MANIFESTAÇÕES: APESAR DO CORONAVÍRUS E DAS PROIBIÇÕES AS MANIFESTAÇÕES ACONTECERAM PELO BRASIL

Apesar de todas as recomendações do Ministério da Saúde e dos governos municipais o povo foi pras ruas se manifestar contra o Congresso Nacional e o STF. A Avenida Paulista permaneceu aberta para o trânsito de veículos para evitar aglomerações, mas mesmo assim as pessoas ignoraram e se reuniram na Paulista. Os atos também aconteceram em Brasília, Rio de Janeiro e nas principais cidades de outros Estados.

AO VIVO | Últimas notícias sobre o coronavírus

Após recomendar adiar protestos, Bolsonaro compartilha imagens dos atos a seu favor. Brasil tem 121 casos. Na Espanha, número de mortos dobra em 24 horas

Apoiadores de Bolsonaro protestam em Brasília contra o Congresso e o STF, apesar da recomendação do presidente dias atrás para que os atos fossem cancelados pelo risco do Covid-19. Alguns manifestantes usam máscaras.Apoiadores de Bolsonaro protestam em Brasília contra o Congresso e o STF, apesar da recomendação do presidente dias atrás para que os atos fossem cancelados pelo risco do Covid-19. Alguns manifestantes usam máscaras.SERGIO LIMA / AFP (AFP)

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) fez a Espanha decretar “estado de alarme”, uma medida que restringe a circulação das pessoas e determina o fechamento dos estabelecimentos comerciais que não vendam itens de necessidade básica. Já o presidente dos EUA, Donald Trump, foi submetido a um teste para verificar se havia contraído a doença, mas o resultado foi negativo. Enquanto o Governo brasileiro começa a endurecer as regras para enfrentar a pandemia de Sars-Cov-2. Até este sábado havia 121 casos confirmados pelo Ministério da Saúde no Brasil, número que tem subido exponencialmente, já que há dezenas de casos confirmados por hospitais particulares e secretarias estaduais de Saúde ainda não contabilizados.

Os destaques da cobertura da crise do coronavírus:

  • Manifestantes ignoram recomendação de evitar aglomerações e vão às ruas se manifestar a favor de Bolsonaro em Brasília e outras capitais do Brasil.
  • Após recomendar adiamento de protestos, Bolsonaro compartilha imagens dos atos a seu favor.
  • Número de mortes por coronavírus na Espanha dobra em 24 horas e vai a 288.
  • Sobe de 98 para 121 o número de casos de coronavírus no Brasil.
  • Resultado do exame de Donald Trump dá negativo pra o Covid-19.
  • Justiça suspende missas no Santuário de Aparecida, em São Paulo.

As últimas notícias ao vivo sobre a pandemia do coronavírus:

Fonte: El País
Continuar lendo MANIFESTAÇÕES: APESAR DO CORONAVÍRUS E DAS PROIBIÇÕES AS MANIFESTAÇÕES ACONTECERAM PELO BRASIL

MANIFESTAÇÕES: QUEM TEM CONSCIÊNCIA NÃO FICARÁ EM CASA NO DIA 15 DE MARÇO

As coisas que estão acontecendo um dia após o outro são quase inacreditáveis. A cara de pau dos parlamentares não tem óleo de peroba que lustre. É incrível a falta de consciência dessa escória humana. Por isso continuo, como desde o início, apoiando e incentivando essa manifestação do dia 15/03. Quem tem consciência não ficará em casa em hipótese alguma.

Vamos tirar o sossego da escória!

Um gigantesca manifestação popular deve acontecer no dia 15 de março

Os exterminadores do futuro querem impedir o combate à corrupção e preservar privilégios. Mas é preciso lembrar o que diz Edmund Burke:

“Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados”.

O Congresso, por exemplo, além de criar leis para atrapalhar quem investiga os graúdos, ameaça detonar a Lei da Ficha Limpa e acabar com a “delação premiada”.

E o STF reforma sua própria jurisprudência para manter fora da cadeia certos bandidos de estimação. Mas tudo seria

diferente, se não houvesse uma epidemia de comodismo no país.

Sim, o Brasil real, com virtudes e muitos defeitos, é produto da ação de todos: egoísmo de uns, omissão de muitos e esforço generoso de outros (que salvam a Pátria).

A maioria dos brasileiros tem boa inclinação moral. Mas, apesar da boa índole, ainda há muita gente omissa. E o Brasil precisa de todos!

A pergunta que cada brasileiro precisa fazer é “com quem estou: com os egoístas, com os omissos ou com quem tenta ajudar o Brasil?”

Manifestando-se nas ruas (dia 15) ou usando redes sociais, todo mundo pode fazer alguma coisa! E é mais decente do que só se queixar!

A escória que sequestrou nosso futuro vai perder o sossego se as ruas se encherem de gente com a energia boa que se viu em 2013.

Advogado e psicólogo. E-mail do autor: sentinela.rs@uol.com.br

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo MANIFESTAÇÕES: QUEM TEM CONSCIÊNCIA NÃO FICARÁ EM CASA NO DIA 15 DE MARÇO

MANIFESTAÇÕES: PRISÃO EM 2ª INSTÂNCIA JÁ

Neste domingo o povo foi pra rua mais uma vez para pedir aos congressistas que votem os projetos sobre prisão em 2ª instância urgentemente, ainda neste ano. É público e notório o corpo mole que os presidentes do senado e da câmara dos deputados estão fazendo para não votar neste ano esses projetos. Por isso a pressão popular é mais do que nunca vital para que isso acontece. Então precisamos entrar no site www.prisaoemsegundainstancia.com.br e acessar as contas dos parlamentares para votar esses projetos já! Vamos colaborar, vamos nos mobilizar! É o futuro do Brasil que está em jogo!

 

Fonte:

Continuar lendo MANIFESTAÇÕES: PRISÃO EM 2ª INSTÂNCIA JÁ

MANIFESTAÇÕES: ABAIXO ASSINADO PELO PACOTE ANTICRIME DE MORO PRECISA EMPLACAR

Na nossa coluna MANIFESTAÇÕES desta segunda-feira estou postando uma matéria sobre um abaixo-assinado a favor do Pacote Anticrime do ministro Sérgio Moro que já coletou 314 mil assinaturas, mas precisa chegar a 1 milhão. Por isso peço aos caros leitores deste blog que ajudem a divulgar até alcançarmos esse número de assinaturas. Acho que é indiscutível a necessidade e as benesses para a sociedade brasileira desse projeto ser viabilizado. Portanto minha gente vamos viralizar esse post!

Abaixo-assinado a favor do Pacote Anticrime de Moro ganha apoio da sociedade

Um abaixo-assinado lançado pelo Movimento Vem Pra Rua ultrapassou nesta segunda-feira (14) a barreira de 314 mil assinaturas. O objetivo é conseguir 1 milhão, o que deve fatalmente ser atingido nos próximos dias, em razão do extraordinário engajamento da sociedade

Assim que o objetivo for atingido o documento será entregue ao ministro Sérgio Moro.

No conteúdo postado na internet, é explicado que o Pacote Anticrime altera 14 leis do país, incluindo a de execuções penais e dos crimes hediondos, além dos códigos Penal, de Processo Penal e Eleitoral.

Veja abaixo, os principais pontos e, ao final, o link para assinar o abaixo-assinado:

Prisão após condenação em segunda instância, garantida por lei;

Aumentar efetividade do Tribunal do Júri, que julga homicídios dolosos;

Alteração das regras do julgamento dos embargos infringentes (recursos ao mesmo tribunal);

Maior efetividade da legítima defesa;

Endurecer o cumprimento das penas;

Alterar conceito de organização criminosa;

Elevar penas para crimes com armas de fogo;

Aprimorar a posse, pela União, de bens apreendidos comprados com dinheiro do crime;

Permissão para órgão de segurança usarem bens apreendidos de criminosos;

Reformar o crime de resistência, no qual pessoa se opõe com violência ou ameaça a cumprir ordem legal de autoridade;

Soluções negociadas no Código de Processo Penal e na Lei de Improbidade;

Alteração da competência para facilitar o julgamento de crimes complexos com reflexos eleitorais;

Criminalizar o uso de caixa dois em eleições;

Alterar o regime de interrogatório por videoconferência;

Dificultar a soltura de criminosos habituais;

Alterar o regime jurídico dos presídios federais;

Aprimorar a investigação de crimes (com banco de DNA e de dados biométricos e uso de agentes disfarçados dentro de organizações criminosas);

Criar figura do “informante do bem” (“whistleblower”).

Link para assinar a petição: CLIQUE AQUI

da Redação

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo MANIFESTAÇÕES: ABAIXO ASSINADO PELO PACOTE ANTICRIME DE MORO PRECISA EMPLACAR

MANIFESTAÇÃO: CORREIOS ENTRAM EM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

Na coluna MANIFESTAÇÕES desta quinta-feira os funcionários dos CORREIOS entram em greve, por tempo indeterminado, em protesto à privatização. Fique ligado e saiba como vai ficar o atendimento durante esse período!

Funcionários deflagram greve, e Correios paralisam atividades no RN

Na quarta-feira, trabalhadores se reuniram na Avenida Hermes da Fonseca, em frente ao Complexo dos Correios, no bairro do Tirol, em um ato público.

12/09/2019 às 08:02

José Aldenir / Agora RN

Trabalhadores protestaram nesta quarta-feira na Av. Hermes da Fonseca, em Natal

Sem boleto de cobrança ou encomendas por tempo indeterminado. É o que acontece desde a quarta-feira, 11, com a adesão das 50 agências dos Correios do Rio Grande do Norte, incluindo as de Natal, à greve nacional da categoria.

O presidente do Sindicato dos Correios do Rio Grande do Norte (Sintect-RN), Edilson Shampoo, garantiu nesta quarta-feira que 80% de toda a força de trabalho dos Correios no Estado está paralisada. Entre carteiros, atendentes e pessoal interno das agências.

Nesta quarta, os funcionários se reuniram na Avenida Hermes da Fonseca, em frente ao Complexo dos Correios, no bairro do Tirol, em um ato público. A mesma coisa aconteceu em Mossoró.

Além da pauta salarial, a principal motivação da greve é a intenção do governo Bolsonaro de privatizar os Correios. “Nossa luta é contra também é pela manutenção de cláusulas sociais, econômicas e trabalhistas no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT)”, afirmou.

Segundo o sindicato, as negociações foram encerradas após a negativa da estatal em dialogar com a representação dos trabalhadores e com o Tribunal Superior do Trabalho (TST), que chegou a sugerir a mediação das negociações entre as partes.

Os funcionários dos Correios decidiram entrar em greve por tempo indeterminado, em todo o Brasil, a partir das 22h desta terça-feira. Assembleias foram realizadas na noite de terça em todo o país para decidir se deflagrariam o movimento.

O acordo coletivo da categoria valia até o início do mês passado. Os funcionários já ameaçavam deflagrar a greve desde então. Houve uma audiência no Tribunal Superior do Trabalho (TST), pouco antes da data-limite, na qual empregados e empresa aceitaram prorrogar a convenção até 31 de agosto, dando mais prazo para tentar avançar nas negociações. Durante esse período, o combinado era que os sindicatos não começassem greve.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo MANIFESTAÇÃO: CORREIOS ENTRAM EM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

PONTO DE VISTA: ESTE É MAIS UM RECADO AO POVO BRASILEIRO QUE NÃO PODE SE ISENTAR DA RESPONSABILIDADE

Caro(a) leitor(a),

Os famigerados ministros do STF não escondem mais que são inimigos da Lava Jato. Agora a guerra está declarada. E o povo brasileiro só tem uma saída, já que estes togados de meia tigela não podem ser destronados numa simples canetada de alguém. Temos que ir pra rua com força no próximo dia 25 e mostrar quem é que manda aldeia. Não podemos mais ficar passivos diante de toda a bagunça que está acontecendo. O artigo a seguir é mais um exemplo cristalina disso. Porque ou vai ser o povo nas ruas ou as forças armadas. Ai vocês decidem!

Em guerra declarada contra a Lava Jato, Gilmar parte pra cima de Marcelo Bretas

A sorte está lançada. Ou o povo brasileiro reage em apoio a Lava Jato, ou os inimigos da maior operação contra a corrupção da história irão triunfar.

Nesse sentido, o ministro Gilmar Mendes tomou uma decisão nesta quinta-feira (15) que atinge duramente o juiz Marcelo Bretas.

Com base numa decisão manifestamente ilegal de Dias Toffoli, conforme já demonstrado pelo jurista Modesto Carvalhosa, que suspendeu investigações abertas com dados do COAF, o ministro Gilmar Mendes se chafurdou ainda mais na ilegalidade, determinando a suspensão de um processo da Lava Jato no Rio de Janeiro.

Bretas havia negado o pedido de suspensão do processo feito por Lineu Castilho Martins, denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro, baseando-se no fato de que os dados utilizados não eram do COAF, mas da Receita Federal. Pois bem, Gilmar detonou o veredito do magistrado, justificando que a decisão – ilegal – de Toffoli também se estendia aos dados obtidos com a Receita.

Assim, para alegria do tal Lineu, o processo está suspenso.

Para tudo isso, fica a velha máxima:

“Quem fiscaliza o fiscal”.

A resposta está no primeiro parágrafo.

da Redação

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo PONTO DE VISTA: ESTE É MAIS UM RECADO AO POVO BRASILEIRO QUE NÃO PODE SE ISENTAR DA RESPONSABILIDADE

MANIFESTAÇÕES: DIA 25 PELO IMPEACHMENT DOS MINISTROS DO STF E PELA DESAPROVAÇÃO DO AUMENTO DO FUNDO PARTIDÁRIO

Caro(a) leitor(a),

Na coluna MANIFESTAÇÕES desta quinta-feira estou publicando uma parte da ENTREVISTA com os representantes do Movimento Nas Ruas, conclamando o povo para ir às ruas no dia 25 de Agosto contra a intenção dos parlamentares que querem aumentar o Fundo Partidário dos já IMORAIS 1,7 bilhão de reais para 3,7 bilhões de reais. Um verdadeiro descaramento que o povo não pode deixar passar em hipótese alguma. Temos que ser vigilantes, pois como diz o velho ditado: “A ocasião é que faz o ladrão” e, infelizmente, no nosso país ainda não chegou o tempo em que cada cidadão agirá segundo a sua própria consciência. O Movimento deste dia 25 ainda vai pressionar o senado pelo impeachment de 4 dos ministros do STF. Portanto, solicito que repassem este vídeo com muita força, para a maior quantidade de pessoas possível para que no dia 25  o máximo de pessoas vão paras as ruas dar a sua contribuição á nossa débil democracia. Para fazer dessa débil democracia uma democracia forte, madura e dinâmica. 

Fonte: 

Publicado em 13 de ago de 2019

Continuar lendo MANIFESTAÇÕES: DIA 25 PELO IMPEACHMENT DOS MINISTROS DO STF E PELA DESAPROVAÇÃO DO AUMENTO DO FUNDO PARTIDÁRIO

POLÊMICA: PL DO MAJOR OLÍPIO PREVÊ QUE TODAS AS PESSOAS PASSAM A SER DOADORAS DE ÓRGÃOS

Na coluna POLÊMICA desta sexta-feira um Projeto de Lei de autoria do Senador Major Olímpio que torna todas as pessoas doador de órgãos, salvo manifestação contrária, está em tramitação no senado e encontra muitos obstáculos, visto que, é um assinto muito polêmico, pois dá margem a muitas interpretações. Leia a reportagem a seguir e tire suas conclusões!

Projeto de Lei torna toda pessoa doadora de órgãos, salvo manifestação contrária

O tema está causando polêmica nas redes sociais.

Redação

Publicado  em 

Por  

 

Projeto de Lei torna toda pessoa doadora de órgãos, salvo manifestação contrária 20

Jacek Turczyk | EPA

 

Um novo projeto que segue em tramitação no Senado Federal pode disparar o número de transplantes de tecidos, órgãos e partes do corpo humano no Brasil.

A proposta é do senador Major Olimpio (PSL-SP), que pretende revisar a legislação que regulamenta a doação pós-morte (Lei 9.434, de 1997) e quer enquadrar os crimes ligados à remoção ilegal de órgãos na Lei de Crimes Hediondos (Lei 8.072, de 1990), como informa o Senado Noticias.

O PL de número 3.176/2019 estabelece que a doação de órgãos e tecidos seja um consentimento presumido.

“Ou seja, caso a pessoa maior de 16 anos não se manifeste contrária à doação, ela é considerada doadora até que se prove o contrário. A retirada do material em menores de 16 e pessoas com deficiência mental sem discernimento depende de autorização do parente, maior de idade, obedecida a linha sucessória, reta ou colateral, até o quarto grau, inclusive”, diz um trecho da matéria registrada pelo portal oficial do Senado.

Para Major Olimpio, a medida é positiva.

“Isso pode refletir positivamente no número de transplantes de órgãos — o que, consequentemente, representa a sobrevida de milhares de pessoas que atualmente estão em filas de espera por um transplante”, afirma o parlamentar.

Segundo ele, a proposta também prevê um endurecimento contra quem comete crimes relacionados a órgãos.

“A proposta não só aumenta o apenamento dos crimes já existentes relacionados a órgãos de pessoas, mas também os coloca no rol de crimes hediondos, tendo em vista o caráter repugnante da prática de infrações penais envolvendo vidas e órgãos humanos”, explica Major Olimpio.

Repercussão e polêmica

Nas redes sociais, como Facebook e Twitter, por exemplo, a medida causou incômodo entre muitos usuários.

Nesta quinta-feira (1) o nome do major Olimpio chegou a ficar entre os assuntos mais comentados nas duas redes.

O motivo da rejeição do projeto é que, na prática, o Estado passaria a ser tutora de órgãos – visto que assegura a necessidade de apresentar uma documentação contrária para que a doação de órgãos não ocorra.

Agora o Estado também dono do seu corpo. Todos somos doadores de órgãos”, escreveu o internauta Eduardo Rodrigues.

Eu estava me recusando a acreditar que os cara estão defendendo o estado para ser praticamente dono dos seus órgãos. Mas está acontecendo mesmo”, disparou outro internauta sobre o assunto.

Para Guilherme, usuário do Twitter que usou à plataforma para comentar o caso, há uma ‘manobra’ diante desse novo projeto de lei.

Não há nada de errado em doar órgãos. Tem em achar que o Estado pode alegar propriedade sobre o corpo de desavisados. Essa lei é claramente uma manobra para se apossar dos órgãos dos outros. Como você não vê problema nisso? Eu posso alegar ser dono do seu corpo quando morrer?”, indagou.

Qual a sua opinião sobre o assunto? Às 09h00 desta sexta-feira, o portal do Conexão Política abrirá uma ‘consulta pública’ sobre o tema. Fique ligado!

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo POLÊMICA: PL DO MAJOR OLÍPIO PREVÊ QUE TODAS AS PESSOAS PASSAM A SER DOADORAS DE ÓRGÃOS

POLÍTICA: PESQUISA MOSTRA QUE SÉRGIO MORO AINDA É A PERSONALIDADE MAIS POPULAR DO BRASIL

Na coluna POLÍTICA desta sexta-feira temos mais uma enquete que mediu a popularidade de Sérgio Moro e outras figuras da política nacional. O ministro da Justiça volta a crescer nas pesquisas em sua popularidade, mostrando que continua sendo a personalidade mais popular do brasil. Veja o artigo a seguir e tire suas conclusões! 

A impressionante inteligência popular: Pesquisa identifica crescimento de Moro e queda de Lula

Sim, Sérgio Moro experimentou queda em sua popularidade tão logo o criminoso Glenn Greenwald iniciou os seus ataques utilizando mensagens roubadas por hackers, sem qualquer autenticidade e, como se viu, adulteradas, inclusive com troca de nomes.

A extrema-imprensa, com manchetes sensacionalistas e fora de contexto, também influenciou a opinião pública.

Porém, na medida em que todas as situações estão sendo esclarecidas e que a atuação escorreita do então juiz vai sendo demonstrada, tudo está voltando a ordem, inclusive a popularidade de Moro.

Segundo o Atlas Político, que faz pesquisas mensais sobre o assunto, a popularidade de Sergio Moro parou de cair e voltou a subir, passando de 50,4% para 51,4%.

Ele continua sendo a personalidade mais popular do Brasil, seguido por Jair Bolsonaro.

Veja os dados abaixo:

da Redação

Fonte: Jornao da Cidade On Line

Continuar lendo POLÍTICA: PESQUISA MOSTRA QUE SÉRGIO MORO AINDA É A PERSONALIDADE MAIS POPULAR DO BRASIL

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

Por G1

 

Governo bloqueia mais R$ 1,4 bilhão em gastos no Orçamento. Bolsonaro volta a criticar o Inpe e quer ser avisado antes sobre os números de desmatamento. O governador da Bahia desiste de inaugurar aeroporto ao lado do presidente. A nova tabela do frete é suspensa após críticas de caminhoneiros. Mais 51 agrotóxicos são liberados. No Rio, um juiz causa polêmica ao citar ‘área de risco’ para tirar menino da guarda da mãe. Mais medidas são tomadas para conter a explosão de sarampo em SP. E o fim de um mistério no Mediterrâneo: submarino é encontrado após 51 anos.

INTERNACIONAIS

Tensão no Oriente Médio

Localização Estreito de Ormuz — Foto: Diana Yukari/Guilherme Pinheiro/G1Localização Estreito de Ormuz — Foto: Diana Yukari/Guilherme Pinheiro/G1

O Reino Unido exigiu que o Irã liberte o petroleiro de bandeira britânica retido no estreito de Ormuz, na sexta. “O navio foi capturado sob pretensões falsas e ilegais e os iranianos devem libertá-lo, assim como sua tripulação, imediatamente”, disse o porta-voz da premiê Theresa May.

O país persa afirmou que o barco foi capturado após uma colisão com um pesqueiro. O Reino Unido, no entanto, não aceitou a explicação.

Fim do mistério

O submarino francês "La Minerve", em foto não datada. — Foto: STF/AFPO submarino francês “La Minerve”, em foto não datada. — Foto: STF/AFP

O submarino La Minerve, que desapareceu misteriosamente há 51 anos, foi localizado com ajuda de sondas na costa de Toulon, no sudeste da França, a 2.370 metros de profundidade no Mar Mediterrâneo. Em outubro do ano passado, as famílias das 51 vítimas que estavam no submarino lançaram um apelo para a retomada das buscas.

NACIONAIS

Bloqueio de gastos

Com o fraco desempenho do PIB, o Ministério da Economia anunciou um novo bloqueio, de R$ 1,4 bilhão, no Orçamento deste ano. Não foi informado quais áreas serão afetadas. Segundo o governo, isso deve ser anunciado na semana que vem. No fim de semana, Bolsonaro afirmou que deveria fazer um corte de R$ 2,5 bi — valor que chamou de ‘merreca’ — em um único ministério.

Dados do desmatamento

Bolsonaro diz que divulgação de dados ambientais 'dificulta' negociações comerciais

Bolsonaro diz que divulgação de dados ambientais ‘dificulta’ negociações comerciais

Bolsonaro voltou a criticar os dados do Inpe sobre desmatamento e cobrou acesso aos números antes de qualquer divulgação. “Não posso ser pego de calças curtas”, afirmou o presidente. Segundo ele, a divulgação de dados sobre a Amazônia dificulta negociações comerciais com outros países.

Na sexta, Bolsonaro questionou os números do Inpe sobre o aumento do desmatamento e disse a jornalistas estrangeiros que se existisse toda a devastação que o mundo acusa o Brasil de fazer, “a Amazônia já teria se extinguido”.

Ele também levantou suspeita de que o diretor do Inpe Ricardo Magnus Osório Galvão estaria “a serviço de alguma ONG”. Galvão respondeu no dia seguinte negando as acusações e reafirmando a veracidade dos dados.

A declaração de Bolsonaro colocando em dúvida a credibilidade dos dados sobre desmatamento motivou a publicação de um manifesto assinado por cientistas.

Segundo os dados mais recentes do Inpe, o desmatamento da Amazônia atingiu 920,4 km² em junho, um aumento de 88% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Conselhos em risco

Bolsonaro afirmou que pretende extinguir “a grande maioria dos conselhos” formados por representantes do governo e da sociedade civil. A declaração foi dada pelo presidente ao ser questionado sobre um decreto que retirou do Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas as vagas destinadas e especialistas e sociedade civil.

Representantes de médicos, de psicólogos e da OAB que perderam assento no colegiado veem retrocesso na medida.

Mais agrotóxicos

O Ministério da Agricultura aprovou o registro de mais 51 agrotóxicos, um deles ligado à morte de abelhas. O produto é estudado no exterior e o governo promete regras para o uso do defensivo.

A medida foi criticada pelo Greenpeace, que aponta risco para a população.

Ao todo, o governo liberou 262 agrotóxicos no ano. O ritmo de liberação de novos pesticidas é o mais alto já visto para o período.

Bolsonaro na Bahia

Vídeo: Rui Costa diz que não vai à inauguração de aeroporto em Vitória da Conquista

Vídeo: Rui Costa diz que não vai à inauguração de aeroporto em Vitória da Conquista

O governador da Bahia, Rui Costa, disse que não irá à inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista após a confirmação da presença de Bolsonaro no evento, amanhã. Costa gravou um vídeo em que diz que o ato se transformou em um ato político-partidário.

Essa será a primeira vez que Bolsonaro irá ao Nordeste após causar indignação ao usar um termo pejorativo para se referir aos nordestinos.

Em conversa informal com o ministro Onyx Lorenzoni, Bolsonaro afirmou que daqueles “governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão; tem que ter nada com esse cara”.

Em resposta, governadores do Nordeste divulgaram uma carta em que cobravam explicações do presidente.

No fim de semana, Bolsonaro se explicou e disse que a declaração não passava de crítica aos governadores do Maranhão, Flávio Dino, e da Paraíba, João Azevêdo: “Vivem me esculhambando”.

Tabela do frete

A pressão dos caminhoneiros fez a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) suspender a nova tabela do frete. Com isso, voltam a vigorar as regras editadas após o fim da greve de 2018. Uma nova rodada de negociações também foi anunciada.

Segundo o governo, a categoria ameaçava iniciar uma paralisação caso não fosse revista a metodologia implementada em resolução da semana passada. Para os caminhoneiros, a tabela não considerou a remuneração dos motoristas no cálculo do piso do frete.

Violência como argumento

 Rosilaine Santiago luta na Justiça para permanecer com a guarda do filho — Foto: Arquivo pessoal Rosilaine Santiago luta na Justiça para permanecer com a guarda do filho — Foto: Arquivo pessoal

Um juiz decidiu dar a guarda de um menino de 8 anos para o paiporque considerou que o Rio de Janeiro, cidade onde a mãe da criança mora, é muito perigosa. Na decisão, o magistrado também afirmou que o garoto precisa de um exemplo paterno. Ainda cabe recurso.

A mãe, Rosilaine Santiago, trabalha como agente comunitária de saúde há quatro anos, com carteira assinada, e tem casa própria no bairro de Manguinhos, na Zona Norte do Rio. O filho, que estuda em um colégio particular, mora com ela e um meio-irmão mais velho, de 15 anos.

“Meus filhos são tudo para mim. Não foram acidentes. Foi tudo preparado para a chegada deles. Eu sempre fiz e faço tudo por eles”, disse Rosilaine.

Explosão de sarampo

A Prefeitura de SP fará vacinação contra o sarampo nas escolas para tentar conter o surto da doença na cidade. São 363 só na capital, o maior número dos últimos 20 anos. No estado, os casos passaram de 51 para 484. O objetivo é imunizar cerca de 3 milhões de jovens entre 15 e 29 anos, mas até agora só 6% da meta foi atingida.

Também teve isso…

 

Por Blog do BG

Diminuição da pobreza não eliminou a desigualdade racial, diz Ipea

Foto: AFP 

Em 2004, as pessoas com a cor de pele preta tinham chance 2,5 vezes maior de serem pobres que os brancos. No caso dos pardos, a possibilidade de serem pobres era 3,2 vezes maior. Passados dez anos, “a chance de pretos serem pobres ainda era 2,1 vezes maior que a dos brancos, enquanto a dos pardos permanecia alta, 2,6 vezes maior”. A análise está registrada em estudo recentemente publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O estudo compara dados exclusivamente entre 2004 e 2014.

Os números indicam resiliência de mudança da estrutura social brasileira, mesmo em fase que se observou crescimento econômico. “Os resultados podem chamar a atenção do movimento negro para o fato de que não há muito o que comemorar daquele momento”, aponta o autor do estudo Rafael Guerreiro Osorio, que é técnico do Ipea e coordenador de pesquisas no Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo.

O trabalho não busca causas para a manutenção da desigualdade racial em alto nível, “isso depende de vários fatores”. Osório assinala, no entanto, que no período de 2004 a 2014 o país não quis tratar do conflito distributivo. “Tinha o [Programa] Bolsa Família, mas havia também o bolsa BNDES”, disse à Agência Brasil, se referindo à manutenção de privilégios a alguns setores econômicos ao mesmo tempo que se ampliava políticas sociais.

Osório pondera que há sobreposição entre as desigualdades raciais e regionais; diferenças no acesso ao ensino de qualidade (com bons resultados educacionais) e também na inclusão no mercado de trabalho, que pode ter agravado durante a recessão de 2015 a 2016. “Na crise, pretos e pardos tendem a ficar mais tempo condenados ao mercado informal.”

Para Osório, o crescimento econômico é “o maior responsável pela melhoria de renda e de condições de vida”. Ele defende a necessidade de reformas como a da Previdência Social, aprovada em primeiro turno na Câmara dos Deputados, e a tributária, em discussões paralelas no Poder Executivo, no Senado e na Câmara.

Segunde ele, a reforma da Previdência “é necessária para sanear as contas públicas e para o Estado poder fazer mais políticas sociais”. Além disso, ele avalia que “qualquer movimento” no sentido de tornar menos injusto o acesso a aposentadorias e pensões “é positivo”.

No caso de uma eventual reforma tributária, a medida “é fundamental do ponto de vista das desigualdades. É preciso mudar a forma de tributação, aumentar a carga nos impostos diretos [como imposto de renda] e diminuir a carga nos impostos indiretos [pagos na aquisição de produtos e mercadorias, como o ICMS].”

O estudo do Ipea considera dados coletados nas pesquisas nacionais de amostra domiciliar (Pnad) feitas em dez anos, para pessoas que dispunham de US$ 0,10 a US$ 10,00 por dia (de R$ 5,05 a R$ 504,55 per capita mensais a preços de dezembro de 2011).

Agência Brasil

Comments

Em nova proposta, governo agora quer limitar saques do FGTS a R$ 500 em 2019

O governo estuda agora limitar os saques das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em R$ 500 neste ano. O valor máximo seria para contas ativas (dos contratos atuais) e inativas (de contratos inativos). Independentemente de quantas contas tiver, o trabalhador só poderia sacar no máximo esse valor para cada conta que tiver.

O limite foi discutido nesta segunda-feira em uma reunião no Ministério da Economia, segundo apurou o Estadão/Broadcast. O público-alvo da medida são 100 milhões de contas do fundo (um trabalhador pode ter mais de uma conta).

A partir do ano que vem, a ideia é permitir que os trabalhadores tenham direito a uma nova modalidade de retirada dos recursos: o “saque aniversário”. Se escolher essa opção, o trabalhador vai ter que abrir mão de resgatar a totalidade do fundo caso seja demitido sem justa causa. Nessa situação, ele continuaria a sacar a parcela dos recursos anualmente até acabar.

A ideia agora é ampliar as faixas do saque aniversário. Estão sendo estudadas faixas de limite e também um valor fixo. Por exemplo: quem tem até R$ 500, poderia sacar a metade. A partir daí, seria fixado um porcentual mais um valor fixo. Para quem tem acima de R$ 20 mil, a opção estudada é limitar em 5% mais um valor fixo de R$ 2,9 mil.

Na quarta-feira passada, o Estadão/Broadcast revelou que o governo estudava liberar até 35% das contas ativas e inativas do FGTS. A reportagem também antecipou que estava sendo estudada uma forma de limitar o saque total em caso de demissão sem justa causa, mas que haveria uma compensação ao permitir que o trabalhador sacasse uma parcela do fundo todo ano no mês de aniversário.

Depois da divulgação, o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou os porcentuais e adiantou que a liberação teria potencial de injetar R$ 42 bilhões na economia. Em seguida, o Ministério da Economia afirmou que refez os cálculos e que deveriam ser liberados R$ 30 bilhões.

O secretário de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, afirmou nesta segunda-feira (22) que a liberação de recursos terá um impacto “considerável” e “substancial” na economia brasileira.

O anúncio era para ser feito na semana passada, em meio à solenidade de 200 dias de governo Bolsonaro, mas o setor da construção civil pressionou preocupado que a retirada dos recursos poderia reduzir o uso do FGTS como fonte para financiamentos para os setores imobiliário, de saneamento básico e infraestrutura a juros mais baixos. O presidente Bolsonaro disse que o anúncio deve ser feito na próxima quarta-feira.

O limite de R$ 500 para este ano seria uma forma de atender à construção civil. Um dos principais apoiadores do setor é o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. No Ministério da Economia, porém, há quem acredite que um valor tão baixo vai ter pouco efeito na atividade econômica neste ano. Na Caixa, por outro lado, há reclamações de que será preciso um grande esforço no atendimento – que deverá ser ampliado para os fins de semana – sem nenhum tipo de retorno para o banco.


Estadão Conteúdo

Comments

Damares: governo tem feito ‘releitura’ de direitos humanos

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil 

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou hoje (22) que o governo federal tem apresentado à sociedade brasileira uma “releitura sobre o que são direitos humanos”, por dar voz a pessoas “invisíveis”. A ministra disse que o Poder Executivo tem abolido termos como “gênero” em documentos endereçados a organizações de defesa de direitos humanos – inclusive, de âmbito internacional – porque a legislação brasileira não os utiliza largamente. A decisão de abandonar determinadas expressões foi mencionada pelo presidente Jair Bolsonaro, em sua conta no Twitter, há duas semanas.

A ministra apresentou um balanço dos 200 primeiros dias de atuação na pasta e, na sequência, conversou com jornalistas. Ela informou que o programa Mulher, Viver sem Violência está passando por uma reformulação, para que tenha quatro modelos diferentes de atendimento a mulheres vítimas de violência. A mudança tem por objetivo adaptar o carro-chefe do programa, as unidades Casa da Mulher Brasileira, a demandas específicas de comunidades.

Segundo Damares, o “formato gigante” da Casa da Mulher Brasileira, que foi concebido para abranger atividades multidisciplinares, “não está satisfazendo as necessidades de algumas regiões”. “Nós temos lugares que querem unidade menor. Por exemplo, nós temos cidades onde a delegacia [especializada] da mulher funciona muito bem onde está, a vara de enfrentamento funciona muito bem no fórum. Então, não precisa de um espaço muito grande pra levar toda a rede”, acrescentou.

Perguntada sobre qual é o orçamento que deseja para o próximo ano, a ministra informou que o valor ideal é de R$ 1 bilhão. Atualmente, frisou, dispõe de cerca de R$ 250 milhões.

A ministra avalia que quadruplicar a quantia é necessário para que possa manter seu planejamento, que inclui, por exemplo, o fornecimento de cisternas a comunidades tradicionais. No total, a pasta prometeu entregar cisternas a 3.757 famílias do Semiárido, até setembro. Os habitantes concentram-se em seis estados – Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco e Piauí – e regiões onde é detectada a carência de infraestrutura básica de acesso à água.

Uma das comunidades beneficiadas é a Kalunga, que vive no município de Cavalcante (GO). Segundo Damares, duas das 140 cisternas prometidas já foram entregues.

Agência Brasil

Comments

LOCAIS

Marinha alerta para incidência de ondas de até 3,5 metros no litoral potiguar

A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, participa que haverá Mar Grosso no litoral do Nordeste do Brasil de Salvador (BA) a Natal (RN), com ondas de Sudoeste/Leste de até 3,5 metros.

A previsão meteorológica descrita acima, está válida do dia 22/07 ao dia 25/07/2019, 18h e refere-se ao Aviso de Mau Tempo no 850/2019, divulgado pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM).

A Marinha do Brasil mantém todos os avisos de mau tempo em vigor no endereço eletrônico https://www.marinha.mil.br/chm/dados-do-smm-avisos-de-mau-tempo/avisos-de-mau-tempo.

Adicionalmente, as informações meteorológicas podem ser visualizadas na página do Serviço Meteorológico Marinho no Facebook, no link: https://www.facebook.com/servicometeorologicomb/, e por meio do aplicativo “Boletim ao Mar”, disponível para download na internet, tanto para o sistema Android quanto para iOS, desenvolvido em parceria entre a Marinha do Brasil e o Instituto Rumo ao Mar (RUMAR).

Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita-se ampla divulgação às comunidades de Pesca e Esporte e Recreio.

Recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

EDITORIAL: O DELÍRIO DE BOLSONARO AO INDICAR O FILHO EDUARDO PARA EMBAIXADOR DOS ESTADOS UNIDOS

No nosso EDITORIAL deste sábado a minha irritação com o presidente Jair Bolsonaro que não consegue ficar pelo menos duas semanas sem criar nenhuma polêmica ou constrangimento para o povo brasileiro que votou nele e se obriga a escutar uma enxurrada de asneiras que os petistas de plantão descarregam a cada pisada de bola que ele dá!

Fonte:

Fonte: 

Publicado em 12 de jul de 2019

Continuar lendo EDITORIAL: O DELÍRIO DE BOLSONARO AO INDICAR O FILHO EDUARDO PARA EMBAIXADOR DOS ESTADOS UNIDOS

PROTESTO: BUGUEIROS DE NATAL PARAM CONTRA CAPACITAÇÃO DE NOVOS PROFISSIONAIS

A coluna PROTESTO desta terça-feira traz a paralisação dos bugueiros de Natal contra curso de capacitação para formar novos profissionais na área. Confira o por quê da MANIFESTAÇÃO e demais detalhes a seguir.

Bugueiros de Natal suspendem passeios turísticos em protesto

Protesto foi realizado em frente ao Centro de Convenções, na Via Costeira; é neste local que fica a sede da Secretaria Estadual de Turismo

Por Agora RN

Bugueiros protestam contra a capacitação de novos profissionais. Foto: José Aldenir / Agora RN.

Os bugueiros do Rio Grande do Norte paralisaram os passeios turísticos em Natal nesta terça-feira. De acordo com a categoria, a paralisação segue até o meio-dia e ocorre como protesto contra um curso que será realizado pelo Estado para habilitar novos profissionais na área.

Representantes dos bugueiros marcaram uma reunião com a Secretaria de Turismo para negociar um acordo.

O protesto foi realizado em frente ao Centro de Convenções, na Via Costeira. É neste local que fica a sede da Secretaria Estadual de Turismo.

Segundo o Sindibuggy, o protesto se dá em razão da quantidade considerada de profissionais já atuantes na área, em um momento de baixa econômica para a profissão. Hoje, a categoria possui 723 buggys credenciados no Rio Grande do Norte.

A justificativa da Setur é que a criação do curso e a capacitação de novos condutores foi uma recomendação do Ministério Público do Rio Grande do Norte.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo PROTESTO: BUGUEIROS DE NATAL PARAM CONTRA CAPACITAÇÃO DE NOVOS PROFISSIONAIS

MANIFESTAÇÕES: O CONTUNDENTE DISCURSO DO GENERAL HELENO NA MANIFESTAÇÃO EM FRENTE AO CONGRESSO NACIONAL

Na nossa coluna Manifestações desta segunda-feira você vai conferir como foi o genia e contundente discurso do General Heleno na manifestação deste domingo em frente  ao Congresso Nacional. Assista ao discurso e tire suas conclusões.

Fonte: 

Publicado em 30 de jun de 2019

Continuar lendo MANIFESTAÇÕES: O CONTUNDENTE DISCURSO DO GENERAL HELENO NA MANIFESTAÇÃO EM FRENTE AO CONGRESSO NACIONAL

MANIFESTAÇÕES: PRÓXIMO MOVIMENTO DA DIREITA

A coluna MANIFESTAÇÕES desta quinta-feira traz a agenda da direita para o próximo movimento de apoio à Reforma da Previdência. Confira.

Em Natal, grupos de direita realizam movimento neste domingo

Em Natal, a manifestação está marcada para às 15h, na frente do Midway Mall, no cruzamento das avenidas Salgado Filho e Bernardo Vieira

Por Agora RN

 

Manifestantes se reunirão em todo Brasil no próximo domingo, 30. Foto: José Aldenir / Agora RN.

No próximo domingo, 30, movimentos de direita o Brasil vão às ruas para defender a aprovação das pautas do governo que envolvem a Reforma da Previdência, o pacote Anti-crime, defesa da Lava Jato e do ministro Sérgio Moro. Em Natal, a manifestação está marcada para às 15h, na frente do Midway Mall, no cruzamento das avenidas Salgado Filho e Bernardo Vieira.

De acordo com Carlos Reny, um dos organizadores do evento, “o desinteresse do Centrão e da esquerda em aprovar essas pautas e o esquema montado para desconstruir a Lava Jato, é um momento crítico para o Brasil”.

“A velha política continua agindo sem aceitar a vontade do povo demonstrada nas urnas no pleito passado. O povo quer as mudanças necessárias para o Brasil seguir rumo ao desenvolvimento. Estamos atentos e cada vez mais cobrando e expondo os parlamentares que agem errado”, pontua.

O movimento do próximo domingo está sendo organizado em Natal pelo Grupo Força Democrática, junto com o Grupo Radar, Endireita Natal, Puro Sangue e o Grupo Operação DJ.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo MANIFESTAÇÕES: PRÓXIMO MOVIMENTO DA DIREITA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

Por G1

 

economista Gustavo Montezano é escolhido para substituir Joaquim Levy na presidência do BNDES. Bolsonaro veta a gratuidade no despacho de bagagem em voos domésticos, e assina medida para agilizar a venda de bens do tráfico. Abalada por crise e alvo da Lava Jato, a Odebrecht pede recuperação judicial. Casado com o fundador do “The Intercept”, o deputado David Miranda relata à PF ameaças de morte. O Irã diz que vai romper o acordo nuclear com as potências ocidentais e aumentar seus estoques de urânio enriquecido.

INTERNACIONAIS

Tensão no Oriente Médio

Irã deve aumentar estoque de urânio enriquecido em dez dias

Irã deve aumentar estoque de urânio enriquecido em dez dias

O Irã anunciou que vai aumentar no prazo de 10 dias o seu estoque de urânio enriquecido e romper o acordo nuclear assinado em 2015. O país não vai mais estabelecer um limite para o volume do material que produz.

Lancha que o governo dos EUA diz pertencer à Guarda Revolucionária do Irã — Foto: U.S. Department of Defense via AP

Lancha que o governo dos EUA diz pertencer à Guarda Revolucionária do Irã — Foto: U.S. Department of Defense via AP

Já os EUA divulgaram novas imagens que, segundo o Pentágono, provam que o Irã atacou um dos petroleiros danificados no Golfo de Omã, na semana passada. O regime de Teerã nega a acusação. O governo americano anunciou que enviará mais mil militares ao Oriente Médio. A tensão cresce.

Alerta no Canadá

Policiais trabalham na festa do Tronto Raptors no centro de Toronto — Foto: Reuters/Nick Turchiaro-USA TODAY Sports

Policiais trabalham na festa do Toronto Raptors no centro de Toronto — Foto: Reuters/Nick Turchiaro-USA TODAY Sports

Quatro pessoas foram baleadas na praça Nathan Philip’s Square, em Toronto, onde havia uma multidão comemorando o título da NBA do Toronto Raptors. Três pessoas foram detidas. O premiê Justin Trudeau participava da comemoração, mas nada sofreu.

NACIONAIS

Sob nova direção

O economista Gustavo Montezano, novo presidente do BNDES — Foto: Divulgação/Ministério da Economia

O economista Gustavo Montezano, novo presidente do BNDES — Foto: Divulgação/Ministério da Economia

O engenheiro e economista Gustavo Montezano foi escolhido pelo ministro Paulo Guedes para ser o novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES). Ex-sócio do banco BTG e atual secretário de Desestatização do governo, Montezano substituirá Joaquim Levy, que pediu demissão ontem, após Bolsonaro dizer que ele estava com a “cabeça a prêmio”.

Recuperação judicial

Fachada da sede da Odebrecht em SP — Foto: Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo

Fachada da sede da Odebrecht em SP — Foto: Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo

De acordo com o processo enviado à Justiça, dívidas superiores a R$ 80 bilhões poderiam ser renegociadas, o que tornaria o processo o maior já feito no Brasil — superando a recuperação da Oi em 2016, de R$ 64 bilhões.

Abalada pela recessão da economia e pelos escândalos revelados pela Lava Jato, a Odebrecht perdeu mais de 200 mil mil funcionários nos últimos anos. A receita caiu 20%.

Malas despachadas

Bolsonaro vetou trecho da medida provisória aprovada no Congresso que isentava de cobrança o despacho de bagagens de até 23 kg em voos domésticos. Com o veto, as companhias aéreas poderão continuar a cobrar. A bagagem de mão, limitada a 10 kg, continua gratuita.

Bens do tráfico

O presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, ao assinar a MP sobre venda de bens de traficantes — Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, ao assinar a MP sobre venda de bens de traficantes — Foto: Alan Santos/PR

Ao lado do ministro Sérgio Moro, Bolsonaro assinou uma medida provisória que facilita a venda de bens confiscados de traficantes de drogas. A proposta foi elaborada por Moro. Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, a MP permitirá converter mais rapidamente em dinheiro o que for apreendido.

Reforma da Previdência

A comissão da Câmara que discute a reforma da Previdência já pode discutir nesta terça-feira (17) o parecer do relator Samuel Moreira (PSDB-SP) que alterou a proposta do governo. A exigência de abrir 2 sessões em plenário para contar prazo foi cumprida hoje.

Ameça de morte

O deputado David Miranda (PSOL - RJ) durante sessão no plenário da Câmara dos Deputados em maio deste ano — Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

O deputado David Miranda (PSOL – RJ) durante sessão no plenário da Câmara dos Deputados em maio deste ano — Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

O deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) disse que encaminhou à PF ameaças de morte contra ele e sua família. O parlamentar é casado com jornalista Glenn Greenwald, fundador do site “The Intercept”, que na semana passada divulgou supostas mensagens vazadas da força-tarefa da Lava Jato. A superintendência da polícia em Brasília disse que está investigando o caso.

Também teve isso…

 

Por Blog do BG

Ao lado de Moro, Bolsonaro diz ter se tornado ‘alvo compensador para inimigos’

Na semana em que o ministro Sergio Moro (Justiça) prestará esclarecimento ao Senado sobre o vazamento de suas conversas com o procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que ele e seus ministros se tornaram “alvo compensador para inimigos”.

“Nós passamos a ser alvos compensadores para inimigos. Então atirar em vossa excelência, para os inimigos, é motivo de satisfação. Mas quando se tem a verdade e Deus ao seu lado, ninguém nos atinge”, disse Bolsonaro.

A declaração foi feita nesta segunda (17) em cerimônia no Palácio do Planalto, na qual o presidente sentou-se ao lado de Moro e dirigiu a ele uma série de elogios.

“Eu acho que o Sergio Moro não é muito de jogar futebol não, né?”, brincou o presidente. Após um sinal negativo do ministro com a cabeça, o presidente disse que “O Sergio Moro está fazendo hoje mais um gol de bicicleta do meio do campo”.

Ao falar em “alvo compensador”, Bolsonaro menciona termo usado com frequência pelo ministro general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), um de seus principais conselheiros.

Nesta segunda, Bolsonaro assinou medida provisória para atender a demandas do Ministério da Justiça. O texto tem como objetivo facilitar a venda de bens apreendidos pelo combate ao tráfico de drogas. De acordo com a assessoria de imprensa do Planalto, a MP permitirá ainda a contratação temporária de engenheiros para viabilizar a construção de presídios.

Ao receber elogios do presidente, que referiu-se ao ministro como “corajoso”, Moro foi aplaudido. Sua mulher, a advogada Rosângela Moro, também foi aclamada depois de o próprio Bolsonaro pegar uma cadeira na plateia para que ela se sentasse no palco em que estavam as autoridades.

“O homem que é o símbolo que quer mudar o seu país. Que em cima daquilo que ele aprendeu, daquilo que ele se propôs, a servir a pátria como juiz, estava fazendo muito bem e nos orgulhava a todos”, afirmou o presidente.

As declarações elogiosas ocorrem no momento em que a conduta de Moro como juiz à frente da Lava Jato em Curitiba vem sendo questionada após vazamento de mensagens em que ele aparece trocando colaborações com o procurador Deltan Dallagnol.
As conversas foram reveladas pelo site The Intercept Brasil na semana passada. Moro se ofereceu para prestar esclarecimentos em uma comissão no Senado na quarta (19), numa tentativa de evitar que seja aberta uma CPI (comissão parlamentar de inquérito).

Segundo a legislação, é papel do juiz se manter imparcial diante da acusação e da defesa. Juízes que estão de alguma forma comprometidos com uma das partes devem se considerar suspeitos e, portanto, impedidos de julgar a ação. Quando isso acontece, o caso é enviado para outro magistrado. Sentenças proferidas por juízes suspeitos podem vir a ser anuladas.

Em seu discurso, Moro disse estar disposto a debater a MP com o Congresso.

“Claro que estamos à disposição para o debate com o Congresso para que ela [a medida provisória] seja eventualmente aprimorada e reformulada, mas, enfim, são medidas pontuais, relevantes e urgentes e contaram, evidentemente, com o apoio do nosso presidente Jair Bolsonaro”, afirmou.

O presidente, por sua vez, disse que vê renascer no país a confiança no governo.

Ele pediu que sua equipe mantenha a liberdade de diálogo e que evite desentendimentos. Isso ocorre depois de ele ter demitido, por meio de declarações à imprensa, dois de seus auxiliares nos últimos dias.

“Não podemos ter desentendimento entre nós. Uma palavrinha esquisita aqui e outra de vocês lá a gente releva e toca o barco”, disse.

Desde a última quinta (13), houve três baixas no governo: a saída do ministro Santos Cruz da Secretaria de Governo e o anúncio pela imprensa de que ele demitiria o presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha. Depois de dizer em entrevista que “estava por aqui” com Joaquim Levy, o economista deixou o comando do BNDES no domingo (16).

Folhapress

Comments

Diminuir imposto de importação de smartphone pode prejudicar indústria,, diz associação

A Abinee, associação brasileira do setor de eletrônicos, criticou a medida em estudo pelo governo para reduzir o imposto de importação de produtos como smartphones e computadores.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou no último domingo (16), por sua conta no Twitter, que

os impostos poderiam cair de 16% para 4%.

Humberto Barbato, presidente da associação, diz que retirar o imposto dos produtos importados, mas manter a cobrança das mesmas alíquotas praticadas hoje sobre insumos usados na indústria prejudicaria a competitividade das empresas estabelecidas no Brasil.

“É preciso rever a tarifa, mas não só de um determinado tipo de bem. É preciso rever a tarifa que incide nos produtos que fabricamos”, disse em entrevista à Folha.

Barbato criticou o fato de a proposta de desoneração vir de um governo que tinha como promessa não privilegiar setores escolhidos.

“Estamos sendo de certa forma escolhidos, mas de modo inverso, algo não muito producente. Se você diz para mim que não vou ser escolhido como setor privilegiado, também não quero ser escolhido como setor preterido”, disse.

Segundo ele, a discussão sobre a possível mudança torna o mercado brasileiro inseguro para a atração de investimentos de fora em um momento em que o país precisa retomar a geração de empregos.

Ele também criticou o fato de o governo discutir uma desoneração que, em sua avaliação, traria poucos ganhos para o Brasil, levando em conta que o mercado local já é maduro (com grande quantidade de aparelhos por pessoa).

“Não sei onde o celular vai aumentar a produtividade da economia, a automação industrial.”

Segundo o presidente da Abinee, o que torna celulares caros no Brasil não são os impostos de importação, mas sim custos específicos do mercado local, como a necessidade do transporte dos aparelhos em carro-forte ou com escolta.

Barbato afirma que 90% dos eletrônicos consumidos no Brasil são fabricados no próprio país.

Folhapress

CommentsComments

Bolsonaro veta isenção de cobrança de bagagem em voos domésticos

O presidente Jair Bolsonaro vetou hoje (17) a regulamentação de franquia de bagagem inserida por emenda parlamentar na tramitação da Medida Provisória (MP) 863. A MP, que foi apresentada pelo governo de Michel Temer, autoriza até 100% de capital estrangeiro em companhias aéreas e foi aprovada pelo Congresso Nacional em maio deste ano. Segundo informações da assessoria de imprensa do governo, o veto se deu por razões de interesse público e violação ao devido processo legislativo.

Os deputados incluiram no texto original da MP a volta da franquia mínima de bagagem no transporte aéreo doméstico e internacional. De acordo com o destaque, que foi vetado por Jair Bolsonaro, o passageiro poderia levar, sem cobrança adicional, uma mala de até 23 kg nas aeronaves a partir de 31 assentos. Essa é a mesma franquia existente à época em que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) editou resolução permitindo a cobrança.

Na Câmara dos Deputados, parlamentares contrários à volta da franquia alertaram para o fato de que o setor tem liberdade tarifária, o que implicaria o aumento das passagens. Os deputados que votaram a favor da volta da franquia destacaram que o argumento de diminuição do preço para justificar a cobrança pelo despacho de malas não se concretizou desde 2017.

O porta-voz da Presidência, Otávio Rego Barros, disse que a decisão do presidente foi tomada analisando vários aspectos, por razões de interesse público e suas consequências para o mercado nacional e que não há existe previsão da emissão de outra medida provisória. A partir do veto o tema continua sendo objeto da resolução da Agência Nacional de Aviação Civil
(Anac).

Agência Brasil

 

LOCAIS

OAB media acordo entre Governo do Estado e corporações militares

A Ordem dos Advogados do Brasil — Seccional Rio Grande do Norte — fez o papel de mediadora em reunião promovida nesta segunda-feira (17), na sede da Governadoria. A vice-presidente Rossana Fonseca representou a OAB/RN na audiência, que estabeleceu as bases do acordo entre o Governo do Estado e representantes da Polícia Militar (PM-RN) e do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte (CBM-RN) para evitar a paralisação das duas categorias. O vice-governador Antenor Roberto representou a gestão estadual.

Durante o encontro, os membros das duas corporações militares aceitaram a proposta formulada pelo Poder Executivo e decidiram encerrar o movimento de paralisação deflagrado no início do dia. O Governo se comprometeu com as associações de praças e oficiais que apresentará até setembro o projeto de lei que reestrutura as carreiras e reduz as distorções salariais entre os militares estaduais e a Polícia Civil.

Além de atuar como mediadora na formatação do acordo entre Governo e militares, a OAB/RN vai participar do grupo de trabalho a ser formado pela administração estadual para a elaboração do projeto de lei, assim como a Associação dos Advogados do RN, que também esteve representada na reunião da Governadoria pela sua presidente, Kátia Nunes. “A OAB deu sua contribuição ao diálogo estabelecido entre o Governo, a PM e o Corpo dos Bombeiros. Felizmente, o bom debate produziu um acordo benéfico para todos, principalmente para a sociedade, que não será prejudicada com a paralisação de serviços essenciais na área da Segurança Pública”, avalia a vice-presidente Rossana Fonseca.

O secretário de Estado da Segurança Pública e da Defesa Civil, Francisco Araújo, também ressaltou a união de esforços para a celebração do acordo. “A proposta foi construída com todas as mãos. Apresentamos a proposta possível, que inclui o envio do projeto de reestruturação em setembro e os aumentos sejam efetivados a partir de março de 2020”, explicou ele.

O Governo ainda garantiu aos policiais e bombeiros que os recursos extras, a serem recebidos até o fim do ano, serão destinados ao pagamento dos salários dos agentes de segurança pública que estão em atraso. A medida segue a política da gestão estadual de pagar os salários integrais dos agentes de segurança pública – ativos, inativos e pensionistas – dentro do mês trabalhado e na primeira data determinada pela área econômica.

A reunião contou ainda com a presença dos comandantes da PM-RN, coronel Alarico Azevedo, e do CBM-RN, coronel Monteiro Júnior, além do secretário-chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves, e a secretária Virgínia Ferreira (Administração). Os deputados estaduais Kelps Lima e Coronel Azevedo também participaram do encontro.

As entidades representativas da tropa foram representadas pelo capitão PM Robson Teixeira, presidente da Associação dos Oficiais Militares Estaduais do Rio Grande do Norte (ASSOFME); o subtenente Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtententes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBM-RN), o cabo PM Roberto Campos, presidente da Associação de Cabos e Soldados da PM-RN (ACS); e soldado Rodrigo Marimbondo, presidente da Associação de Bombeiros Militares do RN (ABM-RN).

Comments

Crea-RN e entidades de classe discutem ações contra projeto que revoga a lei do salário-mínimo profissional do Sistema.

A Presidente do Crea-RN, Ana Adalgisa Dias, reuniu os representantes das entidades de classe, diretoria e câmaras especializadas, no final da tarde desta segunda-feira (17), com o intuito de discutir providências em relação ao projeto apresentado pelo deputado federal Ubiratan Sanderson (PSL/RS) que sugere a revogação da Lei 4.950-A/1966, que estabelece o salário-mínimo dos profissionais do Sistema Confea, Crea e Mútua.

“Fomos surpreendidos com a apresentação do Projeto de Lei nº 3.451/2019 que tem como objetivo revogar uma lei que está em vigor desde 1966 e que beneficia profissionais de diversas áreas”, ressaltou a presidente do Crea-RN, Ana Adalgisa Dias.

A ideia, discutida durante a reunião, foi a de elaborar uma carta para explicar os prejuízos que essa possível revogação irá provocar na vida de milhares de trabalhadores das áreas de engenharia, agronomia e geociências.

O assessor jurídico do Crea-RN, Murilo Mariz, explicou que o documento que será elaborado e apresentado pelo Conselho, com apoio das entidades de classe, vai “desconfigurar a ilegalidade que o parlamentar aponta constar na Lei 4.950-A/1966”.

Outra iniciativa, sugerida pelos representantes das entidades de classe, é que todos os parlamentares da bancada federal potiguar sejam visitados. “Vamos buscar o apoio de todos para tentar barrar essa revogação”, disse Francisco Auricélio de Oliveira Costa, representante da Associação Norte-Rio-Grandense dos Engenheiros Agrônomos (Anea).

 

Por Anderson Barbosa e Leonardo Erys, G1 RN

 

Participaram da reunião vice-governador, secretário de Segurança, comandantes das corporações e membros de associações — Foto: Arquivo Pessoal

Participaram da reunião vice-governador, secretário de Segurança, comandantes das corporações e membros de associações — Foto: Arquivo Pessoal

A paralisação dos policiais e bombeiros militares do Rio Grande do Norte foi encerrada na tarde desta segunda-feira (17), após reunião envolvendo membros do governo do RN e representantes de associações de policiais e bombeiros militares. Em assembleia ocorrida após o encontro, eles decidiram aceitar a proposta consensual e dar fim à manifestação, que havia sido iniciada nesta manhã. Com isso, as categorias já voltaram ao trabalho normal.

Entre os acordos definidos na reunião está o comprometimento do Executivo para a elaboração de um projeto de lei que visa reduzir as diferenças salariais entre profissionais das polícias Civil e Militar. Outro acordo é para implantação por parte do governo de promoções e níveis dos policiais e bombeiros que estão atrasados.

“Não era exatamente o que queríamos, mas os policiais e bombeiros decidiram concordar com o que foi proposto pelo governo, até entendendo a necessidade que a população tem nesse serviço. Seguiremos, no entanto, acompanhando essas evoluções. Não admitimos nenhum retrocesso no que foi compactuado”, explicou o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN, subtenente PM Eliabe Marques.

“Apresentamos a proposta possível, que inclui o envio do projeto de reestruturação em setembro e os aumentos sejam efetivados a partir de março de 2020”, disse o secretário de Estado da Segurança Pública e da Defesa Civil, Francisco Araújo.

O governo do Rio Grande do Norte garantiu aos policiais e bombeiros que os recursos extras, que serão recebidos até o fim do ano, serão destinados ao pagamento dos salários dos agentes de segurança pública que estão em atraso.

Participaram da reunião o vice-governador Antenor Roberto, o secretário de Segurança Pública, coronel Francisco Araújo Silva, além dos comandantes das corporações, coronéis Alarico Azevedo (PM) e Luiz Monteiro da Silva (CBM), além de membros de associações de classes e representante da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional RN.

Por reajuste salarial, pagamento de folhas atrasadas e recomposição de efetivo, policiais e bombeiros militares do RN realizam protesto no Centro Administrativo do Estado — Foto: Ednaldo Lima/Inter TV Cabugi

Por reajuste salarial, pagamento de folhas atrasadas e recomposição de efetivo, policiais e bombeiros militares do RN realizam protesto no Centro Administrativo do Estado — Foto: Ednaldo Lima/Inter TV Cabugi

A paralisação

PMs e bombeiros militares pararam as atividades por volta das 8h desta segunda-feira (17). Um acampamento foi montado na frente da Governadoria, no Centro Administrativo do Estado, como forma de pressionar o governo a receber a diretoria das associações.

Sobre a segurança nas ruas, o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN, subtenente PM Eliabe Marques, disse ao G1 que as viaturas deveriam ficar aquarteladas e os efetivos que foram trabalhar eram suficientes apenas para garantir a segurança do patrimônio das próprias corporações.

Viaturas do 9º Batalhão da PM não saíram às ruas na manhã desta segunda-feira (17) — Foto: Klênyo Galvão/Inter TV Cabugi

Viaturas do 9º Batalhão da PM não saíram às ruas na manhã desta segunda-feira (17) — Foto: Klênyo Galvão/Inter TV Cabugi

O comércio não foi afetado pela paralisação. A Polícia Civil manteve o atendimento normal nas delegacias e outros agentes da segurança pública, como servidores do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) e agentes penitenciários, também seguiram trabalhando normalmente.

Batalhões

Pela manhã e início da tarde, equipes da Inter TV Cabugi foram a três dos quatro batalhões da PM, em Natal.

  • No 9º BPM, que atende aos bairros da Zona Oeste da cidade, nenhuma viatura havia saído do quartel até as 12h.
  • No 1º BPM, que atende aos bairros da Zona Leste, nenhuma viatura havia deixado a unidade até as 12h. Porém, os policiais de plantão disseram que dois carros deveriam sair até o final da manhã.
  • No 5º BPM, que atende aos bairro da Zona Sul, três viaturas haviam deixado a unidade até as 12h45. O efetivo é considerado normal quando não há ocorrências que exijam um reforço maior nas ruas.

Apesar de a Inter TV Cabugi não ter ido ao 4º BPM – unidade que atende aos bairros da Zona Norte – policiais ouvidos pelo G1 disseram que apenas uma viatura estava circulando na região até as 12h15.

Reforço

Ainda no final da manhã, o prefeito de Natal Álvaro Dias usou uma rede social para anunciar que a Guarda Municipal seria utilizada nas ruas para reforçar a segurança da população em Natal, principalmente nos terminais e corredores de ônibus durante a paralisação. “Vamos manter um Gabinete de acompanhamento da crise e contato permanente com o Ciosp (Centro Integrado de Operações de Segurança Pública) para uma atuação integrada e reforçar a segurança nos terminais e corredores de ônibus”, afirmou.

Fonte: G1 RN

Por G1 RN

 

Mostra reúne cerca de 2 mil espectadores por dia — Foto: Divulgação

Mostra reúne cerca de 2 mil espectadores por dia — Foto: Divulgação

Abriram nesta segunda-feira (17) as inscrições para profissionais que queiram ter suas produções exibidas na 6ª Mostra de Cinema de Gostoso, que acontece em novembro no município de São Miguel do Gostoso, no litoral Norte potiguar. Os interessados em se inscrever podem acessar a página do evento (clique AQUI) até o dia 23 de agosto para participar.

A Mostra será na Praia do Maceió. A população poderá acompanhar os curtas e longas-metragens na beira do mar. O evento conta com 600 cadeiras espreguiçadeiras espalhadas pela areia apontadas para a tela, que também fica na praia. O festival, que acontece durante cinco dias, tem média de 2 mil pessoas por noite.

Nas telas, o público pode assistir aos mais recentes lançamentos cinematográficos brasileiros. Serão exibidos mais de 60 filmes de todo o país, entre as mostras Competitiva, Panorama, Infantil e Sessões Especiais. Os filmes da Mostra Competitiva concorrem ao Troféu Luís da Câmara Cascudo, através do voto popular ao melhor curta e longa-metragem. Também será concedido o Prêmio da Crítica, a partir da votação de jornalistas e críticos de cinema.

Também fazem parte da programação debates com produtores, diretores e atores dos filmes exibidos, além de um seminário sobre o mercado audiovisual.

A Mostra de Cinema de Gostoso acontece neste ano entre os dias 8 e 12 de novembro.

Cursos de Formação

São oferecidos cursos de formação técnica e audiovisual para jovens de São Miguel do Gostoso nos meses que antecedem a Mostra. Desde 2013 foram ministradas 37 oficinas e produzidos 15 curtas-metragens, todos exibidos nas edições da Mostra de Cinema de Gostoso.

Desde 2015, passou a existir o Coletivo Nós do Audiovisual, formado por um grupo de alunos, com o objetivo de ampliar as possibilidades de realização de novos projetos, de forma autônoma, apontando para profissionalização no setor audiovisual do estado.

Em 2019, a intenção é que sejam realizadas novamente oficinas, que incluem Linguagem Audiovisual, Roteiro, Produção, Montagem e a realização de quatro curtas-metragens, que serão exibidos na Mostra.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

Por G1

 

Guedes critica recuo de deputados na reforma da Previdência, e Maia rebate chamando o governo de ‘usina de crises’. Mais de 180 cidades têm paralisações em mais um dia de protestos. Bolsonaro diz que demitirá o presidente dos Correios, e comenta a decisão do STF sobre criminalizar a homofobia: ‘é equivocada’. Moro volta a falar sobre o vazamento de mensagens, nega conluio com os procuradores da Lava Jato e descarta deixar ministério. A música perde André Midani, produtor que lançou estrelas da MPB. E luto no jornalismo: morre Clóvis Rossi.

NACIONAIS

Mudanças na Previdência

Paulo Guedes diz que deputados 'abortaram a nova previdência'

Paulo Guedes diz que deputados ‘abortaram a nova previdência’

O ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou as mudanças feitas pela comissão especial da Câmara no projeto que muda o sistema de aposentadorias, e disse que os deputados podem ‘abortar a nova Previdência’. Guedes atribuiu as modificações a “pressões corporativas” e ao “lobby de servidores do Legislativo”.

Maia rebate Guedes, diz que governo é ‘usina de crises’ e garante que Câmara fará reforma

Maia rebate Guedes, diz que governo é ‘usina de crises’ e garante que Câmara fará reforma

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, rebateu a fala de Guedes, chamou o governo de ‘usina de crises’ e diz que os deputados farão a reforma. “Hoje, infelizmente, é meu amigo Paulo Guedes gerando uma crise desnecessária”, afirmou Maia à GloboNews.

Paralisações pelo país

SÃO PAULO, 18h38: Manifestantes ocupam os dois sentidos da Avenida Paulista em protesto nesta sexta-feira (14) — Foto: Celso Tavares/G1

SÃO PAULO, 18h38: Manifestantes ocupam os dois sentidos da Avenida Paulista em protesto nesta sexta-feira (14) — Foto: Celso Tavares/G1

Cidades de 26 estados e do DF registraram protestos e paralisaçõesem serviços públicos nesta sexta. Desde a manhã, trabalhadores cruzaram os braços contra os cortes do governo Bolsonaro na educação e a reforma da Previdência. No fim da tarde, atos ocorriam em São Paulo e no Rio de Janeiro.

  • Até as 18h, 185 cidades de 26 estados tinham registrado protesto.
  • Até as 18h, 111 cidades haviam registrado paralisação de serviços nos 26 estados e no DF.
Motorista não parou e atropelou manifestantes que interditavam rua em Niterói, RJ, por volta das 7h desta sexta (14) — Foto: Reprodução / Redes sociais

Motorista não parou e atropelou manifestantes que interditavam rua em Niterói, RJ, por volta das 7h desta sexta (14) — Foto: Reprodução / Redes sociais

Bolsonaro com jornalistas

O presidente Jair Bolsonaro durante café da manhã com jornalistas — Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

O presidente Jair Bolsonaro durante café da manhã com jornalistas — Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

O presidente Bolsonaro informou ao final de um café da manhã com jornalistas, no Planalto, que decidiu demitir o presidente dos Correios, general Juarez Cunha. Ele afirmou que o militar se comportou como “sindicalista” e se manifestou contrário à privatização da estatal.

Durante o encontro, Bolsonaro também comentou a decisão do STF que permitiu a criminalização da homofobia, o que chamou de “completamente equivocada”. De acordo com o presidente, a decisão prejudica os homossexuais.

Bolsonaro argumentou que um empregador pensará “duas vezes” antes de contratar um homossexual. “[O empregador pensa] e se der um problema aqui dentro? Ele me acusa disso ou daquilo, o que que vai acontecer, como que fica a minha empresa?”, questionou.

Vazamento de mensagens

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, acompanhou nesta sexta (14) o início da operação especial de segurança para a Copa América, em Brasília — Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, acompanhou nesta sexta (14) o início da operação especial de segurança para a Copa América, em Brasília — Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, voltou a comentar as mensagens divulgadas pelo site ‘The Intercept’ e afirmou que conversas com procuradores e advogados é comum durante processos. Ele negou conluio com o MP e afastou a possibilidade de deixar o cargo.

“Essa interlocução é muito comum. Sei que tem outros países que têm práticas mais restritas, mas a tradição jurídica brasileira não impede o contato pessoal e essas conversas entre juízes, advogados, delegados e procuradores”, disse Moro em entrevista ao jornal ‘O Estado de S. Paulo’.

Agressor de Bolsonaro

Adélio Bispo — Foto: Reprodução/TV Globo

Adélio Bispo — Foto: Reprodução/TV Globo

A Justiça Federal em MG publicou a sentença do autor da facada contra Bolsonaro, disse que Adélio Bispo de Oliveira é ‘isento de pena’ e determinou que ele fique internado na prisão por prazo indeterminado.

Caso Neymar

O jogador Neymar Junior acusado de estupro pela modelo Najila Trindade, chega para depor na 6º Delegacia da Mulher de Santo Amaro, zona sul da capital paulista na tarde desta quinta-feira (13). — Foto: MAURICIO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

O jogador Neymar Junior acusado de estupro pela modelo Najila Trindade, chega para depor na 6º Delegacia da Mulher de Santo Amaro, zona sul da capital paulista na tarde desta quinta-feira (13). — Foto: MAURICIO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

O assessor de Neymar disse à polícia do RJ que publicou o vídeo íntimo da modelo Najila Trindade a pedido do jogador. Em depoimento no inquérito que investiga a divulgação de imagens da mulher que o acusa de estupro, Neymar havia dito que seus assessores eram os responsáveis pela postagem.

Negócios

Página da Netshoes na internet em tela de smartphone — Foto: Sergio Moraes/Reuters

Página da Netshoes na internet em tela de smartphone — Foto: Sergio Moraes/Reuters

Os acionistas da Netshoes, empresa especializada na venda de artigos esportivos na internet, decidiram em assembleia escolher a oferta da Magazine Luiza pela compra do controle da companhia. A proposta da rede da família Trajano contou com o apoio de 90,32% dos acionistas.

Morre Clóvis Rossi

Morre, em São Paulo, o jornalista Clóvis Rossi

Morre, em São Paulo, o jornalista Clóvis Rossi

jornalista Clóvis Rossi, de 76 anos, morreu na madrugada de hoje em São Paulo. Ele se recuperava de um infarto sofrido há uma semana. Rossi era repórter especial e colunista do jornal ‘Folha de S. Paulo’, onde trabalhava há quase 40 anos.

Morre André Midani

André Midani morreu na noite desta quinta-feira (13), aos 86 anos — Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo

André Midani morreu na noite desta quinta-feira (13), aos 86 anos — Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo

No Rio, morreu o produtor musical André Midani, aos 86 anos. Responsável por lançar estrelas da música brasileira, Midani foi um dos mais importantes executivos da indústria fonográfica. Ele tinha um câncer e estava internado.

Copa América

Daniel Alves — Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Daniel Alves — Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Às 21h30, começa a Copa América, com Brasil e Bolívia, no Morumbi, em São Paulo. Acompanhe o pré-jogoA seleção vai estrear com novo uniforme branco, feito em homenagem aos 100 anos do primeiro título da Seleção, no Sul-Americano de 1919, considerada a primeira Copa América.

Também teve isso…

 

Por Blog do BG

Sergio Moro, enquanto julgava Lula, sugeriu à Lava Jato emitir uma nota oficial contra a defesa. Eles acataram e pautaram a imprensa

Um trecho do chat privado entre Sergio Moro e o então procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima mostra que o ex-juiz pediu aos procuradores da Lava Jato uma nota à imprensa para rebater o que chamou de “showzinho” da defesa de Lula após o depoimento do ex-presidente no caso do triplex do Guarujá. O conteúdo faz parte do arquivo As mensagens secretas da Lava Jato.

Os procuradores acataram a sugestão do atual ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, em mais uma evidência de que Moro atuava como uma espécie de coordenador informal da acusação no processo do triplex. Em uma estratégia de defesa pública, Moro concedeu uma entrevista nesta sexta-feira ao jornal o Estado de S. Paulo onde disse que considera “absolutamente normal” que juiz e procuradores conversem. Agora, está evidente que não se trata apenas de “contato pessoal” e “conversas”, como diz o ministro, mas de direcionamento sobre como os procuradores deveriam se comportar.

Eu topo

Juntamente com as extensas evidências publicadas pelo Intercept no início desta semana – em que Moro e Deltan conversam sobre a troca da ordem de fases da Lava Jato, novas operações, conselhos estratégicos e pistas informais de investigação –, esta é mais uma prova que contraria a tentativa de Moro de minimizar o tipo de relacionamento íntimo que ele teve com os promotores.

Ao contrário da defesa de Moro de que as comunicações eram banais e comuns – contendo apenas notícias e informações, mas não ajudando os promotores a elaborar estratégias (“existia às vezes situações de urgência, eventualmente você também está ali e faz um comentário de alguma coisa que não tem nada a ver com o processo”, disse ao Estadão) –, essas conversas provam que Moro estava sugerindo estratégias para que os procuradores realizassem sua campanha pública contra o próprio réu que ele estava julgando.

O showzinho da defesa

O episódio ocorreu em 10 de maio de 2017, quando Moro já presidia um processo criminal contra o ex-presidente no caso do “apartamentro triplex do Guarujá”. Eram 22h04 quando o então juiz federal pegou o celular, abriu o aplicativo Telegram e digitou uma mensagem ao Santos Lima, da força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal em Curitiba.

“O que achou?”, quis saber Moro. O juiz se referia ao maior momento midiático da Lava Jato até então, ocorrido naquele dia 10 de maio de 2017: o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo em que ele era acusado – e pelo qual seria preso – de receber como propina um apartamento triplex no Guarujá. Disponibilizado em vídeo, o embate entre o juiz e o político era o assunto do dia no país.

Seguiu-se o seguinte diálogo:

Além do depoimento, outro vídeo com Lula também tomava conta da internet e dos telejornais naquele mesmo dia. Depois de sair do prédio da Justiça Federal, o ex-presidente se dirigiu à Praça Santos Andrade, em Curitiba, e fez um pronunciamento diante de uma multidão. Por 11 minutos, Lula atacou a Lava Jato, o Jornal Nacional e o então juiz Sergio Moro; disse que estava sendo “massacrado” e encerrou com uma frase que entraria para sua história judicial: “Eu estou vivo, e estou me preparando para voltar a ser candidato a presidente desse país”. Era o lançamento informal de sua candidatura às eleições de 2018.

Um minuto depois da última mensagem, Moro mandou para o procurador Santos Lima:

Moro, o juiz do caso, zombava do réu e de seus advogados enquanto fornecia instruções privadas para a Lava Jato sobre como se portar publicamente e controlar a narrativa na imprensa.

As afirmações do então magistrado que o Intercept divulga agora contradizem também o que ele dissera horas antes a Lula, naquele mesmo dia do julgamento, publicamente, ao iniciar o interrogatório do petista: que o ex-presidente seria tratado com “todo o respeito”.

“Eu queria deixar claro que, em que pesem alegações nesse sentido, da minha parte não tenho nenhuma desavença pessoal contra o senhor ex-presidente. Certo? O que vai determinar o resultado desse processo no final são as provas que vão ser colecionadas e a lei. Também vamos deixar claro que quem faz a acusação nesse processo é o Ministério Público, e não o juiz. Eu estou aqui para ouvi-lo e para proferir um julgamento ao final do processo”, disse Moro.

“PQ RESOLVERAM FALAR AGORA? PQ ERA O EX-PRESIDENTE?”

Dez minutos depois da conversa com o então juiz, naquele 10 de maio, Santos Lima abriu o grupo Análise de clipping, em que também estavam assessores de imprensa do MPF do Paraná. Ele estaria em Recife no dia seguinte em um congresso jurídico.

Oito minutos depois, Santos Lima copiou a conversa que teve em seu chat privado com Moro – em que o juiz sugere a nota pública para apontar as contradições de Lula – e colou em outro chat privado, com o coordenador da Lava Jato no MPF, Deltan Dallagnol. Eram 22h38.

Àquele horário, os procuradores da força-tarefa discutiam num chat chamado Filhos de Januário 1 se deveriam comentar publicamente o depoimento de Lula. Às 22h43, Santos Lima escreveu no grupo, dirigindo-se a Dallagnol: “Leia o que eu te mandei.”. Ele se referia às mensagens que trocara com Moro. Três minutos depois, Dallagnol responderia em quatro postagens consecutivas no grupo:

Foi a vez então de Dallagnol mandar uma mensagem ao grupo Análise de clipping, dos assessores de imprensa.

O assessor de imprensa estranhou o pedido e alertou que poderia ser um “tiro no pé”.

O que os assessores não sabiam é que não era o MPF que queria influenciar o juiz, mas o juiz que estava influenciando o MPF. Três minutos antes de mandar essas mensagens ao grupo, Dallagnol havia escrito a Moro. Além de elogiá-lo pela condução da audiência, o procurador falou sobre a nota:

O pedido de Moro para apontar as contradições da defesa de Lula seria discutido no chat Filhos do Januário 1 até o fim da noite e também na manhã do dia seguinte, 11 de maio. E, finalmente, atendido.

Os procuradores, acatando a sugestão de Moro, distribuíram uma nota à imprensa, repercutida por Folha de S. Paulo, Estadão, Jovem Pan e todos os principais veículos e agências do país. As notícias são centradas justamente na palavra desejada pelo juiz: “contradições”.

Na nota, a força-tarefa expõe o que considera serem três contradições do depoimento de Lula e refuta diretamente uma alegação da defesa do petista, que os procuradores consideraram mentirosa.

Naquela noite, Dallagnol enviou uma mensagem a Moro para explicar por que não explorou a fundo as contradições do petista:

A RESPOSTA DO MINISTRO MORO AO INTERCEPT BRASIL

Nós procuramos a assessoria do ministro Sérgio Moro nesta sexta-feira e apresentamos com antecedência todos os pontos mostrados nesta reportagem. Recebemos como resposta a seguinte nota: “O Ministro da Justiça e Segurança Pública não comentará supostas mensagens de autoridades públicas colhidas por meio de invasão criminosa de hackers e que podem ter sido adulteradas e editadas, especialmente sem análise prévia de autoridade independente que possa certificar a sua integridade. No caso em questão, as supostas mensagens nem sequer foram enviadas previamente.”

Apesar de chamar as conversas de “supostas”, Moro admitiu, hoje, a autenticidade de um chat. Em uma coletiva, ele chamou de “descuido” o episódio no qual, em 7 de dezembro de 2015, passa uma pista sobre o caso de Lula para que a equipe do MP investigue.

Nós também entramos em contato com a assessoria do Ministério Público Federal do Paraná, que não respondeu.

Intercept Brasil

Comments
Comments

Bolsonaro em resposta à Lula: “Presidiário presta depoimento, não dá entrevista”

O presidente Jair Bolsonaro reagiu nesta sexta-feira (14) à declaração do ex-presidente Lula questionando a veracidade da facada da qual foi vítima em setembro de 2018, durante a campanha.

“Presidiário presta depoimento, não dá entrevista”, disse, em café da manhã com jornalistas que cobrem o Planalto, incluindo a reportagem da Folha.

Em entrevista divulgada pela emissora TVT, Lula colocou em dúvida a facada. Segundo o presidente, ele não teria “nem grana e nem contatos” para forjar um ataque.

“Aquela facada tem uma coisa muito estranha, uma facada que não aparece sangue em nenhum momento. O cara que dá a facada é protegido pelos seguranças do Bolsonaro, a faca que não aparece em nenhum momento”, disse Lula.

Bolsonaro reagiu. “Se fosse na barriga do Lula ia sair muita cachaça”, disse.

O ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, também presente ao café com jornalistas, se exaltou e pediu a palavra quando o tema foi levantado. Ele chamou o ex-presidente Lula de “canalha” e disse que “tinha vergonha” de ele ter sido presidente do Brasil.

Afirmou ainda que presidente da República desonesto deveria ser alvo de prisão perpétua.

Comments

Gerente do BB é arrastado para fora de agência por grevistas em Salvador

Foto: Reprodução 

Durante a série de bloqueios que aconteceram na manhã desta sexta-feira (14), em Salvador, organizado por diversas entidades sindicais, contra a reforma da Previdência, os cortes de verbas das universidades federais e em defesa do movimento “Lula Livre”, um gerente da agência do Banco do Brasil, localizada na Avenida Sete de Setembro, foi arrastado por sindicalistas da Central Unica dos Trabalhadores (CUT) para que não entrasse na agência.Em um vídeo, encaminhado ao Política Livre, é possível ver o gerente sendo contido pelos sindicalistas grevistas e arrastado para fora da agência. Aparentemente passando mal e ainda no chão, o gerente foi auxiliado por colegas de trabalhos que estavam no local. Novos atos estão agendados para às 15h de hoje, com saída da praça do Campo Grande até a praça Castro Alves.

Política Livre

Comments

Assessor de Neymar diz que publicou vídeo íntimo a mando do jogador

Alex Bernardo, assessor de Neymar, prestou depoimento nesta sexta-feira (14) na Delegacia de Repressão de Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro. Ele é acusado de ter publicado o vídeo com imagens íntimas de Najila Trindade nas redes sociais do jogador.

No depoimento, segundo o UOL, Bernardo admitiu ter sido o responsável pela divulgação, mas não pela edição do vídeo e ainda declarou que a postagem foi feita a pedido de Neymar. Acompanhado da advogada, ele deixou o local sem falar com a imprensa. O depoimento demorou cerca de uma hora e meia.

Neymar afirmou que não foi o responsável pela exposição das imagens íntimas de Najila Trindade e que apenas fez o vídeo em que se defende da acusação de estupro feita pela modelo.

O delegado Pablo Sartori, responsável pelo caso, tem até 30 dias desde a abertura do inquérito para dar um encaminhamento inicial ao caso. De acordo com o UOL, ele não vai pedir uma extensão do prazo.

Estadão Conteúdo

CommentsComments

Maia diz que Guedes é injusto em críticas à Previdência e que governo virou ‘usina de crises’

Em resposta a Paulo Guedes, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta sexta-feira (14) que o ministro da Economia é injusto em suas críticas ao relatório da reforma da Previdência apresentado na véspera e que o governo se tornou uma “usina de crises”.

“Nós blindamos a reforma da Previdência de crises que são, muitas vezes, geradas quase todos os dias pelo governo. Cada dia um ministério gerando uma crise. Hoje, infelizmente, é o meu amigo Paulo Guedes, gerando uma crise desnecessária”, afirmou Maia a jornalistas.

O presidente da Câmara disse que, sozinho, o governo teria 50 votos a favor da reforma, “e não a possibilidade de 350 que nós temos”.

“Acho que o ministro Paulo Guedes não está sendo justo com o Parlamento que tem comandado sozinho a articulação para aprovação da Previdência”, afirmou.

Maia disse que o Congresso se tornou “o bombeiro” de crises no país e que a tramitação da reforma pode inaugura “um novo momento em que o governo tem menos responsabilidade com o comando da aprovação das matérias e o Parlamento passa a assumir essa responsabilidade”.

“Nós blindamos o Parlamento. A usina de crise bate e volta. Fiquem lá no Executivo, no ministério da Fazenda, da Educação criadores de crise”, afirmou.

Maia elogiou “o trabalho brilhante” do relator Samuel Moreira (PSDB). “Na democracia, nossas vitórias não são absolutas, isso que o ministro Paulo Guedes talvez não saiba.”

Maia disse que o Parlamento vai continuar atuando com “responsabilidade, equilíbrio e paciência”.

“Não vamos entrar nessa polêmica, nessa falsa crise. É triste ver o ministro fazendo isso. Deixa o governo criando crise”, disse.

Apesar disso, Maia negou que se sinta traído pelo ministro da Economia, mas disse que “infelizmente, Paulo Guedes passa a ser um ator dessas crises.”

O deputado disse que a Câmara vai aprovar a reforma da Previdência “apesar do governo” e com uma garantia de economia na casa de R$ 900 bilhões em dez anos. O projeto original previa R$ 1,2 trilhão.

“Eu acho que ele [Guedes] está errado [ao criticar a desidratação do projeto]. A economia de R$ 900 bilhões é muito próxima de R$ 1 trilhão. Acho que ele foi injusto com o Parlamento. Pedi que os líderes não falassem antes de mim, falo em nome da Casa, inclusive de quem é contrário à reforma da Previdência”, disse Maia.

Em relação às críticas de Guedes a regras de transição para servidores no relatório, Maia afirmou que “gostaria muito que o ministro Paulo Guedes explicasse a transição que ele assinou para as Forças Armadas”.
Segundo ele, a transição dos militares seria cinco vezes mais branda do que a proposta pelo relator aos servidores. Maia diz que o pedágio para os militares não exige idade mínima e cobra acréscimo de 17% sobre o tempo que falta para deixar a ativa, enquanto na regra dos servidores haveria pedágio de 100% e idade mínima de 60 anos (homem).

“Quem fez uma transição que beneficiou as corporações foi o ministro Paulo Guedes e o presidente da República”, afirmou. Ele disse ainda que as regras para as Forças Armadas pressionaram as corporações sobre o Parlamento, em uma referência à afirmação de Guedes de que o Congresso cedeu a lobby.

Maia reforçou que a ideia é votar o projeto na comissão especial por volta do dia 25 de junho. Disse também que atua para tentar reincluir ainda durante a comissão estados e municípios no projeto.

“Espero que seja lá. Mas [se não passar na comissão] depois [vamos tentar] no plenario”, afirmou.
Sobre o regime de capitalização, que também foi retirado do relatório, Maia disse que o modelo pode ser votado no segundo semestre.

“Inclusive, os partidos de esquerda têm uma ótima proposta de capitalização, do deputado Mauro Benevides [PDT-CE]”, afirmou.

Na Câmara, a fala do ministro repercutiu mal. O vice-presidente da Câmara e presidente do PRB, Marcos Pereira (SP), endossou Maia e disse que a declaração de Guedes não ajuda a reforma. “Pelo contrário atrapalha, na medida em que cria um desconforto com o Parlamento”, disse à Folha.

Folhapress

Comments

LOCAIS

Policiais e bombeiros param as atividades nesta segunda-feira (17)

Em mais um encontro, o Governo do Estado não apresentou propostas concretas em relação à atualização do salário dos policiais e bombeiros militares do RN. A reunião aconteceu nesta sexta-feira (14) entre os representantes dos militares e os secretários de Planejamento e Finanças, e de Administração.

Dessa forma, a mobilização marcada para esta segunda-feira (17) está confirmada. No dia, os militares estaduais se apresentarão às 8h em frente à Governadoria.

De acordo com o subtenente Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN), “tentamos de todas as formas, porém o Governo continua resistindo com a alegação da crise fiscal, mas que só existe para alguns setores”, expõe.

O déficit salarial dos militares atualmente chega a 60,48% e a categoria não recebe ao menos a reposição inflacionária há cinco anos, argumenta o presidente. Além disto, os militares do RN possuem o pior salário inicial da Federação, na carreira policial, e, ainda, o pior salário entre as demais forças de segurança do RN.

Decisão em Assembleia

No dia 31 de maio, os militares estaduais deliberaram por unanimidade a interrupção das atividades a partir na segunda-feira (17). A decisão foi tomada em Assembleia Geral Unificada com a presença de praças e oficiais. A deliberação acompanhou o que foi aprovado em assembleias realizadas no interior do estado, com militares das regiões de Nova Cruz, Currais Novos, Caicó, Pau dos Ferros, Mossoró e Santa Cruz.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

Por G1

 

Brasil e Bolívia abrem hoje a 46ª edição da Copa América, no estádio do Morumbi, em São Paulo. Serão 24 dias de competição em 5 cidades, com 12 seleções, 276 jogadores e 26 jogos. A seleção brasileira entra em campo sem sua principal estrela: Neymar. Cortado da equipe por lesão, o jogador depôs ontem à polícia em SP sobre as acusações de estupro e agressão feitas por Najila de Souza. E a investigação da Polícia Federal sobre os ataques de hackers a autoridades ligadas à Operação Lava Jato aponta que o celular do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot foi o primeiro aparelho invadido.

INTERNACIONAIS

NBA

Kawhi Leonard, do Toronto Raptors — Foto: Lachlan Cunningham / Getty Images / AFP PhotoKawhi Leonard, do Toronto Raptors — Foto: Lachlan Cunningham / Getty Images / AFP Photo

Toronto Raptors é campeão, pela primeira vez em sua história, da NBA, ao vencer o Golden State Warriors por 114 a 110 e fechar a série final em 4 a 2. O jogo que definiu o título terminou no início desta madrugada.

Assembleia Netshoes

O Grupo SBF, dono da rede de lojas de artigos esportivos Centauro, voltou à carga contra o rival Magazine Luiza pela compra da Netshoes, e ofereceu pagar US$ 4,10 por ação, perfazendo um total estimado em cerca de US$ 127,3 milhões.

O anúncio veio horas depois de o Magazine Luiza ter divulgado que subiu sua oferta anterior, de US$ 3 para US$ 3,70 por ação,.

A operação será submetida à deliberação dos acionistas da Netshoes em assembleia convocada para hoje.

NACIONAIS

Invasão hacker

Investigações mostram possível origem de hackeamento de celulares

Investigações mostram possível origem de hackeamento de celulares

A partir do Telegram instalado no aparelho dele, o invasor chegou aos grupos de conversa com procuradores. Com isso, o hacker conseguiu os números de celulares dos integrantes. Depois, procuradores da Lava Jato no PR, SP e RJ foram hackeados.

Mais de 10 autoridades confirmaram que foram alvos de hackers ou de tentativas de invasão nos celulares, como o Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. No caso do coordenador da força-tarefa em Curitiba, Deltan Dallagnol, os indícios apontam que os hackers acessaram e copiaram informações privadas do Telegram.

Ponto a ponto da reforma da Previdência

Relator entrega texto da Previdência com economia menor que a prevista pelo governo

Relator entrega texto da Previdência com economia menor que a prevista pelo governo

O deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), relator da reforma da Previdência, apresentou na comissão especial da Câmara parecer que flexibiliza a proposta enviada pelo governo Jair Bolsonaro. Ele prevê economia de R$ 913 bilhões em 10 anos.

Antes de seguir para análise do plenário, o parecer do relator ainda precisa ser votado na comissão. As datas de votação não foram definidas. Depois de passar pela Câmara, o texto vai ao Senado.

Por se tratar de uma PEC, são necessários, para a aprovação, votos favoráveis de três quintos do total de parlamentares no plenário das duas cadas – 308 votos na Câmara e 49 no Senado -, em dois turnos de votação.

O relatório modifica alguns dos principais pontos da matéria. Entenda ponto a ponto o que propõem o governo e o relator da reforma.

Morre Clóvis Rossi

Jornalista Clóvis Rossi durante entrevista a Pedro Bial — Foto: Reprodução / TV GloboJornalista Clóvis Rossi durante entrevista a Pedro Bial — Foto: Reprodução / TV Globo

jornalista Clóvis Rossi, de 76 anos, morreu na madrugada desta sexta-feira (14) em São Paulo. Ele esteve internado no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul da capital paulista, entre sexta-feira (7) e esta quinta (13), por causa de um infarto. Ele estava em recuperação, mas passou mal em casa.

Depoimento do Neymar

Neymar depõe em São Paulo sobre acusações de agressão e estupro

Neymar depõe em São Paulo sobre acusações de agressão e estupro

Neymar depôs por três horas na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher na Zona Sul de São Paulo. Ele é acusado de estuprar e agredir a modelo Najila Trindade Mendes de Souza. O atleta afirmou que teve relação consensual e com preservativo com a modelo, falou sobre os tapas e disse que foi Najila que posou para as fotos tiradas no quarto.

“A verdade aparece cedo ou tarde. O único desejo que eu tenho agora é que esse caso acabe mais rápido possível”, disse.

Copa América

Brasil se apronta para a estreia na Copa América

Brasil se apronta para a estreia na Copa América

Seleção Brasileira abre hoje à noite, a partir das 21h30, a 46ª edição da Copa América. O Brasil enfrentará a Bolívia, no Morumbi. O principal jogador da equipe, Neymar, foi cortado por causa de lesão no tornozelo.

Serão 24 dias de competição, com 276 jogadores e 46 árbitros em 26 jogos distribuídos por Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador.

As 12 seleções se enfrentam em turno único dentro dos grupos A (Brasil, Bolívia, Venezuela e Peru), B (Argentina, Colômbia, Paraguai e Catar) e C (Uruguai, Chile, Equador e Japão), sendo que os dois primeiros colocados e os dois melhores terceiros avançam para as quartas de final.

O técnico Tite não confirmou a escalação da Seleção, mas iniciou o treino de ontem com Fernandinho na vaga de Arthur.

Amanhã estão previstos os seguinte jogos:

  • 16 horas: Venezuela x Peru (Arena Grêmio)
  • 19 horas: Argentina x Colômbia (Fonte Nova)

Bebidas em estádios

IV Festival de Cerveja acontece no Polo Caruaru — Foto: DivulgaçãoIV Festival de Cerveja acontece no Polo Caruaru — Foto: Divulgação

Os deputados da Assembleia Legislativa de São Paulo aprovaram o projeto de lei que autoriza a venda e o consumo de bebidas alcoólicas dentro de estádios de futebol e arenas esportivas em São Paulo. O projeto segue agora para sanção do governador João Doria.

A venda, distribuição e o consumo de bebidas alcoólicas estava proibida desde 1996.

Prévia do PIB

Banco Central divulgará na manhã desta sexta-feira o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado a prévia do PIB, de abril de 2019. O PIB brasileiro caiu 0,2% no 1º trimestre, na comparação com o último trimestre do ano passado.

Educação

Prouni do 2º semestre encerra inscrições nesta sexta — Foto: ReproduçãoProuni do 2º semestre encerra inscrições nesta sexta — Foto: Reprodução

As inscrições para o Programa Universidade Para Todos (Prouni) do 2º semestre serão encerradas nesta sexta-feira, às 23h59. Para concorrer a bolsas de estudo parciais ou integrais em instituições de ensino privadas, é necessário entrar no site e preencher o cadastro. No total, são 169.226 vagas, sendo 68.087 de bolsas de estudo integrais e 101.139 parciais, que cobrem 50% do valor da mensalidade.

Fonte: G1

Por Blog do BG

Diálogos entre Moro e Deltan não visavam a prejudicar Lula

Por Merval Pereira

Não é de hoje que há críticas pelo fato de o mesmo juiz, no caso Sérgio Moro, controlar as investigações, como na Operação Lava-Jato, e julgar os processos, dando a sentença final.

Não é uma criação nem de Moro nem dos procuradores de Curitiba. É assim que funciona qualquer força-tarefa no Brasil, de acordo com o nosso Código de Processo Penal, ao contrário de outros países, como a Itália, ou países na América Latina, como México e Chile.

Eles têm a figura do “juiz de instrução” ou “juiz das garantias”, que atua apenas na fase inicial das investigações, autorizando ou impedindo ações como quebra de sigilo e interceptações telefônicas, depoimentos e prisões preventivas.

Nenhuma ação dos procuradores do Ministério Público nem da Polícia Federal pode ser feita sem uma autorização do juiz de instrução, que não participa, por impedimento legal das investigações, mas as controla.

Por isso Moro disse, logo no primeiro momento da divulgação de suas conversas com o procurador Deltan Dallagnol, que apenas combinou com os Procuradores as etapas das operações que tinham que ser autorizadas por ele, questões logísticas e exigências legais, como formalização de atos.

A Vara de Moro existe desde 2003 quando foi criada por recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para combater os crimes financeiros. Somente em 2014 a Força-Tarefa da Lava-Jato foi criada, por decisão da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Também a Polícia Federal criou uma força-tarefa própria, que foi esvaziada no governo Temer a ponto de hoje só existir um policial dedicado exclusivamente à Lava-Jato. Quem organizou a Força-Tarefa do Ministério Público foi o procurador Deltan Dallagnol, que já trabalhara com o juiz Moro no caso Banestado, no início dos anos 2000.

O procurador integrou a Força-Tarefa que fez, em 2003, a primeira denúncia contra o doleiro Alberto Youssef. Ao formar o grupo que trabalharia na Lava-Jato, Dallagnol chamou o procurador Carlos Fernando de Souza, que também fez parte do caso Banestado, e outros procuradores com experiência em investigação de crimes do colarinho branco.

Dallagnol e Moro, portanto, se conhecem há 15 anos, e o papel de cada um sempre foi bem definido: o MP propõe medidas, e o juiz as aceita ou não. Para isso, tem que conversar, saber se é a melhor hora para fazer tal ação, se é possível atender aos pedidos dos procuradores e da Polícia Federal, se está bem embasado o pedido de prisão, autorizar quebra de sigilo.

Há uma proposta para a adoção do “juiz de garantias” no Congresso, em tramitação desde 2010, e provavelmente o caso das conversas reveladas pelo Intercept vai apressar uma decisão favorável.

Em todas as conversas reveladas pelo hackeamento do celular do procurador Deltan Dallagnol não há um só momento em que se flagre uma combinação entre ele e Moro para prejudicar o ex-presidente Lula ou outro investigado qualquer.

O fato de o Intercept ter publicado o que diz ser a íntegra das conversas ajudou a confirmar a percepção de que os dois só têm conversas a respeito de procedimentos, e o que parece uma participação indevida do juiz Moro, na verdade é a discussão de decisões sobre as investigações, ou a comunicação de uma testemunha que havia revelado um crime.

Mesmo as conversas entre os dois, que não são diretamente ligadas a casos específicos, são sobre o combate à corrupção, e como ela está arraigada na sociedade brasileira. Afinal, a Força-Tarefa da Lava-Jato existe para isso.

O hoje ministro Sérgio Moro continua o mais popular do governo Bolsonaro, apesar de algumas pesquisas mostrarem queda de popularidade.

A criação da figura do “juiz de garantias”, por outro lado, não é incontroversa. O Instituto dos Advogados do Brasil, por exemplo, é contrário. Diz um parecer do IAB: “Na prática, juízes, em razão da liderança funcional na condução de inquéritos, acabam por exercer atividades policiais e, com o tempo, tornam-se vítimas do fenômeno da “policização”, invertendo, muitas das vezes, seus originários e nobres objetivos”.

Comments

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) Foto: Washington Alves/Estadão

Após pouco mais de cinco meses no cargo, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, reconheceu que errou ao prometer, durante a campanha, que seus secretários não teriam remuneração até que todos os servidores do Estado recebessem em dia. Durante a corrida eleitoral, Zema, que concorreu pelo partido Novo, chegou a assinar um termo de compromisso e registrá-lo em cartório, dizendo que ele, seu vice e seus secretários não receberiam vencimentos enquanto salários e pensões de servidores estivessem em atraso. A medida foi um de seus mais incensados atos de campanha.

Uma vez no cargo, porém, Zema mudou o entendimento. Ele agora sustenta que, na verdade, é preciso reajustar os salários de seus secretários. Segundo o governador mineiro, eles recebem remuneração muito abaixo da média do País. “Tenho de dar a mão à palmatória e dizer que errei nessa questão aí”, afirmou em entrevista à radio CBN na quarta-feira.

Zema, ex-empresário e um neófito na política, atribuiu “o erro” ao fato de não ter tido experiência pública anterior. “Não tinha conhecimento de como seria após estar assumindo”, disse. “Reconheço que foi um anúncio errado na minha campanha. O que diz respeito a mim, estou cumprindo. O que diz respeito aos secretários, nós teríamos, na minha opinião, de corrigirmos o que ganham para um patamar que seja igual ao de outros Estados”, disse na entrevista.

A legislação não permite que um servidor recuse o recebimento do salário. Por isso, o governador e seu vice, que também é empresário e filiado ao Novo, vêm doando seus salários a instituições de caridade. Os secretários estaduais, porém, estão mantendo seus vencimentos. Todos ganham cerca de R$ 10 mil mensais.

Zema foi o candidato ao governo mineiro que declarou ter o maior patrimônio acumulado, de R$ 69 milhões. Entre seu secretariado, há quadros políticos, como o ex-prefeito de Juiz de Fora, Custódio Mattos (PSDB), que assumiu a Secretaria de Governo.

Outro recuo ocorreu em relação aos “jetons”, remuneração adicional dada aos secretários que atuam em conselhos de empresas estatais. Durante a campanha, Zema foi um crítico feroz do uso do instrumento. Na cadeira de governador, no entanto, vetou a emenda feita pelos deputados estaduais em sua reforma administrativa que proibia o pagamento de jetons.

Segundo Zema, ele descobriu que eles são necessários justamente porque os salários dos secretários são muito baixos, o que dificulta atrair quadros de qualidade ao governo do Estado.

“Vi que o salário que os nossos secretários hoje recebem são menos da metade que um secretário municipal da prefeitura de Belo Horizonte. Está totalmente em desacordo com os demais Estados. Se fizermos uma média de Goiás, São Paulo, Rio e Espírito Santo, o salário (de Minas) talvez seja um quarto e um terço”, argumentou.

Atualmente, três dos doze secretários de Zema atuam em conselhos de estatais. Apesar de ter atuado para mantê-los, Zema diz que segue contra os jetons. “Gostaria ainda no meu governo, assim que Minas recuperar a finanças, que fique proibido secretário participar de empresas estatais. Ou que vão como voluntários só para contribuir e que tenham o salário reajustado igual a de outros estados”, disse Zema à CBN.

Procurado, a assessoria de comunicação do governo de Minas Gerais disse que o recebimento de salário é um direito Constitucional e, por esse motivo, “representa um benefício irrenunciável”. Afirmou ainda que o governador Zema doou seus salários até o momento para quatro instituições: a Apae de Papagaois; a Apae de Maravilhas; o Grupo Samaritanas, de Nepomuceno; e o Asilo São Vicente de Paulo, de Guarda Mor.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

“Eu sou honesto, eles sabem que sou honesto e a Mentira foi muito longe”, diz Lula sobre Moro e Deltan Dallagnol

Em entrevista gravada na quarta-feira, 12, e exibida hoje pela emissora sindical TVT, Lula voltou a criticar a condução de suas ações na Operação Lava Jato pelo ex-juiz Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública. “Ele (Moro) estava condenado a me condenar porque a mentira havia ido muito longe”, disse. Para Lula, tanto Moro quanto Dallagnol são “mentirosos” e disse que o procurador “deveria ter sido preso”.

O ex-presidente disse também estar ‘sereno’. “A máscara vai cair. O que vai acontecer, eu não sei”, e completou: “Eu estou mais tranquilo hoje, por que a minha tranquilidade é daquele que sabe que é honesto. Que sabe que Deus sabe que eu sou honesto. O Moro sabe que eu sou honesto.”

Instituições como a Polícia Federal, disse, “não podem ser manipuladas por moleques irresponsáveis” e atribuiu a eles a culpa pela desestabilização das estatais. Segundo ele, a PF e o Ministério Público estão “a serviço de interesses americanos” e não de combate à corrupção.

É a primeira vez que o ex-presidente Lula se manifesta depois da divulgação das conversas entre o procurador da República, Deltan Dallagnol, e o ministro da Justiça – então juiz responsável pela condenação do ex-presidente -, Sergio Moro.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

MORO: ‘Se quiserem publicar tudo, publiquem. Não tem problema’

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou ao Estado que não vai se afastar do cargo. Alvo de ataque cibernético e de vazamento de diálogos atribuídos a ele com procuradores da Lava Jato, no Telegram, Moro disse que o País está diante de “um crime em andamento”, promovido, conforme sua avaliação, por uma organização criminosa profissional. Moro afirmou que não há riscos de anulação do processo do triplex do Guarujá, que levou à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O ex-juiz da Operação Lava Jato vê viés político-partidário na divulgação das mensagens tiradas de aplicativo do coordenador da força-tarefa em Curitiba, Deltan Dallagnol. Ele falou em “sensacionalismo” e disse que réus e investigados da Lava Jato teriam interesse no caso. O ministro não reconhece a autenticidade das mensagens e, na primeira entrevista após ter virado alvo dos hackers, desafiou a divulgação completa do material.

Ele afirmou ainda não ver ilicitude nos diálogos e disse que conversava “normalmente” também com advogados e delegados, inclusive por aplicativos. Em quase uma hora de conversa em seu gabinete em Brasília, Moro descartou impactos do caso para o governo Jair Bolsonaro e para o pacote anticrime, que defende no Congresso.

Click aqui e veja os principais trechos da entrevista: https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/se-quiserem-publicar-tudo-publiquem-nao-tem-problema/

ESTADÃO CONTEÚDO

 

LOCAIS

Instituto Nacional de Meteorologia alerta para fortes chuvas no RN

Um alerta de chuvas intensas para o litoral do Rio Grande do Norte foi emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), na noite desta quinta-feira (13). No comunicado, o Inmet avisa para “grande risco de grandes alagamentos e transbordamentos de rios, grandes deslizamentos de encostas”. A expectativa é de chuva superior a 60 mm/h ou acima de 100 mm/dia. No início das fortes chuvas, no final da manhã desta quinta-feira, a as precipitações em Natal causaram transtornos para motoristas e pedestres, com o registro de diversos pontos de alagamento na cidade.

Nesta quinta-feira, o monitoramento do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) registrou maiores chuvas no litoral sul potiguar: entre 70 a 80mm. Na Grande Natal, as chuvas ficaram em torno de 30 a 40mm, conforme o previsto pela Emparn.

Da quarta-feira para a quinta-feira, em Natal a média de chuva foi aproximadamente de 33mm. Os dados foram captados a partir de medidores de chuva espalhados pela capital. O bairro em que mais choveu foi Neópolis: 44.8mm, seguido de Pajuçara (41.7), Ponta Negra (39), Cidade Alta (28.6), Nossa Senhora da Apresentação (28.6), Cidade Alta (28.6), Guarapes 1 (25.4), Guarapes 2 (25.2) e Nazaré (24.6), segundo o meteorologista.

TRIBUNA DO NORTE

Continuar lendo PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

Por G1

 

Mortes violentas continuam em queda no Brasil. Monitor da Violência, do G1, mostra que os assassinatos caíram 23% nos 4 primeiros meses do ano. PF suspeita que a invasão dos celulares de Moro e de procuradores da Lava Jato foi orquestrada. STF julga pela 1ª vez uma ação contra um decreto de Bolsonaro; os ministros vão analisar trechos do ato que extinguiu conselhos da administração pública. No Senado, a CCJ vota proposta que suspende o decreto das armas.

INTERNACIONAIS

Hong Kong

Manifestantes enfrentam o gás lacrimogêneo lançado por policiais em Hong Kong — Foto: Tyrone Siu / Reuters

Manifestantes enfrentam o gás lacrimogêneo lançado por policiais em Hong Kong — Foto: Tyrone Siu / Reuters

Milhares de manifestantes fecharam as principais avenidas do centro de Hong Kong, em mais um protesto contra a lei que autoriza extradições para a China continental. Os manifestantes – a maioria jovens vestidos de preto – cercaram os prédios do governo no centro da ilha e bloquearam o trânsito, exigindo a retirada do projeto, apoiado por Pequim. Eles enfrentaram gás lacrimogêneo quando tentaram se aproximar de prédios do governo. O projeto foi adiado.

Carro autônomo

G1 mostra como é o carro autônomo criado pela dona do Google

G1 mostra como é o carro autônomo criado pela dona do Google

Carro 100% autônomo está longe, diz executivo da dona do Google. Empresa que desenvolve a tecnologia é campeã de quilômetros rodados sem motorista e conta que semáforo pifado e desvio improvisado já são ‘fichinha’ para esses veículos. Conheça o carro desenvolvido pela empresa Waymo.

NACIONAIS

Monitor da Violência

 — Foto: Editoria de Arte / G1

— Foto: Editoria de Arte / G1

Brasil registra uma queda de 23% nas mortes violentas nos primeiros quatro meses deste ano em comparação com o mesmo período de 2018. É o que mostra o índice nacional de homicídios criado pelo G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal.

Foram 14.374 mortes violentas nos primeiros quatro meses do ano contra 18.688 assassinatos no mesmo período de 2018.

O índice nacional de homicídios criado pelo G1 acompanha os crimes violentos mês a mês. A queda nos assassinatos foi antecipada pelo Monitor da Violência.

Ação orquestrada

PF suspeita que invasão a celulares de Moro e procuradores foi ação orquestrada

PF suspeita que invasão a celulares de Moro e procuradores foi ação orquestrada

A Polícia Federal suspeita que as invasões aos celulares do ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) e de procuradores da Lava Jato tenha sido planejada. Os investigadores estão colhendo indícios sobre a autoria, sobre quem teve acesso de forma ilegal a conversas privadas do ministro e qual o método usado pelos hackers.

Supremo

Ministros do STF no plenário da Corte — Foto: Nelson Jr. / SCO / Supremo Tribunal Federal

Ministros do STF no plenário da Corte — Foto: Nelson Jr. / SCO / Supremo Tribunal Federal

O STF deve julgar hoje uma ação do PT contra trechos do decreto do presidente Jair Bolsonaro que extinguiu conselhos da administração pública. Esta é a primeira vez que o plenário se reunirá para analisar um ação contra um ato do presidente.

O decreto, assinado por Bolsonaro em abril em meio às comemorações pelos 100 dias de governo, efine que serão extintos conselhos, comissões, fóruns e outras denominações de colegiados da administração pública a partir de 28 de junho.

Decreto das armas

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado decide se aprova um parecer favorável à suspensão do decreto do presidente Jair Bolsonaro que alterou as regras de uso de armas e de munições, facilitando o porte.

Senadores aliados de Bolsonaro dizem que o cenário na CCJ é “negativo” e, por isso, avaliam que o governo pode ser derrotado. Se a comissão aprovar o parecer pela derrubada, o texto ainda terá de ser analisado pelo plenário do Senado.

O ministro Onyx Lorenzoni — Foto: Alan Santos/PR

O ministro Onyx Lorenzoni — Foto: Alan Santos/PR

E mais: está na pauta da CCJ da Câmara uma audiência com Onyx Lorenzoni, para que ele esclareça o decreto das armas. Mas o ministro disse que não iria à audiência. A comissão, porém, manteve a convocação e caso Lorenzoni não apareça poderá responder por crime de responsabilidade.

Contas de Temer

O ex-presidente Michel Temer em abril de 2018 — Foto: Evaristo Sá / AFP Photo

O ex-presidente Michel Temer em abril de 2018 — Foto: Evaristo Sá / AFP Photo

O Tribunal de Contas da União (TCU) deve julgar hoje a prestação de contas do exercício de 2018 do ex-presidente Michel Temer. Após a análise, o processo é encaminhado ao Congresso Nacional.

Comércio

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga hoje os dados sobre o comércio em abril. Em março, as vendas no setor cresceram 0,3% na comparação com o mês anterior, após ficarem estáveis em fevereiro, confirmando um ritmo mais fraco da economia brasileira neste começo de ano.

Policial federal recebeu propina no Rio

Investigação do Ministério Público Federal (MPF) e da Corregedoria da Polícia Federal indica que o escrivão Éverton da Costa Ribeiro recebeu R$ 360 mil de propina numa sacola. O pagamento feito por um empresário teria acontecido na garagem do prédio dos Correios, no Centro do Rio.

A informação consta do inquérito e está em um depoimento feito por um empresário que decidiu fazer delação, homologada pela Justiça. O G1não conseguiu contato com a defesa do escrivão.

Mega-Sena

 Aposta única da Mega-Sena custa R$ 3,50 e apostas podem ser feitas até às 19h — Foto: Marcelo Brandt / G1

Aposta única da Mega-Sena custa R$ 3,50 e apostas podem ser feitas até às 19h — Foto: Marcelo Brandt / G1

O concurso 2.159 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 80 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília) em São Paulo (SP).

Série ‘Bem do Rio’

'Bem do Rio' selo — Foto: Infográfico: Fernanda Garrafiel/G1; Fotos: Marcos Serra Lima/G1

‘Bem do Rio’ selo — Foto: Infográfico: Fernanda Garrafiel/G1; Fotos: Marcos Serra Lima/G1

O G1 começa uma série sobre cariocas – da gema ou de alma – que nutrem uma relação especial com a cidade: ‘Bem do Rio’. Na estreia, neste Dia dos Namorados, conheça Alexandre e Daniele, casal de rua que se conheceu e, três anos depois, ganhou um teto e uma cerimônia de união.

Fonte: G1

Por Blog do BG

Vazamento de conversas é para parar reforma da previdência, sugere Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, sugeriu ontem que o vazamento de conversas entre o ministro da Justiça, Sergio Moro, quando ainda era juiz federal e a força-tarefa da Operação Lava Jato foi feito para prejudicar a tramitação da reforma da Previdência. “Não é coincidência que estoura essa bombinha toda hora. Toda hora estoura uma vendo se paralisa a marcha dos eventos”, disse.

Guedes participou da reunião do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) a convite da entidade. O compromisso, porém, não constava na agenda do ministro. Sua presença só foi informada oficialmente perto do fim da palestra.

O ministro falava do excesso de gastos do governo e que a Previdência é hoje o principal componente dessa despesa. Em seguida, ele disse que os gastos previdenciários são o “grande buraco negro” que ameaça engolir o País “antes de terminar essa palestra”.

Guedes começou então a enumerar episódios que ameaçaram as negociações pela reforma da Previdência, entre eles a divulgação de áudios do então presidente Michel Temer com o empresário Joesley Batista (a partir da qual foram acusados de negociar o silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha sobre atos de corrupção) e as denúncias contra “o filho de Bolsonaro” – o ministro não mencionou qual deles.

O primogênito, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), é alvo de investigação após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) detectar movimentações suspeitas de recursos na conta de assessores de Flávio, na época deputado estadual no Rio de Janeiro. O caso foi revelado pelo jornal ‘O Estado de S. Paulo’.

Em seguida, Guedes cita que “hoje é o do Moro”, referindo-se ao episódio do vazamento das conversas entre Moro e integrantes do Ministério Público Federal, como o procurador da República Deltan Dallagnol, pelo site The Intercept Brasil.

Encontro. O presidente da Comissão Especial da reforma, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), disse em sua conta no Twitter que dedicará todo o dia de hoje para “tentar blindar a reforma da Previdência dos últimos acontecimentos”. Os governadores devem se reunir hoje na tentativa de manter os Estados ao alcance da proposta. O relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), também deve participar do encontro.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comments

Ministros do STF mandam para o plenário habeas corpus coletivo sobre prisão em 2ª instância, que poderia beneficiar Lula

O habeas corpus coletivo que pede a libertação de todos os réus presos depois de ter a condenação confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) – inclusive o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – será decidido pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF). A Segunda Turma da Corte voltou a discutir o tema nesta terça-feira, e os ministros entenderam que o caso deve ser julgado pelo plenário, em razão dos princípios constitucionais em jogo, como o da presunção da inocência.

Embora constasse na pauta, o pedido de liberdade do ex-presidente não foi julgado. Na próxima sessão da Segunda Turma, que será no dia 25 de junho, deverá ser julgado outro habeas corpus , em que a defesa de Lula questiona o trabalho do ex-juiz Sergio Moro , atualmente ministro da Justiça no governo do presidente Jair Bolsonaro.

O habeas corpus que a Segunda Turma examinou hoje questiona a legalidade de uma regra do TRF-4, que julga processos da Lava-Jato na segunda instância. Pela norma, réus condenados definitivamente pelo tribunal devem ser presos imediatamente. Os ministros do STF vão decidir se essa prisão é obrigatória, como determina o TRF-4, ou se devem ser analisadas as circunstâncias individuais dos réus.

O pedido chegou ao STF em maio do ano passado, quando o então relator, ministro Dias Toffoli , o negou. Ao se tornar presidente da Corte, ele foi substituído na relatoria pela ministra Cármen Lúcia. Ela levou o recurso contra a decisão de Toffoli para o julgamento virtual, em que os ministros postam seus votos em um sistema eletrônico, sem necessidade de debate. Ela e o ministro Edson Fachin votaram para negar o recurso, mas Ricardo Lewandowski pediu vista, levando o caso para o julgamento presencial.

O GLOBO

 

Falta de articulação na base governista deixa Moro preocupado com ida ao Congresso

O ministro da Justiça,Sergio Moro , decidiu comparecer ao Congresso Nacional na próxima quarta-feira para dar explicações sobre supostas irregularidades na condução da Lava-Jato, mas está preocupado com a superexposição e os desdobramentos do caso. O ministro tem receio do que vai encontrar pela frente, porque a base governista está desarticulada e a oposição ganhou fôlego nos últimos dias.

Para o ministro e auxiliares diretos, a falta de um apoio consistente dos aliados na Câmara e no Senado deixa o cenário ainda mais obscuro e imprevisível. Moro repete que não cometeu nenhuma ilegalidade. Para ele, as conversas que teve com o procurador Deltan Dallagnol , da força-tarefa de Curitiba, são naturais entre juízes e investigadores. Mas sabe que o caso será longamente explorado pelos adversários políticos.

— Ele está, sim, muito preocupado. Não tem como não estar preocupado. Não se sabe o que virá pela frente. Não há como prever o que vai acontecer — resumiu um fonte próxima ao ministro.

Neste cenário de tensão e incerteza,  Moro resolveu partir para um lance arriscado. O ministro decidiu se antecipar a uma possível convocação e se ofereceu para depor na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), no Senado. A ida foi acertada com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Moro teria se colocado à disposição para também falar na Câmara, o que ainda não se confirmou.

Perguntado sobre possibilidade de Moro falar também com deputados, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), respondeu, por meio da assessoria de imprensa que não há nenhuma reunião marcada, mas está a disposição do ministro para eventuais explicações.

A movimentação política do ministro, após a divulgação das mensagens, começou logo pela manhã na terça-feira. Numa reunião com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio da Alvorada, Moro apresentou a versão dele do caso. O presidente teria acolhido as explicações e, num gesto de confiança, decidiu dar carona ao ministro numa lancha que levou os dois do Alvorada para uma solenidade de entrega de medalhas no Grupamento de Fuzileiros Navais.

Ao longo da tarde, em conversas com a equipe de Moro, auxiliares de Bolsonaro disseram que o presidente gostou do que ouviu e reafirmou apoio ao ministro. Depois da cerimônia na Marinha, Moro seguiu para um almoço com o Bloco de Vanguarda, um novo grupo de parlamentares coordenado pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT). No encontro, o ministro ouviu perguntas sobre possibilidade de redução de reservas indígenas e até venda de terras para estrangeiros.

O ministro desconversou. Disse que não estava bem a par desse assunto e que, por enquanto, não teria uma opinião a ser explicitada. Moro também foi perguntado sobre os trechos das conversas dele com Deltan, divulgadas no último domingo pelo The Intercept.

— Foram ataques criminosos (as conversas dele com o procurador). Não temos certeza se as conversas são reais. Mas estou a disposição para esclarecer tudo o que for necessário — disse o ministro, segundo uma fonte que participou do almoço.

O GLOBO

Comments

Partidos querem esperar Moro ‘sangrar’ mais antes de abrir guerra contra ele

Os principais partidos de oposição e legendas de centro têm feito reuniões para decidir como agir no caso do escândalo das mensagensdo ministro Sergio Moro, da Justiça, com procuradores da Operação Lava Jato.

Há um consenso: é preciso ter paciência e esperar Moro “sangrar” ainda mais antes de abrir guerra total contra ele, criando uma CPI.

A ordem é esperar por novas revelações do site The Intercept Brasil, que publicou as primeiras reportagens no domingo (9).

A expectativa é de que novas mensagens piorem ainda mais a situação de Moro.

O ambiente para Moro está complicado mesmo entre os que sempre apoiaram a Lava Jato. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), por exemplo, diz que o caso “é um escândalo”.

“O combate à corrupção não pode passar por meios jurídicos espúrios”, diz Randolfe. O mais grave, diz, é o fato de que “elementos estranhos ao processo eleitoral”, como os procuradores, possam ter influído no resultado do pleito.

MÔNICA BERGAMO

 

Mesmo sem perícia, STF pode usar em decisões diálogos de Moro e Deltan Dallagnol

Os diálogos publicados pelo site The Intercept Brasil que mostram colaboração entre o ex-juiz Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol podem ser usados para anular casos da Lava Jato mesmo que os arquivos eletrônicos não sejam analisados por peritos que avaliem sua autenticidade.

Para advogados e professores, a maneira como o atual ministro da Justiça e o procurador reagiram à divulgação das conversas, sem contestar o teor das afirmações e defendendo o comportamento adotado na época, aponta que o conteúdo é fidedigno e que ele pode servir de base para reverter decisões da Lava Jato, por exemplo, contra o ex-presidente Lula.

Por esse raciocínio, o fato de o material ter sido provavelmente obtido por meio de um crime faz com que ele não tenha como ser utilizado para acusar um suspeito, mas possa servir para absolver um acusado.

Nesta terça-feira (11), o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes afirmou que “não necessariamente” os vazamentos divulgados pelo site anulam provas que venham a ser produzidas a partir deles.

“Porque se amanhã [uma pessoa] tiver sido alvo de uma condenação por exemplo por assassinato, e aí se descobrir por uma prova ilegal que ela não é autor do crime, se diz que em geral essa prova é válida”, declarou.

À tarde, em sessão, ele disse também, sem mencionar Moro, que “juiz não pode ser chefe de força-tarefa”.
Nos bastidores do Supremo, a opinião de Gilmar é acompanhada por ao menos outros 2 dos 11 ministros na corte.

Para a professora de direito constitucional da FGV (Fundação Getulio Vargas) Eloísa Machado de Almeida, a reação da força-tarefa e de Moro em notas oficiais “corrobora o conteúdo, ainda que parcialmente, dessas conversas”.

“O que se mostra até agora é que eles [Moro e Deltan] não estão colocando em xeque a veracidade das informações, mas sim a origem ilícita [dos arquivos].”

Por enquanto, não há arquivo a ser periciado. A PF tem investigação em andamento sobre ataques de hackers a autoridades da Lava Jato. O site The Intercept Brasil afirma que recebeu as conversas de uma fonte e que respeitará o direito ao sigilo.

Para Eloísa Machado, existe a possibilidade de o Supremo julgar a validade do uso a favor de Lula dos diálogos já na sessão do próximo dia 25, data em que está marcada a análise de um pedido de suspeição contra Moro. A corte pode reconhecer de ofício, ou seja, sem provocação da defesa, que houve uma irregularidade no processo. “É um debate jurídico que não é simples.”

(mais…)

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

31 de maio, sexta-feira

Por G1

 

Réus por porte e posse ilegal de armas tentam ser absolvidos ou ter penas mais brandas após o decreto do governo Bolsonaro. IBGE divulga os números do desemprego em abril. Polícia de SP registra 1ª transexual como vítima de feminicídio; casos aumentam 54% nos primeiros quatro meses do ano. Nos EUA, Trump anuncia que vai taxar produtos mexicanos por causa da imigração ilegal.

INTERNACIONAIS

Trump x México

Presidente dos EUA, Donald Trump discursa em cerimônia de graduação da Força Aérea Norte-Americana em Colorado Springs — Foto: Jonathan Ernst / Reuters

Presidente dos EUA, Donald Trump discursa em cerimônia de graduação da Força Aérea Norte-Americana em Colorado Springs — Foto: Jonathan Ernst / Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou ontem à noite que vai taxar todos os produtos importados do México em 5% até que o país vizinho elimine ou reduza drasticamente a entrada de imigrantes clandestinos em território norte-americano. A medida começa a valer em 10 de junho.

De acordo com comunicado divulgado pela Casa Branca, essa taxação vai aumentar gradualmente, caso não haja queda na imigração ilegal.

E mais:

Na foto, Sylvia Ramirez sai da capela no Jackson Ranch, em San Juan, no Texas, que pode ser afetada pelo muro de Trump. — Foto: Eric Gay / AP Photo

Na foto, Sylvia Ramirez sai da capela no Jackson Ranch, em San Juan, no Texas, que pode ser afetada pelo muro de Trump. — Foto: Eric Gay / AP Photo

Na fronteira entre EUA e México, cemitérios e memórias de família ficam no caminho do muro de Trump. Muitas famílias no Vale do Rio Grande podem traçar suas raízes a uma época em que suas terras faziam parte do México. Agora, uma família na região luta para que um cemitério, que data do século 19, não seja destruído pela barreira entre os dois países.

NACIONAIS

Penas mais brandas

Novo decreto de armas ainda é inconstitucional, diz MPF

Novo decreto de armas ainda é inconstitucional, diz MPF

Após o presidente Jair Bolsonaro flexibilizar as regras sobre armas no Brasil, réus por porte e posse ilegal de armas têm tentado obter a absolvição pelos crimes ou, ao menos, responder por penas mais brandas. Em Minas Gerais, por exemplo, três pessoas presas por porte ilegal de armas conseguiram, e estão sujeitas a uma pena menor do que estariam antes dos decretos do presidente. Entenda.

Desemprego

 — Foto: Valdecir Galor / SMCS

— Foto: Valdecir Galor / SMCS

Saem nesta sexta-feira dados de abril sobre o desemprego no Brasil. Em março, a taxa de desemprego no país subiu para 12,7% no trimestre encerrado em março, atingindo 13,4 milhões de pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Contas públicas

O Banco Central divulga nesta manhã o resultado das contas de abril e no acumulado do ano do setor público consolidado, que englobam governo, estados, municípios e empresas estatais. Em março o rombo foi de R$ 18,629 bilhões.

Transexual vítima de feminicídio

De janeiro a abril deste ano, 54 mulheres foram vítimas de feminicídio contra 35 no mesmo período de 2018, de acordo com levantamento do G1 e da GloboNews. Foi nesse período que a Polícia Civil registrou, pela primeira vez desde a publicação da lei, em 2015, um feminicídio com uma vítima transexual.

Lei foi criada em 2015 e estado ainda não havia registrado caso com trans na esfera policial. Das 54 mortes registradas como feminicídio de janeiro a abril deste ano, 46 suspeitos foram presos, seis morreram nas ocorrências e dois estão foragidos.

Massacre no Amazonas

Área em cemitério de Manaus foi cedida para enterro de detentos que morreram em massacre de 2017 — Foto: Ísis Capistrano / G1 AM

Área em cemitério de Manaus foi cedida para enterro de detentos que morreram em massacre de 2017 — Foto: Ísis Capistrano / G1 AM

Nenhuma das 67 famílias de presos mortos no massacre ocorrido há dois anos no Amazonas recebeu indenização do estado. A Defensoria Pública do Amazonas (DPE-AM) disse que havia somente um acordo extrajudicial com o governo para que os pagamentos fossem realizados. Após novo massacre ocorrido nos últimos em Manaus, o governador Wilson Lima disse que “o estado está endividado”.

É proibido fumar

Câncer de pulmão é o tipo que mais mata no mundo; principal causa é o fumo — Foto: Cheryl Holt / Pixabay

Câncer de pulmão é o tipo que mais mata no mundo; principal causa é o fumo — Foto: Cheryl Holt / Pixabay

Proibição de cigarro em locais públicos evitou a morte de 15 mil crianças no Brasil, diz estudo do Inca. Imperial College of London e Centro Médico Erasmus da Holanda também assinam artigo. Pesquisa é a primeira a analisar impacto da medida na saúde infantil em um país em desenvolvimento.

Conta de luz

 — Foto: Rodrigo Cunha / G1

— Foto: Rodrigo Cunha / G1

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulga hoje a bandeira tarifária de junho na conta de luz. Em maio, a Aneel reajustou os valores da bandeira tarifária amarela e da bandeira vermelha, nos patamares 1 e 2. O maior reajuste ocorreu na bandeira amarela, que passou de R$ 1 a R$ 1,50 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) – alta de 50%.

Educação

Inscrições do Encceja 2019 terminam nesta sexta-feira. Exame é voltado a jovens e adultos que não tiveram oportunidade de concluir seus estudos na idade apropriada.

Fonte: G1

Por Blog do BGComments

Atos foram menores e a educação foi a ponta do iceberg para protestos anti-Bolsonaro

O último dia 15 foi marcado pela surpresa. Antes mesmo de o governo Jair Bolsonaro completar cinco meses, centenas de milhares de pessoas foram às ruas contra os cortes de verba na Educação. A manifestação marcou o fim simbólico do período de apatia pós-eleitoral. Os protestos, com forte caráter espontâneo, emergiram após o ministro da Educação, Abraham Weintraub, provocar a sociedade dizendo que o contingenciamento de 30% seria focado nas universidades em que houvesse “balbúrdia” ou “gente pelada dentro do campus”.

O sucesso da primeira manifestação parece ter inebriado os núcleos mais organizados, UNE à frente, que prontamente convocou outro protesto para duas semanas depois. A movimentação seguiu o slogan #amanhãvaisermaior, que reinou nos protestos brasileiros desde 2013. A presidente da organização estudantil chegou a afirmar no Congresso que os estudantes iam seguir nas ruas e Bolsonaro e Weintraub não dormiriam mais “em paz”. Só que a tarefa de manter a sociedade em permanente mobilização, especialmente em relação a um governo recém-eleito, não é simples.

As manifestações desta quinta-feira, embora relevantes e espalhadas pelo país, acabaram sendo menores que as de duas semanas atrás — e ocorreram apenas quatro dias após o bolsonarismo mostrar nas ruas que ainda tem vigor popular.

Após a grande manifestação de 15 de maio, o governo se esforçou para conter a insatisfação. Bolsonaro chegou a reconhecer ter exagerado ao atacar os manifestantes, e Weintraub foi ao Congresso explicar o que pretende fazer à frente do ministério. Mais importante: o governo se esforçou para fazer prevalecer a narrativa de que não havia corte, e sim contingenciamento, e que o montante não era de 30%, mas sim de 3%. São duas formas de ver os mesmos dados, mas o discurso diversionista pode ter surtido algum efeito.

Independentemente da guerra ideológica que se vê nas ruas, a vida real dos estudantes começou a ser efetivamente afetada nos últimos dias. Várias universidades públicas já estão informando a seus estudantes que não haverá verbas para congressos e pesquisas. A tendência é que o quadro siga piorando.

E é na piora da vida da sociedade que está a ameaça a qualquer governo. A educação é um desses aspectos, mas há outro mais importante: a situação financeira das famílias. Ontem, o IBGE divulgou que o PIB ficou negativo no primeiro trimestre deste ano. É palpável a frustração dos empresários, que apoiaram massivamente Bolsonaro nas eleições, ante a incapacidade do governo em montar uma coalizão que gere confiança em relação ao futuro econômico do país.

Os protestos pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff estenderam-se por mais de um ano, e não seguiram uma trajetória crescente todo o tempo. Mas sua resiliência, que acabou contaminando o Congresso, se deu por uma razão simples: na vida real, as pessoas viram sua renda cair e seus empregos desaparecerem. A educação é a ponta do iceberg anti-Bolsonaro, mas há muito mais abaixo da linha d’água.

Paulo Celso Pereira / O GLOBO

Comments

Queda de 0,2% do PIB retoma debate sobre corte da taxa de juros para sair da estagnação

A contração de 0,2% do PIB (Produto Interno Bruto) no primeiro trimestre de 2019 intensificou a pressão para que o governo adote medidas de estímulo à economia, além dos esforços para aprovar a reforma da Previdência, incluindo a retomada da política de cortes de juros.

Embora o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não tenha comentado os dados divulgados nesta quinta-feira (30), o ministro Paulo Guedes reagiu ao resultado, anunciando que o governo estuda liberar recursos de fundos como FGTS para animar o consumo.

O diagnóstico de analistas é que a medida vai na direção correta, mas que a piora do ritmo da atividade —que nunca chegou a engatar uma recuperação vigorosa após o fim da recessão em 2016— exige outras ações.

“[O resultado do PIB] é mais uma evidência de que o Banco Central pode cortar os juros. É o único instrumento de curtíssimo prazo para ajudar a economia a voltar a crescer”, diz Sérgio Werlang, ex-diretor de Política Econômica do BC.

Desde maio de 2018, a Selic, taxa básica de juros da economia, permanece em 6,5%.

A estabilidade sucedeu um período de repetidos cortes que levaram a taxa a cair a menos da metade (em outubro de 2016, a Selic era 14,25%).

A suspensão da política de afrouxamento monetário ocorreu na esteira da percepção de que a recuperação da economia poderia levar à volta das pressões inflacionárias.

O IPCA, índice oficial de inflação, ficou em 4,94% em abril, acima do centro da meta de 4,25%, mas dentro do intervalo de variação aceitável, que é de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

Apesar do resultado, com o diagnóstico de que a economia brasileira pode estar caminhando para uma nova recessão, o rumo da política monetária voltou ao centro do debate entre economistas.

A defesa de corte de juros não é consensual, mas o tema ganha espaço crescente em discussões e relatórios.

Para Alberto Ramos, diretor de pesquisa para América Latina do Goldman Sachs, por exemplo, não é tão claro que o BC deve reduzir os juros.

“Ninguém hoje não investe pelo custo do capital. A razão para não investir é a incerteza e o risco de insolvência fiscal no médio e longo prazo. Se eles continuarem, quem não investia por 6,5% não vai investir por 5,5%”, afirma.

(mais…)

 

LOCAIS

Funpec pagou R$ 4 milhões por 10 vídeos com audiência média de 700 pessoas

A Tribuna do Norte desta sexta-feira destaca o Inquérito Civil Público que o MP instaurou para investigar o contrato da Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura (Funpec) com o Grupo Fields 360, empresa de comunicação integrada que gere a campanha publicitária ‘Sífilis Não’, orçada em R$ 50 milhões. O  contrato previu a elaboração de vídeos para TV e internet, gerenciamento de redes sociais e impressão de material gráfico.

A websérie, dividida em 10 episódios, custou R$ 4,1 milhões. Cada episódio foi assistido, em média, por 699 pessoas (de acordo com audiência medida no início da noite desta quinta-feira, 30, no site e no canal oficial da Campanha Sífilis Não na internet).

O contrato tem vigência de 12 meses com possibilidade de prorrogação do prazo e revisão de preços em até 25% do valor inicial atualizado. A empresa foi a única a apresentar propostas técnica e de preços de acordo documentos disponibilizados pela Funpec no seu próprio site (funpec.br) relativos aos Edital de Seleção Pública Presencial nº 001/2018-Funpec, lançado no dia 4 de junho do ano passado. O valor estimado do contrato em referência, R$ 50 milhões, é quase cinco vezes os orçamentos deste ano para a Comunicação/Publicidade oficiais  previstos pela Prefeitura do Natal e Governo do Estado.

A abertura do processo investigatório pelo MPF/RN ocorreu em 20 de agosto do ano passado, após o recebimento de uma denúncia anônima pelo setor extrajudicial do órgão, e é analisada pelo procurador da República Kleber Martins de Araújo. Até a noite desta quinta-feira, 30 de maio, não havia nenhuma movimentação processual além do registro de abertura e distribuição ao gabinete do procurador. A expectativa é que nesta sexta-feira, 31 de maio, o procurador disponibilize o conteúdo que estava sob análise. Na consulta ao processo, consta que ele está no ‘Grupo Temático de Combate à Corrupção’, que investiga ‘crimes de responsabilidade e improbidade administrativa’.

Para acessar a reportagem completa click aqui: http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/funpec-paga-r-4-milha-es-por-va-deos-com-audia-ncia-ma-dia-de-699-pessoas/449629

TRIBUNA DO NORTE

Comments

FOI TARDE: Justiça autoriza demolição do Hotel Reis Magos

HOTEL REIS MAGO. FOTO: WELLINGTON ROCHA/ARQUIVO/PORTAL NOAR

Por PORTAL NO AR / Claudio Oliveira

O prédio do antigo Hotel Reis Magos, na Praia do Meio, em Natal, recebeu o aval do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, no Recife, para que o grupo proprietário Hotéis Pernambuco S/A, possa demolir o imóvel que encontra-se abandonado e em estado de deterioração.

Por maioria, os desembargadores do TRT5 negou provimento à apelação do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, que desejava impedir que os proprietários realizassem qualquer atividade para demolição. O objetivo era fazer com que o prédio fosse tombado como patrimônio histórico e arquitetônico. A Procuradora do Estado, Marjorie Madruga fez a sustentação oral no TRF5, mas não conseguiu convencer a justiça a barrar a vontade dos donos do imóvel.

A procuradora tinha, inclusive, tentado fazer com que o grupo consertasse a laje da recepção da extinta boate Royal Salute, que ficava dentro do hotel e desabou no mês passado, contudo, o advogado do grupo João Vicente de Golveia, disse ao Portal NoAr que não havia nenhum fundamento legal para essa exigência e que o prédio não tem mais conserto porque acabou se deteriorando sozinho, devido a ação natural do vento, chuva, sol e maresia, bem como a depredação de vândalos. O hotel parou de funcionar em meados da década de 90 e, desde então, está em ruínas.

Segundo o advogado, o grupo aguardava decisão da justiça para poder fazer um estudo e definir um novo projeto para o local. “Mesmo que houvesse chances de recuperação, o proprietário não tem qualquer interesse em revitalizá-lo. A ideia é enfrentar a questão do tombamento que está na justiça e, se o prédio deixar de existir, empreender no terreno um novo projeto, demolindo o que está lá e fazendo aquecer a economia e valorização daquela área da cidade”, revelou ao Portal NoAr.

Continuar lendo PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA QUINTA-FEIRA

Por G1

 

Manifestantes voltam a protestar contra cortes na educação. Atos ocorrem em 21 estados e no DF. A economia brasileira encolhe 0,2% no 1º trimestre. Com o PIB em queda, fica a pergunta: por que o Brasil não cresce? E o governo estuda liberar saques do FGTS para aquecer a economia. Partido do Centrão vai apresentar reforma da Previdência alternativa. Senado adia votação de MP sobre fraudes no INSSObama em São Paulo diz que oferecer boa educação não é caridade. Nos EUA, Trump ataca procurador, nega crimes e chama impeachment de ‘palavra suja’.

INTERNACIONAIS

‘Não houve crime’

Trump falou a jornalistas nesta quinta-feira (30), na Casa Branca. — Foto: Kevin Lamarque/Reuters

Trump falou a jornalistas nesta quinta-feira (30), na Casa Branca. — Foto: Kevin Lamarque/Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou duramente o procurador especial Robert Mueller, que encerrou a investigação de dois anos sobre a suposta interferência da Rússia nas eleições presidenciais de 2016. Mueller disse ontem que não há certeza sobre a inocência do presidente.

Segundo o presidente, o procurador especial “nunca deveria ter sido designado” para realizar as investigações e negou qualquer crime. Ele também descartou a possibilidade de impeachment, que vem sendo discutida entre os democratas.

“Não vejo como… É uma palavra suja, nojenta, repugnante… é um assédio gigante ao presidente. Não houve crime. Não houve contravenção”, afirmou Trump.

NACIONAIS

Protestos pela educação

SÃO PAULO, 17h50: Manifestantes fazem ato contra cortes na educação no Largo da Batata — Foto: Wellington Valsechi/TV Globo

SÃO PAULO, 17h50: Manifestantes fazem ato contra cortes na educação no Largo da Batata — Foto: Wellington Valsechi/TV Globo

Cidades brasileiras tiveram o 2º dia de protestos em defesa da educação. Até as 20h25, atos foram registrados em ao menos 116 cidades de 21 estados e do Distrito Federal, segundo levantamento do G1. No mesmo horário do último domingo (26), quando ocorreram manifestações em apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro, foram contabilizados protestos em 156 municípios de todos os estadose no DF.

As manifestações seguiram pacíficas por toda a manhã, mas houve confusão no início da tarde em Brasília.

Confusão entre policiais militares e estudantes durante protesto contra cortes de verbas na educação, em Brasília, nesta quinta-feira (30) — Foto: Luiza Garonce/G1

Confusão entre policiais militares e estudantes durante protesto contra cortes de verbas na educação, em Brasília, nesta quinta-feira (30) — Foto: Luiza Garonce/G1

No Rio, protesto na Candelária interditou a Avenida Presidente Vargas. Estudantes, integrantes de movimentos sociais e de sindicatos participam do ato, convocado por redes sociais, e saíram em caminhada até a Cinelândia.

Rio de Janeiro, 18h42: Manifestantes se deslocam pela Avenida Rio Branco — Foto: Marcos Serra Lima/ G1 Rio

Rio de Janeiro, 18h42: Manifestantes se deslocam pela Avenida Rio Branco — Foto: Marcos Serra Lima/ G1 Rio

O protesto em São Paulo ocorreu no Largo da Batata e fechou a Avenida Faria Lima no sentido Rebouças. Os manifestantes abriram uma grande faixa com a frase “O Brasil se une pela educação” e seguiram com o ato até a Avenida Paulista.

SÃO PAULO, 17h30: Manifestação contra cortes na educação no Largo da Batata — Foto: Fábio Tito/G1

SÃO PAULO, 17h30: Manifestação contra cortes na educação no Largo da Batata — Foto: Fábio Tito/G1

‘Coação’

O Ministério da Educação divulgou nota condenando o que chamou de “coação para que estudantes e professores” participassem de protestos e incentivou que as supostas tentativas de coação fossem denunciadas à ouvidoria do MEC.

O ministério afirmou que “nos últimos dias, o MEC tem recebido denúncias via redes sociais e pelo sistema e-Ouv que confirmam essas denúncias. O ministério informou que contabilizou até o início da tarde 41 reclamações, além de diversas interações realizadas via Facebook do MEC e pelo Twitter do ministro Abraham Weintraub.

Entidades estudantis e partidos condenaram a nota do ministério e afirmaram que os manifestantes foram às ruas porque querem defender a educação.

Brasil estagnado

Variação trimestral do PIB desde 2016 até o 1º tri deste ano — Foto: Juliane Souza/G1

Variação trimestral do PIB desde 2016 até o 1º tri deste ano — Foto: Juliane Souza/G1

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro caiu 0,2% no 1º trimestre, na comparação com o último trimestre do ano passado. Em valores correntes, a soma de toda a riqueza em bens e serviços produzida no país totalizou R$ 1,714 trilhão. Essa é a primeira queda desde o 4º trimestre de 2016.

Por que o Brasil não cresce?

Por que o Brasil não cresce?

Com grave crise fiscal e sem destravar os investimentos, país enfrenta estagnação em um círculo vicioso do baixo crescimento econômico. Entenda por que o Brasil não cresce.

Saques do FGTS

Ministro da Economia, Paulo Guedes, avalia liberar dinheiro de contas ativas do FGTS

Ministro da Economia, Paulo Guedes, avalia liberar dinheiro de contas ativas do FGTS

Diante do resultado negativo do PIB, o governo Bolsonaro estuda liberar recursos de contas inativas e ativas do FGTS para estimular a economia. O ministro da Economia, Paulo Guedes, condicionou liberação do dinheiro à aprovação de reformas.

Reforma da Previdência

O PL, que integra o chamado Centrão, decidiu apresentar um texto alternativa ao da reforma da Previdência apresentado pelo governo. A proposta, que o partido apresentará à comissão especial da Câmara que analisa o tema, excluirá mudanças na aposentadoria rural, informa o colunista Gerson Camarotti.

Prazo apertado

Aprovada ontem pela Câmara, a MP que permite pente-fino contra fraudes no INSS pode caducar depois que o Senado adiou, por falta de quórum, a votação para segunda-feira, último dia antes da medida perder validade.

Lava Jato

Montagem com fotos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do juiz Sérgio Moro — Foto: Reprodução/G1

Montagem com fotos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do juiz Sérgio Moro — Foto: Reprodução/G1

O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, rejeitou recurso da defesa do ex-presidente Lula que questionava a atuação de Sérgio Moro como juiz nos processos contra ele. A defesa apontou parcialidade do ex-juiz, mas Fachin considerou que seria necessário reavaliar provas, o que não pode ser feito nesse tipo de processo.

Obama em SP

Barack Obama e Pelé se encontraram em São Paulo — Foto: Reprodução/Twitter

Barack Obama e Pelé se encontraram em São Paulo — Foto: Reprodução/Twitter

O ex-presidente dos EUA Barack Obama veio a São Paulo, onde participou de um evento empresarial, e se encontrou com Pelé. É a segunda vez que Obama vem ao Brasil depois que deixou a Casa Branca. A última visita tinha sido em 2017.

No evento voltado para inovação digital, Obama defendeu a importância da educação.

“Dar boa educação e serviço social não é caridade, é necessidade do desenvolvimento econômico de um país. Quanto mais se investe em capital humano, mais as economias vão crescer”, afirmou ele.

Também teve isso…

Detalhe da nova atração dedicada a 'Star Wars' na Disney, na Califórnia — Foto: Amy Sussman/Getty Images North America/AFP

Detalhe da nova atração dedicada a ‘Star Wars’ na Disney, na Califórnia — Foto: Amy Sussman/Getty Images North America/AFP

Fonte: G1

 

Por Blog do BG

“Não dá para fazer transição suave sem perda de impacto”, diz secretário

O secretário da Previdência do Ministério da Economia, Leonardo Rolim, afirmou nesta quinta-feira, 30, ao Estadão que não é possível promover uma transição suave na reforma da Previdência sem que haja uma perda de impacto fiscal “muito grande”.

“Nós perdemos muito tempo, perdemos o bônus demográfico. Não dá pra fazer uma transição suave sem ter uma perda muito grande de impacto fiscal”, disse.

“Se tivéssemos feito uma reforma em 2011, poderíamos ter uma transição suave, mas perdemos oito anos e a situação só piora”, acrescentou, antes de participar de evento em São Paulo.

Rolim ressaltou que, se o relator da reforma na comissão especial da Câmara, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), quiser manter o impacto fiscal de R$ 1,2 trilhão em 10 anos mesmo cedendo em pontos sensíveis aos parlamentares, compensações terão de ser feitas na proposta.

A transição é um dos pontos que estão sendo analisados pelo relator. O secretário disse que o governo não tem participado da discussão para o fechamento do relatório.

Estadão Conteúdo

Comments

STF adia para 4ª-feira decisão sobre aval do Congresso para privatizações

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) adiou para a próxima quarta-feira (5) a decisão sobre a necessidade de aval do Congresso para a realização de privatizações de empresas estatais. O julgamento foi iniciado na tarde desta quinta-feira (30) pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, que informou na abertura da sessão que os votos de cada um dos ministros só serão lidos na próxima semana, uma vez que as sustentações orais das partes envolvidas tomariam todo o tempo desta quinta-feira, 30.

Segundo apurou o Estadão/Broadcast Político, o julgamento deve ter placar apertado, com tendência de “ajustes” na decisão do ministro Ricardo Lewandowski, que, em junho do ano passado, determinou que a venda de empresas públicas, sociedades de economia mista e de suas subsidiárias ou controladas exige prévia autorização legislativa, sempre que se trate de perda do controle acionário.

Com a continuidade do julgamento programada para a semana que vem, a decisão final do STF em torno da venda de 90% da Transportadora Associada de Gás (TAG) pela Petrobras por US$ 8,6 bilhões também fica para depois. Como a decisão do ministro Edson Fachin, que suspendeu a venda, está amparada na liminar de Lewandowski, o julgamento da primeira ação tende a afetar automaticamente a situação da TAG.

Insegurança

Para o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, as liminares concedidas por Lewandowski e Fachin causaram insegurança não só para a Petrobras, mas para o Brasil e a economia brasileira. Mesmo assim, Castello Branco afirmou estar confiante na “racionalidade e no senso de Justiça” dos ministros do STF ao analisarem o tema de forma colegiada.

Na avaliação de Castello Branco, o petróleo é uma “uma grande fonte de geração de riqueza” e a não concretização dos planos de desinvestimento da Petrobras “limita significativamente a exploração dessa riqueza natural em prol da sociedade brasileira”.

Estadão Conteúdo

Comments

LOCAIS

SINAL FECHADO: Investigações sobre propinas de R$ 1,1 milhão para Agripino podem ir para a Justiça Federal

As investigações envolvendo um suposto pagamento de propina que ultrapassa R$ 1,1 milhão para o ex-senador José Agripino Maia devem ficar a cargo da Justiça Federal do Rio Grande do Norte (JFRN). Pelo menos, esse é o entendimento e recomendação da procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Dodge defendeu que as investigações sigam com a Justiça Federal durante a sustentação contra a decisão do Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) que decidiu que o caso fosse encaminhado para a Justiça Estadual, mais especificamente para a 5ª Vara Criminal da Comarca de Natal (RN).

Agripino responde a processos pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e uso de documentos falsos. Ele foi denunciado por ser beneficário de mais de R$ 1,1 milhão na implantação do serviço de inspeção veicular obrigatório com a Inspar, apontado na Operação Sinal Fechado.

A denúncia

Segundo o MPF, em 2010, Agripino, juntamente com o então ex-deputado Carlos Augusto Rosado e a esposa e então senadora, Rosalba Ciarlini (à época candidata ao governo) teriam recebido R$ 1,15 milhão de George Olímpio para assegurar a manutenção do contrato de inspeção veicular celebrado entre o Consórcio Inspar e o Estado. A maior parte do dinheiro se destinou a pagar despesas da campanha de reeleição do senador Agripino e de Rosalba a governadora, e nunca foi declarado na prestação de contas de ambos.

De acordo com a denúncia, uma parcela menor foi depositada “de forma fracionada, sem identificação de origem” nas contas de José Agripino (R$ 105.500), Carlos Augusto (R$ 86.365) e Rosalba (R$ 69.950).

Fonte: Blog do BG

 

Por Prefeitura do Natal

 

Mais de 70,5 mil idosos se imunizaram em Natal: grupo de risco que mais aderiu à campanha até agora — Foto: Joana Lima

Mais de 70,5 mil idosos se imunizaram em Natal: grupo de risco que mais aderiu à campanha até agora — Foto: Joana Lima

Se você não se vacinou contra a Influenza, ainda dá tempo. A Campanha de Vacinação contra a gripe em Natal segue até esta sexta-feira, dia 31, e a procura pela vacina na última semana continua movimentando as Unidades de Saúde da cidade. A meta da Secretaria Municipal de Saúde é imunizar 90% (215 mil) do público-alvo. Até o momento, a SMS já imunizou 78,78%, o que corresponde a 188.625 pessoas. Os idosos foram os mais imunizados até o momento, com 70.539. Outros grupos prioritários, como crianças (39.555), comorbidades (31.771), trabalhadores da saúde (20.212) e professores das redes pública e privada (8.537), também apresentam grande procura.

A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para este ano (Influenza A/H1N1; Influenza A/H3N2 e Influenza B). Aqueles que ainda não se vacinaram poderão procurar o posto mais próximo de sua casa, de segunda a sexta-feira. A Prefeitura disponibilizou mais de 70 salas de vacinação por toda a cidade.

O público-alvo da campanha é composto por crianças na faixa etária de seis meses a menos de 6 anos de idade; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); idosos a partir dos 60 anos; trabalhadores da saúde; professores de escolas públicas e privadas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade; e funcionários do sistema prisional.

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS) também alerta para o aumento no número de casos de gripe com evoluções para o quadro de pneumonia, bronquite e outras doenças respiratórias por falta de imunização: “É importante que as pessoas que fazem parte dos grupos prioritários não percam a oportunidade de receber a vacina. Todas as unidades estão munidas com doses suficientes para atender a demanda da população”, destaca a chefe do Setor de Vigilância Epidemiológica, Aline Delgado.

Quase 40 mil crianças se vacinaram dentro da campanha, coordenada em Natal pela Secretaria Municipal de Saúde. — Foto: Joana Lima

Quase 40 mil crianças se vacinaram dentro da campanha, coordenada em Natal pela Secretaria Municipal de Saúde. — Foto: Joana Lima

Na Unidade de Saúde São João, localizada na avenida Romualdo Galvão, no bairro Tirol, por exemplo, a procura é constante e mesmo com uma alta demanda os usuários saem satisfeitos com o serviço, como foi o caso do pedreiro João Vicente de 42 anos. “Eu sempre venho aqui na unidade São João e nunca fui mal atendido por ninguém, muito pelo contrário. Aqui eu sei que vou encontrar o que eu preciso e sempre recebo orientações muito esclarecedoras. Eu gosto de saber que aqui eu tenho tratamento adequado, caso fique doente, e que também posso me prevenir, que é o que vim fazer hoje tomando a vacina”, relata ele.

A vacina contra a influenza está disponível para todos os grupos prioritários. Crianças de 6 meses até menores de seis anos estão inseridas neste grupo e foi por isso que a vendedora Ana Cristina Virella levou sua filha de três anos para também se proteger na UBS São João. Ela afirma que “é muito importante estar protegido desde cedo. As crianças são muito frágeis, principalmente nesta primeira infância. Preciso manter minha filha saudável”.

Já Lêda Maria de Carvalho, que é idosa, foi acompanhada pela filha Rosângela Gomes de Carvalho. “Viemos aqui para mantermos nossa saúde e nos surpreendemos com o atendimento dos funcionários. Já tínhamos vindo outras vezes nos vacinar, mas dessa vez foi surpreendente porque mesmo com muita gente o atendimento foi bem rápido e muito atencioso” afirmou Rosângela.

  • Contraindicações – A vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores, bem como a qualquer componente da vacina ou alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados.
  • Precauções – Em doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro, com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença.
Fonte: G1 RN
Continuar lendo ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA QUINTA-FEIRA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

Por G1

 

Câmara aprova mudanças no Código Florestal, mas o Senado decide que não vai votar a medida. Ambientalistas temiam que a MP causasse mais desmatamentos. O governo enxuga o Conselho do Meio Ambiente e reduz a presença de ONGs e empresas. Estudo da Fiocruz sobre uso de drogas é censurado. O Supremo decide que grávidas e mulheres que ainda amamentam não podem exercer atividades insalubres, como previa a reforma Trabalhista. A Justiça autoriza a transferência de Eduardo Cunha para presídio no Rio. Relatório apontava para risco de mortes em presídio de Manaus quatro dias antes do massacre que deixou 55 mortos. Netanyahu fica sem maioria, e Israel convoca 2ª eleição em menos de 2 meses. Nos EUA, procurador que investigou Trump diz que não há certeza sobre inocência do presidente americano.

INTERNACIONAIS

Volta às urnas

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, chega a votação no Parlamento que decidiu pela convocação de novas eleições. — Foto: Ronen Zvulun/Reuters

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, chega a votação no Parlamento que decidiu pela convocação de novas eleições. — Foto: Ronen Zvulun/Reuters

Menos de 2 meses após ir às urnas, Israel marcou novas eleições para setembro. O premiê Netanyahu perdeu a maioria necessáriapara formar o governo com disputa entre judeus ortodoxos e militaristas. A oposição liderada por Benny Gantz não era a favor de um novo pleito. De acordo com a imprensa israelense, Gantz afirmou que, sem coalizão, o governo deveria ser transmitido para o partido oposicionista Azul e Branco, segundo mais votado nas eleições de abril.

Estados Unidos

Procurador diz que não há certeza sobre a inocência de Trump — Foto: Arte/G1

Procurador diz que não há certeza sobre a inocência de Trump — Foto: Arte/G1

Robert Mueller, procurador especial que investigou Donald Trump durante dois anos no caso da interferência da Rússia na eleição de 2016, afirmou que não há certeza a respeito da inocência do presidente dos Estados Unidos em relação a uma possível obstrução de justiça. Ele afirmou ainda que “não é uma opção” que o Departamento de Justiça indicie Trump.

NACIONAIS

Código Florestal

Deputados reunidos no plenário da Câmara durante a sessão desta quarta-feira (29) — Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Deputados reunidos no plenário da Câmara durante a sessão desta quarta-feira (29) — Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Deputados aprovaram o texto principal da medida provisória que altera o Código Florestal. A MP ainda dependeria de votação no Senado, mas o presidente da Casa, Davi Alcolumbre, afirmou que não pautará a medida, que perde validade na segunda-feira. A MP dividia ambientalistas e produtores rurais. O objetivo inicial era adiar o prazo para regularização de propriedades rurais fora das normas definidas em 2012, mas o projeto ganhou 35 sugestões de mudanças e os impactos poderiam afetar até o cumprimentos de metas do Acordo de Paris.

Política ambiental

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, participa de reunião da Comissão de Meio Ambiente do Senado para apresentar as diretrizes e os programas prioritários da pasta. 27/03/2019 — Foto: Renato Costa/Framephoto/Estadão Conteúdo

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, participa de reunião da Comissão de Meio Ambiente do Senado para apresentar as diretrizes e os programas prioritários da pasta. 27/03/2019 — Foto: Renato Costa/Framephoto/Estadão Conteúdo

O governo reduziu e alterou a composição do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), responsável por estabelecer os critérios para licenciamento ambiental. O órgão, que contava com 96 conselheiros, agora terá 23 membros, incluindo seu presidente, o ministro Ricardo Salles. ONGs, que contavam com 22 assentos, vão manter apenas 4. O setor privado também perdeu representatividade no conselho. Agora, há apenas dois representantes.

Decreto das armas

Dezoito projetos tramitam na Câmara com o objetivo de suspender o decreto do presidente Bolsonaro que facilitou o porte de armas. O presidente da Casa, Rodrigo Maia, enviou ao STF as manifestações a pedido da ministra Rosa Weber, relatora de três ações que questionam a decisão do governo.

Os partidos Rede, PSOL e PSB afirmam que o assunto deveria ser regulado por lei aprovada pelo Congresso. Após as ações, um novo decreto foi editado para atender críticas feitas, e ele também já foi questionado pela Rede.

Reforma trabalhista

Ministros do STF no plenário do tribunal durante o julgamento desta quarta-feira (29) — Foto: Carlos Moura/SCO/STF

Ministros do STF no plenário do tribunal durante o julgamento desta quarta-feira (29) — Foto: Carlos Moura/SCO/STF

Por 10 votos a 1, o STF decidiu proibir trabalho insalubre para grávidas e lactantes. A permissão estava na nova lei trabalhista e foi considerada inconstitucional pelos ministros do Supremo, ao julgarem ação movida pela Confederal Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos. O único ministro a a divergir foi Marco Aurélio Mello, para quem a exigência de atestado deveria ser mantida.

Pesquisa censurada

Estudo da Fiocruz sobre uso de drogas feito a pedido do Ministério da Justiça é censurado

Estudo da Fiocruz sobre uso de drogas feito a pedido do Ministério da Justiça é censurado

Um estudo da Fiocruz sobre o uso de drogas no Brasil foi censurado pelo governo, que discorda do método usado pela fundação. O Ministério da Justiça informou que só autorizará a publicação da pesquisa, que ouviu mais de 16 mil pessoas, se houver mudança no título e se o nome da pasta não for citado. A TV Globo apurou que a conclusão da pesquisa aponta que não existe uma epidemia do uso de drogas no Brasil. No entanto, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, vem contestando os resultados do estudo, que deveria ter sido divulgado em 2017.

Tragédia anunciada

Relatório já apontava risco de mortes em presídios quatro dias antes dos massacres no AM

Relatório já apontava risco de mortes em presídios quatro dias antes dos massacres no AM

Um relatório feito 4 dias antes do massacre que matou 55 em Manaus apontava ‘presos marcados para morrer’ e risco de ‘guerra’ dentro de uma facção criminosa local. A briga que resultou nas mortes, entre domingo e segunda-feira, foi por disputa de lideranças internas em diferentes cadeias da capital do Amazonas.

Lava Jato

A Justiça do Paraná autorizou a transferência do ex-deputado Eduardo Cunha para um presídio do Rio de Janeiro. Ele está preso em Curitiba desde outubro de 2016 por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Em nota, a defesa de Cunha disse que “a decisão é justa e adequada ao preceitos legais e constitucionais”.

Mudanças no câmbio

O Banco Central estuda permitir que pessoa física tenha conta em dólar no Brasil, e também facilitar que bancos em outros países tenham contas em real. A medida faz parte da agenda estrutural do BC para estimular a produtividade e melhorar o ambiente de negócio no país.

Também teve isso…

 

Por Blog do BG

Com menos mobilização, estudantes voltam às ruas contra bloqueios na educação

Estudantes e professores de escolas públicas e privadas voltarão às ruas em todas as regiões do país nesta quinta-feira (30) para realizar seu segundo protesto contra os bloqueios na verba para a educação promovidos pela gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

A manifestação será encabeçada pela UNE (União Nacional dos Estudantes) e incluirá, desta vez, centrais sindicais contrárias à reforma da Previdência, como a CUT (Central Única dos Trabalhadores).

No dia 15 deste mês, ato contra o bloqueio ocorreu todas as capitais e o Distrito Federal, além de outras cerca de 145 cidades, segundo levantamento da Folha.

Recursos para todas as etapas de ensino, da educação infantil à pós-graduação, foram reduzidos ou congelados pelo governo federal. A medida inclui verbas para construção de escolas, ensino técnico, bolsas de pesquisa e transporte escolar.

O presidente chegou a chamar quem foi às ruas no primeiro ato de imbecis e “idiotas úteis” usados como “massa de manobra”. Porém, uma semana após a mobilização, repôs parte da verba contingenciada da área.

Com o uso de recursos de uma reserva, destinou ao Ministério da Educação um total de R$ 1,6 bilhão —21% do valor que havia sido confiscado (R$ 7,4 bilhões). Nas universidades federais, o corte chega a R$ 2 bilhões, o que representa 30% da verba discricionária (que não inclui gastos obrigatórios como salários, por exemplo).

O principal objetivo da manifestação, segundo os organizadores, é mostrar à população que os cortes no orçamento da educação prejudicam o ensino, a pesquisa e os serviços prestados pelas instituições do setor à sociedade.

De acordo com a UNE, as manifestações estão previstas em todas as capitais, além do Distrito Federal. Mas os atos confirmados na página da entidade nas redes sociais até as 16h30 desta quarta-feira (29) alcançavam 15 das 26 capitais do país, entre elas, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre.

 

MP da Reforma Administrativa: presidente considera que houve vitória de todo o país

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil 

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo de Barros, afirmou nesta quarta-feira, 29, que o presidente Jair Bolsonaro considerou uma vitória a aprovação pelo Congresso da Medida Provisória 870, que reduz o número de ministérios e devolve o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) ao Ministério da Economia.

“Foi uma posição patriótica apresentada por parlamentares, sinalizou intento do governo de enxugar a máquina pública e iniciar espaços de mudanças para desburocratizar processos do serviço público”, disse. “A votação do Congresso atendeu em grande parte ao que estava contido no texto original”, acrescentou.

Rêgo de Barros também comentou a ida de uma delegação brasileira à reunião ministerial da OCDE e afirmou que todos os 36 membros da organização apoiam a entrada do Brasil, com especial destaque aos Estados Unidos.

Além disso, o porta-voz afirmou que o presidente ainda não tomou uma decisão sobre vetar ou não o trecho de medida provisória aprovada pelo Congresso que proíbe a cobrança de bagagens pelas companhias aéreas. O trecho foi incluído como destaque. A MP libera 100% de capital estrangeiro para as aéreas.

“O presidente esboça opiniões, mas, ao tomar decisões, vale-se de estudos profundos e técnicos dos órgãos. Esse é mais uma tema para o qual ele valer-se-á de estudos para tomar a decisão final, é prematuro discutir isso agora”, disse.

Estadão Conteúdo

Comments

Governo tem 15 dias para aprovar crédito extra sem afetar programas, diz secretário

O governo precisa que o Congresso aprove até meados de junho o crédito suplementar de R$ 248 bilhões para não prejudicar programas vinculados a esses recursos, como Plano Safra, afirmou o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, nesta quarta-feira (29).

O projeto que pede o dinheiro adicional foi enviado ao Congresso em março. O texto solicita crédito de R$ 248,9 bilhões para 2019, incluindo R$ 201,7 bilhões para benefícios previdenciários do RGPS (Regime Geral de Previdência Social) e R$ 30 bilhões para o pagamento de BPC (Benefício de Prestação Continuada), destinado a idosos e deficientes em condição de miserabilidade.

Há ainda recursos para o Bolsa Família e outros subsídios. “Se ele não for aprovado até aí, vamos começar a ter problemas com algumas despesas. Eventualmente você pode remanejar alguma coisa, mas vai ficar difícil”, reconheceu Mansueto.

Despesas que dependem de crédito orçamentário, mesmo que o pagamento ocorra depois, precisam ter todo o crédito disponível, complementou. “O Plano Safra poderia ter um problema de atraso. Ele ocorre ao longo de 12 meses, mas, para começar o Plano Safra, precisa ter todo o crédito”, exemplificou.

Em participação na comissão mista do Orçamento, no último dia 14, o ministro Paulo Guedes (Economia) afirmou que, sem a aprovação da proposta de lei que trata desse crédito, os subsídios parariam em junho. O Bolsa Família teria fôlego até setembro, enquanto os benefícios beneficiários acabariam em agosto.

O acordo está sendo construído politicamente entre governo e Congresso, segundo o secretário. “A base do governo está conversando com os políticos da comissão mista do Orçamento, com o relator (deputado Hildo Rocha/MDB-MA), com o presidente da comissão (Marcelo Castro/MDB-PI)”, afirmou Mansueto. “Isso será resolvido no devido tempo.”

O secretário disse que R$ 248 bilhões é a margem de segurança do governo. O mínimo necessário seriam R$ 146,7 bilhões. O crédito suplementar precisa ser aprovado por pelo menos 257 deputados e 41 senadores.

Vincular despesas como BPC, Previdência, Bolsa Família e subsídios à autorização pedida ao Congresso foi uma decisão do governo do ex-presidente Michel Temer (MDB), durante a elaboração do Orçamento de 2019.

A antiga gestão acreditava que quem fosse eleito não teria dificuldade em receber o sinal verde dos parlamentares para conseguir recursos destinados a essas áreas sociais.

O dinheiro teria então de ser usado para esses setores, cumprindo o previsto no Orçamento e no projeto que está no Congresso.

Folhapress

 

Entidades de juízes criticam participação de Toffoli em ‘pacto’

POR FREDERICO VASCONCELOS

A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e a Associação Juízes para a Democracia (AJD) divulgaram manifestações com críticas à participação do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, num “pacto” em favor da Reforma da Previdência.

Para a Ajufe, “é possível que alguns temas da Reforma da Previdência tenham sua constitucionalidade submetida ao julgamento perante a Corte máxima do país”.

Segundo o presidente da entidade, Fernando Mendes, a realização de tais pactos cabe apenas aos “atores políticos dos Poderes Executivos e Legislativos”.

A AJD afirma que “é inadmissível que o presidente do Supremo Tribunal Federal antecipe-se a firmar ‘pacto’ com os demais poderes. Não pode o Poder Judiciário, nem mesmo a Suprema Corte, fazer juízo prévio de conveniência e avalizar antecipadamente alterações constitucionais”.

A assessoria de imprensa do STF afirmou à Folha que Toffoli não irá se manifestar.

A íntegra da nota pública da Ajufe:

A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) vem a público manifestar sua preocupação com o “pacto” noticiado pela imprensa, especialmente com a concordância do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) à Reforma da Previdência.

Sendo o STF o guardião da Constituição, dos direitos e garantias fundamentais e da democracia, é possível que alguns temas da Reforma da Previdência tenham sua constitucionalidade submetida ao julgamento perante a Corte máxima do país.

Isso revela que não se deve assumir publicamente compromissos com uma reforma de tal porte, em respeito à independência e resguardando a imparcialidade do Poder Judiciário, cabendo a realização de tais pactos, dentro de um estado democrático, apenas aos atores políticos dos Poderes Executivo e Legislativo.

Brasília, 29 de maio de 2019.

Fernando Mendes
Presidente da Ajufe

A íntegra da nota pública da AJD:

“Tampouco existe liberdade se o poder de julgar não for separado do poder legislativo e do executivo. Se estivesse unido ao poder legislativo, o poder sobre a vida e a liberdade dos cidadãos seria arbitrário, pois o juiz seria legislador. Se estivesse unido ao poder executivo, o juiz poderia ter a força de um opressor.”

(Montesquieu, em O Espírito das Leis)

A Associação Juízes para a Democracia (AJD) entidade não governamental, de âmbito nacional, sem fins corporativos, que tem como um de seus objetivos estatutários a defesa dos direitos e garantias fundamentais e a manutenção do Estado Democrático de Direito, manifesta forte preocupação com a notícia de que o presidente do Supremo Tribunal Federal pretende assinar, com o presidente da República e com o presidente do Congresso Nacional, um “pacto” em favor de reformas constitucionais e legais.

Compete ao Poder Executivo apresentar propostas de reformas que entender necessárias e ao Poder Legislativo aprová-las ou rejeitá-las, como entender conveniente, após prévios debate e votação, sob os ritos formais estabelecidos na Constituição.

Ao Poder Judiciário, incumbe o controle da legalidade e da constitucionalidade de possíveis reformas, seja pela atividade de cada magistrado, seja pela atuação do Supremo Tribunal Federal.

Nestes termos, é inadmissível que o presidente do Supremo Tribunal Federal antecipe-se a firmar “pacto” com os demais poderes. Não pode o Poder Judiciário, nem mesmo a Suprema Corte, fazer juízo prévio de conveniência e avalizar antecipadamente alterações constitucionais.

Nenhum pacto pode se sobrepor ao dever do controle jurisdicional de constitucionalidade posterior ao agir do Executivo e do Legislativo. Tampouco o Poder Judiciário pode servir como órgão de consulta dos demais poderes.

Agindo assim, o presidente do STF atinge, a um só tempo, o princípio da separação dos poderes, a Constituição da República e o Estado Democrático de Direito.

O Brasil precisa, sim, de um novo tempo. Um tempo em que as instituições e os princípios democráticos sejam respeitados; um tempo em que os direitos fundamentais também sejam usufruídos pelos mais pobres; um tempo em que a Constituição da República seja cumprida, dentro dos limites ali estabelecidos.

Os juízes brasileiros, zelosos de sua missão constitucional e compromissados, verdadeiramente, com a Democracia, não irão compactuar com acordos que atinjam a independência da magistratura.

Por essas razões, a Associação Juízes para a Democracia (AJD) manifesta repúdio a concertos que sugiram a fragilização ou mesmo comprometam a independência da magistratura, deixando claro que os juízes brasileiros, zelosos de sua missão constitucional, permanecerão ao lado da Constituição e da Democracia.

São Paulo, 29 de maio de 2019.

Comments

Juros do rotativo do cartão de crédito caem, mas ainda ficam em 298,6% ao ano em abril

Os consumidores que caíram no rotativo do cartão de crédito pagaram juros um pouco menos caros em abril. A taxa média do rotativo caiu 0,8 ponto percentual em relação a março, chegando a 298,6% ao ano. Os dados foram divulgados hoje (28) pelo Banco Central. A taxa média é formada com base nos dados de consumidores adimplentes e inadimplentes.

No caso do consumidor adimplente, que paga pelo menos o valor mínimo da fatura do cartão em dia, a taxa chegou a 278% ao ano em abril, recuo de 3,4 pontos percentuais em relação a março. A taxa cobrada dos consumidores que não pagaram ou atrasaram o pagamento mínimo da fatura (rotativo não regular) subiu 1,2 ponto percentual, indo para 313,6% ao ano.

O rotativo é o crédito tomado pelo consumidor quando paga menos que o valor integral da fatura do cartão. O crédito rotativo dura 30 dias. Após esse prazo, as instituições financeiras parcelam a dívida.

Em abril de 2018, o Conselho Monetário Nacional (CMN) definiu que clientes inadimplentes no rotativo do cartão de crédito passem a pagar a mesma taxa de juros dos consumidores regulares. Essa regra entrou em vigor em junho deste ano. Mesmo assim, a taxa final cobrada de adimplentes e inadimplentes não será igual porque os bancos podem acrescentar à cobrança os juros pelo atraso e multa.

Enquanto a taxa de juros do rotativo chegou a 298,6% ao ano, o parcelamento das dívidas do cartão de crédito pôde ser feito com juros de 170,8% ao ano em abril. As taxas médias do crédito parcelado do cartão caíram 7,7 pontos percentuais em relação a março.

Cheque especial

Já a taxa de juros do cheque especial subiu 0,6 ponto percentual em abril, comparada a março, e está em 323,3% ao ano.

As regras do cheque especial mudaram no ano passado. Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), os clientes que utilizam mais de 15% do limite do cheque durante 30 dias consecutivos passaram a receber a oferta de um parcelamento, com taxa de juros menores que a do cheque especial definida pela instituição financeira.

As taxas do cheque especial e do rotativo do cartão são as mais caras entre as modalidades oferecidas pelos bancos. A do crédito pessoal não consignado é mais baixa: 127,1% ao ano em abril, mesmo com o aumento de 3,2 pontos percentuais em relação a março. A taxa do crédito consignado (com desconto em folha de pagamento) recuou 0,3 ponto percentual, indo para 23,4% ao ano em abril.

A taxa média de juros para as famílias subiu 0,6 ponto percentual em abril para 45,9% ao ano. A taxa média das empresas ficou em 19,9% ao ano, alta de 0,1 ponto.

Inadimplência

A inadimplência do crédito, considerados atrasos acima de 90 dias, para pessoas físicas, caiu 0,1 ponto percentual e ficou em 4,7% em abril. No caso das pessoas jurídicas, o indicador ficou em 4,7%, com queda de 0,1 ponto percentual. Esses dados são do crédito livre, em que os bancos têm autonomia para emprestar o dinheiro captado no mercado.

De acordo com o Banco Central, a inadimplência das famílias (pessoas físicas) continua no menor nível histórico, desde a série iniciada pelo Banco Central em março de 2011. A explicação são os programas de refinanciamentos e repactuações de dívidas em atraso.

No caso do crédito direcionado (empréstimos com regras definidas pelo governo, destinados, basicamente, aos setores habitacional, rural, de infraestrutura e ao microcrédito) os juros para as pessoas físicas oscilaram 0,1 ponto percentual para cima, para 7,7% ao ano. A taxa cobrada das empresas, porém, caiu 0,4 ponto percentual, para 9,6% ao ano.

A inadimplência das pessoas físicas no crédito direcionado ficou estável em 1,8% e a das empresas subiu 0,2 ponto percentual, para 2,3%.

Saldo dos empréstimos

Em abril, o estoque de todos os empréstimos concedidos pelos bancos ficou em R$ 3 268 trilhões, estável em relação a março, mas com expansão de 0,3% no ano. Em 12 meses, a expansão foi de 5,4%. Esse estoque do crédito corresponde a 47% de tudo o que o país produz – o Produto Interno Bruto (PIB). Isso representa queda de 0,3 ponto percentual em relação a março (47,3%).

Agência Brasil

Comments

Dólar cai para R$ 3,97 e fecha no menor valor em duas semanas

Num dia de alívio no mercado financeiro, a moeda norte-americana caiu e fechou abaixo de R$ 4 pela primeira vez em quase duas semanas. O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (29) vendido a R$ 3,976, com recuo de R$ 0,048 (-1,19%). Esse foi o menor valor de fechamento desde 14 de maio (R$ 3,975).

No mercado de ações, o dia foi de tranquilidade. O Ibovespa, principal índice da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou a sessão com alta de 0,18%, aos 96.566 pontos. Essa foi a terceira alta seguida do índice, que está no maior nível desde 8 de abril, quando tinha atingido 97.369 pontos.

O otimismo no mercado financeiro ocorre um dia depois de o Senado aprovar a medida provisória da reforma administrativa, que reduziu o número de ministérios, mantendo o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no Ministério da Economia. A alta também ocorre no dia seguinte à assinatura de um pacto entre o presidente Jair Bolsonaro e os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; do Senado, Davi Alcolumbre, e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

Agência Brasil

LOCAIS

Por questões de segurança, PRF recomenda população a evitar a BR-101 na tarde e noite desta quinta (30)

Com a programação de protestos de estudantes em defesa da educação da educação, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) emitiu um comunicado recomendando a população a evitar a BR-101 entre o shopping Midway Mall e a áervore de Mirassol, trajeto programado para a manifestação, no horário compreendido entre 16h e 20h.

Confira a nota na íntegra

NATAL/RN, 29/05/2019 – Como é do conhecimento geral, mediante comunicação via redes sociais, declarações feitas a veículos de imprensa e de ofícios enviados por líderes de Centrais Sindicais, planeja-se para amanhã (30/05) mobilização que deverá ocorrer ao longo da BR 101 Sul, entre o Complexo do IV Centenário e a Árvore de Mirassol.

Diante desses fatos, a PRF preocupada com a segurança dos usuários da rodovia BR 101, inclusive dos próprios manifestantes, sugere que a população planeje seus deslocamentos, evitando a citada rodovia nas imediações entre Potilândia e Mirassol, principalmente entre 16h e 20h (previsão), horário em que os manifestantes deverão ocupar a rodovia.

A Avenida Prudente de Morais, a Rua Jaguarari, a Via Costeira e o Anel Viário do Campus, por exemplo, podem servir de rotas alternativas entre o centro da cidade e a Zona Sul de Natal.

Fonte: G1

 

Por G1 RN

 

Serviço de manutenção suspende abastecimento de água em 6 bairros de Natal nesta quinta-feira — Foto: Agência Brasil

Serviço de manutenção suspende abastecimento de água em 6 bairros de Natal nesta quinta-feira — Foto: Agência Brasil

Seis bairros das regiões Oeste, Leste e Sul de Natal vão ficar sem água nesta quinta-feira (30). São eles: Quintas, Bairro Nordeste, Bom Pastor, Dix Sept Rosado, parte de Lagoa Nova e parte do Alecrim. A informação é da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern).

Segundo a Caern, a suspensão do abastecimento para essas localidades estava programada para a segunda (27). No entanto, no mesmo dia uma árvore caiu sobre fios de alta tensão e interrompeu o funcionamento de bombas que impulsionam a água que abastece 15 bairros da capital. Para priorizar esse conserto, a parada programada no abastecimento foi adiada para a quinta.

A suspensão será necessária, ainda de acordo com a Companhia, para que equipe de manutenção realize serviço em cabine de medição elétrica da rede. Após a realização do trabalho, a normalização do abastecimento se dará em um prazo de até 24 horas.

Fonte: G1 RN

Por G1 RN

 

 

Hospital Varela Santiago foi reformado por cerca de 40 profissionais — Foto: Canindé Soares

Hospital Varela Santiago foi reformado por cerca de 40 profissionais — Foto: Canindé Soares

O Hospital Infantil Varela Santiago, que atende crianças de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS), está de cara nova. O espaço passou por uma grande reforma, que coloriu salas e corredores com o objetivo de deixar o local mais humanizado e as crianças atendidas mais reconfortadas. Toda a reforma foi promovida por voluntários que compõem o grupo “Elos – Arquitetura Social”, que terminou os últimos detalhes e entregou o local nesta quarta-feira (29).

Ao todo, foram mais de 40 pessoas – entre artistas plásticos, arquitetos, engenheiros e designers – que participaram da reforma em 28 espaços do hospital. Foram transformadas paredes, que ganharam desenhos da fauna e flora brasileiras, além de corredores, brinquedoteca, consultórios, salas e até o tomógrafo.

Tomógrafo do Varela Santiago antes da reforma — Foto: Ubarana Júnior

Tomógrafo do Varela Santiago antes da reforma — Foto: Ubarana Júnior

“Cada ambiente tem um profissional responsável na reforma. Cada um fica responsável 100% pelo seu ambiente, para planejar e executar. Em muitas coisas nós conseguimos doações, que é a forma majoritária do projeto. Em outros casos, as pessoas têm que tirar alguma coisa do bolso”, explica a arquiteta Mara Lorena, uma das idealizadores do “Elos – Arquitetura Social, ao lado das também arquitetas Juliana Maia e Larissa Magalhães.

Essa é a segunda grande reforma que o grupo promove em instituições de Natal. Antes, em novembro do ano passado, o grupo reformou o Instituto Juvino Barreto, que abriga idosos na capital potiguar.

Arquitetas Mara Lorena, Larissa Magalhães e Juliana Maia são idealizadoras do grupo Elos — Foto: Canindé Soares

Arquitetas Mara Lorena, Larissa Magalhães e Juliana Maia são idealizadoras do grupo Elos — Foto: Canindé Soares

Dessa vez, a reforma durou cerca de 30 dias e o resultado tem agradado. “O ambiente já era bom, mas agora ficou ainda melhor”, conta Maxsuila Accioli, que frequenta o hospital desde 2016, quando o filho George recebeu o diagnóstico de leucemia. Ela diz que o garoto, que tem cinco anos, tem se mostrado mais feliz com os desenhos no local.

Atualmente, o Hospital Infantil Varela Santiago tem 110 crianças internadas e uma média de 14 mil procedimentos realizados por mês. O Varela Santiago é especializado em pediatria e atende exclusivamente os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Evento para comemorar reforma aconteceu nesta quarta-feira (29) — Foto: Canindé Soares

Evento para comemorar reforma aconteceu nesta quarta-feira (29) — Foto: Canindé Soares

Fonte: G1 RN

Continuar lendo ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

ANÁLISE POLÍTICA: AS MANIFESTAÇÕES E SUAS CONSEQUÊNCIAS NA VISÃO DE FELIPE MOURA BRASIL

Na nossa ANÁLISE POLÍTICA desta terça-feira você tem  oportunidade de assistir a análise do jornalista Felipe Moura Brasil sobre as manifestações de 26/05 que pode ajudá-lo(a) a formar sua opinião sobre o assunto.

Fonte: 

Publicado em 27 de mai de 2019

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: AS MANIFESTAÇÕES E SUAS CONSEQUÊNCIAS NA VISÃO DE FELIPE MOURA BRASIL

POLÍTICA: O SALDO DAS MANIFESTAÇÕES DO DIA 26 NA VISÃO DE RODRIGO CONSTANTINO

Na coluna POLÍTICA desta segunda-feira entender com bastante clareza as consequências dos atos do dia 26/05 pelo Brasil, na visão do excelente comentarista político, Rodrigo Constantino. Quem ganha, quem perde e o que muda para os brasileiros! Assista ao vídeo e tire suas conclusões!

Fonte: 

Publicado em 27 de mai de 2019

Continuar lendo POLÍTICA: O SALDO DAS MANIFESTAÇÕES DO DIA 26 NA VISÃO DE RODRIGO CONSTANTINO

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

Por G1

 

Todos os estados e o DF têm atos a favor do governo Bolsonaro. Manifestações ocorreram ontem em 156 cidades, 11 dias após protestos pela educação serem registradas em 222 municípios de todos os estados. Nas eleições para o Parlamento Europeu, críticos à União Europeia ganham espaço e partidos tradicionais perdem força.

INTERNACIONAIS

Eleições na Europa

Equipe conta os votos das eleições europeias no Reino Unido — Foto: Scott Heppell/Reuters

Equipe conta os votos das eleições europeias no Reino Unido — Foto: Scott Heppell/Reuters

Os resultados parciais das eleições europeias apontam que o Parlamento Europeu ficará mais fragmentado nos próximos cinco anos. Os partidos mais tradicionais devem perder espaço para siglas nacionalistas, liberais e verdes. Eleitores dos 28 países da União Europeia participaram da votação, que começou na quinta-feira e terminou ontem.

Segundo as estimativas oficiais, as tradicionais alianças de centro-direita e centro-esquerda continuarão com os maiores números de cadeiras. No entanto, pela primeira vez na história, o total de assentos conquistados por esses partidos não chegará à metade do Parlamento.

O bloco estima uma taxa de comparecimento superior a 50% – a maior em 20 anos.

Por Blog do BG

GUERRA: Magazine Luiza eleva oferta pela Netshoes para cerca de US$ 93 milhões e passa a Centauro

O Magazine Luiza apresentou, na noite deste domingo, 26, um aditivo para aumentar a oferta de aquisição da Netshoes para US$ 3 por ação, somando aproximadamente US$ 93 milhões. A oferta rebate uma proposta feita pelo grupo SBF, dono da Centauro, pelas operações da empresa.

Na semana passada, a Centauro entrou na briga pela Netshoes e fez uma oferta de US$ 2,80 por ação, numa operação que chegaria a US$ 87 milhões, 40% a mais do que a proposta inicial de US$ 62 milhões do Magazine Luiza. Na última semana, a Netshoes encerrou o pregão da bolsa de Nova York, onde está listada, avaliada em US$ 87,9 milhões.

A nova oferta do Magazine Luiza foi apresentada em fato relevante. No texto, a empresa comunicou ainda que sua operação de compra da Netshoes já recebeu o aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A fusão, anunciada inicialmente em abril, deverá ser discutida em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de acionistas da Netshoes nesta quinta-feira, 30.

Caso desista da fusão anunciada no mês passado, a Netshoes está sujeita a pagar à Magazine Luiza uma multa (termination fee) de US$ 1,8 milhão, conforme informações do formulário anual 20-F entregue pela Netshoes à Securities and Exchange Commission (SEC), onde tem capital aberto.

O ESTADÃO

Renault e Fiat devem anunciar acordo nesta segunda que criaria 3ª maior empresa do setor de automóveis do mundo

Os grupos Renault e a Fiat Chrysler (FCA) deverão anunciar nesta segunda-feira (27) o resultado das conversas entre os dois conglomerados para uma eventual fusão, segundo o jornal americano Wall Street Journal.

Se concretizada, a união das dias empresas criaria a terceira maior montadora do mundo, atrás de Volkswagen e Toyota.

Combinadas, Fiat Chrysler e Renault teriam valor de mercado de aproximadamente US$ 36 bilhões (o equivalente a R$ 144,8 bilhões).

Entre as possibilidades de aliança está uma fusão em que ambas as companhias teriam igual participação. Uma alternativa seria a troca de ações entre as montadoras como um acordo inicial que pavimentaria o caminho para uma união posterior.

Os negócios entre os dois grupos envolveriam mais que a criação de uma joint venture. O acordo deverá incluir a cooperação na área de tecnologia para veículos elétricos, plataformas de manufatura e conectividade.

O anúncio desta segunda deverá será feito antes da abertura das Bolsas. Na mesma data, haverá uma reunião do conselho de administração da companhia francesa.

Procuradas pela Folha, a FCA disse que não comentaria o assunto e a Renault, que não teria informações sobre o possível acordo.

As conversas entre os conglomerados teriam começado quando a Renault estava sob comando do executivo Carlos  Ghosn, acusado de má conduta financeira e corrupção por suposta tentativa de enriquecimento às custas da Nissan, com quem o grupo francês já tem uma aliança —que inclui ainda a Mitsubishi.

O atual presidente da Renault, Jean-Dominique Senard, reuniu-se com o ministro francês Bruno Le Maire na última sexta-feira (24) para apresentar o plano para a aquisição. O governo francês detém 15% da companhia e não se opõe ao negócio.

Nissan e Mitsubishi não participaram das tratativas com a FCA. A francesa chegou a pedir a um banco que a assessora que apresentasse à Nissan um plano para a criação de uma holding que combinaria as duas parceiras, mas os japoneses resistem a tentativas de aprofundar a parceria.

O acordo Renault-FCA poderia mudar o equilíbrio de poder no grupo franco-japonês. Juntas, Renault, Nissan e Mitsubishi lideram as vendas no mundo, com quase 10,8 milhões de carros comercializados no ano passado (VW e Toyota venderam cerca de 10,6 milhões cada).

Só a Renault vendeu em 2018 cerca de 3,9 milhões de veículos. A Nissan, 5,65 milhões, e a Mitsubishi, 1,22 milhão.

A Fiat Chrysler, que hoje ocupa a 8ª posição em número de unidades vendidas, possui 13 marcas (entre elas, Jeep, Alfa Romeo, Dodge e Ram). Comercializou 4,8 milhões de veículos no ano passado.

O grupo ítalo-americano tem atravessado dificuldades na Europa, em parte devido a seu atraso no desenvolvimento de veículos “limpos”.

Recentemente, o presidente da FCA, John Elkann, membro do clã Agnelli, controlador do grupo, afirmou que a família estaria preparada para tomar “decisões ousadas e criativas” para ajudar a construir um futuro sólido e atrativo para a companhia.

Uma união com a Renault permitiria aos dois grupos uma redução de custos, principalmente na Europa, por meio do compartilhamento de investimentos.

Quase um terço da mão de obra global da Fiat, de 198,5 mil pessoas, estava localizada no continente no fim de 2018, segundo a Bloomberg, embora quase todo o seu lucro viesse da América do Norte, região onde a Renault não opera.

Já a francesa conta com a Europa para quase a metade de suas vendas globais.

Em março, a francesa PSA (dona de Peugeot, Citroën, DS, Opel e Vauxhall) já havia manifestado seu interesse em pela FCA, grupo com o qual já tem uma joint venture.

Outras montadoras também negociam acordos, como os entre Volkswagen e Ford e entre BMW e Daimler, para carros autônomos e veículos compartilhados.

Os grandes grupos do setor têm buscado parcerias e comprar concorrentes como estratégia na corrida para o desenvolvimento de tecnologias como carros autônomos e veículos elétricos, entre outras.

FCA

Fábricas: 102
Carros e picapes: Alfa Romeo, Fiat, Lancia e Maserati (Itália); Chrysler, Dodge, Jeep e RAM (EUA)
Veículos de carga/vans: Fiat Professional
Motores: VM Motori
Versões especiais e acessórios: Abarth e Mopar
4,8 milhões
de veículos vendidos em 2018

Renault Group

Fábricas: 39
Carros e picapes: Renault e Alpine (França); Dacia (Romênia); Samsung (Coreia do Sul); Lada (Rússia)
3,9 milhões
de veículos vendidos em 2018

FOLHAPRESSComments

Fonte: Blog do BG

 

NACIONAIS

Atos pró-Bolsonaro

Manifestações em apoio a Jair Bolsonaro e propostas do governo ocorrem pelo país

Manifestações em apoio a Jair Bolsonaro e propostas do governo ocorrem pelo país

Ao menos 156 cidades em 26 estados e no Distrito Federal tiveram protestos entre a manhã e a tarde de ontem, em defesa do presidente Jair Bolsonaro e de medidas do governo, como a reforma da Previdência e o pacote anticrime apresentado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro.

As convocações ganharam força após os protestos em defesa da educação do último dia 15, contra os cortes anunciados pelo governo para os ensinos superior e técnico federais.

Comparativo das manifestações de domingo (26) e quarta-feira (15) — Foto: Arte/G1Comparativo das manifestações de domingo (26) e quarta-feira (15) — Foto: Arte/G1

Comparativo das manifestações de domingo (26) e quarta-feira (15) — Foto: Arte/G1

Sobre as manifestações, o presidente Jair Bolsonaro disse que são um “recado” aos que “teimam com velhas práticas” que não permitem que o “povo se liberte”.

Jair Bolsonaro fala sobre manifestações pró-governo pelo país

Jair Bolsonaro fala sobre manifestações pró-governo pelo país

“Hoje é um dia em que o povo está indo às ruas. Não para defender um presidente, um político ou quem quer que seja. Está indo para defender o futuro desta nação. Uma manifestação espontânea. Com uma pauta definida, com respeito às leis e às instituições, mas com o propósito de dar recado àqueles que teimam com velhas práticas não deixar que esse povo se liberte”, disse o presidente.

Análises

‘Manifestações não foram tão fortes a ponto de emparedar o Congresso’, diz Julia Duailibi

‘Manifestações não foram tão fortes a ponto de emparedar o Congresso’, diz Julia Duailibi

Valdo: expectativa do governo é que protestos funcionem como pressão para aprovar medidas

Valdo: expectativa do governo é que protestos funcionem como pressão para aprovar medidas

Semana no Congresso

Uma das medidas do governo defendidas nos atos de ontem, a que deixa nas mãos de Sérgio Moro o controle do Coaf, deverá ser analisada amanhã no Senado. Na semana passada, a Câmara aprovou a reforma administrativa do governo que reduziu o número de ministérios, mas devolveu o órgão que combate a lavagem de dinheiro à pasta da Economia. Agora, o projeto passa pelos senadores.

Dinheiro devolvido

Os mais de R$ 2,5 bilhões que a Petrobras deverá aplicar no Brasil como reparação por fraudes na estatal terão uma parcela destinada para a Educação, segundo fontes do STF. Mas, segundo o blog da colunista Andréia Sadi, nem toda a quantia deverá ser destinada para a pasta – e também deve ser dividida entre saúde e segurança. Na semana passada, durante café com jornalistas, o presidente Bolsonaro reafirmou contar com o dinheiro da multa para contrapor o corte na educação.

Fundo Amazônia

Governo quer usar fundo da Amazônia para indenizar desapropriações

Governo quer usar fundo da Amazônia para indenizar desapropriações

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, apresentará hoje ao presidente do BNDES, Joaquim Levy, e aos embaixadores da Noruega e da Alemanha uma proposta de novas normas de gestão do Fundo Amazônia, que recebe doações internacionais para preservação da floresta.

Segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”, o governo quer usar o dinheiro do Fundo Amazônia, que hoje tem R$ 3,4 bilhões, para indenizar desapropriações.

Organizações ligadas à conservação da natureza demonstraram preocupação com a proposta. Para a WWF, a mudança pode levar a um aumento do desmatamento.

Fraudes no Mané Garrincha

Ex-jogador Roni e dirigente de futebol do DF deixam a prisão

Ex-jogador Roni e dirigente de futebol do DF deixam a prisão

A Polícia Civil de Brasília soltou ontem à tarde todos os sete presos na operação “Episkiros”. Entre eles o ex-atacante Roni e o presidente da Federação de Futebol do Distrito Federal, Daniel Vasconcelos. Eles são suspeitos de integrar um grupo especializado em fraudar os borderôs dos jogos em Brasília. Segundo os investigadores, era informado um valor de arrecadação menor para pagar menos de aluguel e impostos.

As prisões foram realizadas no último sábado durante o jogo entre Botafogo e Palmeiras no Estádio Mané Garrincha. O mandado de prisão temporária era válido por 48 horas e terminaria na segunda-feira a tarde, mas o delegado resolveu liberar todos os detidos neste domingo após os depoimentos.

Cruzeiro sob investigação

Cruzeiro chega a R$ 500 milhões em dívidas e é investigado por operações irregulares

Cruzeiro chega a R$ 500 milhões em dívidas e é investigado por operações irregulares

Uma investigação sobre o atual bi-campeão da Copa do Brasil, o Cruzeiro, aponta indícios de pagamentos suspeitos, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro no clube mineiro. O Fantástico teve acesso a documentos internos do clube que revelam uso de empresas de fachada para ocultar crimes e até negociação envolvendo um menor.

Os investigadores já ouviram 15 pessoas, todas elas relacionadas de alguma forma com o Cruzeiro – entre funcionários e ex-funcionários, dirigentes e prestadores de serviços que realizaram transações com o clube. O clube também acumula dívidas de R$ 500 milhões.

O presidente do clube, Wagner Pires de Sá, disse em nota que um pequeno grupo da oposição do clube está “plantando notícias junto a alguns profissionais da mídia nacional”.

Fonte: G1

Por Blog do BG

Bolsonaro cobra centrão e diz que exagerou ao chamar alunos de ‘idiotas úteis’

Após exaltar os manifestantes que foram às ruas neste domingo (26) em defesa do governo, o presidente Jair Bolsonaro disse ter exagerado ao chamar de “idiotas úteis” os participantes dos protestos contrários ao bloqueio de recursos da educação no último dia 15, principalmente alunos e servidores da área.

Em entrevista à TV Record, Bolsonaro também sugeriu que parlamentares se desvinculem do centrão, grupo informal com cerca de 200 deputados e que foi um dos principais alvos dos atos pró-governo.

O presidente fez ao aceno ao Congresso ao dizer não querer brigar com o Parlamento, mas disse que a palavra centrão, que reúne parlamentares de siglas como PP, DEM, PRB, MDB e Solidariedade, virou um “palavrão” e que parte considerável dos parlamentares não quer se rotulada ao “grupo clientelista”.

Após exaltar os manifestantes que foram às ruas neste domingo (26) em defesa do governo, o presidente Jair Bolsonaro disse ter exagerado ao chamar de “idiotas úteis” os participantes dos protestos contrários ao bloqueio de recursos da educação no último dia 15, principalmente alunos e servidores da área.

Em entrevista à TV Record, Bolsonaro também sugeriu que parlamentares se desvinculem do centrão, grupo informal com cerca de 200 deputados e que foi um dos principais alvos dos atos pró-governo.

O presidente fez ao aceno ao Congresso ao dizer não querer brigar com o Parlamento, mas disse que a palavra centrão, que reúne parlamentares de siglas como PP, DEM, PRB, MDB e Solidariedade, virou um “palavrão” e que parte considerável dos parlamentares não quer se rotulada ao “grupo clientelista”.

Em relação à declaração que deu sobre os manifestantes que saíram às ruas no dia 15 de maio pedindo recursos para a educação, quando os chamou de “idiotas úteis”, Bolsonaro diz ter se excedido.

“Eu exagerei, concordo, eu exagerei. O que diz aí o certo é que são os inocentes úteis. A grande maioria são garotos inocentes que não sabiam o que estavam fazendo lá.”

Segundo Bolsonaro, “a garotada foi pra rua contra corte na educação”, sem estar ciente de que se tratava de um contingenciamento de recursos. “Eu deixei de gastar, não tirei o dinheiro do banco. Eu segurei aproximadamente 3,6% do montante. Quer dizer, 30% de 12% das despesas discricionais. E a molecada foi usada, essa garotada foi usada por professores inescrupulosos, uma parte né, para fazer manifestação política contra o governo.”

O presidente falou ainda sobre a possibilidade de o Congresso tocar algumas reformas que não foram propostas pelo governo, como a tributária. Afirmou não ver isso com preocupação.

“Sem problema nenhum. Se não me engano esta proposta é do [deputado federal] Baleia Rossi (MDB), de São Paulo. Eu não tomei conhecimento desta pauta ainda porque está faltando uma conversa minha com o Paulo Guedes (ministro da Economia). E havendo essa conversa e se a proposta dele for boa nós vamos tocar”, disse Bolsonaro.

MANIFESTAÇÕES

Neste domingo (26), com a direita rachada, as manifestações pró-governo Bolsonaro realizadas pelo país exaltaram projetos encampados pelos ministros Sergio Moro (Justiça) e Paulo Guedes (Economia) e concentraram críticas não só no centrão, alvo já esperado, como no presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Os atos foram impulsionados pelo próprio presidente Jair Bolsonaro (PSL), que, apesar das recomendações de integrantes do governo para que mantivesse distanciamento, estimulou a mobilização ao espalhar imagens em redes sociais e dizer que ela era um “recado àqueles que teimam com velhas práticas”.

Ao levar milhares de pessoas às ruas em ao menos 140 cidades, as manifestações superaram a expectativa de aliados do governo em meio ao racha de grupos de direita e ao temor de fracasso devido ao desgaste popular de Bolsonaro nos primeiros meses de mandato.

FOLHAPRESS

Comments

Governo prepara megacompra de 106 mil armas para Força Nacional e polícias civis e militares

O Ministério da Justiça e Segurança Pública prepara uma megalicitação para a aquisição de 106 mil pistolas , que serão distribuídas para a Força Nacional e a policiais civis e militares dos estados. É a primeira vez que o órgão promove uma licitação desse tipo, que prevê a participação de empresas estrangeiras e tem custo estimado de R$ 444 milhões. Parte das armas será bancada pelo governo federal e outro montante terá de ser adquirido diretamente pelas secretarias de Segurança Pública dos estados.

No último dia 9 de maio, a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), órgão subordinado à pasta, promoveu uma audiência pública com a participação de representantes de empresas do setor para apresentar um modelo preliminar do edital de licitação, obtido pelo GLOBO. Na ocasião, a Senasp acolheu sugestões de alterações, que está analisando para confeccionar o edital definitivo, a ser lançado no segundo semestre.

O objeto da licitação descreve o produto a ser adquirido da seguinte forma: “pistolas de calibre 9x19mm com quatro carregadores e uma maleta”. Serão cinco lotes divididos por região, na seguinte quantidade: 15.414 para o Norte, 29.117 para o Nordeste, 34.965 para o Centro-Oeste, 4.560 para a região Sudeste e 22.480 para o Sul.

TROCA DE CALIBRE
O Ministério da Justiça prepara uma grande licitação para a compra de pistolas destinadas a suprir a demanda da Força Nacional e das polícias estaduais
Desse universo, a Senasp irá comprar 15% das pistolas para abastecer 15 Polícias Militares, dez Polícias Civis, 16 órgãos de perícia oficiais e a Força Nacional. Caberá a cada estado adquirir o restante. O Rio de Janeiro não está contemplado nessa cota que o governo federal vai comprar para doar porque o gabinete de intervenção já havia adquirido pistolas no início do ano para abastecer as polícias locais.

Pouco tempo de testes

De acordo com o edital preliminar, a licitação visa a suprir um déficit de armamentos detectado nos estados. Trecho do documento afirma que, em uma pesquisa feita no ano passado, “diagnosticou-se a pistola como o segundo item de maior prioridade na avaliação geral das instituições estaduais de segurança pública”.

A licitação não tem relação direta com o decreto de armas editado pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi facilitada pela medida, que abriu o mercado para importação. Antes, era preciso obter autorização do Exército para comprar armas fabricadas fora do país.

Alguns itens previstos no edital preliminar ainda podem causar polêmicas. Um deles é a exigência de que o modelo de pistola que vai disputar a licitação tenha tempo mínimo de mercado de 12 meses. Especialistas apontam que esse período, chamado tecnicamente de “tempo de maturidade”, costuma ser mais alto, de pelo menos três anos.

Outra questão é o uso do calibre 9mm, que vai quebrar a padronização hoje existente nas corporações estaduais. As Polícias Militares trabalham, em sua maioria, com o armamento .40. Somente tropas especiais desses órgãos têm acesso a 9mm, que é o calibre consolidado da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal. A falta de padronização traz problemas de ordem prática, aponta Bruno Langeani, gerente do Instituto Sou da Paz:

— Há uma dificuldade em termos de gestão pública, com a necessidade de fazer manutenção, troca de peças, limpeza de um acervo com armas diferentes, mas também do ponto de vista operacional. Imagine que, no meio de uma ação, um policial precisa de mais munição, mas o colega está com outro calibre.

O GLOBO

(mais…)

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSE DOMINGO

INTERNACIONAIS

Por G1

 

Equipe de resgate vasculham destroços de um parque de trailers, em El Reno, Oklahoma — Foto: Sue Ogrocki/AP

Equipe de resgate vasculham destroços de um parque de trailers, em El Reno, Oklahoma — Foto: Sue Ogrocki/AP

Pelo menos duas pessoas morreram e várias ficaram feridas depois que um tornado atingiu El Reno, em Oklahoma, na noite de sábado (25), informaram as autoridades locais.

Segundo a agência EFE, as duas vítimas estavam em um parque de trailers.

Em entrevista coletiva neste domingo (26), o prefeito da cidade El Reno, Matt White, afirmou que as operações de busca e resgate ainda continuam, e que as autoridades estão tentando obter mais informações antes de divulgar novos dados sobre vítimas.

“É uma situação muito dramática”, disse Matt, que explicou que o tornado começou por volta das 22h30 de sábado (0h30 de domingo em Brasília) e atingiu a cidade de sudoeste a sudeste. “Vivemos uma situação traumática”, concluiu o prefeito.

Tornado atingiu a cidade de El Reno na noite de sábado (25) — Foto: Sue Ogrocki/AP

Tornado atingiu a cidade de El Reno na noite de sábado (25) — Foto: Sue Ogrocki/AP

O radar do Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidosdetectou que o tornado chegou a erguer destroços e objetos por até 2 mil metros de altura.

Uma tempestade similar também atingiu a cidade de Tulsa, no mesmo estado, onde houve danos materiais, de acordo com a imprensa local especializada em temperatura “Weather Channel”.

A tempestade de sábado (25) à noite em El Reno ocorre depois de uma semana de tornados — Foto: Sue Ogrocki/AP

A tempestade de sábado (25) à noite em El Reno ocorre depois de uma semana de tornados — Foto: Sue Ogrocki/AP

O site “PowerOutage.us”, que rastreia os cortes de fornecimento de energia nos EUA, detectou ontem à noite um apagão em Oklahoma que afetou 37 mil usuários, principalmente nos condados de Tulsa e Creek.

Nesta semana, vários tornados se formaram em estados do centro do país, onde pelo menos três pessoas morreram em Golden City, que fica a cerca de 100 km de Jefferson City, capital do Missouri, onde houve grande destruição.

Temporada de furacões

A temporada de tempestades e furacões nos EUA está prevista para começar em junho, mas veículos de imprensa norte-americanos já relataram mais de 130 fenômenos do tipo em uma semana.

O Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos (NWS, na sigla em inglês) detectou mais de 30 tornados no Texas, Oklahoma, Missouri e Iowa.

Fonte: G1

Por G1

 

O governador do Missouri, Mike Parson, sancionou na sexta-feira (24) a lei que proíbe o aborto no estado mesmo em casos de estupro. — Foto: Summer Balentine/AP

O governador do Missouri, Mike Parson, sancionou na sexta-feira (24) a lei que proíbe o aborto no estado mesmo em casos de estupro. — Foto: Summer Balentine/AP

O governador do Missouri, o republicano Mike Parson, sancionou na sexta-feira (24) uma lei que proíbe abortos mesmo em casos de estupro no estado. A legislação, que havia sido aprovada por parlamentares na semana passada, também veta o procedimento depois da 8ª semana de gravidez. A entidade de direitos civis americana ACLU disse que vai contestá-la.

“Ao sancionar esta lei hoje, estamos enviando um forte sinal para a nação de que, no Missouri, defendemos a vida, protegemos a saúde das mulheres e advogamos pelo não-nascido”, disse Parson em um comunicado. “Toda vida tem valor e vale a pena proteger.”

O estado é um dos oito que aprovaram, neste ano, legislações que restringem o acesso ao procedimento, que é garantido por decisão da Suprema Corte americana. Segundo a lei federal, o aborto é permitido até o chamado “ponto de viabilidade” do embrião — entre 24 e 28 semanas de gestação. Depois disso, considera-se que o feto pode sobreviver fora do útero da mulher, e o procedimento pode ser feito se houver risco de saúde para ela.

Por que o aborto voltou a ser assunto nos EUA?

Por que o aborto voltou a ser assunto nos EUA?

Em 2017, 119 dos 3.903 abortos no Missouri – cerca de 3% – foram realizados na 20ª semana de gravidez ou depois, segundo dados levantados pela Associated Press. Cerca de 43% do total (1.673) foram até a nona semana de gravidez.

De acordo com o jornal local “St. Louis Post-Dispatch”, em vez de realizar uma cerimônia pública, o governador sancionou a legislação de forma privada na manhã de sexta, em um gesto incomum para Parson — que enfatizou a transparência durante seu mandato.

Críticas

Ativistas pelo direito ao aborto protestam em Jefferson, Missouri, no dia 17, quando a Câmara do estado aprovou uma lei que proíbe o aborto mesmo em casos de estupro. — Foto: Christian Gooden/St. Louis Post-Dispatch via AP

Ativistas pelo direito ao aborto protestam em Jefferson, Missouri, no dia 17, quando a Câmara do estado aprovou uma lei que proíbe o aborto mesmo em casos de estupro. — Foto: Christian Gooden/St. Louis Post-Dispatch via AP

A entidade de direitos civis americana ACLU (sigla para American Civil Liberties Union, em inglês) afirmou que vai recorrer da decisão. A lei deve entrar em vigor no dia 28 de agosto.

“A decisão do governador Parson de sancionar o projeto de lei antiaborto do Missouri hoje é um golpe terrível para a saúde no estado”, disse o comunicado da entidade. “Esta medida limitará drasticamente a capacidade das cidadãs do Missouri de ter acesso a cuidados de aborto legais e seguros e vai pôr em perigo a vida de menores.”

A ACLU já moveu processos judiciais contra leis semelhantes aprovadas em Ohio e no Alabama – esta última ainda mais restrita que a do Missouri. As legislações aprovadas na Geórgia e no Arkansas também devem ser contestadas em tribunais, e as do Mississippi, Kentucky e Utah foram suspensas por decisão judicial.

Nenhuma das leis aprovadas já entrou em vigor.

Políticas de proteção e restrição ao aborto nos Estados Unidos. — Foto: Arte: Diana Yukari/G1Políticas de proteção e restrição ao aborto nos Estados Unidos. — Foto: Arte: Diana Yukari/G1

Políticas de proteção e restrição ao aborto nos Estados Unidos. — Foto: Arte: Diana Yukari/G1

Apoio dos americanos ao direito de abortar cresceu, diz Reuters

Em uma pesquisa divulgada neste domingo (26), a agência de notícias Reuters constatou que, no último ano, os americanos se tornaram mais favoráveis ao direito ao aborto. 58% disseram que ele deve ser legal na maioria ou em todos os casos, contra 50% que afirmaram o mesmo em uma pesquisa similar realizada em julho de 2018.

Embora o apoio tenha ficado dividido de acordo com inclinações partidárias, as convicções foram mais fortes entre os democratas: 81% disseram que o aborto deveria ser legal na maioria ou em todos os casos, enquanto 55% dos republicanos acreditaram que ele deveria ser ilegal na maioria ou em todos os casos.

80% dos entrevistados disseram à Reuters que apoiam o aborto em casos de estupro ou incesto, e 85% quando a vida da mãe está em perigo.

Fonte: G1

Por CBN

DOMINGO, 26/05/2019, 08:14 Internacional

Eleitores têm até hoje para votar no Parlamento Europeu

Europeus de 21 países escolhem os representantes hoje. Outros sete países já encerraram a votação, como o Reino Unido. Com o adiamento do Brexit, britânicos tiveram que organizar a eleição às pressas.

 

 

Mulheres votam na Hungria nas eleições para o Parlamento Europeu. Foto: ATTILA KISBENEDEK / AFP (Crédito: )Mulheres votam na Hungria nas eleições para o Parlamento Europeu. Foto: ATTILA KISBENEDEK / AFP

Fonte: CBN

 

NACIONAIS

Por G1

 

SÃO PAULO - 14h40: Manifestantes fazem ato de apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Paulista — Foto: Reprodução/GloboNews

SÃO PAULO – 14h40: Manifestantes fazem ato de apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Paulista

Manifestações em apoio a Bolsonaro ocorrem em todos os estados e no DF

Manifestações em apoio a Bolsonaro ocorrem em todos os estados e no DF

Ao menos 156 cidades em 26 estados e no Distrito Federal tiveram protestos entre a manhã e a tarde deste domingo (26) em defesa do presidente Jair Bolsonaro e de medidas do governo, como a reforma da Previdência e o pacote anticrime apresentado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro.

As convocações ganharam força após os protestos em defesa da educação do último dia 15, contra os cortes anunciados pelo governopara os ensinos superior e técnico federais.

Grupos de manifestantes saíram em passeatas e carreatas a partir desta manhã levando bandeiras do Brasil e faixas com frases de apoio a propostas apresentadas pelo governo de Bolsonaro. Até a última atualização desta reportagem, os atos eram pacíficos.

Os protestos também apoiavam a reforma ministerial do governo Bolsonaro, com redução de 29 para 22 no número de ministérios. Houve, ainda, grupo de manifestantes no Rio de Janeiro que pedia o fechamento do Congresso, o que é ilegal, inconstitucional e contra a democracia.

Bolsonaro fala em ‘recado’ para quem temia ‘velha política’

Neste domingo, por volta de 20h40, 156 cidades em todos os 26 estados e no Distrito Federal tinham tido protestos. No dia das manifestações em defesa da educação, às 19h30, 222 cidades de todos os 26 estados e do Distrito Federal tinham registrado atos.

Ao participar de culto no Rio de Janeiro ainda durante a manhã deste domingo, o presidente Jair Bolsonaro disse que as manifestações pró-governo são um “recado” aos que “teimam com velhas práticas” e, segundo afirmou, não permitem que o “povo se liberte”. O presidente disse que a manifestação era “espontânea”, tinha pauta definida e respeitou leis e instituições.

Veja como foram as manifestações

Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO, 10h07: Manifestantes fazem ato pró-Bolsonaro em Copacabana — Foto: Reprodução / TV Globo

RIO DE JANEIRO, 10h07: Manifestantes fazem ato pró-Bolsonaro em Copacabana — Foto: Reprodução / TV Globo

No Rio, o ato se concentrou na Avenida Atlântica, na orla de Copacabana. Manifestantes usavam, principalmente, roupas com cores verde e amarelo e carregavam bandeiras do Brasil. Vários carros de som se concentraram em dois pontos: na altura do Posto 5 e em frente à Rua Xavier da Silveira.

Por volta de 11h30, o ato se espalhava por sete quarteirões, com dois quarteirões cheios em cada extremo e com três mais espaçados entre eles, da Rua Sá Ferreira até perto da Rua Barão de Ipanema.

Parte dos manifestantes pedia o fechamento do Congresso, o que é ilegal, inconstitucional e viola a democracia.

No sul do estado do Rio de Janeiro, ao menos três cidades também tiveram protestos: Resende, Volta Redonda, Três Rios e Barra Mansa.

Em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, os manifestantes se reuniram em frente à Igreja Nossa Senhora do Rosário. Eram 400 participantes, segundo organizadores. Já em Macaé, os organizadores estimam que 2 mil pessoas estivessem participando de atos pró-Bolsonaro nesta manhã. Também aconteceram atos em Saquarema, em São Pedro da Aldeia, em Iguaba Grande e em Casimiro de Abreu.

A cidade de São Pedro também contou com ato, mas organizadores e PM ainda não divulgaram estimativas.

Em Petrópolis, organizadores estimam cerca de mil pessoas. Ainda na Região Serrana, aconteceram atos em Nova Friburgo e em Teresópolis.

Distrito Federal

BRASÍLIA, 10h34: Manifestantes se reúnem em frente ao gramado do Congresso Nacional — Foto: Fernanda Calgaro/G1

BRASÍLIA, 10h34: Manifestantes se reúnem em frente ao gramado do Congresso Nacional — Foto: Fernanda Calgaro/G1

Em Brasília, por volta das 9h, parte do grupo se concentrava no Museu da República, na região central da capital. Outra parte foi para o gramado do Congresso Nacional. Segundo a Polícia Militar do DF, cerca de 20 mil pessoas participaram.

São Paulo

SÃO PAULO - 14h08: Manifestantes fazem ato de apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Paulista — Foto: GloboNews/Reprodução

SÃO PAULO – 14h08: Manifestantes fazem ato de apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Paulista — Foto: GloboNews/Reprodução

Na Avenida Paulista, região central de São Paulo, os manifestantes começaram a se reunir no início desta tarde nas proximidades do prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Ao menos cinco carros de som foram levados para o ato.

No interior do estado, manifestantes de Campinas encheram o Largo do Rosário, na região central. A organização estimou 5 mil participantes, enquanto a PM calculou 3 mil.

Em Indaiatuba, ato no Parque Ecológico reuniu entre 200 e 300 pessoas, segundo a organização. A PM não divulgou estimativa. Manifestações aconteceram também em Sumaré e em Americana.

Em Sorocaba, o ato ocorreu em frente à Prefeitura da cidade com cerca de mil pessoas, de acordo com a organização. A PM estima 400. Itu também contou com manifestação.

Em São Carlos, os manifestantes se reuniram na praça do Mercadão. Segundo a organização do evento, por volta das 10h30 cerca de 500 pessoas participavam do ato. Já a Polícia Militar calculou cerca de 300.

Em Bauru, a manifestação teve cerca de 3 mil pessoas, segundo a polícia, e 5 mil segundo os manifestantes. Carros e motos saíram em carreata, e todo o trajeto foi acompanhado pelo helicóptero da Polícia Militar.

Em São José do Rio Preto, os manifestantes se reuniram em frente ao Mercado Municipal, no centro da cidade. Segundo os organizadores, 1500 pessoas participaram do ato. Segundo a PM, que acompanha a manifestação, 1 mil pessoas participaram.

Em Fernandópolis, de acordo com organizadores, 100 pessoas participaram da manifestação, que acabou às 10h30. A Polícia Militar estima o público em 50.

Em Araçatuba, mil pessoas participaram do ato, segundo a organização e PM. A manifestação terminou por volta das 11h30. Cerca de 300 pessoas de Birigui, segundo organização, se juntaram ao protesto. De acordo com a PM, eram 80. A região também teve manifestações em Votuporanga.

Em Jales, a organização do ato contou 80 participantes. A PM não divulgou estimativa.

Em Mogi das Cruzes, o grupo começou a se reunir às 10h na Avenida Cívica. Os manifestantes se revezam em discurso no microfone com palavras de apoio a Bolsonaro e às medidas do governo. De acordo com a Polícia Militar eram cerca de 200 pessoas. Segundo a organização, o número de participantes variava entre 250 e 300 pessoas.

Em Piracicaba, manifestantes se reuniram no Centro. Havia um carro de som, vários cartazes e camisetas nas cores da bandeira do Brasil. Às 11h35, organizadores e Guarda Municipal estimavam adesão de pelo menos 2,3 mil pessoas.

Em Jundiaí, moradores se reuniram no pontilhão da Avenida Nove de Julho. Segundo o organizador, o ato foi realizado a favor da Reforma, do

MP 870, que reduz a quantidade de ministérios, da investigação do judiciário e do pacote anticrime. De acordo com a organização, aproximadamente mil pessoas estiveram no local. A PM estimou 300 pessoas.

RIBEIRÃO PRETO, 11h50: manifestantes fazem ato em apoio ao governo Bolsonaro em Ribeirão Preto neste domingo (26) — Foto: Ariane Lima/EPTV

RIBEIRÃO PRETO, 11h50: manifestantes fazem ato em apoio ao governo Bolsonaro em Ribeirão Preto neste domingo (26) — Foto: Ariane Lima/EPTV

Na região central de Ribeirão Preto, a Polícia Militar estimou uma adesão de 6 mil pessoas ao movimento e os organizadores, de 7 mil manifestantes. A dispersão ocorreu por volta das 11h45.

No Vale do Paraíba, estiveram presentes cerca de 1,5 mil pessoas em ato de São José dos Campos. A PM não esteve no local. Manifestações também aconteceram em Taubaté e em Jacareí.

Cerca de 500 pessoas foram ao Parque do Povo de Presidente Prudente para participar da manifestação, segundo organizadores.

Em Ilha Solteira, cerca 150 pessoas se manifestaram no Centro da cidade de acordo com a organização. A PM estima 400.

Araras teve ato com 350 pessoas, segundo organizadores. A PM fala em 100 manifestantes.

A manifestação em Araraquara reuniu cerca de 500 pessoas, segundo os organizadores. Pirassununga e Rio Claro também tiveram atos. A PM ainda não informou estimativas.

Também houve manifestação em São João da Boa Vista, com 250 pessoas, de acordo com a organização. Já a Polícia Militar estimou cerca de 50.

Em Marília, 400 pessoas participaram da manifestação, segundo a organização. Polícia Militar estima em 300. Em Jaú, organizadores estimam 1,2 mil participantes. PM não estimou número de manifestantes, mas contou 40 caminhões e 70 veículos. Assis também teve ato.

Já em Limeira, o ato reuniu cerca de 800 pessoas, de acordo com organizadores. A PM não divulgou estimativa.

Santos contou com ato com cerca de 5 mil pessoas, de acordo com organizadores. Para a PM, eram cerca de mil. Praia GrandeGuarujá Registro também tiveram manifestações.

Em Itapetininga, a organização estima 300 pessoas no ato. A PM fala em 200 pessoas. Em Itapeva, eram 100 pessoas, segundo organizadores, e 50 para a polícia. Tatuí Avaré também contaram com atos.

Bahia

SALVADOR, 10H52: Grupo realiza manifestação no Farol da Barra neste domingo (26) — Foto: Itana Alencar/G1

SALVADOR, 10H52: Grupo realiza manifestação no Farol da Barra neste domingo (26) — Foto: Itana Alencar/G1

Em Salvador, o ato teve início por volta das 10h no Farol da Barra, e o grupo começou a se dispersar às 11h40. Os manifestantes cantaram o hino nacional e gritaram palavras de ordem, com pedidos de “avança, Brasil”. A organização e a Polícia Militar não divulgaram estimativa de público.

Também houve ato em Feira de Santana, a cerca de 100 quilômetros da capital baiana, e em Itabuna, no sul do estado.

Em Juazeiro, foram 150 manifestantes, segundo a organização. A PM não divulgou estimativa. O estado também teve atos em Camaçari, em Vitória da Conquista, em Porto Seguro, em Eunápolis, em Sobral e em Luís Eduardo Magalhães.

Minas Gerais

BELO HORIZONTE, 11h10: Belo Horizonte tem ato em apoio ao governo Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Aluisio Marques/TV Globo

BELO HORIZONTE, 11h10: Belo Horizonte tem ato em apoio ao governo Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Aluisio Marques/TV Globo

Em Belo Horizonte, a concentração do protesto começou por volta das 10h, na Praça da Liberdade, na região Centro-Sul da capital. Organizadores estimam que 35 mil pessoas tenham participado do ato, mas a PM não divulga números.

Em Uberaba, na região do Triângulo Mineiro, cerca de 400 pessoas participavam do ato no fim da manhã, segundo organizadores. A Polícia Militar não fez estimativa de público.

Também houve protestos em Ipatinga, Timóteo e Governador Valadares, no Leste de Minas. Os atos foram pacíficos.

Em Varginha, cerca de 150 pessoas participaram da manifestação. Também houve atos em Poços de Caldas e Pouso Alegre, onde 150 veículos participaram de carreata. Em Itajubá, a Guarda Municipal estima 500 pessoas. Em Lavras, organização e PM não divulgaram estimativa.

Em Montes Claros, o ato na área central da cidade reuniu cerca de 500 pessoas, segundo a PM. Os organizadores não divulgaram números.

Organizadores do ato em Juiz de Fora informaram que cerca de 10 mil manifestantes compareceram. A PM não divulgou números.

Em Alfenas, manifestantes se reuniram na Praça Central e depois saíram em carreata pela cidade. Nem a organização, nem a Polícia Militar informaram números.

Pará

BELÉM, 10h22 : Ato pró-bolsonaro chega à avenida Nazaré no centro de Belém — Foto: Fabiano Villella / TV Liberal

BELÉM, 10h22 : Ato pró-bolsonaro chega à avenida Nazaré no centro de Belém — Foto: Fabiano Villella / TV Liberal

Em Belém, manifestantes caminhavam pela Avenida Presidente Vargas. A coordenação do evento afirmou que, ao final do ato, às 12h, cerca de 50 mil pessoas participaram. A Polícia Militar estima que às 10h55 o ato tenha reunido cerca de 3 mil pessoas.

Maranhão

SÃO LUÍS: 11h55. Manifestantes fazem passeata neste domingo (26) em apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Litorânea — Foto: Douglas Pinto/TV Mirante

SÃO LUÍS: 11h55. Manifestantes fazem passeata neste domingo (26) em apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Litorânea — Foto: Douglas Pinto/TV Mirante

Em São Luís, manifestantes se reuniram na Avenida Litorânea. O hino nacional foi executado, e bandeiras do Brasil se espalhavam pela via. De acordo com os manifestantes, mais de 1 mil pessoas participaram do ato. A PM não divulgou estimativa. Também houve uma manifestação a favor do governo Bolsonaro em Imperatriz.

Pernambuco

Em Recife, de acordo com a organização do evento por volta das 15h50 havia cerca de 65 mil pessoas participando. A PM não divulga estimativa de participantes em manifestações de rua. Ao menos seis trios elétricos acompanham os manifestantes.

Em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, o grupo se concentrou em frente ao Polo Cultural (antiga Estação Ferroviária), no Centro. Não há informações sobre a quantidade de pessoas.

Alagoas

Maceió, 11h: Manifestantes cantam hino nacional na Praça Vera Arruda — Foto: Magda Ataíde/G1

Maceió, 11h: Manifestantes cantam hino nacional na Praça Vera Arruda — Foto: Magda Ataíde/G1

Em Alagoas, manifestantes percorreram a orla de Maceió. Segundo a organização, às 12h, cerca de 20 mil pessoas estavam na manifestação. A Polícia Militar não acompaanhava o protesto. O estado também teve ato em Arapiraca.

Mato Grosso

Protesto a favor de medidas propostas pelo governo federal em Barra do Garças. — Foto: Ivan de Jesus/Centro América FM

Protesto a favor de medidas propostas pelo governo federal em Barra do Garças. — Foto: Ivan de Jesus/Centro América FM

Em Cuiabá, manifestantes fizeram carreata pela cidade, mas não há estimativa de participantes. Em Rondonópolis, a PM estimou cerca de 3 mil pessoas em manifestação.

O estado também teve atos em Tangará da SerraBarra do Garças e Sorriso.

Paraná

FOZ DO IGUAÇU, 11h: Manifestantes se reúnem na Praça do Mitre — Foto: Renan Gouveia/RPC

FOZ DO IGUAÇU, 11h: Manifestantes se reúnem na Praça do Mitre — Foto: Renan Gouveia/RPC

Em Curitiba, organizadores estimam cerca de 3 mil pessoas reunidas na Praça Santos Andrade, em apoio a medidas do governo como a reforma da Previdência e o pacote anticrime. A PM não fará contagem.

Em Foz do Iguaçu, região Oeste do estado, manifestantes usaram dois caminhões que eram utilizados pelo Exército na década de 70 e agora pertencem a um colecionador. A organização estimou a participação de 2.500 pessoas.

Em Cascavel, também no oeste do estado, o protesto foi realizado na frente da Catedral de Cascavel. Os organizadores estimam que 15 mil pessoas participaram da manifestação. A Polícia Militar fala em 1,5 mil manifestantes.

GuarapuavaPonta Grossa e Umuarama também contam com manifestações.

Acre

CRUZEIRO DO SUL, 09H34h: Cerca de 30 manifestantes se reúnem na Praça Orleir Cameli neste domingo (26), segundo a organização do ato — Foto: Mazinho Rogério~/G1

CRUZEIRO DO SUL, 09H34h: Cerca de 30 manifestantes se reúnem na Praça Orleir Cameli neste domingo (26), segundo a organização do ato — Foto: Mazinho Rogério~/G1

No Acre, o município de Cruzeiro do Sul teve manifestação com cerca de 30 pessoas, segundo a organização. A Polícia Militar não acompanhou.

Santa Catarina

Em Florianópolis, as mediações da Praça XV de Novembro foram fechadas para a realização da manifestação, que contou com 10 mil pessoas, de acordo com organizadores. A PM estima 9 mil.

Em Balneário Camboriú, a Praça Almirante Tamandaré foi o ponto de encontro dos participantes. A Guarda Municipal informou que pelo menos 5 mil pessoas compareceram no protesto. A organização não divulgou a estimativa.

Em Joinville, caminhoneiros se juntaram à manifestação, que contou com 2 mil pessoas, de acordo com a organização. A PM fala em 700.

Em Criciúma também houve manifestação. Conforme a organização, 3 mil pessoas participaram. A Polícia Militar não falou oficialmente sobre números.

Em Chapecó também houve manifestação. A PM diz que o ato reuniu 350 pessoas, enquanto organização informou que eram 1,2 mil.

Houve ainda profestos em Blumenau, onde, segundo organizadores, 5 mil pessoas participaram. A PM não divulgou estimativa. A região do Vale do Itajaí ainda teve atos em Brusque e em Gaspar.

Ceará

FORTALEZA, 14h27: Manifestantes participam de carreata em apoio ao presidente Jair Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Flávio Rovério/SVM

FORTALEZA, 14h27: Manifestantes participam de carreata em apoio ao presidente Jair Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Flávio Rovério/SVM

Em Fortaleza, manifestantes para uma carreata desde as 13h. Até as 14h15, a estimativa de número de participantes não havia sido divulgada pelos manifestantes nem pela Polícia Militar.

Espírito Santo

Manifestantes percorreram ruas de Vitória e Vila Velha. O protesto começou por volta das 14h, no bairro Praia da Costa, em Vila Velha. Também houve protesto em Cachoeiro de Itapemirim.

Goiás

Em Goiânia, um grupo de manifestantes realiza um ato que pede a aprovação da reforma da previdência e do “pacote anticrime”. A organização estima que 12 mil pessoas participavam do ato às 17h. Já a Polícia Militar disse que cerca de 10 mil estavam no local no mesmo horário

JataíCatalão Anápolis também têm manifestações.

Rio Grande do Norte

Em Natal, manifestantes se posicionam favoravelmente à reforma da previdência, ao pacote anticrime e à manutenção do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) nas mãos do ministro Sérgio Moro. Ato parecido acontece em Mossoró. Não há estimativa de participantes nas duas cidades.

Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, manifestação apoiou medidas como a reforma da Previdência, o “pacote anticrime” e o decreto das armas. A organização estimou cerca de 30 mil pessoas. A Brigada Militar informou que não faria estimativas.

Em Caxias do Sul, na Serra, organizadores estimaram 1,5 mil pessoas. A Brigada Militar falou em 1 mil. O estado também teve atos em ErechimSanta MariaRio GrandePasso FundoCruz AltaPelotasUruguaianaSanta Rosa e Bagé.

Sergipe

Em Aracaju, acontece um ao favorável à reforma da Previdência, ao pacote anticrime e à manutenção do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no Ministério da Justiça. Organização e PM não divulgarão estimativa.

Tocantins

Em Palmas, cerca de 800 pessoas se reuniram para manifestar apoio ao governo do presidente, segundo organizadores. A estimativa da PM foi de 600 participantes.

Em Paraíso do Tocantins, a organização estima 1,5 mil pessoas em ato. A PM não divulgou estimativa. O estado ainda teve manifestações em Colinas do TocantinsAraguaínaGurupi Guaraí.

Paraíba

Atos acontecem em João Pessoa e em Campina Grande, mas organizadores e PM não divulgaram estimativa de participantes.

Roraima

Em Boa Vista, a manifestação reuniu 1 mil pessoas, segundo a organização. A PM estimou o número em 1,5 mil.

Piauí

Em Teresina, cerca de 3 mil pessoas participaram de manifestação, segundo organizadores. A Polícia Militar estimou mil pessoas

Piripiri Parnaíba realizam atos, mas organização e PM não divulgaram estimativas de participantes.

Amapá

MACAPÁ, 17h: Manifestantes se reúnem na orla de Macapá em ato pró-Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Carlos Alberto Jr/G1

MACAPÁ, 17h: Manifestantes se reúnem na orla de Macapá em ato pró-Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Carlos Alberto Jr/G1

Em Macapá, dois grupos realizam atos. Em um, PM e organização estimam cerca de 5 mil participantes. No outro, organizadores contam por volta de mil pessoas, e a polícia fala em 100.

Rondônia

Manifestantes em Porto VelhoAriquemes Ji-Paraná realizam atos sem estimativas de organização ou da PM. Em Cacoal, organizadores afirmam que ato conta com 500 participantes, enquanto a PM não divulgou estimativa.

Amazonas

Em Manaus, manifestantes se reuniram para apoiar medidas do governo federal. Organização e PM não divulgaram estimativas.

Mato Grosso do Sul

Em Campo Grande e em Dourados, manifestações reuniram cerca de 5 mil pessoas cada, segundo as organizações. A PM não divulgou estimativas. O estado também teve atos em Ponta Porã e em Três Lagoas.

Fonte: G1

Por Lívia Torres, TV Globo

 

Bolsonaro em culto na igreja Atitude no Rio de Janeiro: manifestação é

Bolsonaro em culto na igreja Atitude no Rio de Janeiro: manifestação é “recado àqueles que teimam com velhas práticas”

O presidente Jair Bolsonaro disse na manhã deste domingo (26) que as manifestações pró-governo em várias cidades pelo país são um “recado” aos que “teimam com velhas práticas” e, segundo afirmou, não permitem que o “povo se liberte”.

As declarações foram dadas durante culto na Igreja Atitude, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. Na cerimônia, o presidente subiu ao altar ao lado da mulher, a primeira-dama Michelle Bolsonaro, para receber a bênção do pastor. Bolsonaro viajou para o Rio na sexta-feira em razão do casamento de um dos filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ). Por volta das 14h30 ele e a primeira-dama deixaram a igreja. Ele tinha embarque para Brasília previsto para a tarde deste domingo.

Em um pronunciamento durante o culto, o presidente disse que a manifestação era “espontânea”, tinha pauta definida e respeitou leis e instituições.

“Hoje é um dia em que o povo está indo às ruas. Não para defender um presidente, um político ou quem quer que seja. Está indo para defender o futuro desta nação. Uma manifestação espontânea. Com uma pauta definida, com respeito às leis e às instituições, mas com o propósito de dar recado àqueles que teimam com velhas práticas não deixar que esse povo se liberte”, disse o presidente.

No fim da tarde, quando chegou ao Palácio da Alvorada, em Brasília, Bolsonaro desceu do carro e cumprimentou apoiadores. O presidente foi questionado, por jornalistas, sobre se estava se referindo ao Congresso quando falou em “velhas práticas”. Bolsonaro respondeu: “Pergunta para o povo”.

O presidente também afirmou que “não houve nenhum incidente” nas manifestações e que as pessoas foram às ruas pedir paz, democracia liberdade e responsabilidade. Ainda sobre os atos, Bolsonaro disse que “as imagens valem mais do que mil palavras”.

Na última segunda-feira (20), Bolsonaro afirmou que o “grande problema” do Brasil é a “classe política”. Dois dias depois, na quarta (23), disse que, ao fazer a crítica, também poderia ser incluído. “Eu estou no bolo”, declarou.

Aos fieis da igreja, Bolsonaro afirmou que, pela primeira vez, um presidente eleito está cumprindo as promessas de campanha. “Somente com a força de vocês nós poderemos governar”, declarou.

“É bom estar no meio de gente que tem Deus no coração. Pela primeira vez na história do Brasil os senhores têm um presidente eleito que está cumprindo o que prometeu durante campanha. Se estou aqui, é porque acredito nessa nação. Se os senhores estão aqui, é porque acreditam em Deus. Juntos e somente com a força de vocês nós poderemos governar”, disse Bolsonaro, que se emocionou durante a fala.

Bolsonaro e a primeira-dama recebem a bênção em culto no Rio — Foto: Reprodução/TV Globo

Bolsonaro e a primeira-dama recebem a bênção em culto no Rio — Foto: Reprodução/TV Globo

Atos pelo país

Várias cidades pelo país tiveram protestos desde a manhã deste domingo em defesa do presidente Jair Bolsonaro e de medidas do governo, como a reforma da Previdência e o pacote anticrimeapresentado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

No Rio, os manifestantes se reuniram na Avenida Atlântica. O ato se espalhou por cerca de sete quarteirões, da Rua Sá Ferreira até perto da Rua Barão de Ipanema – cerca de 650 metros. Alguns trechos concentraram mais gente e outros ficaram mais vazios. A estimativa de número de participantes não foi divulgada pelos manifestantes nem pela Polícia Militar.

RIO DE JANEIRO, 12h: Por volta das 12h, manifestantes ocupavam cerca de 7 quarteirões da Praia de Copacabana neste domingo (26) — Foto: Reprodução/GloboNews

RIO DE JANEIRO, 12h: Por volta das 12h, manifestantes ocupavam cerca de 7 quarteirões da Praia de Copacabana neste domingo (26) — Foto: Reprodução/GloboNews

Fonte: G1

Por G1 Minas — Belo Horizonte

Polícia Civil confirma identificação de mais uma vítima de Brumadinho — Foto: Reprodução/JN

Polícia Civil confirma identificação de mais uma vítima de Brumadinho — Foto: Reprodução/JN

A Polícia Civil informou, neste domingo (26), que mais uma vítima da tragédia da Vale, em Brumadinho (MG), foi identificada. Agora, o número de mortes confirmadas no desastre chega a 243. De acordo com a corporação, 27 pessoas seguem desaparecidas.

A barragem localizada na Mina Córrego do Feijão, da mineradora Vale, se rompeu no dia 25 de janeiro, provocando uma onda de rejeitos que destruiu casas, plantações e contaminou parte do Rio Paraopeba, afluente do São Francisco.

Neste domingo, as buscas chegaram ao 122º dia e contaram com 153 militares. De acordo com o Corpo de Bombeiros, as equipes foram dividias em 18 frentes de trabalho e auxiliadas por três cães farejadores, 102 máquinas pesadas e um drone.

Quatro meses

Após quatro meses do rompimento da barragem, os investigados estão soltos, a multa aplicada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) não foi paga e as apurações continuam. Além disso, os inquéritos criminais ainda não foram concluídos e ainda não há réus nessas investigações.

Números da tragédia

Fonte: G1

 

Por CBN

DOMINGO, 26/05/2019, 10:47 País

Talude de mina da Vale em MG pode se romper a qualquer momento

A movimentação no muro, em Barão de Cocais, cidade na regão central de Minas Gerais, chegou a 20 centímetros em alguns pontos neste domingo. A informação foi atualizada agora pela Agência Nacional de Mineração. Na quinta-feira, a movimentação era de 16 centímetros por dia e nesse sábado alcançou 19 cm. Antes a movimentação era de 10 centímetros por ano.

 

Cerca de 400 pessoas já foram retiradas de Barão de Cocais, em Minas Gerais. Foto: Bárbara Vasconcelos / CBN (Crédito: )Cerca de 400 pessoas já foram retiradas de Barão de Cocais, em Minas Gerais. Foto: Bárbara Vasconcelos / CBN

Fonte: CBN

 

Por Blog do BG

Major Olímpio: Hoje nós sabemos quem são os verdadeiros aliados de Bolsonaro

Em discurso em cima de um carro de som na Avenida Paulista, o senador Major Olímpio (PSL-SP) disse neste domingo, 26, que as manifestações de apoio ao governo Jair Bolsonaro realizadas pelo País revelam quem é mesmo aliado do presidente da República.

“Na campanha eleitoral, quando Bolsonaro estava na crista da onda e perto de ser eleito, tinha gente se estapeando para tirar selfie com ele”, disse Major Olímpio em cima do carro do som do movimento Revoltados Online. “Hoje nós sabemos quem são os verdadeiros aliados de Bolsonaro”, afirmou o senador.

Ao menos seis carros de som ocupam quase toda extensão da Avenida Paulista na manifestação pro-governo em São Paulo. Além da defesa da Reforma da Previdência, da MP 807 (reforma administrativa), do Pacote Anticrime do ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança) e da CPI da Lava Toga (STF), as lideranças dos atos atacam em seus discursos o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), o Centrão, a imprensa, e o MBL, movimento liberal que se posicionou contrário aos atos.

“É importante mostrar que o povo está com ele. Esse é um recado para as raposas do Congresso e para o STF. Não quero pagar lagosta para ministro do STF”, disse a vendedora Sandra Damélio, de 52 anos. “O Congresso está jogando contra a nação. Derrubando o governo não vai ajudar em nada”, afirmou o aposentado Afonso de Lima Lobo, de 64 anos.

Gritos como “STF preste atenção, a sua toga vai virar pano de chão”, “Fora MBL” e “Fora Centrão”, eram intercalados com o slogan de campanha de Bolsonaro: “Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”.

Estadão Conteúdo

 

Governo acredita ter 270 votos para a reforma da Previdência

O Palácio do Planalto acredita ter 270 votos na Câmara pela aprovação da reforma da Previdência, diz O Globo.

Pelas contas do governo, portanto, faltariam 38 votos para o projeto ser aprovado.

O Antagonista

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSE DOMINGO

MANIFESTAÇÕES: A COISA TÁ FEIA! A HORA DE REZAR!

Parece que o povo está começando a se conscientizar que a coisa tá feia de verdade e introduziram atos de fé e religiosidade nas manifestações de rua deste domingo. É pessoal, a coisa tá feia mesmo! precisamos rezar muito pra sair desse poço sem fundo!

Manifestantes rezam onde Bolsonaro foi esfaqueado em Juiz de Fora (veja o vídeo)

Mais do que a esperança, parece que a eleição de Jair Bolsonaro renovou a fé de muitos. Não em um arroubo messiânico e mitomaníaco, como os críticos querem alegar, mas simplesmente por mostrar às pessoas que uma grande virada é possível e que talvez, aquilo que achavam impossível, ainda está ao alcance.

Em ato em Juiz de Fora, no local em que o presidente foi esfaqueado por um militante de esquerda já filiado ao PSOL, os manifestantes trocaram por alguns minutos o barulho e as palavras de ordem pela calmaria e o silêncio das orações.

Do carro de som, uma manifestante pedia a “salvação das almas e a ordem e o progresso do Brasil” e a proteção do Espírito Santo para Bolsonaro e sua família.

O momento foi registrado em vídeo:

da Redação

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo MANIFESTAÇÕES: A COISA TÁ FEIA! A HORA DE REZAR!

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar