuíno para que o homem fosse capaz de escapar, depois. . . de correr um grande risco de vida.”

De acordo com Darwin, a probabilidade de tais ações é maior quando quem ajuda tem alguma relação com a pessoa que necessita de ajuda. Mesmo aqueles que ele descreveu como sendo “selvagens,”  colocariam suas vidas em risco por um membro de sua comunidade. Ele citou o “instinto materno” para explicar por que uma mãe não hesitará em resgatar o seu  filho do perigo, mesmo quando isso signifique expor-se a essa mesma ameaça.

Darwin reconheceu, no entanto, que alguns indivíduos ajudam completos estranhos em perigo, e não só parentes, entes queridos ou membros de uma mesma comunidade. Sem especificar se representavam a maioria ou, simplesmente, uma ocorrência frequente, Darwin escreveu que “muitos dos homens civilizados” agiriam com bravura para ajudar um estranho, mesmo que isso implicasse em risco para suas próprias vidas.

Ele atribuiu tal heroísmo ao mesmo motivo que “. . . levou o heroico macaquinho americano, descrito anteriormente, a salvar o seu zelador, atacando o grande e terrível babuíno,” o que implica que o heroísmo relacionado a estranhos não se limita aos homens civilizados. A linha de pensamento de Darwin foi corroborada pelo estudo contemporâneo de Monroe, sobre indivíduos excepcionais que socorrem outros pondo em risco suas próprias vidas.

Darwin não leva em consideração por que a compaixão para com estranhos, mesmo sob próprio risco de vida, está presente em apenas alguns indivíduos. Existe uma predisposição genética para tais preocupações, ou isso é apenas resultado de alguma combinação entre a natureza e a criação? Além disso, Darwin não escreveu sobre a possibilidade de se cultivar tal compaixão por estranhos naqueles que não a possuem. Hoje, estes são pontos cruciais de investigação teórica e empírica.

No entanto, Darwin oferece uma explicação da origem da compaixão. Quando a dor ou o sofrimento é testemunhado involuntariamente, a testemunha  experimenta o sofrimento da pessoa.

De acordo com esta linha de raciocínio, a testemunha age para diminuir o sofrimento da outra pessoa e, dessa formadiminuiro seu próprio sofrimento tendo como base a empatia.

Darwin não considera por que tais respostas empáticas não aparecem em  todos os indivíduos.

Seja qual for a sua origem, Darwin propôs que a seleção natural favorece o ato da compaixão:

Por mais complexa a conduta na qual esse sentimento possa ter sido originado, uma vez que é de grande importância para todos aqueles animais que socorrem e defendem uns aos outros, ela terá sido reforçada pela seleção natural; estas comunidades, que incluem o maior número de membros mais compassivos, iriam prosperar mais  e criar a maior prole.

No entanto, ao contrário da expectativa de Darwin, não existem países conhecidos hoje ou no passado onde a compaixão e o altruísmo em relação a estranhos são manifestados pela maioria da população.

A razão, que deveria ser óbvia, segundo ele, é de que as pessoas devem ser compassivas não só com estranhos em sua própria nação, e sim estender esta preocupação a todas as pessoas, de todas as nações e de todas as raças.

A experiência infelizmente nos mostrou quanto tempo leva antes de olharmos para eles como nossos semelhantes. A simpatia além das fronteiras do homem, que é a humanidade para com os animais inferiores, parece ser uma das conquistas mais recentes. Esta virtude (a preocupação com os animais inferiores), uma das mais nobres das quais o homem é dotado, parece surgir acidentalmente a partir de nossas compreensões, tornando-se mais suave e amplamente difundida, até que elas se estendam a todos os seres sencientes.”

Durante uma série de discussões, eu li esta última citação de Darwin, a respeito das emoções e compaixão, ao Dalai Lama. O tradutor do Dalai Lama exclamou: “Ele usou a frase ”todos os seres sencientes”? O tradutor ficou surpreso porque esta frase é a tradução exata em Inglês da descrição tibetana e sânscrita da maior extensão de compaixão por um Bodhisattva (um santo budista).

A preocupação com o bem-estar de todos os seres vivos não é encontrada nas religiões abraâmicas (Judaísmo, Cristianismo, Islamismo), que concentram-se na preocupação com todos os seres humanos. A preocupação com os outros animais existe no hinduísmo, mas somente de forma limitada. Dentre as principais religiões do mundo, a que abrange a compaixão para com todos os seres vivos é exclusiva do budismo.

A  impressionante semelhança entre Darwin e a mais alta virtude moral do ponto de vista budista (todos os seres sencientes), e as origens da compaixão (ambos atribuem a diminuição de seu próprio sofrimento empático, e ambos observam que é mais forte em relação aos sentimentos de uma mãe para com seu filho), levantam a possibilidade de que as ideias de Darwin possam ter sido  derivadas a partir do ponto de vista das escritas budistas.

No entanto, a origem das ideias de Darwin sobre moralidade e compaixão aparecem em suas 1.838 anotações, dois anos após seu retorno da viagem do Beagle, quando Darwin tinha 29 anos de idade, cinco anos antes de ele aprender sobre budismo com seu grande amigo JD Hooker.

Ao concluir a introdução de sua edição de “A Descendência do Homem e Seleção em Relação a Sexo”, Moore e Desmond escreveram que alguns dos contemporâneos que estudaram este livro, enfatizaram os “. . . aspectos humanos dos valores vitorianos de Darwin: dever, altruísmo e compaixão.”

Os pensamentos de Darwin sobre a compaixão, o altruísmo e a moralidade, certamente mostram um lado diferente das preocupações deste grande pensador, frequentemente retratado pelos que não são familiares com suas escritas e que se concentram na famosa frase “a sobrevivência do mais apto” (uma citação de Spencer, não de Darwin).

Mesmo alguns cientistas desconhecem o compromisso de Darwin com a harmonia da humanidade, suas convicções abolicionistas e seu grande interesse em princípios morais e no bem-estar humano e animal.” (Paul Eckman)

Luz e Paz!

Continuar lendo REFLEXÃO: EMPATIA, AUTRUÍSMO E COMPAIXÃO NA VISÃO DE CHARLES DARWIN

REFLEXÃO: O HOMEM QUE MOVEU UMA MONTANHA, POR CAMILA ZEN

Nesta Sexta-feira a nossa Camila Zen nos trás uma história real para REFLEXÃO. Essa é a história de Dashrath, um indiano que transformou a sua dor em uma montanha do bem. Uma história que nos ensina a lidar com as nossas próprias dores de uma forma inspiradora. Quando as nossa dores e lições nos deixam mais conscientes o produto final é sempre inspirador e do bem.✨ Eu espero que essa história possa te ajudar ou ajudar alguém que você ama. Amor e luz, namastê!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: O HOMEM QUE MOVEU UMA MONTANHA, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: QUERER RESISTIR AS LIÇÕES QUE A VIDA NOS ENSINA É ESTABELECER UMA RELAÇÃO COM A DOR

Uma feliz e providencial coincidência aconteceu hoje! Como sempre escolho o tema do meu ARTIGO por intuição e é a primeira publicação que faço para a terça-feira, aqui no Blog do Saber. Em seguida escolho o tema da coluna REFLEXÃO, que normalmente consulto logo o blog da Beth Michepud, SABEDORIA UNIVERSAL, e eis que o título do seu artigo era justamente: “SOBRE EVOLUIR”. Nada mais, nada menos o mesmo assunto que acabara de escrever. Portanto, convido você a ler os dois ARTIGOS, que estão muito bons e podem transformar, de alguma forma, a sua vida!

SOBRE EVOLUIR

 em 

 

“Evoluir é tão necessário para a alma quanto respirar é para o corpo. É mais do que uma necessidade é uma Lei.

Ninguém foge da evolução, porque ninguém foge de si. Você pode se esquivar, tentar ignorar, querer estacionar onde chegou. Mas quem não anda, a vida empurra. Porque o fluxo é infinito.

Querer resistir as lições que a vida nos ensina é estabelecer uma relação com a dor. Pois, tudo na existência ensina. A lição está na caminhada e no repouso, nas pessoas que ficam e nas que saem, nas suas quedas e no seu levantar, naqueles que ama ou odeia, nas suas conquistas e nas coisas que teve que abrir mão, nas escolhas feitas ou na omissão, no seu choro e no seu riso, nas pessoas que conhece e naqueles que sem você saber, ajudam a escrever a história da existência nesta ou em outras dimensões.

Tudo é lição, significado e sincronia. Tudo tem sentido e destino. Você está no processo com consciência ou não. Mas a escolha é sempre sua, procurar aprender e fluir com a evolução é lançar luz na escuridão da dor.

Porém, mesmo que resista, essa mesma dor é a que te fará procurar a cura. Evoluir é crescer, viver é crescer. Pare um instante. Apenas respire e sinta. Você é o processo!

Não importa a situação que esteja, ou o tamanho da sua dor. Não importa a personalidade a qual você se identifica ou a realidade em que se colocou. Tudo é uma fase… um ciclo… uma transição. Queira ou não você vai aprender, você vai crescer, você vai mudar, você vai se tornar mais consciente, você vai evoluir.

Um dia, sem querer, você vai perceber que sua luz sempre esteve aí. Era só uma questão de abrir os olhos. Os olhos da Alma para vê-la! Evoluir é inevitável.” (Alexandro Gruber)

Luz e Paz!

Continuar lendo REFLEXÃO: QUERER RESISTIR AS LIÇÕES QUE A VIDA NOS ENSINA É ESTABELECER UMA RELAÇÃO COM A DOR

REFLEXÃO: A REAL DECISÃO DE MUDAR SE DÁ COM A EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA

O texto que apresentamos hoje, aqui na coluna REFLEXÃO trata da “real decisão de mudar”. Normalmente, o homem, só consegue mudar um hábito, quebrar paradigmas e/ou abandonar as crenças limitantes, depois de um grande susto, trauma ou até mesmo depois de vários sustos e situações traumatizantes. Em casos mais raros essa mudança se dá em pessoas que estão em um nível consciencial mais evoluído. No caso de um garoto como o do exemplo do texto a seguir está mais para uma consciência mais evoluída. De uma forma ou de outra a real decisão de mudar só se dá depois de muitas experiências frustrantes. Leia o texto completo a seguir, reflita e faça o seu juízo de valor! 

A real decisão de mudar

Em uma grande cidade do Brasil, um garoto de oito anos crescia sob os cuidados do irmão, apenas dois anos mais velho que ele, pois os pais precisavam trabalhar o dia todo. Apresentava dificuldades na escola.

Sua professora, ao invés de incentivá-lo a melhorar, expunha suas dificuldades à classe de maneira jocosa, e disse à sua mãe que ele não tinha mais jeito.

O garoto, sentindo-se cada vez mais incapaz, repetiu pela segunda vez o mesmo ano escolar. Revoltado, assaltou a cantina da escola com um revólver de brinquedo que ganhara, sendo, a seguir, expulso da escola.

Sem obrigações, passou a ficar na rua o dia todo e fez-se acompanhar de outros garotos desocupados. Começaram a assaltar pessoas, roubar carros e usar drogas.

Alguns anos depois, alguns de seus colegas de crime perderam suas vidas em função de dívidas com traficantes. Ele teve a certeza de que seria o próximo.

Com medo, procurou uma educadora que criara uma Fundação no bairro onde morava, e que ensinava atividades como idiomas e música a jovens carentes.

Ela o aconselhou a sair das ruas, pelo menos por algum tempo. Para ajudá-lo a passar o tempo, emprestou-lhe um livro. Era o primeiro livro que ele lia em sua vida, e foi o suficiente para arrebatá-lo.

Vieram, então, outros livros e a decisão de procurar um emprego. Na Fundação que o ajudara, conheceu outros jovens que estudavam para o vestibular.

Conseguiu apostilas e passou a estudar no intervalo do emprego. Fez supletivo aos 21 anos e prestou vestibular para um curso de línguas em uma Universidade pública de renome. Foi recompensado.

Ainda cursando a Universidade conseguiu voltar à escola de onde fora expulso: agora como professor de português.

Depois de formado, seguiu os estudos ingressando na pós-graduação em Educação Social. Hoje, trabalha em uma entidade não governamental na região onde mora.

Escreveu um livro sobre o assunto e deseja mostrar, com seu exemplo, que é possível mudar, que nada é irremediável.

* * *

O que o garoto fez para mudar o curso de sua jornada? O medo de perder a própria vida foi para ele um incentivo importante para mudar de rumo.

Ele ouviu sua própria intuição que o levou a procurar ajuda no local certo. Encontrou alguém que acreditou nele, e o mais importante: ele realmente decidiu mudar.

Como aquela educadora que o acolheu, há incontáveis pessoas e instituições que hoje se dedicam a auxiliar criaturas em situação econômica precária, drogaditos, presidiários, dando-lhes oportunidades.

Mas, em toda e qualquer situação, o auxílio não muda realmente o indivíduo, a não ser que ele mesmo decida mudar.

Reflitamos sobre as numerosas mudanças que decidimos fazer em nossas vidas, mesmo que pequenas, e que, muitas vezes não passam da vontade, diante do comodismo e dificuldades que criamos para não mudar.

A história desse jovem nos serve de lição e de exemplo sobre a real decisão de se modificar e superar a própria condição.

Redação do Momento Espírita com base na reportagem O ladrão que virou professor, publicada no Caderno Cidades, do jornal “on line” estadão.com.br

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: A REAL DECISÃO DE MUDAR SE DÁ COM A EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA

REFLEXÃO: SOMOS TODOS CENTELHAS DIVINAS

O texto apresentado à nossa coluna REFLEXÃO, nesta terça-feira, aborda a “Presença Divina” em nós humanos e reafirma que essa presença é real e iminente. Essa sensação, essa percepção, essa intuição já foi confirmada pelos antigos e ainda hoje a maioria das pessoas não acreditam ou não se sentem divinos. Gente, somos sim, todos, centelhas divinas. Somos Deuses em evolução, pois recebemos do criador o seu maior presente: o Livre Arbítrio. Sim, dente milhões ou bilhões de organismos vivos, habitantes do planeta Terra somos os únicos que recebemos esse dom. Por isso não há dúvidas sobre isso. O texto a seguir nos confirma essa crença! Leia, reflita e faça o seu juízo de valor!

Presença Divina

 em 

 

Não importa se você está em sua casa, em uma biblioteca ou numa praça pública.
Imagine-se, agora mesmo, diante de uma presença divina.

O que você pensaria, se percebesse que uma grande inteligência espiritual, de uma sabedoria infinita, está a seu lado? Qual a sua atitude se percebesse que um ser santo e sábio, um instrutor da humanidade, observa, neste preciso instante, suas emoções e pensamentos? Teria vergonha, sentiria orgulho, ou seria tomado pela emoção? Ficaria calmo ou nervoso?

Sejam quais forem as suas respostas para as perguntas acima, elas não são um mero exercício de imaginação. Cada ser humano sempre está, de fato, na presença do mundo divino e do princípio supremo do universo. Mesmo que tenha uma tendência crônica de esquecer desse fato.

Dormindo ou acordados, atentos ou desatentos, em paz ou angustiados, os seres humanos estão sempre diante, ou ao lado, desta presença divina multidimensional.

Não há um nome ou termo adequado para mencioná-la.

A chamada “prática da presença divina” consiste na lembrança constante de que, como seres humanos, estamos 24 horas por dia na presença da Lei eterna e da Inteligência infinita. Esta ideia é pitagórica e foi absorvida – mais recentemente – pela tradição mística cristã.
É verdade que frequentemente as pessoas esquecem desta presença divina. Quando isso ocorre, a presença sagrada continua ativa na aura do indivíduo e “fotografa” o tempo todo os fatos, agradáveis ou desagradáveis. Tudo é registrado pelo carma para o débito e o crédito futuros, como escreveu um
Mestre.

Alguns estudantes lutam conscientemente por manter a lembrança constante do seu caráter essencialmente divino, que está secundariamente sujeito a erros e ilusões. Elas lembram durante algum tempo da presença divina e depois esquecem; e então relembram; e assim vão lutando. A cada erro, aprendem mais.

Aos poucos, passam a receber cada vitória com humildade e cada derrota com autoconfiança. Então, os altos e baixos da “maré cármica” deixam de atingir estes caminhantes”.

“Há Uma Presença Divina Junto a Nós?
Oportunidade Única Para Quem Tem Olhos Para Ver”
Boletim “O TEOSOFISTA”, nr. 9, Fevereiro 2008, Parte II

Fonte: Blog Anjos da Luz

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: SOMOS TODOS CENTELHAS DIVINAS

REFLEXÃO: SAIBA ONDE ESTÃO AS RESPOSTAS NESSA CURTA HISTÓRIA, POR CAMILA ZEN

Sexta-feira é dia de REFLEXÃO, aqui no Blog do Saber, com Camila Zen. Muitas vezes procuramos explicação pra tudo.. tentando entender como tudo funciona, como é o certo a fazer… mas se olharmos pra dentro de nós, e nos conectarmos com o ritmo da vida, podemos perceber que as respostas já estão aqui dentro, e muitas vezes não são claras como fórmulas matemáticas… mas sim, algo que, se você se permitir, você sente muito claro dentro do seu coração. Eu espero que essa história possa te ajudar a se conectar com o ritmo da vida e de todo o universo, que é a mesma energia que vibra dentro de você. Amor e luz, namastê.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: SAIBA ONDE ESTÃO AS RESPOSTAS NESSA CURTA HISTÓRIA, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: NÃO CABE MAIS A DICOTOMIA DO BEM E DO MAL. É HORA DE CRECER!

Aqui na coluna REFLEXÃO desta terça-feira vamos refletir sobre a dicotomia que tomou conta do país por conta da polaridade política que já se espalhou para quase todas as searas do cotidiano brasileiro. O texto a seguir é um apelo e um alerta a todos os cidadãos de bem, que este é o “Momento de crescer”. Deixar a escuridão e/ou a sombra e seguir em direção a luz, pois os sombrios estão com os dias contados. Então, te convido a ler, refletir e fazer o seu juízo de valor.

Momento de crescer

 em 

 

É muito importante que a gente aprenda neste momento a “discriminar “. É preciso encontrar o nosso caminho em meio a essa absurda confusão que nos envolve a todos. A forma dualista como fomos criados nos ensinou que há um lado certo e um lado errado. Assim, pensamos que se uma pessoa está no lado que acreditamos certo, essa pessoa é “do bem”, e se está no outro lado, é “do mal”, e deve ser combatida.

Não nos damos conta de que “atacar, agredir, criar separatividade” , isso sim é ausência de luz, e portanto o mal. Não importa em nome de quê. Assim, se você quiser saber quem é quem neste nosso momento planetário, pare de se guiar pelas crenças das pessoas, de forma dual, como temos visto acontecer. Pare de colocar as pessoas em caixas pré rotuladas.

Quando faz isso, você se desconecta da Unidade e passa a fazer parte da ilusão, desse interminável jogo de opostos. Preste atenção à “energia” das pessoas. Uma pessoa que se diz atuar em nome do bem, mas que ataca, agride, quer forçar os outros a seguirem na direção que crê ser a melhor, desqualifica o outro. Essa pessoa, não importa em que lado esteja, não está em sintonia com a luz.

A luz é compassiva. A luz permite que cada um seja quem é. A luz não força. A luz não manipula. A luz não ataca. A luz simplesmente continua sendo quem é, e confia. Neste momento, os filhos da luz estão sob intenso ataque. Isso mostra o último suspiro da escuridão, prestes a ser integrada à luz, a única coisa real nesta vida.

Se assim lhe ocorrer, respire. Sinta compaixão por aqueles que lhe atacam. Lembre-se de que todos são partes de nós mesmos. Sim, proteja-se. Saia de seu raio de alcance. Mas em seu coração, continue emanando sua luz. Eu sei, tudo isso é para gente grande. Mas entenda, chegou a hora de crescermos. (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: NÃO CABE MAIS A DICOTOMIA DO BEM E DO MAL. É HORA DE CRECER!

REFLEXÃO: QUANDO DOER OBSERVE, A VIDA PODE ESTAR TENTANDO LHE ENSINAR ALGO

Na nossa coluna REFLEXÃO desta sexta-feira temos um texto extraordinariamente esclarecedor e de grande sabedoria. O que a vida está tentando me ensinar? Eis o questionamento que devemos fazer toda vez que algo der errado ou não sair como havíamos planejado, pois a vida envia sinais constantemente para que paremos, reflitamos e façamos as nossas correções e/ou mudanças de cursos. Então lhe convido a ler essa maravilha de conteúdo, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Quando doer, observe. A vida está tentando ensinar-lhe algo!

O que a vida está tentando me ensinar

A oportunidade que se perdeu é o título de um artigo do jornalista Roberto Pompeu de Toledo, publicado em um periódico de grande circulação nacional.

O ensaio versa sobre como está o Mundo depois dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, e apresenta uma visão muito interessante que se inicia através das seguintes palavras:

As mortes, a dor, o medo e o luto não esgotam o assunto. Não bastasse isso, não bastasse a barbárie levada a limites impensáveis, o 11 de setembro deixou outro legado desastroso: o da oportunidade perdida.

No dia 12 de setembro de 2001, junto com o pânico, com o choro, com os trabalhos de resgate entre os escombros das torres gêmeas e a busca de culpados, misturada a esses elementos, raiava uma esperança.

Aquele terrível evento poderia ser o ponto de partida para um mundo mais amigo.

Era hora de agir em favor de um mundo menos conflitante e menos injusto. De congregar as nações em busca de soluções que tornassem o planeta Terra um lugar menos perigoso de se viver.

E assim o autor continua, lembrando depois tudo que poderia já estar diferente no Mundo e ainda não está, por muitos líderes não terem percebido que uma grande oportunidade estava sendo concedida ao Mundo.

A de recomeçar.

E como toda a transformação do Mundo passa primeiro pela nossa própria, esta é uma lição que podemos aplicar também em nossas vidas, através de uma visão diferente sobre o sofrimento que nos alcança.

Toda dor que surge em nossa vida é uma oportunidade grandiosa que recebemos. A oportunidade de amadurecer, de crescer, de reescrever nossas histórias, de recomeçar.

Imaginemos a vida nos dizendo: Pare um pouco, pense, reflita, recomece…

Um acontecimento desagradável; um flagelo destruidor; uma enfermidade; a partida de alguém; são chances que a vida nos dá para aprendermos lições preciosas.

Aquele de nós que tivesse o equilíbrio de perguntar: O que a vida está tentando me ensinar? – quando atingido por qualquer tipo de sofrimento, e conseguisse perceber as razões profundas dessas experiências, passaria a viver sem medos.

E com uma consciência espiritual fabulosa sobre as coisas deste Mundo.

A todo momento a existência está nos guiando sem percebermos.

A todo instante a vida ensina.

Constantemente a vida fala conosco, nos mostra caminhos, respostas, conseqüências.

Cabe-nos desenvolver a habilidade de escutar, de perceber em todos os níveis. Do sensorial, passando pelo racional, até o intuitivo, o que nos está sendo ministrado.

A revolta, a indignação e a vingança apenas complicam qualquer problema, enquanto a compreensão e resignação colocam-nos no caminho de resolvê-lo por completo.

Francisco de Assis sempre se referia à dor como sua irmãzinha querida, porque sabia do seu poder e utilidade.

Paulo de Tarso sempre se referia, em suas cartas, aos aguilhões que o machucavam e o faziam sofrer.

Como Francisco de Assis, ele também entendia sua dor, e dizia, inspirado:

Transbordo de júbilo no meio de todas as minhas atribulações.

* * *

A vida nos oferece oportunidades constantemente.

Será extremamente sábio aquele que conseguir perceber esses convites, essas lições, e extrair delas as forças para as mudanças necessárias.

Faça este exercício toda vez que um momento de crise se apresentar.

Troque a reclamação, a indignação e o desapontamento pelo questionamento:

O que a vida está tentando me ensinar??

Redação do Momento Espírita com base no artigo de Roberto Pompeu de Toledo, publicado na revista Veja, de 18 de setembro de 2002, no artigo intitulado O significado do sofrimento, de Sergito de Souza Cavalcanti, extraído do site www.espirito.org.br e no cap. 7, versículo 4 da II epístola de Paulo de Tarso aos Coríntios

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: QUANDO DOER OBSERVE, A VIDA PODE ESTAR TENTANDO LHE ENSINAR ALGO

REFLEXÃO: FAZER A RUPTURA COM CONSCIÊNCIA NOS PERMITE FOCAR NO PRESENTE E NOS APROXIMARMOS DE NÓS MESMOS

A nossa REFLEXÃO desta terça-feira é sobre Ruptura e Reparo. A ruptura que devemos ter com o passado, apesar de não podemos deixar de ver o que vimos. Mas podemos estar presentes um com o outro, hoje. E podemos dar cada passo conscientemente, lentamente, com cuidado, ouvindo e com o coração aberto. Podemos fazer essa ruptura com consciência. Não podemos voltar atrás. Mas podemos focar no presente e nos aproximarmos de nós mesmos. Portanto convido você a ler o artigo completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Ruptura e Reparo

 em 

 

“Primeiro, há a ruptura. E então há o reparo.

A velha dor ressurge, irrompendo das profundezas de nosso inconsciente. O status quo – nosso antigo senso de ‘segurança’ – se estilhaça em um bilhão de pedaços. Sentimo-nos desorientados, sem fundamento, dispersos, sem saber para onde nos voltar.

Um velho mundo desmoronou, um novo mundo ainda não se formou. Nós nos perdemos? Encontramos o estranho espaço do Agora, pura presença, crua, nos dando nascimento aqui, desprotegidos por velhos sonhos, nada para nos agarrarmos, nada para agarrarmos.

Até mesmo nossos conceitos desatualizados de ‘Deus’ se transformam em pó. E então, lembramos de respirar, sentimos nossos pés no chão e observamos a mente girando, em vez de nos perdermos nela. Nosso mundo está fora de controle, mas talvez não estejamos. Nós sentimos o que sentimos. Com medo. Nervoso. Entorpecido. Triste. Sozinho. Inseguro. Seguro. Qualquer que seja.

Comprometemo-nos a sentir isso plenamente hoje, a não nos dissociar desta vez. Um sentimento é apenas um sentimento, não um fato, e a presença pode contê-lo, e somos mais fortes do que imaginamos. Choramos, gritamos, mas estamos reparando, nosso amor.

Nós quebramos para curar, quebramos para consertar, quebramos para sermos inteiros. Velhas energias emergiram agora para serem abençoadas com amor, aceitação, ternura, perdão, compreensão. Não podemos voltar a ser como as coisas eram. Devemos deixar a velha ‘segurança’ morrer. (Não era nenhuma segurança para nós, de qualquer maneira.)

Não podemos deixar de ver o que vimos. Mas podemos estar presentes um com o outro, hoje. E podemos dar cada passo conscientemente agora, não automaticamente, habitualmente, mas conscientemente, lentamente, com cuidado, ouvindo e com o coração aberto. Podemos limpar essa ruptura com consciência. Podemos ficar perto neste momento de vulnerabilidade. Não podemos voltar atrás. Mas podemos ir para o Presente. Podemos nos aproximar de nós mesmos.” 👇🏻

Luz e Paz!

fonte: eter_quintessência

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: FAZER A RUPTURA COM CONSCIÊNCIA NOS PERMITE FOCAR NO PRESENTE E NOS APROXIMARMOS DE NÓS MESMOS

REFLEXÃO: SORTE OU AZAR – O REI E O SÁBIO CONSELHEIRO, POR CAMILA ZEN

Sexta-feira é dia de Camila Zen, aqui na coluna REFLEXÃO do Blog do Saber com mais uma das suas ricas e sábias histórias para a nossa reflexão. O conto de hoje é sorte ou azar – O Rei e o sábio conselheiro, que nos trás mais uma lição de vida para o nosso aprendizado. Então lhe convido a assistir o vídeo completo a seguir e expandir um pouco mais a consciência!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: SORTE OU AZAR – O REI E O SÁBIO CONSELHEIRO, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: UMA BENÇÃO É UM PRESENTE ENERGÉTICO QUE MUITAS VEZES IGNORAMOS

A nossa coluna REFLEXÃO desta terça-feira tem um Presente silencioso, que você pode, deve e merece receber. Por isso convido você a ler o artigo completo a seguir e descobrir que esse presente silencioso pode ser uma simples benção que pode transformar o seu dia!

Presente silencioso

 em 

 

“Todos os dias, saindo para o seu trabalho ou em um lugar público, como uma praça, um parque, uma estação, observe os caminhantes. Deixe-se levar pelo seu coração para que ele escolha as pessoas que você fará seu presente anônimo e silencioso.

Quando você passar por alguém afetado por uma doença, dá-lhe boa saúde no seu pensamento.
Se você vir uma pessoa abatida e triste, dá-lhe paz e alegria.
Se vires uma criança que chora, dá-lhe um lindo futuro.
Se você vir alguém de gesto tosco e grosseiro, dê-lhe amor e desculpe.

E assim, com todas as pessoas que forem embora, cruzando no seu caminho, acolha cada uma delas em seu coração por alguns instantes e deseje-lhes o melhor. Abençoe-os e encha-os de abundância.
Você pode nunca mais ver nenhuma dessas pessoas. Tudo bem, que assim seja! Você não precisa de nenhuma confirmação, o amor nunca se impõe, simplesmente oferece-se a quem tiver a bem recebê-lo.

Faça-o igualmente com seus entes queridos, sua família e conhecidos. Que seja genuíno e sincero, que seja verdadeiro. É muito importante desejar o melhor do mundo a si mesmo também, se abençoar, se cobrir com as vibrações elevadas que os bons pensamentos trazem. ” ( Kali Ametista Cortez )

Pequenos gestos, quando feitos de coração, tem o poder de mudar o dia. Uma benção é um presente energético que muitas vezes ignoramos. Pratique no dia a dia, o hábito de emanar positividade. Nossos melhores pensamentos casados com o nosso sentir, são como orações dissipando as energias negativas.

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA BENÇÃO É UM PRESENTE ENERGÉTICO QUE MUITAS VEZES IGNORAMOS

REFLEXÃO: A VONTADE DIRIGIDA É BIPOLAR

O texto escolhido para a sua apreciação, aqui na coluna REFLEXÃO desta sexta-feira, aborda “a vontade dirigida” e fala de depressão e suicídio. A análise se desenvolve sob o prisma da dualidade e me lembra a Lei da Polaridade – “Tudo é duplo, tudo tem dois polos, tudo tem o seu oposto. O igual e o desigual são a mesma coisa. Os extremos se tocam. Todas as verdades são meias-verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliados”

Em tudo, há a dualidade, há dois lados de uma mesma coisa, que simplesmente estão em polos diferentes, o negativo e o positivo, quente e frio, claro e escuro, amor e ódio, igual ou desigual. Tudo é um extremo de uma mesma coisa. E quando algo está errado na sua vida, é necessário compreender o que é. Para entender ainda melhor sugiro que leia o texto completo a seguir.

Vontade de morrer: como se livrar desse sentimento? - Blog Vittude

A vontade dirigida

O psiquiatra recebeu em seu consultório um paciente com depressão aguda.

Segundo a família, ele estava naquele estado há mais de 5 anos e já havia tentado suicídio várias vezes.

Agora estava ali, diante do médico, em busca de um remédio que o curasse de forma instantânea.

O médico, acostumado a todo tipo de paciente, olhou-o no rosto e falou com firmeza: “Tenho duas notícias para lhe dar. Uma delas é que ainda não existe um remédio para a sua doença.”

O paciente contorceu-se na cadeira, e perguntou um tanto irritado: “e a outra notícia?”

“Bem, a outra notícia é que a sua cura depende da sua vontade”.

“Como assim, Doutor? Eu não tenho vontade para nada. Não tenho vontade de trabalhar, nem de comer, nem de falar com pessoas. A vida não tem mais sentido para mim.”

O psiquiatra, que o observava com atenção, lhe falou com voz muito firme: “você está cheio de vontade.”

Aí o paciente não se conteve, deu um murro sobre a mesa e retrucou nervoso: “o senhor está brincando comigo? Eu já lhe disse que não tenho vontade, Doutor.”

Sem se alterar, o médico voltou a afirmar: “o senhor tem muita vontade, sim. Tem vontade de não trabalhar, de não comer, de dormir, de não falar com ninguém, e vontade de se isolar do mundo.”

“Mas a vida não tem sentido para mim”. Tornou a dizer o paciente.

O médico, conhecedor das causas que levam a pessoa a esse estado de ânimo, disse-lhe: “você está é com raiva do mundo e por isso deseja matar-se, para punir aqueles que o infelicitaram e que não consegue perdoar.”

Nesse momento o homem quase teve um surto. Levantou-se e gritou, enlouquecido: “Eu nunca vou perdoá-los! Meu patrão me despediu, acabou com a minha vida, meus irmãos me roubaram a herança e…”

E desfilou uma lista de nomes de pessoas que odiava com toda força de seu ser.

Então o psiquiatra voltou a dizer: “somente quando você perdoar conseguirá se livrar desse ácido que o corrói e o está matando, dia após dia.”

E aquele homem enorme, falou entre dentes: “eu nunca vou perdoá-los”.

O médico aproveitou a oportunidade para reafirmar ao seu paciente que ele estava cheio de vontade, mas dirigida para a própria infelicidade.

Vale a pena meditar sobre a direção que estamos dando a nossa vontade.

Até quando dizemos que não temos vontade, estamos usando nossa vontade para não sentir vontade.

Se dizemos que não sentimos vontade de viver, podemos afirmar que, na verdade, estamos com vontade de não viver.

Estamos com vontade de fugir do mundo, com vontade de dormir, de ficar num quarto fechado, com vontade de morrer…

Mas a vontade está ativa. Somente está sendo dirigida para onde nossa razão desejar.

Se você ainda não havia pensado por esse ângulo, pense agora.

Lembre-se de que a vontade é uma força neutra que existe em nós, capaz de definir nossas ações. Basta que saibamos dirigir essa força de acordo com nossa escolha.

Se escolhemos ter vontade de morrer, podemos direcionar essa força para a vontade de viver. A força não se altera, mas alteramos a direção.

Se escolhemos ter vontade firme de não perdoar, de manter o desejo de vingança, podemos dirigir essa força para a indulgência, para o perdão.

O que geralmente acontece, é que sentimos prazer mantendo esse estado de coisas. Sentimos prazer em chamar a atenção dos outros, fazendo-nos de vítimas.

Essa autopiedade é extremamente perigosa, pois pode nos levar a situações de maior infelicidade ainda.

Por todas essas razões, vale a pena direcionar a nossa vontade com lucidez.

Com o desejo sincero de construir a nossa felicidade efetiva, sem o prazer mórbido de infelicitar aqueles que nos infelicitam.

Pense nisso, mas pense agora.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em palestra do Dr. José Roberto Martinez, no Teatro da FEP, em 03/04/2005

Continuar lendo REFLEXÃO: A VONTADE DIRIGIDA É BIPOLAR

REFLEXÃO: AUTOCONHECIMENTO, INTUIÇÃO E HUMILDADE PARA CONSTRUIR SEU PRÓPRIO CAMINHO

O Blog do Saber apresenta, nesta terça-feira, na sua coluna REFLEXÃO, mais uma preciosidade da maravilhosa Patrícia Gebrim, que aborda o autoconhecimento, a intuição e a humildade, simplesmente sem citar as três palavras, mas elas estão nas entrelinhas desse texto fantástico que é só sabedoria. Portanto, convido você a ler, refletir, interpretar e colher o melhor desse texto para sua própria evolução!

Seu próprio caminho

 em 

 

Todos nós, encarnados no planeta neste ponto do tempo e espaço, estamos sendo chamados a ouvir nossa própria voz.

Há muitas vozes à nossa volta, apontando para as mais diversas verdades e direções. Quer saber? Ouça a todas, mas siga apenas a si mesmo.

Não há como evitar envolver-se com o que estamos vivendo. É preciso ter uma opinião, tomar decisões, você entende? Faça suas escolhas, mas faça sem arrogância, sabendo que mesmo você pode estar equivocado. Todos podemos.

O caminho não existe por si só, e sim no encontro entre o caminho e o caminhante. Cada um de nós faz parte da realidade que cria. Pode ser que seguir pela direita seja o melhor para você, mas você nada sabe sobre o que é o melhor para os outros.

Assim, talvez nosso maior desafio neste momento seja parar de julgar os outros. Você julga porque está tão cheio de certezas, está tão certo de que sua escolha é a melhor… E se não for? E se não for a melhor para aquela pessoa?

O outro tem tanta certeza quanto você de que está certo. Você gostaria de ser obrigado a seguir o que o outro acredita? Se não gostaria, não obrigue ninguém. Não julgue ninguém. Talvez, se tivesse percorrido os mesmos caminhos que aquela pessoa, você acreditasse no mesmo que ela.

Assim, paremos de tentar controlar o mundo. Nos foquemos em honrar nosso próprio caminho e percorrê-lo com atenção e confiança, da forma mais plena que formos capazes. (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: AUTOCONHECIMENTO, INTUIÇÃO E HUMILDADE PARA CONSTRUIR SEU PRÓPRIO CAMINHO

REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE AS DIFICULDADES DA VIDA

Sexta-feira é dia de REFLEXÃO com Camila Zen, aqui na coluna REFLEXÃO. Hoje estamos publicando um vídeo onde ela conta “Uma Curta História sobre as dificuldades da vida”. Um conto que nos ajuda a refletir… afinal, por que passamos por tantas dificuldades na vida? Convido você a assistir ao vídeo e depois fazer o seu juízo de valor. Espero que esse vídeo possa te ajudar ou ajudar alguém que você ama! 🧡 Amor e luz, namastê 🙏🏼

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE AS DIFICULDADES DA VIDA

REFLEXÃO: QUANDO PERCEBEMOS SEM INTERPRETAR AS COISAS CONSEGUIMOS SENTIR DE FATO A INTERCONEXÃO DO TODO

O todo é uno, é unicidade e compreende tudo o que existe! O nosso estudo desta terça-feira, aqui na coluna REFLEXÃO é sobre um texto do incrível e extraordinário Eckhart Tolle, cujo título é: “O que você quer dizer com o todo?” Para quem ainda não tem muito conhecimento ou não se aprofundou no estudo da Física Quântica, é uma excelente oportunidade de entender o funcionamento do universo e das limitações dessa materialista 3ª Dimensão em que vivemos. Portanto leia, reflita e faça o seu juízo de valor!

“O que você quer dizer com o todo?”

Por um lado, o todo compreende tudo o que existe. É o mundo ou o cosmo. Entretanto, todas as coisas existentes, dos micróbios aos seres humanos e às galáxias, não são realmente coisas, ou entidades separadas – elas constituem parte de uma teia de processos multidimensionais interligados. Nós não reconhecemos essa unidade, isto é, só vemos as coisas como elementos isolados.

Isso ocorre por duas razões. Uma delas é a percepção, que reduz a realidade àquilo a que temos acesso por meio da pequena extensão dos nossos sentidos: o que podemos ver, ouvir, cheirar, provar e tocar. No entanto, quando somos capazes de perceber sem interpretar ou rotular mentalmente, ou seja, sem acrescentar o pensamento às percepções, conseguimos sentir de fato a interconexão mais profunda sob a percepção da aparente separação das coisas.

A outra razão mais séria para a ilusão da separação é o pensamento compulsivo. Quando estamos presos a fluxos incessantes de pensamento compulsivo, de fato o universo se desintegra para nós e perdemos a capacidade de sentir a interconexão entre tudo o que existe. O pensamento desmembra a realidade em fragmentos sem vida. Dessa visão fracionada se originam ações extremamente insensatas e destrutivas.

Entretanto, existe um nível ainda mais profundo do todo que é a interconexão de tudo o que existe. Nele todas as coisas são uma só. Isso é a Origem, a Vida não manifestada. É a inteligência infinita que se expressa como um universo se desdobrando no tempo. O todo é constituído da existência e do Ser, o manifestado e o não- manifestado, o mundo e Deus.

Assim, ao nos alinharmos com o todo, nos tornamos uma parte consciente da sua interconexão e do seu propósito: o surgimento da consciência no mundo. Por causa disso, incidentes favoráveis, encontros casuais, coincidências e acontecimentos sincrônicos ocorrem com muito mais frequência. Carl Jung chamou a sincronicidade de “princípio não causal de conexão”.

Isso significa que não existe ligação causal entre eventos sincrônicos no nível superficial da realidade. Trata-se de uma manifestação exterior de uma inteligência subjacente por trás do mundo das aparências e de uma conectividade mais profunda que nossa mente não é capaz de entender. Mas podemos ser participantes conscientes do desdobramento dessa inteligência, a consciência florescente.

A natureza existe num estado de unificação inconsciente com o todo. Foi por isso, por exemplo, que praticamente nenhum animal selvagem morreu durante o catastrófico tsunami de 2004. Como eles estão mais em contato com a totalidade do que os seres humanos, conseguiram sentir a aproximação da onda muito tempo antes de ela ser vista ou ouvida e, assim, tiveram chance de se deslocar para um terreno mais elevado. É provável que eles tenham apenas se visto partindo para um lugar mais alto.

Fazer isto por causa daquilo é o modo como a mente humana fragmenta a realidade, enquanto a natureza vive na unificação inconsciente com o todo. E nosso propósito e destino é trazer uma nova dimensão para este mundo vivendo no estado de unificação consciente com a totalidade e num alinhamento consciente com a inteligência universal.

O todo pode usar a mente humana para criar coisas ou produzir situações que estão alinhadas com seu propósito? Sim, sempre que existe inspiração, que significa “em espírito”, e entusiasmo, que quer dizer “em Deus”, está em ação um poder criativo que vai muito além do que uma simples pessoa é capaz“

(Eckhart Tolle – Trecho do livro “O Despertar de Uma Nova Consciência”)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: QUANDO PERCEBEMOS SEM INTERPRETAR AS COISAS CONSEGUIMOS SENTIR DE FATO A INTERCONEXÃO DO TODO

REFLEXÃO: SER FELIZ É A NOSSA MISSÃO

Sexta-feira também é dia de REFLEXÃO aqui no Blog do Saber. A nossa missão é ser feliz! Isso me lembra a minha querida e saudosa mãe, Dona Lourdinha, que sempre repetia: “Eu nasci pra ser feliz!” E ela foi muito feliz, pois a felicidade para ela era servir ao próximo e ajudou a tanta gente…O texto a seguir é de uma imensa sabedoria que vale a pena a sua leitura. Portanto leia, reflita e faça o seu juízo de valor!

'Deus insiste em nos abençoar, em nos mostrar o caminho: aquele mais difícil, mais complicado, mais bonito. E a gente insiste em seguir, por que tem uma missão… Ser feliz!' - Momento de Reflexão

Seja feliz!

Quantas vezes nós pensamos em desistir,
deixar de lado, o ideal e os sonhos.
Quantas vezes batemos em retirada, com o coração amargurado pela injustiça.
Quantas vezes sentimos o peso da responsabilidade, sem ter com quem dividir.
Quantas vezes sentimos solidão, mesmo cercados de pessoas.
Quantas vezes falamos, sem sermos notados.
Quantas vezes lutamos por uma causa perdida.
Quantas vezes voltamos para casa com a sensação de derrota.
Quantas vezes aquela lágrima, teima em cair, justamente na hora que precisamos parecer fortes.
Quantas vezes pedimos a Deus um pouco de força, um pouco de luz.
E a resposta vem, seja lá como for, um sorriso, um olhar cúmplice, um cartãozinho, um bilhete, um gesto de amor.
E a gente insiste,
Insiste em prosseguir, em acreditar, em transformar, em dividir, em estar, em ser.
E Deus insiste em nos abençoar,
Em nos mostrar o caminho:
Aquele mais difícil,
mais complicado, mais bonito.
E a gente insiste em seguir,
por que tem uma missão…
Ser feliz!

Fonte: Mensagens com Amor

Continuar lendo REFLEXÃO: SER FELIZ É A NOSSA MISSÃO

REFLEXÃO: GRATIDÃO COM AMOR, AQUECE QUEM RECEBE E RECONFORTA QUEM OFERECE

Procurando um belo texto para publicar, aqui na coluna REFLEXÃO desta terça-feira encontrei este sobre “A Gratidão”. Tenho até a impressão que já publiquei este maravilhoso conto, mas creio que foi há muito tempo e peço desculpas aos leitores que possam ter lido da outra vez, mas ao ler este texto outra vez não resisti ao impulso de publicá-lo novamente, pois sei que muitos ainda não leram e não podem ser privados dessa oportunidade e privilégio. Então, sem mais delongas convido você a ler esta pérola, apreciar, refletir e transformar a sua vida!

O PODER TRANSFORMADOR DA GRATIDÃO - YouTube

A Gratidão

O homem, por detrás do balcão olhava a rua de forma distraída. Uma garotinha se aproximou da loja e amassou o narizinho contra o vidro da vitrina.

Os olhos da cor do céu brilharam quando viu determinado objeto.

Entrou na loja e pediu para ver o colar de turquesas azuis. “é para minha irmã. Pode fazer um pacote bem bonito?”

O dono da loja olhou desconfiado para a garotinha e lhe perguntou: “quanto dinheiro você tem?”

Sem hesitar, ela tirou do bolso da saia um lenço todo amarradinho e foi desfazendo os nós. Colocou-o sobre o balcão e feliz, disse: “isto dá, não dá?”

Eram apenas algumas moedas, que ela exibia orgulhosa.

– Sabe, eu quero dar este colar azul para a minha irmã mais velha. Desde que morreu nossa mãe, ela cuida da gente e não tem tempo para ela. É aniversário dela e tenho certeza que ela ficará feliz com o colar que é da cor dos seus olhos.”

O homem foi para o interior da loja, colocou o colar em um estojo, embrulhou com um vistoso papel vermelho e fez um laço caprichado com uma fita verde.

– Tome, leve com cuidado.

Ela saiu feliz, saltitando pela rua abaixo.

Ainda não acabara o dia quando uma linda jovem de longos cabelos loiros e maravilhosos olhos azuis, adentrou a loja.

Colocou sobre o balcão o já conhecido embrulho desfeito e indagou:

– Este colar foi comprado aqui?

– Sim, senhora.

– E quanto custou?

– Ah, falou o dono da loja, o preço de qualquer produto da minha loja é sempre um assunto confidencial entre o vendedor e o freguês.

A moça continuou: “mas minha irmã tinha somente algumas moedas. O colar é verdadeiro, não é? Ela não teria dinheiro para pagá-lo!”

O homem tomou o estojo, refez o embrulho com extremo carinho, colocou a fita e devolveu à jovem.

– Ela pagou o preço mais alto que qualquer pessoa pode pagar – disse ele.

– Ela deu tudo o que tinha.

O silêncio encheu a pequena loja, e duas lágrimas rolaram pelas faces jovens, enquanto suas mãos tomavam o embrulho e ela retornava ao lar, emocionada.

………………………

Verdadeira doação é dar-se por inteiro, sem restrições. Gratidão de quem ama não coloca limites para os gestos de ternura.

E a gratidão é sempre a manifestação dos espíritos que têm riqueza de emoções e altruísmo.

Sê sempre grato, mas não espere pelo reconhecimento de ninguém.

Gratidão, como amor, é também dever que não apenas aquece quem recebe, como reconforta quem oferece.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no capítulo “O Colar de Turquesas Azuis”, do livro Remotos Cânticos de Belém, Wallace Leal V. Rodrigues, ed. Clarim.

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: GRATIDÃO COM AMOR, AQUECE QUEM RECEBE E RECONFORTA QUEM OFERECE

REFLEXÃO: SENTIMENTO + PENSAMENTO = EMOÇÃO

Somos todos feitos de pensamentos e sentimentos. O sentimento sem qualquer significado atribuído a ele pela mente é um sentimento puro,  sem pensamento. Essa é a distinção mais importante entre emoção e sentimento. Emoção é Quando a nossa mente atribui um significado ao sentimento com um pensamento, ai temos a Emoção. E quando você reúne pensamento e sentimento na mesma direção cultiva a semente da autoconfiança, floresce a árvore da automotivação e colhe os frutos da autoestima. O texto a seguir nos trás essa belíssima REFLEXÃO, que convido você a fazer!

Reúna pensamentos e sentimentos na mesma direção.

 

Controle-se, envolva-se de coragem e determinação, seja disciplinado e leal a seus objetivos, use sua perseverança e criatividade para lhe direcionar.

Esse obstáculo possui um ponto de ruptura, onde ele é suscetível de superação, identifique essa vulnerabilidade.

Acredite em si, e faça o seu máximo até contornar essa circunstância.

Creia que é possível e será!

Cultive a semente da autoconfiança, floresça a árvore da automotivação, colha os frutos da auto-estima, você é um excelente administrador dos seus próprios sentimentos, seus princípios são todos excelentes!

Honestidade e humildade são preciosidades a serem aplicadas a si também, elas fornecem uma ótima base de equilíbrio e harmonia interior.

Deus te entregou o pleno domínio sobre essas aptidões, elas possuem as chaves que destravam as portas para a enorme capacidade que possui, ou seja, você é valioso e precisa mergulhar inteiramente neste mar de talentos!  Só necessitas se permitir explorar suas potencialidades!

Hoje é mais uma oportunidade incrível para isso, Deus te entrega um novo dia para que recomece suas descobertas internas, e assim, restaurar seus objetivos.

Mantenha pensamentos positivos e otimistas, eles possuem uma energia extraordinária, faça bom uso destas capacidades, investigue os sentimentos que estão acompanhados desses raciocínios, e aglutine-os para atingir seus objetivos.

Assim como naquela brincadeira de cabo de guerra, onde todos precisam puxar em uma mesma direção, seus pensamentos, emoções, palavras e atitudes necessitam estar sincronizados em um mesmo propósito, e desta forma, será possível superar as adversidades até atingir o ápice, ou seja, a união potencializa os resultados.

Entretanto, para que essa união, seja infinitamente maior, precisa estar presente o divino Deus, o senhor criador do universo, a sua companhia é essencial para toda conquista, desde a menor até as enormes, logo, fortaleça essa aliança através da fé e do seu empenho em materializar seu sonho.

Circunstâncias adversas, fazem parte do processo da vida, até mesmo a chuva antes de cair no solo, passa por contrariedades, as nuvens sofrem com os fortes ventos empurrando-as de lado para o outro, hora para cima e para baixo, são rasgadas pelos potentes relâmpagos, precisam sair do estado gasoso e passar ao estado líquido, tudo isso em curto período de tempo, e as vezes é tão rápido o processo, que fica incompleto e nos chega em forma de granizo.

Essa é a natureza, nos mostrando que até mesmo a chuva, passa por obstáculos, porém, são casos esporádicos e perfeitamente superáveis. Isso significa que você também irá vencer as adversidades que encontrar, só precisa acreditar em si e em Deus, por isso que é tão importante fortalecer essa aliança com o divino.

Por isso seja destemido e ousado, mostre a fortaleza que é! Hoje é o seu grande dia!

Autor: Reginaldo Rodrigues

Fonte: Leve Consciência

Continuar lendo REFLEXÃO: SENTIMENTO + PENSAMENTO = EMOÇÃO

REFLEXÃO: PERMITA QUE O SEU EU SUPERIOR E DIVINO SIGA A SUA FRENTE REMOVENDO TODOS OS OBSTÁCULOS

A Patrícia Gerbrim é uma mentora sensacional e está sempre escrevendo coisas maravilhosas para a nossa REFLEXÃO. O texto que publicamos aqui na coluna nesta terça-feira é especialmente inspirador, pois aborda, de uma maneira clara, simples e eficiente, o AUTOCONHECIMENTO e nos convida a dar espaço para a nossa alma nos guiar nas nossas escolhas. Isso significa desenvolver a intuição. Portanto, convido você a ler esse texto super esclarecedor, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Permita que o divino se expresse

 em 

 

“Se há algo que precisamos aprender agora, é que precisamos dar espaço para a nossa criatividade .Estamos desperdiçando uma energia preciosa ao lutar contra o que está acontecendo, ao tentar controlar o mundo ao nosso redor, ao querer retornar, a qualquer custo, a um estado de coisas que não existe mais.

“E se não tivermos como voltar atrás?” E se estivermos sendo confrontados com a necessidade de seguir adiante? De nada adianta nos agarrarmos a um passado que, como a folha de uma árvore, já feneceu. Precisamos criar uma NOVA forma de viver nossas vidas.

Ouçam. Nós somos seres infinitamente capazes de manifestar novas e melhores formas de ser. Precisamos, no entanto, aceitar que todo um estado de ser ruiu, bem em frente de nossos olhos incrédulos. Precisamos sair de dentro desses escombros, respirar profundamente, nos conectar com a vida e nos tornarmos os criadores daquilo que precisa nascer.

Nós podemos ser os parteiros de um mundo mais belo, mais justo, mais respeitoso para com todos. Para isso não devemos negar os desafios que nos são impostos, ou imaginar que magicamente um novo mundo amanhecerá. Nós é que vamos “amanhecer o mundo” .

Faremos isso nos tornando nossas melhores versões. Não olhe ao redor. Não importa o que o outro está fazendo, ou sendo. Torne-se VOCÊ o seu melhor. Crie espaço para que sua alma passe a guiar suas escolhas. Perceba que seu poder está diretamente relacionado à sua coragem de ser quem você é. Viva nesse eixo que vai da terra ao céu, passando por você.

Seja fiel à terra, à natureza, à força que todos os dias lhe dá energia física, ar para respirar e viver. Seja fiel ao céu, à verdade maior, à justiça, à consciência de que somos UM .

Faça apenas isso, e você se tornará capaz de criar. Somos imensamente poderosos quando recuperamos essa capacidade. Assim poderemos de verdade manifestar o novo mundo. Não nos cabe saber que mundo será esse. Basta confiar e permitir que o divino em nós o expresse.” (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: PERMITA QUE O SEU EU SUPERIOR E DIVINO SIGA A SUA FRENTE REMOVENDO TODOS OS OBSTÁCULOS

REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE A CORRIDA DA VIDA, POR CAMILA ZEN

A história de hoje, aqui na coluna REFLEXÃO, contada pela incrível Camila Zen é sobre a corrida da vida e foi inspirada numa antiga palavra africana “Ubuntu”, que apresenta significados humanísticos como solidariedade, a cooperação, o respeito, o acolhimento, a generosidade, entre muitas outras ações que realizamos em sintonia com a nossa alma (com o nosso ser interno), buscando o nosso bem-estar e o de todos à nossa volta. Então lhe convido a assistir ao vídeo completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE A CORRIDA DA VIDA, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: OBSERVA E CONTEMPLAR PARA APRENDER E CONHECER

O texto da nossa coluna REFLEXÃO desta terça-feira é sobre observação e contemplação. Ele nos ensina que quanto mais observamos algo mais aprendemos, quanto mais contemplamos algo mais serenos e despertos nós ficamos. O texto, em forma de conto, trás uma grande lição que está implícita e se você observar e/ou contemplar vai enxergar. Então, leia, observe, contemple e  o seu juízo de valor!

A importância de aprender a observar - Startupi

Observando aprendemos

Cheng era o discípulo de um sábio monge de nome Ling.

Um dia, quando Cheng acreditava estar pronto para assumir a condição de liderar seu povo, foi conversar com seu mestre, o qual lhe disse: “observe este rio, qual a importância dele?”.

Eles se encontravam no alto de uma montanha.

Cheng observou o rio, o seu vale, a vila, a floresta, os animais e respondeu: “este rio é a fonte do sustento de nossa aldeia. Ele nos dá a água que bebemos, os frutos das árvores, a colheita da plantação, o transporte de mercadorias, os animais que estão ao nosso redor e muito mais. Nossos antepassados construíram estas casas aqui, justamente por causa dele. Nosso futuro também depende deste rio.”

O monge Ling colocou a mão na cabeça do discípulo e pediu-lhe que continuasse a observar.

Os meses se passaram e o mestre procurou Cheng.

“Observe este rio, qual a importância dele?” – repetiu a pergunta ao discípulo.

“Este rio é fonte de inspiração para nosso povo. Veja sua nascente: ela é pequena e modesta, mas com o curso do rio, a correnteza torna-se forte e poderosa. Este rio nasce e tem um objetivo: chegar ao oceano, mas para lá chegar terá de passar por muitos lugares e por muitas mudanças. Terá de receber afluentes, contornar obstáculos.

Como o rio, temos de aprender a fluir. O formato do rio é definido pelas suas margens, assim como nossas vidas são influenciadas pelas pessoas com as quais convivemos. O rio sem as suas margens não é nada. Sem nossos amigos e familiares também não somos nada. O rio nos ensina, ainda, que uma curva pode ser a solução de um problema, porque logo depois dela podemos encontrar um vale que desconhecíamos. O rio tem suas cachoeiras, suas turbulências, mas continua sempre em frente porque tem um objetivo. Ensina-nos que uma mudança imprevista pode ser uma oportunidade de crescimento. Veja no fim do vale: o rio recebe um novo afluente e, assim, torna-se mais forte.”

O monge Ling colocou a mão na cabeça do discípulo e pediu-lhe que continuasse a observar.

Os meses se passaram e novamente o mestre perguntou: “observe este rio: qual a importância dele?”

“Mestre, vejo o rio em outra dimensão. Vejo o ciclo das águas. Esta água que está indo já virou nuvem, chuva e penetrou na terra diversas vezes. Ora há a seca, ora a enchente. O rio nos mostra que se aprendermos a perceber esses ciclos, o que chamamos de mudança será apenas considerada como continuidade de um ciclo.”

O mestre colocou a mão na cabeça do discípulo e pediu-lhe que continuasse a observar.

Os meses se passaram e o mestre voltou a perguntar a Cheng:

“Observe este rio, qual a importância dele?”

“Mestre, este rio me mostrou que cada vez que eu o observo, aprendo algo de novo.

É observando que aprendemos.

Não aprendo quando as pessoas me dizem algo, mas sim quando as coisas fazem sentido para mim.”

O mestre sorriu e disse-lhe com serenidade: “como é difícil aprender a aprender.

Vá e siga seu caminho, meu filho.”

Pense nisso!

Tantas palavras sábias já nos foram ditas.

Tantos ensinos maravilhosos o Mestre Nazareno nos deixou.

Mas, quanto disso realmente passou a integrar nossa consciência, alterando nossas atitudes perante a vida?

Pense nisso, mas pense agora.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no livro As mais belas parábolas de todos os tempos, vol. I, pp. 24-26, Editora leitura, 7ª edição, organizado por Alexandre Rangel

Continuar lendo REFLEXÃO: OBSERVA E CONTEMPLAR PARA APRENDER E CONHECER

REFLEXÃO: SEM UMA VONTADE FIRME APLICADA NA CORREÇÃO DO PRÓPRIO COMPORTAMENTO, NINGUÉM AVANÇA

Nesta sexta-feira temos uma REFLEXÃO a fazer nesta coluna sobre o maior inimigo do Ego e da Zona de Conforto, que se chama DISCIPLINA. O belo e bem escrito artigo a seguir fala sobre a virtude da disciplina. Como ela pode nos ajudar na nossa performance pessoal e, sendo assim ajudando a alcançarmos a nossa melhor versão. Portanto, convido você a ler esse texto maravilhoso e tomar uma injeção de ânimo para alcançar esse objetivo maior!

Disciplina para uma vida virtuosa - Dolores Bordignon

A virtude da disciplina

Certas palavras e expressões às vezes têm seu sentido deturpado ou reduzido.

Assim ocorre com a disciplina, frequentemente entendida como submissão a um agente externo.

O termo remeteria à ação que sujeita a vontade de outrem.

Por exemplo, o pai que disciplina seu filho ou o comandante que conduz suas tropas sob um regime disciplinar severo.

Embora a disciplina sob o aspecto exterior seja necessária, ela a tal não se circunscreve.

Na realidade, é sob o prisma interno que a disciplina revela seu mais rico potencial.

Trata-se de uma virtude que viabiliza a aquisição de todas as outras.

Sem disciplina, não há avanço e transformação moral e intelectual.

A criatura indisciplinada permanece como sempre foi.

Seus vícios e debilidades não encontram firme oposição e os mesmos erros são incessantemente repetidos.

A disciplina atua no plano da vontade.

Ela estabelece regras e define como deve ser o comportamento futuro.

O homem disciplinado diz a si mesmo que deve fazer e se mantém firme no propósito.

Mesmo contra seus interesses e tendências naturais, segue o programa de melhoramento que se impôs como meta.

A disciplina consiste em uma força interior que permite a alteração de velhos hábitos.

Não se trata apenas de decidir ser melhor, mas de colocar em prática o que se decidiu.

Certamente há vacilos, mas logo o homem disciplinado retoma seu projeto inicial.

Ele não se permite desistir, quando percebe a viabilidade da meta que elegeu para si.

Todos os Espíritos, atualmente vinculados à Terra, já passaram por incontáveis encarnações.

No longo processo de aprendizado, cometeram muitos equívocos e desenvolveram maus hábitos.

Certas tendências do pretérito remoto ainda hoje se fazem presentes nos homens.

Nos primórdios da evolução, o Espírito era despido de cogitações intelectuais e morais mais complexas.

As preocupações do ser resumiam-se à preservação da vida e à perpetuação da espécie.

O tempo não gasto com a satisfação dessas necessidades era dedicado ao ócio.

Assim, o gosto excessivo pelo descanso lembra as fases primitivas da existência imortal.

O mesmo ocorre com a preocupação desmedida com alimentação e sexo.

Nada há de errado com a satisfação das necessidades elementares da vida, em um contexto de dignidade.

O vício reside no excesso e na fixação do pensamento em atividades que são meramente instrumentais.

A destinação do Espírito humano é excelsa.

Compete-lhe vencer a si mesmo, libertar-se de hábitos primários e preparar-se para experiências transcendentais do intelecto e do sentimento.

Ocorre que isso somente é possível com muita disciplina.

Sem uma vontade firme aplicada na correção do próprio comportamento, ninguém avança.

Maus hábitos, como maledicência, gula, preguiça e leviandade sexual, não somem por si sós.

Eles devem ser corajosamente enfrentados e subjugados.

O abandono de vícios é lento e doloroso.

No princípio, o esforço necessário é hercúleo.

Mas gradualmente se percebe o peso que representam as más tendências.

Surge uma sensação de liberdade e de leveza, com a adoção de um padrão digno de comportamento.

Então, o que era difícil se torna fácil e prazeroso, pois a disciplina gera a espontaneidade.

Pense nisso.

Redação do Momento Espírita

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: SEM UMA VONTADE FIRME APLICADA NA CORREÇÃO DO PRÓPRIO COMPORTAMENTO, NINGUÉM AVANÇA

REFLEXÃO: PARAR DE PENSAR! COMO CONSEGUIR ISSO?

O brilhante texto do gênio chamado Eckart tolle com o título Parar de pensar é o seu instrumento de REFLEXÃO nesta terça-feira, aqui na coluna. Quando falamos em parar de pensar sempre nos remetemos a meditação. Algo que a maioria das pessoas tem a capacidade, mas não têm interesse. Talvez porque ache que é pura perda de tempo, que tem mais o que fazer ou que é coisa de pirado. Então a vida passa e a pessoa só viveu a superficialidade dela. Por isso lhe convido a ler esse texto de grande profundidade, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Parar de Pensar

 em

“O maior obstáculo à experimentação da realidade da ligação da pessoa é a sua identificação com a mente, que faz com que o pensamento se torne compulsivo. Não ser capaz de parar de pensar é um padecimento terrível, porém não nos apercebemos deste fato porque quase toda a gente sofre dessa mesma maleita, sendo por isso considerado normal. Este ruído mental incessante impede a pessoa de encontrar esse reino de calma interior que é inseparável do Ser. Gera ainda um eu falso engendrado pela mente que lança uma sombra de medo e sofrimento.

A identificação do leitor com a sua mente cria uma divisória opaca de conceitos, rótulos, imagens, palavras, juízos e definições, que bloqueia todo o relacionamento verdadeiro. Interpõe-se entre o próprio leitor, entre o leitor e o próximo, entre o leitor e a sua natureza, entre o leitor e Deus. É esta divisória de pensamento que gera a ilusão de afastamento, a ilusão de que há o leitor e um «outro» completamente distinto. Nessa altura, o leitor esquece o facto essencial de que, sob o nível da aparência física e das formas separadas, o leitor é uno com tudo o que existe.

A mente é um instrumento maravilhoso se usado adequadamente. No entanto, quando utilizada de forma errada, torna-se muito destrutiva. Para ser mais preciso, não se trata tanto de usar a mente de maneira errada: em geral, nem sequer a utiliza. Ela é que o usa a si. É esta a doença. A pessoa acredita que é a sua mente. É esse o engano. O instrumento apoderou-se de si.
É quase como se estivesse possuído sem saber que o estava e, por esse motivo, tomasse a possessão como sendo você mesmo.

O início da liberdade é a sua percepção de que não é a entidade que possui – o pensador. Sabê-lo permite-lhe observar a entidade. Na altura em que se começar a observar o pensador, desperta um nível superior de consciência.
Nesse momento, perceber-se de que existe um vasto mundo de inteligência para além do pensamento, que este é apenas um aspecto ínfimo dessa inteligência. Apercebe-se ainda de que todas as coisas que realmente importam (a beleza, o amor, a criatividade, a alegria, a paz interior) nascem além da mente.
(Eckhart Tolle)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: PARAR DE PENSAR! COMO CONSEGUIR ISSO?

REFLEXÃO: NÓS ACREDITAMOS, POR CAMILA ZEN

Sexta-feira é dia de REFLEXÃO com Camila Zen, aqui na coluna. Hoje ela reflete sobre o que Nós acreditamos: Nós acreditamos que nascemos com uma luz brilhando dentro de nós e que essa luz tem o poder de iluminar o mundo. Acreditamos no poder da conexão com a natureza, e que dela vem tudo aquilo que precisamos para uma vida saudável e feliz. Acreditamos que o brilho do sol, o cheiro da chuva e a brisa do mar têm a capacidade de nos trazer de volta a nossa verdadeira essência. Nós acreditamos na simplicidade. E que as melhores coisas da vida não são feitas de grande glamour. Nós acreditamos nas pessoas. E não acreditamos que a depressão, a ansiedade e o estresse possam nos vencer. Nós acreditamos em sorrisos sinceros, abraços apertados e olhares cheios de luz. Nós acreditamos que a mudança nas nossas vidas depende exclusivamente de nós, e escolhemos mudar sempre em busca da evolução. Acreditamos em um mundo com mais corações em paz, mais mentes calmas e mais vidas em equilíbrio.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: NÓS ACREDITAMOS, POR CAMILA ZEN

REFLEXÃO: ESPANTAR O MEDO E VIBRAR NUMA FREQUÊNCIA AMOROSA PARA SERMOS PORTAIS DE CURA

Para sermos Portais de Cura, precisamos apenas vibrar numa frequência amorosa, para atravessarmos as ilusões e sermos capazes de restaurar o equilíbrio de nossas células, de nossas mentes, de nossas emoções. Ao despertarmos tornamo-nos canalizadores dessa frequência amorosa. Sendo assim fica mais para que os demais sigam o mesmo caminho, até que todos possam vibrar nessa mesma frequência. Então convido você a ler esse texto incrível e maravilhoso, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Somos os Portais

 em 

 

“Imagine que, agora mesmo, exista ao redor do nosso planeta uma linda nuvem de energia verde esmeralda. Uma vibração sutil amorosa, capaz de restaurar o equilíbrio de nossas células, de nossas mentes, de nossas emoções.

Para que nos conectemos a ela, tudo o que precisamos é abrir nossos corações. Vibrar numa frequência amorosa. Para fazer isso, num momento como este que enfrentamos, precisamos ser capazes de atravessar as ilusões. Esse é o chamado para todos nós.

Quando não somos capazes disso, ficamos aprisionados na teia do medo e reagimos, atacando uns aos outros. Mas se formos capazes de nos conectar a essa energia superior, nos tornamos portais para a luz. Isso significa que a luz passa a fluir através de nós, ancorando-se no mundo físico.

Quantos mais de nós despertam, tornado-se canalizadores dessa frequência amorosa, mais fácil fica para que os demais sigam o mesmo caminho, até que todos possam vibrar nessa mesma frequência. Toda a perturbação que temos vivenciado no planeta tem a função de tornar a energia por aqui tão desconfortável a ponto de fazer com que até o mais resistente de nós entregue-se à luz que é.

Ouçam. A escuridão só se torna maléfica quando se separa da luz. Viemos a este planeta para integrar luz e sombra. Quando integradas, não existe o mal, apenas aprendizado. A saída para todos nós agora não está em negar a escuridão, mas sim em a envolvermos na luz da compreensão, da aceitação. Na luz do amor. Essa luz existe, forte como nunca e está  pronta para nos abraçar em aceitação e cura, mas a decisão precisa ser nossa. Isso se chama “livre arbítrio” .Precisamos escolhê-la conscientemente. Assim nos tornarmos os portais de cura para este momento. Nós somos os portais. Basta ativá-los. Vibre o amor que você é.” (Patricia Gebrim)

Paz e Luz!

Continuar lendo REFLEXÃO: ESPANTAR O MEDO E VIBRAR NUMA FREQUÊNCIA AMOROSA PARA SERMOS PORTAIS DE CURA

REFLEXÃO: MANTENHA-SE NO AGORA, NO PRESENTE, NESTE EXATO MOMENTO

O texto escolhido para publicar nesta terça-feira, aqui na coluna REFLEXÃO é bem curto, porém muito inteligente e de extrema sabedoria. Sobre viver o hoje, o agora, este exato momento. Aceitar este exato momento é o que nos torna livres. Respire fundo. Sinta a vida. Seja grato/a. Leia o texto completo a seguir, reflita e faça o seu juízo de valor!

Respire. Permita. Sinta

 em 

 

“Só existe o agora. Este exato momento.

Todas as suas preocupações sobre o futuro são criações da sua mente. Tudo pode mudar de um instante para outro. Nada é previsível.

Ainda assim, há uma inteligência maior que conduz tudo com absoluta perfeição. Quando entendemos isso, algo em nós relaxa.

Mais do que nunca precisamos compreender isso. Aceitar este exato momento é o que nos torna livres. Respire fundo. Sinta a vida. Seja grato/a.

Na aceitação deste exato momento há um portal. Uma fenda na ilusão, por onde conseguimos sentir o que é real.

Precisamos abrir espaço para sentir isso. Uma brecha nessa insana correnteza de pensamentos, crenças e certezas. Basta uma pequena abertura. Um instante por onde a luz possa passar.

Respire. Permita. Sinta.” (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: MANTENHA-SE NO AGORA, NO PRESENTE, NESTE EXATO MOMENTO

REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA PARA VOCÊ REFLETIR COMO VÊ O MUNDO!

Nesta sexta-feira temos mais um conto da Camila Zen, aqui na coluna REFLEXÃO. Quem é você nesse conto? Um conto sobre o que pensamos do mundo e das pessoas, e sobre como isso reflete em nós. ✨“Eu vou começar com a pessoa no espelho. Vou pedir pra mudar o seu jeito. E nenhuma mensagem poderia ser mais clara; se você quer fazer do mundo um lugar melhor; dê uma olhada em si mesmo e comece a mudança.” – Michael Jackson.✨ Então, quem é você nesse conto? Eu espero que essa história possa te inspirar e inspirar as pessoas que você ama. Amor e luz, namastê.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA PARA VOCÊ REFLETIR COMO VÊ O MUNDO!

REFLEXÃO: UMA CONSPIRAÇÃO ESPIRITUAL SILENCIOSA

Um movimento das forças da luz e do bem, tal qual uma conspiração espiritual silenciosa é o destaque desta terça-feira, aqui na coluna REFLEXÃO. O texto a seguir publicado por Beth Michepud em seu blog Sabedoria Universal, cujo título é “Invasão Silenciosa” aborda com sutileza as consequências dessa transição planetária a qual estamos passando, onde muitos estão no processo evolutivo de mudança de plano dimensional e trabalham silenciosamente no intuito de ajudar aos que ainda não despertaram a saírem da inércia. Este é um texto que você precisa ler e dar um salto quântico evolutivo! 

Invasão Silenciosa

 em 

 

“Na superfície da Terra, exatamente agora, há guerras e violência e tudo parece negro. Mas, simultaneamente, algo silencioso, calmo e oculto está acontecendo e certas pessoas estão sendo chamadas por uma Luz mais elevada.

Uma revolução silenciosa está se instalando de dentro para fora. De baixo para cima. É uma operação global. Uma conspiração espiritual. Há células dessa operação em cada nação do planeta. Vocês não vão nos assistir na TV, nem ouvir nossas palavras nos rádios e nem ler sobre nós nos jornais. Não buscamos a glória. Não usamos uniformes. Nós chegamos em diversas formas e tamanhos diferentes. Temos costumes e cores diferentes.

A maioria trabalha anonimamente. Silenciosamente trabalhamos fora de cena, em cada cultura e lugar do mundo. Nas grandes e pequenas cidades, em suas montanhas e vales. Nas fazendas, vilas, tribos e ilhas remotas. Você talvez cruze conosco nas ruas, e nem perceba, seguimos disfarçados. Ficamos atrás da cena, e não nos importamos com quem ganha os louros do resultado, e sim, que se realize o trabalho.

De vez em quando nos encontramos pelas ruas. Trocamos olhares de reconhecimento e seguimos nosso caminho. Durante o dia muitos se disfarçam em seus empregos normais. Mas a noite, por trás de nossas aparências, o verdadeiro trabalho se inicia. Alguns que conhecem o trabalho nos chamam de “O Exército da Consciência”. Lentamente estamos construindo um novo mundo, com o poder de nossos corações e mentes. Seguimos com alegria e paixão.

Nossas ordens nos chegam da Inteligência Espiritual e Central. Estamos jogando bombas suaves de amor sem que ninguém note, poemas, abraços, músicas, fotos, filmes, palavras carinhosas, meditações e preces, danças, ativismo social, sites, blogs, atos de bondades. O mundo precisa de amor!

Expressamo-nos de uma forma única e pessoal, com nossos talentos e dons. Sendo a mudança que queremos ver no mundo. Essa é a força que move nossos corações. Sabemos que essa é a única forma de conseguir realizar a transformação. Sabemos que no silêncio e humildade teremos o poder de todos os oceanos juntos.

Nosso trabalho é lento e meticuloso. Como na formação das montanhas. O amor será a religião do século XXI. Sem pré-requisitos de grau de educação. Sem requisitar um conhecimento excepcional para a sua compreensão. Porque nasce da inteligência do coração, escondida pela eternidade no pulso evolucionário de todo ser humano.

Seja a mudança que quer ver acontecer no mundo. Ninguém pode fazer esse trabalho por você. Nós estamos recrutando. Talvez você se junte a nós ou talvez já tenha se unido. Todos são bem-vindos, a porta está aberta.” (Emmanuel)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA CONSPIRAÇÃO ESPIRITUAL SILENCIOSA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho