Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

POLÍTICA: ALEGANDO MACHISMO, GLEISI HOFFMANN ENTRA COM REQUERIMENTO PARA ALTERAR NOME DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

Para combater o “machismo”, Gleisi, visivelmente perturbada, quer mudar nome da Câmara dos Deputados

Gleisi Hoffmann - Foto: Edilson Rodrigues/Agência SenadoGleisi Hoffmann – Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

As deputadas federais pelo PT, Gleisi Hoffmann (PR) e Erika Kokay (DF), tão acostumadas aos holofotes em Governos do partido, devem estar com saudades dos tempos em que conseguiam as atenções da “mídia do ódio”.

Há meses sem se “pronunciarem” com fatos novos, desta vez, elas vieram com uma “novidade”: apresentaram, juntas, um requerimento para que a Câmara dos Deputados tenha o nome alterado para Câmara Federal.

O motivo? Combater o que elas denominam de “machismo estrutural”.

“Não há outra razão, a não ser o machismo estrutural, que justifique que, em pleno Século 21, a Câmara ainda seja conhecida como Câmara dos Deputados, a despeito de as mulheres representarem a maioria da população brasileira e do enorme esforço da justiça eleitoral brasileira e, até mesmo, dos organismos internacionais e dos tratados firmados pelo país em prol da inclusão da mulher”, alegaram as esquerdistas no documento.

Ignorando as mais de 70 investigações que os órgãos federais de controle estão investigando sobre o desvio dos recursos públicos encaminhados para governadores e prefeitos combaterem a pandemia da Covid-19, as petistas deram entrada no requerimento 1213/2021, nesta segunda-feira (07), e querem que ele seja incorporado ao parecer da Proposta de Emenda à Constituição n° 125, de 2011, sobre a Reforma Eleitoral.

Segundo elas, é preciso utilizar uma “linguagem que desfaz a referência de discriminação ou exclusão de mulheres em favor de uma designação que expressa um lugar para todas e todos”.

Preocupado com outras prioridades para desenvolvimento do Brasil, como a votação das Reformas Tributária e Administrativa, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), claro, ainda não despachou a medida. Ele tem mais o que fazer.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: ALEGANDO MACHISMO, GLEISI HOFFMANN ENTRA COM REQUERIMENTO PARA ALTERAR NOME DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

POLÍTICA: SEGUNDO FÁTIMA BEZERRA, ENTRAR NA JUSTIÇA CONTRA MEDIDAS RESTRITIVAS ABUSIVAS DE GOVERNADORES É DESVIO MENTAL E DE CARÁTER

Bolsonaro tem “desvio mental e de caráter”, diz Fátima Bezerra

Foto: Anderson Riedel/PR

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), criticou a ação judicial do presidente Jair Bolsonaro (sem presidente) contra medidas restritivas adotadas para frear a pandemia do novo coronavírus. Em manifestação enviada ontem ao STF (Supremo Tribunal Federal), ela diz que posições apresentadas pelo presidente são “fruto do desvio mental e de caráter” de Bolsonaro.

Bezerra faz referência ao trecho da petição apresentada pelo presidente em que ele diz que os decretos estaduais de restrição “determinam a paralisação de tudo que é considerado não essencial, como se a sobrevivência exclusivamente biológica fosse a única demanda passível de ser protegida pelo direito”.

“Desconsideram o caráter complexo e multifacetário de expressões da dignidade e da personalidade humana, como a dignidade do trabalho, a dignidade de manter um empreendimento econômico e a dignidade de poder buscar o sustento seu e de seus dependentes”, escreveu o presidente no documento de 27 de maio, assinado em conjunto com o advogado-geral da União, André Mendonça.

Em sua manifestação, a governadora diz que “sem a sobrevivência exclusivamente biológica, ou seja, sem a vida humana, não existe dignidade, personalidade, trabalho, empreendimentos econômicos ou busca pelo sustento próprio ou de quaisquer dependentes”. “A não ser que o requerente [Bolsonaro] consiga demonstrar que existam outros tipos de sobrevivência diversas da biológica.”

Bolsonaro foi ao Supremo pedir que decretos com medidas restritivas adotadas por Rio Grande do Norte, Paraná e Pernambuco fossem derrubadas. Para o presidente, as medidas seriam inconstitucionais por ser uma “afronta aos direitos fundamentais ao trabalho, à livre iniciativa e à subsistência”.

Bezerra discorda, e pontua que a Constituição impõe à União, aos estados e municípios “o dever de zelar pela saúde da população”. A governadora ainda ressalta que a lei sobre enfrentamento à pandemia, assinada por Bolsonaro, permite a adoção de restrições.

Ela também indica que as medidas foram adotadas porque o estado registrava, em meados de maio, um alto número de mortes, de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), além da circulação de variantes do coronavírus. As restrições, segundo ela, também são importantes para conter aglomerações em festas clandestinas e eventos sociais, “dos quais as pessoas insistiam e ainda insistem em participar a despeito da gravidade do atual quadro pandêmico”.

Vacinação

Bolsonaro argumentou ao STF que a vacinação contra a covid-19 no país faria com que as restrições “mais excessiva (e desproporcional)”. A governadora rebateu. “É público e notório que a campanha de imunização brasileira ainda se encontra longe do mínimo necessário para se conter a pandemia.”

Até o momento, cerca de 11% da população já está imunizada. Bezerra diz que a iniciativa de Bolsonaro é uma “ameaça para o sistema público de saúde do Rio Grande do Norte”.

Os governos de Pernambuco e do Paraná também já se manifestaram e defenderam as medidas que tomaram.

O governador paranaense, Ratinho Júnior (PSD), escreveu que, “caso não houvesse a adoção de medidas restritivas”, a situação da pandemia no estado “seria pior”.

“Porque o número de óbitos aumentaria exponencialmente e o sistema de saúde entraria em colapso, impactando não só aqueles que estão acometidos pela doença da covid-19, mas também toda a sociedade que precise de serviços de saúde, quer na rede pública, quer na rede privada”. Ratinho também disse que “o estágio de vacinação atual não permite o abandono das medidas restritivas”.

Documento assinado pelo procurador-geral pernambucano, Ernani Varjal Medicis Pinto, também traz críticas a Bolsonaro, dizendo que a ação do presidente no STF “passa ao largo da complexidade do enfrentamento à pandemia”. “Roga-se bom senso de todas as esferas de governo para a superação da emergência sanitária”, escreveu Pinto, que diz que preservar vidas é obrigação dos governantes.

A ação de Bolsonaro no STF tem relatoria do ministro Luís Roberto Barroso. Não há prazo para que ele se manifeste após os estados terem apresentado suas posições. Procurada, a Presidência ainda não respondeu ao UOL sobre as falas do governo do Rio Grande do Norte.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo POLÍTICA: SEGUNDO FÁTIMA BEZERRA, ENTRAR NA JUSTIÇA CONTRA MEDIDAS RESTRITIVAS ABUSIVAS DE GOVERNADORES É DESVIO MENTAL E DE CARÁTER

POLÍTICA: EXÉRCITO BRASILEIRO NÃO CEDEU AS PICUINHAS DA “MÍDIA DO ÓDIO” NEM DE OPOSITORES AO GOVERNO BOLSONARO

Exército se impõe e não cede à pressão dos “esquerdopatas” e da “mídia do ódio”

Foto: Marcelo Camargo/Agência BrasilFoto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Exército Brasileiro não cedeu às picuinhas da “mídia do ódio” nem tampouco de opositores ao Governo do presidente Jair Bolsonaro e mostrou, mais uma vez, que quem determina as decisões internas das Forças Armadas são os próprios militares.

A esquerda bem que tentou uma forçada de barra, utilizando-se da “mídia do ódio” para coagir a alta cúpula do Exército a abrir processo administrativo contra o General Eduardo Pazuello, ex-Ministro da Saúde, que esteve presente em uma motociata, no Rio de Janeiro, no final de maio.

Porém, após deliberação interna e, em resposta ao pedido formulado pelo jornal O GLOBO, que faz claramente oposição ao presidente da República, o Exército respondeu que o processo contém informações pessoais e, citando o dispositivo da Lei de Acesso à Informação (LAI) que garante, nessas situações, o sigilo por 100 anos, não se sujeitou às exigências da emissora carioca.

“A documentação solicitada é de acesso restrito aos agentes públicos legalmente autorizados e à pessoa a que ela se referir”, justifica o Exército, em nota.

“Magoada”, a Rede Globo, que perdeu contratos com o Governo Federal desde que Jair Bolsonaro assumiu a cadeira da presidência, choramingou a não entrega dos documentos e disse que cabe recurso à decisão do Exército junto à Controladoria-Geral da União (CGU); demonstrando que ainda não quer perder a “quebra-de-braço”.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: EXÉRCITO BRASILEIRO NÃO CEDEU AS PICUINHAS DA “MÍDIA DO ÓDIO” NEM DE OPOSITORES AO GOVERNO BOLSONARO

POLÍTICA: CPI DA COVID ULTRAPASSOU TODOS OS SEUS LIMITES

Omar Aziz e sua CPI conseguem acabar de vez com “bom humor” de canal humorístico: Os palhaços somos nós (veja o vídeo)

Fotomontagem: JCOFotomontagem: JCO

O sinal de que a CPI da COVID ultrapassou todos os limites e chegou ao seu ocaso, foi o último vídeo publicado no Youtube pelo canal Hipócritas.

Conhecidos por tratar de questões sérias, como política e economia, sempre mantendo um tom irônico e bem humorado, desta vez, a crítica ao que o Brasil está assistindo na TV foi sem qualquer “bom humor ou o mínimo de brincadeira”.

“É o Circo Parlamentar de Inquérito, com palhaços, animais adestrados, malabarismo verbal e transmitido em rede nacional pela Globo da morte”.

“Renan Calheiros, o relator responde a oito inquéritos, incluindo corrupção lavagem de dinheiro e organização criminosa”.

“Dra. Nise Yamaguchi, médica, oncologista, imunologista, com doutorado em pneumologia, 40 anos de experiência na área, foi desrespeitada, insultada, descredibilizada e teve que ouvir do homem acusado de desviar 260 milhões da saúde, que as pessoas desconsiderassem o que a especialista em saúde falava”.

É UM CIRCO MESMO, E A DIFERENÇA É QUE OS PALHAÇOS SOMOS NÓS!

Veja o vídeo:

Continuar lendo POLÍTICA: CPI DA COVID ULTRAPASSOU TODOS OS SEUS LIMITES

POLÍTICA: VEJA O COMENTÁRIO DE LACOMBE SOBRE O QUE CHAMA DE LADAINHA DA CPI DA PANDEMIA

De saco cheio, Lacombe “pisoteia” narrativas da CPI (veja o vídeo)

Luís Ernesto Lacombe (Reprodução)Luís Ernesto Lacombe (Reprodução)

E um tom mais crítico e irônico do que de costume, o jornalista e apresentador Luís Ernesto Lacombe, da Rede TV, publicou, em seu canal do Youtube, um novo vídeo em que comenta o que chama de Ladainhas da CPI da Pandemia, em curso no senado federal.

Lacombe cobra a falta de critérios e de análise dos fatos por parte dos parlamentares que acusam o governo federal de utilizar medicamentos, supostamente, sem eficácia comprovada:

“Uma ladainha que critica o governo federal e apenas ele, como se os governos estaduais e municipais não tivessem feito o mesmo […] vão dizer que Bolsonaro não só comprou o remédio como obrigou todos os médicos da rede publica a receita-los, e talvez descubra que muitos pacientes tiveram capsulas empurrados goela abaixo pelo próprio presidente.”

Lacombe diz que há estudos que a oposição e grande imprensa fazem questão de ignorar e médicos lutando para exercer sua liberdade profissional, com a experiência de milhares deles na observação e nos resultados pessoais, no tratamento da doença provocada pelo novo coronavírus:

“A cantilena principal da CPI da COVID deveria ser encerrada no imperativo da ultima fala da infectologista Roberta Lacerda em meu programa na TV – Deixem os médicos em paz”, fala Lacombe.

A segunda ladainha da comissão segundo o jornalista é a que trata da questão da compra das vacinas:

“Conta a historia de que o governo poderia ter iniciado a vacinação em outubro ou novembro do ano passado. E se o Mandetta disse, tá dito e não adianta respirar fundo. Tínhamos que ter começado antes ate do Reino Unido, o primeiro a aplicar uma dose da vacina no mundo, em 8 de dezembro do ano passado. Sim, se tivéssemos desenvolvido o imunizante e se não dependêssemos da importação de insumos e também se estivéssemos entre os países rico. E vamos pular a parte em que demonstraram que o contrato assinado com a Pfizer ficou melhor para o Brasil do que o primeiro contrato proposto pelo laboratório.

Confira:

Continuar lendo POLÍTICA: VEJA O COMENTÁRIO DE LACOMBE SOBRE O QUE CHAMA DE LADAINHA DA CPI DA PANDEMIA

POLÍTICA: SEGUNDO MINISTROS DO TURISMO E DA INFRAESTRUTURA, O GOVERNO EFETUA MAIS DE 3. 240 OBRAS E MAIS DE 90 MILHÕES DE DOSES DE VACINA DISTRIBUIDAS

Governo efetua mais de 3.240 obras de infraestrutura no Turismo e distribui mais de 90 milhões de doses de vacina

Foto: Alan Santos/PRFoto: Alan Santos/PR

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) conversou com os Ministros do Turismo, Gilson Machado e da Saúde, Marcelo Queiroga e ficou surpresa ao saber que o Governo Federal efetua 3.247 obras de infraestrutura no turismo do Brasil, além das realizadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Ipham).

“No Brasil, hoje, são 3.247 obras de infraestrutura. Fora as do Ipham. São orlas, pórticos, teatros, reformas”, explicou o Ministro do Turismo, acrescentando que “nunca houve tantas ações no país”.

“(As obras de Turismo) eram monumentos ao descaso. Agora, o dinheiro do brasileiro, graças a Deus, está servindo ao brasileiro e não à Venezuela, Argentina, África… Tá sendo usado aqui dentro”, comemorou.

Em seguida, ela falou com o Ministro da Saúde, o cardiologista Marcelo Queiroga, sobre o êxito na campanha de vacinação contra a Covid-19 no país. Foram mais de 90 milhões de doses distribuídas para os Estados da Federação. Mais de 60 milhões de doses aplicadas.

“E, agora, este mês de junho, nós vamos ultrapassar a marca de mais de 100 milhões de doses distribuídas”, completou o médico.

“Só no Estado de São Paulo, nos últimos dois dias, distribuímos 1,5 milhão de doses”, informou.

“Então, seguindo a recomendação do presidente Bolsonaro, nós vamos, até o final do ano, vacinar toda a população brasileira acima de 18 anos e pôr fim à pandemia da Covid-19. E, aí, vamos ‘ativar’ a nossa economia e o turismo no Brasil”, avisou.

Fonte: Jornal da Cidade online

Continuar lendo POLÍTICA: SEGUNDO MINISTROS DO TURISMO E DA INFRAESTRUTURA, O GOVERNO EFETUA MAIS DE 3. 240 OBRAS E MAIS DE 90 MILHÕES DE DOSES DE VACINA DISTRIBUIDAS

POLÍTICA: GOVERNADORES BATERAM O MARTELO SOBRE PROTOCOLAR AÇÃO CONJUNTA NO STF PARA SUSPENDER CONVOCAÇÕES PELOS MEMBROS DA CPI

Governadores decidem apresentar ação conjunta ao STF para suspender convocações na CPI

Foto: Edilson Rodrigues/ Agência Senado

Governadores bateram o martelo sobre a decisão de protocolar uma ação conjunta no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender suas convocações pelos membros da CPI da Covid. Como a coluna informou, a iniciativa está em debate desde ontem, quando a Comissão convocou nove chefes de Estado para prestarem depoimento.

O plano é apresentar até esta segunda-feira, ao Supremo, uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF), que tem como finalidade combater atos que desrespeitam preceitos fundamentais da Constituição. A peça, que está em elaboração, apontará a violação do artigo 50 da Constituição, que não prevê a convocação do presidente da República para prestar depoimento na CPI.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo POLÍTICA: GOVERNADORES BATERAM O MARTELO SOBRE PROTOCOLAR AÇÃO CONJUNTA NO STF PARA SUSPENDER CONVOCAÇÕES PELOS MEMBROS DA CPI

CPI COM 10 ASSINATURAS PARA INVESTIGAR GASTOS DURANTE A PANDEMIA FAZ GOVERNADORA DO RN PASSAR MAL

Bastidores da Política Estadual: Governadora teria passando mal após tomar conhecimento das dez assinaturas da CPI

Com 10 assinaturas, a CPI da Covid para investigar os gastos do governo Fátima Bezerra durante a pandemia será protocolada na quinta-feira, às 10h, na Assembleia Legislativa. A informação foi confirmada pelo deputado estadual Gustavo Carvalho, em seu perfil no Instagram.

“CPI com 10 assinaturas confirmadas será protocolada quinta-feira às 10h na assembléia legislativa. Apuração de gastos e investimentos do RN com recursos encaminhados para a pandemia”, escreveu o parlamentar na publicação.

PASSOU MAL 

Segundo Fontes, a Governadora Fátima teria passado mal  quando tomou conhecimento das dez assinaturas para a CPI. Nossa fonte narrou que o clima de angustia foi generalizando. Alguns pesos fortes ligados ao governo, vão tentar a todo custo fazer com que o presidente da Assembleia engavete o andamento da CPI.

A PRESSÃO É  GRANDE 

A pressão em cima do  presidente da Assembleia, Deputado Ezequiel Ferreira, está é grande, tanto do governo Fátima que quer a todo custo frear a CPI, como dos deputados que quererem que a CPI siga a diante. Como Presidente, Ezequiel tem o poder de retarda a CPI e comprar uma briga com seus colegas, ou seguir com a mesma e comprar uma briga com o governo Fátima.

Continuar lendo CPI COM 10 ASSINATURAS PARA INVESTIGAR GASTOS DURANTE A PANDEMIA FAZ GOVERNADORA DO RN PASSAR MAL

POLÍTICA: GRUPO DE GOVERNADORES AVALIA INGRESSAR COM PEDIDOS NO STF PARA NÃO SEREM OBRIGADOS A COMPARECER COMO TESTEMUNHAS NA CPI DA COVID-19

Governadores avaliam recorrer ao STF para não comparecerem à CPI da Pandemia

Nesta quarta-feira (26), a comissão de inquérito pretende votar a convocação de dez governadores, mais da metade da Região Norte

Gustavo Uribe

Por Gustavo Uribe, CNN  

 Atualizado 26 de maio de 2021 às 09:14

Política - Governadores planejam acionar STF para recorrer caso sejam convocados pela CPI - 26/05/2021

Com a possibilidade de convocação pela CPI da Pandemia, um grupo de governadores avalia ingressar com pedidos no STF (Supremo Tribunal Federal) para não serem obrigados a comparecer na condição de testemunhas.

Segundo apurou a CNN, a possibilidade tem sido considerada por alguns governadores da Região Norte. Eles representam mais da metade do total de requerimentos apresentados para a convocação de chefes de gestões estaduais.

A ideia estudada é que, caso sejam aprovados requerimentos de convocação contra eles em sessão marcada para esta quarta-feira (26), eles ingressem com pedidos em sequência na Suprema Corte.

O argumento é de que há um precedente jurídico que desobriga chefes de governos estaduais a comparecerem a uma comissão de inquérito do Congresso Nacional.

Em 2012, o então governador de Goiás, Marconi Perillo, conseguiu autorização para não comparecer à CPI do Cachoeira.

Na época, o ministro Marco Aurélio Mello, do STF, concedeu liminar sob o argumento de que uma comissão de inquérito do Congresso Nacional não pode impor a presença de um chefe do Poder Executivo.

Nesta quarta-feira (26), devem ser analisados requerimentos para a convocação dos governadores do Amazonas, Amapá, Rondônia, Roraima, Pará, Tocantins,  Distrito Federal, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Nestes estados, houve investigação da Polícia Federal durante a pandemia. A tropa de choque do Palácio do Planalto tem insistido na necessidade de investigar a destinação de recursos federais para estados e municípios.

Continuar lendo POLÍTICA: GRUPO DE GOVERNADORES AVALIA INGRESSAR COM PEDIDOS NO STF PARA NÃO SEREM OBRIGADOS A COMPARECER COMO TESTEMUNHAS NA CPI DA COVID-19

POLÍTICA: PRESIDENTE DA CPI OMAR AZIZ, CORTA DE FORMA DESMORALIZANTE AS ASINHAS DE RENAN CALHEIROS

Aziz “corta as asas” de Renan: “A CPI não será usada para isso. Não há motivo para mandar prender ninguém.”

Omar Aziz e Renan Calheiros. Fotos: Geraldo Magela e Roque de Sá/Agência SenadoOmar Aziz e Renan Calheiros. Fotos: Geraldo Magela e Roque de Sá/Agência Senado

O senador Renan Calheiros, o “atleta” nas planilhas da Odebrecht, pediu na tarde desta quarta-feira (12), a prisão de Fabio Wajngarten, ex-secretário de comunicação do governo Bolsonaro.

O motivo do ‘abuso de autoridade’ parece evidente. Wajngarten não disse o que Renan queria ouvir.

“Vossa excelência mais uma vez mente. Mentiu diante dos áudios publicados, mentiu em relação à entrevista que concedeu. Mas esse é o primeiro caso de alguém que, em desprestígio da verdade, mente. O presidente pode até decidir diferentemente. Mas eu vou, diante do flagrante evidente, pedir a prisão de vossa senhoria”.

Demonstrando incômodo pelo fato de Renan tentar de todas as formas assumir o protagonismo da CPI, o presidente da comissão, senador Omar Aziz, tratou de ‘cortar as asas’ do relator, de maneira até desmoralizante.

“A CPI não será usada para isso. Não há motivo para mandar prender ninguém.”

E disse mais:

“Eu não tomarei essa decisão. Eu tenho tomado decisões muito equilibradas até o momento. Mas daí, a eu ser carcereiro de alguém, não. Eu não sou carcereiro de ninguém. Não vou transformar o país num lugar pior (…).”

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: PRESIDENTE DA CPI OMAR AZIZ, CORTA DE FORMA DESMORALIZANTE AS ASINHAS DE RENAN CALHEIROS

POLÍTICA: DEPOIMENTO DO DIRETOR-PRESIDENTE DA ANVISA DERRUBA NARRATIVAS DE INFLUÊNCIA DE BOLSONARO NA AGÊNCIA

Alexandre Garcia: Caiu a narrativa de que Bolsonaro tinha influência na Anvisa

No quadro Liberdade de Opinião desta quarta (12), o jornalista avaliou o depoimento do diretor-presidente Anvisa, Antonio Barra Torres, à CPI da Pandemia

Da CNN, em São Paulo

12 de maio de 2021 às 09:40

Alexandre Garcia analisa fala de Bolsonaro na ONU - Liberdade de Opinião - YouTube

No quadro Liberdade de Opinião desta quarta-feira (12), Alexandre Garcia avaliou o depoimento do diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, à CPI da Pandemia. Ele falou que as declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre vacinas vão contra o que a Anvisa defende.

“O depoimento foi brilhante. Mas foi isso, derrubou todas as narrativas, né. Ele chegou com a realidade, inclusive [derrubou] com aquela narrativa de que a amizade dele com o presidente da República faria com que abrisse uma fraqueza na Anvisa para que o presidente influenciasse nas decisões da agência”, iniciou o jornalista.

“Caiu a narrativa de que havia influência. Há uma amizade [entre os dois] e essa amizade é separada. Tanto que já ouvi o próprio presidente dizendo que não conversa assuntos de Anvisa com Barra Torres, talvez conversem assuntos de motos.”

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Fonte: CNN

Continuar lendo POLÍTICA: DEPOIMENTO DO DIRETOR-PRESIDENTE DA ANVISA DERRUBA NARRATIVAS DE INFLUÊNCIA DE BOLSONARO NA AGÊNCIA

POLÍTICA: BLINDAGEM DE GOVERNADORES E PREFEITOS PELA CPI DA COVID É UMA FRAUDE CONTRA O POVO BRASILEIRO

Isso é uma fraude contra o povo brasileiro”, afirma senador Eduardo Girão sobre “blindagens” da CPI da Covid (veja o vídeo)

Foto: Edilson Rodrigues/Agência SenadoFoto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Em postagem no Twitter, nesta quarta-feira (5), o senador Eduardo Girão (Podemos-CE), denunciou que os integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 estariam “blindando” governadores e prefeitos para não investigar onde foram investidos os recursos federais encaminhados pelo Governo Bolsonaro a Estados e municípios no combate à pandemia do coronavírus.

“BLINDAGEM A GOVERNADORES E PREFEITOS É FRAUDE COM O POVO BRASILEIRO! Se quisermos fazer justiça, precisamos ouvir alternadamente os agentes públicos dos dois pedidos legítimos de CPI. Para cada pedido com foco no governo federal, deverá ter outros relativo a Estados e municípios!”

“O meu requerimento é um requerimento muito claro. Não tem como a gente tentar interpretar da maneira como a gente quer. O meu requerimento, assinado por 45 colegas respeitáveis aqui, a maioria do Senado Federal, é para investigar bilhões de reais de verbas federais enviadas para Estados e municípios. Não tem outra forma de se entender diferente. Inclusive, eu relaciono os fatos determinados, que são operações da Polícia Federal que todo o Brasil tomou conhecimento”, advertiu.

“Se a gente entender diferente do que a gente fez, do pedido de CPI aprovado e a pensado, é uma interpretação que a gente quer! Seja para “blindar” “A”, “B” ou “C”, eu acredito que isso é uma fraude contra o povo brasileiro”, concluiu.

De fato, o senador tem razão. Não se poderia esperar algo diferente com Renan, Aziz e Randolfe direcionando os trabalhos.

A CPI está completamente desmoralizada e o povo está vendo tudo.

Confira o vídeo:

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: BLINDAGEM DE GOVERNADORES E PREFEITOS PELA CPI DA COVID É UMA FRAUDE CONTRA O POVO BRASILEIRO

POLÍTICA: ELEIÇÕES DE 2022 SE APROXIMANDO E O SUJO JÁ COMEÇA FALAR DO MAL LAVADO

Ciro abre “fogo” contra Lula, revela “sujeiras” do governo petista e causa alvoroço na “esquerdalha” (veja o vídeo)

Lula e Ciro Gomes - Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaLula e Ciro Gomes – Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Nesta segunda-feira (03), Ciro Gomes, já em clima de campanha para as eleições de 2022 e devidamente “comandado” pelo marqueteiro João Santana, publicou um vídeo intitulado ‘Uma verdade sobre Lula’.

A publicação, de menos de um minuto, contém uma avaliação sobre Lula durante a “era PT”.

“Eu gostaria que você tivesse paciência de escutar coisas que não está acostumado. Uma delas: o governo Lula deu pouco aos pobres e muito aos ricos”, diz ele, no vídeo.

As declarações de Ciro não agradaram os lulopetistas.

Com 2022 se aproximando, o “fogo na esquerdalha” começou.

É o sujo falando do mal lavado.

Confira:

Fonte: Jornal da Cidade Online
Continuar lendo POLÍTICA: ELEIÇÕES DE 2022 SE APROXIMANDO E O SUJO JÁ COMEÇA FALAR DO MAL LAVADO

POLÍTICA: EM NOTA, MILITARES CRITICAM CPI DA COVID E DEMONSTRAM APOIO A BOLSONARO

Acabou a paciência dos militares! O silêncio foi rompido… (veja o vídeo)

Foto: Marcello Casal Jr/Agência BrasilFoto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Na última quarta-feira (28), o Clube Militar publicou nota criticando a instalação da CPI da Covid e demonstrando seu apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

“Temos ‘Marcolas e Fernandinhos Beira-mar’ investigando. O resultado dessa ‘investigação’ já sabemos: culpar o Presidente por aquilo que não o deixaram fazer”, diz a nota.

A publicação questiona tanto os investigadores quanto quem deve ser investigado pela CPI:

“O Estado de Direito, que pressupõe respeito às leis vigentes, particularmente a Constituição Federal só serve para aulas em cursos universitários, porque, na pratica, não é respeitado pelo Legislativo e Judiciário. Esse mesmo tribunal [STF], que ignora a Constituição, conferiu poderes para governadores e prefeitos usarem a pandemia para desviarem dinheiro público e não tratar adequadamente a população, agora culpando o presidente que eles impediram de coordenar as ações.”

A nota também expressa apoio ao presidente, e àqueles que precisam trabalhar em meio à pandemia:

“Que as algemas voltem a ser utilizadas, mas não nos trabalhadores que querem ganhar o sustento dos seus lares, e sim nos verdadeiros criminosos que estão a serviço do ‘Poder das Trevas’”.

Em vídeo, o advogado Luan Amâncio analisou a nota nos mínimos detalhes.

Confira:

Continuar lendo POLÍTICA: EM NOTA, MILITARES CRITICAM CPI DA COVID E DEMONSTRAM APOIO A BOLSONARO

INFRAESTRUTURA: SEGUNDO O MINISTRO DA INFRAESTRUTURA, “INOCENTES ÚTEIS” TENTAM BARRAR A CONSTRUÇÃO DA FERROGRÃO

Lobby privado tenta barrar a Ferrogrão, porque ferrovia será o maior regulador de tarifa no Brasil, denuncia Tarcísio

Imagem em destaque

Tarcísio Gomes de Freitas, Ministro da Infraestrutura do Governo Bolsonaro, afirmou, na sexta-feira (23), em live promovida pelo Sindicato da Indústria da Construção do Estado do Pará, que “inocentes úteis” tentam barrar a construção da Ferrogrão, um projeto que prevê a ligação ferroviária do Médio-Norte de Mato Grosso ao Porto de Miritituba, no Pará, e pretende ser o principal centro de escoamento de grãos de MT, papel hoje exercido pela BR-163.

“A questão grande da Ferrogrão é que ela vai ser o maior regulador de tarifa do Brasil. Então aqueles que vão competir com a ferrovia não querem a Ferrogrão. E aí é muito fácil usar do discurso ambiental contra a ferrovia (…). E o cara que cobra hoje o frete rodoviário ou faz o transporte de ferrovia cobrando o preço rodoviário não quer que essa ferrovia saia. O jogo é muito claro”, explicou.

Segundo o ministro, o discurso ambiental contra a obra é uma “cortina de fumaça” criada por quem não quer o ambiente de competição que será imposto com o novo traçado.

“A questão da Ferrogrão não tem nada a ver com o meio ambiente. Isso é uma ‘cortina de fumaça’. A grande questão da ferrovia é que ela será o maior regulador de tarifa do Brasil. Aqueles que vão competir com a Ferrogrão não querem isso”.

“É muito fácil usar o discurso ambiental contra uma ferrovia. O que é um absoluto contrassenso. Como é que uma ferrovia não é um negócio sustentável? Só no Brasil”, ironizou.

E acrescentou:

“Há uma utilização de inocentes úteis para barrar o projeto de uma ferrovia que vai ser transformadora para a nossa logística”.

Freitas desabafou que ONGs e povos indígenas estariam sendo usados por interesses diversos ao da proteção ambiental e do respeito a essas comunidades.

“Aí vou lá, patrocino uma ONG, pega um indígena e boto debaixo do braço. Vou lá na Redação de um jornal pra dizer que a ferrovia é ruim ou contrato um consultor para dizer que a ferrovia não faz sentido”, disparou, acrescentando que a iniciativa privada apoiou o projeto.

“Se não fizesse sentido (a ferrovia), nós já teríamos abandonado”, garantiu.

Tarcísio comentou ainda o que seria uma contradição se opor ao projeto.

“O troço é tão maluco que, quando a gente fala em pavimentar a BR-319, vem os ambientalistas (e dizem): ‘um absurdo fazer a pavimentação da BR-319. Caberia aqui uma ferrovia’. Quando a gente fala em fazer a Ferrogrão, (dizem): ‘um absurdo fazer uma ferrovia aqui. Aqui tem que duplicar a BR-163’. Espera aí, gente, decide aí. Esse papo é de maluco”.

“(A ferrovia) vai deixar nosso produtor o mais eficiente do mundo, que ele já é eficiente da porteira para dentro e vai ser eficiente da porteira para fora. Que aquele cara que já produz 80 sacas por hectare – contra 40 sacas por hectare do americano – vai começar a transportar grãos com 40% menos de frete”, comemorou.

Pelas contas do Governo Federal, a ferrovia de 933 quilômetros de expansão vai custar aos cofres públicos R$ 21,5 bilhões. Desse total, R$ 8,4 bilhões serão investidos para colocar a linha férrea em operação, o que deve acontecer em 2030.

O Governo do presidente Jair Bolsonaro pretende leiloar o projeto ainda este ano, mas aguarda permissão do Tribunal de Contas da União (TCU). Além disso, precisa derrubar liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) que, surpreendentemente, suspendeu mudanças nos limites da Floresta Nacional do Jamanxim para a passagem da ferrovia.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo INFRAESTRUTURA: SEGUNDO O MINISTRO DA INFRAESTRUTURA, “INOCENTES ÚTEIS” TENTAM BARRAR A CONSTRUÇÃO DA FERROGRÃO

POLÍTICA: SENADORES GOVERNISTAS ESTÃO TENTANDO TIRAR RENAN CALHEIROS DA CPI DA COVID

Senadores governistas vão ao STF contra Renan na CPI da Covid e mantém batalha judicial

Foto: Edilson Rodrigues / Edilson Rodrigues/Agência Senado

Senadores governistas que integram a CPI da Covid apresentaram um mandado de segurança ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar tirar Renan Calheiros (MDB-AL), escolhido ontem como relator, do colegiado. Na peça, Marcos Rogério (DEM-RO), Jorginho Mello (PL-SC) e Eduardo Girão (Podemos-CE) alegam que parlamentares que possuem parentesco em primeiro grau com possíveis alvos da investigação devem ser considerados impedidos. Renan é pai do governador de Alagoas. A comissão tem como um dos focos apurar o envio de recursos federais a estados e municípios.

Se aceita, a medida também poderia afetar outro senador do MDB, Jader Barbalho (PA), que é pai do governador do Pará, Helder Barbalho. Jader ocupa vaga de suplente na Comissão Parlamentar de Inquérito.

“Tendo em vista as previsões legislativas acima elencadas, mostrase evidente a vedação, por força do ordenamento jurídico pátrio, a participação de parlamentares que possuam parentes em linha reta ou colateral até terceiro grau em Comissões Parlamentares de Inquérito. Cumpre salientar que entre os membros da CPI encontra-se dois parlamentares que possuem parentes em gestões estaduais”, diz trecho do documento.

Para embasar o pedido, os senadores citam requerimentos apresentados por eles para localizar processos que indiquem possíveis desvios de recursos federais na pandemia. Os requerimentos ainda dependem da aprovação da maioria da comissão — os governistas estão em minoria, com quatro dos 11 membros titulares.

“Veja-se, portanto, que o Estado de Alagoas não é apenas mera hipótese quanto à investigação em curso, mas uma certeza, vez que já há requerimento quanto aos recursos enviados a todos os Estados, o Distrito Federal e as Capitais. Ademais, sabe-se que as provas serão reunidas, também, em relação ao Estado de Alagoas, para o respectivo exame e Juízo de valor quanto à correção ou não da aplicação dos recursos”, afirmam os parlamentares na ação.

Entre os requerimentos, Marcos Rogério apresentou uma solicitação ao colegiado para que todos os governadores e os prefeitos das capitais enviem informações sobre a aplicação dos recursos enviados, com as notas de empenho, ordens bancárias, notas fiscais, extratos bancários e processos administrativos de despesa.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo POLÍTICA: SENADORES GOVERNISTAS ESTÃO TENTANDO TIRAR RENAN CALHEIROS DA CPI DA COVID

POLÍTICA: AÇÕES E OMISSÕES DE GOVERNOS NA PANDEMIA SERÃO APURADAS PELA CPI DA COVID INSTALADA PELO SENADO

Senado instala CPI da Covid para apurar ações e omissões na pandemia; assista

Inquérito deve ser dividido em quatro frentes e focar tanto no enfrentamento à pandemia pelo governo federal quanto no uso de verbas por estados e municípios

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo, e Bia Gurgel, da CNN, em Brasília
Atualizado 27 de abril de 2021 às 12:09

Senado federal abriu nesta terça-feira (27) a sessão para instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai apurar ações e omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia da Covid-19, bem como o uso de verbas federais por parte de estados e municípios no combate à doença.

A primeira reunião da comissão, em que seus membros elegem o presidente e o vice-presidente da CPI, começou com disputas em torno da possibilidade de o senador Renan Calheiros (MDB-AL) ser indicado para a relatoria da comissão.

A sessão foi aberta pelo senador Otto Alencar (PSD-BA), responsável por abrir os trabalhos da CPI por ser seu membro mais velho da comissão. Na sequência, o senador Ciro Nogueira (Progressistas-PI) pediu a suspensão da sessão alegando que senadores que foram indicados para a CPI da Covid já são membros de outras comissões de investigação, o que não seria permitido.

Alencar indeferiu o pedido, dizendo que a CPI da Covid não é temática e que em muitas outras comissões funcionaram dessa forma e essa situação não foi questionada anteriormente. Além disso, as demais CPIs existentes no Senado estão paralisadas, não configurando, portanto, essa obstrução.

Na sequência, o senador Jorginho Mello (PL-SC) apresentou questão de ordem alegando que há parlamentares impedidos de votar. Ele justificou que haveria conflito de interesses por parte de Renan, assim como por seu suplente, Jader Barbalho (MDB-PA), já que ambos têm parentesco consanguíneo com possíveis investigados pela CPI.

“O que quero destacar é que uma importante investigação não pode ser continuada se existir uma desconfiança”, disse Mello.

Por volta das 11h desta terça-feira (27), enquanto os senadores ainda debatiam a possível suspeição de Renan, o desembargador Francisco de Assis Betti, vice-presidente no exercício da Presidência do TRF-1ª Região, suspendeu a liminar concedia na véspera que impedia a indicação de Renan para a relatoria da CPI.

No texto que reverteu a liminar, o desembargador Betti escreveu que a decisão de suspender a execução da medida judicial foi tomada em via excepcional para “evitar grave lesão à ordem, à saúde, à segurança e à economia públicas”.

Um dos senadores a se manifestar contra as questões de ordem, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse ser insensato tentar “impedir um colega parlamentar do exercício do mandato [de participar da CPI]”.

“O que for argumentado aqui pra impedir a designação de senadores, inclusive pra participar da CPI (…) isso é impedir o exercício do mandato. Existe a CPI das Fake News em que membros da comissão são investigados e mesmo assim ninguém questionou impedimento para participar”, disse.

“E ninguém aqui tem que temer nada dessa CPI. A CPI não persegue pessoas ou fatos. Se o Governo não tem nenhuma omissão ou ação que levou ao agravamento da pandemia, de termos de janeiro até agora mais mortes do que no ano passado, se não teve instabilidade, não tem porque medidas protelatórias para instalarmos [a CPI].

Ele também afirmou que a decisão judicial liminar contra Renan, antes de ser derrubada, era esdrúxula.

Flávio Bolsonaro critica articulação a favor de Renan

Apesar de não fazer parte da CPI, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) também se manifestou na sessão de instalação da CPI.

“Aquele parlamentar que tiver nessa CPI e quiser subir nos caixões dos quase 400 mil mortos para atacar o presidente e antecipar as eleições vai ser visto pela população. Com certeza está todo mundo de olho nisso aqui”, afirmou.

Ele disse ainda que, em função das indicações feitas por seu bloco para a composição da comissão, defenderá que o Republicanos deixe o bloco formado ainda por MDB e Progressistas.

Se meu nome fosse sugerido, por exemplo, é óbvio que haveria imparcialidade. Ele [Renan], como possível relator, já disse que foi omisso e incompetente, mas que na CPI vai ser imparcial. Beira o ridículo.”

Ele afirmou esperar ainda questões judiciais caso o nome de Renan seja confirmado como o relator da comissão.

O rito da sessão de instalação da CPI

Após a escolha do presidente e do vice-presidente da CPI, será feita a indicação do relator da comissão. Mais cedo, o senador Omar Aziz (PSD-AM) – mais cotado para presidir a CPI – confirmou à CNN que vai indicar Renan Calheiros (MDB-AL) caso seja confirmado no comando da CPI.

CPI da Covid, como a comissão é chamada, foi protocolada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição, e inicialmente era focada só nas ações do governo federal. Por pressão dos aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), incorporou também a aplicação de verbas da União pelos entes regionais.

A CPI foi instalada em cumprimento a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), em decisão do ministro Luís Roberto Barroso referendada pelo plenário da Corte.

O apelo ao STF, feito pelos senadores Jorge Kajuru (Podemos-GO) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE), teve como base o argumento de que uma CPI com as assinaturas e pré-requisitos mínimos deveria ser instalada independentemente da posição do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

A comissão é composta por 11 membros titulares e 7 suplentes. O prazo inicial para o funcionamento da CPI é de 90 dias, mas pode ser renovado pelo mesmo período – se houver essa ampliação, a CPI poderá funcionar até outubro de 2021, um ano antes do primeiro turno das eleições de 2022.

O que a CPI vai investigar?

possível plano de trabalho da CPI da Pandemia, obtido pela CNN, prevê a divisão da comissão em quatro frentes: vacinas e outras medidas para a contenção do vírus, colapso da saúde em Manaus, insumos para tratamento de enfermos e emprego de recursos federais. O documento, no entanto, ainda pode ser alterado por parlamentares que farão parte da comissão.

Caso o plano usado na CPI seja esse, ministros como Paulo Guedes, da Economia, e ex-membros do governo, como o ex-chanceler Ernesto Araújo e o ex-secretário de Comunicação Social Fábio Wajngarten, podem ser chamados para prestar esclarecimentos.

Em entrevista à CNN, o senador Omar Aziz (PSD-AM), candidato a presidir a CPI da Covid, defendeu que o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta seja o primeiro convocado a depor na comissão. “Foi onde tudo começou”, argumentou o parlamentar amazonense.

Ele também disse que outro objetivo da comissão será entender por que o governo federal não negociou com a Pfizer, em agosto de 2020, a compra de 70 milhões de vacinas contra o novo coronavírus.

Os ex-ministros da Saúde Nelson Teich e Eduardo Pazuello, além do atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga, também devem ser convocados.

Outro ponto que deve ser investigado é a recomendação, por parte do Ministério da Saúde, do uso de hidroxicloroquina no tratamento da doença – medicamento que não tem comprovação científica da eficácia em pacientes com Covid-19.

Outro fatos a ser investigado é a demora na assinatura do contrato entre o Instituto Butantan e o Ministério para a compra dos primeiros 46 milhões de doses da Coronavac.

Quais os limites da CPI?

A CPI tem poder de convocar autoridades, requisitar documentos, recomendar ao Ministério Público que inquéritos sejam instaurados e até determinar a quebra de sigilo bancário, fiscal telefônico.

A investigação pode convocar basicamente qualquer pessoa que considere relevante para apurar os fatos investigados, incluindo ministros de Estado. Os intimados são obrigados a comparecer e devem prestar seus depoimentos sob juramento de dizer a verdade.

Uma CPI não tem poder de julgar nem tem competência para punir investigados. Assim, não pode, por exemplo, determinar medidas cautelares, como prisões provisórias ou indisponibilidade de bens. Também não pode expedir mandado de busca e apreensão, apreender passaporte ou determinar escutas telefônicas – medidas que dependem de decisão judicial.

Ao final dos trabalhos, a comissão produzi um relatório de conclusão, que será encaminhado ao Ministério Público ou à Advocacia-Geral da União, para haver a responsabilização civil e criminal de possíveis infratores ou para tomarem outras medidas legais necessárias.

Fonte: CNN

Continuar lendo POLÍTICA: AÇÕES E OMISSÕES DE GOVERNOS NA PANDEMIA SERÃO APURADAS PELA CPI DA COVID INSTALADA PELO SENADO

POLÍTICA: NO JULGAMENTO POLÍTICO PARA SALVAR LULA DOS SEUS CRIMES ESTÃO COLOCANDO SÉRGIO MORO COMO BODE EXPIATÓRIO

Estão colocando Sergio Moro como bode expiatório para salvar o Lula”, ressalta advogado (veja o vídeo)

Sérgio Moro (Reprodução)Sérgio Moro

O ativismo judicial e as táticas da esquerda foram alguns dos temas do debate que reuniu o advogado e jornalista Paulo Faria, e o advogado Danilo Garcia na TV Jornal da Cidade Online.

Para o advogado Danilo Garcia, a suspeição de Moro é um julgamento político, e existe algo importante nessa história que está sendo estrategicamente ignorado: Lula teria praticado crime de lesa pátria, por conta da evasão de divisas brasileiras para ditaduras comunistas.

“É um julgamento político, não estou aqui dizendo se o Moro merece ou não merece apreço jurídico. Estou falando que estão colocando Moro como bode expiatório para salvar o ex-presidente Lula dos crimes por ele, e por sua organização partidária, para não dizer criminosa, praticados contra o erário brasileiro.

Muito me perguntarão que crimes? Ora, o Brasil tem bastante miséria, bastante área que precisa de incentivo fiscal financeiro para que possa prosperar, por que mandaram nosso dinheiro para Cuba, Venezuela, para África?

Dinheiro brasileiro que deveria ser empregado no Brasil. Maior que este crime não há. É crime de lesa pátria. Só por este crime o Lula deveria ser recolhido preso e jamais voltar ao cenário político. Estão usando o Moro como bode expiatório para justificar essas anulações absurdas. E assim tornar ele eletivo novamente. Estão querendo pegar o ex-juiz Sérgio Moro como bode expiatório para justificar o injustificável.

Para inocentar aquele que não é inocente, para apaziguar aquele partido político que não pensou no Brasil e nos brasileiros. Que só pensou em si e no seu plano perpétuo de reeleição e de manutenção no poder. Então, mais uma vez essa decisão do STF é uma decisão de ativismo judicial explícito e implícito. Ilegal do ponto de vista constitucional. Repugnante”, frisou.

“Esta questão de ideologia, de sexo, de catalogar as pessoas por cor de pele é a tática da esquerda”

Já o advogado Paulo Faria apontou algumas estratégias usadas pela esquerda, como a vitimização, e a cooptação da juventude e das ditas ‘minorias’:

“A esquerda trata as pessoas com pena, esperando submissão delas. Não é pelas capacidades ou competência. Nós, em vez de vivermos no país da meritocracia, vivemos no país da cleptocracia. Então é preciso mudar isso depois de 14 anos de governo petista.

E hoje temos esses jovens de 20/30 anos que foram formados na era petista, nós estamos vendo aí a porcaria que está o país. Nós estamos pagando o preço alto por ter colocado um analfabeto como o Lula no poder. Além de uma mulher, que representou muito mal as mulheres, porque mulher não é aquilo que estava na presidência da República, não. Ela acabou com o país.

Nem uma loja de 1,99 ela conseguiu fazer funcionar. Mas isso não é porque é mulher, é porque a pessoa é incompetente de pai e mãe. Então esta questão de ideologia, de sexo, de catalogar as pessoas por cor de pele é a tática da esquerda. Por exemplo a criminalização da homofobia, o STF legislando, é o ativismo judicial.

Aí acontece o seguinte quanto a essa lei da igualdade salarial, o presidente vai ter que sancionar, porque se ele não sancionar, ele vai ser chamado de misógino”, explicou Faria.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: NO JULGAMENTO POLÍTICO PARA SALVAR LULA DOS SEUS CRIMES ESTÃO COLOCANDO SÉRGIO MORO COMO BODE EXPIATÓRIO

POLÍTICA: MARQUETEIRO DO PT PRESO POR LAVAGEM DE DINHEIRO É O NOVO CONTRATADO DO PDT

PDT contrata o marqueteiro João Santana, preso por lavagem de dinheiro

Foto: Reprodução/Internet

O PDT contratou o jornalista João Santana, responsável pelas campanhas de Luis Inácio Lula da Silva (2006) e Dilma Roussef (2010 e 2014) para “ajudar” na área de comunicação da sigla. Santana foi o marqueteiro oficial do PT por longos anos. O investimento reforça a ideia de que Ciro Gomes vai, realmente, disputar eleição presidencial de 2022.

João Santana está tão otimista com seu “pupilo” que, em entrevista concedida ao programa “Roda Viva”, da TV Cultura, em outubro de 2020, chegou a dizer que Lula deveria ser vice na chapa encabeçada por Ciro.

“O Lula está em uma condição que não pode nem perder nem ganhar, porque assumiria o governo sangrando. Ele é o melhor perfil de vice que se pode ter”, disparou, acrescentando que também poderia trabalhar para uma candidatura de esquerda, na disputa de 2022.

Ciro Gomes e o presidente da legenda, Carlos Lupi, comemoraram a contratação no Twitter.

João Santana foi um dos investigados na Operação Lava Jato. Ele foi condenado a mais de sete anos de prisão por lavagem de dinheiro, em 2017. Mas, aderiu a um acordo de delação premiada e, por isso, cumpriu apenas um ano e seis meses de reclusão no regime fechado diferenciado. Ou seja: recolhimento domiciliar integral com uso de tornozeleira eletrônica. Em seguida, passou aos regimes semiaberto e aberto.

O fato é que nenhum marketing se iguala ao do presidente Jair Bolsonaro. Ele passeia, cumprimenta, entra e sai de residências por todo o Brasil; provando que o trabalho honesto e fiel aos princípios determinados nas eleições de 2018 continuam sendo um eficiente “boca a boca”. E o melhor: sem um tostão investido.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: MARQUETEIRO DO PT PRESO POR LAVAGEM DE DINHEIRO É O NOVO CONTRATADO DO PDT

POLÍTICA: WITZEL É A PURA HIPOCRISIA DA CORRUPÇÃO DISFARÇADA DE LÁGRIMAS TENTANDO O GOLPE DO CONVENCIMENTO

Em depoimento ao Tribunal que decidirá o seu futuro, Witzel chora

Wilson Witzel (Reprodução)Wilson Witzel (Reprodução)

O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, se emocionou e chorou durante o interrogatório ocorrido nesta quarta-feira (7) no Tribunal Especial Misto, que reúne desembargadores e deputados estaduais, para julgar o processo de impeachment. Antes do interrogatório, que durou pouco mais de cinco horas, Witzel anunciou que estava dispensando seu advogado e pediu um prazo de 20 dias para constituir um novo advogado, mas o pedido de adiamento foi negado.

Antes de Witzel, foi interrogado o ex-secretário de Saúde Edmar Santos, que é réu colaborador e pediu para não ter sua imagem ou depoimento divulgado, amparado por uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), pedindo para ser coberto por um pano, o que foi aceito pelo tribunal. Quando foi retomado o julgamento, Witzel pediu para ler um texto e chorou, ao iniciar sua defesa.

“São 35 anos de vida pública. Passei por várias instituições. Foram 18 anos como magistrado federal. Fui militar da Marinha de Guerra por cinco anos. Vida pública movida pelo sentimento de ideal. Eu não deixei a magistratura para ser ladrão. O que estão fazendo com a minha família é muito cruel”, desabafou Witzel.

Ao longo do interrogatório, Witzel negou insistentemente ter recebido qualquer tipo de vantagem indevida. Ele foi inquirido pelos desembargadores e deputados sobre o por quê ter readmitido a empresa de saúde Unir, que cuidava de unidades de Saúde e havia sido desclassificada.

“Tomei a decisão. Era uma hipótese em que havia situações nos autos que não haviam sido apreciadas apropriadamente. Não mandei que a Unir fosse recontratada. Jamais essa decisão foi tomada com qualquer vantagem indevida”, sustentou.

Witzel também frisou que, durante o seu governo, havia uma orientação expressa para que secretários não se envolvessem com empresários.

“Eu não admitia reunião de secretários com empresários. Se chegasse ao meu conhecimento, seriam exonerados”.

Processo

O andamento do processo de impeachment de Witzel foi aprovado em sessão da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) no dia 23 de setembro de 2020, em votação unânime de 69 votos a favor e nenhum contra. Em novembro do ano passado, o Tribunal Especial Misto acolheu, também por unanimidade, a denúncia para o prosseguimento do processo de impeachment do governador afastado. Na mesma sessão, foi decidido o corte de um terço do salário de Witzel e que deixasse de ocupar, junto com a família, a residência oficial do governo do estado, no Palácio Laranjeiras, na zona sul do Rio.

O Tribunal Especial Misto é composto pelos desembargadores Teresa Castro Neves, Maria da Glória Bandeira de Mello, Inês da Trindade, José Carlos Maldonado e Fernando Foch e pelos deputados estaduais Waldeck Carneiro (PT), relator do processo, Alexandre Freitas (Novo), Chico Machado (PSD), Dani Monteiro (PSOL) e Carlos Macedo (REP).

O tribunal é presidido pelo desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, que também é presidente do Tribunal de Justiça (TJ). Com o fim da fase de interrogatórios, as partes têm 10 dias para apresentar suas alegações finais.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: WITZEL É A PURA HIPOCRISIA DA CORRUPÇÃO DISFARÇADA DE LÁGRIMAS TENTANDO O GOLPE DO CONVENCIMENTO

POLÍTICA: GOVERNO DO RN SANCIONA LEI QUE ESTABELECE MULTA PARA QUEM FURAR FILA DA CAMPANHA DE VACINAÇÃO

Fátima sanciona lei que prevê multa de até R$ 20 mil para quem furar fila de vacinação contra Covid-19 no RN

 DIVERSOS

Fátima Bezerra decreta toque de recolher no RN de 22h às 5h a partir deste sábado

O Governo do Rio Grande do Norte instituiu a Lei nº 10.860, que estabelece multa de R$ 10 a R$ 20 mil para quem furar a fila da campanha de vacinação contra a Covid-19. A penalidade será aplicada para a pessoa responsável pela aplicação da vacina, ou seu superior hierárquico, como também para a própria pessoa que se vacinou estando fora do grupo de prioridade estabelecido pelo plano de vacinação. A norma será publicada na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (31).

A lei, de iniciativa do deputado estadual Hermano Moraes, ainda estabelece o dobro da pena caso o infrator seja funcionário ou agente público. A multa será aplicada sem prejuízo civil ou penal, mediante procedimento administrativo pelo órgão estadual competente.

O valor da multa deverá considerar a gravidade das consequências, tendo como princípio a função pedagógica da lei, apelando para a conscientização das pessoas. As multas serão recolhidas ao Fundo Estadual de Saúde (FES-RN).

LEI SOBRE DESCARTE DE MÁSCARAS

Outra lei sancionada pela governadora Fátima Bezerra, a Lei nº 10.859, de 30 de março de 2021, estabelece normas para o descarte de máscaras de proteção individual e outros equipamentos de proteção individual (EPIs). Proposta pela deputada estadual Cristiane Dantas, a lei é considerada como medida de redução da transmissão do coronavírus e de proteção aos profissionais que trabalham na coleta e ao meio ambiente. Fica proibido o descarte das máscaras e EPIs em ruas e vias, logradouros públicos, praças, rodovias e outras áreas protegidas.

Além de orientações de como deve ser acomodada a máscara descartada e/ou EPI, a lei edita que o descarte deve ser identificado como “perigo de contaminação – Covid-19”, além de ser acomodados em sacos separados do lixo comum e não descartar em lixo reciclável. Em estabelecimentos comerciais, deverá haver um recipiente exclusivo para o descarte das máscaras e EPIs.

Fonte: Blog do BG
Continuar lendo POLÍTICA: GOVERNO DO RN SANCIONA LEI QUE ESTABELECE MULTA PARA QUEM FURAR FILA DA CAMPANHA DE VACINAÇÃO

POLÍTICA: O COLUNISTA RODRIGO CONSTANTINO FAZ UM ALERTA SOBRE UMA EVENTUAL APROXIMAÇÃO ENTRE BRASIL E CHINA ATRAVÉS DE ARTHUR LIRA

Constantino alerta sobre a “relação” de Lira com o Partido Comunista Chinês

Fotomontagem: Arthur Lira e Rodrigo Constantino (Reprodução)Fotomontagem: Arthur Lira e Rodrigo Constantino (Reprodução)

Em sua conta no Twitter, o colunista Rodrigo Constantino fez uma publicação alertando sobre uma eventual aproximação entre Brasil e China, através de Arthur Lira:

“Bom dia. Todos prontos para aprender mandarim, abandonar as urnas e enaltecer o comunismo?

Parece que não precisaremos mais de presidente ou eleição. O PCC controlará tudo diretamente pra nós. Uma província chinesa, olha que maravilha!”.

A postagem foi em resposta a duas publicações feitas pelo embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, no dia 25, em que o diplomata chinês anunciou uma conversa entre o presidente da Assembleia da China e o presidente da Câmara dos Deputados do Brasil:

“O Presidente da Assembleia Popular Nacional da China, Sr. Li Zhanshu acabou de ter uma videoconferência, nesta noite da quinta-feira, com o Presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, Sr. Arthur Lira”, noticiou ele.

“Os dois Presidentes trocaram sinceramente opiniões e manifestaram os interesses comuns de aprofundamento das relações bilaterais, ampliação do intercâmbio e cooperação parlamentares, além do reforço da parceria no combate à pandemia e nas vacinas”, detalhou o embaixador chinês.

Foi só isso, por enquanto, mas o assunto é, de fato, intrigante…

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: O COLUNISTA RODRIGO CONSTANTINO FAZ UM ALERTA SOBRE UMA EVENTUAL APROXIMAÇÃO ENTRE BRASIL E CHINA ATRAVÉS DE ARTHUR LIRA

POLÍTICA: DIA 14 DE ABRIL SERÁ JULGADO PELO PLENÁRIO DO STF A ANULAÇÃO DA CONDENAÇÃO DO EX-PRESIDENTE LULA

Plenário do STF vai julgar anulação das condenações de Lula em 14 de abril

Colegiado formado pelos 11 ministros da Corte decidirá se mantém ou não a decisão do ministro Edson Fachin

Gabriela Coelho, da CNN, em Brasília

Atualizado 25 de março de 2021 às 19:34

Ex-presidente Lula responde perguntas de jornalistas

A decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), de anular as condenações impostas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pela Operação Lava Jato em Curitiba vai ser levada a Plenário no dia 14 de abril.

Foram incluídos juntos como o primeiro item da pauta dessa data os recursos apresentados pela PGR e pela defesa do ex-presidente Lula contra a decisão de Fachin, que anulou as condenações e determinou a transferência dos processos do PR para o DF.

Em 8 de março, o ministro do STF decidiu anular as condenações impostas a Lula alegando a incompetência da Justiça Federal do Paraná para julgar os casos envolvendo o ex-presidente na Lava Jato.

Na terminologia jurídica, “incompetência” significa dizer que a justiça paranaense não era o foro adequado para julgar o ex-presidente.

Na prática, isso significa que o então juiz Sergio Moro não deveria ter analisado os casos. Edson Fachin afirma ter seguido um precedente da Segunda Turma do STF, que retirou de Curitiba os casos da Lava Jato que não tinham conexão expressa com a Petrobras. O ministro enviou as ações para a Justiça de Brasília.

O julgamento do dia 14 não tem relação com outra decisão recente do Supremo Tribunal Federal, quando a Segunda Turma considerou Moro suspeito para julgar o ex-presidente. Nesse caso, a “suspeição” significa dizer que o ex-juiz não seria imparcial, portanto, teria julgado Lula de um ponto de vista tendencioso.

Continuar lendo POLÍTICA: DIA 14 DE ABRIL SERÁ JULGADO PELO PLENÁRIO DO STF A ANULAÇÃO DA CONDENAÇÃO DO EX-PRESIDENTE LULA

POLÍTICA-SAÚDE: PELO VISTO, AGLOMERAÇÃO EM TRANSPORTES PÚBLICOS NÃO FAZ PARTE DAS MEDIDAS RESTRITIVAS DOS GOVERNANTES

Governadores e prefeitos mantêm medidas restritivas, mas ignoram aglomerações nos transportes públicos (veja o vídeo)

Crédito da foto: Amanda Menezes/RPC

Uma das críticas mais ferozes aos consecutivos lockdowns e medidas de distanciamento social impostas por governadores e prefeitos em mais de um ano de pandemia no Brasil é que os gestores ignoram por completo o alto índice de aglomeração no transporte público do país.

O comentarista político e jornalista Augusto Nunes falou sobre isso, nesta quinta-feira (18), no Jornal da Record.

“É impossível levar a sério os lockdowns que não incluem o transporte público. Faz um ano que vagões do metrô e ônibus circulam lotados em todas as capitais sem qualquer medida de distanciamento social”, lembrou.

“Governadores e prefeitos vivem proibindo o coronavírus de multiplicar-se em restaurantes, bares, estádios de futebol desertos, templos religiosos. E, agora, até em prateleiras de supermercado e outros lugares que aprenderam a adotar cautelas preventivas”, ironizou.

E completou:

“Mas, a pandemia continua liberada para espalhar-se com a ajuda de centenas de milhares de brasileiros sem automóvel. Os governantes incumbidos de combater a Covid-19 sabem de que forma o perigo se move. Sabem que o maior foco de contágio ‘viaja de graça’. Só não sabem o que fazer para aumentar a oferta de transporte de massa”, detalhou.

“Se tanta gente continua a deslocar-se entre o local da residência e o de trabalho, está claro que o lockdown não é tão lockdown assim. Isso ajuda a entender por que os números que medem a tragédia sanitária não param de crescer”, conclui o jornalista.

Confira o vídeo:

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA-SAÚDE: PELO VISTO, AGLOMERAÇÃO EM TRANSPORTES PÚBLICOS NÃO FAZ PARTE DAS MEDIDAS RESTRITIVAS DOS GOVERNANTES

POLÍTICA: ATENDENDO PEDIDO DP PSOL, ALEXANDRE DE MORAES SUSPENDE PROJETO DE CONSTRUÇÃO DA FERROGRÃO

Moraes atende pedido do PSOL, “trava” a infraestrutura e Tarcísio promete recorrer

Fotomontagem: Alexandre de Moraes e Tarcísio de FreitasFotomontagem: Alexandre de Moraes e Tarcísio de Freitas

Na última terça-feira (16), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que pedirá reavaliação da decisão do ministro do Supremo Tribunal federal (STF), Alexandre de Moraes, que suspendeu o projeto de construção da Ferrogrão.

A decisão de Moraes atendeu a um pedido de liminar do PSOL, que apontava possíveis danos ao meio ambiente.

O projeto é referente à construção de uma ferrovia ligando Mato Grosso e Pará, facilitando o escoamento do agronegócio da região.

Segundo o ministro, a área do projeto ferroviário segue ao lado do eixo da rodovia BR-163, e já foi excluído do Parque Nacional Jamanxim, motivo pelo qual pedirá a reavaliação:

“Nós vamos apresentar argumentos com a Advocacia-Geral da União. Vamos apresentar nosso ponto de vista.”, disse ele.

Tarcísio declarou ainda que a suspensão do projeto que ainda não foi submetido ao licenciamento ambiental é precipitada:

“Estou tranquilo. Sabemos do compromisso que os ministros do STF têm com o meio ambiente. No entanto, vejo que temos bons argumentos para garantir a continuidade do projeto, que passará ainda pelo licenciamento ambiental. Portanto, não há razão de urgência em paralisar o processo.”

É mais uma vez o PSOL tentando atrapalhar o governo e utilizando para tal, o STF.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: ATENDENDO PEDIDO DP PSOL, ALEXANDRE DE MORAES SUSPENDE PROJETO DE CONSTRUÇÃO DA FERROGRÃO

POLÍTICA: JORNALISTA FIUZA SOLTOU O VERBO E CRITICOU MEDIDAS RESTRITIVAS IMPOSTAS POR GOVERNADORES DITADORES

Fiuza perde a paciência e "abre fogo" contra "ditadores" (veja o vídeo)

O jornalista, escritor e cineasta, Guilherme Fiuza, “soltou o verbo”, mais uma vez, durante o programa “Os Pingos nos Is”, da Jovem Pan, e criticou as medidas restritivas impostas pelos governadores dos estados brasileiros.

“Os estudos acadêmicos, realizados nos centros de pesquisa, atestaram que o lockdown não salva ninguém”, disparou, acrescentando que os governantes não têm como comprovar que a disseminação do coronavírus diminui em virtude de um isolamento rígido; porque a doença tem se espalhado com facilidade em asilos e casa.

“O distanciamento social, o controle por meio de higienização, esses tipos de medidas inteligentes, que foram proibidas, é que funcionam”, afirmou Fiuza.

Para ele, proibir o funcionamento dos comércios e a circulação das pessoas é um movimento político, sem base científica.

“Onde está a equação direta entre a progressão da pandemia e a eficácia das medidas de trancamento? Não existe. Eles não têm como provar”, assegurou.

Fiuza ainda classificou o toque de recolher como um “escândalo”.

“As ruas estão tomadas por pelotões armados, por guardas com cacetetes maiores que um taco de beisebol, empurrando as pessoas para dentro de casa. Não pode andar ninguém (na rua)”, detalhou.

E complementou:

“Mas, durante o dia, as pessoas estão dentro dos ônibus, juntas, e tudo bem (para os governadores). Como essa sociedade apática assiste a isso e aceita uma coisa dessas?”, questionou, indignado.

E completou:

“Essa é uma experiência ditatorial”, finalizou.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: JORNALISTA FIUZA SOLTOU O VERBO E CRITICOU MEDIDAS RESTRITIVAS IMPOSTAS POR GOVERNADORES DITADORES

A BRILHANTE ANÁLISE DE COPPOLLA SOBRE A ANULAÇÃO DOS PROCESSOS DO EX-PRESIDENTE LULA NA LAVA JATO

Coppolla dispara contra o STF e afirma que ministros não atuam de forma jurídica (veja o vídeo)

Foto: Reprodução/InternetFoto: Reprodução/Internet

O comentarista da CNN Brasil Caio Coppolla fez brilhante análise sobre a anulação de todos os processos em que Lula foi julgado e condenado, dentro da “Operação Lava Jato”.

“Por que, só agora, depois de tantos anos, a ‘justiça’ constatou que a 13º Vara de Curitiba não tem jurisdição, não tem legitimidade, não tem poder pra processar e julgar a conduta criminosa do ex-presidente Lula”, questionou.

E prosseguiu:

“A resposta é simples: a atuação do Supremo Tribunal Federal não é mais jurídica. A atuação do Supremo é política”.

E completou:

“Quando a Constituição não serve aos propósitos do STF, os ministros ignoram, reinterpretam e até reescrevem a lei com a maior desfaçatez, sem o menor pudor. Por isso que o Supremo, contrariando décadas de jurisprudência, decidiu que corruptos não podem ser presos; mesmo se condenados duas vezes: por um juiz e por um tribunal”, criticou, ironizando a conduta dúbia dos integrantes da Corte Maior do Brasil.

Coppolla disse ainda que, contra o STF, não há a quem apelar, porque o único mecanismo constitucional para frear abuso de autoridade seria o impeachment de ministros.

“Mas, infelizmente, quem julga a admissibilidade, o mérito dessas denúncias por crime de responsabilidade é o Senado e quase metade dos senadores é investigado ou responde a ações penais. Muitas delas, no próprio STF”, finalizou.

Confira o vídeo:

 

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo A BRILHANTE ANÁLISE DE COPPOLLA SOBRE A ANULAÇÃO DOS PROCESSOS DO EX-PRESIDENTE LULA NA LAVA JATO

POLÍTICA- SAÚDE: PREFEITO DE NATAL ÁLVARO DIAS FAZ DURAS CRÍTICAS AO GOVERNO, SOBRE ATUAÇÃO NO ESTADO NO PERÍODO DE PANDEMIA

Álvaro Dias culpa Governo do Estado pelo caos na Saúde do RN, e diz que é um absurdo prender cidadãos por toque de recolher

 POLÍTICASAÚDE

Com piora da pandemia, governadora Fátima Bezerra sobe tom: “Não dá para brincar com a morte”

Em entrevistas ao Bom Dia RN e ao Jornal da 98 FM nesta terça-feira(09), o prefeito de Natal Álvaro Dias, fez duras críticas ao Governo do Estado. O chefe do executivo do município a grave situação da pandemia ao governo estadual:

“Nós fizemos hospital de campanha e o Governo não fez. Nós defendemos a profilaxia e o Governo não. Temos profundas divergências”, disse prefeito de Natal ao canal InterTV Cabugi.

Sobre as medidas restritivas como toque de recolher, Álvaro não economizou nas críticas:

“Isso é um absurdo você mandar prender os cidadãos de bem porque não estão cumprindo um toque de recolher que ninguém sabe nem se existe legitimidade para o Governo do Estado decretar ou se é isso exclusividade do Governo Federal”, disse o prefeito de Natal, ainda destacando ter editado um decreto de equilíbrio entre a prevenção à saúde e a manutenção dos empregos, já que “a pandemia pode matar, mas a fome mata também”, emendando:

“Se as pessoas começarem a ficar desempregadas, mais do que já estão, sem ter condições de ter o seu salário, o seu sustento, a sua sobrevivência, de fazer a sua feira, como é que essas pessoas vão se manter também?”, declarou em entrevista à 98 FM.

Por fim, o prefeito de Natal ainda disse que a prefeitura chegou a se reunir com a governadora, mas saiu decepcionada da reunião, pois o Governo procurou apenas “ditar o que já havia decidido”.

Continuar lendo POLÍTICA- SAÚDE: PREFEITO DE NATAL ÁLVARO DIAS FAZ DURAS CRÍTICAS AO GOVERNO, SOBRE ATUAÇÃO NO ESTADO NO PERÍODO DE PANDEMIA

POLÍTICA: BOLSONARO ENTREGA FERROVIA, ELOGIA MINISTRO DO MEIO AMBIENTE E ACABA COM A FARRA DE DINHEIRO PARA O MST

Bolsonaro entrega ferrovia e dispara contra o MST: “acabei com dinheiro de ONG para eles”

Fotos: Lula Marques (fotos públicas) e Agência BrasilFotos: Lula Marques (fotos públicas) e Agência Brasil

No decorrer da semana passada, o presidente Jair Bolsonaro participava de cerimônia de entrega de uma ferrovia no estado de Goiás, quando elogiou a atuação do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, no comando de uma das pastas mais estratégicas para o Governo e aproveitou o momento para dizer que o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) está sendo combatido na sua gestão.

“Imagine vocês se o PT tivesse ganho as eleições. Em falar nesse partido do mal, há dois anos vocês não ouvem falar em MST. Por que? Fizemos a nossa parte, acabei com dinheiro de ONG para eles. Algumas boas ONGs foram para o espaço, mas isso é efeito colateral”, disparou.

Bolsonaro acrescentou que a demarcação das áreas indígenas no Brasil equivale ao tamanho da região Sudeste e disse:

“Não tem mais invasão do MST. Vocês há dois anos não acordam mais e têm uma notícia de publicação no Diário Oficial da União de que você perdeu a sua fazenda porque uma portaria foi assinada pelo ministro da Justiça para demarcar mais uma reserva indígena. Nada contra os índios, pelo contrário, mas já são 14% do nosso território demarcado como terra indígena. Equivale à região sudeste, não está de bom tamanho?”, questionou.

O presidente também citou o povo Yanomami, informando que a quantidade de terra demarcada é “absurda”, sendo “duas vezes o tamanho do Rio de Janeiro para 9.000 índios”.

“Temos locais aqui que não pode passar uma rodovia, uma ferrovia, porque passa por dentro de uma reserva que tem apenas um índio dentro dela, como em Mato Grosso. Que país é esse? Que irresponsabilidade é essa?”, questionou, indignado.

Por isso, ele defende não mais demarcar terras indígenas no país:

“Levo ‘porrada’ do mundo todo, como aquele que ‘não dá bola’ para a questão ambiental. Temos um excelente ministro do Meio Ambiente, que falei que só sai do meu governo, se for elogiado pela Globo ou pela Folha “, ironizou.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: BOLSONARO ENTREGA FERROVIA, ELOGIA MINISTRO DO MEIO AMBIENTE E ACABA COM A FARRA DE DINHEIRO PARA O MST

O VICE-PRESIDENTE MOURÃO AFIRMOU QUE NÃO ADIANTA QUERER IMPOR MEDIDAS NACIONAIS NÃO SOMOS DITADURA, A SOLUÇÃO É ACELERAR A VACINAÇÃO E CAMPANHAS DE CONSCIENTIZAÇÃO

 Não adianta você querer impor algo nacional. Nós não somos ditadura”, diz Mourão sobre pedido de toque de recolher feito por secretários

 POLÍTICASAÚDE

Foto: Reprodução

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta terça-feira (2) que ‘não adianta querer impor’ medidas nacionais para restringir a circulação de pessoas e tentar reduzir os casos de Covid-19. Segundo ele, a solução é acelerar a vacinação e realizar de campanhas de conscientização da população.

Mourão fez o comentário após ter sido questionado a respeito da carta escrita pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) que sugeriu medidas urgentes contra o iminente colapso das redes pública e privada de saúde diante do aumento dos casos de Covid-19. Entre as sugestões está um toque de recolher nacional das 20h até as 6h da manhã.

“Cada população tem sua característica, se você analisar o país são cinco países diferentes em um só, o Norte é uma coisa, Nordeste é outra, etc e tal. Então, não adianta você querer impor algo nacional. E aí como é que você vai fazer isso para valer? A imposição? Nós não somos ditadura. Ditadura é fácil, sai dando bangornada em todo mundo”, afirmou ele em entrevista ao chegar ao Palácio do Planalto nesta terça (2).

Para Mourão, a população “cansou” das medidas de restrição e os brasileiros não gostam de ficar em suas residências, preferem sair à rua. O vice-presidente considera que o caminho para redução dos casos da Covid-19 seria realizar uma campanha de conscientização e acelerar a vacinação.

“Acho que tem que haver uma campanha em todos os níveis de conscientização da população. Acho também que tinham que ter alguma atitude em relação ao transporte urbano, acho que nenhum gestor se preocupou muito com isso aí. É por aí. E conseguir acelerar as vacinas. Acelerando as vacinas a coisa anda de forma boa”, afirmou.

Carta do Conass

A carta escrita pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) foi entregue na segunda-feira (1º). No documento, a entidade diz que o Brasil vive o pior momento da pandemia e divulgou medidas que deveriam ser adotadas no país. Em resumo, o Conass afirmou que:

Brasil vive pior momento da pandemia, com patamares altos em todas as regiões.

Falta condução nacional unificada e coerente da reação à pandemia.

É preciso proibir eventos presenciais, inclusive atividades religiosas.

É preciso suspender aulas presenciais em todo o país.

É preciso adotar toque de recolher nacional; fechar bares e praias.

É preciso ampliar testagem e acompanhamento dos infectados.

Deve-se criar um Plano Nacional de Comunicação para esclarecer a população da gravidade da situação.

Situação no país

Um ano após o primeiro caso de Covid-19, o Brasil vive momento crítico, com 255,8 mil óbitos. Segundo consórcio de imprensa, na segunda-feira (1°) a média móvel de mortes nos últimos 7 dias chegou a 1.223, o quinto recorde batido nos últimos seis dias.

Já o balanço da vacinação registra 6,7 milhões de pessoas que receberam a primeira dose (3,2% da população brasileira).A segunda dose já foi aplicada em 2 milhões de pessoas (0,95% da população).

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo O VICE-PRESIDENTE MOURÃO AFIRMOU QUE NÃO ADIANTA QUERER IMPOR MEDIDAS NACIONAIS NÃO SOMOS DITADURA, A SOLUÇÃO É ACELERAR A VACINAÇÃO E CAMPANHAS DE CONSCIENTIZAÇÃO

POLÍTICA: A PEÇA “PRECISAMOS MATAR O PRESIDENTE” É LIBERDADE DE EXPRESSÃO OU AMEAÇA À INTEGRIDADE FÍSICA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA?

Aberração: Grupo teatral carioca estreia, em março, peça “Precisamos matar o presidente”

FotomontagemFotomontagem

André Porciúncula, Secretário Nacional de Fomento à Cultura do Governo Federal, usou as redes sociais para denunciar uma peça teatral que mais parece um convite para matar o presidente Jair Bolsonaro.

A peça que alguns chamam de “liberdade de expressão e trabalho artístico” poderia ser enquadrada como grave ameaça à integridade física do presidente da República.

“Eis o tipo de “peça” que uma elite militante doentia (agora, desesperada com a perda do dinheiro público) promoveu na cultura, nas últimas décadas. O resgate cultural será lento e trabalhoso, mas devolveremos à cultura a sanidade dos valores do homem comum”, disparou o secretário.

O “espetáculo” é de um tal grupo carioca chamado “Blabonga Cia Teatral” e disseram que vão explorar as “possibilidades” de encenação virtual para apresentar ao público, a partir do dia 06/03, pela plataforma Doity, a peça “Precisamos matar o presidente”, do diretor e ator Davi Porto.

Porto, em entrevista a um jornal do Rio de Janeiro, tentou justificar o surgimento da “brilhante” ideia:

“O espetáculo, assim como qualquer outra arte, nasce de uma necessidade… A pandemia acabou unindo todas essas necessidades… Somada à necessidade, surgiu o descaso do governo atual, que ainda transformou cada artista em inimigo do estado. Eu acredito que na vida política tem muito aquela coisa de você repudiar as pessoas, de você discordar das pessoas. Isto é uma ordem natural, mas de repente tudo que restou foi o ódio. Entender esse ódio, esse sentimento e a relação com a vida dos artistas foi algo que me cativou. A ideia não é matar o presidente. A ideia não é matar ninguém. A ideia é transformar essa força, esse ódio, esse sentimento motriz em algo como o teatro”, divaga Porto.

Apesar de tentar despistar, o fato é que a peça estimula, sim, agressões contra o presidente Jair Bolsonaro e a família dele.

Meu Deus, aonde vamos parar?

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: A PEÇA “PRECISAMOS MATAR O PRESIDENTE” É LIBERDADE DE EXPRESSÃO OU AMEAÇA À INTEGRIDADE FÍSICA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA?

POLÍTICA: A EXPECTATIVA DE ABERTURA DO MERCADO NO BRASIL DEPOIS DA INDICAÇÃO DO NOVO PRESIDENTE DA PETROBRAS

Alexandre Garcia: Hoje é o momento para comprar ações da Petrobras

Da CNN, em São Paulo

22 de fevereiro de 2021 às 10:30

No quadro Liberdade de Opinião desta segunda-feira (19), o jornalista Alexandre Garcia avaliou a expectativa de abertura do mercado no Brasil depois do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) indicar o general Joaquim Silva e Luna para o comando da Petrobras, no lugar de Roberto Castello Branco. Ele comentou o impacto do dólar no preço dos combustíveis.

“Será que é justo eu pagar essa cotação de dólar? Será que é justo, se der uma diarreia em um príncipe saudita, e o petróleo aumenta, como aumentou por especulação nos últimos três, quatro meses em 70%, e nós temos que pagar isso internamente no nosso diesel, combustível. Provoca toda uma cadeia de preços que vai longe até o nosso bolso até à nossa mesa. Pega o agro, o transporte urbano, pega tudo”.

“Então, esse dólar e esse preço internacional do petróleo, é justo que entrem no preço do petróleo? Bom, eu não sou egoísta. Por isso vou dizer o seguinte: aproveitem para comprar a Petrobras hoje porque caiu o valor das ações. É momento de comprar porque logo vão descobrir quem vai ser o novo presidente da Petrobras.”

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Fonte: CNN

Continuar lendo POLÍTICA: A EXPECTATIVA DE ABERTURA DO MERCADO NO BRASIL DEPOIS DA INDICAÇÃO DO NOVO PRESIDENTE DA PETROBRAS

POLÍTICA: SENADOR DO DINHEIRO NA CUECA ESTÁ DEVIDAMENTE AUTORIZADO PELO MINISTRO DO STF BARROSO A RETOMAR SEU MANDATO SENATORIAL

Com as “bençãos” de Barroso, senador “Cueca” retoma o mandato

Fotomontagem: Crédito José Cruz/Agência Brasil Fotomontagem: Crédito José Cruz/Agência Brasil

O senador Chico Rodrigues está devidamente autorizado a retomar o seu mandato senatorial.

A decisão é do ministro Luis Roberto Barroso.

Para quem não se lembra, o senador de Roraima foi afastado de suas funções pelo próprio STF, após ter sido alvo da PF em investigação sobre desvios de recursos para o enfrentamento da Covid.

Rodrigues é suspeito de ser o chefe de um grupo criminoso que desviou recursos públicos da Secretaria de Saúde de Roraima.

Numa situação constrangedora, a Polícia Federal apreendeu cerca de R$ 18.000 na cueca de Chico Rodrigues em operação na casa do senador. Em um cofre havia outros R$ 10.000 e USD 6.000, narrou a PF.

Alguns meses decorridos do deplorável evento, o mesmo STF autoriza o senador a retomar o seu mandato.

A notícia está gerando enorme constrangimento.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: SENADOR DO DINHEIRO NA CUECA ESTÁ DEVIDAMENTE AUTORIZADO PELO MINISTRO DO STF BARROSO A RETOMAR SEU MANDATO SENATORIAL

POLÍTICA: PRESIDENTE DA CÂMARA SE MANIFESTA ATRAVÉS DE SUAS REDES SOCIAIS APÓS MORAES ORDENAR PRISÃO DO DEPUTADO DANIEL SILVEIRA

Lira faz sua primeira manifestação, após Moraes mandar prender deputado Daniel Silveira

Uma hora após a prisão do deputado Daniel Silveira, o atual presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, se manifestou através de suas redes sociais.

Deixou claro que irá agir de acordo com a decisão do plenário da Câmara.

“Como sempre disse e acredito, a Câmara não deve refletir a vontade ou a posição de um indivíduo, mas do coletivo de seus colegiados, de suas instâncias e de sua vontade soberana, o Plenário.”

E disse mais:

“Nesta hora de grande apreensão, quero tranquilizar a todos e reiterar que irei conduzir o atual episódio com serenidade e consciência de minhas responsabilidades para com a Instituição e a Democracia.”

E arrematou:

“Para isso, irei me guiar pela única bússola legítima no regime democrático, a Constituição. E pelo único meio civilizado de exercício da Democracia, o diálogo e o respeito à opinião majoritária da Instituição que represento.”

Nesse sentido, a Constituição é extremamente clara, em seu artigo 53:

Portanto, sem dúvida, a decisão absurda de Alexandre de Moraes deverá ser revertida nesta quarta-feira (17), pela Câmara dos Deputados.

Por outro lado, Moraes pode ter abreviado o seu caminho rumo ao impeachment.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: PRESIDENTE DA CÂMARA SE MANIFESTA ATRAVÉS DE SUAS REDES SOCIAIS APÓS MORAES ORDENAR PRISÃO DO DEPUTADO DANIEL SILVEIRA

POLÍTICA: GOVERNADOR DE GOIÁS RECOMENDA INTERNAÇÃO HOSPITALAR PARA RODRIGO MAIA

Médico, Caiado aponta o mal que acomete Maia e recomenda “internação hospitalar”

FotomontagemFotomontagem

Médico e governador do estado de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM-GO), usou o Twitter para rebater as críticas do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) de que ele e o presidente do partido, ACM Neto, teriam favorecido o candidato governista e vencedor da disputa, Arthur Lira (PP-AL).

Caiado disse que “infelizmente, (Maia) foi acometido por uma síndrome que atinge com muita frequência as pessoas que não aceitam deixar o poder: “síndrome da ansiedade de poder”.

E completa:

“E o mais grave: ele faz questão de deixar claro que está saindo do Democratas e colocando seu nome a LEILÃO. A sua entrevista (para o Valor Econômico) não deve ser considerada pela classe política porque é indicadora de internação hospitalar”. torpedeou o gestor estadual.

Para Caiado, Rodrigo dava como certa a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de aceitar sua candidatura novamente, apesar da Constituição Federal ser contra. Por conta disso, ele foi pego de surpresa com a negativa e não teve tempo de inserir um bom substituto na disputa.

“Rodrigo tentou ‘furar’ a Constituição e não tinha ‘trabalhado’ outro candidato. Com a negativa do STF, tentou um movimento desesperado, de imposição, sem qualquer unidade e coerência”, explica Caiado.

E continuou:

“Mas, depois de ter sido eleito por três vezes presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo achou que era proprietário das decisões de todos os deputados do Democratas e dos demais da Câmara. Ao reagir desta maneira, desrespeitou toda a bancada de um partido que sempre lhe apoiou”, disparou.

Caiado lembrou ao possível ex-colega de partido que “ganhar ou perder faz parte de todo o processo político.”

“E Rodrigo sabe quantas vezes perdi, internamente, no partido e acatei a derrota, mesmo não satisfeito. Humildade, usar a verdade e respeitar os amigos estão acima de qualquer poder”, finalizou, declarando que “agir da forma como Rodrigo agiu é o que, de fato, demonstra falta de caráter.”

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: GOVERNADOR DE GOIÁS RECOMENDA INTERNAÇÃO HOSPITALAR PARA RODRIGO MAIA

POLÍTICA: REFORMA ADMINISTRATIVA? AGORA PARECE VAI!

Após 5 meses travada no Congresso, reforma administrativa vai hoje à CCJ, afirma Lira

Publicado em 09.02.2021

Marcos Corrêa | PR

A reforma administrativa finalmente deve ser encaminhada nesta terça-feira (8) para análise análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A proposta ficou travada durante 5 meses no Congresso.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), confirmou que a proposta será pautada hoje.

A declaração ocorreu durante uma coletiva de imprensa em Maceió.

“Quero aqui aproveitar o meu Estado para dar o primeiro furo, estarei encaminhando amanhã (hoje) já para a CCJ a reforma administrativa como o primeiro pontapé para a discussão dessa matéria”, afirmou.

Na ocasião, Lira foi questionado sobre a tempo de aprovação:

“Espero que saia. Pelo menos a discussão, a gente se compromete em fazer e trazer para o plenário”, acrescentou.

Professor, cristão, colunista, e redator. Amo ciências políticas, sou conservador e nordestino com orgulho.

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo POLÍTICA: REFORMA ADMINISTRATIVA? AGORA PARECE VAI!

POLÍTICA: OS BASTIDORES DA POLÍTICA NACIONAL OCMO VOCÊ NUNCA VIU ANTES

Num país onde o politicamente correto impera livremente o artigo a seguir, de Ângelo Lorenzo, pode ser considerado incisivo e contundente e deve ter adesão de todos aqueles que acreditam que a democracia e o liberalismo econômico são a solução para um futuro promissor. O artigo a seguir explicita e materializa o que estou afirmando aqui. São palavras e afirmações de ninguém menos do que aquele que, um dia, foi o homem mais poderoso do Brasil, Eduardo Cunha. Então, não se iluda e leia o artigo completo a seguir, se atualize, reflita e tire suas conclusões!

A “batalha secreta” pela Câmara e o Senado, desvendada por Eduardo Cunha

Eduardo CunhaEduardo Cunha

Temos pela frente uma batalha SECRETA que os políticos não querem que você saiba! A manobra foi revelada por Eduardo Cunha, em 2015. Se você não tem ideia do impacto disso sobre a nossa frágil Democracia e sobre sua vida, então você precisa se preparar!

Cunha, condenado pelo Petrolão, falou à época como Presidente da Câmara ao Roda Viva, detalhando o poder da Presidência da Câmara – e deduzimos, por tabela, do Senado. Por isso esta batalha é tão importante: a eleição da Presidência das Casas Legislativas.

O motivo? Lembra do plebiscito entre Parlamentarismo e Presidencialismo? Pois é! A maioria escolheu o Presidencialismo. Maaaas… Cunha explicou com todas as letras que a CF88 é uma Constituição PARLAMENTARISTA, imposta sobre a vontade presidencialista!

Já estava tudo pronto! A Constituinte, dominada por esquerdistas e sociais-democratas, preparou tudo para o parlamentarismo.

“E o que aconteceu?” Ora, a maioria marxista dos constituintes disse:

“Dane-se a vontade do povo! Não vamos mudar o que já fizemos!”.

E assim foi feito. Portanto, não se sinta culpado por ignorar isso: a coisa foi feita para não interferirmos mesmo. A culpa é da “Constituição Cidadã”.

A primeira coisa que você precisa entender é que, graças a essa constituição parlamentarista, os Presidentes da Câmara e do Senado tem um poder comparável e, em vários casos, superior ao do Presidente da República, mesmo sendo eleitos com alguns milhares de votos apenas.

Além de morar em mansões, com dezenas de empregados, equipes e verbas faraônicas à disposição – o que seria suficiente para todos desejarem o cargo – eles têm poderes que afetam a toda nação!

No caso das Comissões Permanentes e Temporárias (como CPIs, por exemplo) mesmo que Partidos indiquem nomes, estes somente são aprovados pelos presidentes das Casas. Pense no Congresso Nacional como um grande balcão de negócios, ideal para manter oligarquias políticas.

Ocupar um cargo dá ao parlamentar visibilidade e oportunidades (seja lá o que isso significa). Note o quão umbilical se torna a ligação dos presidentes e os “amigos do rei”. Os derrotados podem ser deixados de lado, enquanto os amigos são socorridos na hora do aperto (caso Peppa).

E, claro, o inesperado poder de fazer avançar ou de impedir um Governo eleito pelo povo.

Engavetar projetos ou atrasar a aprovação – deixando o Senado com tempo mínimo para análise antes de perder a validade – nomear adversários para trabalhos importantes foram armas muito usadas por Maia.

Hoje temos mais noção sobre isto, pois nem é preciso lembrar quantas Medidas Provisórias foram deixadas caducar ou quantos impeachments de ministros supremos foram engavetados. O 13º do Bolsa Família, Carteira Verde-Amarela, etc, etc… A lista é enorme.

Aí está a cereja do bolo da CF/88 – feita pela esquerda para entrar em ação, como nos dias que vivemos e que nem sequer sabíamos deste poder!

Tal poder foi usado até como barganha com a esquerda, em troca de favores nada republicanos. E está sendo usado, agora mesmo, para tentar eleger um continuísta desta política nefasta! Baleia é apenas uma sombra de Maia, que luta para não perder o poder.

Eis o ponto crucial: se permitirmos a continuidade dos desmandos de Maia e sua turma, veremos nossas vidas serem desperdiçadas por mais 2 longos anos – e já lutamos contra a pandemia! Ao contrário, há esperança com a derrota de Maia.

Deste modo, esta eleição é importantíssima! É aí que entramos em ação!

Como propôs Roger Moreira, precisamos colocar pressão: voto presencial e aberto! Precisamos cobrar os parlamentares – nas redes, por email e telefone – a NÃO VOTAREM EM ROSSI!

Seja porque vimos diálogos de Bolsonaro com Arthur Lira (única opção disponível) e, por este ter admitido publicamente que não concorda com engavetamento de MPs – também temos obrigação de conscientizá-lo de que, se ele não cumprir esta promessa, estará se suicidando politicamente.

Ao contrário, se ele deixar fluir a agenda presidencial eleita pelo povo, tanto a reeleição como Deputado Federal ou eleição para Governo de Estado pode acontecer, se nos respeitar.

E, claro, podemos ir às ruas – preferencialmente em Brasília – conforme sugeriu Alan Lopes, neste dia primeiro de fevereiro ou até antes, no domingo, dia 31 de janeiro.

Não podemos mais, como no passado, ignorar que tais eleições afetam nosso futuro.

TEMOS QUE PARTICIPAR! É tempo de se manifestar e cobrar posição dos nossos representantes. Eles precisam saber que não queremos o continuísmo de Maia!

Podemos e vamos fazer! Avante!

Ângelo Lorenzo

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: OS BASTIDORES DA POLÍTICA NACIONAL OCMO VOCÊ NUNCA VIU ANTES

POLÍTICA: EM POUCO MAIS DE DOIS ANOS À FRENTE DE SÃO PAULO, DÓRIA JÁ RECEBEU TRÊS PEDIDOS DE IMPEACHMENT

Doria acumula pedidos de impeachment por crimes comuns, improbidade administrativa e de responsabilidade

Reprodução

Com a solicitação de setembro de 2020, o governador João Doria (PSDB) já recebeu três pedidos de impeachment, em pouco mais de dois anos à frente de São Paulo, pela prática de crimes comuns e de responsabilidade.

O deputado estadual Agente Federal Danilo Balas foi quem assinou esse terceiro protocolo contra o gestor estadual. O documento, que já foi entregue na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), também foi assinado por outros parlamentares como Castello Branco, Douglas Garcia, Frederico D”Avila, Gil Diniz, Major Mecca, Valeria Bolsonaro e a deputada federal Carla Zambelli.

O problema para o prosseguimento das investigações pela casa é que o deputado Cauê Macris (PSDB), que é do mesmo partido do governador e já indeferiu os três pedidos e insiste em argumentar que tudo não passa de um “movimento político”. Esse é o mesmo discurso utilizado pelo líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Carlos Pignatari (PSDB).

“O pedido de impeachment não passa de um movimento político, de uma minoria de deputados que cria dificuldades ao governo. Não tem fundamentação jurídica e não vai prosperar”.

E, de fato, não prosperou porque a base aliada do governo na Alesp, simplesmente, “sufocou” todos os pedidos protocolados.

Danilo Balas, na época da segunda solicitação, chegou a comentar que o indeferimento dos pedidos não ia fazer o governo calar os parlamentares.

“A nossa luta continua firme e forte para que possamos defender a atuação administrativa estatual eficiente, proba e, principalmente, que atenta aos anseios da população paulista. O povo, que deve ser destinatário dos serviços públicos de excelente qualidade, e por ser pagador de altos impostos ao Estado, ficou à mercê de inúmeras medidas ineficientes autorizadas pelo governador”, afirmou Balas.

Enquanto isso, o estado segue acusado de pagar mais por respiradores R$ 180, 200 mil por cada equipamento que valia R$ 60 mil e por realizar contratos obscuros: um deles somando R$ 14 milhões para a compra de aventais que, posteriormente, foi até cancelado pelo governador, após denúncias dos deputados. Além de locação superfaturada de leitos particulares que foram destinados ao hospital de campanha do Anhembi.

Descobriu-se, tempos depois, que dos 1.800 leitos locados, apenas 400 estavam, realmente, sendo utilizados.

Os parlamentares afirmam que “despencam sobre Doria inúmeros casos de desvio de conduta com compras fraudulentas, superfaturamento por preços excessivos, compra de respiradores, testes, equipamentos de proteção individual, utilização de empresas de fachada e até falsidade ideológica de documentos oficiais.

Entre os casos de desvios descritos pelos deputados, está a compra de três mil respiradores da China, com adiantamento em dinheiro de mais de R$ 240 milhões, sem receber ao menos um aparelho em solo nacional.

Em novembro de 2020, 27 entidades se juntaram e protocolaram outro pedido contra o tucano.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: EM POUCO MAIS DE DOIS ANOS À FRENTE DE SÃO PAULO, DÓRIA JÁ RECEBEU TRÊS PEDIDOS DE IMPEACHMENT

POLÍTICA: RODRIGO MAIA ESTÁ SE DESPEDINDO DA PRESIDÊNCIA DA CÂMARA EM GRANDE ESTILO

Os bastidores da guerra entre o governo Bolsonaro e a turma do Baleia pela presidência da Câmara

Imagem em destaque

Rodrigo Maia está se despedindo da presidência da Câmara dos Deputados, pelo que parece, em grande estilo, esbanjando dinheiro público.

Desde a posse do presidente Bolsonaro, o ‘Botafogo’, como é conhecido no esquema de propina da Odebrecht, tem engavetado mais projetos do que nunca e deixado caducar medidas importantes para o crescimento do país.

Mas, caro leitor, se você pensa que Maia largou o osso do poder, está muito enganado! Ele uniu a esquerda para eleger seu sucessor na presidência, Baleia Rossi, deputado federal por São Paulo e presidente nacional do MDB.

Isso mesmo, PT e MDB unidos – a narrativa do golpe que teria derrubado Dilma Rousseff foi esquecida.

Na próxima edição da revista A Verdade, que vai ao ar às 15h desta segunda-feira, 18, revelaremos os bastidores da guerra pela presidência da Câmara.

A turma do Baleia vem com tudo para tentar paralisar o país até 2022.

Mas o governo Bolsonaro sabe disso, e já preparou seu arpão!

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: RODRIGO MAIA ESTÁ SE DESPEDINDO DA PRESIDÊNCIA DA CÂMARA EM GRANDE ESTILO

POLÍTICA: PRÓXIMA SEXTA FEIRA ARTHUR LIRA ESTARÁ EM NATAL PARA PEDIR APOIO A BANCADA DOS DEPUTADOS POTIGUARES

Candidato Arthur Lira estará em Natal na próxima sexta-feira

12 jan 2021

Toffoli 'trava' abertura de ação penal contra Arthur Lira (PP) - 24/11/2020 - UOL Notícias

O deputado federal Arthur Lira (PP-AL), candidato à presidência da Câmara dos Deputados, fará uma visita ao Rio Grande do Norte, na sexta-feira (15), para pedir o apoio da bancada dos deputados potiguares, em meio ao recesso. A visita terá início em Natal, com uma coletiva para imprensa em um café da manhã no Restaurante Mangai, às 8h30. O deputado Beto Rosado (PP-RN), em conjunto com os demais integrantes da bancada federal, coordena a visita do candidato ao Estado.

Logo após a coletiva para imprensa, Arthur Lira fará visitas ao prefeito Álvaro Dias e ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira. A agenda será finalizada em um almoço do candidato com a participação do Ministro das Comunicações Fábio Faria, dos deputados federais Beto Rosado, João Maia, General Girão, Carla Dickson, além de outros líderes potiguares.

Em 1.º de fevereiro, os 513 deputados federais vão escolher o novo presidente da Câmara. Nesse dia, também estarão em jogo os cargos de vice-presidentes da Casa, de secretários e suplentes desses cargos. A apuração dos votos começa pelo cargo de presidente da Câmara. Para ser eleito em primeiro turno, o deputado precisa ter a maioria absoluta, isto é, 257 votos. Caso isso não ocorra, os dois mais votados disputam o segundo turno.

O deputado Arthur Lira exerce o terceiro mandato consecutivo como deputado federal. É líder do PP na Câmara. Já foi vereador em Maceió (AL) e deputado estadual. Participa das frentes parlamentares da Agropecuária e da Evangélica.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo POLÍTICA: PRÓXIMA SEXTA FEIRA ARTHUR LIRA ESTARÁ EM NATAL PARA PEDIR APOIO A BANCADA DOS DEPUTADOS POTIGUARES

POLÍTICA: DEVIDO A SAÍDA DA FORD DO BRASIL, MAIA FAZ DURAS CRÍTICAS A BOLSONARO E É DESMENTIDO PELO CHEFE DA SECOM

Maia “mente” sobre a saída da Ford do Brasil e é desmascarado por chefe da Secom

FotomontagemFotomontagem

Parece que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ainda não aceitou muito bem a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de proibir a sua reeleição à presidência da casa. A poucos dias de “entregar” o lugar. possivelmente para o favorito do pleito, Arthur Lira (PP-AL), o deemista tem feito duras e inacreditáveis críticas ao Governo Bolsonaro.

A mais recente “tacada” de “Botafogo” veio após o anúncio do fechamento de fábricas da Ford no Brasil. No Twitter, Maia comentou a determinação da empresa americana e disse que era o reflexo da “falta de credibilidade” do governo em segurança jurídica e sistema tributário.

Em resposta, o chefe da Secretaria Especial de Comunicação (Secom), Fábio Wajngarten, disse que Maia busca holofotes e que a deliberação da marca não tem relação com a situação atual do país.

“O fechamento da Ford é uma demonstração da falta de credibilidade do governo brasileiro, de regras claras, de segurança jurídica e de um sistema tributário racional. O sistema que temos se tornou um manicômio nos últimos anos, que tem impacto direto na produtividade das empresas”, alegou Maia.

E continuou:

“Espero que essa decisão da Ford alerte o Governo e o parlamento para que possamos avançar na modernização do Estado e na garantia da segurança jurídica para o capital privado no Brasil”.

Fábio Wajngarten não deixou “passar em branco” a publicação de Maia e acusou o atual presidente da Câmara de mentir sobre o assunto.

“A verdade dos fatos: a Ford mundial fechou fábricas no mundo porque vai focar sua produção em SUVs e picapes, mais rentáveis. Não tem nada a ver com a situação política, econômica e jurídica do Brasil. Quem falar o contrário mente e quer holofotes”, disparou o secretário de comunicação, também no Twitter

A decisão de encerrar a produção de veículos de passeio é global e foi tomada há dois anos. A Ford concluiu que reina absoluta na venda entre as picapes e utilitários. A “F-Series” é um fenômeno comercial e há vários anos emplaca a menor caminhonete da linha, a F-150, como o veículo mais vendido dos Estados Unidos. Porém, com os veículos leves, não acontece o mesmo. Além de não serem os modelos preferidos nas Terras do Tio Sam, vêm sofrendo fortíssima concorrência das montadoras europeias e asiáticas.

Assim, a matemática da montadora tem sido clara: ao invés de investir milhões de Euros no desenvolvimento de carros elétricos, como faz as concorrentes, a empresa resolveu apostar todo o seu conhecimento em caminhonetes, SUVs e o lendário Mustang.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: DEVIDO A SAÍDA DA FORD DO BRASIL, MAIA FAZ DURAS CRÍTICAS A BOLSONARO E É DESMENTIDO PELO CHEFE DA SECOM

POLÍTICA: DEPUTADO QUE APALPOU SEIOS DE PARLAMENTAR, PODE SER EXPULSO PELO PARTIDO

Conselho de Ética do Cidadania pretende expulsar deputado que apalpou seio de parlamentar

Fernando Cury assediando Isa PennaFernando Cury assediando Isa Penna

O Conselho de Ética do Cidadania decidiu, por unanimidade, neste domingo (10), expulsar o deputado estadual Fernando Cury (SP) do partido. Ele é alvo de um procedimento interno, depois que foi flagrado, em dezembro do ano passado, pelas câmeras de segurança da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), passando a mão no seio da parlamentar Isa Penna, do Psol.

O relatório e o parecer da comissão serão encaminhados ao diretório nacional da sigla, que poderá acatar ou não a decisão. Mas, em nota, o Cidadania adiantou que “a importunação sexual sofrida pela deputada fere frontalmente o Código de Ética do Cidadania em seu artigo 3º, inciso I”.

Fernando Cury segue afastado de suas funções desde 18 de dezembro.

“As imagens do plenário por si conferem clareza ao acontecimento. Com nitidez, câmeras flagraram um comportamento descabido, rasteiro e incongruente por parte do deputado Fernando Cury contra a deputada Isa Penna. O fato é grave e insolente. Não nos permite outra interpretação que não a de estarmos diante de um acontecimento desrespeitoso e afrontoso, que deve ser combatido”, pontuou Mariete de Paiva Souza, relatora do procedimento.

E completou:

“…Cidadania tem em seu programa o compromisso assumido com as bandeiras feministas contra a violência e a exclusão. Por isso, nada menos que sermos exemplares”, concluiu.

A psolista Isa Penna comentou a decisão nas redes sociais.

“Aguardo o posicionamento de Cauê Macris dentro da Alesp. Na última semana, eu e minha equipe enviamos um email para todos os deputados da casa, convocando uma assembleia extraordinária antes de fevereiro. Infelizmente, o presidente da casa não se pronunciou nenhuma vez desde o assédio”, criticou.

“Eu, minha equipe e toda a sociedade estamos estupefatos que até agora a maior assembleia legislativa do país e seu presidente, do mesmo partido do governador João Doria ainda esteja ignorando o fato e não agindo com celeridade”, concluiu.

Em nota, o deputado Fernando Cury, se defendeu das acusações, alegando que está sendo submetido a um “julgamento ilegal”.

“Não tenho dúvidas de estar sendo submetido a um julgamento ilegal, sumário e de exceção, que viola o Código de Ética do próprio partido e a Constituição Federal”, afirmou.

E justificou que:

“Dentro da Assembleia Legislativa de São Paulo, onde respeita-se o direito de defesa e o devido processo legal, irei demonstrar que não violei o decoro parlamentar; bem como jamais assediei nem tive, em nenhum momento, a intenção de constranger a nobre deputada Isa Penna, a quem respeito e sempre respeitei”.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: DEPUTADO QUE APALPOU SEIOS DE PARLAMENTAR, PODE SER EXPULSO PELO PARTIDO

POLÍTICA: ALEGANDO APOLOGIA À TORTURA, PT APRESENTA NOVO PEDIDO DE IMPEACHMENT CONTRA BOLSONARO

PT apresenta novo pedido de impeachment contra Bolsonaro por ‘apologia à tortura’

 POLÍTICA

Foto: Adriano Machado/Reuters 

O PT apresentou nessa quinta-feira, 7, novo pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados. Desta vez, a bancada mencionou a ocasião em que o presidente ironizou e levantou dúvidas sobre as sessões de tortura às quais a ex-presidente Dilma Rousseff foi submetida durante a ditadura militar. Em conversa com apoiadores no dia 28 de dezembro, Bolsonaro riu e disse querer ver um raio X que prove que a mandíbula da ex-presidente sofreu uma fratura.

O pedido de impeachment é assinado pelos deputados federais Rogério Correia (PT-MG) e Rui Falcão (PT-SP) e pela ex-ministra Eleonora Menicucci. É o 60º pedido protocolado para retirar Bolsonaro do cargo – todos seguem em análise, com exceção de três que foram arquivados. Cabe ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), abrir e dar seguimento formal aos pedidos ou arquivá-los.

O ato de apologia a crime é tipificado no artigo 287 do Código Penal. Já a tortura é crime hediondo, imprescritível e inafiançável de acordo com a Constituição. “Ao ofender a presidenta Dilma, duvidar da tortura, dar gargalhada, coisa que ele já tinha feito no passado, como deputado, ele o fez agora como presidente da República e, como presidente, esse crime hediondo é também crime de responsabilidade, passivo de impeachment”, disse o deputado Rogério Correia, em nota.

O pedido será protocolado na Mesa Diretora da Câmara. De acordo com o PT, o documento terá também assinaturas de presas e presos políticos, além de entidades de defesa dos direitos humanos.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo POLÍTICA: ALEGANDO APOLOGIA À TORTURA, PT APRESENTA NOVO PEDIDO DE IMPEACHMENT CONTRA BOLSONARO

POLÍTICA: MAIS UMA VEZ A ‘MÍDIA DO ÓDIO’ FOI DESMENTIDA, DESTA VEZ POR ALEXANDRE GARCIA

Alexandre Garcia desmente narrativa da “mídia do ódio” sobre a frase: “O Brasil está quebrado” (veja o vídeo)

Fotomontagem: Jair Bolsonaro e Alexandre GarciaFotomontagem: Jair Bolsonaro e Alexandre Garcia

Jair Bolsonaro é alvo frequente de ataques insanos e criminosos da ‘extrema imprensa’.

Na última semana, o presidente teve novamente sua fala deturpada e sofreu com falsas informações propagadas a seu respeito.

A frase “o Brasil está quebrado” foi incansavelmente divulgada pela “mídia do ódio”, alegando que Bolsonaro estivesse falando de um apanhado geral sobre a economia do País, o que não é verdade.

O jornalista Alexandre Garcia fez questão de mostrar, com detalhes, a incoerência da imprensa:

“Todo mundo omitiu a pergunta! O que provocou… Alguém [disse]:

‘Presidente, o senhor disse que ia corrigir a tabela do imposto de renda para pessoa física.’

E ele respondeu:

‘Olha, não dá! O País está quebrado.’

O que ele quis dizer com isso? As contas públicas não comportam isso”, declarou Alexandre Garcia.

E prosseguiu:

“Não dá para abrir mão. Já se abriu mão de uns 20 ou 30 Bilhões de arrecadação por causa da Covid, [pois] se dispensou impostos de muita coisa, voltada ao tratamento.”

Confira:

Continuar lendo POLÍTICA: MAIS UMA VEZ A ‘MÍDIA DO ÓDIO’ FOI DESMENTIDA, DESTA VEZ POR ALEXANDRE GARCIA

POR COMPRAR CLOROQUINA PARA DAR ESPERANÇA A POPULAÇÃO, MINISTROS SERÃO INVESTIGADOS PELA PGR À PEDIDO DA DEPUTADA (PT) NATÁLIA BONAVIDES

Deputada Natália Bonavides(PT-RN) pede que PGR investigue ministros por comprar cloroquina ‘para dar esperança’

 JUDICIÁRIOPOLÍTICASAÚDE

Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

A deputada Natália Bonavides, do PT do Rio Grande do Norte, pediu que a PGR investigue se Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, e Fernando Azevedo, ministro da Defesa, cometeram crime de responsabilidade após o Exército afirmar ao TCU que comprou cloroquina, sem eficácia comprovada, para dar “esperança” à população contra a Covid-19.

“Se a própria manifestação do comandante é de que não há tratamento consagrado da Covid-19, a mencionada esperança pelo Exército não passa de pura propaganda. Desse modo, o laboratório, que deveria ser usado para produzir medicamento eficaz, foi usado pelo Exército e pelo ministro da Defesa como ferramenta de propaganda político-partidária, para homologar o discurso negacionista do governo federal”, escreveu Bonavides no pedido apresentado contra os dois generais e ministros.

Em um documento enviado ao TCU em julho e tornado público nesta segunda-feira, disse o Exército sobre a compra recorde de cloroquina, substância defendida publicamente por Jair Bolsonaro:

“Não poderia ser exigível comportamento diverso do Laboratório Químico Farmacêutico do Exército, senão a busca dos insumos necessários e o pronto atendimento às prementes necessidades de produção da cloroquina que, por seu baixíssimo custo, seria o equivalente a produzir esperança a milhões de corações aflitos com o avanço e os impactos da doença no Brasil e no mundo”, escreveu o comandante da 1ª Região Militar, com nome mantido em sigilo, embora seja público que se trata do general André Luiz Silveira.

No mesmo ofício, o Exército desprezou a falta de comprovação científica da substância contra a Covid e admitiu:

“Até a presente data não há tratamento consagrado pela comunidade científica para a Covid-19”.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo POR COMPRAR CLOROQUINA PARA DAR ESPERANÇA A POPULAÇÃO, MINISTROS SERÃO INVESTIGADOS PELA PGR À PEDIDO DA DEPUTADA (PT) NATÁLIA BONAVIDES

POLÍTICA: MAIA CONSULTA NOME DA ESQUERDA PARA DISPUTA CONTRA CANDIDATO DE BOLSONARO

Bloco cobra para esta segunda nome para disputar contra candidato de Bolsonaro; Maia consulta esquerda

O bloco de partidos que discute um candidato à sucessão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), cobra uma definição para esta segunda-feira (14) do nome que vai disputar contra Arthur Lira (PP-AL), candidato do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Partidos do bloco, como MDB e PSL, temem que, quanto mais tempo sem definição, melhor para a candidatura de Lira, que já está em campo em articulações há algumas semanas.

Maia promete a aliados que definirá o nome nesta segunda – e, segundo o blog apurou, a disputa está entre Aguinaldo Ribeiro (PP-BP) e Baleia Rossi (MDB-SP).

O entrave é saber qual nome os partidos de esquerda – fiel da balança na disputa – apoiarão com mais facilidade.

Está prevista para a tarde desta segunda uma reunião de partidos para bater o martelo sobre o nome.

Bolsonaro e Temer

Entre os acenos do governo ao MDB, em busca de votos para Arthur Lira, está a relação cada vez mais próxima de Bolsonaro com Michel Temer – cacique do MDB.

Os candidatos à sucessão da Câmara já procuraram Temer em busca de apoio.

Por ora, Temer defende Baleia Rossi, por ser do seu partido, mas está aberto a conversas se o emedebista for preterido, por exemplo.

De olho nisso, fontes do governo têm dito nos bastidores que Temer pode ajudar o governo nas relações exteriores, como uma ponte com Joe Biden, com quem o ex-vice de Dilma Rousseff manteve boa relação no período do governo Barack Obama (2009 a 2017).

Assessores de Temer, no entanto, descartam a ida dele para um ministério de Bolsonaro.

Na terça-feira (15), em São Paulo, Bolsonaro e Temer devem se encontrar em um evento para homenagear o embaixador do Líbano no Brasil.

Continuar lendo POLÍTICA: MAIA CONSULTA NOME DA ESQUERDA PARA DISPUTA CONTRA CANDIDATO DE BOLSONARO

POLÍTICA: ELEIÇÕES NA CÂMARA PODE TE UM NOVO RUMO DEPOIS DA REVELAÇÃO INUSITADA DE JEFFERSON

Jefferson faz inusitada revelação e eleição na Câmara pode ter novo rumo

Roberto JeffersonRoberto Jefferson

O ex-deputado Roberto Jefferson garante que o PTB – partido a qual preside – na eleição da Câmara dos Deputados, para a sucessão de Rodrigo Maia, irá apoiar o candidato do presidente Jair Bolsonaro.

E muito tem se falado no deputado Arthur Lira, do PP de Alagoas.

Porém, na visão extremamente astuta de Jefferson, pode surgir um novo nome, forte e praticamente imbatível.

“Há na casa um grande movimento, poderoso movimento, pela ministra Tereza Cristina, que é deputada federal. Ela é quase maioria absoluta.”

E o presidente do PTB complementa:

“Há um sentimento na casa que é crescente, em favor da candidatura de Tereza Cristina (…). Ela é quase 60%”.

Jefferson, como já provou inúmeras vezes, sabe o que

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: ELEIÇÕES NA CÂMARA PODE TE UM NOVO RUMO DEPOIS DA REVELAÇÃO INUSITADA DE JEFFERSON

POLÍTICA: O PEQUENO DITADÓRIA É CONFRONTADO POR AUGUSTO NUNES SOBRE COMEMORAÇÕES DE FINAL DE ANO

Augusto Nunes perde a paciência e bate de frente com o pequeno ditador :“Vai ter festa, sim!” (veja o vídeo)

Fotomontagem: Augusto Nunes e João DoriaFotomontagem: Augusto Nunes e João Doria

No programa Jovem Pan News, Augusto Nunes deu sua opinião, sempre forte e coerente, sobre as comemorações de fim de ano.

O assunto está virando polêmica em razão da pandemia e das regras de isolamento social impostas por diversos governadores. Em São Paulo, o governador João Doria disse diz que aumentará a fiscalização para coibir as festas de fim de ano. Já no Rio Grande do Sul, o governador Eduardo Leite adotou medidas restritivas, e impôs um limite máximo de participantes nas comemorações.

A população, já cansada após vários meses de isolamento e restrições que oscilam a rotina de todos, não tem aceitado de bom grado as imposições que visam controlar uma festa tão tradicional quanto o réveillon.

Augusto Nunes acabou por dar voz à revolta da maioria e diz que “vai ter festa, sim”.

“Agora voltamos ao autoritarismo. Eu quero me declarar aqui, e não é brincadeira, não, em desobediência civil. Eu vou festejar o réveillon em casa. Eu vou, depois se quiser eu passo o endereço para os órgãos competentes”, disse ele, verbalizando o que muitos estão pensando.

E prosseguiu, lembrando que a propriedade privada é garantida pela Constituição Federal, e a menos que em caso de flagrante delito, inviolável.

“Eu só quero um mandado, uma autorização, para invadir a propriedade. Eu quero que provem que eu represento algum perigo à saúde da sociedade. Eu quero que provem que eu estou ameaçando alguém, porque eu não vou deixar de festejar o réveillon por causa de uma ordem que não se sustenta em nenhuma lei”.

Assista ao vídeo na íntegra e acompanhe o comentário:

 

FONTE: Jornal da Cidade online

Continuar lendo POLÍTICA: O PEQUENO DITADÓRIA É CONFRONTADO POR AUGUSTO NUNES SOBRE COMEMORAÇÕES DE FINAL DE ANO

POLÍTICA: AVANÇO DE PAUTAS NO CONGRESSO ESTÁ TRAVADO DEVIDO A ELEIÇÃO PARA PRESIDENTE DA CÂMARA

Eleição para presidência da Câmara trava avanço da pauta no Congresso

 

Igor Gadelha

Por Igor Gadelha, CNN  

03 de dezembro de 2020 às 05:00

Sessão do Congresso, em BrasíliaSessão

Passadas as eleições municipais, o Congresso Nacional retomou os trabalhos nesta semana com o desafio de aprovar matérias importantes nas três semanas que sobram até o início do recesso parlamentar, que oficialmente começa em 22 de dezembro.

A pauta a ser votada vai desde a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que fixa as bases para a elaboração do Orçamento da União, até propostas de ajuste fiscal nas contas públicas, extremamente afetadas pelos gastos extras com a pandemia da Covid-19.

O desafio, porém, será grande. Além do tempo curto, a eleição para as presidências da Câmara e do Senado, previstas para 1º de fevereiro do próximo ano, vem provocando fissuras e atritos entre partidos do Centrão e o atual comando do legislativo, travando a pauta.

Líderes de siglas do Centrão ligadas ao Palácio do Planalto e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não se entendem sobre as prioridades. De um lado, Maia quer aprovar a PEC da reforma tributária na Casa ainda em dezembro.

O Centrão “governista”, porém, não aceita e decidiu obstruir as votações no plenário. A avaliação de parlamentares desse grupo é de que a aprovação da reforma cacifaria Maia para se reeleger ou eleger um sucessor de seu agrado no comando da Câmara, em fevereiro.

A obstrução é comandada pelo líder do Progressistas na Casa, deputado Arthur Lira (AL). O parlamentar alagoano é um dos principais pré-candidatos à sucessão de Maia e é considerado o nome favorito do presidente Jair Bolsonaro na disputa.

A disputa entre Maia e Lira já travou a instalação da Comissão Mista de Orçamento (CMO). Os dois grupos queriam o comando do colegiado. A falta de consenso obrigou o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), a pautar a LDO diretamente no plenário do Congresso.

Alcolumbre marcou a votação para 16 de dezembro. Sem a votação da proposta, o governo corre o risco de não poder executar o Orçamento da União em 2021. O Orçamento do próximo ano de fato, aliás, só deve ser votado pelo Congresso em fevereiro de 2021.

Em meio a essa disputa, o governo propôs avançar nas chamadas microrreformas, como a autonomia do Banco Central – já aprovada pelo Senado – e o projeto de incentivo à cabotagem, navegação entre portos pela costa brasileira.

O presidente da Câmara até enxerga algumas dessas pautas com bons olhos, mas avalia que não são prioridade. Maia propôs um acordo: aceitaria pautar essas propostas, desde que governo trabalhasse pela aprovação da reforma tributária em dezembro. O Planalto não topou.

PEC Emergencial
Diante desse imbróglio político, a tendência é aprovar apenas a LDO. Há uma articulação para tentar votar a PEC emergencial. A proposta é considerada prioritária, pois prevê gatilhos para evitar furar o teto de gastos, regra que impede os gastos de crescerem acima da inflação.

As outras pautas importantes ficam para depois de fevereiro de 2021, quando o Congresso retomará os trabalhos já com novos presidentes da Câmara e do Senado eleitos — ou velhos presidentes reeleitos. O próprio Planalto e a equipe econômica já estão cientes disso.

O diagnóstico de ministros do governo é de que, para garantir a eleição de alguém mais alinhado ao presidente Jair Bolsonaro no comando da Câmara, vale a pena esperar para avançar nas reformas e propostas de ajuste fiscal somente no próximo ano.

Continuar lendo POLÍTICA: AVANÇO DE PAUTAS NO CONGRESSO ESTÁ TRAVADO DEVIDO A ELEIÇÃO PARA PRESIDENTE DA CÂMARA

POLÍTICA: RODRIGO MAIA VOLTA CRITICAR MEMBROS DO GOVERNO BOLSONARO

Sem qualquer razão, Maia volta a atacar ministros do governo Bolsonaro

Fotomontagem: Ernesto Araújo, Ricardo Salles e Rodrigo MaiaFotomontagem: Ernesto Araújo, Ricardo Salles e Rodrigo Maia

Na segunda-feira (30), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, voltou a criticar a postura adotada por alguns membros do governo Bolsonaro.

Uma autêntica e inoportuna intromissão do presidente da Câmara no Poder Executivo.

Tentem imaginar se fosse o contrário…

Os alvos das críticas mais recentes de Maia são Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, e Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores.

Segundo Maia, a ‘vaidade de alguns membros do governo está prejudicando o Brasil:

“O Brasil está ficando para trás porque a vaidade dos homens prevalece em relação à racionalidade e ao bom senso”, declarou ele.

E acrescentou ainda:

“Os ministros do Meio Ambiente e das Relações Exteriores estão destruindo a imagem do Brasil lá fora. Vaidosos não devem ser, porque estão apanhando e não mudam nunca”, ironizou ele, que vem, há tempos, destilando ódio em críticas ao governo

Felizmente, a insana ousadia de Maia está prestes a acabar…

Assim que ele deixar a presidência da Cãmara e voltar a ser simplesmente o “Botafogo”.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: RODRIGO MAIA VOLTA CRITICAR MEMBROS DO GOVERNO BOLSONARO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho