COBRA NAJA QUE PICOU ESTUDANTE DE VETERINÁRIA VIRA CELEBRIDADE DO INSTITUTO BUTANTAN

Por g1 DF e TV Globo

 

Cobra naja Nadja, no Instituto Butantan, em São Paulo — Foto: Instituto Butantan/DivulgaçãoCobra naja Nadja, no Instituto Butantan, em São Paulo — Foto: Instituto Butantan/Divulgação

Um ano e meio após ter sido resgatada, a cobra naja que picou um estudante de veterinária do Distrito Federal leva uma vida bem diferente. Agora, tem o nome de Nadja, exige cuidados reforçados e virou celebridade no Instituto Butantan, em São Paulo, onde vive desde agosto de 2020 (veja mais abaixo).

O caso ganhou notoriedade nacional e levou à descoberta de um esquema de tráfico de animais na capital. Quatro pessoas respondem na Justiça pelos crimes, inclusive Pedro Henrique Krambeck, o responsável pela cobraNo entanto, o caso ainda não foi julgado.

Neste mês, o Judiciário permitiu o compartilhamento de provas com a Justiça Militar, para que seja apurada a conduta de dois PMs acusados de envolvimento no caso. O objetivo é saber se o padrasto de Pedro, Clóvis Eduardo Condi, e o ex-comandante da PM Ambiental, Joaquim Elias da Costa Paulino, cometeram prevaricação.

A reportagem não conseguiu contato com as defesas dos investigados nesta quinta-feira (27).

Vida no museu

Segundo informações divulgadas pelo Instituto Butantan, Nadja, que tem quase dois metros de comprimento, é imprevisível. Em determinados momentos, fica quieta e, em outros, agitada.

“Estamos cada vez mais aprendendo a lidar com ela, que está se acalmando muito lentamente”, diz o diretor do Museu Biológico do Instituto Butantan, Giuseppe Puorto, em entrevista ao site da entidade. “Às vezes, nós passamos por aqui, ela está quieta, depois ela levanta, dá susto na gente”, conta.

Um biólogo cuida do local onde a cobra vive, e faz ações como lavar, trocar a água, higienizar o vidro e ajeitar os galhos e plantas. No entanto, segundo os cuidadores, em pouco tempo, a serpente revira tudo.

De acordo com o instituto, não há um padrão para alimentação do animal. A comida é oferecida de com base no peso, tamanho e espécie. A serpente possui 800 gramas e se alimenta de roedores uma vez por mês, em uma quantia de 10% a 20% de seu peso.

Além de Nadja, o local abriga um macho vindo de Balneário Camboriú (SC) em 2017, resgatada por bombeiros em uma estação de tratamento de água.

Investigação no DF

De acordo com a denúncia, os bichos ficavam confinados em pequenas embalagens plásticas por longos períodos, e alguns apresentavam lesões e deficiência nutricional. O caso foi descoberto depois que o estudante de veterinária foi picado. A cobra foi localizada em uma caixa, perto de um shopping, no Lago Sul.

Além de Pedro, a mãe dele, o padrasto e um amigo foram denunciados por crimes como associação criminosa, venda e criação de animais sem licença, maus-tratos contra animais, entre outros. A última audiência do caso foi realizada em novembro do ano passado.

Já a decisão mais recente é a que determinou o compartilhamento de provas. O processo na Justiça Militar é independente e apura apenas a conduta dos PMs envolvidos. O objetivo é descobrir se os policiais deixaram de atuar como deveriam na ocasião do resgate da naja, quando ela foi encontrada.

De acordo com o inquérito da Polícia Civil, imagens do circuito de segurança do shopping mostram que a PM Ambiental chegou ao local apenas um minuto depois de a cobra ser abandonada. Por isso, a suspeita é de que eles agiram pra proteger os alvos da investigação.

Os dois militares investigados foram afastados das funções, mas continuam na PM em cargos administrativos.

Continuar lendo COBRA NAJA QUE PICOU ESTUDANTE DE VETERINÁRIA VIRA CELEBRIDADE DO INSTITUTO BUTANTAN

SAIBA QUAIS OS 19 ESTADOS QUE IRÃO RETOMAR AS AULAS PRESENCIAIS

Pelo menos 19 estados e o Distrito Federal irão retomar aulas presenciais

Goiás já retomou aulas obrigatórias de modo presencial, com exceção apenas para estudantes com comorbidades

Carolina Figueiredo

Giulia Alecrim

Douglas PortoLudmila Candal

da CNN

em São Paulo

 

Pelo menos 19 estados e o Distrito Federal irão voltar às aulas presencialmente e de forma obrigatória, em meio ao avanço da variante Ômicron do coronavírus, segundo levantamento da Agência CNN realizado nesta quinta-feira (27): Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Alagoas, Bahia, Piauí, Maranhão, Ceará, Pernambuco, Sergipe, Rio Grande do Norte, Tocantins, Minas Gerais e Acre.

Segundo as secretárias de Educação, haverá exceções apenas para alunos com comorbidades para a Covid-19, com exceção do Mato GrossoGoiás já iniciou o retorno às escolas, seguindo o modelo, desde 19 de janeiro. Segundo o estado, os estudantes que estiverem com laudo médico atualizado ou apresentarem quadro febril devem continuar as atividades on-line.

Especialistas consultados pela CNN avaliam que o fechamento de escolas deve ser considerado como último recurso no contexto das restrições pela pandemia. “O momento é complicado, com aumento de casos. Mas adiar a abertura de escolas ou deixar de abrir escolas, diz a Unicef, pode ser mais um problema grave para nossas crianças e adolescentes”, diz Isabella Ballalai, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

A especialista CNN em Educação, Cláudia Costin, disse que, do ponto de vista pedagógico, quanto antes as crianças voltarem às escolas, melhor será para o aprendizado. Além disso, é necessário que seja feito um sistema de resgate das aprendizagens perdidas durante a pandemia.

“Essas perdas não são só de aprendizagem, há também um problema sério de saúde mental de crianças, com problemas de ansiedade e de depressão. Há uma retomada crescente do trabalho infantil e isso não pode ser desconsiderado. Quanto antes voltarmos às aulas, do ponto de vista pedagógico, o melhor será pra essas crianças”, disse.

A Paraíba, por sua vez, irá retornar de forma híbrida a partir do dia 7 de fevereiro. Inicialmente, 50% das aulas serão online e 50% presenciais, respeitando a capacidade máxima de 50% de ocupação das salas. A carga horária será distribuída progressivamente conforme a situação da pandemia. Os pais e responsáveis ainda podem optar por manter os alunos estudando apenas de forma remota.

Roraima ainda não decidiu sobre o retorno presencial, híbrido ou remoto no próximo dia 7 de fevereiro. “Os próximos dias serão decisivos para a definição do modelo de retorno das aulas na rede estadual de ensino, que poderá ser 100% presencial, 100% remoto ou híbrido (que mescla atividades presenciais e on-line).”

Pará terá a volta das aulas em 3 de março, mas também ainda não houve a decisão sobre a modalidade em que será realizada. “Será levado em consideração o cenário epidemiológico para decidir se o retorno ocorrerá de maneira presencial ou remota”, declara.

Amazonas, Amapá, e Rondônia não responderam ainda aos questionamentos da CNN.

Estados com retorno presencial obrigatório

Sudeste

Rio de Janeiro irá iniciar as aulas no dia 7 de fevereiro, informando, que até o momento, a decisão é de manter a forma presencial. “Caso haja alguma orientação do não retorno às atividades pedagógicas presenciais, a secretaria está preparada para o ensino remoto”, justifica.

Espírito Santo tem previsão de retorno para o dia 3 de fevereiro. A Secretaria de Educação afirma que acompanha junto da Secretaria de Saúde os dados da proliferação do coronavírus e irá seguir as recomendações previstas pelas autoridades, “inclusive a adoção de medidas restritivas caso sejam necessárias.”

São Paulo terá o início das aulas em 2 de fevereiro. O ensino presencial é obrigatório no estado desde novembro de 2021. Os alunos que sejam do grupo de risco e ainda não completaram o esquema vacinal podem seguir em aulas remotas.

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais informou que as diretrizes atualmente vigentes, para o ano letivo de 2022, que começa no dia 7 de fevereiro, são de ensino presencial não facultativo aos estudantes de todas as escolas da rede estadual de ensino, ou seja, com as aulas 100% presenciais, conforme as orientações do Protocolo Sanitário de Retorno às Atividades Escolares Presenciais, da secretaria estadual de Saúde.

Sul

Rio Grande do Sul terá o retorno das aulas no dia 21 de fevereiro. Dentre as orientações, está a obrigatoriedade do uso de máscara, ambientes ventilados, higienização constante das mãos e, inclusive, o incentivo à vacinação.

Santa Catarina tem a volta no dia 7 de fevereiro, com o fim da exigência de distanciamento mínimo entre os alunos nas salas de aula. No estado, a imunização para os profissionais da educação é obrigatória, “e a impossibilidade de se submeter à vacinação deve ser comprovada por laudo médico. A exceção são as gestantes, que podem continuar trabalhando de forma remota.”

Paraná também irá voltar no próximo dia 7, da mesma maneira que foi concluído o ano letivo de 2021. Os estudantes que apresentarem comorbidades devem permanecer em ensino remoto até 30 dias após a conclusão do ciclo vacinal.

Centro-Oeste

No Distrito Federal o retorno será no dia 14 de fevereiro, com a aplicação das medidas sanitárias recomendadas pelas autoridades.

Mato Grosso irá voltar no dia 7 de fevereiro. Entretanto, no estado, todos devem comparecer às aulas, sem exceção para alunos com comorbidades.

Só existe a recomendação para os estudantes e profissionais que apresentem sintomas gripais e febre ou que testarem positivo para a Covid-19 não estejam presentes pelo período atestado por um médico.

No Mato Grosso do Sul a volta será no dia 3 de março, realizada apenas presencialmente com base nos protocolos do estado.

Nordeste

Alagoas terá seu regresso no dia 7 de fevereiro. Será emitida pela Secretaria da Educação uma portaria que irá determinar a apresentação da carteira de vacinação para todos os alunos.

Entretanto, não haverá impedimento para quem não estiver imunizado. Seus nomes serão enviados ao Ministério Público de Alagoas (MP-AL), conselho tutelar e secretarias municipais para o convencimento das famílias.

O estado ainda irá contemplar os alunos do ensino médico e do Educação de Jovens e Adultos (EJA) com o programa Cartão Escola 10. Após completar o ciclo vacinal, os estudantes irão receber R$ 500.

Na Bahia, o retorno também será no dia 7, acompanhada da decisão de solicitar a comprovação da imunização para os matriculados que tenham até 18 anos, mesmo que não exista impedimento para quem não estiver vacinado.

“Os estudantes, pais e responsáveis serão orientados sobre a necessidade da imunização para acesso às escolas como medida de prevenção à Covid-19”, justifica a Secretaria da Educação.

No Ceará a volta será em 31 de janeiro. As escolas terão autonomia para realizarem mudanças em seus ambientes. O estado também está adquirindo máscaras do tipo N95 e PFF2 para os profissionais, que são mais efetivas contra o coronavírus.

No Maranhão o retorno será feito no dia 7 para escolas de tempo integral e no dia 14 para escolas de tempo parcial. Caso a família avalie não haver condição do aluno comparecer, o caso deve ser alinhado com a escola.

Em Pernambuco o regresso será no próximo dia 3, também sendo adotada a medida de conversa entre responsáveis e a unidade educacional em casos específicos, incluindo a possível adoção do ensino remoto.

No Piauí, os pais e responsáveis de crianças entre 5 e 11 anos terão autonomia para decidirem se irão enviar os alunos para o retorno no próximo dia 7. Para acesso às escolas, profissionais e estudantes devem comprovar a vacinação contra a Covid-19, com exceção para quem ainda não foi contemplado no calendário vacinal do Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde.

“Os casos de falta ou omissão de professores e alunos serão informados pela gestão escolar para as respectivas superintendências de Educação Básica, de Educação Técnica e Profissional e Educação de Jovens e Adultos, Superintendência de Gestão de Ensino Superior, onde haverá a apreciação de cada caso”, explica.

Sergipe irá voltar no dia 21 de fevereiro e não irá oferecer a possibilidade de ensino remoto. “As escolas receberam verba para reforçar medidas sanitárias seguindo protocolos validados pelo comitê-técnico científico”, afirma.

No Rio Grande do Norte o regresso será no próximo dia 7. Mesmo com a previsão de retorno presencial, haverá “avaliação dos indicadores em cada regional apontará a necessidade de ajustes na organização do trabalho pedagógico.”

Norte

Tocantins alterou o retorno das aulas do dia 1º de fevereiro para o dia 14 do mesmo mês. “Mesmo com a mudança, continuam garantidos os 200 dias letivos e preservado o período de férias no mês de julho, como já é uma tradição no Estado, assim como os feriados”, justifica a Secretaria da Educação.

No Acre, o início do ano letivo está previsto para abril, sendo 100% presencial. Até o momento não houve nenhuma orientação contrária emitida pelos órgãos da saúde local.

Continuar lendo SAIBA QUAIS OS 19 ESTADOS QUE IRÃO RETOMAR AS AULAS PRESENCIAIS

BRASIL RECEBEU A AGUARDADA NOTÍCIA QUE A OCDE APROVOU O INÍCIO DAS NEGOCIAÇÕES SOBRE ADESÃO DO PAÍS À ENTIDADE

Entenda o que é e o que faz a OCDE, organização em que o Brasil tenta entrar

Organização aprovou abertura de processo para avaliar inclusão do Brasil no grupo

Juliana Elias

do CNN Brasil Business

em São Paulo

Atualmente, 38 países fazem parte da OCDEAtualmente, 38 países fazem parte da OCDESebastiano

O Brasil recebeu na terça-feira (25) a aguardada notícia de que o conselho de ministros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) aprovou o início das negociações sobre a adesão do país à entidade.

Desde 2017, quando formalizou seu pedido, o Brasil tenta emplacar a entrada no seleto grupo formado por 38 dos cerca de 200 países do mundo – daí o apelido, hoje já não mais tão preciso quanto no passado, de que a OCDE seria o time que reúne as nações ricas.

Estados Unidos, Reino Unido e Japão, bem como Chile, México e Costa Rica, são alguns que integram atualmente a organização (veja a lista completa ao fim).

Argentina, Bulgária, Croácia, Peru e Romênia foram as outras cinco nações que, junto com o Brasil, também receberam nesta terça-feira o convite para dar início ao seu processo de inclusão na organização.

Trata-se de um trâmite longo, sem prazo fechado, que envolve desde avaliação das condições políticas, econômicas e sociais do país até eventuais necessidades de ajustes nas leis locais. O processo até a admissão formal pode demorar de três a cinco anos.

Veja a seguir  o que é e como funciona a OCDE:

O que é e como trabalha

A OCDE é um grupo de cooperação entre seus membros e em parceria com outros países, com o objetivo de “construir políticas melhores para vidas melhores”, de acordo com sua descrição oficial.

Seu trabalho envolve diálogo constante com governos, parlamentos, academia e associações civis em todos os lugares do mundo por meio de pesquisas, congressos, projetos, parcerias e consultorias, por exemplo.

O trabalho é baseado em três grandes pilares: informar (por meio de coleta, análise e divulgação de dados globais); influenciar (por meio das parcerias e diálogos com as diferentes lideranças) e criar padrões de referências, em assuntos tão diversos quanto educação, impostos ou meio ambiente.

É a OCDE, por exemplo, que está coordenando as discussões abertas no ano passado para a criação de um imposto global mínimo para as grandes corporações, numa ofensiva conjunta contra os paraísos fiscais.

Também é dela que vem o Pisa, o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (na sigla em inglês), referência internacional na avaliação educacional de países de todo o mundo.

Como surgiu

Antes de ser a OCDE como a conhecemos hoje, a organização nasceu, em 1948, como a Organização para a Cooperação Econômica Europeia (OCEE), uma entidade reunindo 18 países da Europa ocidental, ao fim da Segunda Guerra Mundial e nos primórdios da Guerra Fria.

O objetivo era administrar os recursos do Plano Marshall, programa de investimentos conduzido pelos Estados Unidos para reconstruir os países europeus no pós-guerra.

Foi em 14 de dezembro de 1960 que o grupo se refundou como “Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico” – a OCDE –, em uma convenção assinada pelos 20 primeiros membros, que incluíam os principais países europeus, além de Estados Unidos e Canadá.

A entidade passou a vigorar em 1961, já com objetivos e propósitos muito similares ao de hoje, de estímulo ao desenvolvimento econômico dos participantes e parceiros.

O que precisa para entrar na OCDE

Para ser aceito no clube, a nação candidata precisa demonstrar que está alinhada à série de princípios que regem os países membros da OCDE.

Entre eles, estão “a preservação da liberdade individual, os valores da democracia, a proteção dos direitos humanos e o valor das economias de mercado abertas, comerciais, competitivas, sustentáveis e transparentes”, de acordo com o comunicado divulgado pela organização sobre a abertura do processo de adesão do Brasil e dos outros países.

Promover o crescimento econômico sustentável, o comprometimento com o combate às mudanças climáticas, ao desmatamento e à perda da biodiversidade são outros pilares importantes.

Todos os países candidatos passam, então, por uma vasta avaliação de todos esses requisitos e podem contar com apoio nas eventuais adaptações que sejam necessárias, antes que possam ser aceitos e que recebam o convite formal como novos integrantes da OCDE.

A avaliação não tem prazo definido e é feita por mais de 20 comitês técnicos.

Membros atuais

  1. Alemanha
  2. Austrália
  3. Áustria
  4. Bélgica
  5. Canadá
  6. Chile
  7. Colômbia
  8. Coréia do Sul
  9. Costa Rica
  10. Dinamarca
  11. Eslováquia
  12. Eslovênia
  13. Espanha
  14. Estados Unidos
  15. Estônia
  16. Finlândia
  17. França
  18. Grécia
  19. Holanda
  20. Hungria
  21. Irlanda
  22. Islândia
  23. Israel
  24. Itália
  25. Japão
  26. Letônia
  27. Lituânia
  28. Luxemburgo
  29. México
  30. Noruega
  31. Nova Zelândia
  32. Polônia
  33. Portugal
  34. Reino Unido
  35. República Tcheca
  36. Suécia
  37. Suíça
  38. Turquia
Continuar lendo BRASIL RECEBEU A AGUARDADA NOTÍCIA QUE A OCDE APROVOU O INÍCIO DAS NEGOCIAÇÕES SOBRE ADESÃO DO PAÍS À ENTIDADE

CONGELAMENTO DO ICMS FOI PRORROGADO POR MAIS 60 DIAS PELOS GOVERNADORES

Governadores decidem prorrogar por 60 dias congelamento do ICMS

Alíquota fixa seria encerrada no próximo dia 31; nota com a proposta foi assinada por 21 dos 27 dos governadores

Thais Arbexda CNN

Governadores também cobram do governo Bolsonaro mudanças na política de preços da PetrobrasGovernadores também cobram do governo Bolsonaro mudanças na política de preços da PetrobrasMarcello Casal jr/Agência Brasil

Os governadores decidiram, nesta quarta-feira (26), prorrogar por 60 dias o congelamento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). A alíquota fixa seria encerrada no próximo dia 31.

O movimento dos chefes de Executivos estaduais acontece no momento em que o governo Jair Bolsonaro prepara uma proposta de emenda constitucional (PEC) para reduzir o preço dos combustíveis, do gás de cozinha e da energia elétrica no país, mexendo nos impostos federais e no estadual.

Os governadores também cobram do governo Bolsonaro mudanças na política de preços da Petrobras, falando sobre “a urgente necessidade de revisão da política de paridade internacional de preços dos combustíveis, que tem levado a frequentes reajustes, muito acima da inflação e do poder de compra da sociedade”.

O documento ressalta ainda que essa decisão será tomada “até que soluções estruturais para a estabilização dos preços desses insumos sejam estabelecidas”.

Fonte: CNN

Continuar lendo CONGELAMENTO DO ICMS FOI PRORROGADO POR MAIS 60 DIAS PELOS GOVERNADORES

CONHEÇA A NOVA ONÇA PINTADA QUE FOI DESCOBERTA NO PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU

Por g1 PR — Foz do Iguaçu

 

Conheça a nova onça-pintada que foi descoberta no Parque Nacional do IguaçuConheça a nova onça-pintada que foi descoberta no Parque Nacional do Iguaçu

Uma onça-pintada inédita no Brasil e na Argentina foi flagrada no Parque Nacional do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. De acordo com o Projeto Onças do Iguaçu, programa que monitora a espécie que é ameaçada de extinção, o animal é um macho, aparentemente jovem. Veja como votar para escolher o nome do animal mais abaixo.

De acordo com o programa, o animal nunca havia sido registrado no Parque Nacional do Iguaçu, no Brasil e nem no Parque Nacional Iguazú (Argentina).

“A presença de novas onças, de uma nova população que está crescendo, que está se reproduzindo, significa um habitat que tem todos os requerimentos que a espécie precisa pra sobreviver. Então, sempre, novos filhotes, novas onças registradas, é sempre um sinal de esperança na recuperação da espécie. Esperança de que a gente possa realmente conservar essa espécie tão ameaçada de extinção”, comenta a coordenadora do projeto, Yara Barros.

Nas imagens, capturadas por uma das 60 armadilhas fotográficas do projeto, espelhadas pelo parque, é possível ver o animal andando pela mata e cheirando uma árvore chamada peroba-rosa, que segundo Yara, é uma planta utilizada por outras onças pardas e pintadas como arranhador. Veja vídeo acima.

As onças são identificadas por meio do padrão das manchas, que são únicas em cada animal, como se fosse uma impressão digital.

Nome para a ‘nova’ onça-pintada

Quando um novo animal é identificado no parque, o Projeto Onças do Iguaçu faz uma votação para escolher o nome no novo bicho. A votação está sendo feita pelo g1 até quinta-feira (27).

Desta vez, as opções de nome são de origem Tupi. Caapuã, que quer dizer ‘aquele que vive no mato’ ou Apoena, que quer dizer ‘aquele que enxerga longe’.

Onças no Parque Nacional do Iguaçu

O Projeto Onças do Iguaçu divulga há cada dois anos senso com o número de onças no parque. De acordo com dados divulgados em dezembro de 2021, referentes a 2020, estima-se que, em média, 24 onças-pintadas vivam no lado brasileiro do Parque Nacional do Iguaçu.

Em relação ao censo anterior, houve uma redução da estimativa – que era de 28 animais.

Mas, por ser uma estimativa, os biólogos afirmam que estatisticamente o resultado apresentado é de estabilidade. Em todo o corredor verde do parque, o número de onças é estimado entre 76 e 106, informou o censo.

Os dados sobre as onças são coletados por pesquisadores brasileiros e argentinos desde 2009. Em 12 anos, o número de onças na reserva quase dobrou.

Segundo o projeto, entre o Parque Nacional do Iguaçu (Brasil) e o Parque Nacional Iguazú (Argentina), a espécie saltou de uma população efetiva estimada em 50 indivíduos em 2008 para 90 indivíduos em 2016.

Por meio dos pontos de monitoramento entre Brasil e Argentina, foram coletadas 693 mil imagens, flagrantes que mostram como as onças se comportam longe da presença do homem.

Continuar lendo CONHEÇA A NOVA ONÇA PINTADA QUE FOI DESCOBERTA NO PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU

SAIBA QUAIS OS ESTADOS APROVARAM O IMUNIZANTE DA CORONAVAC EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Por Marília Neves, g1

 

Doses da CoronaVac distribuídas em Porto Alegre — Foto: Cristine Rochol/PMPADoses da CoronaVac distribuídas em Porto Alegre — Foto: Cristine Rochol/PMPA

Após a liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso da CoronaVac na vacinação infantil, alguns estados já aprovaram a utilização do imunizante para este grupo no programa vacinal.

Na quinta-feira (20), a Anvisa decidiu pela autorização para a aplicação da vacina CoronaVac em crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos. Há um veto para o uso em pessoas com baixa imunidade (entenda quem são os imunossuprimidos).

No dia seguinte, na sexta-feira (21), o Ministério da Saúde confirmou que vai incluir a vacinação de crianças com a CoronaVac na campanha nacional de imunização contra a Covid-19.

O esquema vacinal para crianças é o mesmo recomendado para os adultos: duas doses aplicadas em um intervalo de 28 dias. (veja mais pontos de destaque da decisão).

Após autorização, São Paulo, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Sergipe foram alguns dos estados que anunciaram a liberação do uso do imunizante, e começaram a vacinação.

Mato Grosso diz que ainda não prevê início da vacinação de crianças e adolescentes com a CoronaVac.

Já o Acre informou ao g1 que aguarda orientação do Ministério da Saúde sobre como adotar o protocolo com o imunizante no estado. Assim como AmazonasCearáPiauíRoraima e Tocantins.

As cidades de Maceió (Alagoas) e Porto Velho (Rondônia) também esperam pelas orientações do MInistério da Saúde.

Veja lista de estados que aprovaram uso da CoronaVac para crianças e adolescentes:

São Paulo

O governo de São Paulo começou a aplicar a vacina CoronaVac em crianças na quinta-feira (20) e atualizou o calendário de vacinação infantil (veja as datas abaixo).

Na cidade de São Paulo, a vacinação de crianças entre 5 e 11 anos, sem comorbidades, começou no sábado (22). A imunização é feita com Pfizer nas crianças de 5 anos; a partir dos 6 anos, são imunizados com a vacina disponível na unidade (Pfizer ou CoronaVac).

Segundo calendário estadual de vacinação infantil contra Covid, serão vacinadas:

  • De 20/01 a 30/01 – Crianças de 9 a 11 anos sem comorbidades.
  • De 31/01 a 10/02 – Crianças de 5 a 8 anos sem comorbidades.
  • Desde 14/01 – Crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, indígenas ou quilombolas.

Rio de Janeiro

Após a liberação da Anvisa, a Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro recebeu, na manhã de segunda-feira (24), 168.720 doses de CoronaVac destinadas à imunização contra a Covid de crianças e jovens, com idade entre 6 e 17 anos.

Os imunizantes foram armazenados na Coordenação Geral de Abastecimento da Secretaria Estadual de Saúde, em Niterói, na Região Metropolitana, onde alguns municípios já iniciaram a retirada dos lotes.

Distrito Federal

O Distrito Federal começou a vacinar, no sábado (22), crianças a partir de 6 anos contra a Covid-19. Até então, o público atendido pela campanha estava na faixa etária acima dos 8 anos.

O anúncio na redução de idade foi feito pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) após a liberação do uso da CoronaVac.

“Os pontos de vacinação adulto que ofertam CoronaVac também vacinarão crianças”, informou a Secretaria de Saúde.

“Os pontos de vacinação adulto que ofertam CoronaVac também vacinarão crianças”, diz a Secretaria de Saúde.

Amapá

Após a liberação da Anvisa, o Amapá autorizou os municípios a vacinarem as crianças de 6 a 17 anos com CoronaVac. Segundo a Secretaria de Saúde, o estado agora depende do recebimento de estoque do imunizante para iniciar a vacinação.

Bahia

O Governo da Bahia e a prefeitura de Salvador confirmaram, na sexta-feira (21), a imunização de crianças e adolescentes com doses da CoronaVac.

A Prefeitura Municipal de Salvador, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), garantiu que as doses da CoronaVac começariam a ser aplicadas nas crianças a partir de sábado (22). A capital baiana tem cerca de 60 mil doses para essa estratégia.

Espírito Santo

Após a liberação da AnvisaEspírito Santo informou que pode terminar fevereiro com 290 mil pessoas dessa faixa etária com esquema completo de vacinação contra a Covid-19.

“Com a aprovação da Anvisa para aplicação da CoronaVac em crianças de 6 a 17 anos, enviaremos imediatamente novas doses para que os municípios possam ampliar a vacinação desse público. Criança protegida é criança vacinada!”, informou o governador Renato Casagrande (PSB) na quinta-feira (20).

Goiás

Goiás começou a usar CoronaVac na vacinação de crianças contra a Covid-19 na segunda-feira (24), segundo o secretário estadual da Saúde, Ismael Alexandrino.

O secretário disse que tem 180 mil doses da CoronaVac em estoque. Além disso, algumas cidades ainda têm algumas quantias guardadas, visto que o reforço de adultos para quem tomou as duas doses está sendo feita com a Pfizer.

Maranhão

No Maranhão, após a liberação da Anvisa, a Secretaria de Estado da Saúde começou a distribuir 120 mil doses da vacina CoronaVac para serem aplicadas em crianças de 6 a 11 anos.

“Nós vamos iniciar de imediato a distribuição das 120 mil doses da CoronaVac para todos os municípios. Pedimos também aos municípios que acelerem a imunização considerando, principalmente, o início das aulas”, afirma Carlos Lula, Secretário de Saúde do estado, nesta segunda-feira (24).

Mato Grosso do Sul

Com aproximadamente 28 mil doses de Coronavac, Campo Grande começou a imunizar crianças e adolescentes de 6 a 17 anos com CoronaVac no sábado (22).

A decisão local foi tomada após o Ministério da Saúde confirmar, nesta sexta-feira (21), incluir a vacinação de crianças com a CoronaVac na campanha nacional de imunização contra a Covid-19.

Minas Gerais

Em Minas Gerais, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) começou a distribuir, na segunda-feira (24), cerca de 400 mil doses de CoronaVac para a aplicação em crianças em Minas Gerais.

O cronograma de distribuição ainda não foi divulgado. Em entrevista ao MG1, o secretário Fábio Baccheretti disse que a maior parte das doses (cerca de 351 mil) está estocada na Rede de Frio, em Belo Horizonte. O restante está nas regionais de saúde do estado.

Pará

Após a liberação da Anvisa, o governo do Pará anunciou que vai disponibilizar 160 mil doses da Coronavac para imunização pediátrica contra a Covid-19.

Segundo o governador Helder Barbalho (MDB), em uma rede social, a distribuição das doses para as cidades paraenses será imediata, usando doses da Coronavac que já estavam em estoque, visto que o esquema vacinal de crianças e adultos com essa vacina é o mesmo: duas doses aplicadas em um intervalo de 28 dias.

Em Belém, a vacinação com o imunizante para crianças entre 6 e 11 anos teve início na segunda-feira (24).

Paraíba

Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba (SES/PB) autorizou na segunda-feira (24) a vacinação de crianças de 6 a 11 anos com a vacina CoronaVac/Butantan. A nota técnica divulgada pelo órgão orienta os profissionais de saúde com relação aos cuidados de armazenamento e aplicação do imunizante no público infantil.

Segundo a Secretaria de Saúde, municípios já podem iniciar a vacinação nesta terça-feira (25) se estiverem organizados para esse fim, desde que tenham estoque do imunizante. Ao todo, são 53.859 doses disponíveis em todo o estado.

Paraná

Com mais de 200 mil doses em estoque, o Paraná deve esperar orientação do Ministério da Saúde para vacinar crianças com CoronaVac, segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Apesar disso, algumas cidades, como Curitiba e Maringá, iniciaram a vacinação com o imunizante.

Em Curitiba, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) faz, na terça-feira (25), a repescagem da vacinação contra a Covid-19 com imunizantes da Coronavac para crianças e adolescentes nascidos até 31 de dezembro de 2011 – com exceção dos imunossuprimidos. Nesta data, não haverá aplicação de imunizante da Pfizer para primeira dose.

Já em Maringá, a Prefeitura deu início, na tarde desta segunda-feira (24), ao uso de doses em crianças da vacina contra a Covid-19 da CoronaVac. O anuncio da medida foi feito pelo secretário Municipal de Saúde, Marcelo Puzzi.

Pernambuco

O governo de Pernambuco autorizou a vacinação de crianças de 6 a 11 anos com a vacina CoronaVac/Butantan na segunda-feira (24).

De acordo com dados do Programa Estadual de Imunização (PEI), os municípios pernambucanos têm, em estoque, 360 mil doses da CoronaVac, tanto para primeiras doses como para segundas doses.

A superintendente de Imunizações de Pernambuco, Ana Catarina de Melo, afirmou que os municípios que possuem estoque do imunizante já podem iniciar a vacinação das crianças nessa faixa etária, enquanto o estado aguarda envio de novas doses pelo Ministério da Saúde.

Rio Grande do Norte

No Rio Grande do Norte, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) autorizou na tarde desta segunda-feira (24) que crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos sejam vacinados com a CoronaVac. Segundo a Secretaria de Saúde, atualmente o Rio Grande do Norte tem 110 mil doses da CoronaVac em estoque.

A Sesap prevê distribuir as doses de Coronavac para os municípios na manhã desta quinta-feira (27). O lote deverá ser enviado junto com doses pediátricas da Pfizer, que o Ministério da Saúde sinalizou que chegarão na próxima quarta-feira (26).

Rio Grande do Sul

governo do Rio Grande do Sul anunciou que inicia na quarta-feira (26) a vacinação de crianças com a CoronaVac.

O público imunizado contra a Covid com o imunizante produzido pelo Instituto Butantan será o de crianças com idade entre seis e 11 anos.

A Comissão Intergestores Bipartite (CIB), composta pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) e pelos municípios, também autorizou o uso da vacina para adolescentes de 12 a 17 anos, mas manteve a prioridade para os mais jovens.

Santa Catarina

Em Santa Catarina, a autorização do governo do Estado aos municípios ocorreu no sábado (22), depois de uma reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), com a participação do secretário de Estado de Saúde, André Motta Ribeiro, e secretários municipais.

A autorização segue as recomendações definidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que indicou utilizar a CoronaVac apenas para as crianças e adolescentes, de 6 a 17 anos que não sejam imunossuprimos.

Sergipe

Sergipe começa a vacinar crianças de 6 anos ou mais com a CoronaVac a partir desta terça-feira (25).

Segundo a enfermeira do Programa Estadual de Imunização, Ana Beatriz Lira, o estado não recebeu nenhuma remessa de CoronaVac para fins pediátricos. Porém, cerca de 130 mil doses estão em posse dos gestores de saúde municipais.

Continuar lendo SAIBA QUAIS OS ESTADOS APROVARAM O IMUNIZANTE DA CORONAVAC EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

SÃO PAULO, ANIVERSRIANTE DESTA TERÇA-FEIRA TEM SIDO CENÁRIO COM OBRAS QUE FORMAM UM MUSEU A CÉU ABERTO

São Paulo, 468 anos: murais formam museu a céu aberto e estampam cidade plural

Diversidade de obras e artistas amplia as representações da identidade paulistana

Bianca Borges

colaboração para a CNN

em São Paulo

 

Numa região central de São Paulo, no tradicional bairro do Bixiga, uma mulher negra é vista de costas, estendendo roupas no varal. “Temos Vagas para Rapazes”, informa a placa manuscrita acima das cordinhas que sustentam as peças. A luz do sol atravessa os tecidos e contorna a cena, na esquina das ruas Treze de Maio e Santo Antônio.

A imagem poderia ser um episódio corriqueiro visto por um morador ou capturado por fotografia, mas saiu das memórias do artista visual Diego Mouro para estampar a fachada do Teatro do Incêndio, um imóvel histórico tombado, datado de 1905.

A escolha do muralista em retratar sua primeira recordação do bairro a convite da instituição cultural atendeu ao desejo de mostrar um outro lado do Bixiga, bastante associado à herança da imigração italiana, mas cujo passado guarda uma história de resistência cultural preta, a do Quilombo do Saracura, um dos primeiros quilombos urbanos de São Paulo.

A mistura entre escravos fugitivos e alforriados era tão estratégica quanto a localização do bairro, encravado na área central.

São Paulo, aniversariante desta terça-feira (25), tem sido cenário de uma ruptura visual, com obras que trazem cores diversas e técnicas variadas.

O painel Saracura foi feito dentro do projeto “Cidade extensão da gente”, parceria entre o Teatro do Incêndio e a Secretaria Municipal de Turismo.

Segundo a produtora e arte educadora do Teatro, Gabriela Morato, o projeto considerou que o Bixiga abriga, em suas paredes históricas, marcas de diversidade.

Ele se junta a diversas ações realizadas nos últimos anos — pela iniciativa privada e pelo poder público — para povoar São Paulo com imagens, personagens e referências mais plurais do que o imaginário associado à herança de raízes imigrantes, de figuras masculinas e traços eurocêntricos.

“Na primeira vez que pisei ali [no Bixiga], ainda adolescente e morador de outra cidade, vi uma mulher, na varanda de uma pensão, estendendo roupas no varal. O sol batia de um jeito diferente e não sei por que aquela cena me marcou”, descreve Diego.

Natural de São Bernardo do Campo, na região do ABC, Diego foi criado na cultura de rua local, em que o skate e o grafite davam o tom. Ele bebeu dessa fonte e se interessou por arte urbana.

“Escolhi o muralismo, que não era tão comum na época. Eu pinto na rua porque sinto a necessidade de troca imediata com os meus, para que eles se vejam e se sintam representados”, afirma.

O mural tem obrigação e necessidade de conversar com o povo e com as pessoas na região onde ele está inserido, de refletir questões e assuntos daquela área

Diego Mouro

Para além dos muros do museu

Se o público não vai até o museu, a obra de arte tem de ser levada até ele. Foi com esse entendimento que o Instituto Moreira Salles encomendou à artista Criola a empena “A Ancestral do Futuro” (2021), por ocasião da exposição “Um Brasil para os brasileiros”, sobre a obra da escritora mineira Carolina Maria de Jesus (1914-1977).

Com pinceladas afrofuturistas, traço estético bastante trabalhado pela artista, o mural revela uma Carolina de olhar firme e confiante que se conecta à figura descrita por parentes da escritora, de uma mulher vaidosa, corajosa e cheia de audácia criativa.

Para a historiadora Raquel Barreto, uma das curadoras da exposição, era preciso levar para fora do museu a imagem de Carolina, moradora de favela em São Paulo e autora de livros como “Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada”, de 1960.

“A Carolina foi uma pessoa cuja trajetória foi muito marcada por suas andanças e vivências na cidade, e se limitássemos a exposição ao espaço do museu não estaríamos sendo fiéis a sua complexidade e a essas características tão marcantes. Por isso consideramos fundamental que a exposição ocupasse também o espaço da rua”, conta a curadora.

A Ancestral do Futuro”, de Criola, representa a escritora Carolina Maria de Jesus, perto do cruzamento entre a avenida Paulista e a rua da Consolação / Divulgação

 

Ainda segundo Raquel, era importante trazer para a paisagem de São Paulo o retrato de uma mulher negra “posando com respeito, dignidade, orgulho e com essa perspectiva de futuro”.

“Embora Carolina não fosse militante ou ativista, sua obra pode ser lida sob uma perspectiva política, por abordar questões estruturais, como desigualdade, racismo, violência. Da mesma forma, o trabalho de Criola é marcado por reflexões importantes com relação ao racismo e à tolerância religiosa, por exemplo. São duas artistas que refletem, cada uma a seu estilo, questões do seu entorno e da sua época”, analisa.

A autora do mural ressalta a importância de levar uma parte da exposição para as pessoas que não tiveram acesso a ela.

“O muralismo é uma arte democrática, que possibilita que várias pessoas possam visualizar. Para mim, é potência ter a Carolina estampada na esquina da avenida Paulista com a [rua da] Consolação”, afirma Criola, também mineira.

Museu é o mundo – e a cidade

Há alguns anos, a Secretaria Municipal de Cultura vem apoiando a produção de obras de artistas de diferentes origens em projetos como o “Grafitaço Jaraguá”, que propôs um intercâmbio entre artistas indígenas, e o “Vozes contra o Racismo”, focado na representação e na obra de artistas negros.

A novidade é a recém-lançada plataforma MAR 360, o Museu de Arte de Rua de São Paulo.

A plataforma permite um giro por diversas obras de arte urbana espalhadas pela capital paulista. O site possuiu acessibilidade, com audiodescrição e Libras, e o conteúdo está disponível em português e em inglês.

Obra do projeto Grafitaço Jaraguá, com artistas indígenas, na zona norte de São Paulo / Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo

 

Segundo Salete Perroni, uma das coordenadoras do projeto, a intenção é fazer de São Paulo um museu a céu aberto e também virtual, com a promoção de trabalhos coletivos, de trabalhos de artistas periféricos em regiões centrais e dos mesmos em suas áreas de origem.

“O MAR nasceu em 2017 com o intuito de fomentar a arte urbana, dando preferência a projetos com linguagens, artistas e temas que sejam mais plurais. Claro que temos artistas brancos e grafite, mas também temos contemplado indígenas, mulheres, pretos e periféricos, inclusive artistas de fora de São Paulo”, resume a programadora da Secretaria de Cultura.

Identificação e pertencimento

Uma das primeiras mulheres a integrar a seleta galeria de artistas com um mural na região central de São Paulo, Kika Carvalho, natural do Espírito Santo, entende que obras diversas e com figuras não-consagradas nos livros de história ajudam a gerar conexão, identificação e pertencimento.

A formação de Kika, assim como a de grande parte dos que estudaram artes no Brasil, teve fortes influências europeias e norte-americanas. No caso dela, isso provocou inquietações e questionamentos sobre a ausência de estudos sobre artistas negros e de negros nas representações das pinturas.

A opção pela cor azul – característica marcante de sua obra – foi uma tentativa de questionar esse padrão.

Obra de Kika Carvalho para o NaLata – Festival Internacional de Arte Urbana (2021) na avenida Pedroso de Morais, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo / Divulgação

 

“São muitas as razões para a escolha de representar pessoas negras com azul, sobretudo o azul ultramar, tinta base de todas as minhas pinturas. A principal delas é a relação construída dentro da própria história da pintura em contraponto com a presença/ausência de corpos negros”, conta Kika.

“O azul tem sido para mim um espaço de retorno a tudo aquilo que me foi afastado, renegado, demonizado e desprezado. E foi através da cor que voltei os meus olhos e o meu interesse para as artes que eram produzidas fora do eixo da bibliografia das disciplinas que cursei.”

Com quantas imagens se faz uma metrópole?

Para Renato Cymbalista, o professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP (Universidade de São Paulo), essas novas proposições artísticas trazem à tona uma herança ainda pouco assimilada, de décadas de resistência e ao mesmo tempo de esquecimento.

“As representações historicamente feitas no espaço público [de São Paulo] têm sido evidenciadas como representações brancas, desproporcionalmente masculinas e bastante vinculadas a um tipo de elite paulista que vai se sucedendo como uma elite bandeirista, que vira cafeeira e depois industrial”, comenta o pesquisador.

“Por trás disso há sempre uma ideia de uma elite desbravadora, que se contrapõe à de um Brasil atrasado, colonialista e escravista. E essas representações são muito problemáticas.”

Este cenário, segundo Cymbalista, deixava evidente o quanto a capital paulista foi historicamente organizada mais “para uns do que para outros”.

Em contraponto a isso, analisa o professor, ganhou corpo no espaço público um novo conjunto de representações que questiona esse “monopólio” imagético.

“Essas representações [mais recentes] escancaram isso, ao trazer e denunciar a desigualdade, quando colocam a cultura e a forma de nós nos representarmos em uma posição de centralidade. Isso é um elemento novo.”

Continuar lendo SÃO PAULO, ANIVERSRIANTE DESTA TERÇA-FEIRA TEM SIDO CENÁRIO COM OBRAS QUE FORMAM UM MUSEU A CÉU ABERTO

ESCOLAS SE AJUSTAM AOS PROTOCOLOS SANITÁRIOS PARA O INÍCIO DO ANO LETIVO PRESENCIAL

Por Emily Santos, g1 — São Paulo

 

Aulas totalmente presenciais retornam nesta quarta-feira na rede pública de Goiânia
Aulas totalmente presenciais retornam nesta quarta-feira na rede pública de Goiânia

Enquanto o ano letivo de 2021 ainda não foi finalizado em algumas redes de ensino, como na municipal de Natal, outras iniciaram o ciclo de 2022 ainda em janeiro, como no caso de Goiânia, que abriu as escolas no dia 19, ou devem iniciar em breve, como em São Luís, que recebe os estudantes a partir de 1º de fevereiro.

Tudo isso acontece no mesmo momento em que as crianças de 5 a 11 anos recebem, em ordem decrescente de idade, a primeira dose da vacina contra a Covid-19, e que a variante ômicron causa um pico nos casos da doença pelo mundo.

Apesar de a imunização ser considerada efetiva a partir de 15 dias da segunda dose da vacina, especialistas defendem que o melhor é não esperar e mandar as crianças para a escola no começo do ano letivo. A psicóloga infantil e doutora em psicologia escolar Sabrina Pani faz parte deste grupo.

“Já tivemos um momento em que a população inteira não estava imunizada. Agora, os professores e funcionários das escolas estão vacinados, muitos até já tomaram a dose de reforço. Os adolescentes também estão em processo de imunização. Tudo isso contribui para que o ambiente escolar se torne mais seguro para receber crianças ainda não vacinadas”, explica.

Para ela, o benefício de frequentar aulas presenciais é inquestionável.

“Somos seres sociais, culturais, coletivos. Precisamos estar estar perto dos nossos pares, de pessoas da mesma idade, que têm os mesmos interesses. As crianças e adolescentes precisam viver isso de uma maneira concreta, real, e o lugar de fazer isso é na escola”.

Segundo a profissional, a experiência de começar um ano letivo presencialmente na escola pode ser muito benéfico para as crianças que tiveram dificuldade para se adaptar ao momento dramático de pandemia.

Enquanto conviver com os amigos pode ser benéfico para a saúde mental, é preciso resguardar também a saúde física. Por isso, para manter a segurança daqueles menores de 12 anos que ainda não se vacinaram contra a Covid, é preciso reforçar os cuidados já conhecidos em todos os momentos durante a estadia no ambiente escolar.

Na sala de aula

Ainda em 2021, as escolas estabeleceram protocolos sanitários baseados nas orientações dos órgãos de segurança. Este ano, os protocolos devem ser mantidos e até reforçados como tentativa de conter o avanço da variante ômicron.

Usar máscaras o tempo todo e fazer trocas quando necessário e lavar as mãos ou higienizá-las com álcool em gel são alguns deles.

Sala de aula da Escola Oscar de Castro, que recebe alunos do ensino infantil ao fundamental em tempo integral, em João Pessoa — Foto: Prefeitura de João Pessoa/DivulgaçãoSala de aula da Escola Oscar de Castro, que recebe alunos do ensino infantil ao fundamental em tempo integral, em João Pessoa — Foto: Prefeitura de João Pessoa/Divulgação

O distanciamento não é mais um protocolo exigido pelo Colégio QI, do Rio de Janeiro (RJ), que vai receber os alunos do ensino fundamental 1 e 2 e ensino médio em modelo de aulas presencial para o ano letivo de 2022, conforme explica Cláudia Cristina Guedes, supervisora pedagógica dos anos iniciais.

“O distanciamento já não é necessário, mas conversamos constantemente com as crianças sobre ainda não ser a hora de abraçar e a respeito da importância da utilização do álcool em gel. O uso da máscara continua sendo obrigatório e o compartilhamento de objetos e não será permitido”.

Eliane Faravelli, coordenadora da educação infantil da Escola Ipê diz que o reforço a esses cuidados faz parte até do conteúdo aplicado em sala para os alunos da educação infantil. “Mais do que nunca, os conteúdos sobre higiene e saúde estão reforçados diariamente, de forma lúdica e expressiva, pois os primeiros anos de vida escolar desenvolvem habilidades e competências essenciais para a formação de nossos alunos”.

Na hora do lanche

O único horário em que as máscaras podem ser removidas nas escolas é na hora do lanche durante o intervalo. Para garantir maior segurança e evitar aglomeração, algumas escolas vão fazer revezamento entre as turmas.

No Colégio QI, o intervalo já é feito por nível de ensino e vai ser mantido assim. Outro cuidado é que os alunos não têm permissão para dividir alimentos e utensílios entre si.

No intervalo

No tempo de intervalo restante, as máscaras devem ser mantidas e as brincadeiras com contatos físicos devem ser evitadas. Pais e responsáveis e os profissionais das escolas já orientam os alunos sobre a importância de respeitar este cuidado alunos nessas horas.

Julia Ferreira é uma dessas pessoas. Ela é mãe de João Pedro, de 9 anos, que estuda na Escola Municipal Anísio Teixeira, em Belo Horizonte.

“Eu falo para o João não abraçar os amigos, não brincar de pega ou trocar brinquedos. É difícil porque os amiguinhos dele são os da escola, mas eu expliquei que ainda não dá para brincar como antes”.

A carioca Ana Paula Carvalho, mãe de Arthur, de 7 anos, e Miguel, de 10, diz que conta com a ajuda da escola particular onde os filhos estudam para mantê-los seguros no momento das brincadeiras. “Lá, a hora das brincadeiras foi adaptada para o momento. Em vez de brincar de pega-pega, eles brincam de amarelinha, que não precisa de contato”, explica.

Para ela, este cuidado básico dá mais segurança para levar os filhos para a escola quando as aulas começarem. “Quando a hora chegar, vou vacinar meus filhos e eles vão estar seguros, mas, até lá, vou fazer o possível para garantir a saúde e a educação deles”, finaliza.

Cuidados necessários

  • Usar máscara o tempo todo e trocar quando necessário
  • Lavar as mãos com sabão
  • Usar álcool em gel
  • Não trocar material escolar
  • Não trocar brinquedos
  • Não dividir alimentos
  • Não pegar na mão ou abraçar os amigos

Fonte: G1

Continuar lendo ESCOLAS SE AJUSTAM AOS PROTOCOLOS SANITÁRIOS PARA O INÍCIO DO ANO LETIVO PRESENCIAL

LENÇÓIS MARANHENSES, PARAÍSO EM MEIO AS DUNAS

Lençóis Maranhenses: Barreirinhas e Atins, paraísos em meio às dunas

Além das lagoas cristalinas e grandes montes de areia, região guarda maravilhas gastronômicas, culturais, passeios radicais e um povoado acolhedor

Daniela Filomeno

do Viagem & Gastronomia

maior campo de dunas da América do Sul é espetacular nos mínimos detalhes. Os morros de areia desenhados pelo vento formam um deslumbrante mosaico da natureza, assim como as águas das lagoas entre as dunas, de cores turquesa e esmeralda, emocionam e refrescam quem se aventura por ali, criando uma paisagem única no mundo.

Mas visitar os Lençóis Maranhenses vai muito além disso: para as filmagens do CNN Viagem & Gastronomia: Paraíso Exclusivo*, atravessei rios, me banhei no mar, mergulhei de cabeça na cultura local e de quebra experimentei os sabores peculiares desta região, atividades quase que obrigatórias para além dos limites do Parque Nacional. E uma das principais portas de entrada para desfrutar os Lençóis, talvez a mais conhecida entre elas, é a cidade de Barreirinhas, a cerca de 260 km de São Luís e a 100 km de Santo Amaro.

Dá para notar que o município é o que tem mais estrutura e reúne o maior burburinho ao redor dos Lençóis, afinal entrou para o circuito turístico há cerca de 30 anos. São aproximadamente 60 mil habitantes, mais de 70 pousadas, 50 restaurantes e várias agências de excursões, o que faz dele uma base importante para se curtir os Lençóis. Não é a cidade mais perto do acesso à área de preservação ambiental, nem a mais charmosa, mas é a que concentra a melhor estrutura turística. É um lugar simples, mas muito acolhedor.

Em seus limites, Barreirinhas ainda abriga várias comunidades tradicionais maranhenses que transpiram uma rica cultura regional. São locais onde artesãos desenvolvem lindos trabalhos com a fibra do buriti, como na comunidade do Marcelino, ou onde fazem farinhas de mandioca, como o povoado de Tapuio.

Há também, no caminho do rio Preguiças, o vilarejo de Mandacaru, vila de pescadores entre a praia de Caburé e a praia de Atins. É o mais antigo povoado ribeirinho da região, em que as famílias utilizam a pesca e a agricultura como sustento. Por fim, Atins, que fica entre o curso d’água e o mar, é a mais badalada e que concentra pousadas e restaurantes que merecem a visita. Entre minhas andanças, percebi que Lençóis é feito de somas e não de escolhas: quanto mais lugares puder visitar, mais feliz você será.

A charmosa Atins

dani filomeno em atins
Daniela Filomeno em Atins, encantadora vila com ruas de areia e próxima aoOceano Atlântico (Foto: CNN Viagem & Gastronomia)

A vila de Atins é um capítulo à parte, imperdível de se conhecer, podendo ser definida como um lugar “mágico”. A vida simples do interior do Maranhão dá as caras e carrega todo o charme do vilarejo: pequenas ruas de areia e de terra batida, casas rústicas e vegetação rasteira junto de coqueiros ditam o tom por ali. Localizado em uma das extremidades do Parque Nacional, uma das melhores maneiras de se chegar a Atins é via voadeira, lancha baixa e rápida que percorre o rio Preguiças.

É também endereço do encontro entre a foz do rio Preguiças e o Oceano Atlântico, que formam uma paisagem única e espetacular. Seu entorno é rodeado por dunas, praias e lagoas de águas cristalinas. No centro, anda-se de quadriciclo pelas ruas e o programa mais recomendado é explorar as lojinhas e restaurantes.

Antiga base de pescadores, Atins é um dos lugares mais descolados dos Lençóis. A comida é boa, o lugar é alegre, o povo é gentil e as paisagens são exuberantes, tudo na maior simplicidade de um vilarejo. Os ventos fortes colocam essa porção de terra e mar como um dos locais mais indicados para a prática de kitesurf, esporte aquático feito com uma prancha e uma pipa. Pela praia e na foz do rio, não é difícil encontrar também a prática de stand up paddle e caiaque.

Para amantes da boa gastronomia, da natureza e ainda para aqueles que não abrem mão de uma boa estrutura de pousadas, Atins é o lugar certo.

Pequenos Lençóis

quadriciclo pequenos lencois maranhenses
Daniela Filomeno em passeio de quadriciclo em Vassouras, nos Pequenos Lençóis (Foto: CNN Viagem & Gastronomia)

 

Nem só de enormes dunas são feitos os Lençóis. Próximo a área de proteção ambiental do Parque Nacional e do rio Preguiças fica o que é chamado de Pequenos Lençóis, grupo de dunas e lagoas em escala reduzida. Eles estão entre os municípios de Tutóia e Paulino Neves e uma das maneiras de chegar por ali é por meio de voadeira pelo rio Preguiças, que leva a povoados da região.

Um desses povoados é Vassouras, vilarejo de pescadores conhecido como a terra dos macacos-prego devido a abundância deles em suas árvores. Os montes de areia dali são propícios para passeios de quadriciclo, em que aventura é feita por dunas íngremes e regiões alagadas. É emocionante!

A praia de Caburé, próxima à foz do rio Preguiças, também fica na região dos Pequenos Lençóis. Caracteriza-se por uma estreita faixa de areia entre o rio do mar, um cenário excepcional. A praia é lar de alguns pescadores, mas tem ficado cada vez mais deserta, abrindo espaço para os turistas desbravarem o local.

O que fazer pela região

Circuito da Lagoa Bonita

dani filomeno no circuito lagoa bonita
Daniela Filomeno ao entardecer no Circuito da Lagoa Bonita (Foto: CNN Viagem & Gastronomia)

 

O nome já diz tudo e não decepciona: o Circuito da Lagoa Bonita é imperdível de se visitar. A lagoa principal é a estrela de um passeio pelas dunas que dura até três horas a partir da locomoção em carros 4×4, onde uma das paradas é um mirante em uma duna de mais de 60 metros. A dica é subir o banco de areia, com a ajuda de uma escada, em que todo o esforço é recompensado pelo visual incrível que se tem dos Lençóis lá do alto. Na volta, os visitantes podem andar pelo areal e se refrescar nas águas das lagoas, como a da Bonita. O dia termina com um pôr do sol, espetáculo da natureza, com o sol brilhando fortemente e beijando a imensidão das dunas ao fundo.

Circuito da Lagoa Azul

lagoa esmeralda barreirinhas lencois
Daniela Filomeno se refresca na Lagoa Esmeralda, uma das mais bonitas dos Lençóis e parte do circuito (Foto: CNN Viagem & Gastronomia)

 

Outro clássico de Barreirinhas, o Circuito da Lagoa Azul parece nome de filme da Sessão da Tarde, e, de fato, é cinematográfico. Também é uma excursão de meio-dia, que pode ser feita logo cedo ou à tarde, para aproveitar o pôr do sol. Há até quem combine esse passeio com o da Lagoa Bonita – vai do fôlego de cada um. O primeiro ponto de parada é a Lagoa Azul, que é majestosa e de uma linda coloração, em que vários peixinhos ficam a sua volta dentro da lagoa. Vários deles ficaram perto de mim, deixando a água até mais escura por conta da grande quantidade deles. Vale lembrar que as águas dali não são geladas nem quentes, mas sim refrescantes!

Há paradas também em outras lagoas bem conhecidas, como da Preguiça, da Paz, do Carcará, dos Toyoteiros e da Esmeralda. Esta última é uma das mais especiais para mim: rasa e sem vegetação, ela possui uma cor esmeralda que hipnotiza, misturando o azul da borda com o verde esmeralda no centro.

Rio Preguiças e povoados

lanchas no rio preguicas
Lanchas às margens do rio Preguiças, curso d’água super importante para a cidade de Barreirinhas (Foto: CNN Viagem & Gastronomia)

 

Barreirinhas é intimamente ligada ao Preguiças. É em suas margens que ficam os principais restaurantes, por exemplo. E sempre que se vai visitar o Parque Nacional a partir da cidade, é preciso atravessá-lo em balsas. Assim como eu, quem quiser conhecer bem a região deve separar ao menos um dia para explorar o rio, cujo nome vem do bicho-preguiça, abundante por ali, e que foi, por muitos anos, a única via de acesso à cidade.

macao prego vassouras barreirinhas
Macaco-prego em Vassouras, que domina as árvores do vilarejo (Foto: CNN Viagem & Gastronomia)

Uma das maneiras mais populares de se conhecer o rio é através do passeio de voadeira, lancha baixa e bem rápida, que serpenteia em alta velocidade as águas e te leva a povoados da região. No de Vassouras, por exemplo, a graça é ver a interação com os macaquinhos, que se sentem os donos do lugar. Ali ficam os Pequenos Lençóis, um grupo de dunas e lagoas em escala reduzida.

A parada seguinte é no povoado Mandacaru, o mais antigo vilarejo ribeirinho da região e onde há um farol. Quando ele está aberto à visitação, é possível subir 160 degraus e chegar no topo, de onde se tem uma vista espetacular para o curso do rio a mais de 54 metros de altura. Mais adiante, chega-se ao vilarejo de Caburé, onde, como uma poesia, o Preguiças finalmente encontra o mar. Esta é a parada mais longa, com tempo suficiente para aproveitar as praias (fluvial e oceânica), almoçar nos restaurantes da antiga vila de pescadores e até mesmo fazer um passeio de quadriciclo. Caburé é também o ponto de conexão para quem quer seguir viagem para Atins.

Revoada dos Guarás

É um dos espetáculos mais bonitos dos Lençóis, que acontece em Atins. De cor avermelhada, o guará é uma ave típica do litoral atlântico da América do Sul, em que se reproduz principalmente em áreas de mangue. É no final da tarde que, em bando, eles colorem o céu do vilarejo com seu voo. O melhor ponto para observar as aves é na foz do rio Preguiças.

Flutuação Rio Formiga

A excursão pelo rio Preguiças é marcada pela velocidade da voadeira, pelos povoados às suas margens e pela adrenalina do quadriciclo. Mas o rio Formiga guarda uma experiência diferente. Em suas águas é feita a flutuação, em que se fica em cima de boias para relaxar enquanto a leve correnteza te carrega. O passeio, também chamado de Boia Cross, é feito no povoado da Cardosa, afastado do centro de Barreirinhas, e dura aproximadamente quatro horas, incluindo ida e volta e o tempo de descida pela correnteza do rio, de cerca de uma hora.

Povoados de Marcelino e Tapuio

Em meio ao rio Preguiças, dois povoados bastante autênticos são ideais para passeios culturais pela região. Em Marcelino, a atração é o artesanato feito com a fibra do buriti, palmeira típica dali aproveitada por inteira – seu fruto também é muito consumido pelos locais. Em Tapuio, os visitantes aprendem tudo sobre a fabricação de farinha de mandioca artesanal.

A primeira parada costuma ser em Tapuio, mais perto do centro de Barreirinhas. Lá, a grande atração é a Casa da Farinha, onde se processa esse produto da mandioca. Os moradores explicam todo o processo, desde o plantio e colheita da raiz até os cuidados no preparo.

Após mais 40 minutos de navegação rio acima, a lancha chega a Marcelino, conhecida pelos artesãos que trabalham com a fibra de buriti. Durante a visita, aprendemos como é retirado o linho da fibra do buriti, como o material é tingido com ajuda de corantes naturais como urucum e açafrão e como os fios são trançados para virarem bolsas, chapéus, colares, brincos, objetos decorativos, tapetes e mais uma porção de objetos.

Fonte: CNN

Continuar lendo LENÇÓIS MARANHENSES, PARAÍSO EM MEIO AS DUNAS

MUDANÇA NA COR DO RIO TAPAJÓ ESTÁ SENDO INVESTIGADA PELA PF E INSTITUTO CHICO MENDES

Por Jornal Nacional

 

Alter do Chão: PF e o Instituto Chico Mendes investigam o que está provocando a mudança na cor do Rio Tapajós
Alter do Chão: PF e o Instituto Chico Mendes investigam o que está provocando a mudança na cor do Rio Tapajós

Polícia Federal e o Instituto Chico Mendes começaram a investigar a mudança na cor do Rio Tapajós, numa região conhecida como o Caribe Amazônico.

Na Floresta Nacional do Tapajós, os ribeirinhos já não podem mais usar a água.

“Não está normal, está com gosto de barro”, relata Luiz Paz, liderança comunitária.

Na quarta-feira, o Jornal Nacional mostrou que as águas do Rio Tapajós em Alter do Chão, uma região conhecida mundialmente como Caribe Amazônico, ganharam uma cor barrenta.

Essa situação mobilizou órgãos ambientais. Cientistas e moradores suspeitam da atividade de garimpos ilegais, que ficam a cerca de 300 quilômetros do local. E despejam, por ano, 7 milhões de toneladas de rejeitos no Rio Tapajós, segundo a Polícia Federal.

Instituto Chico Mendes está coletando água e sedimentos do fundo do rio. Os pesquisadores querem saber se o que está chegando à região de Alter do Chão são metais pesados como o mercúrio.

O primeiro trecho analisado fica entre os municípios de Itaituba e Santarém.

“A gente não consegue identificar se realmente é um fenômeno natural ou impulsionado pela mineração, atividade de mineração ilegal. Isso precisa ser investigado ainda. Através da análise posterior desse material a gente começa s identificar, comparando com dados de anos anteriores, se realmente está havendo mudanças estruturais na qualidade física, química e biológica da água”, destaca Maurício Santamaria – ICMBIO.

Esta semana, o flagrante de uma draga subindo o Rio Tapajós preocupou ainda mais os moradores. A embarcação usada em garimpos foi apreendida pela Marinha do Brasil, porque não tinha autorização para navegar.

“É uma região altamente turística, então a coloração da água do Rio Tapajós é cenário de várias belezas naturais. A atividade turística para as comunidades foi impactada, diz Jackeline Spinola – ICMBIO.

As populações ribeirinhas estão preocupadas. “Porque daqui a um tempo isso pode não existir mais”, diz um morador.

A Universidade Federal do Oeste do Pará já identificou que moradores de Santarém estão com níveis de mercúrio no sangue acima do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A contaminação estaria acontecendo por meio do consumo do peixe.

“A contaminação por mercúrio já vem de longo tempo, e isso é mais preocupante porque causa problemas, prejuízos para a população. Sobretudo na saúde, porque a população de toda do Rio Tapajós consome o peixe”, relata André Carlos Fernandes, padre e liderança dos ribeirinhos.

“Não está normal, está com gosto de barro e a gente precisa do rio de qualquer jeito”, desabafa um morador.

Continuar lendo MUDANÇA NA COR DO RIO TAPAJÓ ESTÁ SENDO INVESTIGADA PELA PF E INSTITUTO CHICO MENDES

IMPOSTO DO DIESEL NO BRASIL SERÁ ZERADO CASO A PEC QUE MODIFICA TRIBUTO PASSE NO CONGRESSO

Bolsonaro diz que zerará imposto sobre diesel, se PEC que modifica tributos passar

O presidente Jair Bolsonaro disse que, se a PEC que modifica a tributação sobre combustíveis passar no Congresso, no “segundo seguinte à promulgação eu zero o imposto final do diesel no Brasil”

Thaís Barcellos,

do Estadão Conteúdo

 

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que está sendo negociada com o Congresso para baixar impostos sobre combustíveis autoriza e não “impõe” a redução dos tributos pela União e pelos Estados, como já havia indicado o secretário executivo da Casa Civil, Jônathas Castro, em um podcast publicado pela pasta nesta sexta-feira (21).

“A PEC autoriza, não impõe, que o presidente da República e os governadores diminuam, ou zerem, os valores do PIS/Cofins/Cide e ICMS dos combustíveis”, disse, em publicação em suas redes sociais.

Ao site Foco do Brasil, Bolsonaro disse ainda que se a PEC passar no Congresso, no “segundo seguinte à promulgação eu zero o imposto final do diesel no Brasil”.

Segundo Bolsonaro, a medida deve prever a possibilidade de baratear a gasolina, etanol, diesel, gás de cozinha e energia elétrica, por meio da redução dos tributos. Segundo ele, não há “nada de atrito”.

“Mesmo sem PEC, já zeramos o imposto federal do gás de cozinha (botijão de 13 kg)”, disse, em referência à redução a zero da alíquota de PIS/Cofins no início do ano passado.

O movimento do governo com a negociação da PEC é visto, em parte, como uma pressão para governadores reduzirem o ICMS, que vem sendo alvo do chefe do Planalto com a escalada dos preços no último ano.

Conforme mostrou o Broadcast/Estadão, só a redução a zero dos impostos federais sobre combustíveis e energia poderia gerar uma perda de arrecadação de R$ 57 bilhões ou até maior. Já o impacto para o consumidor seria pequeno, de R$ 0,18 a R$ 0,20 no caso do preço do litro do combustível.

Fonte: CNN

Continuar lendo IMPOSTO DO DIESEL NO BRASIL SERÁ ZERADO CASO A PEC QUE MODIFICA TRIBUTO PASSE NO CONGRESSO

VALOR DAS CONTRIBUIÇÕES DOS TRABALHADORES AO INSS VAI MUDAR A PARTIR DE FEVEREIRO

Por Marta Cavallini, G1

 

Você pode ter valor represado pelo INSS sem saber! Confira como consultar seu saldo

O valor das contribuições dos trabalhadores ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vai mudar a partir de fevereiro. Com o reajuste do teto dos benefícios, de R$ 6.433,57 para R$ 7.087,22, foram atualizadas também as faixas de contribuição dos empregados com carteira assinada, domésticos e trabalhadores avulsos.

Com o reajuste de 10,16% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), quem ganha menos vai contribuir menos para o INSS, e quem ganha mais, vai contribuir mais.

Esses novos valores deverão ser recolhidos apenas em fevereiro, pois são relativos aos salários de janeiro. Os recolhimentos relativos aos salários de dezembro de 2021 e efetuados em janeiro deste ano ainda seguem a tabela anterior.

Quanto você vai pagar

Com a reforma da Previdência de 2019, as alíquotas de contribuição passaram a ser progressivas, ou seja, cobradas apenas sobre a parcela do salário que se enquadrar em cada faixa. Assim, se o trabalhador ganha mais de um salário mínimo, ele paga 7,5% de alíquota de contribuição sobre R$ 1.212 e outros percentuais no que exceder esse valor, de acordo com a tabela abaixo:

Novos valores de contribuição ao INSS — Foto: Juan Silva/G1

Novos valores de contribuição ao INSS — Foto: Juan Silva/G1

Por exemplo: um trabalhador que ganha R$ 1.500 pagará 7,5% sobre R$ 1.212 (R$ 90,90), mais 9% sobre os R$ 288 que excedem esse valor (R$ 25,90), totalizando R$ 116,82 de contribuição.

Já quem ganha R$ 4.500 terá a seguinte contribuição, seguindo as faixas de valores da tabela acima:

  • Paga 7,5% sobre R$ 1.212: R$ 90,90 de contribuição
  • Mais 9% sobre R$ 1.215,35, que é a diferença de R$ 2.427,35 de R$ 1.212: R$ 109,38
  • Mais 12% sobre R$ 1.213,68, que é a diferença de R$ 3.641,03 de R$ 2.427,35: R$ 145,64
  • Mais 14% sobre R$ 858,97, que é a diferença de R$ 4.500,00 de R$ 3.641,03: R$ 120,26
  • Total de contribuição: R$ 466,18

Simulações de contribuições

A pedido do g1, Emerson Lemes, diretor do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), calculou como fica a contribuição para pessoas com diversos salários. Quem ganha até 1 salário mínimo pagará R$ 1,68 a menos por mês em relação ao ano passado.

Já todos que recebem acima de R$ 7.087,22 pagarão a contribuição máxima de R$ 828,39 – R$ 76,40 a mais em relação ao ano passado (R$ 751,99). Isso ocorre porque a contribuição é limitada ao teto da Previdência Social.

Veja na tabela abaixo:

Valores de contribuição ao INSS — Foto: Economia g1

Valores de contribuição ao INSS — Foto: Economia g1

Benefícios do INSS têm reajuste de 10,16% e teto sobe para R$ 7.087

Mudança com reajuste de salários

De acordo com os cálculos de Lemes, somente os salários a partir de R$ 6.541,55 terão aumento no valor da contribuição em relação a 2021.

Isso ocorre, segundo ele, porque, com a tabela progressiva, momentaneamente os trabalhadores que não tiveram reajuste de salário terão a redução de contribuição. A exceção fica por conta dos trabalhadores que, em janeiro de 2022, tiverem reajustes de salários.

“A tabela foi reajustada, mas os salários das pessoas ainda não foi, então elas pagarão menos até que seus empregadores lhes deem reajuste”, explica.

Se houver reajustes dos salários durante o ano, haverá mudança nas contribuições por conta do reenquadramento nas faixas de contribuição.

“Se o trabalhador recebe R$ 2 mil e, em abril, tiver seu salário reajustado para R$ 2.200, até março ele vai pagar R$ 161,82, e a partir de abril pagará R$ 179,82”, exemplifica.

“Em resumo, quem ainda não teve reajuste de salário e recebe entre o mínimo e o teto terá redução de contribuição. No caso de salário de R$ 1,3 mil, por exemplo, vai pagar R$ 1,68 a menos do que pagava no ano passado até ter o reajuste. No caso de salário de R$ 6 mil, vai pagar R$ 15,11 a menos”, explica.

Continuar lendo VALOR DAS CONTRIBUIÇÕES DOS TRABALHADORES AO INSS VAI MUDAR A PARTIR DE FEVEREIRO

MINISTÉRIO DA SAÚDE RESOLVEU NÃO AUTORIZAR UMA SÉRIE DE RECOMENDAÇÕES CONTRA COVID-19 DISCUTIDAS PELA CONITEC

Governo barra diretrizes que não admitiam “kit Covid”

Ministério da Saúde resolveu não autorizar uma série de recomendações que foram discutidas pela Conitec

Basília Rodrigues

da CNNBrasília

Comprimidos de hidroxicloroquinaComprimidos de hidroxicloroquinaGeorge Frey/Reuter

O Ministério da Saúde resolveu não autorizar uma série de recomendações contra a Covid-19 que foram discutidas pela Conitec, a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde, e que contraindicavam o uso de medicamentos do chamado “kit Covid”.

A Conitec é o órgão ligado ao Ministério da Saúde responsável pelos protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas de saúde. Desde o ano passado, integrantes do grupo vem travando uma queda de braço com o próprio ministério por não admitirem o uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra o coronavírus, como a hidroxicloroquina. O ponto é polêmico porque integrantes do governo e aliados apoiam o “kit Covid” deliberadamente.

Caso as diretrizes fossem liberadas, não teriam força de impedir o uso dos medicamentos. Porém, marcariam um posicionamento formal do Ministério da Saúde contra o “kit Covid”.

Na justificativa, Angotti fez defesa do “princípio bioético da beneficência”, afirmando que, amparado por evidências que demonstram impacto positivo, mesmo que ainda não sejam de nível máximo de qualidade, este princípio assume grande importância.

Entre as razões para barrar as diretrizes, o secretário também culpa o trabalho da imprensa e da CPI da Pandemia. Para Angotti, houve “repetidos vazamentos de informações com intenso assédio da imprensa e de agentes políticos da CPI da Covid sobre membros da Conitec”. Ao contrário do que o governo diz, a CPI detectou forte pressão de governistas na Conitec para passar o “kit Covid”.

O secretário argumenta também que respeita a autonomia médica, ainda que as diretrizes não retirasse poderes do médico na relação com seus pacientes.

Angotti afirma ainda que “diversas inadequações, fragilidades, riscos éticos e técnicos e inconsistências capazes de comprometer negativamente o processo e as recomendações”. O secretário ressalta que há “incerteza e incipiência do cenário científico diante de uma doença em grande parte desconhecida” e ainda “possibilidade de falhas metodológicas”.

Procurado pela CNN, o Ministério da Saúde ainda não se manifestou.

Continuar lendo MINISTÉRIO DA SAÚDE RESOLVEU NÃO AUTORIZAR UMA SÉRIE DE RECOMENDAÇÕES CONTRA COVID-19 DISCUTIDAS PELA CONITEC

BOLSONARO SUSPENDE REAJUSTE PROMETIDO ÀS POLÍCIAS FEDERAIS

Bolsonaro diz que reajuste a policiais em 2022 está suspenso

Foto: Divulgação / AFP

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nessa quarta-feira (19) que o reajuste prometido pelo governo às polícias federais em 2022 está suspenso, e que os servidores, atualmente com os salários congelados, podem ser contemplados com um reajuste no Orçamento de 2023.

“Há uma grita de maneira geral, porque a intenção geral foi essa, sim, reservar um reajuste para os policiais federais, os policiais rodoviários federais e o Depen, o Departamento Penintenciário, mas isso aí está suspenso. Estamos aguardando o desenlace das ações”, disse o presidente, que falou em entrevista à rádio Joven Pan.

No Orçamento para 2022, aprovado no final do ano passado pelo Congresso, foi incluída na versão final uma reserva de recursos na ordem de R$ 2 bilhões para aumento a servidores.

A verba não é carimbada a nenhuma categoria em específico, mas sempre foi pública a promessa pessoal de Bolsonaro de destiná-lo a reajustes para as polícias federais. O reajuste seletivo acabou levando a uma série de protestos de outras categorias de servidores por correção de seus salários também.

O presidente tem até a sexta-feira (20) para sancionar o Orçamento aprovado pelo Congresso, podendo ou não vetar trechos.

“A gente pode fazer justiça com três categorias; não vai fazer justiça com as demais, sei disso. Mas fica a aquela velha pergunta a todos: vamos salvar três categorias ou vai todo mundo sofrer no corrente ano?”, acrescentou Bolsonaro durante a entrevista.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo BOLSONARO SUSPENDE REAJUSTE PROMETIDO ÀS POLÍCIAS FEDERAIS

SÃO PAULO VACINA EM CERIMÔNIA SIMBÓLICA PRIMEIRA CRIANÇA CONTRA COVID-19 COM A CORONAVAC

Após aprovação da Anvisa, São Paulo vacina primeiras crianças com Coronavac

Imunizante do Instituto Butantan agora pode ser utilizado na faixa etária entre 6 e 17 anos

Tiago Tortella

Lucas Rocha

da CNNem São Paulo

 

São Paulo vacinou a primeira criança contra a Covid-19 com a Coronavac nesta quinta-feira (20), em cerimônia simbólica na Escola Estadual Brigadeiro Faria Lima, na capital paulista.

Caetano de Jesus Martins Moreira, de nove anos, foi a primeira criança do país a receber o imunizante. “Inclusive, eu tomei a vacina da gripe recentemente. É só uma picada”, disse o garoto.

Além de Caetano, outras dez crianças – com idades entre 9 e 11 anos – também receberam a vacina na cerimônia.

O governador João Doria anunciou que 100 crianças serão vacinadas hoje com a Coronavac na escola. Outras também serão vacinadas na Região Metropolitana, em São Bernardo do Campo.

A aplicação do imunizante ocorreu horas após a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a utilização da Coronavac em crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, com exceção dos imunossuprimidos.

A decisão foi tomada após avaliação da diretoria técnica da Anvisa do segundo pedido do Instituto Butantan.

A formulação e dosagem para esta faixa etária são as mesmas da vacina aplicada em adultos. As pessoas devem receber duas doses, com intervalo de 28 dias.

Neste momento, o Instituto Butantan conta com 15 milhões de doses do imunizante em estoque para distribuição aos estados e municípios.

O Governo de São Paulo também anunciou o novo calendário de vacinação de crianças no estado e estima que todas as crianças paulistas recebam a primeira dose até a primeira quinzena de fevereiro.

Durante a coletiva de imprensa, foi feita a ressalva de que as crianças com cinco anos receberão apenas a vacina da Pfizer, conforme a liberação da Anvisa.

Fonte: CNN

Continuar lendo SÃO PAULO VACINA EM CERIMÔNIA SIMBÓLICA PRIMEIRA CRIANÇA CONTRA COVID-19 COM A CORONAVAC

CONFIRA AS ATRAÇÕES CULTURAIS PARA TODAS AS IDADES NA MARVILHOSA RIO DE JANEIRO

Rio de Janeiro coleciona atrações para além da praia e dos pontos turísticos

A Cidade Maravilhosa começou 2022 com diversas opções de shows, peças de teatro e exposições. Confira a seleção do CNN Viagem & Gastronomia e aproveite!

CNN Viagem & Gastronomia

do Viagem & Gastronomia

Rio de Janeiro

Confira programas culturais para todas as idades na Cidade MaravilhosaConfira programas culturais para todas as idades na Cidade Maravilhosa divulgação

2022 chegou e foi só piscar os olhos que já está acabando o primeiro mês.

Cidade Maravilhosa recebe muitos turistas em janeiro, afinal, quem resiste ao verão com calor intenso e a possibilidade de aproveitar cada minuto do sol e mar? Mas o Rio é muito mais que suas lindas praias. Se você gosta de programas ao ar livre e a meteorologia deixar, confira o que há de melhor para fazer na cidade neste miniguia prático do Rio de Janeiro.

São opções de passeios, trilhas, pontos turísticos imperdíveis e também restaurantes que não podem deixar de estar no seu roteiro.

Já para quem adora um programa cultural, opções de shows, teatros e exposições não faltam na capital fluminense. Confira a seguir:

A Tensão – CCBB

Um barco e um elevador flutuantes, janelas para jardins imaginários e uma piscina em que o visitante poderá entrar de roupa e ficar submerso sem medo de se afogar. São 17 obras e experiências impactantes expostas até 7 de marçono Centro Cultural Banco do Brasil, na exposição “A Tensão”.

De um dos nomes mais provocativos e populares da arte contemporânea, o argentino Leandro Erlic, a mostra é gratuita e provavelmente despertará nos visitantes o sentimento de seu nome diante das instalações do artista: tensão.

Para planejar a sua visita acesse o site oficial do CCBB. As próximas datas já estão esgotadas, mas haverá abertura de novas. Confira também a programação completa do espaço.

Swimming pool” foi produzida pelo artista em 1999 e ganhou destaque no mundo inteiro. Ela pode ser encontrada no CCBB até março / Foto: reprodução Instagram CCBB RJ

Rua Primeiro de Março, 66 – Centro/Telefone: (21) 3808-2020

Exposição Ilhas Cagarras – Aeroporto Santos Dumont

Até 20 de fevereiro, o Aeroporto Santos Dumont, na região central do Rio de Janeiro, recebe a exposição “Nas Asas da Ciência – um voo pelas Ilhas Cagarras”. Lá, os passageiros e visitantes conhecerão mais sobre uma das mais emblemáticas Unidades de Conservação do Rio de Janeiro, o Monumento Natural das Ilhas Cagarras (MONA Cagarras).

A exposição tem cerca de 50 exemplares de diferentes espécies e grupos zoológicos da Coleção Didático-Científica da Seção de Assistência ao Ensino do Museu Nacional/UFRJ, como caranguejos, conchas, corais, esponjas e estrelas-do-mar. São apresentados também modelos de artefatos arqueológicos, como machados de pedra polida e cerâmicas, que registram a presença indígena Tupiguarani no local desde o século 15. Textos, fotos, vídeos, mapas, maquetes e um painel interativo integram a exposição que é gratuita.

Praça Senador Salgado Filho, s/n/Telefone: (21) 3814-7070.

Exposição gratuita está em cartaz no Aeroporto Santos Dumont até fevereiro / Foto: Reprodução

Casa Verão Rio – Casa de Cultura Laura Alvim

Uma programação repleta de pocket shows, teatro, cinema, games e atividades infantis está disponível até 20 de janeiro na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema. A “Casa Verão Rio” é gratuita e está à disposição do público durante os sete dias da semana, das 14h às 22h.

Destaque para o dia 18, quando o espaço receberá um pocket show, voz e violão, do cantor Nando Reis. Além dele, Ana Cañas, Paulinho Mosca, Evandro Mesquita, entre outros, também fazem parte da grade, que pode ser conferida neste link.

Avenida Vieira Souto, 176 – Ipanema/Telefone: (21) 2332-2016.

Tempos Amazônicos – Museu do Amanhã

Em cartaz desde o dia 17 de dezembro no Museu do Amanhã, a exposição “Fruturos – Tempos Amazônicos” apresenta a grandeza e o conhecimento presentes no maior bioma tropical do mundo. Ela acontece em sete áreas temáticas do museu. As seções abordam temas como fauna, flora, povos e cultura, oferecendo informações acerca do cotidiano das populações locais, de suas tradições e das múltiplas linguagens utilizadas.

O visitante poderá se sentir parte da floresta a partir da ambientação, que trará atividades interativas, elementos que revelam a diversidade da Amazônia e a atmosfera sonora da região.

Tratando também de problemas atuais, como as atividades ilegais de mineração e grilagem, a mostra pretende estimular o público a refletir sobre as maneiras de engajar um modelo de desenvolvimento que conserve a floresta em pé, principalmente pela união entre ciência e saberes tradicionais. Os ingressos para o Museu do Amanhã partem de R$ 30 e podem ser adquiridos neste link. Aproveite e também conheça a programação completa do espaço.

Praça Mauá, 1 – Centro

Exposição “Fruturos Amazônicos” no Museu do Amanhã até junho / Foto: Reprodução/Instagram

 

Cinderella, O Musical – Village Mall

Uma dica especial para os pais que buscam programação com a criançada: a Superprodução “Cinderella, O Musical” retornou ao Rio de Janeiro neste mês. Com Fabi Bang no papel do título e mais 20 atores no elenco, ela estará em cartaz no teatro do Shopping Village Mall até 20 de fevereiro. A peça já foi vista por mais de 250 mil pessoas em suas montagens anteriores.

A versão tem efeitos visuais e momentos especiais. Segundo a produção, a cena de maior impacto é quando a Fada Madrinha deixa a princesa pronta para o baile em, literalmente, um passe de mágica.

Os ingressos vão de R$ 25 a R$ 340 e podem ser adquiridos por aqui.

Avenida das Américas, 3.900 – Barra da Tijuca/Telefone: (21) 3003-4177.

A Bela e A Fera Experience

Essa experiência será especial às crianças e também aos adultos que são fãs da Disney. Uma parte do estacionamento do Via Parque Shopping, na Barra da Tijuca, é o palco da construção de um castelo temático do filme “A Bela e a Fera”. São 1.500 m² de um espaço todo decorado em homenagem ao filme.

Após a recepção na entrada do castelo, os visitantes são convidados ao baile real, que acontece dentro do salão principal. Após tomarem seus lugares, um cardápio preparado é oferecido com as opções do dia – tudo isso por atores já caracterizados como “funcionários da realeza”.

Com a plateia em formato especial para a refeição, as apresentações contam a clássica história da Disney. São dezenas de artistas que apresentam um show com muita música, dança, teatro e ilusionismo, além de efeitos especiais visuais e olfativos.

Os preços dos ingressos variam. Há opção só com o couvert artístico ou também já incluindo a consumação. Para mais detalhes, acesse o site oficial do evento.

Estacionamento Via Parque Shopping – Av. Ayrton Senna, 3000 – Barra da Tijuca.

Estacionamento Via Parque Shopping receberá experiência diferente da Bela e a Fera / Reprodução Instagram

 

Fonte: G1


Continuar lendo CONFIRA AS ATRAÇÕES CULTURAIS PARA TODAS AS IDADES NA MARVILHOSA RIO DE JANEIRO

DESEMBARGADOR ASSINA LIMINAR QUE IMPEDE PARALISAÇÃO DE MÉDICOS DA REDE DE SAÚDE DA PREFEITURA DE SÃO PAULO

Prefeitura de SP obtém liminar que impede paralisação de médicos

Sindicato da categoria previa paralisação nesta quarta-feira (19)

Iuri Pitta

da CNN

 

Liminar assinada pelo desembargador Guilherme Gonçalves Strenger, vice-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, impede a paralisação de médicos da rede de saúde da Prefeitura de São Paulo nesta quarta-feira (19), conforme aprovado em assembleia do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp). A decisão é desta terça-feira (18).

Na semana passada, profissionais da atenção primária à saúde (APS) decidiram convocar a paralisação e um ato em frente à Prefeitura, no centro da capital paulista, na tarde desta quarta-feira. Eles reivindicam mais contratações nas unidades básicas de saúde (UBS), condições mínimas de trabalho e discussão sobre reforço dos quadros de profissionais.

Na segunda-feira (17), dirigentes do Simesp se reuniram com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), mas não houve acordo para suspensão da greve. O presidente do Simesp, Victor Dourado, disse em vídeo após a reunião que “as nossas demandas com relação não só a contratação, mas a novas estruturas de saúde para dar conta da demanda espontânea também não foram atendidas” e que “não foi apresentado nenhum plano de contingência ou de reposição dos profissionais afastados”.

A prefeitura, por sua vez, afirmou após o encontro que expos “as medidas adotadas pela secretaria para promover melhorias no atendimento à população nas unidades de saúde e nas condições de trabalho dos profissionais, entre elas o pagamento de horas extras”.

Sem acordo com os profissionais, a Prefeitura foi à Justiça pedir a liminar para determinar “que a integralidade dos médicos da atenção primária à saúde no Município de São Paulo não interrompa as suas funções e as prestem em sua total normalidade, garantindo a continuidade do serviço essencial de saúde pública, vedando-se qualquer paralisação, ainda que parcial, das atividades até o julgamento definitivo deste dissídio”.

Na decisão, o vice-presidente do TJ atendeu a Prefeitura e afirmou que, embora o Supremo Tribunal Federal (STF) considere os servidores públicos de saúde “titulares do direito de greve”, “ocorre, contudo, que entre os serviços públicos há alguns que a coesão social impõe sejam prestados plenamente, em sua totalidade”.

“Destarte, a prestação de serviços públicos essenciais, nos termos do artigo 10 da lei 7.783/89, não pode sofrer interrupção, sob pena de danos irreparáveis à população que deles necessita, especialmente ‘diante de uma PANDEMIA mundial, com aumento progressivo das contaminações em razão da variante ômicron e da propagação das síndromes gripais pelo H3N2’”, afirmou o desembargador.

“Vale dizer, não obstante a greve seja um direito social que encontra guarida constitucional, o cenário atualmente vivenciado é de extrema excepcionalidade, em que hospitais e leitos se encontram sobrecarregados, com altas taxas de ocupação e enormes filas de pacientes na espera de atendimento, em razão do recrudescimento da pandemia causada pela Covid-19 e do surto de síndromes gripais decorrentes do vírus da influenza.”

Para Strenger, “a greve dos médicos municipais se afiguraria abusiva, na medida em que a paralização nos serviços de saúde pública no Município de São Paulo, a esta altura, ainda que parcialmente, poderá causar dano irreparável ou de difícil reparação aos cidadãos, até mesmo levá-los ao óbito pela falta de atendimento”.

O desembargador também determinou uma audiência de conciliação para o dia 27 de janeiro, às 14h, por teleconferência, para se chegar a um acordo entre médicos e Prefeitura.

O que diz a prefeitura

Em nota, a prefeitura informou que a ação foi movida para “manter a assistência em saúde à população em um momento crucial de enfrentamento da pandemia de Covid-19”.

O texto diz ainda que na segunda (17), após reunião do secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, com representantes da categoria, “o prefeito Ricardo Nunes autorizou que o pagamento de 100% do banco de horas acumuladas até 31 de dezembro do ano passado seja efetuado ainda neste mês, com os salários de janeiro. Além disso, a partir de agora, todas as horas extras e plantões extras serão pagos dentro da folha de pagamento do respectivo mês, inclusive para os servidores”.

A nota segue dizendo que Aparecido informou no encontro que “todas as organizações parceiras já receberam autorização para contratação de 700 profissionais de saúde, incluindo médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem para atender ao aumento de demanda nas unidades de Atenção Básica”.

Entre outras medidas, a prefeitura informa que, como parte do Plano de Contingência Hospitalar, “foram reservados 1.110 leitos exclusivamente para o tratamento de pacientes com Covid-19”.

Continuar lendo DESEMBARGADOR ASSINA LIMINAR QUE IMPEDE PARALISAÇÃO DE MÉDICOS DA REDE DE SAÚDE DA PREFEITURA DE SÃO PAULO

PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, ARTHUR LIRA ANUNCIOU QUE VOLTARÁ AO MODELO REMOTO DE TRABALHO ATÉ O CARNAVAL

Por Luiz Felipe Barbiéri, g1 — Brasília 

O presidente da Câmara dos DeputadosArthur Lira (PP-AL), anunciou nesta segunda-feira (17) que a Câmara voltará ao modelo remoto de trabalho em razão do aumento no número de novos casos de Covid no país, nas últimas semanas. A medida, a princípio, vai durar até o carnaval.

As infecções pela variante ômicron fizeram a média móvel de casos no Brasil subir mais de 600% desde dezembro. Um ato regulamentando a volta do trabalho remoto deve ser publicado ainda nesta segunda.

“Trabalho remoto até o Carnaval. Medida necessária até vencermos esta nova onda. Também vai nos ajudar na melhor aplicação dos recursos públicos”, disse Lira em uma rede social.

“Tarifas aéreas estão altíssimas e a flexibilidade nas remarcações só acontece quando é do interesse das companhias”, acrescentou o presidente da Câmara.

Alguns parlamentares, como o deputado Jhonatan de Jesus (Republicanos-RR) e o líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ), testaram positivo para a Covid durante o recesso.

O Congresso está em recesso legislativo até o fim do mês, mas há profissionais de áreas técnicas e administrativas que seguem trabalhando presencialmente.

Votação remota

Durante a fase mais aguda da pandemia, os parlamentares eram autorizados a registrar presença e votar pelo aplicativo da Câmara, sem precisar comparecer à Casa.

Com o retorno dos trabalhos presenciais em outubro do ano passado, os deputados foram obrigados a registrar presença em pontos da Câmara, embora continuasse autorizada a votação pelo aplicativo.

Exceções à regra só eram permitidas para gestantes e parlamentares que comprovassem alguma comorbidade. Os casos eram analisados pela Mesa Diretora da Câmara.

Senado mantém semipresencial

Procurada pelo g1, a assessoria do Senado informou que seguem em vigor as mesmas regras de funcionamento da Casa que valeram no ano passado.

As sessões deliberativas acontecem no formato semipresencial, com a possibilidade de votação e participação nos debates de forma remota.

Nos casos de votações secretas, de análise de autoridades, por exemplo, são realizadas as semanas de “esforço concentrado” com a colocação de urnas do lado de fora do plenário e na Chapelaria, uma das entradas do Congresso. Nas votações secretas, por questões de segurança, os senadores precisam comparecer ao Senado.

Continuar lendo PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, ARTHUR LIRA ANUNCIOU QUE VOLTARÁ AO MODELO REMOTO DE TRABALHO ATÉ O CARNAVAL

CADE ABRE INVESTIGAÇÃO SOBRE POSSÍVEL ABUSO NOS AUMENTOS DE PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS POR PARTE DA PETROBRAS

Cade investiga Petrobras por suposto abuso no reajuste de combustíveis

Empresa deve ser notificada ainda nesta segunda-feira (17) para prestar esclarecimentos

Basília Rodrigues

da CNN

Brasília

 

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) abriu investigação para apurar se houve abuso da Petrobras nos recentes aumentos do preço dos combustíveis. A empresa deve ser notificada nesta segunda-feira (17) para prestar esclarecimentos. A abertura de dois inquéritos administrativos ocorreu na quinta-feira (13) passada.

O presidente do Cade, Alexandre Cordeiro, abriu os procedimentos de ofício com base em notícias e documentos públicos sobre os sucessivos reajustes dos combustíveis.

A investigação será conduzida pela superintendência do Cade. O objetivo da apuração é saber se a Petrobras cometeu abuso da posição dominante no mercado de petróleo no país, o que pode levar à punição, como pagamento de multa.

Não há prazo para conclusão do processo. A avaliação no Cade é que os inquéritos não têm força para impedir o reajuste de combustíveis, uma vez que a variação dos preços depende de uma combinação de fatores, como o câmbio. Mas servem para cobrar explicações da Petrobras e podem ter reflexo na conduta da empresa.

O Ministério da Economia, por meio da área de concorrência, tomou conhecimento de que a investigação está em curso.

Continuar lendo CADE ABRE INVESTIGAÇÃO SOBRE POSSÍVEL ABUSO NOS AUMENTOS DE PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS POR PARTE DA PETROBRAS

ONDA DE CALOR DO SUL TEM PREVISÃO DE SE DISSIPAR A PARTIR DE QUARTA-FEIRA (19)

Onda de calor no Sul deve se dissipar a partir da quarta (19), diz meteorologista

À CNN, Francisco de Assis Diniz disse que a previsão é que o calor intenso não chegue na região Sudeste

Duda Cambraia*

João Pedro Malar

da CNN

em São Paulo

 

A região Sul do Brasil ainda deve enfrentar a forte onda de calor por mais alguns dias, mas a previsão é que ela se dissipe a partir da quarta-feira (19), segundo Francisco de Assis Diniz, meteorologista-chefe do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

Em entrevista à CNN neste domingo (16), ele afirmou que a onda atingiu grande parte do Rio Grande do Sul e a Argentina, Paraguai e Uruguai. No estado brasileiro, ela gerou uma temperatura máxima de 37,9ºC em Porto Alegre no sábado (15), e de 40,6ºC na cidade de Uruguaiana.

“As temperaturas têm ficado na faixa dos 40ºC, 41ºC no Rio Grande do Sul na parte oeste e sudoeste. Essa onda de calor continua até quarta-feira, com temperatura na faixa dos 40ºC, pegando também o sul do Mato Grosso do Sul, e aí ela se dissipa”, diz.

Apesar do calor intenso, as temperaturas não devem chegar aos recordes registrados na Argentina, com várias localidades acima dos 44ºC e a capital do país, Buenos Aires, registrando a segunda maior temperatura da história.

Segundo Diniz, a expectativa é que a onda de calor não chegue à região Sudeste, já que ela está estacionada no Rio Grande do Sul e em partes do Paraná e do Mato Grosso do Sul. “No Sudeste continua a tendência de chuva, em especial entre São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, com temporais localizados e volumes significativos”.

O calor no Sul também criará condições para a ocorrência de temporais no início desta semana, com a possibilidade de granizo.

Para a cidade de São Paulo, a previsão para a semana é de céu nublado e tempo fechado, com condições para mais chuvas e poucas horas de Sol.

“A ausência do Sol é porque os ventos estão jogando muita umidade do oceano da costa de São Paulo, Espírito Santo e do Sul para essa região, daí as condições para as chuvas intensas, junto com um contraste térmico com as áreas com calor”, diz.

No caso de Minas Gerais, que tem sido afetada por fortes chuvas neste começo de ano, a previsão para a semana é de estagiam. “No decorrer da semana, a partir da quarta-feira, voltam as condições de chuva, pegando mais Espírito Santo e a parte central de Minas Gerais, mas não tão intensa quanto antes, dentro das condições normais”, afirma o meteorologista.

Diniz afirma que as chuvas estão retornando a áreas afetadas do Centro-Sudeste, em especial na Bahia e em Minas Gerais, mas “de maneira mais tranquila. Mas precisamos aguardar para ver se ocorre alguma mudança na atmosfera”.

Até o momento, a previsão para fevereiro é de chuvas dentro da normalidade, mas a ocorrência de temporais ainda não está descartada, devido às temperaturas elevadas.

“Porém, a gente tem a previsão de março voltar a intensificação das chuvas de novo. Podemos ter um final de fevereiro com chuvas intensas pegando Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás”, diz.

Fonte: CNN

Continuar lendo ONDA DE CALOR DO SUL TEM PREVISÃO DE SE DISSIPAR A PARTIR DE QUARTA-FEIRA (19)

TRAGÉDIA DE CAPITÓLIO COLOCA EM EVIDÊNCIA A FALTA DE REGULAMENTAÇÃO PARA VISITAÇÃO DE ATRAÇÕES NATURAIS

Por Natuza Nery

 

2018: natureza é principal atrativo de destinos-tendência no Brasil

A tragédia de Capitólio, em Minas Gerais, colocou em evidência a falta de regulamentação para a visitação de atrações naturais no Brasil – e, consequentemente, o risco que oferecem aos turistas. Depois da paralisação quase total no setor durante a pandemia, o turismo voltou a aquecer no país, principalmente a partir de setembro, informa Luiz Del Vigna, diretor-executivo da Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura. Em entrevista a Natuza Nery, ele fala sobre o crescimento da procura por contato com o ambiente natural – “para descomprimir as tensões da pandemia” – e alerta para o problema colateral: a segurança. Seu diagnóstico relaciona a falta de cuidado dos próprios viajantes, a situação de informalidade de muitos profissionais do setor e, principalmente, a falta de fiscalização sobre a legislação vigente. “Precisamos minimizar os riscos para a aventura ocorrer somente no campo do imaginário”. A geóloga Joana Paula Sanchez, professora da Universidade Federal de Goiás, chama atenção para a falta de estrutura das pequenas cidades, cuja população pode até dobrar de tamanho durante feriados ou férias escolares. “Não tem hotéis ou mesmo saneamento básico suficiente”. Ela também alerta os turistas sobre os maiores perigos e recomenda o que fazer para garantir uma viagem segura.

Continuar lendo TRAGÉDIA DE CAPITÓLIO COLOCA EM EVIDÊNCIA A FALTA DE REGULAMENTAÇÃO PARA VISITAÇÃO DE ATRAÇÕES NATURAIS

BALNEÁRIO CAMBORIÚ PERMANECE NA LISTA DE DESTINOS MAIS PROCURADOS ENTRE TURISTAS

 

Balneário Camboriú: a cidade que nunca sai de moda

Sucesso entre jovens e idosos, BC é procurada pela qualidade de vida que proporciona, pelo agito noturno e também suas belezas naturais

Daniela Caravaggi

do Viagem & Gastronomia

Praia Central de Balneário Camboriú, com o alargamento da faixa de areiaPraia Central de Balneário Camboriú, com o alargamento da faixa de areiaFoto: Divulgação PMBC

Balneário Camboriú, em Santa Catarina, permanece na lista de destinos mais procurados entre os turistas, seja em alta temporada ou mesmo para passar um fim de semana qualquer durante o ano.

Atemporal, a cidade agrada a todos os públicos, desde os mais jovens, que buscam badalação, até os aposentados, que encontram um local para viver em tranquilidade, com segurança e qualidade de vida. Andar pelas ruas é ouvir um pouco de vários sotaques – e idiomas! Os argentinos são fãs da cidade catarinense.

Mas Balneário também tem seus problemas. Com uma população de 149 mil habitantes, segundo o último levantamento do IBGE, durante os meses de dezembro e janeiro esse número pode chegar a 600 mil pessoas, o que ocasiona racionamento de água, energia e muito congestionamento.

No entanto, parece que nada faz a procura por BC diminuir. Na mais recente pesquisa do Booking.com, por exemplo, a cidade aparecia entre os cinco destinos brasileiros “tendência” para 2022, ao lado de Rio de Janeiro e Florianópolis, entre outros.

Em dezembro de 2021, a taxa de ocupação da rede hoteleira foi de 74,38%. Número menor se comparado aos anos pré-pandemia, mas ainda relevante, segundo Margot Rosenbrock Libório, presidente do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau.

Para ele, é preciso olhar para o turismo de Balneário não apenas na alta temporada, mas durante todo o ano. “Balneário sempre foi muito visitada. Aos fins de semana, a ocupação média dos hotéis é de 80%. Antes da pandemia, tínhamos um fluxo muito forte de turistas do Mercosul, mas nos últimos meses, vimos a predominância do turismo regional com visitantes dos três estados do sul e São Paulo, em sua grande maioria – principalmente pela proximidade e fácil acesso terrestre”, diz Libório, que relata também que, cada vez mais, visitantes do norte e nordeste estão procurando o destino.

Um dos pontos novos da cidade é a Roda Gigante, que foi inaugurada em 2020, inspirada na London Eye, de Londres / Foto: Divulgação PMBC

O engenheiro Rafael Teixeira, de São Paulo, mudou-se para Joinville há dois anos por motivos de trabalho e é um exemplo de quem frequenta Camboriú independentemente da temporada. A cidade fica a cerca de 100 km de distância e, antes da pandemia, ele se deslocava para lá quase todos os fins de semana.

“Como Joinville não tem praia, o pessoal foi me apresentando as opções da região. Balneário, na minha visão, é a que tem os melhores restaurantes e baladas de Santa Catarina. Comecei a ir com frequência e conheci muita gente bacana. Acho tudo na cidade legal: a arquitetura, a segurança, a população, além de uma excelente localização”, conta. 

A história

A característica turística de Balneário não é recente e se confunde com a história de sua fundação, diz o jornalista e historiador Nildo Teixeira.

“Balneário era apenas um aglomerado de pescadores que viviam aqui com suas atividades de subsistência. Para eles, a praia não tinha valor algum. Esse hábito de banho de mar e sol foi introduzido na primeira metade do século passado, como terapia medicinal para moradores de cidades vizinhas – em sua maioria imigrantes de origem alemã. Assim, com pessoas do Vale do Itajaí, do Alto do Vale Itajaí e do Planalto Central de Santa Catarina, Balneário foi sendo desenvolvida”, conta o historiador.

“Podemos dizer que o movimento que caminhou para o turismo começou já nos anos de 1920, quando o primeiro hotel na beira da praia foi construído, em 1928, e se desenvolveu com a chegada desses imigrantes vinte anos depois. O Strand Hotel, conhecido também como Hotel Jacob, teve um grande simbolismo para tudo mudar na praia de Camboriú: erguido no mesmo local onde foi construído o atual hotel Miramar, em 1934, simbolizou o início da formação social, econômica e posteriormente política da cidade”, completa.

Balneário, conhecida hoje pelo turismo e por ter alguns dos prédios mais altos do Brasil, desde o princípio teve uma tendência urbana e vertical. Ganhou um prédio de oito andares com elevador na década de 1960 e não parou mais.

Diz a história que uma rixa “velada” entre construtores da época deu início a uma verdadeira competição de quem faria o prédio mais alto. Verdade ou não, é inegável que BC cresceu “para cima” mais que o normal, e é chamada por muitos de “Dubai Brasileira”. O Yachthouse, um dos empreendimentos mais emblemáticos da cidade, é um exemplo perfeito: são duas torres gêmeas de 81 andares – e muitas celebridades entre os proprietários.

Um lugar para morar

Balneário, entretanto, vai muito além de um destino de férias. A cidade é um lugar ideal para viver, pelo menos para Alex Ferrer, jornalista e relações públicas, que conhece absolutamente tudo por lá. Ferrer mora há 12 anos em BC e faz questão de enfatizar que é melhor do que muitos lugares mundo afora. Ressalta que “nunca viu tanta coisa de cidade grande em uma cidade tão pequena”.

Quando chegou, em 2008, ele estranhou os poucos serviços que oferecia, mas viu a cidade se desenvolver rapidamente e enxergou um nicho de mercado que hoje domina: relacionamento de personalidades e famosos com marcas. Criou assim sua “lista vip” e contribuiu para que Balneário estivesse em manchetes e colunas sociais pelo País.

“Balneário é muito mais do que os prédios altos. É a cidade mais democrática que eu já vi. São pessoas de todas as classes sociais convivendo no mesmo ambiente sem descriminação: cada um curtindo do seu jeito. Uma cidade que tem programa para todos os gostos e bolsos, além de todas as suas belezas e riquezas naturais – está na zona Costa Verde & Mar, onde são encontradas as águas mais belas do litoral catarinense”, diz.

Ferrer também destaca um ponto importante para o acesso de visitantes: Balneário tem cinco aeroportos em um raio de 200 km (aproximadamente duas horas). O de Navegantes (30 minutos); Joinville e Florianópolis (1 hora); Curitiba (2 horas); além de um condomínio em Itapema (cidade vizinha), que também serve BC no segmento de aviões particulares.

A cidade se transformou em um “destino-desejo” de pessoas de todas as idades que procuram o clima pacato, misturado com boa estrutura para morar. Para o historiador Nildo Teixeira, a população é composta por aposentados – 12% tem mais de 60 anos, segundo o IBGE – e que mais da metade da população tem 39 anos ou mais.

A modelo Carol Trentini é outro exemplo de quem decidiu murar de ares e escolheu BC para morar com a família. Nascida em Panambi, no Rio Grande do Sul, ela frequentou grandes passarelas pelo mundo e, depois de 11 anos em Nova York, resolveu ter endereço fixo em BC em 2016.

Após morar 11 anos em Nova York, Carol Trentini e seu marido Fábio estabeleceram residência fixa em Balneário Camboriú com seus filhos / Foto: Arquivo Pessoal

“Sempre fui fã do litoral e meu marido é nascido em Itajaí, cidade bem próxima de Balneário. Em uma das vindas com as crianças, decidimos ficar e estabelecer nossa estrutura de vida aqui. BC é a ligação com a minha raiz, uma cidade menor, com uma relação mais próxima com os vizinhos e a natureza, o mesmo que tive na minha infância. Por outro lado, combina a estrutura de uma cidade grande, com bons restaurantes, escolas e qualidade de vida. Consigo cumprir meus compromissos profissionais em outras cidades pela excelente localização e ainda volto para dormir com o som do mar”, brinca.

E não é só Carol. Muitas famílias também escolheram BC para estabelecer endereço fixo – grande parte vinda do Rio Grande do Sul. Não há um número oficial, mas é evidente e consenso entre todos os moradores que a maioria da população de Balneário Camboriú não é nativa, mas está lá por opção.

O psicólogo Laércio Antônio Baggio e sua esposa Joamara Teresinha Domingues mudaram-se para a cidade em 1989. Ele, de Porto Alegre (RS), conheceu sua esposa em Erechim (RS), e após o término de sua graduação em Curitiba, definiram que Balneário seria a cidade para construírem suas vidas.

“Vi a evolução muito rápida da cidade e o boom da construção civil. Aqui não perde em nada para qualquer cidade grande em termos de opções de comércio e gastronomia. A qualidade de vida, com destaque para segurança, é um grande diferencial. Se tivesse que elencar um ponto negativo para melhorar seria a saúde. Hoje temos apenas três hospitais à disposição, sendo apenas um municipal”, ressalta Joamara.

Foi em Balneário também que o casal criou a filha Laura Domingues, que hoje tem 25 anos e é nutricionista. “Sou completamente apaixonada por BC. Para mudar e trocar a qualidade de vida que tenho, só com uma proposta muito boa. Aqui conseguimos fazer tudo a pé, de ponta a ponta. É uma cidade que atrai muito também o público jovem, seja pela vida noturna, pelas praias da região e para estudar”, ressalta Laura.

Os números e atrativos de BC

A cidade está cada vez mais valorizada. O alargamento da faixa de areia da praia central, aprovado em plebiscito em 2001, teve início e término em 2021 e trouxe resultados positivos rápidos. Segundo o prefeito Fabrício de Oliveira, os imóveis já valorizaram cerca de 30%.

Os números e relatos sobre a segurança da cidade também chamam atenção. Ouvidos pela a reportagem da CNN Viagem & Gastronomia, todos os entrevistados não hesitaram em falar que se sentem 100% seguros ao andar pelas ruas. De acordo com a prefeitura, Balneário Camboriú tem a maior guarda municipal de Santa Catarina, com 170 homens (mais ainda que a capital Florianópolis), que atuam em conjunto com as polícias militar e civil.

O PIB em 2021 foi de aproximadamente R$ 6 bilhões, destaque entre os dez maiores de Santa Catarina. E, segundo o prefeito, a cidade é a primeira do país a receber o Selo Lixo Fora D’Agua pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Publica e Resíduos Especiais (Abrelpe). Não à toa, BC ficou em primeiro lugar no ranking Smart Cities 2021 em Meio Ambiente do Brasil.

Problemas? Também

É claro que, apesar de todas as qualidades de Balneário, nem tudo é perfeito. Até 2006, era muito comum a falta de água e energia na cidade, principalmente na alta temporada, quando a ocupação é bem maior que o normal – em dias específicos, BC chegou a receber quase 1 milhão de pessoas.

Mas desde a municipalização do sistema de captação e distribuição de água e energia a situação melhorou. Fabrício de Oliveira afirma que, “há pelo menos oito anos”, Balneário “não sofre mais esse problema”.

Um outro ponto de atenção é a questão da mobilidade urbana, vista por muitos como algo de difícil solução. Os congestionamentos são constantes, tanto na alta, quanto na baixa temporada.

O que fazer?

10 programas imperdíveis em Balneário Camboriú, por Alex Ferrer

1 – Orla Central

O passeio na orla da praia central é o principal para quem visita BC. Ele pode ser feito de várias maneiras. A primeira é caminhando na areia, molhando os pés no mar. Pelo calçadão, você pode dar aquela paradinha para tomar uma água de coco ou caipirinha nos estabelecimentos espalhados pela praia. E há também a opção de fazer o trajeto de bicicleta. Caso não tenha uma: existem vários pontos de aluguel. Ou se não é adepto dos exercícios, não tem problema: faça de carro – mas não deixe de fazer!

2 – Roda Gigante

Inaugurada em 2020, a roda gigante FG Big Wheel é um dos destaques na Barra Norte de Balneário Camboriú. Com 36 cabines, é inspirada na London Eye, de Londres. Tem 65 metros de raio e 82 metros de altura (seis a menos que a Rio Star, a maior do país, no Rio de Janeiro). A Big Wheel, no entanto é a maior com estrutura estaiada da América Latina. Os ingressos podem ser adquiridos neste link.

Roda Gigante de Balenário foi inaugurada em 2020 e já se tornou um dos principais pontos turísticos da cidade / Foto: divulgação PMBC

3 – Parque Unipraias

Parque Unipraias é um complexo de atividades em BC para quem quer aventura e bela vista da cidade. O grande símbolo do local é um conjunto de 47 modernos bondinhos aéreos interligando três estações do lado sul da orla de Balneário Camboriú, subindo até o Morro da Aguada e descendo até a praia de Laranjeiras – sendo o único do mundo a ligar duas praias. Esses “teleféricos” são os mesmos usados nas estações de esqui da Suíça.

Há, também, belos mirantes para garantir sua foto da cidade, além de uma espécie de Montanha Russa – um trenó na montanha com percurso de 710 metros em meio à Mata Atlântica. Com equipamento de fabricação alemã, são 30 trenós com capacidade para duas pessoas.

4 – Morro do careca

Local imperdível para os praticantes de esportes radicais – como voo de parapente e asa-delta –, o Morro do Careca está aproximadamente 100 metros acima do nível do mar. A área de encosta fica no limite de Balneário Camboriú e Itajaí, e proporciona uma visão em 180° da praia central de BC, Praia Brava (em Itajaí) e da cidade. O acesso é pela Estrada da Rainha, na Praia dos Amores. Caso não seja adepto de grandes aventuras, não tem problema: vale a pena estar lá só pela linda vista.

Voos de parapente e asa-delta podem ser feitos do Morro do Careca / Foto: Divulgação PMBC

5 – Interpraias

Uma belíssima rodovia que dá acesso às 9 praias de BC. Apesar de o município de Balneário Camboriú ser bem pequeno, vale lembrar que seu litoral conta com nove praias. A seis abrangidas por Interpraias somam aproximadamente 13,5 km de extensão, com belas paisagens entre mar, Mata Atlântica enseadas e morros.

6 – Bairro da Barra

Contrastando com os arranha-céus de BC, está o Bairro da Barra, considerado o berço da cidade. Além do resgate histórico de como tudo começou, o local traz aquele ar bucólico de um bairro de pescadores. De cultura açoriana, oferece atividades como apresentações artísticas e feirinhas com gastronomia típica, incluindo a tradicional tainha na brasa. No bairro acontece ainda o” Arrancadão de Canoas Artesanais” e o arremesso de tarrafa.

No bairro, o principal ponto turístico é a igrejinha da Barra, edificada em 1810 em pedras brutas e argamassa à base de óleo de baleia. Suas telhas têm formato artesanal e foram transportadas por escravos. Em seu interior, a capelinha possui imagens de santos padroeiros doadas pela Família Real Portuguesa.

7 – Oceanic Aquarium

Oceanic Aquarium, em Balneário Camboriú, é um aquário que possui 25 recintos divididos entre água doce e salgada. Lá são encontradas mais de 130 espécies de todo o mundo. São 3.500 mil metros quadrados de área construída em torno de um milhão de litros de água. Além dos aquáticos, cobras, jacarés e um recinto dedicado à imersão de aves também são encontrados. Os ingressos podem ser adquiridos neste link. 

8 – Barco Pirata

Um passeio lúdico, que agrada principalmente as crianças, é o Barco Pirata. O passeio faz com que os “tripulantes” conheçam a orla da praia central de um ponto de vista diferente. À bordo, atores vestidos de “piratas maquiavélicos” fazem uma encenação enquanto a embarcação contorna a Ilha das Cabras em direção à praia de Laranjeiras. O embarque é feito na Barra Sul. Mais detalhes podem ser encontrados no site oficial da atração.

Barco Pirata é um dos passeios que faz sucesso entre as crianças / Foto: site oficial Prefeitura

9 – Letreiro Amo BC

Um turista de verdade faz questão de tirar fotos em lugares “instagramáveis” em suas viagens. Então, se você é desses, não pode deixar de visitar o letreiro da cidade. Ele está localizado na Avenida Principal: a Atlântica, na Barra Sul.

Letreiro da cidade é um dos pontos “instagramáveis” imperdíveis para os turistas / Foto: site oficial Prefeitura

10 – Cristo Luz

Balneário Camboriú também tem seu cristo. Localizado em um dos pontos mais altos da cidade, a 150 metros de altura, o monumento “Cristo Luz” possui 33 metros de altura, 22m de largura e pesa 528 toneladas. Ele atrai anualmente milhares turistas do Brasil e do mundo. Multicolorido, é uma atração diferenciada na parte da noite. De dezembro a março, as luzes se acendem diariamente a partir das 20h – e podem ser vistas por todos os visitantes que estiverem na área central de Balneário. Os ingressos podem ser adquiridos pelo site oficial da atração.

Cristo Luz é um dos pontos turísticos de Balneário Camboriú / Foto: site oficial PrefeituraFonte: CNNhttps://viagemegastronomia.cnnbrasil.com.br/viagem/balneario-camboriu-a-cidade-que-nunca-sai-de-moda/?_ga=2.222367451.1301866425.1642322860-163632901.1632646344

 

Continuar lendo BALNEÁRIO CAMBORIÚ PERMANECE NA LISTA DE DESTINOS MAIS PROCURADOS ENTRE TURISTAS

TÉCNICA DE ENFERMAGEM ACUSADA DE APLICAR VACINA DE ADULTO VENCIDA EM CRIANÇAS NA PARAÍBA SERÁ OUVIDA PELO MPF

MPF ouve funcionária acusada de aplicar vacina vencida e de adulto em crianças na Paraíba

Uso indevido das vacinas ocorreu em dezembro e em janeiro, em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) no município de Lucena, na Paraíba

Basília Rodrigues

da CNNem Brasília

Vacinas da Pfizer contra a Covid-19 para adultos (frasco roxo) e para crianças (frasco laranja)Vacinas da Pfizer contra a Covid-19 para adultos (frasco roxo) e para crianças (frasco laranja)Sandro Araújo/Agência Saúde DF

O Ministério Público Federal da Paraíba vai ouvir nesta semana a técnica de enfermagem acusada de aplicar vacinas vencidas de adultos em cerca de 40 crianças no município de Lucena, na Paraíba. O uso indevido das vacinas ocorreu em dezembro e em janeiro, em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) da cidade, antes da chegada das doses infantis corretas ao Brasil.

À CNN, o secretário estadual de Saúde, Geraldo Medeiro, informou, neste sábado (15), que crianças entre 4 e 9 anos receberam a vacina para adultos. Elas apresentaram eventos adversos leves como febre e dor no local da aplicação. Mas passam bem, de acordo com o secretário.

A funcionária foi afastada até que as investigações esclareçam se ela se equivocou ou agiu intencionalmente.

De acordo com o secretário, “a técnica em enfermagem errou porque aplicou a vacina em um período extemporâneo. Foi em dezembro e a vacinação de crianças com as doses certas só começou mesmo neste sábado. Além disso, as vacinas que ela usou estavam vencidas. A funcionária foi afastada porque adotou essa conduta por conta própria”, afirmou à CNN.

Como as vacinas ficavam acondicionadas na temperatura correta, de acordo com o governo local, a funcionária pode ter se confundido com a contagem do início da data de vencimento. O Ministério Público notificou a técnica em enfermagem, a coordenadora municipal de Vigilância Sanitária e o secretário municipal de Saúde.

Em nota, a prefeitura de Lucena confirmou o erro e disse que “uma auxiliar aplicou indevidamente e sem autorização vacinas” e que “está pondo à disposição das famílias acompanhamento médico e monitorando as crianças”.

CNN tentou contato com o prefeito da cidade, Léo Bandeira, e ainda não obteve retorno. A reportagem também não conseguiu falar com a funcionária.

Continuar lendo TÉCNICA DE ENFERMAGEM ACUSADA DE APLICAR VACINA DE ADULTO VENCIDA EM CRIANÇAS NA PARAÍBA SERÁ OUVIDA PELO MPF

HÁ UM ANO CRISE DO OXIGÊNIO NO AMAZONAS CAUSAVA PERPLEXIDADE EM TODO MUNDO E SEGUE TOTALMENTE IMPUNE

Por Ayrton Senna Gazel e Victor Cruz, g1 AM

 

Parentes de pacientes internados em Manaus fazem fila para compra de oxigênio no dia 18 de janeiro. — Foto: Bruno Kelly/ReutersParentes de pacientes internados em Manaus fazem fila para compra de oxigênio no dia 18 de janeiro. — Foto: Bruno Kelly/Reuters

Há exato um ano, a crise do oxigênio no Amazonas causava perplexidade em todo o mundo e marcava um dos momentos mais tristes da pandemia no Brasil. No dia 14 de janeiro de 2021, o caos se instalou no sistema de saúde de Manaus, quando faltou oxigênio nos hospitais.

Na época, o estado registrava recorde de internados com Covid, e as unidades ficaram superlotadas. O Amazonas foi o primeiro estado do país a sofrer com os impactos da segunda onda da Covid.

Investigações do Ministério Público e da Defensoria Pública apontam que mais de 60 pessoas morreram em todo o estado por conta da falta de oxigênio. Mais de 500 pacientes foram transferidos às pressas para hospitais em outros estados.

Até hoje, ninguém foi responsabilizado pela crise do oxigênio. Autoridades públicas e empresas privadas são alvos de ações do MP-AM, MPF e da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, instalada no Senado.

O número de vidas perdidas, desde o começo da pandemia, passa de 13,8 mil.

Atualmente, o Amazonas enfrenta uma nova explosão de casos de Covid-19, causada, sobretudo, pela variante ômicron. Na terça e quarta (11 e 12), foram registrados mais mil novos casos de Covid.

Apesar do aumento de casos, a situação é menos grave do que no ano passado graças ao avanço da vacinação no estado: 41,5% estão com o esquema vacinal completo, e 65,21% tomaram a primeira dose.

Mas o crescimento de novos casos trouxe o medo de uma nova crise reativa as restrições. Eventos com mais de 200 pessoas foram cancelados, além de blocos carnavalescos e até cruzeiros.

Esta reportagem mostra fatos que antecederam e sucederam a crise do oxigênio no Amazonas. Você vai entender:

Os sinais da crise que estava por vir

Em dezembro de 2020, o Amazonas voltou a observar aumento de novos casos de Covid. Com o consequente aumento de internações e mortes, o governo estadual determinou o fechamento total do comércio no dia 26 de dezembro.

A medida causou revolta nos comerciantes e manifestações por toda a capital. Sob pressão, o governo flexibilizou a abertura do comércio no fim do ano, mas a Justiça determinou o retorno das medidas restritivas no começo de janeiro.

Em meio a esse cenário, foi identificada no Amazonas a variante P.1, hoje conhecida como Gama, que se mostrou mais letal e mais transmissível.

Rapidamente, o sistema de saúde, tanto na rede pública quanto privada, ficou sobrecarregado. O número de internados com Covid só aumentava, e, também, a demanda por oxigênio.

O caos dos dias 14 e 15 de janeiro

Nas primeiras horas do dia 14 de janeiro, profissionais de saúde e familiares de pacientes saíam de dentro dos hospitais em desespero, relatando que havia acabado o oxigênio dos hospitais. Foram dois dias sem oxigênio, ou quase nada, nos hospitais.

A situação foi constatada nos principais hospitais de Manaus, como Hospital 28 de Agosto, Hospital Universitário Getúlio Vargas, Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado, e Serviços de Pronto-Atendimento (SPA) pela cidade.

Em meio à falta do insumo, pacientes morriam asfixiados nas unidades. A urgência por oxigênio era tão grande que pessoas passaram a comprar o insumo por contra própria, e levavam às pressas para os hospitais, na esperança de salvar seus familiares internados.

 A capacidade de produção das empresas fornecedoras era de 28,2 mil metros cúbicos, na época.

A corrida por oxigênio provocou filas gigantescas na frente nas empresas fornecedoras, porém, faltou o insumo até para vender. As empresas tinham que dar prioridade ao fornecimento a hospitais.

Parentes de pacientes hospitalizados se reúnem para comprar oxigênio e encher botijões em empresa privada em Manau — Foto:

Como os hospitais estavam lotados, muitos pacientes permaneceram internados em casa, sobrevivendo com cilindros de oxigênio. Nos hospitais particulares, também faltava o insumo. E, nos dias seguintes, a crise do oxigênio se estendeu para municípios do interior.

De acordo com documentos obtidos pelo Ministério Público, a falta de oxigênio causou a morte de pelo menos 31 pessoas apenas em Manaus nos dias 14 e 15 de janeiro.

Conforme levantamento da Defensoria Pública do Amazonas, cerca de 30 pacientes também perderam a vida por conta da escassez do insumo no interior do Amazonas.

Com o sistema de saúde sem oxigênio e superlotado, 542 pacientes foram transferidos em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para hospitais de 16 estados.

A operação iniciou em 15 de janeiro e seguiu até 10 de fevereiro. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), 444 pacientes retornaram com vida ao Amazonas.

O pico da segunda onda da Covid foi registrado entre meados de janeiro e início de fevereiro de 2021. Os números de infectados, internados e mortos pela doença só perderam força a partir do final de março.

Mais 11 pacientes do Amazonas foram transferidos para outros estados por conta de falta de oxigênio em Manaus. — Foto: Arthur Castro/Divulgação/Governo do AM

A omissão das autoridades diante da crise

Três dias antes da crise eclodir, em 11 de janeiro, a White Martins, empresa responsável pelo fornecimento de oxigênio ao Governo do Amazonas, informou que a demanda estava seis vezes acima do que vinha sendo registrado ao longo da pandemia.

Ao g1, a White Martins afirmou que possuía capacidade para produzir um volume de oxigênio três vezes maior do que o contratado pelo governo, mas a demanda já superava a sua capacidade.

Na ocasião, o governador do Amazonas, Wilson Lima, já descrevia a situação como dramática, por conta da demanda crescente do estado.

 Naquela época, a pasta se dedicava propagar o uso de medicamentos ineficazes no combate à doença, como a hidroxicloroquina.

Durante o período, documentos enviados do Ministério da Saúde a Manaus sugeriam a criação de tendas para indicar remédios sem eficácia comprovada contra a Covid.

A CPI da Covid, instalada no Senado, também mostrou que uma carta foi enviada pela White Martins ao governo do Amazonas no dia 16 de julho de 2020, indicando que o estoque de oxigênio fornecido pela empresa ao estado não suportaria um colapso na saúde pública, justamente o que aconteceria em janeiro de 2021.

Após seis meses de trabalho, a CPI aprovou o relatório final, que atribuiu nove crimes ao presidente Jair Bolsonaro e pediu 80 indiciamentos por crimes na pandemia.

Apesar da Justiça ainda não ter responsabilizado ninguém pelo trágico episódio, ações em diferentes órgãos tentam responsabilizar os culpados. Há processos em andamento na Procuradoria-Geral da República, Ministério Público Federal, Ministério Público do Amazonas, Defensoria Pública, entre outros.

Representantes da CPI da Covid vão a Manaus entregar relatório ao Ministério Público

O consumo atual de oxigênio no estado

De acordo com a White Martins, o consumo atual de oxigênio nas unidades de saúde atendidas pela empresa no Amazonas é de 11,4 mil metros cúbicos diários, o que representa um sexto da demanda na época.

Durante a crise, foram instaladas 41 miniusinas geradoras do gás oxigênio, sendo 11 na capital, e 30 distribuídas em outros 26 municípios do interior, que seguem em funcionamento, segundo a SES.

Somados as produções das miniusinas e das empresas que possuem contrato com o governo, a capacidade de produção de oxigênio medicinal no Amazonas gira em torno de de 60 mil metros cúbicos por dia, conforme a SES.

As incertezas provocadas pela ômicron

Agora o Amazonas está diante de uma nova explosão de casos de Covid-19 causada pela variante ômicron.

As medidas de restrição foram reforçadas. Festas e blocos de rua no Carnaval de Manaus já foram suspensas, assim como a Temporada de Cruzeiros. Os eventos com venda de ingresso estão proibidos por tempo indeterminado, e os eventos privados devem ter limite máximo de 200 pessoas.

Mesmo não sendo tão letal como as outras cepas, a variante causa preocupação, e especialmente em um contexto de alta de outras síndromes respiratórias, como a Infueza H2N3, que sobrecarregam os hospitais da capital.

Apesar da preocupação, o governo Wilson Lima afirma que o estado conta, atualmente, com uma estrutura muito mais robusta e preparada para um eventual terceiro pico, como visto no ano passado.

“Hoje temos 350 leitos funcionando só no Hospital Delphina Aziz, eram apenas 130 no passado. Também temos 11 leitos de UTI em Parintins, o que não contávamos no passado, além de usinas de oxigênio, que agora temos 39. Portanto, estamos muito mais preparados para enfrentar uma situação como nós vimos no ano passado, o que eu acredito que não vai se repetir”, disse Wilson Lima em entrevista à Rede Amazônica.

Segundo o governador, o consumo de oxigênio também é monitorado em tempo real pelas equipes de enfrentamento à Covid-19.

Continuar lendo HÁ UM ANO CRISE DO OXIGÊNIO NO AMAZONAS CAUSAVA PERPLEXIDADE EM TODO MUNDO E SEGUE TOTALMENTE IMPUNE

PRIMEIRA VACINA CONTRA COVID-19 PARA CRIANÇA NO BRASIL FOI APLICADA EM GAROTO INDÍGENA DE 8 ANOS

Criança indígena é primeira a ser vacinada no Brasil contra a Covid-19

Imunizante da Pfizer, único liberado para crianças, foi aplicado em solenidade em hospital de São Paulo

Anna Gabriela Costada CNN

em São Paulo

 

A primeira vacina contra a Covid-19 em uma criança foi aplicada nesta sexta-feira (14), no Hospital das Clínicas de São Paulo (HCFMUSP). Davi Seremramiwe, de 8 anos, foi a primeira criança a ser vacinada no país. O garoto indígena é natural de Mato Grosso, mas vem a São Paulo com frequência para realizar tratamento de saúde.

O imunizante da Pfizer recebeu autorização da Agência Nacional de Vigilância de Saúde (Anvisa), em 16 de dezembro, para ser aplicado em crianças de 5 a 11 anos no Brasil. Até o momento, a vacina da farmacêutica norte-americana é a única liberada pela autoridade sanitária para ser aplicada nesta faixa etária.

Em solenidade simbólica, com a presença de profissionais da saúde  e o governador de São Paulo, João Doria, mais crianças com comorbidades foram vacinadas contra a Covid-19. A vacinação no estado – para o público de 5 a 11 anos – terá início na segunda-feira (17), onde serão priorizadas as crianças indígenas, quilombolas e com comorbidades.

Davi, o primeiro garoto a ser vacinado contra a Covid-19, nasceu em uma tribo Xavante no estado do Mato Grosso, ele tem uma condição de saúde que afeta as pernas e o faz a andar com ajuda de uma órtese.

Por nove meses, ele e o pai, o cacique Jurandir Siridiwe, fizeram viagens periódicas à capital paulista para que Davi fosse tratado no Instituto da Criança do Hospital das Clínicas. Atualmente, Davi mora com uma tutora na cidade de Piracicaba (SP). Ela o acompanha nas consultas rotineiras que garoto faz no HC com médicos das áreas de reabilitação e neurologia.

A primeira remessa de doses da vacina infantil da Pfizer contra a Covid-19 chegou ao Brasil na madrugada desta quinta-feira (13). No lote, vieram 1,2 milhão de vacinas destinadas ao governo brasileiro para distribuição aos estados e municípios, seguindo o critério populacional.

Ao todo, o Brasil deve receber 4,3 milhões de doses em janeiro. Para fevereiro, a expectativa é que a Pfizer entregue mais 7,2 milhões de doses e, em março, mais 8,4 milhões de imunizantes. O esquema vacinal para crianças é composto por duas doses com intervalo de oito semanas.

No estado de São Paulo a expectativa é de vacinar 4,3 milhões de crianças no período de três semanas.

Na quinta-feira (13), o governo paulista afirmou que os pais já podem incluir as crianças de 5 a 11 anos no pré cadastro para vacinação contra a Covid-19.

Segundo o governo, o pré-cadastro é opcional e não é um agendamento, mas agiliza o atendimento nos locais de imunização, evitando filas e aglomerações. Para cadastrar os filhos, os pais ou responsáveis devem acessar o link, clicar no botão “Crianças até 11 anos” e preencher o formulário online.

A página recebeu 303 mil acessos apenas no primeiro dia em que o pré-cadastro foi disponibilizado, número que supera a média de procura no último mês em 1.039%. Em dezembro, a média foi de 26.613 acessos diariamente.

Distribuição de vacinas infantis

Confira o percentual da população de 5 a 11 anos por estado:

Região Centro-Oeste (8,17%)

  • Distrito Federal – 1,30%
  • Goiás – 3,55%
  • Mato Grosso do Sul – 1,47%
  • Mato Grosso – 1,85%

Região Sudeste (39,18%)

  • Espírito Santo – 1,93%
  • Minas Gerais – 9,02%
  • Rio de Janeiro – 7,49%
  • São Paulo – 20,73%

Região Sul (13,17%)

  • Paraná – 5,25%
  • Rio Grande do Sul – 4,73%
  • Santa Catarina – 3,19%

Região Nordeste (28,43%)

  • Alagoas – 1,77%
  • Bahia – 7,07%
  • Ceará – 4,42%
  • Maranhão – 4,02%
  • Paraíba – 1,89%
  • Pernambuco – 4,80%
  • Piauí – 1,62%
  • Rio Grande do Norte – 1,67%
  • Sergipe – 1,17%

Região Norte (11,05%)

  • Acre – 0,57%
  • Amazonas – 2,77%
  • Amapá – 0,55%
  • Pará – 4,99%
  • Rondônia – 0,93%
  • Roraima – 0,38%
  • Tocantins – 0,86%
Continuar lendo PRIMEIRA VACINA CONTRA COVID-19 PARA CRIANÇA NO BRASIL FOI APLICADA EM GAROTO INDÍGENA DE 8 ANOS

INVESTIGAÇÕES DA PF APONTAM ATUAÇÃO ORQUESTRADA DE DIFERENTES GRUPOS SOBRE AMEAÇAS À ANVISA

PF identifica atuação orquestrada de grupos diferentes em ameaças à Anvisa

Cúpula da agência recebeu mais de 150 e-mails depois de ter aprovado o uso da vacina contra a Covid-19 em crianças

Thais Arbex

Fachada da sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)Fachada da sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

As investigações da Polícia Federal (PF) sobre as mais recentes ameaças de morte a diretores e servidores da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) apontam a atuação orquestrada de grupos diferentes. A cúpula da agência reguladora recebeu mais de 150 e-mails depois de ter aprovado o uso da vacina contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos.

A apuração da PF do Distrito Federal, sob o comando do superintendente Victor Cesar Carvalho dos Santos, já identificou que os ataques, feitos em dias e tempos diferentes, têm várias frentes —diferentemente do que aconteceu no primeiro caso, quando os investigadores concluíram que o crime foi cometido por um homem do Paraná que se posiciona contra vacinação de crianças contra a Covid-19.

Nesse caso, a Polícia Federal concluiu que houve crime de ameaça em e-mails enviados a diretores da Anvisa, e a Procuradoria da República no Distrito Federal denunciou o homem à 15ª Vara Federal de Brasília.

As ameaças a integrantes da agência se sucedem desde novembro, mas se intensificaram após a entidade autorizar, em 16 de dezembro, o uso de doses pediátricas da vacina da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos.

Continuar lendo INVESTIGAÇÕES DA PF APONTAM ATUAÇÃO ORQUESTRADA DE DIFERENTES GRUPOS SOBRE AMEAÇAS À ANVISA

INMET PREVER PORTO ALEGRE COMO A CAPITAL MAIS QUENTE DO BRASIL NO FIM DE SEMANA

Por g1 RS

 

Porto Alegre pode ser a capital mais quente do Brasil nesta sexta (14) — Foto: Alex Rocha/PMPAPorto Alegre pode ser a capital mais quente do Brasil nesta sexta (14) — Foto: Alex Rocha/PMPA

As altas temperaturas que castigaram a Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul esta semana devem chegar à Capital nesta sexta-feira (14). A previsão, com isso, é que Porto Alegre seja a capital mais quente do Brasil no fim desta semana.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura nos termômetros pode chegar a 37°C. “Se este valor for alcançado, a capital gaúcha vai igualar o recorde de calor para 2022, que é de 37°C, em 2/1/2022”, diz a metorologista Josélia Pegorim, da ClimaTempo.

A baixa umidade, de 20% no período mais crítico, fez com que a Defesa Civil emitisse alertas orientando sobre a ingestão de água e que seja evitada a exposição ao sol entre 10h e 16h, especialmente de crianças e idosos.

E não apenas na sexta. Até a segunda (17), é possível que a capital gaúcha alcance os 39ºC, embora as nuvens com pancadas de chuva ajudem a amainar a sensação de abafamento.

Há condição para pancadas de chuva apenas no norte gaúcho, mas de forma muito fraca e pontual. Com a atuação de um bloqueio atmosférico, as frentes frias não conseguem avançar da Argentina para o RS.

A previsão indica que sejam mesmo dias de muito sol e com calor intenso. As maiores temperaturas seguem sendo na Fronteira Oeste.

Em Santana do Livramento, por exemplo, é possível atingir 41ºC, e em Bagé, 40ºC.

Ao longo da semana, os termômetros chegaram a marcar 44ºC, em São Borja, na quarta-feira (12), e 41,1ºC, Uruguaiana, na quarta (13).

Veja a previsão do tempo segundo o ClimaTempo:

  • Capital: Tempo aberto e com poucas nuvens. Mínima de 22°C e máxima de 37°C
  • Pelotas: Tempo aberto e com poucas nuvens. Mínima de 19°C e máxima de 35°C
  • Caxias do Sul: Pancadas de chuva e trovoadas. Mínima de 18°C e máxima de 34°C
  • Santa Maria: Tempo aberto e com poucas nuvens. Mínima de 22°C e máxima de 39°C
  • Santa Rosa: Pancadas de chuva e trovoadas. Mínima de 24°C e máxima de 37°C
  • Erechim: Pancadas de chuva e trovoadas. Mínima de 19°C e máxima de 31°C
  • Uruguaiana: Tempo aberto e com poucas nuvens. Mínima de 25°C e máxima de 40°C
  • Torres: Tempo aberto e com poucas nuvens. Mínima de 22°C e máxima de 30°C
  • Rio Grande: Tempo aberto e com poucas nuvens. Mínima de 22°C e máxima de 34°C
  • Mostardas: Tempo aberto e com poucas nuvens. Mínima de 24°C e máxima de 36°C
  • Passo Fundo: Pancadas de chuva e trovoadas. Mínima de 20°C e máxima de 32°C
  • Bagé: Tempo aberto e com poucas nuvens. Mínima de 21°C e máxima de 38°C
  • Tramandaí: Tempo aberto e com poucas nuvens. Mínima de 22°C e máxima de 31°C
  • Xangri-Lá: Tempo aberto e com poucas nuvens. Mínima de 22°C e máxima de 30°C
  • Capão da Canoa: Tempo aberto e com poucas nuvens. Mínima de 22°C e máxima de 32°C
  • São Borja: Pancadas de chuva e trovoadas. Mínima de 23°C e máxima de 37°C

Fonte: G1

Continuar lendo INMET PREVER PORTO ALEGRE COMO A CAPITAL MAIS QUENTE DO BRASIL NO FIM DE SEMANA

MINISTÉRIO DA SAÚDE INFORMOU QUE AS PRIMEIRAS DOSES DA VACINA CONTRA COVID-19 CHEGARÃO AOS ESTADOS SEXTA-FEIRA (14)

Por g1 — São Paulo

 

Primeiro lote de vacina pediátrica contra Covid chega ao Brasil
Primeiro lote de vacina pediátrica contra Covid chega ao Brasil

As primeiras doses da vacina da Pfizer destinada a crianças de 5 a 11 anos chegarão aos estados na sexta-feira (14), informou o Ministério da Saúde. Caberá aos estados e municípios definir o cronograma de aplicação.

O voo com o primeiro lote de vacinas chegou ao aeroporto de Viracopos, em Campinas, na madrugada desta quinta (13). Com exceção de São Paulo, em que o transporte será via terrestre, todos os demais estados do país, mais o Distrito Federal, receberão as doses por avião.

A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, em 16 de dezembro, a vacinação de crianças de 5 a 11 anos.

Em 5 de dezembro, o governo federal divulgou as regras para a vacinação: ela ocorrerá em ordem decrescente de idade (das crianças mais velhas para as mais novas), com prioridade para quem tem comorbidade ou deficiência permanente e para crianças quilombolas e indígenas; sem necessidade de autorização por escrito, desde que pai, mãe ou responsável acompanhe a criança no momento da vacinação; com intervalo de oito semanas – um prazo maior que o previsto na bula, de três semanas.

Veja a previsão de chegada das doses aos estados:

  • Acre: 23h50 desta quinta (13)
  • Alagoas: 10h30 de sexta (14)
  • Amapá: 13h10 de sexta (14)
  • Amazonas: 2h40 de sexta (14)
  • Bahia: 1h20 de sexta (14)
  • Ceará: 3h de sexta (14)
  • Distrito Federal: 0h05 de sexta (14)
  • Espírito Santo: 0h05 de sexta (14)
  • Goiás: 1h30 de sexta (14)
  • Maranhão: 11h35 de sexta (14)
  • Mato Grosso: 8h30 de sexta (14)
  • Mato Grosso do Sul: 7h35 de sexta (14)
  • Minas Gerais: 8h15 de sexta (14)
  • Pará: 1h55 de sexta (14)
  • Paraíba: 11h35 de sexta (14)
  • Paraná: 7h50 de sexta (14)
  • Pernambuco: 1h20 de sexta (14)
  • Piauí: 16h40 de sexta (14)
  • Rio de Janeiro: 0h45 de sexta (14)
  • Rio Grande do Norte: 2h de sexta (14)
  • Rio Grande do Sul: 0h45 de sexta (14)
  • Rondônia: 10h45 de sexta (14)
  • Roraima: 12h35 de sexta (14)
  • Santa Catarina: 8h25 de sexta (14)
  • São Paulo: doses serão entregues até sexta (14) por via terrestre
  • Sergipe: 14h40 de sexta (14)
  • Tocantins: 10h30 de sexta (14)

Fonte: G1

Continuar lendo MINISTÉRIO DA SAÚDE INFORMOU QUE AS PRIMEIRAS DOSES DA VACINA CONTRA COVID-19 CHEGARÃO AOS ESTADOS SEXTA-FEIRA (14)

SUSPENSÃO DA TEMPORADA DE CRUZEIROS NO BRASIL É RECOMENDADA PELA ANVISA

Por g1 Santos

 

Anvisa recomenda suspensão definitiva da temporada de cruzeiros no Brasil — Foto: Reprodução/ TV GloboAnvisa recomenda suspensão definitiva da temporada de cruzeiros no Brasil — Foto: Reprodução/ TV Globo

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou ao Ministério da Saúde e à Casa Civil da Presidência da República, na tarde desta quarta-feira (12), a suspensão definitiva da temporada de cruzeiros no Brasil, como ação necessária à proteção da saúde da população.

Três navios seguem fundeados no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, após a confirmação de casos de Covid-19 a bordo e a suspensão da temporada, até então com previsão de retomada em 21 de janeiro.

Segundo a agência reguladora, o documento encaminhado ao Ministério da Saúde e à Casa Civil foi concluído nesta terça-feira (11), e contém a apresentação do cenário epidemiológico de Covid-19 nas embarcações de cruzeiro que operam a temporada 2021-2022, incluindo as intercorrências, por embarcação, desde o início de suas operações em território nacional.

Anvisa explica que os protocolos que definiu para a operação dos navios de cruzeiro no Brasil trouxeram dispositivos que permitiram acompanhar o cenário epidemiológico nas embarcações durante quase dois meses, e foram fundamentais para se identificar rapidamente a alteração no número de casos a bordo na penúltima semana epidemiológica de 2021.

Com isso, em 31 de dezembro de 2021, devido ao aumento exponencial de casos, especialmente entre tripulantes, a Anvisa recomendou a suspensão temporária dos cruzeiros, preventivamente, até que houvesse mais dados disponíveis para a avaliação do cenário epidemiológico.

Desde a recomendação de suspensão temporária, a Anvisa vem avaliando a evolução do cenário epidemiológico do SARS-CoV-2 a bordo dos navios, e também no Brasil e no mundo. Assim, observou que o cenário tem se tornado ainda mais desafiador, tendo em vista, principalmente, o aumento acelerado do número de casos nas embarcações e no Brasil.

Portanto, a agência entende que o cenário atual é desfavorável à continuidade das operações dos navios de cruzeiro. Nesse sentido, com fundamento no princípio da precaução, e a partir de todos os dados disponíveis, recomendou a suspensão definitiva da temporada de cruzeiros marítimos no Brasil, como ação necessária à proteção da saúde da população.

Cenário epidemiológico

De acordo com o protocolo sanitário estabelecido pela Anvisa para embarque, desembarque e transporte de viajantes em embarcações de cruzeiro marítimo, o navio deve ter um programa de monitoramento constante da situação de saúde dos viajantes a bordo, incluindo a realização de testagem de passageiros e tripulantes durante a operação.

O protocolo permitiu a verificação de um aumento acelerado dos casos de Covid-19 a bordo das embarcações em operação na costa brasileira, provavelmente decorrente do surgimento da variante ômicron.

Segundo a Anvisa, os dados demonstram que, das cinco embarcações em operação no Brasil, três estão classificadas no nível 4, sinalizando alerta quanto à disseminação do vírus e eventual mudança de contexto epidemiológico.

De acordo com a agência, até o último dia 6, foi reportado um total de 1.177 casos positivos de Covid-19 entre tripulantes e passageiros. Os dados apontam a detecção de 31 casos de Covid-19 nos 55 dias iniciais da temporada (de 1º/11 a 25/12), com uma explosão acentuada a partir do dia 26 de dezembro, tendo sido registrados 1.146 casos em apenas 12 dias (de 26/12 a 06/01), o que representa um aumento de 37 vezes nesse período.

“De acordo com a Portaria GM/MS 2.928, de 2021, a autorização da operação de navios de cruzeiro poderá ser revista a qualquer momento, em função dos desdobramentos do contexto epidemiológico dos navios de cruzeiro ou de alterações do cenário epidemiológico nacional e internacional”, destaca a Anvisa.

Continuar lendo SUSPENSÃO DA TEMPORADA DE CRUZEIROS NO BRASIL É RECOMENDADA PELA ANVISA

ONDA DE CALOR FARÁ RIO GRANDE DO SUL ASSISTIR OS TERMÔMETROS MARCANDO TEMPERATURAS ACIMA DOS 40ºC

Forte onda de calor atinge Sul do Brasil, Argentina e Uruguai nesta semana

Período de seca colabora com aumento das temperaturas sul-americanas; termômetros devem ficar acima da casa dos 40ºC

Elis Franco

Leonardo Lopes

da CNNem São Paulo

 

Uma onda de calor intensa atinge a região central da América do Sul nesta semana em meio a um período de estiagem. Principais afetados, a ArgentinaUruguai e o estado brasileiro do Rio Grande do Sul devem assistir os termômetros marcando temperaturas acima da casa dos 40ºC.

De acordo com a MetSul Meteorologia, as temperaturas mais altas no Rio Grande do Sul devem ser registradas na região Oeste do estado. A área da cidade de Uruguaiana pode ver uma escalada de calor com máximas de 41ºC e 42ºC nos próximos dias.

“Em Porto Alegre e região, o calor será maior no final da semana e no próximo fim de semana com marcas ao redor ou acima dos 40ºC”, aponta a MetSul.

São esperadas temperaturas recordes para a década nos territórios uruguaio e argentino. A expectativa é de que os locais mais quentes da Argentina registrem entre 45ºC e 47ºC. Os termômetros uruguaios devem ficar entre 41ºC e 43ºC.

“Será um evento de calor incomum com temperatura muitíssimo acima da climatologia normal de janeiro com máximas até 10ºC a 15ºC acima das médias históricas”, explica a plataforma sobre meteorologia.

Calor durante a seca

O evento pode ser classificado como “extremo climático composto”. “O Centro da América do Sul terá uma poderosa onda de calor (extremo) em meio ao um quadro de estiagem forte a severa (outro extremo) que pode levar a incêndios (extremo consequente)”, afirma a MetSul.

O calor deve agravar as perdas da agricultura provocadas pela seca, aumentar o risco de incêndio na vegetação e potencialmente provocar falta de água em alguns municípios.

A MetSul indica que na Argentina, por exemplo, pode haver crise de abastecimento energético com cortes de luz na capital Buenos Aires pela alta demanda.

Fonte: CNN

Continuar lendo ONDA DE CALOR FARÁ RIO GRANDE DO SUL ASSISTIR OS TERMÔMETROS MARCANDO TEMPERATURAS ACIMA DOS 40ºC

APÓS VETO GOVERNO PREVÊ RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS PARA MEI E SIMPLES NACIONAL

Por Jéssica Sant’Ana, g1 — Brasília

 

Após vetar projeto, governo prevê renegociação de dívidas para MEI e Simples Nacional
Após vetar projeto, governo prevê renegociação de dívidas para MEI e Simples Nacional

Quatro dias após ter vetado integralmente o projeto que previa a criação de um programa de renegociação de dívidas para pequenos negócios, o governo editou nesta terça-feira (11) medidas para regularizar dívidas de microempreendedores individuais (MEIs) e de pequenas empresas optantes do Simples Nacional (veja mais no vídeo acima). As duas medidas foram publicadas em edição extraordinária do “Diário Oficial da União”.

O Simples Nacional é o regime simplificado de tributação destinado a microempresas e empresas de pequeno porte. No caso das microempresas, o limite de faturamento anual é de até R$ 360 mil. Para as empresas de pequeno porte, o valor é R$ 4,8 milhões.

Ao todo, 1,8 milhão de empresas estão inscritas na dívida ativa da União por débitos do Simples Nacional, das quais 160 mil são MEIs. O valor total dos débitos do Simples Nacional inscritos na dívida ativa da União é de R$ 137,2 bilhões.

‘Empresas pequenas estão muito endividadas e precisam de uma solução’, afirma Ana Flor

Presidente Bolsonaro veta projeto de lei que previa a renegociação de dívidas de microempreendores individuais, micro e pequenos empresários

Programa de Regularização

Uma das medidas editadas nesta terça é o Programa de Regularização do Simples Nacional. O programa permite que MEIs, microempresas e empresas de pequeno porte optantes do Simples Nacional afetados pela pandemia regularizem as dívidas com entrada de 1% do valor total do débito, dividido em até oito meses.

O restante do débito pode ser parcelado em até 137 meses, com desconto de até 100% de juros, das multas e dos encargos legais. Esse desconto deve observar o limite de 70% do valor total do débito, segundo a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

Ainda de acordo com a PGFN, os descontos serão calculados a partir da capacidade de pagamento de cada empresa. A parcela mínima é de R$100,00 para micro e pequenas empresas ou de R$ 25,00 no caso dos microempreendedores individuais.

Alternativa

O governo também lançou uma alternativa ao Programa de Regularização do Simples Nacional. O empresário vai poder aderir ao edital da “Transação do Contencioso de Pequeno Valor do Simples Nacional”.

O edital de renegociação vale para as dívidas inscritas até 31 de dezembro e o valor da dívida, por inscrição, deve ser menor ou igual a R$ 72.720,00 ou 60 salários mínimos.

O empresário pode escolher entre as opções disponíveis de pagamento da dívida, com parcelamento e desconto. A entrada é sempre de 1%, mas nesse caso a ser paga em três parcelas.

O restante pode ser parcelado em 9, 27, 47 ou 57 meses com descontos de 50%, 45%, 40% e 35%, respectivamente. A parcela mínima é de R$100,00 para micro ou pequenas empresas ou de R$ 25,00 no caso dos microempreendedores individuais.

A adesão ao edital da “Transação do Contencioso de Pequeno Valor do Simples Nacional” não depende de análise da capacidade de pagamento do contribuinte.

Segundo o governo, a adesão ao “Programa de Regularização do Simples Nacional” e ao edital de “Transação do Contencioso de Pequeno Valor do Simples Nacional” é feita on-line, no portal Regularize.

Veto

Segundo o relator do texto na Câmara, deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP), essas empresas poderiam renegociar uma dívida de R$ 50 bilhões.

O presidente disse que vetou o projeto por falta de medida de compensação, o que feriria a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), e porque a legislação eleitoral proíbe a concessão de benefícios em ano eleitoral.

Diante da repercussão negativa, Bolsonaro prometeu um solução para os pequenos negócios.

Continuar lendo APÓS VETO GOVERNO PREVÊ RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS PARA MEI E SIMPLES NACIONAL

CASOS DE COVID-19 LEVES OU MODERADOS TIVERAM QUARENTENA REDUZIDA PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Ministério da Saúde reduz quarentena para sete dias em casos leves de Covid-19

Se paciente estiver assintomático e tiver teste negativo ao quinto dia, também estará liberado do isolamento

Dougas Porto

da CNN*

em São P

Ministério da Saúde anunciou, nesta segunda-feira (10), a redução da quarentena de dez para sete dias para pessoas com casos leves e moderados de Covid-19.

Se no quinto dia o paciente estiver sem sintomas respiratórios ou febre e não ter feito o uso de medicamentos há 24 horas, ele poderá realizar a testagem. Caso o resultado seja negativo, o isolamento pode ser encerrado. Com o resultado positivo, a quarentena deve continuar até o décimo dia.

“A nossa mensagem principal é que o isolamento é de sete dias, se ele não quis testar no quinto e tiver sem sintomas no sétimo, ele pode sair do isolamento. Não é necessário testar. Recomendamos manter até o décimo”, explicou o secretário de vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros.

A pasta recomenda a todos que forem liberados da quarentena a utilização de máscaras do tipo N95 ou PFF2, evitar aglomerações e não realizar viagens até o décimo dia após o diagnóstico da doença.

A decisão, de acordo com Medeiros, foi tomada com base nas experiências dos Estados Unidos e do Reino Unido.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA reduziu, em 27 de dezembro, o tempo de quarentena de dez dias para cinco dias em pessoas sem sintomas. Mas o uso de máscara deve ser mantido perto de outras pessoas por pelo menos mais cinco dias.

Entretanto, foi observado pela pasta que “onde a vacinação caminhou bem não temos uma correspondência entre o número de mortes proporcionais ao aumento de casos”, alegou Queiroga.

“Como o Brasil avançou muito em relação à campanha de vacinação, nós podemos vislumbrar um cenário parecido com o que acontece nesses países”, analisou.

Fonte: CNN

Continuar lendo CASOS DE COVID-19 LEVES OU MODERADOS TIVERAM QUARENTENA REDUZIDA PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE

VEJA O CRONOGRAMA DE PAGAMENTO DO ABONO SALARIAL PIS/PASEP

Por Marta Cavallini, g1

 

Abono salarial PIS/Pasep: calendário é aprovado; veja datas - Cultura Notícias

O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat​) aprovou na sexta-feira (7) o calendário de pagamentos do abono salarial PIS/Pasep deste ano, apresentado pelo governo federal.

Esses pagamentos se referem ao ano-base 2020, e as datas de pagamento foram confirmadas nesta segunda-feira (10) pelo Ministério do Trabalho e Previdência e pela Caixa Econômica Federal (CEF).

O governo é responsável por definir as datas de pagamento do abono salarial PIS/Pasep, mas, para valerem, é necessária a aprovação do conselho. O Codefat é formado por representantes do governo, dos trabalhadores e dos patrões.

Os calendários são os seguintes:Calendário do abono salarial PIS para 2022 — Foto: Economia g1Calendário do abono salarial PIS para 2022 Calendário de pagamento do Pasep para o ano de 2022 — Foto: Economia g1Calendário de pagamento do Pasep para o ano de 2022 

O Ministério do Trabalho e Previdência informou que, neste ano, está previsto somente o pagamento do benefício referente ao ano-base de 2020.

Têm direito ao abono salarial cerca de 23 milhões de trabalhadores – 22 milhões recebem o PIS e 1 milhão recebem o Pasep. O total pago é de R$ 21,82 bilhões (R$ 19,5 bilhões do PIS). Veja abaixo nesta reportagem como

Todos os trabalhadores atingidos pelas chuvas em Minas Gerais e Bahia receberão o PIS no dia 8 de fevereiro – a identificação desses beneficiários que terão o pagamento antecipado será feita pelo Ministério do Desenvolvimento Regional.

Mudança no calendário

O Codefat aprovou resolução que muda o calendário de pagamento do PIS/Pasep. Assim, os trabalhadores que deveriam receber o abono salarial de 2020 a partir do segundo semestre de 2021 só terão acesso ao pagamento em 2022.

Nos últimos anos, o pagamento começava no segundo semestre de cada ano e terminava no primeiro semestre do ano seguinte, obedecendo ao mês de nascimento do trabalhador, no caso do PIS, ou o dígito final da inscrição do servidor público, no caso do Pasep. Agora, o pagamento começará no primeiro semestre do exercício fiscal seguinte. Ou seja, o calendário 2022, ano-base 2020, terá início previsto para fevereiro de 2022.

Já o pagamento do ano-base 2021 será realizado apenas em 2023, afirma o ministério.

“De acordo com a deliberação do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) em março de 2021, os dados referentes ao ano-base de 2021 entregues pelos empregadores na RAIS Anual serão objeto de procedimentos operacionais para identificação dos trabalhadores com direito ao abono salarial, que serão realizados entre o mês de outubro do ano de 2022 e janeiro de 2023, e o pagamento será realizado de acordo com calendário de pagamento a ser publicado pelo Codefat em janeiro de 2023. Assim, nos termos dos regramentos legais em vigor, em 2022 somente haverá pagamento referente ao ano-base de 2020”, informa.

De acordo com números oficiais, a mudança no calendário representou uma economia de R$ 7,45 bilhões em despesas em 2021. De acordo com o governo, a mudança foi necessária para evitar o descumprimento de regras contábeis e financeiras, impedindo que despesas fossem divididas em dois anos.

320 mil não sacaram abono do ano-base 2019

Já o pagamento do calendário 2020-2021, ano-base 2019, terminou no dia 30 de junho. Não sacaram o abono 320.423 trabalhadores, no valor total de R$ 208,5 milhões, segundo o Ministério do Trabalho e Previdência.

Esses trabalhadores que deixaram de sacar até o prazo final do ano passado terão direito ao pagamento retroativo, seguindo o calendário deste ano, que leva em conta o mês de nascimento, para trabalhadores da iniciativa privada, e o número final da inscrição, para servidores públicos.

Pelas regras do Codefat, o beneficiário tem direito assegurado ao abono pelo prazo de cinco anos e acúmulos são depositados no calendário seguinte.

Pagamento do abono salarial de 2020 é adiado para 2022

Quem tem direito

Tem direito ao abono salarial quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais com carteira assinada e exerceu atividade remunerada durante, pelo menos, 30 dias, no ano-base de pagamento.

É preciso ainda estar inscrito no PISPasep há pelo menos cinco anos e ter os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O calendário de recebimento leva em consideração o mês de nascimento, para trabalhadores da iniciativa privada, e o número final da inscrição, para servidores públicos.

PIS é destinado aos trabalhadores do setor privado e é pago na Caixa Econômica Federal. O Pasep é pago para servidores públicos por meio do Banco do Brasil.

Quanto é o valor

O valor do abono salarial pode chegar ao valor de até um salário mínimo, de acordo com a quantidade de meses trabalhados. Só recebe o valor total quem trabalhou os 12 meses do ano anterior.

Com o aumento do salário mínimo em 1º de janeiro, o valor do abono salarial passa a variar de R$ 101 a R$ 1.212, de acordo com a quantidade de meses trabalhados. Só receberá o valor máximo quem trabalhou os 12 meses de 2020.Valores do abono salarial PIS-Pasep — Foto: Economia g1Valores do abono salarial PIS-Pasep 

Como sacar

Para sacar o abono do PIS, o trabalhador que possuir Cartão do Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir aos terminais de autoatendimento da Caixa ou a uma casa lotérica. Se não tiver o Cartão do Cidadão, pode receber o valor em qualquer agência da Caixa, mediante apresentação de documento de identificação. É possível ainda receber pelo Caixa Tem, através da poupança social digital.

Informações sobre o PIS podem ser obtidas a partir de 1º de fevereiro pelo telefone 0800-726-02-07 da Caixa. O trabalhador pode fazer consulta ainda no site http://www.caixa.gov.br/abonosalarial/ ou no app CAIXA Trabalhador. Para isso, é preciso ter o número do NIS (PIS/Pasep) em mãos.

Os servidores públicos que têm direito ao Pasep precisam verificar se houve depósito em conta. Caso isso não tenha ocorrido, precisam procurar uma agência do Banco do Brasil e apresentar um documento de identificação. Mais informações sobre o Pasep podem ser obtidas pelo telefone 0800-729 00 01, do Banco do Brasil.

Continuar lendo VEJA O CRONOGRAMA DE PAGAMENTO DO ABONO SALARIAL PIS/PASEP

MORADORA DE JOINVILLE RECUPERA BONECAS ACHADAS NO LIXO E DOA PARA CRIANÇAS CARENTES

Por g1 SC e NSC TV

 

Brinquedos são retirados do lixo e recuperados por moradora de Joinville

Brinquedos são retirados do lixo e recuperados por moradora de Joinville

Uma moradora de Joinville, no Norte Catarinense, recupera bonecas e brinquedos jogados no lixo para doar para crianças carentes em instituições e hospitais infantis da cidade.

O projeto tem pouco mais de um ano e já restaurou mais de 140 bonecas.

“Depois que eu comecei a fazer e elas [as bonecas], e vi que começaram a ficar bonitas eu fui me entretendo com aquilo. Hoje o que eu mais gosto de fazer é isso. Eu pego elas estragadas e vou dando vida para elas. Elas se tornam uma boneca novamente”, afirma.

Segundo a aposentada Marta Visinheski, a ideia surgiu após ver na televisão voluntária realizando o mesmo tipo de trabalho na cidade onde morava.

Marta relembra que não sabia nem costurar, mas contou com a ajuda de amigas para colocar o projeto em andamento.

Muitas bonecas, segundo ela, chegam sujas, riscadas e estragadas. Após a restauração cada uma recebe um roupinha e estilo próprio.

“Ali [na restauração] tem muito amor, muito trabalho envolvido. É muito mais que uma boneca “, afirma a aposentada Marta Visinheski.

Marta afirma que ao chegar com a doações nas instituições as bonecas fazem sucesso. Ao ver seu trabalho reconhecido por adultos e crianças, a aposentada incentiva outras pessoas a contribuírem com a sociedade.

“Eu gostaria que as pessoas se envolvessem mais em um causa social. Hoje tem muito tempo de ajuda que a gente pode fazer”, conclui.

Continuar lendo MORADORA DE JOINVILLE RECUPERA BONECAS ACHADAS NO LIXO E DOA PARA CRIANÇAS CARENTES

GEÓLOGA DIZ QUE MAPEAMENTO DE RISCOS PODEM IDENTIFICAR LOCAIS DE FUTURAS QUEDAS DE ROCHAS

Desabamento em Capitólio (MG) foi desastre natural inevitável, afirma geóloga

Joana Sanches, da Universidade Federal de Goiás, aponta que mapeamento de risco podem identificar locais de futuras quedas

Ingrid Oliveira

da CNN

São Paulo

 Atualizao 09/01/2022 às 20:03

Desabamento em Capitólio (MG) foi desastre natural inevitável, afirma geóloga | CNN DOMINGO - YouTube

Após a tragédia em Capitólio (MG) que deixou 10 mortos no sábado (8), autoridades devem discutir na segunda-feira (10) normas técnicas de segurança para decidir como ficará a região do Lago de Furnas.

À CNN, a geóloga Joana Sanches, doutora na área de mapeamento da Universidade Federal de Goiás (UFG), disse que foi um desastre natural que iria acontecer de qualquer forma.

“A rocha pode ceder. Se existisse avaliação técnica, poderia ter sido remediado um pouco, mas, no momento, devemos nos preocupar com as vítimas”, disse.

Ela explica que o local cedeu por conta dos aumentos da chuva e de uma fratura que já havia provocado uma separação da parede.

A geóloga aponta que a área deveria estar interditada por conta das cabeças d’água e das fortes chuvas. Mas “tudo foi uma fatalidade”, na opinião dela.

Em coletiva de imprensa neste domingo (9), o prefeito de Capitólio, Cristiano Geraldo, informou que haverá uma reunião para discutir normas técnicas de segurança.

Joana Sanches diz que o que deve ser feito agora é uma análise com drone medindo as fraturas e vendo se há risco de outros deslizamentos.

“Haverá um análise do tamanho, se estão preenchidas por solo ou por água. Deve haver um mapa geológico de risco para medir o local de possíveis novas quedas”, explica.

A pesquisadora comenta que essa tragédia foi excepcional, porque, apesar de quedas serem comuns, o tamanho do bloco que desabou foi um evento isolado.

“Infelizmente essa tragédia aconteceu, mas agora a gente espera que as pessoas entendam que é necessário realizar análises técnicas de paredões em pontos turísticos”, disse Joana Sanches.

Segundo a especialista, as medidas de segurança precisam vir dos governos. “O nosso papel não é proibir, mas restringir em certos eventos climáticos”, comenta.

“Daqui para frente, a gente precisa montar um esquema nacional para existir avaliações para não existir o risco de morte.”

Fonte: CNN

Continuar lendo GEÓLOGA DIZ QUE MAPEAMENTO DE RISCOS PODEM IDENTIFICAR LOCAIS DE FUTURAS QUEDAS DE ROCHAS

PORTA-VOZ DA PRF ALERTA QUE AS PESSOAS EVITEM VIAJAR DEVIDO SURGIMENTO DE PROBLEMAS A TODO INSTANTE EM RODOVIAS

Por Alex Araújo, Rafaela Mansur e Rodrigo Salgado,

g1 Minas e TV Globo — Belo Horizonte

 

Porta-voz da PRF em Minas Gerais, Aristides Júnior — Foto: Reprodução/TV GloboPorta-voz da PRF em Minas Gerais, Aristides Júnior — Foto: Reprodução/TV Globo

porta-voz da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Minas Gerais, inspetor Aristides Júnior, alertou, neste sábado (8), durante entrevista coletiva em Belo Horizonte, que as pessoas evitem viajar.

“Evite viajar. Estão surgindo problemas a todos os instantes em rodovias”, ressalta o policial.

Ele falou ainda que a BR-040 permanece interditada, sem previsão de liberaçãodepois do transbordamento de um dique da Minas Pau Branco, em Nova Lima, na Grande BH.

Ele informou que somente após vistorias e segurança do local, além da limpeza – é que a rodovia será liberada.

Júnior comentou que não tem como indicar um local seguro nas rodovias do estado porque toda Minas Gerais é atingida por chuva. Ele ainda disse que, por causa do mau tempo, não recomenda rotas alternativas.

Pilha de aterro desliza, cai em dique e lama com minério atinge BR-040, na Grande BH

Veja pontos de interdição em rodovias de Minas Gerais

BR-381 (informações da PRF-MG, às 01h10):

  • Altura: km 521, em Brumadinho
  • Interdição: Faixa direita no sentido São Paulo bloqueada para limpeza da via
  • Motivo: Deslizamento de barreira

BR-040 (informações da Via 040, às 02h12):

  • Altura: km 562, em Nova Lima
  • Interdição: Pista totalmente interditada
  • Motivo: Carreamento de material para a rodovia após transbordamento de dique da Mina Pau Branco, da Vallourec

BR-262 (informações da PRF e da Triunfo Concebra, às 01h10):

  • Altura: km 563, em Córrego Danta
  • Interdição: Pista totalmente interditada
  • Motivo: Surgimento de Trincas e rachaduras

BR-040 (informações da Via 040, às 02h14):

  • Altura: km 572, em Itabirito
  • Interdição: Faixa direita sentido Rio de Janeiro, fluxo pela esquerda.
  • Motivo: Deslizamento de encosta

BR-040 (informações da Via 040, às 02h14):

  • Altura: km 596, entre Itabirito e Congonhas
  • Interdição: Faixa direita sentido Rio de Janeiro, fluxo pela esquerda.
  • Motivo: Queda de árvore de porte médio

BR-040 (informações da Via 040, às 02h14):

  • Altura: km 602, em Congonhas
  • Interdição: Uma faixa por sentido, com 1 km de fila
  • Motivo: Deslizamento de encosta
Continuar lendo PORTA-VOZ DA PRF ALERTA QUE AS PESSOAS EVITEM VIAJAR DEVIDO SURGIMENTO DE PROBLEMAS A TODO INSTANTE EM RODOVIAS

MINISTÉRIO PÚBLICO DE MINAS GERAIS E AGE PEDIRAM BLOQUEIO E APLICAÇÃO DE MULTA CONTRA MINERADORA APÓS DIQUE DA BARRAGEM TRANSBORDAR

Por Rodrigo Salgado e Jordânia Andrade,

g1 Minas — Belo Horizonte

 BR-040 ficou alagada com o líquido que transbordou da barragemBR-040 ficou alagada com o líquido que transbordou da barragem

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Advocacia-Geral do Estado de Minas Gerais (AGE) pediram o bloqueio de R$ 1 bilhão e aplicação de multa diária contra a mineradora Vallourec em virtude do transbordamento de dique de barragem em Nova Lima.

A informação foi divulgada pelo procurador-geral de Justiça, Jarbas Soares Júnior, neste sábado (8).

“O MPMG e a AGE protocolizaram agora ação de tutela antecipada contra a empresa para proteção aos atingidos, aos animais, medidas preventivas para evitar o rompimento, reparação, etc”, disse o procurador na publicação.

Segundo ele, a ação de tutela antecipada pede para que os responsáveis “adotem as providências necessárias para impedir o agravamento da grave situação”.

No texto da ação, o Ministério Público afirma que o transbordamento do dique da mineradora causou danos socioeconômicos e socioambientais.

“Existe a preocupação com a segurança e estabilidade das estruturas afetadas no empreendimento minerário, até porque o período chuvoso continua, sendo necessário assegurar que a ré adotará todas as medidas suficientes para neutralização de riscos de novos danos. Recebeu-se a informação, inclusive, de que o Dique Lisa possui alto risco de colapso, o que agravaria sobremaneira os danos sociais e ambientais”, diz a ação.

Suspensão das atividades

De acordo com a ação, o MP determina a suspensão das atividades na Mina de Pau Branco.

A empresa tem até esta segunda-feira (10) para criar um plano de ações que garantam a segurança da Pilha Cachoeirinha, e de todas as demais pilhas ou estruturas que possam atingir o dique Lisa.

Esse plano precisa prever todas as ações emergenciais com base no pior cenário, inclusive prevendo situações de necessidade de evacuação de pessoas e animais.

Para o caso de descumprimento dessas e de outras medidas, a ação pede que a Justiça estipule multa diária de R$ 1 milhão.

Plano de segurança

Além disso, o MP deu um prazo de 30 dias para que a Vallourec apresente um plano se segurança para a barragem Santa Bárbara, que também fica na Mina de Pau Branco, sob multa de R$ 50.000 por dia em caso de descumprimento do prazo.

O plano deve apontar quais são as residências ou comércios que podem ser atingidos por um possível rompimento da barragem, além da criação de rotas de fuga.

Assim como em outras cidades que vivenciam ou já vivenciaram situações de riscos com essas estruturas, o Ministério Público pede que a a Vallourec também realize simulados de emergência com a população.

Outra exigência é que a empresa apresente estratégias para evacuação e resgate da população com dificuldade de locomoção (escolas, creches, hospitais, postos de saúde, presídios etc).

O plano também deverá prever ações de resgate a animais domésticos, preservação de bens culturais e projeto de comunicação com as comunidades que ficam próximas a barragem.

Procurada pela reportagem, a Vallourec ainda não se manifestou sobre o assunto.

Continuar lendo MINISTÉRIO PÚBLICO DE MINAS GERAIS E AGE PEDIRAM BLOQUEIO E APLICAÇÃO DE MULTA CONTRA MINERADORA APÓS DIQUE DA BARRAGEM TRANSBORDAR

SAIBA COMO ECONOMIZAR NA COMPRA DE MATERIAL ESCOLAR

Por Luiza Tenente, g1

 

Material escolar está mais caro em 2022 — Foto: Edmilson Tanaka/DivulgaçãoMaterial escolar está mais caro em 2022 — Foto: Edmilson Tanaka/Divulgação

Quem for comprar material escolar neste ano deve encontrar preços, em média, 16% mais altos do que no início de 2021, afirma o Procon-SP.

Veja os principais motivos, segundo Fábio Gallo, professor de finanças da FGV-EAESP:

  • alta do dólar (é comum que cadernos e mochilas, por exemplo, sejam importados);
  • encarecimento dos combustíveis (o que impacta os custos de transporte das mercadorias);
  • inflação acima da meta estabelecida pelo governo;
  • desabastecimento pontual das cadeias produtivas.

Abaixo, o g1 dá dicas de como economizar nas compras, apesar de todos esses fatores (acredite, é possível):

1- Pesquise muito antes de comprar (pode haver diferença de quase 400% nos preços de um mesmo produto)

O Procon-SP analisou os preços cobrados por oito grandes lojas (Amazon, Americanas, Gimba, Kalunga, Lepok, Livrarias Curitiba, Magazine Luiza e Papelaria Universitária), de 7 a 10 de dezembro de 2021.

Uma mesma caixa de massinha de modelar custava, naquele período, R$ 2,70 em um site e R$ 12,99 em outro — uma diferença de 381,11% .

“Hoje em dia, não é preciso nem ‘bater perna’ para pesquisar preços. Os pais podem consultar a internet antes para escolherem qualquer material escolar”, diz Gallo.

2- Junte-se a outras pessoas e compre no atacado

Comprar 24 lapiseiras, em vez de duas, provavelmente fará com que o preço unitário caia.

É claro que ninguém precisa de tantos itens iguais em casa. Por isso, a dica é reunir outros pais de alunos da mesma escola e fazer compras em grandes quantidades, dividindo os custos.

“Mesmo que sejam crianças de séries diferentes, há alguns produtos que são de uso comum para todas as idades, como lápis e borracha”, afirma o professor da FGV.

3- Organizar feirinhas de troca de material

Reaproveitar livros — seja do irmão mais velho ou de um vizinho — é uma ótima forma de economizar nos gastos com material.

Há escolas que organizam pontos de troca ou de venda (a preços reduzidos) de volumes usados, por exemplo.

Gallo dá mais uma ideia: para quem mora em condomínio, é possível falar com o síndico e montar uma “feirinha” de livros didáticos (ou, quem sabe, já organizar tudo pelo grupo do Whatsapp).

Atenção: durante o ano, os alunos devem cuidar bem das obras, evitando riscá-las com caneta. Assim, em 2023, poderão ser doadas, trocadas ou vendidas em bom estado.

4- Evitar cadernos e mochilas ‘da moda’

“Se der para controlar o choro da criança, é bom evitar aqueles cadernos com capa de personagem ou as mochilas ‘da moda'”, brinca o docente da FGV.

“Em geral, são produtos que não têm nenhuma vantagem nas funcionalidades, mas que custam mais caro.”

5- Não deixar para a última hora

Comprar o material escolar só no fim de janeiro pode fazer com que os pais:

  • enfrentem lojas mais cheias;
  • encontrem vendedores menos dispostos a negociar descontos, já que os estoques estarão reduzidos;
  • tenham um leque menor de produtos para escolher pela internet, porque só poderão comprar opções com entrega rápida.

Quanto antes começarem a adquirir os materiais, maiores serão as chances de economizar.

6- Prestar atenção à reputação do site

É aquela história de “o barato sair caro”. Se for comprar pela internet, é preciso analisar a reputação do site (se é confiável e cumpre os prazos de entrega, por exemplo).

“Hoje em dia, no marketplace [sites que vendem produtos de diferentes varejistas], você nem sabe direito de quem está comprando”, afirma Gallo.

“Às vezes, sem perceber, escolhe itens de 4 vendedores diferentes, coloca todos no carrinho e paga 4 fretes. Precisa ver se está valendo a pena.”

Continuar lendo SAIBA COMO ECONOMIZAR NA COMPRA DE MATERIAL ESCOLAR

SÃO PAULO É CLASSIFICADO COMO UM DOS 50 MELHORES DESTINOS DO MUNDO PARA VISITAR, APONTA REVISTA NORTE-AMERICANA

São Paulo está entre os 50 melhores destinos do mundo para visitar em 2022

Lista da revista “Travel+Leisure” destaca a capital paulista como um centro artístico e cultural que está preparada para receber novos viajantes

CNN Viagem & Gastronomia

do Viagem & Gastronomia

Avenida Paulista, um dos endereços mais importante da capital paulista, que concentra lojas, empresas e centros culturaisAvenida Paulista, um dos endereços mais importante da capital paulista, que concentra lojas, empresas e centros culturaisUnsplash

São Paulo está entre as 50 melhores cidades do mundo para se visitar em 2022, de acordo com a escolha dos editores da “Travel+Leisure”, renomada revista norte-americana especializada em turismo. Junto das Ilhas Galápagos, pertencente ao Equador, a cidade de mais de 12 milhões de habitantes é a única da América do Sul a figurar na lista.

A publicação destaca São Paulo como um centro de arte e cultura, que ressalta seu lado dinâmico que combina luxo, design e moda. “Com as companhias aéreas adicionando voos em todo o Brasil em 2022 e um florescente renascimento da hospitalidade em toda a cidade, São Paulo está bem preparada para o fluxo de novos viajantes”, escreve a jornalista Molly O’Brien.

Inaugurado em dezembro, o luxuoso hotel Rosewood São Paulo é tido como um destino imperdível na cidade. Instalado num edifício histórico da Cidade Matarazzo, no bairro da Bela Vista, o hotel conta com mais de 160 quartos, suítes e residências, assim como bares, seis restaurantes e duas piscinas.

Destaques da lista

Organizada alfabeticamente, a lista divulgada em dezembro não segue uma hierarquia e foi pensada com base no momento que o mundo atravessa – com a flexibilização de fronteiras e novos regulamentos perante as variantes da Covid-19.

“Muitos dos destinos que escolhemos para 2022 oferecem o que acreditamos que os viajantes procuram em um mundo pós-pandêmico, de hotéis com acomodações privadas a destinos repletos de atividades ao ar livre”, explica a publicação.

Dentro os 50 destinos, alguns são mais conhecidos, como Las Vegas, o complexo da Disney em Orlando, na Flórida, as ilhas Maldivas e a Grécia.

Outros são lugares menos conhecidos do público em geral, mas igualmente fascinantes, como a Ilha Caldeira, em Moçambique; o Parque Nacional Kafue, na Zâmbia; Kaunas, segunda maior cidade da Lituânia e a ilha japonesa de Kyushu.

Dohacapital do Catar, país que sediará os jogos da Copa do Mundo de 2022, também aparece entre os melhores destinos para se conhecer no ano que vem. A publicação ressalta a sensação futurista da cidade e destaca o Museu de Arte Islâmica e os restaurantes Damasca One, de comfort food, e o Em Sherif, rooftop que serve comidas regionais.

Confira aqui a lista completa dos 50 melhores destinos do mundo para viajar em 2022 segundo Travel+Leisure.

Destinos mais bonitos do mundo

A revista também divulgou neste mês uma lista em que elege os 55 destinos mais bonitos de todo o mundo, tendo como foco parques nacionais, montanhas, praias, desertos e outras maravilhas naturais.

Entre as escolhas, duas delas são brasileiras: o arquipélago de Fernando de Noronha e as Cataratas do IguaçuNoronha, pertencente ao estado de Pernambuco, foi destacado como um local “cuidadosamente preservado que oferece praias isoladas e águas cristalinas abundantes em vida marinha”.

Já as Cataratas, na fronteira entre o Brasil e a Argentina, é formada por 275 quedas d’água e entrou para a lista com ênfase na “magnificência” de seus sons e energia trazidos pela água.

Outros destinos relevantes mundo afora fazem parte da seleção, como Machu Picchu, no Peru, o vale de Glen Coe, na Escócia (cenário das gravações da série “Outlander”), Lago de Como, na Itália (pano de fundo para as gravações do filme “Casa Gucci”) e Big Sur, região costeira da Califórnia que tem uma das estradas mais fotografadas do mundo.

Fonte: CNN


Continuar lendo SÃO PAULO É CLASSIFICADO COMO UM DOS 50 MELHORES DESTINOS DO MUNDO PARA VISITAR, APONTA REVISTA NORTE-AMERICANA

INTEGRANTES DA ANVISA SE REUNÍRAM COM CONSELHOS PARA ALINHAR DIRETRIZES DA VACINAÇÃO EM CRIANÇAS

Em reunião com conselhos de saúde, Anvisa fixa diretrizes da vacinação infantil

Entre as recomendações está o intervalo de 15 dias entre a aplicação da vacina contra a Covid-19 e imunizantes contra outras doenças e que as crianças permaneçam ao menos 20 minutos no local após receberem a dose

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Tiago Tortella

da CNN

Integrantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) participaram de uma reunião com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e com o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) nesta quinta-feira (6) para alinhar as diretrizes da vacinação das crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19.

Entre as 17 recomendações está o intervalo de 15 dias entre a aplicação da vacina contra a Covid-19 e imunizantes contra outras doenças; que seja evitada a modalidade “drive-thru” para vacinação infantil; que as crianças permaneçam ao menos 20 minutos no local da vacinação –para que sejam observadas durante esse período–; e que a vacinação seja iniciada apenas após o treinamento dos profissionais de saúde.

Para evitar erros, a agência recomenda que ela ocorra em locais exclusivos, ou seja, onde não seja feita a aplicação de imunizantes para adultos ou de outras vacinas pediátricas.

Os frascos também serão diferentes: a vacina pediátrica da Pfizer tem rótulo e tampa na cor laranja. Para as demais faixas etárias, tem a cor roxa.

Segundo Thais Arbex, analista da CNN, Carlos Lula, presidente do Conass e secretário estadual de Saúde do Maranhão, e Edson Aparecido, secretário municipal de Saúde de São Paulo, classificaram as medidas como “excelentes”, e disseram que o Brasil tem condições de seguir as diretrizes.

De acordo com o governo, a Anvisa, o Conass e o Conasems permanecerão em diálogo para  aprimoramento das orientações.

Veja quais são as recomendações da Anvisa:

1. Que a vacinação das crianças nessa faixa etária seja iniciada após treinamento completo das equipes de saúde que farão a aplicação da vacina, uma vez que a grande maioria dos eventos adversos pós-vacinação é decorrente da administração do produto errado à faixa etária, da dose inadequada e da preparação errônea do produto;

2. Que a vacinação de crianças seja realizada em ambiente específico e segregado da vacinação de adultos, em ambiente acolhedor e seguro para a população;

3. Quando da vacinação nas comunidades isoladas, por exemplo nas aldeias indígenas, sempre que possível, que a vacina de crianças seja feita em dias separados, não coincidentes com a vacinação de adultos;

4. Que a sala em que se dará a aplicação de vacinas contra a COVID-19, em crianças de 5 a 11 anos, seja exclusiva para a aplicação dessa vacina, não sendo aproveitada para a aplicação de outras vacinas, ainda que pediátricas. Não havendo disponibilidade de infraestrutura para essa separação, que sejam adotadas todas as medidas para evitar erros de vacinação;

5. Que a vacina Covid-19 não seja administrada de forma concomitante a outras vacinas do calendário infantil, por precaução, sendo recomendado um intervalo de 15 dias;

6. Que seja evitada a vacinação das crianças de 5 a 11 anos em postos de vacinação na modalidade “drive-thru”;

7. Que as crianças sejam acolhidas e permaneçam no local em que a vacinação ocorrer por pelo menos 20 minutos após a aplicação, facilitando que sejam observadas durante esse breve período;

8. Que os profissionais de saúde, antes de aplicarem a vacina, informem ao responsável que acompanha a criança sobre os principais sintomas locais esperados (por exemplo, dor, inchaço, vermelhidão no local da injeção) e sistêmico (por exemplo, febre, fadiga, dor de cabeça, calafrios, mialgia, artralgia) outras reações após vacinação, como linfadenopatia axilar localizada no mesmo lado do braço vacinado foi observada após vacinação com vacinas de mRNA COVID-19.

9. Que os pais ou responsáveis sejam orientados a procurar o médico se a criança apresentar dores repentinas no peito, falta de ar ou palpitações após a aplicação da vacina;

10. Que os profissionais de saúde, antes de aplicarem a vacina, mostrem ao responsável que acompanha a criança que se trata da vacina contra a COVID-19, frasco na cor laranja, cuja dose de 0,2ml, contendo 10 mcg da vacina contra a COVID-19, Comirnaty (Pfizer/Wyeth), específica para crianças entre 5 a 11 anos, bem como seja mostrado a seringa a ser utilizada (1 mL) e o volume a ser aplicado (0,2mL);

11. Que um plano de comunicação sobre essas diferenças de cor entre os produtos, incluindo a utilização de redes sociais e estratégias mais visuais que textuais, seja implementado;

12. Que seja considerada a possibilidade de avaliação da existência de frascos de outras vacinas semelhantes no mercado, que sejam administradas dentro do calendário vacinal infantil, e que possam gerar trocas ou erros de administração;

13. Que as crianças que completarem 12 anos entre a primeira e a segunda dose, permaneçam com a dose pediátrica da vacina Comirnaty;

14. Que os centros/postos de saúde e hospitais infantis estejam atentos e treinados para atender e captar eventuais reações adversar em crianças de 5 a 11 anos, após tomarem a vacina;

15. Que seja adotado um programa de monitoramento, capaz de captar os sinais de interesse da farmacovigilância;

16. Que sejam mantidos os estudos de efetividade das vacinas para a faixa etária de 5 a 11 anos; e

17. Adoção de outras ações de proteção e segurança para a vacinação das crianças, a critério do Ministério da Saúde e dos demais gestores da saúde pública.

Continuar lendo INTEGRANTES DA ANVISA SE REUNÍRAM COM CONSELHOS PARA ALINHAR DIRETRIZES DA VACINAÇÃO EM CRIANÇAS

PREFEITURA DE SÃO PAULO ANUNCIOU QUE PASSARÁ A EXIGIR COMPROVANTE DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 PARA TODOS OS EVENTOS REALIZADOS NA CAPITAL

Cidade de SP exigirá passaporte da vacina para todos os eventos a partir do dia 10

Capital paulista registra aumento de casos de Covid e gripe, o que também levou ao cancelamento do carnaval de rua no município

Emylly Alves

Tiago Tortella da CNN*

Comprovante de vacinação contra a Covid-19 de São PauloComprovante de vacinação contra a Covid-19 de São Paulo Divulgação

A prefeitura da cidade de São Paulo anunciou, nesta quinta-feira (6), que passará a exigir comprovante de vacinação contra a Covid-19 para todos os eventos realizados na capital a partir do dia 10 de janeiro.

Em nota, o Secretário Municipal de Saúde, Edson Aparecido, afirma que o passaporte será necessário enquanto o número de novos casos da variante Ômicron continuar a subir. De acordo com o secretário, nos últimos sete dias a cidade registrou um aumento de 30% nos casos de Covid-19, e a cepa Ômicron tem 52% de prevalência na cidade.

Desde setembro, a capital paulista exigia o comprovante apenas para eventos com mais de 500 pessoas. A utilização de máscaras ainda é obrigatória, e a gestão municipal continua recomendando a higienização de mãos e evitar aglomerações.

Outras medidas adotadas na cidade são testagem dupla para Covid e Influenza na rede pública – que teve início também nesta quarta -, com mais de 300 mil testes. A prefeitura também afimou que tornará 600 leitos hospitalares exclusivos para atendimento de “síndrome gripal não Covid” e a contratação emergencial de 280 médicos e enfermeiros.

Carnaval

Após a desistência dos blocos de rua para o Carnaval de 2022 nessa quarta-feira (5), a prefeitura da cidade de São Paulo anunciou que Carnaval de rua está cancelado na cidade.

O anúncio foi feito após reunião nesta quinta-feira (6), e, até agora, os desfiles no sambódromo estão mantidos.

De acordo com levantamento da Agência CNN, 13 capitais e do Distrito Federal cancelaram ou suspenderam parcialmente o Carnaval 2022 público.

*com informações de Raphael Coraccini, Layane Serrano e Lucas Rocha, da CNN

Fonte: CNN

Continuar lendo PREFEITURA DE SÃO PAULO ANUNCIOU QUE PASSARÁ A EXIGIR COMPROVANTE DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 PARA TODOS OS EVENTOS REALIZADOS NA CAPITAL

NA ESTEIRA DO AUMENTO DE ARRECADAÇÃO UNIÃO E ESTADOS COMEÇAM A REAJUSTAR SALÁRIOS DE SERVIDORES

Por Bianca Lima e

Luiz Guilherme Gerbelli,

GloboNews e g1

 

Alerta nas contas públicas: em ano eleitoral, União e estados reajustam salário de servidores | GloboNews Jornal das Dez | G1

Na esteira do aumento de arrecadação e às vésperas das eleições, União e estados começaram a reajustar os salários de servidores públicos, que estavam congelados para a maioria das categorias desde maio de 2020. O congelamento foi uma contrapartida ao empréstimo bilionário concedido pelo governo federal a governadores e prefeitos em meio à pandemia do novo coronavírus.

Entre os analistas, qualquer tipo de aumento salarial é visto com cautela, diante do quadro histórico de fragilidade das contas públicas do país – já são sete anos seguidos no vermelho – e da falta de reformas estruturais que garantam a sustentabilidade fiscal no médio e longo prazos.

E a preocupação tem fundamento: o gasto com pessoal é a principal despesa de estados e municípios. Na União, fica atrás somente dos recursos destinados para a Previdência e benefícios assistenciais.

Em dezembro, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que avaliava conceder reajustes para todos os servidores com a aprovação da PEC dos Precatórios. No fim do mês, o Orçamento aprovado pelo Congresso para 2022 autorizou, por exemplo, R$ 1,7 bilhão para a carreira de policiais.

Agora, outras categorias também pressionam por reajustes, como é o caso dos auditores da Receita Federal, que anunciaram uma paralisação perto da virada do ano. A categoria também aprovou a entrega de cargos, como forma de pressionar o governo federal.

Aumenta debandada de funcionários da Receita Federal contra corte de 51% de verbas para 2022

Na última entrevista do ano passado, o ministro da Economia, Paulo Guedescriticou os pedidos de reajustes que vêm sendo feitos por servidores de Estados e municípios. Durante a entrevista, Guedes tentou se desvencilhar da autoria do pedido de reajuste aos policiais. Disse que o “pedido político” veio do presidente Jair Bolsonaro e que é contra os aumentos salariais.

Reajuste generalizado nos estados

Diversos estados já anunciaram que vão conceder aumentos para servidores.

Em São Paulo, o governador João Doria anunciou um novo plano de carreira para professores, com aumento de salário de até 73%. Já o prefeito da capital paulista, Ricardo Nunes, teve um reajuste de 46% na sua remuneração, que passou de R$ 24 mil para R$ 35 mil. O novo valor passa a ser também o teto salarial dos servidores municipais, gerando um efeito cascata.

Aumento de salários na Prefeitura de São Paulo

Já no Rio Grande do Norte, a assembleia aprovou um aumento salarial de 15% para 35 mil servidores do estado.

Na Bahia, foi aprovado um reajuste linear de 4% para todo o funcionalismo público, além de reestruturações de carreiras. Pelo projeto de lei, os servidores estaduais terão ganhos salariais de até 22%.

No Mato Grosso do Sul, por sua vez, 81 mil servidores terão reajuste de 10% a partir de janeiro.

Número positivos, mas pontuais

Ao longo de 2021, os números da arrecadação revelaram dados bem melhores do que o esperado.

Na União, entre janeiro e novembro, a arrecadação chegou a R$ 1,7 trilhão, o que representou uma alta de 27,6% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Nos estados, a soma foi de R$ 617,4 bilhões nos dez primeiros meses do ano, um crescimento de 24,2%, segundo cálculos da Instituição Fiscal Independente (IFI).

“Apesar de a gente estar observando uma melhora significativa dos indicadores dos resultados dos entes subnacionais, essa melhora não é necessariamente estrutural”, afirma Vilma Pinto, diretora da IFI.

Com o caixa da União e, sobretudo, dos estados reforçado, o Ministério da Economia estima que o país pode colher o primeiro superávit primário desde 2013. No entanto, a meta de um déficit de R$ 177,49 bilhões para 2022 para o setor público – definida na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) – deixa evidente que a melhora é apenas pontual e que as contas vão voltar ao vermelho neste ano.

Por que a arrecadação melhorou?

São cinco as principais razões que explicam a melhora do caixa neste ano:

  • Inflação. Em 2021, a alta dos preços foi bem maior do que o previsto pelas analistas. O aumento de preços dos produtos faz com que o setor público arrecade mais;
  • Preços das commodities. A retomada da economia global puxou a cotação das commodities em todo o mundo, o que melhorou, por exemplo, a arrecadação de royalties e participação especial do petróleo de diversos estados e também da União;
  • Retomada da economia. Depois do tombo de 4,1% em 2020, a atividade econômica se recuperou em 2021, em meio ao avanço da vacinação e à reabertura do comércio e dos serviços. O mercado financeiro projeto uma alta de 4,5% do PIB em 2021, mas de apenas 0,36% em 2022. Ou seja, a recuperação vai perder força, o que deve impactar a arrecadação.
  • Salários congelados. O caixa dos estados também foi reforçado pelo fato de o salário dos servidores ter ficado congelado até o fim de 2021, como contrapartida ao socorro da União para mitigar os estragos econômicos provocados pela pandemia de coronavírus.
  • Dívida com a União. Por causa da crise sanitária, os estados ainda tiveram a dívida suspensa com o governo federal.

“A dívida com a União terá de voltar a ser paga, e o boom de commodities é uma interrogação – pode durar alguns anos ou pode refluir”, afirma Marcos Mendes, professor do Insper e especialista em contas públicas. “Essa é uma situação temporária e nenhum dos principais fatores estruturais de desequilíbrio das finanças de estados e municípios foi efetivamente atacado.”

Problema fiscal estrutural

O nó das contas públicas se tornou um problema estrutural no Brasil.

A União e boa parte dos estados conseguiram avançar com uma reforma da Previdência nos últimos anos, mas mais medidas de ajustes são necessárias, afirmam os especialistas.

No topo da lista de medidas urgentes está a reforma administrativa, para reduzir o gasto com pessoal no governo federal e nos estados no longo prazo. E uma reforma tributária, para acabar com a guerra fiscal e a perda de receita.

“17 estados fizeram uma reforma da Previdência nos moldes da União. Não é suficiente, mas já é uma ajuda bastante significativa para equilibrar as contas”, afirma Mendes.

“E serão necessárias uma reforma administrativa e uma segunda rodada da previdenciária. A reforma aprovada em 2019 é muito benevolente com algumas carreiras que têm grande peso nas contas de estados e municípios, como professores e policiais”, acrescenta.

O roteiro que se vê agora, aliás, de aumentar o gasto pessoal em momentos de bonança de receita, já é conhecido.

No início da década, muitos governadores ampliaram o gasto com o funcionalismo no rastro do bom momento econômico vivido pelo Brasil. Quando a crise chegou, a receita caiu e estados passaram a atrasar salários – alguns tiveram de pedir socorro para a União.

“Ainda há problemas relacionados ao elevado nível de endividamento em diversos estados. Mesmo com essa aparente situação de melhora, ela não deve ser uma melhora estrutural. Eles permanecem”, avalia Vilma.

O que dizem os governos

Em nota, o governo de São Paulo informou que a “Secretaria da Educação tem neste ano um orçamento de pessoal R$ 3 bilhões maior do que em 2021 para cobrir o impacto da proposta.”

A prefeitura de São Paulo afirmou que o reajuste salarial vai trazer um impacto de R$ 51 milhões e que não há correção do valor máximo de salário do funcionalismo desde 2012. A prefeitura argumenta que a mudança corrige os ganhos de categorias importantes, como os auditores fiscais, e que isso evita a perda de profissionais qualificados para a iniciativa privada.

O governo de Mato Grosso do Sul disse que o impacto da proposta na folha salarial do estado será de R$ 1,2 bilhão e garantiu que o reajuste segue a Lei de Responsabilidade Fiscal e ainda leva em conta a previsão de crescimento da economia em 2022.

O estado do Rio Grande do Norte afirmou que o reajuste não vai comprometer o equilíbrio fiscal do estado e que “impacto mensal líquido é de R$ 22 milhões por mês e será pago com o crescimento da receita corrente líquida projetada em no mínimo 6%, equivalente a R$ 70 milhões/mês.”

O governo da Bahia informou que o aumento para os servidores “representará um acréscimo na despesa de pessoal para o exercício de 2022 na ordem de R$ 1,8 bilhão” e que a gestão estadual tem realizado o pagamento dos salários em dia “graças à manutenção do equilíbrio fiscal e a uma política que articula o controle dos gastos com a modernização do fisco”.

A Secretaria de Estado de Fazenda do Rio de Janeiro disse que o novo plano de cargos e salários na Saúde está previsto no orçamento deste ano, “dentro do índice constitucional da Saúde”. O impacto fiscal, segundo a Secretaria de Estado de Saúde, será de cerca de R$ 150 milhões.

Continuar lendo NA ESTEIRA DO AUMENTO DE ARRECADAÇÃO UNIÃO E ESTADOS COMEÇAM A REAJUSTAR SALÁRIOS DE SERVIDORES

SEGUNDO ANÚNCIO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, VACINAÇÃO INFANTIL DEVERÁ COMEÇAR AINDA EM JANEIRO DESTE ANO E COM INTERVALO DE DOIS MESES ENTRE AS DOSES

Vacinação de crianças começa neste mês e sem exigência de prescrição, diz Saúde

 

Ministro Marcelo Queiroga anunciou a vacinação na faixa etária de 5 a 11 anos durante a coletiva de imprensa nesta quarta-feira (5); doses devem ser distribuídas aos municípios no dia 14 de janeiro

Ingrid Oliveira

Teo Cury

da CNN

 Atualizado 05/01/2022 às 19:48

 

O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (5) que a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19 no Plano Nacional de Operacionalização deve começar em janeiro deste ano com intervalo de dois meses (oito semanas) entre a primeira e a segunda dose.

O documento divulgado pela pasta aos jornalistas presentes diz que “para a imunização desse grupo será necessária a autorização dos pais” e acrescenta que “no caso da presença dos responsáveis no ato da vacinação haverá dispensa do termo por escrito”.

Diz também que a orientação da pasta é que “os pais procurem a recomendação prévia de um médico antes da imunização”, mas, como antecipado pela Basília Rodrigues, da CNN, não há exigência da prescrição médica para realizar a vacinação.

O texto diz ainda que a vacinação de crianças vai acontecer de forma decrescente e priorizará grupos com deficiência permanente ou comorbidades, além de crianças que vivem no lar com pessoas com alto risco de evolução grave de Covid-19.

Nas crianças sem comorbidades será realizada a imunização por faixa etária:

  • De 10 a 11 anos;
  • De 8 a 9 anos;
  • De 6 a 7 anos;
  • De 5 anos.

“As nossas crianças, que são o futuro do Brasil, merecem uma ênfase especial, porque esse público precisa ser atendido com uma vacina específica”, disse o ministro Marcelo Queiroga.

Como antecipado pela CNN, pelo analista Caio Junqueira, o primeiro lote de vacina infantil contra a Covid-19 que o Ministério da Saúde pretende aplicar, terá 3,74 milhões de doses, sendo que 1,248 milhão devem chegar na próxima semana. A informação havia sido confirmada por fontes da pasta.

A expectativa é que os lotes importados sejam distribuídos aos estados à medida que cheguem — a partir do dia 14 de janeiro, de acordo com Rodrigo Cruz, secretário-executivo do Ministério da Saúde, data informada durante a coletiva de imprensa.

De acordo com o Ministro, 20 milhões de vacinas — equivalentes ao número total de crianças nesta faixa etária — devem estar em sua totalidade no país no final do primeiro trimestre de 2022.

A coletiva, que se iniciou com mais de 1 hora de atraso, tem a participação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, Rodrigo Cruz, secretário-executivo do Ministério da Saúde, Jurandi Frutuoso, secretário-executivo do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde, Marcela Alvarenga, secretária-executiva do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde e Rosana Leite de Melo, secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19.

O ministro também destacou que a decisão foi baseada nas informações coletadas na consulta pública.

“A vacina para as crianças é produzida pela Pfizer e tem uma dosagem diferente daquela distribuída para adultos. A vacina foi aprovada pela Anvisa e logo após essa aprovação o Ministério da Saúde fez uma consulta pública, depois fizemos uma audiência pública com diversos profissionais e a partir das informações obtidas na audiência pública e com total atenção ao que foi dito pelo ministro Lewandowski estamos aqui.”

Na coletiva, Rosana Leite, disse que a pasta recebeu muitas demandas de pessoas preocupadas em relação a esse assunto [vacinação infantil], sobre qual imunizante usar ou não e por isso o Ministério decidiu realizar a audiência pública que foi ontem.

“Hoje é a concretude da tomada de decisão que nós fizemos. O único imunizante que nós temos autorização para as crianças de 5 a 11 anos é o da Pfizer. É imprescindível que os pais e mães dessas crianças consultem um médico antes de tomar essa vacina, pois a criança está em fase de desenvolvimento. Os responsáveis pela criança devem estar presentes e caso não esteja deve enviar uma autorização por escrito”, disse.

Queiroga apontou que os eventos adversos da vacinação podem ocorrer em todas as faixas etárias.

“É necessário que todos conheçam os benefícios [da vacina], como a redução de casos graves, bem comos os efeitos adversos — que nós não conhecemos ainda e só sabaremos no estudo de fase 4”, comenta.

Quando questionado sobre o tempo decorrido após a indicação da Anvisa, o ministro da Saúde disse não houve demora para tomada de decisão da vacinação em crianças. “O Brasil está absolutamente dentro do prazo”, explica Queiroga.

Consulta e audiência pública

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já havia autorizado o uso da vacina da Pfizer contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos de idade no Brasil no dia 16 de dezembro.

Contudo, o Ministério da Saúde orientou que houvesse a obrigatoriedade de uma receita médica para a vacinação nos menores de 12 anos. A pasta publicou então uma consulta pública para que membros da sociedade civil opinassem sobre o assunto.

A audiência que discutiu o resultado das informações coletadas na consulta ocorreu na última terça-feira (4), e contou com a participação de representantes Organização Pan-Americana de Saúde, Conselho Federal de Medicina, Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Sociedade Brasileira de Infectologia, Sociedade Brasileira de Pediatria, Conselho Nacional do Ministério Público, Associação Médica Brasileira, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e a Pfizer.

O Ministério informou que a maioria, das quase 100 mil contribuições feitas na consulta pública, foi contrária à exigência de uma receita médica. Além de a maior parte dos especialistas, ouvidos no painel, manter o mesmo posicionamento da Anvisa e indicarem a vacina infantil.

Durante a coletiva, Queiroga afirmou que todos os “dados coletados durante a consulta pública serão colocados de maneira muito clara e transparente no relatório final de recomendação do ministério da Saúde.”

Vacina para Crianças

O imunizante para crianças será diferente daquele usado nas pessoas maiores de 12 anos. A dosagem da vacina para esta faixa etária será ajustada e menor (um terço).

De acordo com a Anvisa, a proposta é ter frascos diferentes, com dosagem específica para cada grupo. Os frascos serão diferenciados pela cor roxa para adultos e adolescentes e laranja para crianças, segundo a Pfizer.

Queiroga falou durante a coletiva que a campanha de vacinação custará à pasta R$ 2,6 bilhões de reais — se todos os pais aderirem a vacinação. “Se eu solicitar um número muito maior doses do que a expectativa de vacinação, essas doses vão vencer. E cada dose tem um custo”, comentou o ministro.

 

Continuar lendo SEGUNDO ANÚNCIO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, VACINAÇÃO INFANTIL DEVERÁ COMEÇAR AINDA EM JANEIRO DESTE ANO E COM INTERVALO DE DOIS MESES ENTRE AS DOSES

MINISTÉRIO DA SAÚDE DEFINE NESTA QUARTA-FEIRA (05) OS PROCEDIMENTOS PARA VACINAÇÃO DE CRIANÇA CONTRA COVID-19

Decisão sobre vacinação em crianças será tomada nesta quarta (5)

Ministério da Saúde estima que as primeiras doses do imunizantes para pessoas entre 5 e 11 anos cheguem ao Brasil no dia 10 de janeiro

Anna Gabriela Costada CNN*

em São Paulo

Campanha multivacinação de crianças e adolescentes no Distrito FederalCampanha multivacinação de crianças e adolescentes no Distrito FederalBreno Esaki/Agência Saúde DF

O Ministério da Saúde define nesta quarta-feira (5) os procedimentos para a realização da imunização de crianças contra a Covid-19. Em dezembro de 2021, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso da vacina da Pfizer em pessoas com idade entre 5 e 11 anos no Brasil.

A decisão foi divulgada pela agência após avaliação técnica do pedido submetido pela farmacêutica no dia 12 de novembro. A dosagem da vacina para esta faixa etária será ajustada e menor (um terço) em relação àquela utilizada em maiores de 12 anos.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse na segunda-feira (3) que as doses infantis da vacina da Pfizer para crianças entre 5 e 11 anos devem começar a chegar ao Brasil a partir do próximo dia 10.

Segundo a pasta, a previsão é de que as doses comecem a ser aplicadas a partir da segunda quinzena de janeiro.

Em entrevista coletiva, Queiroga reiterou que a decisão do Ministério da Saúde sobre a vacinação desse grupo seria divulgada nesta quarta-feira (5), e que não será “muito diferente do que o ministério já colocou em consulta pública”.

primeiro lote de vacina infantil contra a Covid-19 deve contemplar 1,25 milhão de doses. A informação foi confirmada por fontes da pasta ao analista de política da CNN Caio Junqueira.

Trata-se de 6,25% da população infantil brasileira apta a receber o imunizante, estimada em 20 milhões de crianças entre 5 e 11 anos.

As doses são importadas e o ministério prevê que elas cheguem e sejam distribuídas aos estados semanalmente.

A expectativa é de que a partir do segundo lote o número de doses seja maior, mas a pasta prevê que as 20 milhões de doses só cheguem em sua totalidade ao Brasil até o fim do primeiro trimestre.

Audiência pública

Nesta terça-feira (4), o governo deu início à audiência pública que discute a vacinação infantil contra o coronavírus. Na primeira parte do encontro, o Ministério da Saúde mostrou os dados da consulta pública que durou dez dias. Foram quase 100 mil contribuições e a maioria disse ser contra a prescrição médica para vacinação em crianças.

A secretária de enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite, quem comanda o encontro, disse na audiência que “amanhã [5] materializaremos um documento com as diretrizes a serem adotadas em todo nosso país referentes ao tema.”

A audiência é inédita no país por discutir a liberação de vacinação e recebeu críticas de diversos representantes da área da saúde.

Para o presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), César Eduardo Fernandes, a realização de uma audiência pública para definir sobre a vacinação em menores é “absolutamente desnecessária”.

“A Anvisa é uma agência da maior credibilidade, com isenção. E a Anvisa aprovou, assim como FDA [agência dos EUA]. Vacinas não são experimentais, são seguras e eficazes nas doses indicadas, que são menores que em adultos. Audiência pública seria desnecessária, porque já passou pela agência que regulamenta”, afirmou o médico.

Em entrevista à CNN, o pediatra e diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Renato Kfouri, disse que a audiência pública não deve trazer nada de novo à discussão sobre vacinação infantil.

Ele destacou o ineditismo da posição adotada pelo Ministério da Saúde no sentido de buscar a opinião da população em relação a um assunto técnico.

“Ouvir pais e famílias é sempre interessante para saber o que a população pensa. Mas para isso você precisa encomendar uma pesquisa para garantir representatividade de estados, classes econômicas, faixas etárias”, pontuou.

Estados Unidos e Europa

O uso emergencial da vacina da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos nos Estados Unidos foi autorizado pelo Food and Drug Administration (FDA), órgão semelhante à Anvisa, no dia 29 de outubro de 2021.

A decisão ocorreu após a votação, por unanimidade, dos conselheiros do FDA, pela recomendação da utilização da vacina formulada com um terço da dose utilizada em pessoas maiores de 12 anos.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) também aprovou o uso do imunizante em crianças. A decisão foi divulgada no dia 25 de novembro.

“Os efeitos adversos mais frequentes em crianças dos 5 aos 11 anos são semelhantes aos das pessoas com 12 anos ou mais. Incluem dor no local da injeção, cansaço, dor de cabeça, vermelhidão e inchaço no local da injeção, dores musculares e calafrios. Esses efeitos são geralmente leves ou moderados e melhoram alguns dias após a vacinação”, diz o comunicado da agência europeia.

*Com informações de Lucas Rocha, Raphael Coraccini, Ingrid Oliveira, Natália André e Caio Junqueira

Continuar lendo MINISTÉRIO DA SAÚDE DEFINE NESTA QUARTA-FEIRA (05) OS PROCEDIMENTOS PARA VACINAÇÃO DE CRIANÇA CONTRA COVID-19

DURANTE LIVE NAS REDES SOCIAIS PREFEITO DO RIO DE JANEIRO ANUNCIA CANCELAMENTO DO CARNAVAL DE RUA DESTE ANO

Prefeitura do Rio de Janeiro cancela Carnaval de rua deste ano

Desfiles dos blocos ainda podem acontecer em locais fechados, com restrição de público; decisão deve acontecer na próxima sexta-feira (7)

Camille Couto

Elis Barreto

da CNNno Rio de Janeiro

 

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), anunciou nesta terça-feira (4) o cancelamento do Carnaval de rua da cidade. A informação foi dada pelo prefeito durante live nas redes sociais. A Prefeitura se reuniu nesta terça com representantes da Associação Independente dos Bloco da cidade (Sebastiana) para discutir o tema.

Continuar lendo DURANTE LIVE NAS REDES SOCIAIS PREFEITO DO RIO DE JANEIRO ANUNCIA CANCELAMENTO DO CARNAVAL DE RUA DESTE ANO

NOVA VACINA CONTRA GRIPE QUE IRÁ CONTER A CEPA DO VÍRUS ESTÁ SENDO PRODUZIDA PELO BUTANTAN

Butantan está produzindo vacina contra gripe que contém nova cepa

Novo imunizante será distribuído pelo SUS em 2022 e é composto pelo vírus H1N1, H3N2 – e o subtipo Darwin – e a cepa B

Vinícius Tadeu

da CNN

São Paulo

Pesquisadores do Laboratório de Parasitologia do Instituto Butantan. Da esquerda para direita: Ana Carolina Tahira, Daisy Woellner Santos e Murilo Sena AmaralPesquisadores do Laboratório de Parasitologia do Instituto Butantan. Da esquerda para direita: Ana Carolina Tahira, Daisy Woellner Santos e Murilo Sena AmaralMurilo Sena Amaral/Fapesp

Diante do intenso aumento de casos de gripe no Brasil, principalmente causados pela influenza H3N2, o Instituto Butantan está produzindo uma nova vacina contra a gripe que irá conter essa cepa do vírus e o subtipo Darwin. De acordo com o Butantan, os imunizantes serão distribuídos no Sistema Único de Saúde (SUS) já em 2022.

A nova vacina contra a influenza será trivalente, composta pelos vírus H1N1, H3N2, do subtipo Darwin, e a cepa B. Segundo o instituto, o imunizante será importante para combater o surto de influenza H3N2 que atinge o Brasil e conter o espalhamento do vírus.

O Butantan já produz 80 milhões de doses de vacina contra influenza que são utilizadas na campanha nacional de vacinação. No entanto, por ser uma doença sazonal, o imunizante contra a gripe é atualizado a cada ano com base em relatórios da Organização Mundial da Saúde (OMS) que apontam os três subtipos do vírus influenza que mais circularam no último ano no hemisfério Sul.

Nessa nova versão da vacina, a H1N1 é a única cepa que continua presente na substância. O Butantan produz o imunizante contra a gripe em uma fábrica própria que produz separadamente os Ingredientes Farmacêuticos Ativos (IFA) das três cepas que, posteriormente, são misturados em uma outra fábrica de formulação e envase. As variantes do vírus são importadas da Europa.

“Já produzimos 100% do IFA do H1N1 em setembro. Estamos em vias de terminar o IFA da cepa B e em janeiro começamos a produzir o IFA do H3N2. Na primeira quinzena de fevereiro está previsto o início das formulações e do envase”, informou o diretor de produção do Instituto Butantan, Ricardo Oliveira.

De acordo com o instituto, uma versão tetravalente da vacina da gripe, que contém duas cepas de vírus A e duas cepas do vírus B, também está sendo trabalhada. O imunizante deverá substituir a versão trivalente no futuro.

Fonte: CNN

Continuar lendo NOVA VACINA CONTRA GRIPE QUE IRÁ CONTER A CEPA DO VÍRUS ESTÁ SENDO PRODUZIDA PELO BUTANTAN

EM CRUZEIRO, TURISTAS RECLAMAM DA FALTA DE INFORMAÇÃO SOBRE CASOS CONFIRMADOS DE COVID-19 E A CORRERIA EM BUSCA DE COMIDA

Por Natuza Nery

 

Anvisa recomenda ao governo suspender temporada de cruzeiros

Depois de quase dois anos, foram liberadas as primeiras viagens de cruzeiro no Brasil. Milhares de turistas embarcaram atrás de dias de descanso e lazer, mas acabaram presos dentro de cabines. Um deles é o empresário Maxwell Rodrigues, apresentador do programa Porto 360 Graus, da TV Tribuna, afiliada da Globo em Santos. Em entrevista a Natuza Nery, ele relata as falhas de comunicação a bordo do navio Costa Diadema: desde a falta de contato após a realização do teste de Covid até o “silêncio ensurdecedor” sobre as informações de casos confirmados entre tripulação e passageiros. Ele recorda também como, ao atracar na costa de Salvador, os turistas receberam a notícia de testes positivos de coronavírus no navio pela imprensa. “Depois do anúncio do lockdown, começou a correria em busca de comida”. Participa também deste episódio a pesquisadora em saúde Chrystina Barros, integrante do Grupo Técnico de Enfrentamento à Covid da UFRJ. É ela quem explica por que, mesmo no caso de as operadoras de turismo terem cumprido à risca os protocolos, não há como evitar novos casos dentro dos navios: “Não dá para conter, é uma realidade aumentada da sociedade”. E aponta que a ômicron e eventuais novas variantes tornam imprevisível o cenário para a volta dos cruzeiros – a partir da recomendação da Anvisa, a associação de empresas do setor interrompeu as atividades até dia 21 de janeiro.

Fonte: G1

Continuar lendo EM CRUZEIRO, TURISTAS RECLAMAM DA FALTA DE INFORMAÇÃO SOBRE CASOS CONFIRMADOS DE COVID-19 E A CORRERIA EM BUSCA DE COMIDA

ANVISA EMITE COMUNICADO CONTAINDICANDO EMBARQUE DE PASSAGEIROS QUE POSSUEM VIAGENS PROGRAMADAS EM NAVIOS DE CRUZEIRO PARA OS PRÓXIMOS DIAS

Por g1 Santos

 

Milhares de passageiros aguardaram durante todo o domingo para saber se poderiam embarcar em navio — Foto: Matheus Tagé/Jornal A TribunaMilhares de passageiros aguardaram durante todo o domingo para saber se poderiam embarcar em navio — Foto: Matheus Tagé/Jornal A Tribuna

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu um comunicado contraindicando o embarque de passageiros que possuem viagens programadas em navios de cruzeiro para os próximos dias, após o aumento de casos de Covid-19 com identificação de surtos a bordo das embarcações que operam no país. A agência reguladora também reforçou a urgência da imediata interrupção da temporada de navios de cruzeiro no Brasil.

A recomendação da Anvisa, segundo emitido em comunicado, leva em consideração a mudança rápida no cenário epidemiológico, o risco de prejuízos à saúde dos passageiros e a imprevisibilidade das operações neste momento.

Situação dos navios

Segundo a Anvisa, há atualmente cinco navios de cruzeiro operando em águas brasileiras.

Costa Diadema teve a operação interrompida na sexta-feira (30). A Anvisa determinou que o navio seguisse para Santos e fizesse o desembarque de todos os passageiros. Somente pessoas com teste positivo ou residentes locais puderam desembarcar no porto de Salvador, onde estava a embarcação. O navio está no nível 4 do cenário epidemiológico, o que impede a operação.

O navio MSC Preziosa atracou na manhã deste domingo no Porto de Rio de Janeiro. O desembarque dos passageiros foi iniciado após avaliação das autoridades de saúde da situação epidemiológica a bordo. A embarcação está no nível 3 do cenário epidemiológico. De acordo com essa avaliação, os novos embarques neste domingo (2) foram autorizados.

Já o Costa Fascinosa e o MSC Seaside seguem operando e no nível 3 do cenário epidemiológico, mas, segundo a Anvisa, a mudança deste cenário pode impedir novos embarques e levar ao encerramento dos cruzeiros.

Neste domingo (2), passageiros que aguardavam para embarcar no MSC Splendida, em Santos (SP) foram informados que o navio não seguiria viagem, após aguardarem no terminal de embarque durante todo o dia. Apesar do anúncio aos passageiros ter sido feito apenas durante esta noite, a Anvisa informou que a embarcação já havia sido notifica no sábado (1º) sobre o impedimento de embarque.

O MSC Splendida já havia tido sua operação interrompida no último dia 30, com passageiros isolados em suas cabines. O cenário epidemiológico do navio foi alterado para nível 4 neste domingo, que implica em quarentena para a embarcação.

Viagem interrompida: embarques em navio atracado em Santos estão suspensos

Avanço da Covid-19 nos cruzeiros

De acordo com a Anvisa, as investigações conduzidas nos últimos dias demonstram que o vírus Sars-Cov-2 se espalha facilmente entre pessoas próximas a bordo de navios e a chance de contrair Covid-19 nos cruzeiros é alta.

Dessa forma, a recomendação, segundo a agência, tem por objetivo proteger a saúde da população e evitar transtornos aos viajantes, considerando a possibilidade de interrupção e redução das programações dos navios por decisão sanitária, as indefinições que podem ocorrer para embarque e desembarque, com eventual necessidade de desembarque em porto diferente do inicialmente planejado e a possibilidade de quarentena dos navios, o que pode representar um desconforto para todos.

Uma hora antes do anúncio do cancelamento aos passageiros, a Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis em SP elevou para II o nível de segurança do Concais, a partir de 17h.

A determinação autorizou, inclusive, o ingresso da Polícia Militar dentro da Área do Porto de Santos, uma área federal, “em caso de distúrbio, invasão e grave perturbação da ordem na área portuária e interior de navios”.

Recomendação de suspensão da temporada

Em comunicado, a Anvisa reforçou novamente a recomendação de suspender a temporada de navios de cruzeiro no país. Veja posicionamento na íntegra:

“A Anvisa reforça a urgência da imediata interrupção da temporada de navios de cruzeiro no Brasil. Em que pese os esforços da Agência nos últimos dias para controlar a situação sanitária das embarcações, as ações são gravemente impactadas por falhas no cumprimento dos protocolos pactuados para início da temporada.

Em razão do grave risco à saúde da população, a Anvisa já recomendou ao Ministério da Saúde, desde o dia 31/12, que revisitasse a posição sobre a temporada de navios de cruzeiro disposta na Portaria GM/MS nº 2.928, de 2021, até que seja reavaliado o cenário sanitário e epidemiológico.

Conforme alertado às autoridades signatárias da Portaria Interministerial CC-PR/MJSP/MS/MINFRA 658, de 2021, a Agência segue aguardando a rápida e urgente manifestação do Ministério da Saúde, sob pena de graves episódios sanitários com risco à saúde pública”.

MSC

Por meio de nota, a MSC Cruzeiros contradiz a Anvisa, e afirma que a companhia recebeu a informação das autoridades de que o MSC Splendida não foi autorizado a realizar o embarque dos hóspedes no fim desta tarde.

A empresa afirma também que lamenta a situação e oferece aos hóspedes as opções de uma carta de crédito no valor do cruzeiro original, que pode ser resgatada em qualquer cruzeiro futuro até o dia 31 de dezembro de 2022 e, adicionalmente, um crédito a bordo de 200 USD/EUR por cabine para o próximo cruzeiro, ou o reembolso total dos valores pagos pelo cruzeiro.

A MSC informa que também será realizado o reembolso dos pacotes pré-pagos (bebidas, excursões, etc.) e que dará suporte aos hóspedes, incluindo apoio logístico, para que retornem para as suas casas. E, por fim, afirma que seguiu rígidos protocolos sanitários de prevenção à Covid-19.

MSC Preziosa tem cerca de 20 casos de Covid, segundo Secretaria de Saúde do Rio

A CLIA Brasil (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos) emitiu nota sobre a situação:

CLIA Brasil | Posicionamento sobre a Nota Técnica nº 5/2021/SEI/CORIS/GQRIS/GGPAF/DIRE5/ANVISA

O setor de cruzeiros recebeu com surpresa a recomendação da Anvisa de suspensão provisória da temporada temporada de navios, tendo em vista que os menos de 400 casos positivos identificados a bordo representam cerca de 0,3%, ou seja, uma pequena minoria dos 130 mil passageiros e tripulantes embarcados desde o início da atual temporada, em novembro.

Esses casos, em sua grande maioria assintomáticos ou com sintomas leves, foram identificados, isolados e desembarcados, conforme o protocolo vigente, assim como seus contatos próximos, representando pouca ou nenhuma carga para os recursos médicos de bordo ou em terra.

Fato este que comprova a eficiência dos rigorosos protocolos da indústria de cruzeiros, que foram desenvolvidos e aprovados em parceria com a Anvisa e outros órgãos governamentais para minimizar a possibilidade de infecções, priorizando a saúde e segurança dos hóspedes, tripulantes e das omunidades visitadas.

Levando em conta que nenhum ambiente está imune ao Covid-19, vale destacar que os navios, no momento em que vivemos, oferecem um dos maiores níveis de proteção, destacando-se como uma das mais seguras opções de férias, devido ao seu ambiente muito mais controlado, em relação a outros tipos de viagem ou meios de transporte, com destaque para o fato de que se trata de uma temporada 100% nacional, com hóspedes brasileiros, os mesmos que poderiam entrar nessas cidades por via terrestre ou aérea.

Entre esses protocolos, está o teste diário de mais de 10% da tripulação e dos passageiros, além da obrigação de testes pré-embarque, vacinação completa obrigatória para hóspedes e tripulantes (elegíveis dentro do Plano Nacional de Imunização), menor ocupação no navio, uso de máscaras, preenchimento de formulário de saúde pessoal (DSV – Declaração de Saúde do Viajante), plano de contingência com corpo médico especialmente treinado e estrutura com modernos recursos para atendimento dos hóspedes e tripulantes, além de medidas adicionais que continuam se mostrando eficazes.

Embora discordemos da recomendação dessa nota técnica, que se contrapõe ao que está ocorrendo em regiões como os Estados Unidos, Europa e Caribe, com operações de mais de 250 navios e 5 milhões de hóspedes embarcados, reforçamos o nosso compromisso em continuar colaborando e trabalhando ao lado da Anvisa, do Ministério da Saúde e das autoridades dos estados e cidades que recebem cruzeiros para promover a saúde e a segurança de todos.

Informações Adicionais

Os protocolos da indústria de cruzeiros estão entre os mais rigorosos para monitorar, detectar e agir contra potenciais casos de Covid-19. São eles:

  • Vacinação completa obrigatória para hóspedes e tripulantes (elegíveis dentro do Plano Nacional de Imunização).
  • Testagem pré-embarque (PCR até três dias antes ou Antígeno até um dia antes da viagem).
  • Testagem frequente de, no mínimo, 10% das pessoas embarcadas e tripulantes.
  • Capacidade reduzida a bordo para facilitar o distanciamento social de 1,5m entre os grupos e permitir a distribuição de cabines reservadas para isolar casos potenciais.
  • Uso obrigatório de máscaras.
  • Preenchimento de formulário de saúde pessoal (DSV – Declaração de Saúde do Viajante).
  • Ar fresco sem recirculação, desinfecção e higienização constantes.
  • Plano de contingência com corpo médico especialmente treinado e estrutura com modernos recursos para atendimento dos hóspedes e tripulantes.
  • Medidas de rastreabilidade e comunicação diária com a ANVISA, Municípios e Estados.

A temporada atual, que começou em novembro de 2021, tem previsão de movimentar mais de 360 mil turistas, com impacto de R$ 1,7 bilhão, além da geração de 24 mil empregos, envolvendo uma cadeia extensa de setores da economia, entre eles comércio, alimentação, transportes, hospedagem, serviços turísticos, agenciamento, receptivos e combustíveis, entre muitos outros.

Estima-se, conforme estudo da CLIA Brasil em parceria com a FGV, que cada navio gera em torno de R$ 350 milhões de impacto para a economia brasileira. A cada 13 cruzeiristas, um emprego é gerado.

Nos Estados Unidos, onde a temporada de cruzeiros foi retomada no mês de junho de 2021, mais de 100 navios embarcaram cerca de 1 milhão de pessoas, com mais de 10 milhões de testes de Covid-19 já aplicados, taxa 21x maior do que a testagem nos EUA.

Os dados mais recentes mostram que, mesmo com taxas de teste mais altas, a indústria de cruzeiros continua a atingir taxas significativamente mais baixas de ocorrência de COVID-19 nos EUA, 33% menores do que em terra.

Continuar lendo ANVISA EMITE COMUNICADO CONTAINDICANDO EMBARQUE DE PASSAGEIROS QUE POSSUEM VIAGENS PROGRAMADAS EM NAVIOS DE CRUZEIRO PARA OS PRÓXIMOS DIAS

STF COMEÇA 2022 SOB FORTE PRESSÃO DE MAGISTRADOS PARA QUE O JUDICIÁRIO RECEBA AUMENTO SALARIAL

STF tem 2022 com pressão por reajuste, julgamentos polêmicos e ministro novo

Plenário tem agenda cheia e deve decidir temas como restrições às operações em comunidades do Rio, negociação coletiva antes de demissões em massa e mudanças na Lei da Ficha Limpa

Basília Rodrigues

da CNN

em Brasília

Supremo também deve analisar em 2022 a criminalização de rachadinha e a exigência do passaporte da vacinaçãoSupremo também deve analisar em 2022 a criminalização derachadinha e a exigência do passaporte da vacinaçãoFellipe ]Sampaio/SCO/STF/Arte CNN

Supremo Tribunal Federal (STF) começa 2022 sob forte pressão de magistrados para que o Judiciário receba aumento salarial. O apelo das entidades que representam a magistratura já chegou ao presidente da corte, Luiz Fux. O ministro, por sua vez, tem sido resistente e não marcou sessão administrativa para discutir o assunto.

Os ministros foram para o recesso de fim de ano deixando esse impasse. A decisão depende de todo o colegiado do STF.

A ampliação do teto de gastos, aprovada pelo Congresso no fim de 2021, garantiu um extra aos orçamentos dos três Poderes, incluindo o Judiciário.

Porém, não há previsão orçamentária para que o valor seja utilizado em reajustes de magistrados e demais funcionários da Justiça.

Situação diferente da vivida pelo Poder Executivo, que tem R$ 1,7 bilhão carimbado exatamente para pagar reestruturação de carreiras ligadas ao governo federal, com ênfase para os policiais.

Para que o reajuste não beneficie somente uma categoria, a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) cobrou publicamente um posicionamento de Fux, o que não ocorreu até agora.

O STF retoma as sessões plenárias em 2 de fevereiro após o recesso de fim de ano. O ministro Luiz Fux dará início a seu último ano no comando da corte. A vice-presidente, Rosa Weber, assumirá a presidência, em setembro, às vésperas das eleições. Weber será a terceira mulher a presidir a corte, depois das ministras Cármen Lúcia e Ellen Gracie.

Terrivelmente estratégico

O novo ano reserva agenda cheia para a corte. As sessões deliberativas voltam a ter plenário completo, com 11 ministros, sendo que um deles terá importância estratégica para o Planalto. Será o primeiro ano do recém-empossado ministro André Mendonça, herdeiro de quase mil casos do ministro Marco Aurélio, que se aposentou em julho deste ano.

Antes da aposentadoria, o então ministro chegou a pedir para que seus votos fossem preservados em 16 julgamentos, o que foi negado por Fux. São todos processos que estavam em julgamento virtual mas, por força de destaques, serão levados à plenário, o que permite zerar o placar e iniciar a contagem de votos de novo.

Fux considerou que manter os votos de Marco Aurélio burlaria a regra interna e abriria precedente. Com isso, André Mendonça poderá votar, incluindo casos que interessam diretamente ao governo.

O ministro mais novo do STF irá ainda votar sobre decretos do governo Bolsonaro que facilitaram a aquisição de armas. Parte desses decretos está atualmente suspensa devido a decisões individuais da ministra Rosa Weber e do ministro Edson Fachin.

É com o voto de André Mendonça que o STF também deve decidir se detentas transexuais e travestis com identidade de gênero feminino podem escolher o presídio que irão cumprir pena. O julgamento está empatado.

Outros temas que vão a julgamento

A pauta com os principais julgamentos para o primeiro semestre de 2022 já foi definida. Logo na primeira sessão após o recesso, haverá o julgamento das restrições às operações em comunidades do Rio de Janeiro durante a pandemia da Covid-19.

Já a necessidade de negociação coletiva antes de demissões em massa deve ser julgada em 3 de fevereiro. A ação discute a dispensa de mais de 4.000 funcionários da Embraer, em 2009. No mesmo dia, está previsto julgamento sobre mudanças na Lei da Ficha Limpa, que teve trecho suspenso pelo ministro Nunes Marques, no fim de 2020.

O plenário da Suprema Corte irá decidir, em 16 de fevereiro, se é possível estender a licença-maternidade de 180 dias a servidores públicos que sejam pais solteiros.

No primeiro semestre de 2022, a corte deve encerrar ainda a votação sobre a criminalização da rachadinha, a exigência do passaporte da vacinação, a lei da Ficha Limpa, a prisão especial para formados no ensino superior, a legalidade dos jogos de azar, a recusa de bafômetro, a proibição de fogos de artifício ruidosos, conteúdos ofensivos na internet e a regulamentação de interceptações telefônicas.

Continuar lendo STF COMEÇA 2022 SOB FORTE PRESSÃO DE MAGISTRADOS PARA QUE O JUDICIÁRIO RECEBA AUMENTO SALARIAL

PRESIDENTE BOLSONARO ANUNCIA EM LIVE NOVO VALOR DO SALÁRIO MÍNIMO PARA 2022

Bolsonaro anuncia salário mínimo de R$ 1.212 em 2022

A última vez em que o salário mínimo teve ganho real foi no início de 2019, primeiro ano de mandato de Bolsonaro

Da CNN

Em São Paulo

O presidente Jair Bolsonaro (PL) anunciou, em sua última live do ano, nesta quinta-feira (30), que salário mínimo vai subir a R$ 1.212 a partir de 1º de janeiro de 2022. O valor é R$ 112 acima dos atuais R$ 1.100. Uma Medida Provisória (MP) será editada até esta sexta-feira (31) para estipular novo valor.

O reajuste repõe a perda no poder de compra dos brasileiros devido à alta de preços ao longo de 2021. Apesar da pressão por um reajuste acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), o governo não promoveu um aumento real do salário mínimo pelo impacto nas contas públicas, já que os benefícios da Previdência e também sociais estão atrelados ao piso.

O salário mínimo é base de referência para outras despesas, como os benefícios da Previdência Social e de assistência social a idosos e pessoas com deficiência (BPC), além do abono salarial.

O governo incorporou no salário mínimo de 2022 mais R$ 1,62 referente à inflação maior de 2020 que não havia sido contabilizada no valor deste ano. É que o valor do benefício foi definido antes da divulgação oficial do INPC fechado de 2020. O governo optou na época em não mudar o valor e incorporar o adicional em 2021, o que é previsto na legislação.

A última vez que o salário mínimo teve ganho real foi no início de 2019, primeiro ano de mandato de Bolsonaro, quando ele assinou um decreto atualizando o valor do piso de acordo com a política de valorização aprovada no governo Dilma Rousseff (PT) e válida de 2016 a 2019.

Desde então, o governo Bolsonaro tem concedido apenas aumentos para repor a inflação. Essa decisão tem sido influenciada pelo fato de o salário mínimo ser referência para dois terços da despesa pública, como benefícios previdenciários, assistenciais e seguro-desemprego.

A política de reajustes pela inflação e variação do Produto Interno Bruto (PIB) vigorou entre 2011 e 2019, mas nem sempre o salário mínimo subiu acima da inflação.

Em 2017 e 2018, por exemplo, foi concedido o reajuste somente com base na inflação porque o PIB dos anos anteriores (2015 e 2016) teve retração. Por isso, para cumprir a fórmula proposta, somente a inflação serviu de base para o aumento.

Continuar lendo PRESIDENTE BOLSONARO ANUNCIA EM LIVE NOVO VALOR DO SALÁRIO MÍNIMO PARA 2022

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar