SEGUNDO PORTA-VOZ, É INACEITÁVEL A IDEIA DE UMA GUERRA ENTRE UCRÂNIA E RÚSSIA

Rússia diz que simples ideia de guerra com a Ucrânia é ‘inaceitável’

Alemanha e França entraram em negociação com russos e ucranianos para reduzir o temor de um conflito armado na região

Veículos militares russos realizando exercícios próximo à fronteira com a Ucrânia

SERGEY PIVOVAROV/REUTERS – 26.1.2022

Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse nesta quinta-feira (27) que até mesmo a ideia de uma guerra entre a Rússia e a Ucrânia é “inaceitável”, a última de uma série de declarações oficiais com o objetivo de eliminar os temores de uma iminente invasão russa ao país vizinho.

“Já afirmamos repetidamente que nosso país não pretende atacar ninguém. Consideramos inaceitável até mesmo o pensamento de uma guerra entre nosso povo”, disse Alexei Zaitsev, porta-voz do ministério.

A Rússia, que anexou a Crimeia da Ucrânia em 2014 e apoiou uma rebelião separatista no leste da Ucrânia, aumentou a presença de tropas na região da fronteira ucraniana, assim como enviou forças à também vizinha Belarus.

Kiev rejeita a versão da Rússia de que o conflito separatista no leste da Ucrânia é uma guerra civil que nada tem a ver com Moscou, dizendo que a Rússia apoia os separatistas com forças disfarçadas no terreno de combate.

Apesar da tensão, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, saudou as negociações entre quatro partes com Rússia, França e Alemanha como significativas e um passo para a paz, segundo comunicado divulgado por seu gabinete nesta quinta-feira.

“O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, avalia positivamente o fato da reunião, sua natureza construtiva, bem como a intenção de continuar conversações significativas por duas semanas em Berlim”, disse ele.

Continuar lendo SEGUNDO PORTA-VOZ, É INACEITÁVEL A IDEIA DE UMA GUERRA ENTRE UCRÂNIA E RÚSSIA

COREIA DO NORTE REALIZA O SEXTO TESTE DE ARMAS ESTE ANO LANÇANDO DOIS SUPOSTOS MÍSSEIS BALÍSTICOS

Coreia do Norte lança dois mísseis e segue com testes de armas

Disparos foram detectados pela Coreia do Sul; este é o sexto teste armamentista realizado pelos norte-coreanos neste ano

Líder norte-coreano Kim Jong-un participa de reunião em Pyongyang

AFP – 19.01.2022

A Coreia do Norte disparou, nesta quinta-feira (27), dois supostos mísseis balísticos. Foi o sexto teste de armas realizado pelo país neste ano, anunciaram as Forças Armadas da Coreia do Sul.

O Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul afirmou que detectou dois supostos mísseis balísticos de curto alcance disparados da cidade de Hamhung em direção ao Mar do Leste (Mar do Japão) por volta das 8h locais (20h de Brasília, quarta-feira). “Os projéteis viajaram 190 km a uma altura de 20 km”, afirma um comunicado.

A última vez que a Coreia do Norte testou tantas armas em um mês foi em 2019, após o colapso das negociações entre o líder Kim Jong Un e o então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Desde então, as negociações com os Estados Unidos estagnaram e o país sofreu economicamente com duras sanções internacionais e suas medidas para conter a pandemia de Covid-19.

“Acredito que, se incluirmos os dois mísseis de cruzeiro, este já será o maior número de lançamentos de mísseis norte-coreanos em qualquer mês”, afirmou no Twitter o analista Ankit Panda.

Pyongyang disparou dois mísseis de cruzeiro na terça-feira passada e realizou pelo menos quatro testes de armas adicionais neste mês, inclusive dois mísseis, que classificou de “hipersônicos”, nos dias 5 e 11 de janeiro.

A série de testes gerou condenações internacionais e motivou uma reunião do Conselho de Segurança da ONU.

O governo dos Estados Unidos também anunciou novas sanções em resposta aos testes, o que provocou uma resposta da Coreia do Norte, que na semana passada sugeriu que retomaria seus testes de armas nucleares e de longo alcance.

Pyongyang não realiza testes de mísseis balísticos intercontinentais ou nucleares desde então e tem respeitado uma moratória autoimposta, mesmo após o congelamento do diálogo com os Estados Unidos.

‘Novas capacidades’

Os testes ocorrem em um momento delicado para a região, com a China, o único grande aliado da Coreia do Norte, se preparando para sediar os Jogos Olímpicos de Inverno em fevereiro e a Coreia do Sul organizando as eleições presidenciais em março.

“O regime de Kim desenvolve uma variedade impressionante de armas, apesar dos recursos limitados e dos sérios desafios econômicos”, comentou Leif-Eric Easley, professor da Universidade Ewha, em Seul.

“Certos testes norte-coreanos visam desenvolver novas capacidades, especialmente para evitar as defesas antimísseis”, acrescentou Easley. “Outros lançamentos buscam mostrar a preparação e versatilidade das forças de mísseis que a Coreia do Norte já usou.”

No poder há uma década, Kim lidera uma economia afetada pela Covid, que enfrenta uma escassez grave de alimentos, agravada pelas sanções internacionais motivadas por seus programas armamentistas.

A crise poderia explicar por que a Coreia do Norte executou todos esses testes nas últimas três semanas, disseram analistas, indicando que uma demonstração dramática de poder militar oferece a Kim uma vitória política antes de vários aniversários locais.

O país se prepara para comemorar o 80º aniversário de nascimento do pai de Kim, o falecido Kim Jong Il, em fevereiro, bem como o 110º aniversário de seu avô, o fundador do país, Kim Il Sung, em abril.

A Coreia do Norte também pode fazer testes antes dos Jogos de Inverno de Pequim, que começam na próxima semana, para não aborrecer a aliada China com o lançamento de mísseis durante o evento.

Continuar lendo COREIA DO NORTE REALIZA O SEXTO TESTE DE ARMAS ESTE ANO LANÇANDO DOIS SUPOSTOS MÍSSEIS BALÍSTICOS

RÚSSIA REALIZOU EXERCÍCIOS MILITARES ENQUANTO AUTORIDADES SE PREPARAVAM PARA NEGOCIAÇÃO SOBRE A UCRÂNIA

Rússia faz exercícios militares antes de negociações sobre a Ucrânia

Soldados russos estão na região da fronteira, e países ocidentais ameaçam aplicar sanções econômicas em caso de invasão

Rússia envia mais militares para a região da fronteira com a Ucrânia

SERGEY PIVOVAROV/REUTERS – 21/01/2022

A Rússia realizou exercícios militares nesta quarta-feira (26) e enviou mais forças e caças a Belarus para exercícios no próximo mês, enquanto autoridades se preparavam para negociações em Paris sobre o conflito no leste da Ucrânia.

O responsável no Kremlin pelas questões que envolvem a Ucrânia deveria encontrar autoridades de França, Alemanha e Ucrânia para conversações no formato “Normandia” em Paris diante do  pano de fundo de uma concentração de tropas russas perto da fronteira com a Ucrânia que provocou temores de uma invasão.

A Rússia insiste que não pretende invadir a Ucrânia, mas o Ocidente ameaçou adotar severas penalidades econômicas se isso acontecer. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta terça-feira (25) que consideraria sanções pessoais ao presidente russo, Vladimir Putin, e o Reino Unido afirmou nesta quarta-feira que não descartaria fazer o mesmo.

As conversas em Paris para acabar com a guerra no leste da Ucrânia entre Kiev e os separatistas apoiados pela Rússia se encontram há anos sem progresso real, mas as conversações de quarta-feira podem ser vistas como um sinal positivo de que a diplomacia está ocorrendo apesar das tensões crescentes

O confronto com a Ucrânia desencadeou uma venda nos mercados russos nesta semana, e o rublo voltou a cair na quarta-feira.

A agência de notícias Interfax afirmou que o Ministério da Defesa russo anunciou nesta quarta-feira, um dia depois de deslocar forças de artilharia e fuzileiros navais antes dos exercícios conjuntos com Belarus no próximo mês, ter enviado uma unidade de paraquedistas para o país vizinho. Também afirmou que a Rússia estava mandando caças de combate Su-35 a Belarus para os exercícios.

A concentração de forças russas em Belarus, ao norte da Ucrânia, cria uma nova frente para um possível ataque.

Separadamente, as forças de artilharia russas na região sul de Rostov, que faz fronteira com a Ucrânia, iniciaram treinamento de tiro mais tarde nesta quarta-feira, como parte de uma inspeção de prontidão de combate do Distrito Militar Sul, disse o Ministério da Defesa.

No extremo norte, navios de guerra russos entraram no mar de Barents para proteger uma grande faixa de navegação no Ártico, disse a Frota do Norte. Moscou anunciou exercícios navais de varredura na semana passada.

Um porta-voz de Dmitry Kozak, representante do Kremlin para a Ucrânia, disse que as conversações em Paris começariam às 8h (horário de Brasília), com um informe à imprensa esperado para depois das 11h.

Andriy Yermak, chefe de gabinete do presidente ucraniano Volodymr Zelenskiy, afirmou que a Ucrânia descartou falar diretamente com os separatistas apoiados pela Rússia.

Continuar lendo RÚSSIA REALIZOU EXERCÍCIOS MILITARES ENQUANTO AUTORIDADES SE PREPARAVAM PARA NEGOCIAÇÃO SOBRE A UCRÂNIA

FRACASSOU A TERCEIRA RODADA DE VOTAÇÃO DO PARLAMENTO DA ITÁLIA PARA ELEGER O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Terceira votação para eleger presidente da Itália fracassa

Cerca de 40% dos deputados, senadores e representantes regionais votaram em branco, mostrando falta de consenso entre italianos

O atual presidente Sergio Mattarella foi o mais votado, apesar de descartar segundo mandato

ALBERTO PIZZOLI/POOL/AFP – 26.1.2022

A terceira rodada de votações no Parlamento da Itália para eleger o presidente da República fracassou nesta quarta-feira (26) já que ninguém alcançou os dois terços dos votos, prolongando a incerteza sobre o futuro do primeiro-ministro Mario Draghi.

Dos mais de mil participantes (entre deputados, senadores e representantes das regiões), 412 votaram em branco, o que reflete a ausência de consenso sobre um candidato entre os maiores partidos.

O atual presidente Sergio Mattarella, de 80 anos, que descartou se apresentar para um segundo mandato, foi o mais votado, com 125 adesões. Na quinta-feira (27) haverá uma quarta rodada de votações, na qual se reduz pela metade mais um (505) os votos necessários para ser eleito.

As funções do presidente são essencialmente honorárias na Itália, onde rege o sistema parlamentar, mas neste ano está em jogo o papel de Mario Draghi, uma candidatura de muito peso e prestígio, cuja eleição colocaria o atual governo em crise.

Sua eleição poderia provocar um pleito antecipado e atrasar as reformas necessárias para garantir a aprovação dos fundos gigantescos da União Europeia para a recuperação econômica prometidos à Itália.

O processo para eleger o presidente na Itália, com um mandato de sete anos, é notoriamente difícil, com votações secretas, acordos entre bastidores e sem candidatos oficiais, portanto costuma ser comparado com um conclave papal.

Fonte: R7

Continuar lendo FRACASSOU A TERCEIRA RODADA DE VOTAÇÃO DO PARLAMENTO DA ITÁLIA PARA ELEGER O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

MOVIMENTOS DOS EUA SOBRE A UCRÂNIA CAUSA PREOCUPAÇÃO NA RÚSSIA

Rússia observa com ‘preocupação’ ação dos EUA sobre a Ucrânia

O governo norte-americano colocou 8,5 mil soldados em alerta máximo

A Rússia posicionou suas forças militares na fronteira com a Ucrânia

A Rússia posicionou suas forças militares na fronteira com a Ucrânia | Foto: Reprodução

 

A Rússia indicou nesta terça-feira, 25, que está observando com grande preocupação os movimentos dos Estados Unidos (EUA).

Um dia antes, o governo norte-americano colocou 8,5 mil soldados em alerta máximo, para estarem prontos para serem enviados à Europa, em caso de uma escalada na crise na Ucrânia.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, acusou Washington de alimentar as tensões sobre a Ucrânia — repetindo a linha de que a crise está sendo impulsionada por ações dos EUA e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Estados ocidentais acusam a Rússia de planejar um novo ataque à Ucrânia, invadida em 2014. Moscou nega, mas diz que pode realizar ações militares não especificadas a menos que as exigências sejam atendidas, incluindo uma promessa da Otan de nunca admitir Kiev na aliança.

Na segunda-feira 24, a Otan afirmou que está colocando forças de prontidão e reforçando o leste europeu com mais navios e caças de guerra. A Rússia denunciou os movimentos como “histeria” ocidental. A ação é uma resposta ao Kremlin, que posicionou as tropas russas na fronteira com a Ucrânia.

A Rússia está aguardando uma resposta por escrito dos EUA nesta semana à sua lista de demandas de segurança, algumas das quais Washington já descartou.

Continuar lendo MOVIMENTOS DOS EUA SOBRE A UCRÂNIA CAUSA PREOCUPAÇÃO NA RÚSSIA

HOMEM FOI RETIRADO DA LISTA DE TRANSPLANTE DE UM HOSPITAL EM BOSTON POR SE RECUSAR A TOMAR VACINA CONTRA COVID-19

Homem é retirado de lista de transplante de coração por não estar vacinado

Paciente precisa desesperadamente do órgão, diz pai

DJ Ferguson está internado em Boston | Foto: Acervo/FamíliaDJ Ferguson está internado em Boston | Foto: Acervo/Família

DJ Ferguson, de 31 anos, foi removido da lista de transplante de coração em um hospital de Boston porque se recusa a tomar a vacina contra a covid-19. É o que garantiu a família dele à emissora CBS Boston, na segunda-feira 24.

Apesar de estar em primeiro lugar para receber o órgão, Ferguson deixou de ser elegível devido ao seu “status de imunização”. Em estado grave, o paciente está internado no Brigham and Women’s Hospital.

O pai de Ferguson disse que o filho precisa “desesperadamente” do coração. “Ele não acredita na vacina porque vai contra seus princípios”, disse. “Como ele não vai tomar a vacina, o hospital o tirou da lista de transplante de coração.”

Centro de ensino de Harvard, o Brigham and Women’s Hospital informou ao canal que sua política de exigir que os destinatários sejam vacinados está alinhada com muitos outros programas de transplante nos EUA:

“Trata-se de uma das várias vacinas e comportamentos de estilo de vida necessários para candidatos a transplante (…) a fim de criar a melhor chance de uma operação bem-sucedida e também a sobrevivência do paciente.

A família de Ferguson considera transferi-lo para outro hospital que não tenha a política de vacinação. Contudo, os parentes temem que ele o homem esteja fraco demais para ser transferido.

Fonte: R7

Continuar lendo HOMEM FOI RETIRADO DA LISTA DE TRANSPLANTE DE UM HOSPITAL EM BOSTON POR SE RECUSAR A TOMAR VACINA CONTRA COVID-19

IRRITADO COM PERGUNTAS BIDEN XINGA REPÓRTER SEM PERCEBER MICRONE LIGADO

Sem perceber microfone ligado, Joe Biden ofende repórter da Fox

Presidente dos EUA se irritou ao ser questionado sobre inflação no país

Maegan Vazquez

da CNN

 Atualizado 25/01/2022 às 00:21

 

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, foi ouvido ao chamar um repórter do canal Fox de um “imbecil filho da p…” num microfone ligado após um evento da Casa Branca na segunda-feira (24) à tarde.

O comentário profano do presidente veio enquanto os repórteres gritavam perguntas ao sair da Sala Leste após uma reunião do Conselho de Concorrência da Casa Branca sobre os esforços para baixar os preços.

O correspondente da Fox na Casa Branca Peter Doocy perguntou a Biden: “Aceitaria uma pergunta sobre inflação? Acha que a inflação é uma responsabilidade política no meio do mandato?”

“É um grande trunfo — mais inflação”, disse Biden. “Que imbecil filho da p…”

O presidente tem ficado cada vez mais frustrado ao enfrentar publicamente questões difíceis nos últimos dias.

Na origem das frustrações em relação aos repórteres estão duas grandes crises com as quais a administração Biden continua a lidar: a de enfrentar a inflação e a perspectiva de uma invasão russa na Ucrânia.

Segundo a correspondente-chefe da CNN na Casa Branca, Kaitlan Collins, o presidente ligou para Doocy para pedir desculpas por sua declaração.

Continuar lendo IRRITADO COM PERGUNTAS BIDEN XINGA REPÓRTER SEM PERCEBER MICRONE LIGADO

O QUE O DEVEMOS APRENDER COM O MUNDO ÁRABE

Reflexões sobre o mundo árabe

O que o Ocidente perdeu pelo caminho?

Pessoas em um calçadão em Dubai | Foto: PixabayPessoas em um calçadão em Dubai | Foto: Pixabay

Acabei de passar alguns dias de férias nos Emirados Árabes Unidos. Foi a primeira vez que visitei Dubai e Abu Dhabi. Foi a primeira vez que visitei um país muçulmano. Foi uma experiência importante para entender melhor essa parte do mundo. É impressionante o desenvolvimento econômico que estão promovendo neste país. Também temos a aprender com eles sobre a importância das tradições e da religião. A forma como a cultura muçulmana está organizada e fortalecida, principalmente em comparação às sociedades ocidentais, é algo que merece nossa atenção.

Primeiro, vamos à parte econômica. Pode-se argumentar que Dubai é o lugar mais próspero em termos materiais da história da humanidade. Lá tem a maior estrutura vertical já construída pelo homem (Burj Khalifa – 829m) e o maior shopping do mundo (Dubai Mall), apenas para citar dois exemplos. Também já existe o projeto para o prédio que superará o Burj Khalifa como o mais alto do mundo, o Dubai Creek Tower, que terá mais de 1,2 quilômetro de altura.

Mundo árabe

Lá não existe pobreza. As casas “populares” são grandes e bonitas. Um trabalhador estrangeiro consegue tranquilamente ganhar 4.000 dirham por mês, cerca de R$ 6 mil. Para os nativos, esse valor é no mínimo 25.000 dirham (R$ 37 mil). A criminalidade também é inexistente; a segurança é total. Um trabalhador da Jordânia me relatou um episódio curioso. Em sua primeira semana vivendo em Dubai, ele se envolveu em uma briga de rua com outro estrangeiro. Os dois foram levados à delegacia, e foi dito a eles que esse tipo de comportamento não existia naquele país, e que eles deveriam focar em arrumar trabalho. Se acontecesse algum problema novamente, eles estariam no primeiro voo de volta para o país deles. Esse rapaz nunca mais se envolveu em confusão. Vale lembrar também que existe pena de morte no país para crimes mais graves como homicídio.

Portanto, a impressão que o país passa é de um lugar extremamente seguro, desenvolvido e com inúmeras possibilidades de trabalho e investimento. O mais impressionante é que tudo isso foi feito em 50 anos, através de um sistema político estável (monarquia) e uma visão de longo prazo. É claro que o dinheiro do petróleo, principalmente de Abu Dhabi, impulsionou esse crescimento. Mas Dubai não é mais dependente de petróleo. Eles reorganizaram quase toda sua economia para focar no turismo, construção e setor imobiliário.

É curioso ver pessoas no Brasil dizendo que a monarquia é ultrapassada e retrógrada. Só se esquecem que este país, talvez o mais desenvolvido do mundo, é uma. Mas essa é outra discussão. O importante é que a estabilidade política foi fundamental para eles atingirem esse progresso em tão pouco tempo, coisa que é quase impossível de vislumbrar no Brasil. Não temos nem estabilidade, nem visão de longo prazo. Nosso país é, infelizmente, uma confusão generalizada. Não existe união em torno de um projeto para o futuro do país. Precisamos fazer o Brasil dar certo apesar desta complexa realidade.

Sobre o tradicionalismo, a cultura muçulmana é muito presente em todo lugar. Por mais que Dubai esteja mais aberta, existem mesquitas por todo lado. Abu Dhabi já é bem mais tradicional; é recomendável que as mulheres andem com o cabelo e pescoço cobertos. De forma geral, as tradições são muito respeitadas. Não existe espaço para qualquer pauta que possa desestabilizar o futuro do país. Todas as discussões delirantes que temos no Ocidente, como, por exemplo, se homens podem engravidar, simplesmente não existem por lá.

Valores cristãos em crise

É triste fazer a comparação com o Ocidente e perceber como o Cristianismo está enfraquecido. Tanto a igreja católica como a protestante estão infiltradas por pautas progressistas. No mundo muçulmano, eles tem convicção de que o Ocidente está totalmente perdido dentro do que acreditamos ser “liberdade”. E eles tem razão. Estamos com a nossa ordem sagrada muito fragilizada. Boa parte da nossa população não está nem aí para Deus. Sequer sabemos se queremos casar ou ter filhos. Estamos, ao menos parcialmente (para não ser tão pessimista), à deriva.

É fácil entender também porque os muçulmanos serão maioria em diversos países europeus em pouco tempo. Eles têm uma bússola moral clara. Você pode discordar de todas as suas crenças religiosas e da sua moralidade, mas é inegável que eles têm valores muito bem definidos, e não estão dispostos a mudá-los. Isso os fortalece como povo. E é isso que perdemos ao longo do caminho. Quatrocentos anos de ataques ao Cristianismo após o Iluminismo estão cobrando o seu preço. Estamos há séculos em decadência moral.

Diante disso, a conclusão racional é que o Ocidente precisa urgentemente fortalecer o Cristianismo. Recuperar nossas tradições. Retornar com convicção e ênfase à moralidade cristã. Esse é o único caminho possível. Precisamos casar, formar famílias e voltar a viver em comunhão com Deus. Precisamos criar novas gerações que vivam de acordo com valores cristãos. Não quero menosprezar outras crenças e religiões, mas apenas o cristianismo — incluo aqui católicos e protestantes— tem a força, tradição e capilaridade necessárias para nos ajudar nesta retomada de consciência e moralidade na América do Sul, América do Norte e Europa. Caso isso não ocorra, infelizmente, teremos uma sociedade cada vez mais perdida, fragilizada, confusa e desmoralizada. E isso interessa a todos os outros, menos a nós.

Continuar lendo O QUE O DEVEMOS APRENDER COM O MUNDO ÁRABE

PRESIDENTE DA ARMÊNIA RENUNCIOU AO CARGO ALEGANDO INCAPACIDADE DE SEU GABINETE DE INFLUENCIAR A POLÍTICA DO PAÍS DURANTE A ATUAL CRISE

Presidente da Armênia renuncia em meio a crise nacional

Após guerra com Azerbaijão, Armen Sarkissian alegou que seu gabinete se mostrou incapaz de influenciar a política do país

Presidente culpou Constituição por inação política de seu governo

REUTERS/HAYK BAGHDASARYAN – 23/1/2022

O presidente da Armênia, Armen Sarkissian, cujo papel é protocolar, anunciou sua renúncia neste domingo (23), alegando que seu gabinete se mostrou incapaz de influenciar a política do país durante a atual crise.

O anúncio acontece após um período de instabilidade nessa pequena nação do Cáucaso com dificuldades econômicas e depois de uma sangrenta guerra com o Azerbaijão pelo controle da região de Nagorno-Karabakh.

A guerra, que deixou mais de 6.000 mortos, resultou no envio de forças de paz da Rússia para a região em disputa.

A humilhante derrota da Armênia no conflito e a perda, no fim de 2020, de Nagorno-Karabakh desencadearam grandes protestos sociais e uma crise interna que colocou frente a frente Sarkissian e o primeiro-ministro, Nikol Pashinyan.

“Esta não é uma decisão emocional e segue uma lógica específica”, declarou Sarkissian em comunicado divulgado em seu site.

“O presidente não tem as ferramentas necessárias para influenciar processos importantes de política externa e interna em tempos difíceis para o povo e para o país”, completou.

Seu papel é sobretudo protocolar e o Poder Executivo recai principalmente no primeiro-ministro Pashinyan.

No centro da desavença está a decisão de demitir o chefe do Estado-Maior do Exército. Sarkissian rejeitou assinar a ordem de Pashinyan para a demissão, um duro golpe para o criticado primeiro-ministro.

O chefe de Estado argumentava que a crise na Armênia não poderia ser encerrada com frequentes mudanças de pessoal nas estruturas de liderança do país.

Neste domingo Sarkissian denunciou “uma realidade em que o presidente não pode vetar leis que considera ruins para o povo e o país”.

“Espero que as mudanças constitucionais possam ser implementadas e que o próximo presidente e a administração presidencial possam operar em ambiente mais equilibrado”, acrescentou o comunicado.

A Constituição da Armênia estipula que o Parlamento, controlado por partidos que apoiam Sarkissian, deve organizar uma votação para escolher o próximo presidente em até 35 dias.

Ex-professor de física, Armen Sarkissian, nascido em 1953 em Yerevan, a capital, foi primeiro-ministro de 1996 a 1997, antes de servir como embaixador no Reino Unido. Foi eleito presidente em março de 2018.

O anúncio de sua renúncia veio logo depois de uma visita aos Emirados Árabes Unidos, após a qual seu gabinete disse que tiraria uma folga para exames médicos, sem dar detalhes.

Desde o desmantelamento da União Soviética, a economia armênia passa por dificuldades. O dinheiro enviado pela comunidade armênia no exterior contribuiu para a construção de escolas, igrejas e outros projetos de infraestrutura, inclusive em Nagorno-Karabakh.

O país tem uma diáspora grande e politicamente poderosa que se espalhou pelo mundo após os massacres da era otomana. Agora é estimada em 10 milhões de pessoas, principalmente na Rússia, Estados Unidos e França.

Continuar lendo PRESIDENTE DA ARMÊNIA RENUNCIOU AO CARGO ALEGANDO INCAPACIDADE DE SEU GABINETE DE INFLUENCIAR A POLÍTICA DO PAÍS DURANTE A ATUAL CRISE

MENINA DE 10 ANOS ABRAÇA CACHORRO PARA SE AQUECER DURANTE TEMPESTADE DE NEVE NA SIBÉRIA

Menina sobrevive a forte tempestade de neve na Sibéria abraçando um cachorro

Essa foi a alternativa da menina de 10 anos para se proteger do frio e ventos de até 80 quilômetros por hora

Darya Tarasova

Eleanor Pickston

da CNN

 

Uma menina de 10 anos sobreviveu a uma forte tempestade de neve na Sibéria abraçando um cachorro, de acordo com a TV estatal russa e reportagens da mídia local.

A menina, que não é identificada no relatório, deixou a escola onde estuda na cidade de Uglegorsk na semana passada, mas não conseguiu voltar para casa. A cidade, que fica na ilha de Sakhalin, no noroeste da Rússia, foi atingida por fortes nevascas e ventos de 38 a 50 milhas por hora.

Grupos de busca se concentraram em casas com animais de estimação, porque moradores relataram ter visto a menina brincando com um cachorro no dia anterior ao seu desaparecimento. Os pais dela também contaram à polícia o quanto ela adorava brincar com animais de estimação.

Um voluntário encontrou a menina na manhã seguinte, sentada ao lado de um cachorro em seu canil ao ar livre, e abraçando-o para se aquecer, de acordo com a TV estatal russa.

A menina foi levada ao hospital e passa bem.

Continuar lendo MENINA DE 10 ANOS ABRAÇA CACHORRO PARA SE AQUECER DURANTE TEMPESTADE DE NEVE NA SIBÉRIA

JUÍZ FEDERAL DO TAXAS SUSPENDE TEMPORARIAMENTE A ORDEM DE BIDEN PARA QUE TODOS OS FUNCIONÁRIOS FEDERAIS SEJAM VACINADOS CONTRA COVID-19

Juiz derruba ordem de Biden que obrigava vacinação de funcionários federais

Decisão é mais uma derrota para o presidente dos EUA

Bandeira dos Estados Unidos | Foto: Pexels

Bandeira dos Estados Unidos | Foto: Pexels

 

Um juiz federal do Estado do Texas decidiu na sexta-feira 21, em nível nacional, suspender temporariamente a ordem do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para que todos os funcionários federais sejam vacinados contra a covid-19.

Em liminar, o juiz Jeffrey Vincent Brown afirmou que Biden ultrapassou os limites de seus poderes. Dos quatro decretos de obrigatoriedade de vacina promulgados pelo presidente, três estão suspensos— a exigência se mantém apenas para profissionais da saúde.

Mais uma derrota para Biden

O parecer segue na esteira de uma decisão tomada na semana passada pela Suprema Corte dos EUA, que suspendeu a ordem de Biden para a obrigatoriedade de que empresas privadas exijam a vacinação de seus funcionários.

O magistrado disse que a decisão não é sobre se as pessoas devem ou não ser vacinadas, uma vez que “o tribunal acredita que devem”, nem se o governo federal pode exigir que seus funcionários tomem as injeções. “Em vez disso, trata-se de saber se o presidente pode, de uma só vez e sem a participação do Congresso, exigir que milhões de funcionários federais sejam submetidos a um procedimento médico como condição de seu emprego”, escreveu Brown.

Casa Branca reage

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse logo depois da decisão que caberia ao Departamento de Justiça decidir os próximos passos. Mas Psaki ressaltou que a ordem de vacinação já teria funcionado.

“Primeiro, deixe-me atualizá-lo que 98% dos funcionários federais estão vacinados. É um número notável”, disse ela, acrescentando que o governo estava “confiante em sua autoridade legal”.

Ao apresentar seus argumentos em defesa da obrigatoriedade de vacina, o governo Biden indicou dispositivos da lei em que cabe ao presidente estabelecer regras e regulamentos que regem a conduta e as condições de emprego dos trabalhadores federais.

Com informações de The Washington Times e Forbes

Continuar lendo JUÍZ FEDERAL DO TAXAS SUSPENDE TEMPORARIAMENTE A ORDEM DE BIDEN PARA QUE TODOS OS FUNCIONÁRIOS FEDERAIS SEJAM VACINADOS CONTRA COVID-19

ENCONTRADO NA ÍNDIA AVIÃO DA 2ª GUERRA DESAPARECIDO APÓS QUASE 80 ANOS

Avião desaparecido desde a 2ª  Guerra Mundial é achado na Índia

Aeronave, que sumiu com 13 pessoas a bordo, foi localizada coberta de neve em área remota do Himalaia após quase 80 anos

INTERNACIONAL 

por AFP

Avião que desapareceu na Segunda Guerra Mundial é localizado na Índia 77 anos depois

MIA RECOVERIES / AFP

Um avião desaparecido na Segunda Guerra Mundial foi encontrado em uma área remota do Himalaia, na Índia, quase 80 anos depois de ter sumido e após uma busca complicada na qual morreram três guias.

A nave de transporte C-46, que decolou de Kunming (sul da China), voava com 13 pessoas a bordo quando desapareceu em meio a uma tempestade no estado montanhoso Arunachal Pradesh na primeira semana de 1945.

A expedição durou meses, nos quais Kuhles e uma equipe de guias locais atravessaram rios que lhes cobriam até o peito e acamparam em meio a temperaturas glaciais. Três guias morreram de hipotermia no início da missão durante uma tempestade de neve.

Por fim, a equipe encontrou o avião em uma montanha coberta de neve no mês passado e foi capaz de identificar a fuselagem pelo número na cauda. Em seu interior não havia restos humanos.

Bill Scherer, o filho órfão que pediu a missão, disse estar “feliz só por saber onde está” seu pai. “Estou triste, mas alegre ao mesmo tempo”, disse em um email à AFP enviado de Nova York.

“Cresci sem pai. Tudo no que penso é na minha pobre mãe recebendo um telegrama e descobrindo que meu pai está desaparecido e ela tendo que ficar comigo, um bebê de 13 meses”, acrescentou.

Centenas de aviões militares americanos desapareceram em operações na Índia, China e Mianmar durante a Segunda Guerra Mundial, seja pelo ataque das forças japonesas, seja pelas condões climatológicas.

Continuar lendo ENCONTRADO NA ÍNDIA AVIÃO DA 2ª GUERRA DESAPARECIDO APÓS QUASE 80 ANOS

RIVALIDADE ENTRE RUSSOS E AMERICANOS FOI INTENSIFICADA MAS CONFRONTO DIRETO ENTRE AS POTÊNCIAS É POUCO PROVÁVEL

Entenda a influência dos EUA na disputa entre Rússia e Ucrânia

Rivalidade entre russos e americanos foi intensificada em 2021, mas é pouco provável um confronto direto entre as potências

INTERNACIONAL

 Lucas Ferreira, do R7

Presidentes se encontraram em Genebra, na Suíça, em junho de 2021

PETER KLAUNZER / EFE – EPA – 16.6.2021

confronto territorial entre Rússia e Ucrânia, que começou a escalonar após a anexação da Crimeia pelos russos, em 2014, ganhou novos contornos nos últimos meses com o aumento de tropas das duas nações na fronteira entre os países. A tensão fez com que a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e os Estados Unidos entrassem nessa discussão.

Um grande conflito armado entre russos e americanos, entretanto, é pouco provável, na visão do pesquisador e sociólogo Gustavo Lacerda: “Os Estados Unidos não querem [se envolver em uma guerra]. Por todos os motivos do mundo eles não querem”.

Diferentemente da guerra civil na Síria, na qual os americanos apoiam os curdos enquanto os russos estão do lado do presidente sírio, Bashar al-Assad, o conflito ucraniano teria dimensões muito maiores para a Rússia. Consequentemente, um confronto bélico entre as nações seria de grande escala.

“Esses confrontos entre Rússia e Estados Unidos se dão de diferentes maneiras, mas alguns em particular assumem uma dimensão maior, e a Ucrânia é esse conflito”, explica o especialista.

Lacerda ressalta que o presidente dos EUA, Joe Biden, tentará evitar a qualquer custo um conflito armado, em especial pelo insucesso dos 20 anos de guerra no Afeganistão. Os R$ 4,5 trilhões investidos no conflito foram “dinheiro jogado fora”.

Se Biden não deseja colocar os Estados Unidos em um conflito com a Rússia, por que decidiu se envolver na questão da Ucrânia? Simples, pelo mesmo motivo que Vladimir Putin dá apoio aos países latino-americanos que incomodam politicamente os EUA, como Cuba, Nicarágua e Venezuela.

“Assim como o Leste Europeu é propriedade da Rússia, os americanos têm clareza de que até o Panamá é tudo território dos Estados Unidos”, destaca Lacerda, ressaltando a tentativa de influência das duas potências mundiais nos países vizinhos.

Tanto Biden quanto Putin não desejam que a nação contrária prospere, e isso está por trás da política externa das duas superpotências.

“Os Estados Unidos querem evitar que a Rússia faça qualquer coisa. E não são só os EUA. A Inglaterra pensa o mesmo, a Itália também. Não porque são países ocidentais, mas em termos de geopolítica, pura e simples, não querem deixar que a Rússia vire novamente a União Soviética.”

Para Lacerda, caso os russos decidam invadir a Ucrânia, pouco seria feito pelas nações ocidentais, uma vez que a tomada da região da Crimeia ocorreu sem grande repressão de outros líderes mundiais. Na opinião do especialista, não há uma grande vantagem para os americanos se envolverem no conflito caso se torne bélico.

“Se os Estados Unidos forem agora para a Ucrânia, não vai ser como no Afeganistão, que tem montanhas onde é possível se esconder. A Ucrânia faz fronteira com a Rússia, eles vão estar cercados pelos Bálcãs, pela Polônia e por outros regimes que são contrários aos Estados Unidos. Vão gastar rios de dinheiro para quê?”

Biden e Putin se reuniram algumas vezes nos últimos meses. Em um desses encontros, em Genebra, na Suíça, o presidente russo disse que a conversa foi “construtiva”. Lacerda não enxerga com tanto ânimo os encontros entre os dois líderes.

“Encontro construtivo quer dizer que eles não se mataram e não declararam guerra”, brinca o pesquisador. “Isso é linguagem diplomática. […] Quando os russos dizem que tiveram um resultado positivo, isso significa que eles concordaram em discordar.”

No entendimento do pesquisador, as trocas de acusações e ameaças de sanções entre Biden e Putin são uma demonstração de como funciona o jogo da diplomacia internacional.

“Eles sabem jogar esse jogo. Eles sabem, eles estão nisso há séculos, então sabem como disputar”, conclui Lacerda.

Continuar lendo RIVALIDADE ENTRE RUSSOS E AMERICANOS FOI INTENSIFICADA MAS CONFRONTO DIRETO ENTRE AS POTÊNCIAS É POUCO PROVÁVEL

JOE BIDEN AMEAÇOU UMA RESPOSTA “SEVERA” NO CASO DE ATAQUE RUSSO À UCRÂNIA

Fala de Biden sobre Ucrânia pode desestabilizar situação, diz Rússia

Presidente dos Estados Unidos ameaçou uma resposta “severa” no caso de um ataque russo ao território ucraniano

O presidente Joe Biden fala com repórteres durante uma entrevista coletiva na Casa BrancaO presidente Joe Biden fala com repórteres durante uma entrevista coletiva na Casa Branca GETTY IMAGES VIA AFP – 19/01/2022

A Rússia denunciou, nesta quinta-feira (20), os comentários “desestabilizadores” do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. O líder americano ameaçou uma resposta “severa” no caso de um ataque russo à Ucrânia, no momento em que o chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, busca em Berlim apoio dos europeus contra Moscou.

A reação do Kremlin veio depois que o presidente dos Estados Unidos disse que Moscou pagaria um alto preço se invadisse a Ucrânia, incluindo perda de vidas e duras sanções à sua economia. “Será um desastre para a Rússia”, insistiu.

Para o Kremlin, essas declarações “podem contribuir para desestabilizar a situação” e “levantar esperanças totalmente falsas” entre algumas autoridades ucranianas, segundo o porta-voz, Dmitri Peskov.

Na capital alemã, Blinken iniciou reuniões com seus colegas da França e Alemanha e com a secretária de Relações Exteriores britânica, antes de negociações cruciais com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, em Genebra, na próxima sexta-feira (21).

Na quarta-feira, o secretário de Estado esteve em Kiev para mostrar seu apoio à Ucrânia e instou o presidente russo, Vladimir Putin, a permanecer na “via diplomática e pacífica”.

Com dezenas de milhares de soldados russos na fronteira ucraniana, crescem os temores de um conflito aberto.

Moscou insiste que não quer invadir a Ucrânia e justifica o deslocamento de tropas pela suposta ameaça representada pela Otan. Antes das negociações, apresentou exigências, incluindo um veto à adesão da Ucrânia à aliança militar transatlântica.

Sem promessas escritas

Washington rejeitou os pedidos, e o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse esta semana que “não comprometerá seus princípios básicos, como o direito de cada nação escolher seu caminho”

Importantes reuniões entre as partes foram realizadas na semana passada em Genebra, Bruxelas e Viena, sem avanços.

Os aliados da Otan sinalizaram sua disposição de continuar conversando, mas Moscou está pedindo uma resposta por escrito às suas propostas, que também incluem a limitação das manobras ocidentais na antiga zona de influência soviética.

Em Kiev, Blinken disse que não daria uma resposta formal a Lavrov em suas negociações em Genebra na sexta e pediu ao Kremlin que dissipe a ameaça de uma invasão da Ucrânia.

A Ucrânia luta contra forças separatistas pró-russas no leste do país desde 2014, ano em que Moscou anexou a península da Crimeia. Mais de 13 mil pessoas morreram nesse conflito.

Neste contexto, Washington anunciou na quarta “uma provisão de 200 milhões de dólares em ajuda para segurança defensiva adicional” à Ucrânia, quantia que completa os 450 milhões de dólares já acordados.

As autoridades de Kiev solicitaram em várias ocasiões armas à Alemanha, mas Berlim até agora recusou.

Gasoduto alemão

Durante sua primeira visita à Ucrânia na segunda-feira, a nova ministra das Relações Exteriores, Annalena Baerbock, assegurou que a Alemanha “faria tudo para garantir a segurança da Ucrânia”, mas descartou o envio de armas.

Em Berlim, as discrepâncias entre os aliados ocidentais podem reaparecer sobre o polêmico gasoduto Nord Strem 2, que deve dobrar o fornecimento de gás natural da Rússia para a Alemanha, sem passar pela Ucrânia.

O chanceler Olaf Scholz alertou que as novas tensões com Moscou podem ter consequências para este gasoduto, que já está concluído, mas não entrou em serviço até a luz verde do regulador de energia alemão.

Continuar lendo JOE BIDEN AMEAÇOU UMA RESPOSTA “SEVERA” NO CASO DE ATAQUE RUSSO À UCRÂNIA

SEGUNDO LISTA MUNDIAL DA PERSEGUIÇÃO, AS NAÇÕES DA ÁSIA E DA ÁFRICA SÃO AS QUE MAIS PERSEGUEM CRISTÃOS

Cristãos da África e Ásia são os mais perseguidos, mostra lista mundial

Segundo a organização Portas Abertas, o Afeganistão, após tomada de poder do grupo Talibã, é a nação mais perigosa do planeta

INTERNACIONAL

 Do R7

ATUALIZADO EM 20/01/2022 – 11H47

Talibãs perseguem quem não segue religião islâmicaTalibãs perseguem quem não segue religião islâmicaALI KHARA/REUTERS – 14.11.2021

A organização mundial Portas Abertas, que apoia cristãos em mais de 60 países, divulgou nesta semana a Lista Mundial da Perseguição 2022. O levantamento mostra que o Afetanistão é atualmente o local mais perigoso do mundo.

O Afeganistão era até o ano passado o segundo da lista, mas alcançou a primeira posição com a tomada do território pelo grupo islâmico Talibã, em agosto de 2021.

De acordo com a lista, as nações da Ásia e da África são as que mais perseguem cristãos.

No ranking de 50 países, além de Afeganistão, com 98 pontos em 100 possíveis, estão Coreia do Norte, na segunda posição, Somália, Líbia e Iêmen. O Brasil não aparece na relação.

O Portas Abertas estima que há entre 50 mil e 70 mil cristãos em prisões ou campos de trabalho forçado na Coreia do Norte.

Os países asiáticos são a maioria no ranking de 50 posições, com 29 representantes, depois vêm os africanos, com 18. Da América Latina, são três países.

Segundo o Portas Abertas, a perseguição aumentou em 23 países: 13 deles ficam na Ásia, nove na África e um na América Latina e “a hostilidade por causa da fé em Jesus caiu em 18 nações: 11 são asiáticas, seis africanas e uma latino-americana”.

O número de cristãos perseguidos no mundo, segundo a organização, supera atualmente 360 milhões de pessoas e cresceu mais de 30% em relação a 2020. Na pesquisa realizada em 2013, eram pouco mais de 100 milhões.

Continuar lendo SEGUNDO LISTA MUNDIAL DA PERSEGUIÇÃO, AS NAÇÕES DA ÁSIA E DA ÁFRICA SÃO AS QUE MAIS PERSEGUEM CRISTÃOS

ESPECIALISTAS DIZEM QUE EM DUAS DÉCADAS DE CHAVISMO NO PODER CRISE AMBIENTAL SE INSTALOU NA VENEZUELA

Venezuela: era chavista causou crise ambiental, dizem especialistas

Nicolás Maduro promoveu a exploração dos grandes recursos naturais do território para financiar os custos do país

Nicolás Maduro, o atual presidente da Venezuela

RAYNER PEÑA R./EFE

Em duas décadas de chavismo no poder — primeiro com Hugo Chávez e depois com Nicolás Maduro —, uma crise ambiental se instalou na Venezuela, segundo especialistas. Isso, apesar do fato de que o país, que conta com as maiores reservas de petróleo do mundo, produz muito menos petróleo atualmente. As informações são do portal Infobae.

De acordo com Cristina Burelli, fundadora do SOS Orinoco, grupo que busca proteger a Amazônia, em entrevista ao jornal americano Financial Times, houve na Venezuela, ao longo desse período, “um sistema de desmantelamento das instituições ambientais”.

Outro especialista, Francisco Dallmier, diretor do Centro de Conservação e Sustentabilidade do Instituto de Biologia e Conservação do Smithsonian, em Washington, descreveu o que está acontecendo no país como um “ecocídio”.

Um dos principais problemas ambientais que assolam a Venezuela é que, à medida que a economia implodiu e as receitas do petróleo dimunuíram significativamente, o regime de Maduro buscou outras vias de financiamento, entre elas, a exploração dos grandes recursos naturais que o país detém.

O ditador promoveu a mineração em setores da Amazônia. Principalmente em ouro, mas também diamante, coltan, bauxita, minério de ferro e cobre. Além disso, enquanto a deterioração da infraestrutura petrolífera avança, derramamentos e manchas de óleo estão se tornando mais comuns.

“Temos um dos lugares mais ricos do planeta, alguns recursos naturais fantásticos, temos todo um sistema de áreas protegidas que foi criado para proteger esses recursos, e agora temos o início de uma onda de destruição, e não há indicação de que as coisas vão mudar”, afirmou Dallmier.

Desde que Chávez chegou ao poder, em 1999, cerca de 3.800 km² de cobertura arbórea foram destruídos na Amazônia venezuelana. Ambientalistas locais afirmam que o ritmo está se acelerando e que a mineração representa uma ameaça crescente à biodiversidade do país.

A Rede de Informações Socioambientais Georreferenciadas da Amazônia (RAISG) diz que nas últimas duas décadas a quantidade de terras usadas para mineração ao sul do rio Orinoco triplicou. Em 2016, Maduro estabeleceu um arco de mineração, que vai desde a fronteira da Venezuela com a Colômbia até a fronteira oriental com Guyana, abrangendo 12% do território nacional.

O regime chavista garante que a mineração é bem regulamentada. Mas inúmeros relatórios e ativistas ambientais denunciam que gangues criminosas e guerrilhas colombianas — abrigadas e protegidas pela ditadura — lutam pelo controle dos recursos explorados e saqueados ilegalmente. Grupos ambientalistas advertem, inclusive, que a mineração não se limita apenas ao arco, mas se alastra por parques nacionais, como o de Canaima, declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Outra preocupação para grupos ambientalistas é a ameaça do mercúrio usado na mineração de ouro lixiviar na água. A SOS Orinoco estima que até 70% do curso do Caroní — o segundo maior rio da Venezuela e com quase 1.000 km de extensão — possa “estar em risco de contaminação devido ao uso de mercúrio nas operações de extração de ouro”.

Testes realizados pela ONG entre a comunidade indígena Pemón, que se distribui pelo sudeste do estado venezuelano de Bolívar, determinaram que, na maioria dos casos, os níveis de mercúrio “excederam o limite estabelecido pela Organização Mundial da Saúde” como seguro para consumo humano. “As maiores concentrações foram evidenciadas em amostras de menores de 18 anos que não trabalham nas minas.”

Vale ressaltar ainda que a ditadura chavista não só aumentou a exploração dos recursos naturais, mas também a exploração dos trabalhadores nas comunidades mineiras. Um guia turístico do povo Pemón, revelou ao Financial Times, sob condição de anonimato para evitar represálias, as condições de trabalho a que esses trabalhadores estão submetidos nas minas de ouro.

Ele relatou que trabalha em uma equipe de seis pessoas (cinco mineiros e um cozinheiro) e que o grupo recebe 40% dos lucros de todo o ouro encontrado. O resto vai para os donos das minas.

“Eles pagam em ouro. Você pode trocá-lo por dinheiro na hora, mas com uma taxa de câmbio muito ruim (…) Se não, você pode levá-lo para Puerto Ordaz [uma cidade ao norte de Canaima] e mandar derretê-lo e transformá-lo em um pequeno lingote . Então você pode vendê-lo por mais”, afirmou.

“Eles nos observavam atentamente o tempo todo (…) Os proprietários disseram a um mineiro: ‘Eu vou te pagar mais se você vigiar os outros e garantir que eles não roubem’. Mas eles nos contaram tudo. Fomos colocados uns contra os outros”, completou.

Na última cúpula contra as mudanças climáticas, realizada no ano passado em Glasgow, grande parte da comunidade internacional se comprometeu a deter e reverter o desmatamento até 2030. Das nações amazônicas, Brasil, Colômbia, Peru, Equador, Guiana e Suriname assinaram o compromisso. A Venezuela, por outro lado, não.

Continuar lendo ESPECIALISTAS DIZEM QUE EM DUAS DÉCADAS DE CHAVISMO NO PODER CRISE AMBIENTAL SE INSTALOU NA VENEZUELA

DEPUTADA MALTESA FOI ELEITA PRESIDENTE DO PARLAMENTO EUROPEU COM MAIORIA DOS VOTOS

Deputada maltesa é eleita presidente do Parlamento Europeu

Conservadora maltesa Roberta Metsola obteve maioria na primeira rodada de votação e sucederá ao italiano David Sassoli

Roberta Metsola dirige-se ao Parlamento Europeu durante uma sessão plenária

PATRICK HERTZOG/APF – 18.01.2022

A deputada conservadora maltesa Roberta Metsola foi eleita presidente do Parlamento Europeu, nesta terça-feira (18), ao obter maioria na primeira rodada de votação, e sucederá ao italiano David Sassoli.

Metsola obteve 458 votos e sucederá ao italiano David Sassoli, falecido em 11 de janeiro. Na disputa pela presidência, a conservadora venceu a sueca Alice Bah Kuhnke, candidata do bloco verde, com 101 votos, e a espanhola Sira Rego, da esquerda, com 57 votos.

A candidatura de Metsola recebeu o apoio do maior bloco político do Parlamento Europeu, o Partido Popular Europeu (PPE, à direita).

Desta forma, Metsola tornou-se a terceira mulher a presidir o Parlamento Europeu, depois das francesas Simone Veil (1979 a 1982) e Nicole Fontaine (1999 a 2002).

Em seu primeiro discurso como presidente do Parlamento, Metsola prestou homenagem a Veil e Fontaine, expressando sua esperança de que “não demore mais 20 anos” para que outra mulher alcance essa posição.

Posição questionada

A pessoa escolhida para presidir o Parlamento “precisa ser uma pessoa que constrói consenso, que ouve, que pode unir diferenças”, disse Metsola, no discurso de apresentação de sua candidatura.

Deputada desde 2013 e vice-presidente do Parlamento desde 2020, Metsola, que completa 43 anos nesta terça-feira (18), ganhou recentemente visibilidade ao substituir temporariamente Sassoli, que esteve afastado da Câmara por doença durante várias semanas.

Mas ela também atraiu críticas de alguns de seus colegas, em particular por suas convicções antiaborto, uma visão amplamente difundida em Malta, o último país da União Europeia (UE) onde o aborto permanece completamente ilegal.

Consciente das reservas que levantou sobre esta questão, Metsola havia antecipado que seu dever como chefe do Parlamento “será representar a posição do Parlamento”, inclusive sobre direitos sexuais e reprodutivos.

Acordos e desacordos

Segundo a tradição, quase sempre houve uma alternância entre a esquerda e a direita para as eleições intercalares para o Parlamento Europeu.

Metsola foi inicialmente beneficiada pelo acordo alcançado entre as três principais forças políticas EPP, S&D (social-democratas) e Renew Europe (centristas e liberais).

Esses grupos concordaram em 2019 em apoiar a candidatura do social-democrata Sassoli e que um candidato do PPE assumisse o cargo na segunda metade da legislatura.

Mas devido aos seus recentes sucessos eleitorais, particularmente na Alemanha, os social-democratas revisaram sua posição sobre esse entendimento.

A líder do grupo dos social-democratas, a espanhola Iratxe García, destacou que queria defender um candidato “de acordo com prioridades e valores”.

Os três grupos finalmente chegaram a um novo acordo na última segunda-feira, em torno de uma declaração política que menciona várias prioridades, incluindo a luta contra a violência contra as mulheres e pela igualdade de gênero.

O documento também menciona a tributação europeia e o local de implementação de uma diretiva de salário mínimo.

O acordo ainda atribui 5 lugares de deputados parlamentares ao grupo dos social-democratas, bem como alguns presidentes de comissões.

Continuar lendo DEPUTADA MALTESA FOI ELEITA PRESIDENTE DO PARLAMENTO EUROPEU COM MAIORIA DOS VOTOS

TAXA DE NATALIDADE DA CHINA CAIU PARA UM MÍNIMO RECORDE EM 2021

Número de nascimentos na China em 2021 é o menor em 44 anos

Taxa de natalidade no país mais populoso do mundo caiu para 7,52 por mil pessoas, segundo dados do National Statistics Office (ONE)

Autoridades estenderam em 2021 a política para permitir que os casais tenham três filhos

PIXABAY

A taxa de natalidade da China caiu para um mínimo recorde em 2021, com analistas alertando para um envelhecimento mais rápido do que o esperado, de acordo com dados oficiais divulgados nesta segunda-feira(17).

A taxa de natalidade no país mais populoso do mundo caiu para 7,52 nascimentos por mil pessoas, revelaram dados do National Statistics Office (ONE), abaixo dos 8,52 por mil em 2020, e o menor desde o início dos registros comparativos em 1978.

É também o nível mais baixo desde a fundação da China comunista em 1949. Pequim está enfrentando uma possível crise demográfica em meio ao envelhecimento da população, desaceleração econômica e o menor crescimento populacional em décadas.

O governo afrouxou a política de um filho por família em 2016, permitindo que os casais tenham dois filhos, mas essa mudança não provocou um baby boom.

No ano passado, as autoridades estenderam a política para permitir que os casais tenham três filhos. Em 2021, o país registrou 10,62 milhões de nascimentos, segundo dados oficiais.

A taxa de crescimento natural da população caiu para 0,34 por mil habitantes, ante o valor anterior de 1,45 por mil.

“O desafio demográfico é bem conhecido, mas a velocidade do envelhecimento da população é mais rápida do que o esperado”, disse Zhiwei Zhang, economista-chefe da Pinpoint Asset Management.

Continuar lendo TAXA DE NATALIDADE DA CHINA CAIU PARA UM MÍNIMO RECORDE EM 2021

MAIOR DIAMANTE NEGRO LAPIDADO DO MUNDO FOI COLOCADO EM EXIBIÇÃO PÚBLICA PELA PRIMEIRA VEZ EM DUBAI

Maior diamante negro lapidado do mundo é exibido em Dubai

Formado pelo impacto de um meteorito há mais de 2,6 bilhões de anos, o “Enigma” será leiloado nos EUA em fevereiro

INTERNACIONAL

 por AFP

O diamante apelidado de "Enigma" tem 555,55 quilates e 55 faces

GIUSEPE CACACE / AFP – 17.1.2022

O maior diamante negro lapidado do mundo foi colocado em exibição pública pela primeira vez em Dubai nesta segunda-feira(17), antes de seu próximo leilão, que deve alcançar um preço de US$ 5 milhões (cerca de R$ 27,6 milhões).

Especula-se que o “Enigma”, como o raro diamante de carbono foi apelidado, foi formado por um impacto de meteorito há mais de 2,6 bilhões de anos, de acordo com a especialista em joias da casa de leilões Sotheby’s, Sophie Stevens.

Uma das pedras mais difíceis de lapidar devido à sua resistência (é composta por inúmeros pequenos diamantes, grafite e carbono), este diamante de 555,55 quilates e 55 faces não foi mostrado por seu proprietário anônimo nos últimos 20 anos.

Seu formato foi inspirado no símbolo de poder e proteção do Oriente Médio, o Jamsa, em forma de mão, também ligado ao número cinco.

“É muito diferente!”, disse Stevens sobre essa joia, registrada no livro Guinness como o maior diamante lapidado do mundo.

Depois de ser exibido em Dubai, o “Enigma” viajará para Los Angeles e Londres, para ser leiloado online por sete dias a partir de 3 de fevereiro.

Fonte: R7

Continuar lendo MAIOR DIAMANTE NEGRO LAPIDADO DO MUNDO FOI COLOCADO EM EXIBIÇÃO PÚBLICA PELA PRIMEIRA VEZ EM DUBAI

SEGUNDO ESTAÇÃO DE MONITORAMENTO, OUTRA GRANDE ERUPÇÃO FOI DETECTADA NO VULCÃO DE TONGA

Nova ‘grande erupção’ é detectada no vulcão de Tonga

Serviços de geologia detectam mais atividade em vulcão que havia explodido no sábado, causando alerta de tsunami no Pacífico

Imagem de satélite mostra explosão de fumaça sobre o vulcão Hunga Tonga-Hunga Ha'apai

NATIONAL INSTITUTE OF INFORMATION AND COMMUNICATIONS TECHNOLOGY (NICT) / DIVULGAÇÃO VIA REUTERS – 16.1.2022

Outra “grande erupção” foi detectada no vulcão de Tonga, disse uma estação de monitoramento baseada em Darwin nesta segunda-feira (domingo, 16, no horário de Brasília), dois dias depois que uma primeira erupção desencadeou ondas de tsunami ao redor do Pacífico.

A última erupção foi detectada às 22h10 GMT (19h10 em Brasília) de domingo, de acordo com um alerta do Centro Consultivo de Cinzas Vulcânicas de Darwin.

O Centro de Alerta de Tsunami do Pacífico também afirmou ter detectado grandes ondas na área: “Isso pode ser de outra explosão do vulcão de Tonga. Não há terremotos conhecidos de tamanho significativo para gerar essa onda”.

Fonte: R7

Continuar lendo SEGUNDO ESTAÇÃO DE MONITORAMENTO, OUTRA GRANDE ERUPÇÃO FOI DETECTADA NO VULCÃO DE TONGA

PARLAMENTO FRANCÊS APROVOU DEFINITIVAMENTE PROJETO DE LEI QUE SUBSTITUI PASSAPORTE SANITÁRIO POR PASSE DE VACINAÇÃO

Parlamento francês aprova projeto de lei do passaporte de vacinação

Nova norma impedirá que não imunizados acessem espaços públicos como restaurantes, cinemas e trens

Projeto foi aprovado com 215 votos a favor, 58 contra e 7 abstenções

THOMAS COEX/AFP – 16.1.2022

Após semanas de debate, o Parlamento francês aprovou definitivamente neste domingo (16) o polêmico projeto de lei que substitui o atual passaporte sanitário por um passe de vacinação válido para maiores de 16 anos.

O texto foi aprovado com 215 votos a favor, 58 contra e 7 abstenções. Os deputados socialistas (oposição) pretendem encaminhar a questão ao Conselho Constitucional para que sejam respeitadas as “liberdades fundamentais”, o que atrasará por alguns dias a promulgação do projeto.

O governo quer que o texto entre em vigor o mais rápido possível, devido ao aumento de casos provocado pela variante Ômicron do novo coronavírus. Com uma média de 300 mil infecções diárias na última semana, o Executivo espera iniciar a exigência do passe de vacinação por volta de 20 de janeiro.

O passaporte vai impedir que os não vacinados tenham acesso a vários espaços, como trens, restaurantes e cinemas. Será preciso ter o esquema de imunização completo, exceto para acessar serviços de saúde.

Por sua vez, o passe atual incluía a possibilidade de a pessoa apresentar teste negativo para Covid-19 ou comprovar ter superado recentemente a doença. O novo documento será exigido aos maiores de 16 anos, enquanto aos menores entre 12 e 15 anos continuará a ser solicitado o atual passaporte sanitário.

A implantação do passe de vacinação estava prevista para 15 de janeiro, mas foi atrasada devido às divergências dos deputados sobre as versões da norma. Também contribuíram para isso as declarações do presidente Emmanuel Macron no início de janeiro, que disse que desejava “incomodar até o fim” os não vacinados.

Suas palavras desencadearam uma tormenta na classe política e contribuíram para suspender o debate parlamentar sobre o projeto de lei.

Continuar lendo PARLAMENTO FRANCÊS APROVOU DEFINITIVAMENTE PROJETO DE LEI QUE SUBSTITUI PASSAPORTE SANITÁRIO POR PASSE DE VACINAÇÃO

EX-SENADOR HAITIANO ACUSADO PELA MORTE DO PRESIDENTE DO PAÍS FOI PRESO NA JAMAICA

Ex-senador é preso na Jamaica por assassinato do presidente do Haiti

O haitiano John Joel Joseph é um dos principais suspeitos da morte de Jovenel Moise, em julho de 2021

Jovenel Moise foi assassinado dentro da residência oficial

VALERIE BAERISWYL / AFP – 23.7.2021

O ex-senador haitiano John Joel Joseph, procurado pelas autoridades do Haiti na investigação do assassinato do presidente Jovenel Moise, em julho do ano passado, foi preso na Jamaica, informou neste sábado (15) uma fonte da polícia local.

Joseph foi detido na noite de sexta-feira (14) e está atualmente preso em instalações da polícia, disse o informante, sem dar mais detalhes sobre os procedimentos. Ele explicou apenas que as forças de segurança jamaicanas estavam atuando em coordenação com “parceiros internacionais” e que havia “investigações conjuntas”.

O presidente haitiano foi assassinado em julho, mas, apesar da prisão de vários suspeitos, ainda há muitas incertezas em torno do crime. Já no mesmo mês, as autoridades do país publicaram um cartaz de busca por John Joel Joseph, descrito como um indivíduo “perigoso e armado”.

No início deste mês, um ex-soldado colombiano foi acusado nos Estados Unidos de fazer parte do grupo de 20 homens que matou Jovenel Moise e feriu gravemente sua esposa em sua residência presidencial, em Porto Príncipe, em 7 de julho de 2021.

Mais de 40 pessoas, entre elas 15 colombianos e americanos de origem haitiana, já foram detidas em conexão com a investigação.

Fonte: R7

Continuar lendo EX-SENADOR HAITIANO ACUSADO PELA MORTE DO PRESIDENTE DO PAÍS FOI PRESO NA JAMAICA

CANDIDATURA DE EX-MINISTRA DA JUSTIÇA DA FRANÇA À PRESIDÊNCIA DO PAÍS É OFICIALMENTE ANUNCIADA

Ex-ministra da Justiça da França anuncia candidatura à Presidência

Buscando unificar esquerda contra Emmanuel Macron, Christiane Taubira quer se tornar primeira mulher e negra presidente

Christiane Taubira anunciou candidatura à Presidência da França

Christiane Taubira anunciou candidatura à Presidência da França | Foto:
Reprodução/Flickr

A ex-ministra da Justiça da França Christiane Taubira anunciou oficialmente neste sábado, 15, que é candidata à Presidência do país nas eleições de abril. Ela pretende unificar a esquerda francesa para enfrentar o atual mandatário do país, Emmanuel Macron.

A confirmação da candidatura foi feita em Lyon. Caso seja eleita, Christiane seria a primeira mulher e primeira pessoa negra a governar a França.

A agora candidata ao Palácio do Eliseu, de 69 anos, foi ministra da Justiça no governo do socialista François Hollande (2012-2017). Em 2002, ela concorreu na eleição presidencial e obteve pouco mais de 2% dos votos.

Em seu discurso ao lançar a candidatura, Christiane afirmou que deseja responder à “raiva” e às “injustiças sociais” que atingem o país. Ela defendeu um governo “que saiba dialogar, em vez de dar lição de moral”. “Faremos isso juntos. Nós somos capazes”, disse a esquerdista.

A esquerda francesa tenta encontrar um nome único para disputar as eleições presidenciais deste ano, mas está dividida.

Neste momento, a cerca de três meses do pleito, o campo considerado “progressista” já conta com seis postulantes ao cargo — nenhum deles ultrapassa 10% das intenções de voto nas pesquisas.

Entre os candidatos de esquerda, já se apresentaram a prefeita de Paris, a socialista Anne Hidalgo; o líder do partido extremista França Insubmissa, Jean-Luc Mélenchon; e o ambientalista Yannick Jadot.

Macron, que deve se candidatar à reeleição, também deve ter como principais adversárias duas candidatas de direita: Marine Le Pen e Valérie Pécresse.

Apesar de ainda ser apontado como favorito na eleição, Macron vem perdendo apoio e tem recebido uma série de críticas, à esquerda e à direita. Seu governo é marcado por uma série de medidas restritivas em meio à pandemia de covid-19, o que gerou dezenas de protestos e manifestações em várias regiões do país nos últimos meses.

Fonte: R7

Continuar lendo CANDIDATURA DE EX-MINISTRA DA JUSTIÇA DA FRANÇA À PRESIDÊNCIA DO PAÍS É OFICIALMENTE ANUNCIADA

PEQUIM ADOTA ESTRATÉGIA PARA PROTEGER ECONOMIA CHINESA CONTRA RISCOS DE TENSÃO COM OS EUA

Em tensão com o mundo, China amplia produção e ‘cria’ estoque

A estratégia adotada por Pequim é para tentar proteger a economia chinesa

A estratégia adotada por Pequim é para tentar proteger a economia chinesa contra o risco de um longo período de tensão com os Estados Unidos

A estratégia adotada por Pequim é para tentar proteger a economia chinesa contra o risco de um longo período de tensão com os Estados Unidos | Foto: Reprodução/Mídias Sociais

A China está ampliando a produção interna e aumentando os estoques de itens considerados essenciais, para tornar o país menos dependente do resto do mundo.

A estratégia adotada por Pequim é para tentar proteger a economia chinesa contra o risco de um longo período de tensão com os Estados Unidos (EUA) e outros países.

A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma e o Ministério da Agricultura, definiram a “segurança” como prioridade para 2022.

As autoridades se comprometeram a garantir o fornecimento em geral, de grãos até energia e matérias-primas, assim, como a produção e distribuição de componentes industriais e commodities.

China reforçou a compra de grãos

Além de reforçar as compras de grãos nos últimos meses, a China também detalhou planos para reservar terras aráveis para o cultivo de soja, cultura que abandonara quase completamente em 2001.

Para 2022, as autoridades econômicas da China definiram alimentos básicos como soja e oleaginosas como prioridades.

Prioridade é dos fornecedores internos

A agenda econômica orientada para a segurança faz parte da estratégia do Partido Comunista Chinês de dar prioridade aos fornecedores e consumidores internos como motores da economia da China.

Assim, diminuiria a dependência de investimento estrangeiro e às exportações.

Tensões com grande parte do mundo

Essa virada para dentro parece ter se acelerado à medida que as relações da China com grande parte do mundo desenvolvido se tornam mais tensas.

Uma série de questões que vão da pandemia de covid-19 aos direitos humanos e a reivindicação de soberania de Pequim sobre Taiwan colocaram os EUA e muitos de seus aliados, como Austrália, Canadá e Japão, contra a China, que retaliou com a restrição às importações de alguns de seus produtos.
O veto ao carvão australiano, em especial, agravou a crise de energia em muitas partes da China no ano passado.

Cada vez mais assertiva e nacionalista, a China busca se tornar mais autossuficiente não só em tecnologia, mas também em bens essenciais, como alguns alimentos de primeira necessidade cujo fornecimento para o país depende de importações já faz tempo.

Com informações do jornal Valor Econômico

Fonte: R7

Continuar lendo PEQUIM ADOTA ESTRATÉGIA PARA PROTEGER ECONOMIA CHINESA CONTRA RISCOS DE TENSÃO COM OS EUA

GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO DO REINO UNIDO PEDIU DESCULPAS À RAINHA ELIZABETH POR FESTA DURANTE LOCKDOWN

Boris Johnson pede desculpas à rainha por festas durante lockdown

Desta vez, confraternização de funcionários teria ocorrido na véspera do funeral do príncipe Philip, em abril de 2021

Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson | Foto: Andrew Parsons/ Nº 10 Downing Street

Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson | Foto: Andrew Parsons/ Nº 10 Downing Street
O gabinete do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, pediu desculpas à rainha Elizabeth II nesta sexta-feira, 14, depois que vieram à tona novas informações sobre festas na residência oficial do premiê em Downing Street — desta vez, na véspera do funeral do príncipe Philip, marido da rainha, morto em abril de 2021, aos 99 anos.

Naquele momento, além do luto nacional, o Reino Unido enfrentava sérias restrições em meio ao lockdown decretado para conter o avanço do novo coronavírus.

“É profundamente lamentável que isso tenha acontecido em um momento de luto nacional e o nº10 de Downing Street pediu desculpas ao Palácio”, informou o porta-voz de Johnson em pronunciamento à imprensa.

As novas revelações sobre a festa realizada na residência oficial em 16 de abril de 2021 — um dia antes do funeral de Philip — foram publicadas pelo jornal The Daily Telegraph e caíram como uma bomba sobre o governo britânico, que já vem enfrentando uma série de críticas por outras celebrações consideradas impróprias durante a pandemia de covid-19.

Ainda de acordo com o porta-voz, Johnson estava em sua residência de campo em Chequers naquele dia e não foi convidado para nenhuma confraternização.

Segundo a publicação, funcionários do gabinete de Johnson foram a um supermercado próximo e compraram bebidas alcoólicas.

Depois de comparecer ao Parlamento britânico para prestar esclarecimentos e se desculpar publicamente, Johnson começou a ter seu futuro como primeiro-ministro questionado até mesmo por aliados do Partido Conservador.

“Infelizmente, a posição do primeiro-ministro se tornou insustentável”, afirmou Andrew Bridgen, ex-apoiador do premiê. “O momento é certo para que ele deixe o palco.”

Aos congressistas britânicos, na terça-feira 11, Johnson reconheceu o erro e pediu desculpas. “Eu quero me desculpar. Sei que milhões de pessoas neste país fizeram sacrifícios extraordinários nos últimos 18 meses”, afirmou, referindo-se a uma outra comemoração, no dia 20 de maio de 2020, revelada pelo jornal The Guardian.

O líder do Partido Trabalhista (de oposição), Keir Starmer, pediu a renúncia de Johnson.

Fonte: R7

Continuar lendo GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO DO REINO UNIDO PEDIU DESCULPAS À RAINHA ELIZABETH POR FESTA DURANTE LOCKDOWN

PREMIÊ BRITÂNICO TEM SUA ADMINISTRAÇÃO ABALADA POR ESCÂNDALOS NO CONFINAMENTO

Gabinete de Boris Johnson teve festa na véspera de funeral real

Jornal britânico revelou eventos com premiê, durante o confinamento e na véspera do funeral do príncipe Philip em 2021

INTERNACIONAL

 por AFP

Premiê britânico tem sua administração abalada por escândalos no confinamento

TOLGA AKMEN / AFP – 13.1.2022

Funcionários do gabinete do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, tomaram bebidas de despedida em homenagem a dois colegas durante o confinamento e na véspera do funeral do príncipe Philip, informou o The Telegraph nesta quinta-feira (13).

Assessores e funcionários se reuniram em dois eventos separados depois de trabalhar em 16 de abril de 2021 para dar adeus ao diretor de comunicação James Slack e a um fotógrafo pessoal do primeiro-ministro conservador, observou o jornal.

De acordo com testemunhos ao Telegraph, álcool foi consumido em abundância em ambos os eventos e alguns convidados dançaram até tarde da noite.

Johnson enfrenta pedidos de renúncia, inclusive de seu próprio partido, por supostas festas em Downing Street enquanto o Reino Unido estava sob confinamento rígido para conter a propagação do vírus.

Além disso, no caso revelado por este jornal conservador, os acontecimentos ocorreram em meio ao luto nacional pela morte do marido da rainha Elizabeth 2ª, o príncipe Philip, cujo funeral foi realizado no dia seguinte e foi marcado por medidas sanitárias.

A cerimônia deixou a imagem marcante da monarca solitária nos bancos da igreja para cumprir as medidas de distanciamento social impostas pela pandemia.

Continuar lendo PREMIÊ BRITÂNICO TEM SUA ADMINISTRAÇÃO ABALADA POR ESCÂNDALOS NO CONFINAMENTO

CONTIGENTE LIDERADO PELA RÚSSIA INICIOU SUA RETIRADA DO CAZAQUISTÃO

Forças lideradas pela Rússia iniciam retirada do Cazaquistão

Contingente militar foi enviado após os violentos protestos que deixaram dezenas de mortos e centenas de feridos no país

Soldados russos participam de uma cerimônia que marca o fim da missão em Almaty

ALEXANDR BOGDANOV/AFP – 13.01.2022

O contingente militar liderado pela Rússia iniciou, nesta quinta-feira (13), sua retirada do Cazaquistão, para onde havia sido enviado após os violentos distúrbios na ex-república soviética da Ásia Central.

Uma cerimônia solene de partida reunindo os soldados da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC) – uma aliança militar liderada por Moscou – ocorreu pela manhã em Almaty, a principal cidade do Cazaquistão, segundo jornalistas da AFP.

“A operação de manutenção da paz acabou (…), as tarefas foram cumpridas”, declarou o general russo Andrei Serdiukov, comandante do contingente composto por 2.030 soldados russos, bielorrussos, armênios, tadjiques e quirguizes.

Esses homens foram enviados para a ex-república soviética em 6 de janeiro e devem concluir sua partida até 22 de janeiro, segundo o CSTO e as autoridades cazaques.

De acordo com o Ministério russo da Defesa, os militares começaram “a preparar o equipamento militar e técnico para ser carregado em aeronaves da Força Aérea russa para retornar à sua base permanente”.

Eles também começaram a entregar às forças de segurança do Cazaquistão as infraestruturas e os prédios que guardavam há vários dias.

Além disso, o aeroporto de Almaty, fechado desde a semana passada após ser saqueado, recebeu seu primeiro voo civil nesta quinta-feira.

O Cazaquistão foi abalado na semana passada por uma violência nunca vista desde sua independência em 1991. Os acontecimentos deixaram dezenas de mortos e centenas de feridos, motivaram a mobilização do contingente militar e levaram à prisão de pelo menos 12 mil pessoas.

Luta pelo poder

Os episódios de violência mais graves ocorreram em Almaty – com trocas de tiros, saques de lojas e o incêndio da prefeitura e da residência presidencial.

Até então, o Cazaquistão se orgulhava de sua estabilidade. Os distúrbios foram qualificados como uma agressão “terrorista” estrangeira pelo presidente Kassym-Jomart Tokaiev, que, no entanto, não forneceu provas concretas nesse sentido. Foi com base nessa afirmação, que pediu o apoio dos soldados estrangeiros.

A violência, porém, eclodiu após manifestações em 2 de janeiro contra o aumento dos preços dos combustíveis, tendo como pano de fundo anos de declínio nos padrões de vida e corrupção endêmica entre as elites do país.

A versão dos fatos apresentada pelas autoridades cazaques recebeu o apoio do presidente russo, Vladimir Putin, e de outros países da região.

As autoridades ainda não publicaram um balanço preciso desses eventos, enquanto manifestantes e policiais entraram em confronto com armas automáticas, sugerindo um número muito alto de vítimas.

No âmbito desses confrontos, o presidente do Cazaquistão também lançou uma ofensiva contra seu poderoso antecessor Nursultan Nazarbayev, bem como seus aliados e membros de sua família que controlam setores inteiros da economia e continuam muito influentes nos mistérios do regime.

Assim, acusou seu padrinho político de ter favorecido o surgimento de uma “casta rica”, uma crítica inédita a quem detém o título honorário de “Chefe da Nação”.

O presidente cazaque, que passou toda a sua carreira à sombra de seu mentor, também anunciou que a elite rica terá que fornecer um fundo destinado a “pagar um tributo” à população cazaque.

Um dos aliados de Nazarbayev, Karim Massimov, também foi preso no sábado por alta traição após ser demitido como chefe do serviço secreto.

Fonte: R7

Continuar lendo CONTIGENTE LIDERADO PELA RÚSSIA INICIOU SUA RETIRADA DO CAZAQUISTÃO

NORTE-COREANOS VINCULADOS AO PROGRAMA DE MÍSSEIS SOFRERAM SANÇÕES FINACEIRAS DOS EUA

EUA punem cinco norte-coreanos após lançamento de mísseis

Departamento do Tesouro americano impôs sanções financeiras a pessoas acusadas de adquirir tecnologia para foguetes balísticos

Os Estados Unidos impuseram nesta quarta-feira (12) sanções financeiras a cinco norte-coreanos vinculados ao programa de mísseis balísticos do país, um dia depois que Pyongyang anunciou o lançamento de um míssil hipersônico.

O Departamento do Tesouro disse que as cinco pessoas que sofreram sanções são “responsáveis por adquirir bens para os programas de armas de destruição em massa [da Coreia do Norte] e relacionados com mísseis balísticos”.

As medidas “apontam contra o uso contínuo de representantes no exterior para comprar ilegalmente bens para armas”, disse o subsecretário do Tesouro para Terrorismo e Inteligência financeira, Brian Nelson, em um comunicado.

“Os últimos lançamentos de mísseis da Coreia do Norte representam mais uma prova de que ela continua desenvolvendo seus programas proibidos, apesar dos apelos da comunidade internacional a favor da diplomacia e da desnuclearização”, afirmou Nelson.

Os jornais estatais da Coreia do Norte informaram nesta quarta-feira (12) que o líder do país, Kim Jong-un, supervisionou pessoalmente o teste bem-sucedido do míssil hipersônico, o segundo lançamento desse tipo por parte da nação com armas nucleares em menos de uma semana.

A agência estatal de notícias norte-coreana KCNA disse que o teste mais recente “confirmou ainda mais” a “excelente gestão da unidade de combate hipersônico”. Afirmou que alcançou com precisão um alvo a cerca de 1.000 quilômetros de distância.

O Departamento do Tesouro disse que as sanções foram impostas “após seis lançamentos de mísseis balísticos [da Coreia do Norte] desde setembro de 2021, dos quais cada um violou múltiplas resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas”.

“Os Estados Unidos seguem comprometidos em buscar o diálogo e a diplomacia com [a Coreia do Norte], mas continuarão abordando a ameaça representada pelos programas de armas ilegais [norte-coreanos] para os Estados Unidos e a comunidade internacional”, afirmou.

O governo americano de Joe Biden se ofereceu repetidamente para iniciar um diálogo sobre a nuclearização, mas sua oferta não recebeu resposta em um ano.

Um dos norte-coreanos punidos, Choe Myong Hyon, tem sua base na Rússia e está vinculado a uma instituição norte-coreana, a SANS, que já sofreu sanções pelo seu envolvimento no desenvolvimento de armas por parte da Coreia do Norte. Os outros quatro, Sim Kwang Sok, Kim Song Hun, Kang Chol Hak e Pyon Kwang Chol, vinculados a esta mesma instituição, têm sua sede na China.

Ao mesmo tempo, o Tesouro americano impôs sanções ao norte-coreano O Yong Ho, ao russo Roman Anatolievich Alar e à entidade russa Parsek por “atividades ou transações que contribuíram materialmente para a proliferação de armas de destruição em massa” por parte da Coreia do Norte.

As sanções do Tesouro proíbem qualquer transação por parte de cidadãos americanos com as pessoas designadas, e as empresas estrangeiras que se relacionem com elas também poderiam estar sujeitas a sanções.

Continuar lendo NORTE-COREANOS VINCULADOS AO PROGRAMA DE MÍSSEIS SOFRERAM SANÇÕES FINACEIRAS DOS EUA

CRIANÇAS DE 5 A 11 ANOS COMEÇARAM A SER VACINADAS NO URUGUAI

Uruguai dá início à vacinação para crianças de 5 a 11 anos

Pouco menos de 13 mil crianças receberam a primeira dose da vacina contra Covid-19 e ganharam sorvetes e livros

INTERNACIONAL 

 por Agência EFE

Menina ganha um sorvete após ser vacinada contra a Covid em um hospital de Montevidéu Menina ganha um sorvete após ser vacinada contra a Covid em um hospital de Montevidéu
ALEJANDRO PRIETO / EFE – 12.1.2022

Com um livro em uma mão e um sorvete na outra, dezenas de crianças deixam o centro de vacinação no Centro Hospitalar Pereira Rossell, em Montevidéu, onde cores e desenhos animam diante da temida vacina.

Das 12.700 crianças a serem vacinadas em todo o país nesta quarta-feira, o primeiro dia de vacinação para a faixa etária de cinco a 11 anos, 650 estão sendo vacinadas neste hospital, o principal centro de referência pediátrica do Uruguai.

Na área da recepção, um letreiro pintado em vermelho, azul, violeta, verde e amarelo foi feito para as crianças. Um pouco acima, duas telas exibem desenhos animados para as que estão na pequena sala de espera.

Alguns estavam nervosos, mas quase não houve lágrimas nos momentos antes da entrada dos pequenos nas diferentes estações designadas para receber a dose pediátrica correspondente da Pfizer.

“Não vai doer” ou “só demora um segundo” são algumas das frases que os vacinadores dizem para as crianças que, uma vez vacinadas, recebem um livro como prêmio.

E se a leitura não for recompensa suficiente, antes de voltar à sala de espera para aguardar 15 minutos por possíveis efeitos adversos, cada criança recebe um sorvete para se refrescar na atual onda de calor.

No exterior, entre decorações coloridas, cadeiras e redes de dormir, a música também acompanha o dia.

“As crianças vêm para serem vacinadas, mas também para brincar, para passar um tempo relaxando, e saem com um presente”, disse o vice-ministro da Saúde Pública, José Luis Satdjian, na inauguração da campanha de vacinação infantil no Uruguai.

Segundo os dados fornecidos pelo chefe da pasta, Daniel Salinas, também presente no evento, das 320.000 crianças dessa idade no Uruguai, 84.000 receberão a sua primeira dose entre esta semana e a próxima e mais 40.000 na semana seguinte nos mais de 170 centros de vacinação em todo o país.

Continuar lendo CRIANÇAS DE 5 A 11 ANOS COMEÇARAM A SER VACINADAS NO URUGUAI

SAIBA QUAIS OS LUGARES MAIS PERIGOSOS DO MUNDO PARA ENTRAR NO MAR

Ataques de tubarão: mapa mostra os lugares mais perigosos do mundo

Em 2021 foram registradas 81 ocorrências, duas delas no Brasil; nove pessoas morreram após ser feridas

INTERNACIONAL

 Letícia Sepúlveda, do R7

Tubarão em alto-mar

O portal Tracking Sharks elaborou um mapa que mostra os 81 ataques de tubarão registrados em 2021 e os lugares mais perigosos do mundo para entrar no mar.

A maioria dos casos aconteceu nos Estados Unidos, onde 42 pessoas foram atacadas. Apenas no estado da Flórida, houve 26 incidentes.

Segundo o site, entre todos os ataques registrados no ano passado, nove foram fatais. O trecho mais letal se encontra no estado de Nova Gales do Sul, na costa leste da Austrália. Cinco pessoas sofreram ataques na região, e duas delas não resistiram aos ferimentos.

Os surfistas de 15 e 59 anos foram mortos por tubarões-brancos, muito comuns na costa e responsáveis pela maior parte dos incidentes.

Em 2021, dois ataques aconteceram no Brasil, e um deles foi fatal. Um homem de 51 anos morreu após ser mordido na praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco. O outro incidente foi na praia da Cacimba do Padre, em Fernando de Noronha. A vítima teve a mão direita mordida e levou 32 pontos.

O portal Tracking Sharks afirma que conhecer o local pode evitar essas ocorrências. Os banhistas podem buscar mais informações com salva-vidas e moradores da região. Além disso, não é recomendado entrar na água sangrando e em horários de pouca luz.

Caso você sofra um ataque de tubarão, o site indica dobrar um dos braços em forma de V, apontando o cotovelo diretamente para o animal. Assim, será possível proteger suas artérias. Também é possível se proteger acertando o tubarão nos olhos e nas brânquias.

Continuar lendo SAIBA QUAIS OS LUGARES MAIS PERIGOSOS DO MUNDO PARA ENTRAR NO MAR

PRIMEIRO-MINISTRO BRITÂNICO VIU-SE EM APUROS EM RAZÃO DE MAIS UM ESCÂNDALO

Novo escândalo por festa durante confinamento atinge Boris Johnson

Convite para evento na residência oficial foi enviado a cerca de cem pessoas pelo secretário particular do primeiro-ministro

Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson

JUSTIN TALLIS/AFP

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, cuja popularidade cai constantemente, viu-se em apuros novamente nesta terça-feira (11), em razão de outro escândalo provocado por uma grande festa em pleno confinamento, realizada nos jardins de Downing Street, e que a polícia diz estar investigando.

Em maio de 2020 – quase dois meses depois de o Reino Unido declarar confinamento pelo coronavírus, que levou o próprio Johnson a ser hospitalizado em terapia intensiva em abril e deixou 67 milhões de britânicos sem interações sociais –, os negócios não essenciais estavam fechados, e as pessoas não podiam se locomover livremente.

Incrivelmente ocupado”, para “aproveitar o bom tempo”, tomando “algumas bebidas com distanciamento social em 20 de maio, em Downing Street”.

“Juntem-se a nós a partir das 18h e tragam suas próprias bebidas”, dizia a mensagem. Vazada para a imprensa, ela reacendeu um escândalo que o polêmico líder conservador esperava ter deixado para trás com o início do novo ano.

De acordo com vários meios de comunicação britânicos, a festa contou com a presença de Johnson e de sua mulher, Carrie. Em 29 de abril daquele ano, ela deu à luz Wilfred, o primeiro filho do casal, que agora já tem 2 anos.

Em um comunicado divulgado nesta segunda-feira (10), a polícia de Londres disse estar investigando o caso.

“O serviço da Polícia Metropolitana está ciente das informações em relação às supostas infrações dos regulamentos de proteção sanitária em Downing Street em 20 de maio de 2020, e está em contato com o gabinete” para tratar disso, anunciou.

Não é a primeira vez que o governo é acusado de contornar as restrições impostas aos britânicos.

A revelação de que até 50 funcionários de Downing Street realizaram uma festa de Natal em 18 de dezembro de 2020, e de que alguns fizeram brincadeira a respeito disso depois, levou a então porta-voz do primeiro-ministro, Allegra Stratton, a renunciar ao posto, enquanto 54% dos britânicos consideravam que Johnson também deveria deixar o cargo.

O grupo festeiro inclui deputados do Partido Conservador, ao qual o primeiro-ministro é filiado. Poucos dias depois, pelo menos cem de seus correligionários votaram contra o governo, em uma rebelião de magnitude sem precedentes, devido às novas restrições decididas para frear a propagação da variante Ômicron.

Para tentar resolver o assunto, Johnson encomendou uma investigação interna.

“Posso entender que as pessoas estejam chateadas e irritadas com essas acusações”, disse o secretário de Estado da Saúde, Ed Argar, à rede Sky News.

“É por isso que é correto que o primeiro-ministro tenha pedido que essa investigação independente seja concluída rapidamente: para determinar os fatos por trás dessas acusações”, acrescentou.

“Boris Johnson, seus desvios e distrações são absurdos”, tuitou o líder da oposição, o trabalhista Keir Starmer.

“Pare de mentir ao público britânico. É hora de confessar de uma vez”, exigiu.

Continuar lendo PRIMEIRO-MINISTRO BRITÂNICO VIU-SE EM APUROS EM RAZÃO DE MAIS UM ESCÂNDALO

SENADOR AMERICANO DEFENDE A IDEIA DE QUE OS EUA FORTALEÇAM COOPERAÇÃO EM DEFESA COM O BRASIL

Senador republicano pede maior cooperação em defesa com o Brasil

Marco Rubio acredita que o país deve aumentar esforços para combater a influência da China no continente

O senador americano cobrou que os EUA priorizem e busquem opções para fortalecer os laços com o Brasil

O senador americano cobrou que os EUA priorizem e busquem opções para fortalecer os laços com o Brasil | Foto: Reprodução/marcorubio.com

 

O senador americano Marco Rubio, do Partido Republicano, defende a ideia de que os Estados Unidos (EUA) fortaleçam a cooperação em defesa com o Brasil.

O republicano fez o pedido ao secretário de Defesa norte-americano, Lloyd Austin, em uma carta enviada na sexta-feira 7.

Rubio lembrou que o Brasil é um importante aliado dos EUA e parceiro na área de segurança com grandes capacidades, além de estar disposto a trabalhar “lado a lado” com o país para garantir “segurança e estabilidade” na região.

O senador americano cobrou que Austin priorize e busque opções para fortalecer os laços com o Brasil e apoiar “iniciativas que tornem a região mais segura da influência maligna do Partido Comunista Chinês”.

O congressista acusou Pequim de tentar aumentar sua influência no continente americano através de práticas como corrupção, extorsão com vacinas, ameaças ao meio ambiente e desafios à soberania, entre outras coisas.

Nascido em Cuba, o senador, que representa o Estado da Flórida, considerou como “um bom primeiro passo” a recente visita ao Brasil feita pela chefe do Comando Sul das Forças Armadas dos EUA, general Laura Richardson, para manter e expandir as relações bilaterais, mas acredita que mais pode ser feito.

Durante a viagem, que aconteceu em novembro, Richardson visitou o Comando Militar da Amazônia, em Manaus, e foi recebida em Brasília pelo ministro da Defesa, Walter Braga Netto, e outras autoridades do governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) e das Forças Armadas brasileiras.

Continuar lendo SENADOR AMERICANO DEFENDE A IDEIA DE QUE OS EUA FORTALEÇAM COOPERAÇÃO EM DEFESA COM O BRASIL

GOVERNO DA ITÁLIA CRIA PACOTE DE RESTRIÇÕES PARA DIFICULTAR VIDA DE NÃO VACINADOS CONTRA COVID-19

Restrições contra não vacinados entram em vigor na Itália

Sem o passaporte sanitário, pessoas não terão acesso nem mesmo a transporte público e mesas de restaurante ao ar livre

Policiais vistoriam transporte coletivo em Roma após início das restrições

FABIO FRUSTACI / EFE – EPA – 10.1.22

Entrou em vigor nesta segunda-feira (10) o pacote de restrições do governo da Itália para dificultar a vida das pessoas que ainda não se vacinaram contra a Covid-19.

As regras foram aprovadas no fim de dezembro, mas o gabinete do premiê Mario Draghi ainda deu cerca de duas semanas para que os antivax iniciassem o ciclo de imunização para não ser penalizados pelas restrições.

As novas diretrizes se baseiam na extensão da exigência do chamado “passe verde reforçado”, certificado sanitário concedido apenas a pessoas vacinadas ou que tenham se curado da Covid-19 há menos de seis meses.

Esse documento já era obrigatório em eventos esportivos, shows, casas noturnas e áreas cobertas de bares e restaurantes, mas, a partir desta segunda, também será cobrado em hotéis e estruturas receptivas, mesas de restaurantes ao ar livre, congressos, feiras, teleféricos, piscinas, cinemas e até transportes públicos.

Além disso, o passe verde reforçado virou obrigatório para participação em festas e cerimônias. Na prática, quem não tiver se vacinado contra a Covid ou não tiver se curado da doença há menos de seis meses ficará excluído da maior parte da vida social no país.

De acordo com o governo italiano, cerca de 5,4 milhões de pessoas com 12 anos ou mais ainda não tomaram a primeira dose da vacina, sendo aproximadamente 2,1 milhões na faixa a partir de 50 anos, para a qual a imunização se tornou obrigatória.

A Itália vive uma explosão nos casos devido à variante Ômicron e vem registrando seguidos recordes de contágios diários, embora as hospitalizações e mortes estejam crescendo em ritmo muito mais lento e apresentem números distantes de seus picos na pandemia.

O país contabiliza atualmente quase 2 milhões de casos ativos de Covid, porém cerca de 99% dessas pessoas estão em isolamento domiciliar e não precisaram de internação.

Continuar lendo GOVERNO DA ITÁLIA CRIA PACOTE DE RESTRIÇÕES PARA DIFICULTAR VIDA DE NÃO VACINADOS CONTRA COVID-19

A MÉDIA DAS TEMPERATURAS NA SIBÉRIA FICOU 10ºC ACIMA DA MÉDIA NO VERÃO PASSADO

Cidade da Sibéria registra maior temperatura do Ártico

Recorde aconteceu em Verkhoiansk, onde as temperaturas são medidas desde 1885

A média das temperaturas na região do Ártico da Sibéria ficou em 10ºC acima do normal durante grande parte do verão passado

A média das temperaturas na região do Ártico da Sibéria ficou em 10ºC acima do normal durante grande parte do verão passado | Foto: Reprodução/Flickr

A Organização das Nações Unidas (ONU) reconheceu oficialmente a temperatura de 38ºC registrada na Sibéria, em 2020, como a nova máxima para a região do Ártico. O calor intenso aconteceu em 20 de junho de 2020 na cidade russa de Verkhoiansk, o que significa a maior temperatura da história acima do círculo polar ártico, indicou a Organização Meteorológica Mundial (OMM).

Esta foi a primeira vez que a organização incluiu um recorde de calor no Ártico em seus relatórios sobre condições meteorológicas extremas. Verkhoiansk fica a 115 quilômetros ao norte do círculo polar ártico e possui registros das temperaturas desde 1885. O recorde foi registrado durante uma onda de calor excepcionalmente prolongada na Sibéria.

A média das temperaturas na região ártica da Sibéria ficou em 10ºC acima do normal durante grande parte do verão passado. “Essa investigação destaca o aumento das temperaturas em uma região muito importante do ponto de vista climático para o mundo”, disse um especialista da OMM. Segundo a ONU, esse recorde provoca um alerta no mundo sobre as mudanças climáticas.

Continuar lendo A MÉDIA DAS TEMPERATURAS NA SIBÉRIA FICOU 10ºC ACIMA DA MÉDIA NO VERÃO PASSADO

INSTALAÇÕES ESTRATÉGICA DO CAZAQUISTÃO ESTÃO SENDO PROTEGIDAS POR TROPAS LIDERADAS PELA RÚSSIA, APÓS ONDA DE PROTESTOS NO PAÍS

Cazaquistão promete eliminar ‘terroristas’ após onda de protestos

Autoridades afirmam que tropas da aliança militar liderada pela Rússia estão protegendo instalações estratégicas do país

INTERNACIONAL 

por Reuters

EM 09/01/2022 – 19H11

Ao menos 164 pessoas morreram durante protestos

ABDUAZIZ MADYAROV/AFP – 05.01.2022

As autoridades do Cazaquistão disseram, neste domingo (9), que a situação no país já está se estabilizando, após o período de maior agitação política em 30 anos de independência, e que tropas da aliança militar liderada pela Rússia estão protegendo instalações estratégicas da nação.

Oficiais de segurança afirmaram ao presidente Kassym-Jomart Tokayev que seguem as operações de “limpeza” no país, uma ex-república soviética da Ásia Central que faz fronteira com a Rússia e a China e tem na produção de petróleo seu carro-chefe.

Milhares de pessoas foram detidas e prédios públicos foram incendiados durante protestos em massa contra o governo na semana passada. Tokayev emitiu ordens de atirar para matar e assim acabar com os distúrbios, causados por “bandidos” e “terroristas”, segundo ele.o prévi

O canal de TV estatal Khabar 24 disse que 164 pessoas foram mortas, informaram as agências de notícias Tass e Sputnik. Mas o Ministério da Saúde não confirmou as informações, alegando ser assunto de polícia. Já as forças policiais disseram à Reuters que o ministério deve ser consultado.

A convite de Tokayev, a CSTO (Organização do Tratado de Segurança Coletiva), liderada pela Rússia, enviou tropas para restaurar a ordem, uma intervenção que ocorre em meio a um momento de alta tensão nas relações entre Rússia e EUA, às vésperas das negociações entre esses dois países a respeito da crise na Ucrânia.

“Uma série de instalações estratégicas agora estão sob proteção do contingente de manutenção da paz dos Estados-membros da CSTO”, disse o gabinete presidencial, detalhando o briefing de segurança emitido por Tokayev

Fonte: R7

Continuar lendo INSTALAÇÕES ESTRATÉGICA DO CAZAQUISTÃO ESTÃO SENDO PROTEGIDAS POR TROPAS LIDERADAS PELA RÚSSIA, APÓS ONDA DE PROTESTOS NO PAÍS

AUTORIDADES PECUÁRIAS DA TAILÂNDIA IRÃO INVESTIGAR SOBRE PESTE SUÍNA NO PAÍS

Morte de porco doméstico motiva apuração sobre peste na Tailândia

Teste de laboratório revela que o animal de estimação morreu de peste suína africana, primeiro relato registrado no país

:

As autoridades pecuárias da Tailândia prometeram investigar a morte de um porco de estimação depois que um teste de laboratório em uma universidade revelou que ele morreu de peste suína africana, o primeiro relato desse tipo no país.

A Tailândia insiste há anos que seus rebanhos suínos não foram afetados pela peste suína africana, que nos últimos anos varreu a Europa e a Ásia e matou centenas de milhões de porcos, especialmente na China, mesmo com seus vizinhos do sudeste asiático relatando surtos.

Um porco de estimação em miniatura em Bangcoc foi encontrado morto da doença depois de ter sido trazido por seu proprietário para um teste de laboratório realizado no início de dezembro na Universidade de Kasetsart, informou Nattavut Ratanavanichrojn, reitor associado da Faculdade de Medicina Veterinária da universidade na província de Nakhon Pathom, a oeste de Bangcoc.

“A peste suína africana foi encontrada na Tailândia, porque nós a encontramos”, disse Nattavut à Reuters na noite de sexta-feira, acrescentando que a universidade havia enviado o resultado da autópsia do porco ao Departamento de Desenvolvimento Pecuário da Tailândia no mês passado.

Ele acrescentou que o proprietário tinha dois outros porcos em miniatura na mesma casa que também morreram mais tarde. A descoberta da universidade segue a crescente especulação de que um surto de peste suína africana já está dizimando os rebanhos suínos tailandeses, com os preços dos suínos subindo devido à oferta mais baixa neste ano.

Continuar lendo AUTORIDADES PECUÁRIAS DA TAILÂNDIA IRÃO INVESTIGAR SOBRE PESTE SUÍNA NO PAÍS

NA SUÉCIA HOMEM DE 71 FOI SOCORRIDO POR DRONE APÓS PARADA CARDÍACA

Suécia: drone ajuda a salvar vida de homem com parada cardíaca

Equipamento levou um desfibrilador para o paciente de 71 anos antes da chegada de uma ambulância

INTERNACIONAL 

Do R7

Drone oferece assistência para emergências médicas

REPRODUÇÃO/EVERDRONE

Um homem de 71 anos foi socorrido por um drone após ter uma parada cardíaca em Trollhättan, na Suécia. Os serviços de emergência do país começaram a usar o equipamento para ajudar os pacientes antes da chegada de uma ambulância ao local da emergência.

O drone cumpriu seu propósito de entrega de primeiros socorros em 9 de dezmbro de 2021. O equipamento pode ser muito útil para ajudar a salvar vidas em lugares menos acessíveis.

Em Trollhättan, o idoso foi socorrido primeiramente por um médico chamado Mustafa Ali, que estava dirigindo para o trabalho quando viu o paciente desmaiado. Ao verificar que o homem não tinha batimento cardíaco, o médico aplicou a técnica de Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP).

Ali ecorreu ao serviço de emergência e, ao receber a ajuda, percebeu a mudança no atendimento: “poucos minutos depois, vi algo voando acima da minha cabeça. Era um drone com desfibrilador!”, relembrou, segundo a Everdrone, empresa que fornece os drones que ajudam em emergências médicas.

Desfibrilador, equipamento usado para retomar ritmo do coração

Desfibrilador, equipamento usado para retomar ritmo do coração

A Everdone aponta que esta foi a primeira vez que um drone ajudou a salvar a vida de um paciente que teve uma parada cardíaca súbita.

“Não consigo colocar em palavras o quanto sou grato a esta nova tecnologia e a entrega rápida do desfibrilador. Senão fosse pelo drone eu provavelmente não estaria aqui”, disse o paciente que se recuperou totalmente.

O serviço de drones pode atualmente ajudar 200 mil residentes na Suécia e deve se expandir para mais locais na Europa durante este ano.

Continuar lendo NA SUÉCIA HOMEM DE 71 FOI SOCORRIDO POR DRONE APÓS PARADA CARDÍACA

GOVERNO DOS EUA ANUNCIOU ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA DE R$ 750 MIL PARA AJUDAR FAMÍLIAS NA BAHIA

Governo dos EUA doa R$ 750 mil para ajudar famílias da Bahia

Recursos devem ser utilizados na compra de produtos de limpeza, higiene e cozinha para as pessoas que ficaram desabrigadas

BRASÍLIA

Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

Estragos provocados por fortes enchentes na Bahia

RICARDO DUTRA/AFP – 30.12.2021

A Agência para o Desenvolvimento Internacional, órgão vinculado ao governo dos Estados Unidos, anunciou, nesta sexta-feira (7), uma assistência humaniária de R$ 750 mil para socorrer os moradores da Bahia que ficaram desabrigados em razão das fortes chuvas e enchentes que atingiram o estado no fim do ano passado.

Segundo a agência, os recursos doados serão administrados por parceiros dos EUA no Brasil, como a Adra (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais) e a Cáritas Brasileira.

“A Adra vai distribuir itens de assistência, incluindo kits de limpeza e higiene, como vassouras, baldes, panos de limpeza, água sanitária, esfregões e detergente, a mais de 800 famílias em Itambé, Itabuna, Ilhéus, Eunápolis, Itapetinga e outras municipalidades. A Cáritas Brasileira entregará às famílias desabrigadas itens como roupa de cama, utensílios de cozinha e kits de higiene”, informou a Agência para o Desenvolvimento Internacional.

O órgão do governo estadunidense disse que especialistas em desastres da região da Bahia e da capital dos EUA, Washington, estão monitorando a situação em coordenação com a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil para determinar outras formas de assistência.

“As equipes da Embaixada e dos Consulados dos EUA no Brasil ficaram comovidas com a situação crítica enfrentada por tantas famílias na Bahia. Os EUA se sentem comprometidos e honrados em poder ajudar com algumas das necessidades imediatas destas famílias”, afirmou o encarregado de Negócios Douglas Koneff.

“A situação na Bahia é preocupante, e a Usaid [Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional] está contente em poder ajudar estas famílias a superar este momento crítico e reconstruir suas vidas”, acrescentou o diretor da Agência para o Desenvolvimento Internacional no Brasil, Ted Gehr.

Assistência de outros países

Desde os primeiros registros de estragos provocados pelas chuvas, o Brasil recebeu oferta de ajuda humanitária de dois países, segundo o Ministério das Relações Exteriores: Japão e Argentina.

De acordo com a pasta, a Embaixada do Japão e a Agência de Cooperação Internacional do Japão ofereceram apoio à resposta emergencial brasileira com a possibilidade de doação de barracas de acampamento, colchonetes dobráveis, cobertores, galões portáteis, lonas plásticas e purificadores de água.

A oferta, por incluir materiais de rápida disponibilização e emprego, foi aceita pelo governo brasileiro. Os detalhes para operacionalizar a ajuda, segundo o Executivo, estão sendo discutidos com o governo japonês.

Já a Embaixada da Argentina ofereceu o envio de dez agentes dos Capacetes Brancos para trabalhos de apoio diversos, entre os quais seleção de doações, montagem de barracas e assistência psicossocial à população afetada pelas enchentes. O governo brasileiro recusou essa assistência, mas respondeu com “manifestação de apreço e agradecimento”, segundo o Itamaraty.

“Com base em avaliação técnica da situação no terreno, informou que tais ações já vêm sendo atendidas pelos esforços do governo federal. Como expressado à Embaixada argentina e em contatos que vêm sendo mantidos entre os ministros das Relações Exteriores de ambos os países, Carlos França e Santiago Cafiero, a oferta argentina poderá vir a ser aceita, caso a situação demande necessidades suplementares de assistência com as características da oferta em pauta”, explicou a pasta.

R7 questionou o Ministério das Relações Exteriores sobre a assistência anunciada pelos EUA, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Mais de 850 mil atingidos

De acordo com a Sudec (Superintendência de Proteção e Defesa Civil) da Bahia, as enchentes que afetaram o estado já atingiram 850.325 pessoas. Segundo a pasta, são pelo menos 26.534 desabrigados e 61.551 desalojados — isto é, pessoas que não precisam de ajuda direta do governo para ser abrigadas. O governo baiano já confirmou 26 mortos e 520 feridos. No momento, duas pessoas permanecem desaparecidas.

As cidades que registraram mortes são: Amargosa (2), Itaberaba (2), Itamaraju (4), Jucuruçu (3), Macarani (1), Prado (2), Ruy Barbosa (1), Itapetinga (1), Ilhéus (3), Aurelino Leal (1), Itabuna (2), São Félix do Coribe (2), Ubaitaba (1) e Belo Campo (1).

Segundo a Sudec, 175 municípios foram afetados com os estragos das chuvas. Desse total, 164 estão com decreto de situação de emergência.

Continuar lendo GOVERNO DOS EUA ANUNCIOU ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA DE R$ 750 MIL PARA AJUDAR FAMÍLIAS NA BAHIA

SEGUNDO MINISTRO DA CULTURA DA ÁFRICA DO SUL, A CHAVE DA CELA QUE FOI OCUPADA POR NELSON MANDELA SERÁ DEVOLVIDA AO PAÍS EM VEZ DE LEILOADA NOS EUA

África do Sul impede leilão da chave da cela de Mandela

Ministro da Cultura sul-africano solicitou a devolução do objeto, que seria leiloado no próximo dia 28 nos EUA

INTERNACIONAL

 Da Ansa

Mandela passou 27 anos detido por lutar contra o regime segregacionista do apartheid

ALBERT OLIVE / EFE

O ministro da Cultura da África do Sul, Nathi Mthethwa, informou que a chave da cela da prisão que foi ocupada pelo ex-presidente Nelson Mandela (1918-2013) será devolvida ao país em vez de ser leiloada nos Estados Unidos.

O leilão estava agendado para acontecer no dia 28 de janeiro, em Nova York. Segundo Mthethwa, o objeto “pertence ao povo da África do Sul”, e a casa de leilões Guernsey teria concordado em enviar a chave de volta.

“A chave simboliza a dolorosa história da África do Sul, ao mesmo tempo que representa o triunfo do espírito humano sobre o mal”, informou o ministro em um comunicado.

Mandela, que liderou a luta contra o apartheid, o regime segregacionista da minoria branca do país, passou 27 anos na cadeia. A chave que seria leiloada era de uma cela ocupada pelo ex-presidente na Ilha Robben, perto da Cidade do Cabo, onde ele passou 18 desses anos.

Mthethwa também informou que a Guernsey decidiu interromper a venda de outros itens que pertenciam a Mandela, como pinturas, uma bicicleta ergométrica e uma raquete de tênis.

Continuar lendo SEGUNDO MINISTRO DA CULTURA DA ÁFRICA DO SUL, A CHAVE DA CELA QUE FOI OCUPADA POR NELSON MANDELA SERÁ DEVOLVIDA AO PAÍS EM VEZ DE LEILOADA NOS EUA

ACONTECERAM NOVOS CONFRONTOS NO CAZAQUISTÃO APÓS CHEGADA DE TROPAS LIDERADAS PELA RÚSSIA

Cazaquistão tem novos combates após chegada de tropas russas

Após dia de distúrbios contra o governo, que já deixaram dezenas de mortos e centenas de feridos, conflito recomeçou

Dezenas de carros foram incendiados em um estacionamento em Almaty

ALEXANDER BOGDANOV / AFP – 6.1.2022

Novos confrontos aconteceram nesta quinta-feira (6) em Almaty, a principal cidade do Cazaquistão, após a chegada de tropas lideradas pela Rússia para ajudar o governo a acabar com os distúrbios, que já deixam dezenas de mortos e centenas de feridos.

Rajadas de tiros puderam ser ouvidas na zona central da cidade, no dia seguinte a um surto de violência, com prédios do governo incendiados e saques de lojas, informou um jornalista da AFP.

Polícia mata dezenas de manifestantes no Cazaquistão

A mobilização começou a se espalhar no domingo por várias províncias deste país da Ásia central pelo aumento dos preços do gás e chegou a Almaty.

Uma manifestante de 58 anos, que pediu anonimato, disse que houve confrontos perto da residência presidencial entre os manifestantes e a polícia, que disparava munição real. “Vimos pessoas mortas”, contou à AFP.

Governo busca soluções

Segundo contas oficiais, mais de 1.000 pessoas ficaram feridas nos distúrbios e cerca de 400 estão hospitalizadas, 62 delas na UTI.

De acordo com o governo, citado por agências russas, 18 membros das forças de segurança morreram, dois deles encontrados decapitados e 748 ficaram feridos.

O presidente do Cazaquistão, Kassym Jomart Tokayev, pediu ajuda para combater o que classificou como uma revolta de “grupos terroristas”, que acusou terem recebido “treinamento no exterior”.

A vizinha Rússia e seus aliados da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC) anunciaram o envio ao Cazaquistão do primeiro contingente de uma “força coletiva de manutenção da paz” e os primeiros soldados chegaram ao destino nesta quinta.

Para tentar amenizar a crise, o governo anunciou que imporia um limite aos preços do combustível, que estará em vigor por 80 dias para “estabilizar a situação socioeconômica”.

Esta é a maior mobilização em décadas neste país que foi governado de 1989 até 2019 por Nursultán Nazarbáyev, considerado o mentor do atual presidente.

Tokayev tentou acalmar a situação anunciando a renúncia do gabinete, sem nenhum efeito.

Comunicações são limitadas

Para controlar a situação, o governo impôs um toque de recolher e declarou estado de emergência.

No entanto, não existe um panorama completo da situação, já que há complicações nas comunicações, um bloqueio dos sinais de celulares, cortes da internet e de vários serviços de troca de mensagens.

A porta-voz do Banco Central, Oljassa Ramazanova, anunciou a suspensão do trabalho de todas as instituições financeiras do país, .

Os aeroportos de Almaty, das cidades de Aktobe e Aktau e da capital Nursultán não estavam funcionando hoje após o cancelamento dos voos no dia anterior.

Como consequência do caos, o preço do urânio, do qual o Cazaquistão é um dos principais produtores mundiais, subiu bruscamente, enquanto os preços das empresas nacionais despencaram na bolsa de Londres.

O país também é um centro de exploração de bitcoins, uma atividade que também está sofrendo uma forte queda.

O ex-presidente Nursultán Nazarbáyev, de 81 anos, é alvo de parte da indignação dos manifestantes e em muitos protestos escuta-se o slogan “Fora velho!”, em referência à sua influência na política.

EUA pedem solução ‘pacífica’

A União Europeia (UE) expressou sua “preocupação” pela situação e os Estados Unidos pediram uma solução “pacífica”.

O porta-voz do Departamento de Estado americano, Ned Price, alertou as tropas russas enviadas ao Cazaquistão para que não tentem tomar o controle das instituições do país, afirmando que o mundo estará atento para qualquer violação dos direitos humanos.

A alta comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, pediu a todas as partes para “se absterem da violência”.

O Cazaquistão, um país onde há pouca tolerância à oposição, é um aliado-chave da Rússia, mas também busca ter relações fluidas com o Ocidente e a China.

Para o líder da oposição cazaque com base na França, Mukhtar Ablyazov, o regime cazaque se aproxima do fim.

“Acho que é o fim do regime, a questão é quanto tempo vai demorar”, disse. “Pode durar mais um ano, mas tudo pode mudar em duas semanas”, refletiu Ablyazov durante uma entrevista em Paris para a AFP.

Continuar lendo ACONTECERAM NOVOS CONFRONTOS NO CAZAQUISTÃO APÓS CHEGADA DE TROPAS LIDERADAS PELA RÚSSIA

EM DISCURSO JOE BIDEN RESPONSABILIZOU DONALD TRUMP PELA INVASÃO DO CAPITÓLIO

Biden faz duras críticas a Trump um ano após a invasão do Capitólio

Presidente responsabilizou seu antecessor pelo ocorrido em janeiro de 2021 e chegou a chamar o ex-presidente de ‘perdedor’

INTERNACIONAL

Letícia Sepúlveda, do R7

O americano Joe Biden discursa no Capitólio dos EUA em Washington, DC

GETTY IMAGES VIA AFP – 06/01/2022

O presidente dos EUA, Joe Biden, responsabilizou Donald Trump, seu antecessor, pela invasão ao Capitólio em seu discurso nesta quinta-feira (6), um ano após o ocorrido.

“Pela primeira vez em nossa historia, um presidente não só não aceitou o resultado de uma eleção, mas tentou impedir a transição pacífica do poder”, disse Biden.

O presidente disse que Trump coloca o poder acima de seus princípios e que seu ego ferido importa mais do que a democracia e a constituição do país.

 

“Eles tentaram nos destruir, nem na guerra civil isso aconteceu, mas aconteceu aqui, neste lugar, em 2021”, lembrou Biden.

O presidente ainda apontou que o ex-presidente criou e espalhou uma rede de mentiras sobre as eleições e fez questão de apontar alguns fatos sobre a eleição de 2020.

Em um dos momentos mais inflamados de sua fala, Biden chamou Trump de “perdedor”. “Ele não é só um ex-presidente. Ele é um ex-presidente perdedor”, disse o presidente dos EUA.

Ele ainda afirmou que “o ex-presidente e seus apoiadores querem reescrever a história. A verdade é que a eleição de 2020 foi a maior demonstração de democracia na história deste país.”

Segundo Biden, mais de 150 milhões de americanos votaram em 2020, o maior número já registrado.

Ele condenou as críticas de Trump ao resultado das eleições e disse que todos os questionamentos foram abordados e rejeitados, inclusive por autoridades republicanas. Além disso, os votos chegaram a ser contados três vezes em um dos estados.

“Antes mesmo da contagem da primeira urna, o ex-presindete já estava questionando o resultado das eleições”, completou.

 

Vice-presidente dos EUA, Kamala Harris

Biden fez o discurso ao lado da vice-presidente Kamala Harris, que também discursou antes dele.

Kamala lembrou que estava no Capitólio no dia da invasão. Segundo ela, os invasores não tentaram degradar e destruir apenas um prédio, mas instirtuições importantes do país.

“Em 6 de janeiro todos vimos como seria nosso país se as forças que estavam tentando acabar com a nossa democarcia fossem bem sucedidas”, disse a vice. Nós não podemos ficar em cima do muro, nós devemos nos unir pela nossa democracia”, completou.

Continuar lendo EM DISCURSO JOE BIDEN RESPONSABILIZOU DONALD TRUMP PELA INVASÃO DO CAPITÓLIO

COREIA DO NORTE ALEGA SUCESSO NO TETSTE DE NOVO MÍSSIL HIPERSÔNICO

Coreia do Norte diz ter testado míssil hipersônico com sucesso

Agência de notícias estatal afirma que o primeiro disparo de foguete de 2022 foi realizado nesta quarta-feira (5)

Coreia do Norte alega que o novo foguete atingiu alvo a 700 km

STRINGER/KCNA VIA KNS/AFP – 05.01.2022

A Coreia do Norte testou um míssil hipersônico, noticiaram meios de comunicação estatais nesta quinta-feira – noite de quarta (5) no Brasil –, no primeiro teste do tipo realizado em 2022 pelo país.

O míssil foi testado nesta quarta-feira e levava uma “ogiva hipersônica deslizante” que “alcançou com precisão um alvo a 700 km de distância”, reportou a Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA, na sigla em inglês).

Trata-se do segundo teste notificado pela Coreia do Norte de um míssil hipersônico, uma arma de nova geração que representa o último avanço tecnológico do arsenal do país.

O disparo de teste desta quarta-feira “reconfirmou o controle de voo e a estabilidade do míssil na etapa de voo ativo e avaliou o rendimento da nova técnica de movimento lateral aplicada à ogiva hipersônica”, detalhou a KCNA.

A Coreia do Sul e o Japão detectaram nesta quarta-feira o lançamento de um suposto míssil balístico da Coreia do Norte, que caiu nas águas ao leste da península coreana.

A operação foi rapidamente criticada pelos Estados Unidos, que pediram a Pyongyang que sejam estabelecidas negociações.

Continuar lendo COREIA DO NORTE ALEGA SUCESSO NO TETSTE DE NOVO MÍSSIL HIPERSÔNICO

DEPARTAMENTO DE JUSTIÇA DOS EUA QUER PROCESSAR INVASORES DO CAPITÓLIO

Governo americano quer processar envolvidos em ataque ao Capitólio

Secretário de Justiça dos EUA, Merrick Garland, afirmou que todos os participantes da invasão serão responsabilizados

Departamento de Justiça dos EUA quer processar invasores do Capitólio

AHMED GABER / REUTERS – 6.1.2020

O governo americano tem a intenção de processar os participantes do ataque ao Capitólio em 6 de janeiro de 2021, independentemente de seu status, afirmou nesta quarta-feira (5) o secretário de Justiça, Merrick Garland.

“O Departamento de Justiça continua comprometido com que todos os atacantes de 6 de janeiro prestem contas, qualquer que seja seu status, tanto se estiveram presentes nesse dia como se foram responsáveis penalmente pelo ataque à nossa democracia”, disse Garland, segundo trechos de um discurso que será proferido à tarde.

“Acompanharemos os fatos aonde quer que nos levem”, acrescentou Garland, que também é o procurador-geral dos Estados Unidos.

Os detratores do ex-presidente republicano Donald Trump o acusam de incitar seus partidários a atacar o Congresso.

Garland não citou Trump nem disse se o ex-inquilino da Casa Branca está sob investigação.

Uma comissão parlamentar composta principalmente de democratas busca determinar se Trump encorajou ou coordenou a violência de seus partidários contra a sede do Congresso e os policiais que protegeram o local.

Cinco policiais e um manifestante foram mortos nos confrontos e 140 policiais ficaram feridos.

Pedido de paciência

Merrick Garland pediu paciência com a maior investigação da história do Departamento de Justiça, que já acusou mais de 725 pessoas até agora, em meio a uma pandemia de Covid-19, e garantiu que a Justiça é imparcial.

“Em nossas investigações, não pode haver regras diferentes de acordo com a filiação a um partido político, não pode haver regras diferentes para amigos e inimigos, para quem tem poder e para quem não tem.”

Ele também criticou as acusações de fraude nas eleições de 3 de novembro de 2020, repetidas por Trump sem provas.

“Essas acusações, que minaram a confiança da população na legitimidade de nossas eleições, foram repetidamente rejeitadas pelas forças de segurança e agências de inteligência da administração atual e anterior, bem como por todos os tribunais, estaduais ou federais, que as examinaram”, acrescentou.

As acusações de fraude geraram ameaças e violência contra políticos locais e federais que são “profundamente perigosas para nossa democracia”, alertou.

“A expressão pacífica de uma opinião ou ideologia, por mais extremista que seja, está protegida pela primeira emenda” da Constituição, mas não o ato de “ameaçar ilegalmente ferir ou matar alguém”, lembrou.

Fonte: R7

Continuar lendo DEPARTAMENTO DE JUSTIÇA DOS EUA QUER PROCESSAR INVASORES DO CAPITÓLIO

INTERVALO DE 15 MINUTOS FAZ GÊMEOS NASCEREM EM ANOS DIFERENTES NA CALIFORNIA

Gêmeos nascem em anos diferentes nos Estados Unidos

Os irmãos Alfredo e Aylin vieram ao mundo com 15 minutos de diferença, tempo suficiente para o fim de 2021 e o começo de 2022

INTERNACIONAL

por AFP

Chances de gêmeos nascerem em anos diferentes é de uma em 2 milhões

REPRODUÇÃO FACEBOOK/NATIVIDAD MEDICAL CENTER

Um casal de gêmeos, nascido com 15 minutos de intervalo na Califórnia, Estados Unidos, fará aniversário em datas diferentes, pois um nasceu em 2021 e o outro em 2022. Alfredo Antonio Trujillo veio ao mundo às 23h45 de 31 de dezembro na cidade de Salinas. Quinze minutos depois, já em 2022, nasceu sua irmã, Aylin Yolanda Trujillo.

“Me parece uma loucura que sejam gêmeos e tenham aniversários diferentes”, disse Fátima Madrigal, mãe dos bebês.

O centro médico Natividad, onde os bebês nasceram, informou que a possibilidade de gêmeos nascerem em dois anos diferentes é de uma em 2 milhões.

“Foi um dos partos mais memoráveis da minha carreira”, disse a médica Ana Abril Arias, encarregada de atender Fátima Madrigal e seus bebês. “Foi um absoluto prazer ajudar esses pequenos a virem ao mundo em 2021 e 2022”, insistiu.

Alfredo, o irmão mais velho, nasceu pesando 2,75 kg, enquanto a caçula, Aylin, tinha 2,13 kg.

O Centro para o Controle e a Prevenção de Doenças informou que 120 mil gêmeos nascem todos os anos nos Estados Unidos, aproximadamente 3% dos nascimentos.

Continuar lendo INTERVALO DE 15 MINUTOS FAZ GÊMEOS NASCEREM EM ANOS DIFERENTES NA CALIFORNIA

MACRON DIZ EM ENTREVISTA QUE DECISÃO DE REELEIÇÃO AINDA PRECISA SER CONSOLIDADA

Macron deseja reeleição na França, mas não crava candidatura

Atual presidente do país disse que condições sanitárias do país o impedem de pensar sobre o assunto neste momento

INTERNACIONAL

 por AFP

Pesquisas não apontam Emmanuel Macron como favorito para reeleição

LUDOVIC MARIN/REUTERS – 28.09.2021
O presidente francês, Emmanuel Macron, disse nesta terça-feira (4) que quer se candidatar à reeleição no pleito de abril, mas que a decisão ainda precisa ser consolidada, de acordo com uma entrevista ao jornal local Le Parisien.

“Não há falso suspense. Tenho vontade. Assim que as condições sanitárias o permitirem e assim que eu tiver esclarecido essa questão, tanto comigo mesmo quanto em relação à equação política, avisarei sobre o assunto”, disse.

“Essa decisão vai se consolidar em mim. Preciso ter certeza de que poderei ir tão longe quanto quiser”, acrescentou o chefe de Estado de 43 anos, questionado pelos leitores do jornal.

Macron ainda não declarou oficialmente sua candidatura às eleições presidenciais, cujo primeiro turno está marcado para 10 de abril.

Uma pesquisa publicada em dezembro de 2021 pelo instituto Elabe para o BFMTV/L’Express mostrava que o atual mandatário francês perderia uma possível corrida presidencial para a candidata de direita do Partido Republicano, Valérie Pécresse.

Segundo o instituto, o presidente francês possui 21% das intenções de voto, enquanto Pécresse lidera com folga ao alcançar 52 pontos percentuais.

Fonte: R7
Continuar lendo MACRON DIZ EM ENTREVISTA QUE DECISÃO DE REELEIÇÃO AINDA PRECISA SER CONSOLIDADA

MULHER TRANSFORMA VESTIDO EM MÁSCARA PARA PODER SER ATENDIDA EM SORVETERIA NA ARGENTINA

Mulher tira o vestido e usa como máscara em loja na Argentina

Funcionários do local seguiram a norma sanitária que impede a venda de produtos a pessoas sem o item de proteção individual

INTERNACIONAL

Lucas Ferreira, do R7

Atitude da jovem em sorveteria de Mendoza deixou família incrédula

REPRODUÇÃO SITE/CLARÍN

Câmeras de segurança de uma sorveteria em Mendoza, na Argentina, flagraram, no último sábado (1º), o momento em que uma jovem tirou o vestido que usava e o transformou em uma máscara para poder ser atendida.

De acordo com o jornal Clarín, a mulher fazia parte de um grupo de 11 pessoas que tentavam comprar sorvetes, mas todos foram barrados por não estarem usando a máscara de proteção. Por causa da pandemia de Covid-19, clientes sem o equipamento de segurança não podem ser atendidos em estabelecimentos da cidade.

Desconcertados, os funcionários se negaram novamente a atender a moça, desta vez por ela entrar vestindo apenas calcinha e sutiã. “Você não está me pedindo uma máscara? Estou colocando”, teria dito.

Sem saber como agir, o pai, a mãe e suas duas filhas continuaram escolhendo o sabor de sorvete que iriam comer mesmo após a situação constrangedora.

Segundo o jornal local Diario Mendoza, os funcionários aceitaram fazer o atendimento depois de muita insistência e ela conseguiu comprar 11 casquinhas e três tigelas de sorvete usando o vestido para cobrir a boca e o nariz.

Continuar lendo MULHER TRANSFORMA VESTIDO EM MÁSCARA PARA PODER SER ATENDIDA EM SORVETERIA NA ARGENTINA

SEGUNDO ANÚNCIO DO GOVERNO DE ISRAEL,PRÓXIMA SEMANA AS FRONTEIRAS SERÃO ABERTAS A TURISTAS VACINADOS CONTRA COVID-19

Israel reabrirá fronteiras a turistas vacinados contra a Covid-19

Estrangeiros poderão entrar no território se apresentarem um teste de PCR ou antígeno negativo feito antes do embarque

INTERNACIONAL

 por AFP

Bandeiras de Israel

PIXABAY

O governo israelense anunciou nesta segunda-feira (3) que reabrirá suas fronteiras, na próxima semana, a turistas estrangeiros vacinados contra a Covid-19.

As fronteiras foram fechadas no mês passado, depois da detecção de um primeiro caso da variante Ômicron em uma pessoa que voltava a Israel da África do Sul.

A partir de 9 de janeiro, os estrangeiros vacinados procedentes dos “países [em situação] laranja” poderão entrar em Israel, apresentando um teste de PCR ou antígeno negativo feito antes de embarcar no avião, e outro de PCR ao chegar ao território israelense, onde terão de esperar o resultado isolados por 24 horas, disse o governo, em comunicado.A maioria dos países está nessa lista “laranja”, ou seja, apresenta risco médio vinculado à Covid-19.

Já a lista “vermelha” é composta daqueles países considerados de alto risco. No momento, são 17 no total, incluindo França, Canadá, Reino Unido, África do Sul e Estados Unidos.

Nesta segunda-feira, porém, o Comitê de Classificação recomendou a remoção de sete países da lista vermelha, entre eles França, Canadá e África do Sul.

Continuar lendo SEGUNDO ANÚNCIO DO GOVERNO DE ISRAEL,PRÓXIMA SEMANA AS FRONTEIRAS SERÃO ABERTAS A TURISTAS VACINADOS CONTRA COVID-19

AVANÇO DA OMICRON PODE CAUSAR SURTO DE INTERNAÇÕES NOS EUA

EUA temem surto de internações com avanço da Ômicron

Consultor da Casa Branca disse que o alto grau de contágio da cepa é uma variante determinante para o sistema de saúde

INTERNACIONAL

 Do R7, com informações da Reuters

Número de casos nos Estados Unidos está em alta com disseminação da Ômicron

MARCO BELLO / REUTERS – 29.7.2020

Anthony Fauci, o maior especialista em doenças infecciosas dos Estados Unidos, disse neste domingo (2) que ainda há perigo de um surto de hospitalizações devido a um grande número de casos de coronavírus, apesar de os dados iniciais sugerirem que a variante Ômicron da Covid-19 é menos severa.

“A única dificuldade é que se você tiver tantos casos, mesmo que a taxa de hospitalização seja menor com a Ômicron do que com a Delta, ainda há o perigo de que você tenha um surto de hospitalizações que possa sobrecarregar o sistema de saúde”, disse Fauci em entrevista à CNN.

A variante Ômicron foi estimada em 58,6% dos casos de coronavírus em circulação nos Estados Unidos em 25 de dezembro, de acordo com dados dos CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA).

A chegada repentina da Ômicron trouxe números de casos recordes a países ao redor do globo e limitou as festividades de Ano-Novo em todo o mundo.

“Certamente haverá muito mais casos porque esta é uma variante muito mais transmissível do que a Delta”, disse Fauci à CNN.

No entanto, “parece, de fato, que [Ômicron] pode ser menos grave, pelo menos a partir de dados que coletamos da África do Sul, do Reino Unido e até mesmo alguns dados preliminares daqui dos Estados Unidos“, comenta Fauci.

O consultor da Casa Branca acrescentou que o CDC dará um esclarecimento sobre se as pessoas com Covid-19 devem testar negativo para deixar o isolamento, após confusão na semana passada sobre a orientação que permitiria que as pessoas deixassem o isolamento após cinco dias sem sintomas.

O CDC reduziu o período de isolamento recomendado a pessoas assintomáticas com Covid-19 para cinco dias. A política não exige testes para confirmar se uma pessoa pode ou não transmitir a doença antes de voltar ao trabalho ou socializar, fazendo com que alguns especialistas levantem perguntas.

“Você está certo. Tem havido alguma preocupação sobre por que não pedimos às pessoas naquele período de cinco dias para fazer o teste. Isso é algo que agora está sendo considerado”, disse Fauci à ABC News em uma entrevista separada no domingo.

As autoridades dos EUA registraram, pelo menos, 346.869 novos casos de coronavírus no sábado (1º), de acordo com a apuração da Reuters.

Continuar lendo AVANÇO DA OMICRON PODE CAUSAR SURTO DE INTERNAÇÕES NOS EUA

WASHINGTON E SEUS ALIADOS “VÃO RESPONDER DECISIVAMENTE” SE A RÚSSIA AGIR PARA INVADIR A UCRÂNIA, AFIRMOU BIDEN

Biden diz a presidente da Ucrânia que agirá em caso de invasão russa

Os dois líderes conversaram por telefone para tratar das tensões na fronteira com a Rússia

INTERNACIONAL

 por AFP

ATUALIZADO EM 02/01/2022 – 21H46

Presidente americano, Joe Biden, e o presidente ucraniano, Volodimir Zelenski

JIM WATSON, GINTS IVUSKANS / AFP

O presidente americano, Joe Biden, disse a seu colega ucraniano, Volodimir Zelenski, neste domingo (2), que Washington e seus aliados “vão responder decisivamente” se a Rússia agir para invadir seu vizinho pró-ocidental, informou a Casa Branca.

Ao comentar a conversa por telefone entre os dois presidentes, a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, também disse que Biden expressou seu apoio aos esforços diplomáticos, inclusive os diálogos de alto nível entre funcionários russos e americanos, previstos para 9 e 10 de janeiro em Genebra.

“O presidente Biden deixou claro que os Estados Unidos e seus aliados e sócios responderão de forma decisiva se a Rússia chegar a invadir a Ucrânia”, afirmou Psaki em um comunicado.

Biden também “reafirmou o compromisso dos Estados Unidos com a soberania e a integridade territorial da Ucrânia”, acrescentou.

“Apreciamos o apoio inquebrantável à Ucrânia”, manifestou-se Zelenski no Twitter, explicando que tinha conversado com Biden sobre “ações conjuntas da Ucrânia, Estados Unidos e outros parceiros para manter a paz na Europa e evitar uma escalada”, em um momento em que se teme uma possível invasão russa da Ucrânia.

A demonstração de apoio dos Estados Unidos à Ucrânia ocorre dias depois de Biden ter advertido o presidente russo, Vladimir Putin, sobre graves consequências caso Moscou invada seu vizinho.

Washington e seus aliados europeus acusam a Rússia de ameaçar a Ucrânia com uma nova invasão.

Cerca de 100 mil militares russos se concentram perto da fronteira do país, onde Putin já ocupou a região da Crimeia, em 2014, e é acusado de fomentar uma guerra separatista pró-russa que explodiu naquele ano no leste.

Moscou descreve a presença de tropas como proteção à expansão da Otan, apesar de a Ucrânia não ter sido convidada a ser membro da aliança militar.

Continuar lendo WASHINGTON E SEUS ALIADOS “VÃO RESPONDER DECISIVAMENTE” SE A RÚSSIA AGIR PARA INVADIR A UCRÂNIA, AFIRMOU BIDEN

PIONEIRO NA VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 ISRAEL RECEBE PRIMEIRO LOTE DE PÍLULAS DA PFIZER CONTRA DOENÇA

Israel recebe a primeira remessa de pílulas contra a Covid-19

Primeiro-ministro Naftali Bennett afirma que o remédio ajudará a conter a nova onda da doença causada pela variante Ômicron

INTERNACIONAL

 por AFP

Israel recebe a primeira remessa do remédio desenvolvido pela Pfizer contra a Covid-19

PFIZER / AFP

Israel, país pioneiro na vacinação contra a Covid-19, recebeu nesta quinta-feira (30) seu primeiro lote de pílulas da Pfizer contra a doença causada pelo novo coronavírus, além de aprovar uma quarta dose da vacina para imunossuprimidos.

O remédio “nos ajudará a atravessar o próximo pico da onda da Ômicron”, disse o primeiro-ministro Naftali Bennett, após a chegada da carga ao aeroporto de Tel Aviv.

Procurado pela AFP, o Ministério da Saúde não informou a quantidade de comprimidos recebidos.

Na semana passada, a Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos aprovou o tratamento, comercializado sob o nome de Paxlovid pelo laboratório americano Pfizer.

A pílula permite uma redução de hospitalizações e mortes em 88% em grupos de risco quando tomada nos primeiros cinco dias após o aparecimento dos sintomas, de acordo com ensaios clínicos que incluíram mais de 2.200 pessoas.

“É um elemento-chave, junto com a vacina e a máscara, na estratégia para conter a nova onda devido à Ômicron”, afirmou à AFP Ran Balicer, chefe de inovação do fundo israelense de seguros de saúde Clalit.

Para ele, o tratamento da Pfizer pode salvar as pessoas com maior risco de desenvolver sintomas graves do vírus e reduzir a pressão sobre os hospitais.

As autoridades israelenses registraram quase 4.000 novos casos de Covid-19 na quarta-feira, um recorde desde setembro, mas até agora não houve aumento acentuado nas internações.

O primeiro-ministro disse na semana passada que todos os israelenses acima dos 60 anos e os profissionais de saúde teriam direito a uma quarta dose da vacina. A decisão ainda não foi aprovada pelo Ministério da Saúde.

O diretor da pasta, Nachman Ash, autorizou nesta quinta-feira uma quarta dose para algumas pessoas imunossuprimidas.

Cerca de 4,2 milhões dos 9,3 milhões de residentes em Israel, ou seja, mais da metade dos adultos, receberam três doses da vacina contra o coronavírus.

Fonte: R7

Continuar lendo PIONEIRO NA VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 ISRAEL RECEBE PRIMEIRO LOTE DE PÍLULAS DA PFIZER CONTRA DOENÇA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar