Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

MINISTRO DA ECONOMIA DA ARGENTINA ANUNCIOU DEMISSÃO DO CARGO

Ministro da Economia da Argentina renuncia ao cargo

Martín Guzmán estava na liderança da pasta desde 2019; presidente do país, Alberto Fernández, não comentou decisão

Martín Guzmán em pronunciamento no mês de junhoMartín Guzmán em pronunciamento no mês de junhoJUAN MABROMATA/AFP – 7.6.2022

O ministro argentino da Economia, Martín Guzmán, anunciou neste sábado (2) sua demissão do cargo, em carta ao presidente Alberto Fernández.

“Eu me dirijo ao senhor por motivo de apresentar minha demissão do cargo de ministro da Economia”, que ocupava desde 10 de dezembro de 2019, diz a carta, divulgada na conta de Guzmán no Twitter.

Enfrentando a resistência de boa parte do Partido Justicialista (peronista), de situação, Guzmán assinalou que, para seu substituto, será primordial que trabalhe em um acordo político dentro da coalizão governante.

Em uma economia assolada por uma inflação de mais de 60% em 12 meses e pela desvalorização da moeda argentina, o peso, Guzmán disse que, a partir de agora, “será fundamental continuar fortalecendo a consistência macroeconômica, incluindo as políticas fiscal, monetária, de financiamento, cambial e energética”.

Terceira maior economia da América Latina, atrás do Brasil e do México, a Argentina acertou com o FMI (Fundo Monetário Internacional) um empréstimo de facilidades estendidas, conhecido como SAF, para liquidar os 44 bilhões de dólares desembolsados no âmbito de um crédito acordado há quatro anos de 57 bilhões de dólares, o maior da história do fundo.

Guzmán liderou as negociações com o FMI para alcançar esse acordo, que enfrentou a resistência de parte do governismo, liderado pela vice-presidente, Cristina Fernández, e conseguiu evitar que o país entrasse em default.

“Com a profunda convicção e confiança em minha visão sobre o caminho que a Argentina deve seguir, continuarei trabalhando e agindo por uma pátria mais justa, livre e soberana”, acrescentou o ministro em sua carta de demissão.

O presidente Alberto Fernández ainda não se pronunciou sobre a saída de um dos principais colaboradores do seu gabinete.

Continuar lendo MINISTRO DA ECONOMIA DA ARGENTINA ANUNCIOU DEMISSÃO DO CARGO

PRIMEIRO-MINISTRO BRITÂNICO ENFRENTA UMA NOVA DOR DE CABEÇA POLÍTICA

Governo de Boris Johnson enfrenta novo escândalo sexual

Integrante do Partido Conservador, o mesmo do primeiro-ministro, é acusado de apalpar dois homens quando estava bêbado

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, em reunião da Otan, nesta quinta (30)

GABRIEL BOUYS/AFP – 30.06.2022

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, enfrenta uma nova dor de cabeça política nesta sexta-feira (1), após a renúncia de um importante membro do Partido Conservador acusado de assediar dois homens quando estava bêbado.

Chris Pincher, responsável pela disciplina de voto parlamentar dos deputados conservadores, renunciou depois das acusações de que apalpou dois homens, um novo escândalo político para o chefe de Governo já enfraquecido.

Na carta de renúncia, com data de quinta-feira (30), Pincher afirma que deixa o cargo depois de beber “demais” e “envergonhar a mim e a outras pessoas” na noite anterior.De acordo com a imprensa britânica, o deputado conservador, de 52 anos, foi acusado de apalpar dois homens, incluindo um deputado, em um clube privado do centro de Londres, o Carlton Club, o que provocou reclamações no Partido Conservador.

Pincher renunciou ao posto de responsável pela disciplina do partido, mas continua como deputado, o que motivou pedidos de expulsão e de uma investigação interna.

“Os ‘tories’ não devem ignorar uma possível agressão sexual”, tuitou Angela Rayner, a número dois do Partido Trabalhista, principal formação de oposição.

Este caso é o mais recente em uma série de escândalos similares no Partido Conservador nos últimos meses.

Em maio, um deputado suspeito de estupro foi detido e depois libertado sob fiança. Em abril, outro deputado conservador renunciou depois que foi flagrado assistindo um vídeo pornô em seu smartphone durante uma sessão do Parlamento. E um ex-deputado foi condenado em maio a 18 meses de prisão por agredir sexualmente uma adolescente de 15 anos.

O governo de Boris Johnson também foi abalado pelo escândalo das festas celebradas em Downing Street, apesar das restrições determinadas pelo governo durante a pandemia de Covid.

Continuar lendo PRIMEIRO-MINISTRO BRITÂNICO ENFRENTA UMA NOVA DOR DE CABEÇA POLÍTICA

PRESIDENTE DA UCRÂNIA DECIDIU ROMPER RELAÇÕES DIPLOMÁTICAS COM A SÍRIA

Síria deve sofrer mais sanções após reconhecer repúblicas pró-Rússia

Ucrânia anunciou o rompimento das relações com o governo de Damasco

O ditador da Síria, Bashar al-Assad, com Vladimir Putin

O ditador da Síria, Bashar al-Assad, com Vladimir Putin | Foto: Presidência da Rússia

 

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, decidiu na quarta-feira 29 romper as relações diplomáticas com a Síria depois que o governo do ditador Bashar al-Assad, apoiado por Moscou, reconheceu oficialmente a “independência e soberania” das repúblicas de Donetsk e Lugansk, no Donbass”.

“Não haverá mais relações entre a Ucrânia e a Síria “, disse Zelensky em um vídeo postado no Telegram, afirmando que “a pressão das sanções contra Damasco, um aliado da Rússia, será ainda mais forte”.

Mais cedo, o governo sírio reconheceu oficialmente “a independência e soberania” das repúblicas separatistas pró-Rússia no leste da Ucrânia, segundo a agência governamental Sana, citando uma fonte do Ministério das Relações Exteriores de Damasco.

A declaração afirma que a presidência síria pretende estabelecer relações com as duas repúblicas separatistas.

Continuar lendo PRESIDENTE DA UCRÂNIA DECIDIU ROMPER RELAÇÕES DIPLOMÁTICAS COM A SÍRIA

UCRÂNIA PODE CONTAR COM O APOIO DA OTAN PELO TEMPO QUE FOR NECESSÁRIO

Otan garante apoio à Ucrânia o ‘tempo que for preciso’ para resistir à invasão russa

Após uma cúpula de dois dias em Madri, os 30 membros da Otan condenaram a “crueldade terrível” da Rússia

Líderes dos países membros da Otan se reuniram nesta semana em Madri, na Espanha

BRENDAN SMIALOWSKI / POOL / AFP

A Otan garantiu nesta quarta-feira (29) seu apoio à Ucrânia “pelo tempo que for preciso” para resistir à invasão russa e abriu o processo de adesão da Finlândia e da Suécia, tachada de “desestabilizadora” por Moscou.

Após uma cúpula de dois dias em Madri, os 30 membros da Otan condenaram a “crueldade terrível” da Rússia, que “causa imenso sofrimento humano”.

Moscou “tem total responsabilidade por esta catástrofe humanitária”, acrescentaram os membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em sua declaração final.

A Ucrânia pode contar com o apoio da Otan “pelo tempo que for necessário”, ressaltou o secretário-geral da organização, Jens Stoltenberg.

Os chefes de Estado e de Governo da Otan também lançaram formalmente o processo de adesão da Finlândia e da Suécia, dois países que decidiram abandonar sua tradicional neutralidade militar depois que a Rússia invadiu a Ucrânia no final de fevereiro.

“Hoje decidimos convidar a Finlândia e a Suécia a tornarem-se membros” e “concordamos em assinar os Protocolos de Adesão”, aponta a declaração final, sobre um processo que poderá demorar alguns meses.

“No momento em que Putin quebrou a paz na Europa e atacou os princípios da ordem baseada em regras, os Estados Unidos e os aliados pretendem fortalecer sua posição”, declarou o presidente americano, Joe Biden, ao anunciar um reforço da presença militar do país na Europa.

Isto significa o aumento de tropas na Espanha, Polônia, Romênia, nos Estados bálticos, no Reino Unido, Alemanha e Itália.

“Se Putin esperava ter menos Otan no flanco leste como resultado de sua invasão ilegal e injustificável da Ucrânia, estava totalmente equivocado: terá mais Otan”, disse o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

A Ucrânia elogiou “a posição lúcida sobre a Rússia e sobre a adesão” dos dois países nórdicos à Aliança, segundo o chefe da diplomacia ucraniana, Dmitro Kouleba.

Moscou denuncia “agressividade”

A Rússia respondeu aos anúncios com críticas ao que chamou de “agressividade” da Otan. O vice-ministro das Relações Exteriores, Serguei Ryabkov, chamou a ampliação da Aliança Atlântica para Finlândia e Suécia de “profundamente desestabilizadora”.

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, discursou por videoconferência na reunião de cúpula da Aliança e pediu mais ajuda.

“Precisamos de sistemas muito mais modernos, artilharia moderna”, afirmou Zelenski, antes de acrescentar que o apoio econômico “não é menos importante que a ajuda em armas”.

“A Rússia continua recebendo bilhões a cada dia e os gasta na guerra. Nós temos um déficit bilionário. não temos petróleo nem gasolina para cobrir”, afirmou Zelenski. Ele disse que a Ucrânia precisa de 5 bilhões de dólares por mês para sua defesa.

A incorporação da Finlândia, e seus 1.300 km de fronteira terrestre com a Rússia, fará com que a Otan mais do que dobre seus limites territoriais com este país.

Desta maneira, a Rússia terá fronteira com seis integrantes da Aliança: Finlândia, Estônia, Letônia, Lituânia e Polônia – os dois últimos pelo enclave de Kaliningrado – e Noruega.

A adesão de Finlândia e Suécia foi possível porque a Turquia retirou seu veto em troca do fim da proteção a independentistas curdos, que são considerados terroristas por Ancara.

Nesta quarta-feira, um dia depois da assinatura de um memorando pelos três países, Ancara pediu a extradição de 33 pessoas.

A Aliança criada em 1949 lança assim a maior reforma de sua capacidade de defesa e dissuasão desde o fim da Guerra Fria, fortalecendo suas tropas na região leste da Europa e aumentando consideravelmente suas tropas de alta disponibilidade nas imediações da Rússia.

Os membros da Otan, que já enviaram bilhões de dólares em ajuda a Kiev, devem anunciar em Madri um “programa de assistência completo para a Ucrânia para ajudar o país a fazer valer seu direito à legítima defesa”, prometeu Stoltenberg.

A Noruega anunciou nesta quarta-feira o envio de três baterias de lança-foguetes de longo alcance MLRS. Na terça-feira, os ministros da Defesa da Holanda e da Alemanha anunciaram a entrega de seis obuses adicionais.

Otan mira a China

Além disso, a organização orientou seu olhar pela primeira vez ao desafio provocado pela força da China, na atualização de seu Conceito Estratégico, seu manual de ação e prioridades.

“As ambições declaradas e as políticas coercitivas da República Popular da China desafiam nossos interesses, segurança e valores”, sustenta o documento que deve orientar a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) nos próximos anos.

A China “emprega uma ampla gama de ferramentas políticas, econômicas e militares para aumentar sua presença global e projetar poder, mantendo ao mesmo tempo a opacidade sobre sua estratégia, intenções e desenvolvimento militar”, argumenta a Aliança.

O documento também sustenta que a China “procura controlar setores tecnológicos e industriais, infraestruturas críticas e materiais estratégicos e cadeias de suprimentos. Utiliza sua influência econômica para criar dependências”.

A Otan também acusa Pequim de trabalhar com a Rússia para minar a ordem internacional.

“O aprofundamento da parceria estratégica entre a República Popular da China e a Federação Russa e suas tentativas de minar a ordem internacional (…) são contrários aos nossos valores e interesses”, sentencia a Aliança.

Continuar lendo UCRÂNIA PODE CONTAR COM O APOIO DA OTAN PELO TEMPO QUE FOR NECESSÁRIO

RÚSSIA PROÍBE ENTRADA DE VINTE E CINCO AMERICANOS EM SEU TERRITÓRIO INCLUINDO ESPOSA E FILHA DE BIDEN

Rússia veta entrada de mulher e filha de Biden e de outros 23 americanos

Medida é represália russa após Joe Biden impor sanções contra a família do presidente Vladimir Putin

Jill Biden, primeira-dama dos Estados Unidos, está proibida de entrar na Rússia

JOE RAEDLE/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/GETTY IMAGES VIA AFP – 24.06.2022

A Rússia anunciou nesta terça-feira (28) que proibiu a entrada em seu território de 25 americanos, incluindo Jill e Ashley Biden, a esposa e a filha do presidente Joe Biden, alegando que são respostas a sanções adotadas pelos Estados Unidos.

“Como reação à constante expansão das sanções americanas contra figuras políticas e públicas russas, 25 cidadãos americanos foram adicionados à lista de exclusão”, informou o ministério das Relações Exteriores da Rússia em um comunicado que inclui os nomes.

A lista também inclui o líder da minoria republicana do Senado, Mitch McConnell, outros senadores como Charles Grassley, Kirsten Gillibrand e Susan Collins, além de professores universitários como Francis Fukuyama.

O governo dos Estados Unidos anunciou sanções contra membros da família de Vladimir Putin, incluindo sua duas filhas, e o próprio presidente russo. Biden está proibido de entrar na Rússia.

Os países ocidentais e a Rússia trocam há vários anos sanções e contra-sanções, mas as medidas de represália aceleraram desde que a Rússia lançou uma grande ofensiva armada contra a vizinha Ucrânia.

Fonte: R7

Continuar lendo RÚSSIA PROÍBE ENTRADA DE VINTE E CINCO AMERICANOS EM SEU TERRITÓRIO INCLUINDO ESPOSA E FILHA DE BIDEN

G7 AUMENTA PRESSÃO SOBRE A RÚSSIA POR CAUSA DA GUERRA UCRÂNIA

G7 vai aumentar sanções contra a Rússia e aplicará teto de preço ao petróleo do país

Maiores economias do mundo pretendem aumentar a pressão sobre o governo russo devido à guerra na Ucrânia

Líderes do G7 se reúnem com o presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, por chamada de vídeo

BENOIT TESSIER/REUTERS – 27.06.2022

O grupo das sete maiores economias do mundo se comprometerá, nesta terça-feira (28), com um novo pacote de ações coordenadas destinadas a aumentar a pressão sobre a Rússia por causa da guerra na Ucrânia e finalizará os planos para um teto de preço para o petróleo russo, disse uma autoridade de alto escalão dos Estados Unidos nesta segunda-feira (27).

O anúncio ocorre no momento em que a Casa Branca afirma que a Rússia deu calote em seus títulos soberanos estrangeiros pela primeira vez em décadas — uma afirmação que Moscou rejeitou — e depois de conversa virtual do presidente ucraniano Volodmir Zelenski com líderes do G7, reunidos em um resort alpino no sul da Alemanha.

Zelenski pediu aos líderes do G7 uma ampla gama de apoio militar, econômico e diplomático, de acordo com uma autoridade europeia.

As nações do G7, que geram quase metade da produção econômica do mundo, querem aumentar a pressão sobre a Rússia sem alimentar a inflação, já em alta, que está causando tensões internas e devastando vários países.

O teto de preço pode atingir as reservas de guerra do presidente russo Vladimir Putin ao mesmo tempo que reduz o valor da energia.

“Os objetivos duplos dos líderes do G7 têm sido mirar diretamente as receitas de Putin, principalmente por meio da energia, mas também minimizar os reflexos e o impacto nas economias de seus países e no restante do mundo”, disse a autoridade dos EUA à margem da cúpula anual do G7.

Os líderes do G7 também estabelecerão um “compromisso de segurança sem precedentes e de longo prazo para fornecer à Ucrânia apoio financeiro, humanitário, militar e diplomático pelo tempo que for necessário”, o que inclui o fornecimento oportuno de armas modernas, disse a Casa Branca em uma nota.

As sanções ocidentais atingiram duramente a economia da Rússia, e as novas medidas visam privar ainda mais o Kremlin das receitas do petróleo. Os países do G7 trabalharão com outros —como a Índia — para limitar as receitas que Putin pode continuar gerando, afirmou a autoridade dos EUA.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, é um dos cinco líderes de nações convidadas que se juntam ao G7 para conversas sobre mudanças climáticas, energia, saúde, segurança alimentar e igualdade de gênero no segundo dia da cúpula.

“É um mecanismo que pode beneficiar mais países terceiros do que a Europa”, disse uma autoridade da UE. “Esses países estão fazendo perguntas sobre a viabilidade, mas em princípio pagar menos pela energia é um tema muito popular.”

Os líderes do G7 encarregarão seus governos de trabalhar intensamente em medidas para implementar o teto de preço russo, atuando com países de todo o mundo e partes interessadas, inclusive o setor privado, segundo a autoridade dos EUA.

Continuar lendo G7 AUMENTA PRESSÃO SOBRE A RÚSSIA POR CAUSA DA GUERRA UCRÂNIA

PAÍSES MEMBROS DA OTAN TERÃO UM DOS MAIS IMPORTANTES ENCONTROS DOS ÚLTIMOS 25 ANOS ESTA SEMANA EM MADRI

Cúpula da Otan discute adesão de Finlândia e Suécia e a guerra na Ucrânia

Países-membros da Aliança Militar se reúnem na Espanha em um dos mais importantes encontros do grupo nos últimos 25 anos

INTERNACIONAL

Lucas Ferreira, do R7

Representantes dos Estados-membros da Otan em reunião no mês de junho

VALERIA MONGELLI/AFP – 16.6.2022

Os 30 Estados-membros da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) se reúnem nesta semana em Madri, na Espanha, para discutir os rumos da Aliança Militar. A Coreia do Sul e o Japão também participarão do encontro.

A guerra na Ucrânia será um dos temas principais em discussão. Outro assunto que será amplamente abordado é a adesão de Finlândia e Suécia ao grupo, apesar da resistência da Turquia.

Para o professor do Instituto de Estudos Estratégicos da UFF (Universidade Federal Fluminense) Thomas Ferdinand Heye, a reunião da Otan é uma tentativa da Aliança na busca pelo protagonismo no cenário da segurança internacional.

“A perspectiva da Otan será apresentada através do Conceito Estratégico da Aliança, o primeiro desde o Encontro em Lisboa, há 25 anos. Ou seja, trata-se de um esforço político enorme em ressuscitar a maior aliança militar da história”, explica Heye ao R7.

O professor de relações internacionais da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) Maurício Santoro acredita que o encontro pode traçar estratégias para enfrentar a “ameaça” que a Rússia causa aos Estados-membros da Otan.

“O grande tema da cúpula da Otan no final de junho é como responder a invasão russa na Ucrânia e como enfrentar toda essa guerra, que é uma ameaça para a segurança dos países membros da Otan. Esse vai ser o principal assunto em discussão por lá”, conta Santoro ao R7.

Os dois especialistas não apostam em uma entrada imediata da Finlândia e da Suécia na Aliança Militar, já que o processo tradicional de integração costuma levar anos.

“O processo de adesão de Finlândia e Suécia é algo que deve demorar bastante tempo. Tem uma série de reformas que precisam ser feitas, como adequação de equipamento, de treinamento. Não se espera que ainda nessa cúpula de junho já haja um consenso destes países na Otan”, detalha Santoro.

“O que é viável é elaborar uma posição conjunta e favorável à entrada dos novos candidatos na Otan por parte dos demais aliados, com o claro intuito de pressionar a Turquia a flexibilizar sua posição contrária. Todavia, a posição e os interesses da Turquia de [Recep Tayyip] Erdogan não são claros”, ressalta Heye.

Segundo autoridades turcas, incluindo o presidente Erdogan, suecos e finlandeses abrigaram terroristas curdos — minoria étnica que reivindica a separação e independência de uma parte da Turquia. Apesar da reação contrária à candidatura destes países, o governo de Ancara já mostrou sinais de que aceitaria negociar a entrada destas nações na Aliança.

“Não há propriamente um processo de votação, não é como uma assembleia num Parlamento que se negocia isso nos bastidores. Só há realmente o início da adesão quando esse consenso for alcançado”, destaca Santoro. “Estão debatendo essa questão dos refugiados curdos, mas ainda não há um acordo final”.

A candidatura destes dois países foi motivada pela invasão da Ucrânia, que mais uma vez será centro da discussão da aliança.

“A invasão à Ucrânia está no topo da agenda do evento e estará na cabeça de todos presentes. Uma Otan unida e determinada pode aumentar em muito os custos para Rússia manter as hostilidades contra a população ucraniana”, conclui Heye.

Continuar lendo PAÍSES MEMBROS DA OTAN TERÃO UM DOS MAIS IMPORTANTES ENCONTROS DOS ÚLTIMOS 25 ANOS ESTA SEMANA EM MADRI

A COZINHA PODE SER A JANELA DE APRESENTAÇÃO DE UM PAÍS PARA OS DEMAIS

Diplomacia da gastronomia: países usam pratos para apresentar cultura ao mundo

Receitas e ingredientes tradicionais podem servir para popularizar uma nação internacionalmente, além de aquecer setores internos

INTERNACIONAL

Lucas Ferreira, do R7

Pratos tradicionais levam cultura dos países para os quatro cantos do mundo

FREEPIK/MONTAGEM/R7

Muitos governos usam grandes quantias de dinheiro para mostrar ao mundo um pouco da  cultura local, com o objetivo de atrair turistas e consolidar suas marcas nacionais no mundo. Música, cinema e esportes são armas institucionais conhecidas, mas a diplomacia da gastronomia também tem seu espaço.

A cozinha pode ser uma janela de apresentação de um país para os demais. Quem não conhece a pizza italiana, o queijo francês, a vodka russa ou até o sashimi japoneses, o famoso peixe cru? Todos estes pratos e ingredientes representam uma nação aos quatro cantos do planeta.

O professor de relações internacionais da Facamp (Faculdades de Campinas) James Onnig explica que a gastronomia pode ser um exemplo de soft power — quando um país exerce alguma influência em outros Estados sem o uso de força bélica.

“A diplomacia da gastronomia é uma forma de soft power que os países usam para vender a imagem do país, passar a imagem do país de uma forma mais delicada, suave, representativa. Como isso, eles atraem a atenção dos outros países e estabelecem relações mais próximas”, conta Onnig ao R7.

De acordo com o professor, a diplomacia gastronômica é explorada a partir de uma grande valorização dos pratos ou ingredientes regionais de um país. Este trabalho de imagem, realizado por governos ao lado de empresas, pode trazer benefícios para diferentes setores da nação.

“Este tipo de diplomacia acaba trazendo uma coisa muito interessante que, na verdade, dinamiza alguns setores, além da exportação de produtos alimentares, o turismo, as viagens, tudo isso acaba sendo valorizado.”

Os pratos tradicionais costumam ser utilizados como peça de publicidade de sites de viagens institucionais dos países. Alguns pratos, inclusive, são alvo de briga entre povos que buscam reconhecer a autoria de uma receita, como diz o coordenador do curso de gastronomia da Universidade Estácio de Sá, Helio Takeda.

“O ceviche, orginalmente do Peru, é disputado por outros países, como o Chile. Outra produção é o padvola, um doce à base de merengue, que tanto a Austrália como a Nova Zelândia reivindicam sua criação”, explica Takeda ao R7. “Na verdade, tudo se adapta para usar os produtos sazonais de cada país”.

Há também os casos em que um prato ou uma cozinha ganha tanto renome que as reproduções pelo mundo acabam sendo bem diferentes. Um exemplo são os hot rolls, tradicionalmente consumidos nos restaurantes de comida japonesa no Brasil, mas que não têm origem no Japão. O governo de Tóquio chegou a organizar maneiras de classificar locais em que a comida traz traços da cozinha nacional.

“Ao longo do tempo, todos começaram a pegar ideias de todas as cozinhas e fazer um mix entre elas. Mas precisamos ter em mente que a comida japonesa não é só peixe cru, existem outras coisas envolvidas. Agora temos aos poucos um certificado do Ministério da Agricultura do Japão que é dado aos restaurantes tradicionais aqui no Brasil que têm comida japonesa”, destaca o coordenador de gastronomia da Estácio.

Brasil também faz uso da diplomacia da gastronomia

Feijoada é um dos pratos brasileiros mais conhecidos no mundo

SERGIO MORAES/REUTERS – 24.3.2016

Se o Brasil é muito lembrado pelo samba e futebol, a gastronomia do país não fica muito para trás. A tradicional feijoada é conhecida mundialmente, assim como a cachaça e o café, historicamente ligados à cultura nacional.

“Existia todo um esforço brasileiro para colocar a cachaça no mercado internacional”, ressalta Onnig. “O guaraná também tem um esforço enorme para isso, o café é outro conhecido por trazer essa imagem brasileira histórica”.

Diferentemente de outras formas diplomáticas, a gastronomia não pode parar guerras por si só, mas o professor de Facamp aposta que pode facilitar as negociações entre governos.

“A comida ganha as pessoas rapidamente em uma mesa de negociações. Acho que os países fazem isso indiretamente quanto têm uma reunião importante, serve um prato bom, todo mundo fica mais feliz, talvez aí facilite as negociações”, conclui Onnig.

Continuar lendo A COZINHA PODE SER A JANELA DE APRESENTAÇÃO DE UM PAÍS PARA OS DEMAIS

DIREITO CONSTITUCIONAL AO ABORTO NOS EUA É DERRUBADO PELA SUPREMA CORTE

Suprema Corte dos EUA derruba direito constitucional ao aborto

Decisão não torna a interrupção da gravidez ilegal, mas dá a cada estado o direito de decidir sobre a autorização da prática

INTERNACIONAL |

por AFP

ATUALIZADO EM 24/06/2022 – 12H14

Mulheres participam de manifestação sobre aborto nos EUA

ANNA MONEYMAKER / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP

A muito conservadora Suprema Corte dos Estados Unidos pôs fim nesta sexta-feira a uma sentença que por quase meio século garantiu o direito das mulheres americanas ao aborto, mas que nunca havia sido aceita pela direita religiosa.

Essa decisão não torna a interrupção da gravidez ilegal, mas leva os Estados Unidos de volta à situação que prevalecia antes da decisão “Roe vs. Wade”, de 1973, quando cada estado era livre para autorizá-la ou não.

Em um país muito dividido, é provável que metade dos estados, principalmente os conservadores da região sul e do centro, possa proibir a prática do aborto por um curto período de tempo.

“A Constituição não faz nenhuma referência ao aborto e em seus artigos protege implicitamente esse direito”, escreveu o juiz Samuel Alito, em nome da maioria. Nesse contexto, Roe vs. Wade “deve ser anulado”.

“É hora de devolver a questão do aborto aos deputados eleitos pelo povo”, escreveu ele, dirigindo-se aos parlamentos locais.

Tal formulação é muito parecida com o projeto de condenação que causou grandes manifestações em todo o país e uma onda de indignação na esquerda.

Desde então, a situação tem sido tensa nas imediações da Suprema Corte, isoladas pelas forças de segurança para manter os manifestantes a distância.

Continuar lendo DIREITO CONSTITUCIONAL AO ABORTO NOS EUA É DERRUBADO PELA SUPREMA CORTE

CABRA NO PAQUISTÃO FICOU FAMOSA POR NASCER COM ORELHAS DE QUASE MEIO METRO

Cabra nasce no Paquistão com orelhas de quase meio metro

Animal recebeu o apelido de Dumbo e pode entrar para o livro dos recordes por causa de sua aparência curiosa

INTERNACIONAL |

Maria Cunha*,

do R7

Uma cabra no Paquistão ficou famosa por ter uma aparência curiosa. O filhote nasceu no início de junho em uma fazenda próxima da cidade de Karachi com orelhas de 48,26 centímetros, quase meio metro cada.Apesar do apelido carinhoso de Dumbo, uma referência ao personagem da Disney que é um elefante com orelhas gigantes,  o nome escolhido foi Simba, outra referência a um personagem do estúdio americano, eternizado no filme “O Rei Leão”.

Se engana, porém, quem acha que esse é o tamanho máximo das orelhas do bichinho. Mesmo já sendo longas o suficiente para arrastarem pelo chão, vão continuar crescendo até a idade adulta.

O dono da cabra é Muhammad Hassan Narejo, que virou uma celebridade local, defende que as orelhas de Simba são as maiores do mundo. “Esperamos que, em breve, Simba seja um recordista mundial do Guinness”.

Atualmente, não existe uma cabra que foi reconhecida pelo tamanho exagerado de suas orelhas, mas certamente a cabra paquistanesa está com uma grande vantagem.

As orelhas das cabras núbias, a mesma raça de Simba, já são maiores do que a média em comparação com outras cabras e são o resultado de muitos anos de evolução. Essa característica física ajuda que os animais enfrentem as altas temperaturas dos verões paquistaneses.

Acredita-se que Simba tenha alguma mutação genética rara que faça com que suas orelhas cresçam tanto.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Marques

Continuar lendo CABRA NO PAQUISTÃO FICOU FAMOSA POR NASCER COM ORELHAS DE QUASE MEIO METRO

TAXA DE INFLAÇÃO ANUAL DO CANADÁ ACELEROU REGISTRANDO MAIOR ALTA EM 40 ANOS

Inflação no Canadá atinge maior alta em 40 anos

O preço da gasolina foi o grande vilão

Nas bombas, o combustível ficou 12% mais caro para os canadenses

Nas bombas, o combustível ficou 12% mais caro para os canadenses | Foto: Reprodução/Unsplash

A taxa de inflação anual do Canadá acelerou para 7,7% em maio, registrando a maior alta desde janeiro de 1983. O índice foi divulgado pelo Escritório Nacional de Estatísticas do país nesta quarta-feira, 22.

No mês passado, a elevação da inflação ocorreu, em grande parte, por causa do preço mais alto da gasolina, que subiu 12% em maio. Segundo a divulgação, isso foi em decorrência da alta do petróleo, resultado da incerteza da oferta em meio à invasão da Ucrânia, bem como a maior demanda pelo combustível.

Serviços, como hotéis e restaurantes, também contribuíram para a elevação do índice, com as acomodações 40% mais caras. Os custos com a energia elétrica também subiram, chegando a 35% em maio na comparação anual.

Os preços dos alimentos permaneceram elevados em maio, com o valor médio quase 10% maior. Com esse cenário, os canadenses relataram que os produtos alimentícios foram os que mais pesaram no custo de vida das famílias. As interrupções na cadeia de suprimentos, os custos mais altos de transporte e insumos, continuaram pressionando a inflação no Canadá.

Continuar lendo TAXA DE INFLAÇÃO ANUAL DO CANADÁ ACELEROU REGISTRANDO MAIOR ALTA EM 40 ANOS

JORNALISTA RUSSO LANÇA LEILÃO DE PRÊMIO NOBEL PARA BENEFICIAR CRIANÇAS UCRANIANAS

Russo leiloa Prêmio Nobel com recorde de R$ 537 milhões para ajudar crianças ucranianas

Medalha com capa de ouro de 150 gramas vendida em Nova York será recebida por comprador anônimo

INTERNACIONAL 

ATUALIZADO EM 21/06/2022 – 10H54

Medalha do Prêmio Nobel e o jornalista russo Dmitri Muratov

DAVID ‘DEE’ DELGADO/REUTERS – MICHAEL M. SANTIAGO/AFP – 20.06.2022

O leilão da medalha do Prêmio Nobel lançado pelo jornalista russo Dmitri Muratov para beneficiar crianças ucranianas atingiu US$ 103,5 milhões (R$ 537 milhões), quebrando todos os recordes desse tipo de leilão.

Em venda organizada nesta segunda-feira (20) em Nova York, o editor-chefe do jornal investigativo independente Novaya Gazeta deu a um comprador anônimo a medalha de 196 gramas, que tem uma capa de ouro de 150 gramas, que obteve em conjunto com a jornalista filipina Maria Ressa “pelos seus esforços para salvaguardar a liberdade de expressão”.

O dinheiro arrecadado será destinado a um programa do Unicef para crianças ucranianas deslocadas pelo conflito e supera em muito os US$ 4,76 milhões que outra medalha Nobel alcançou em 2014.

“Muratov consultou o comitê do Nobel e recebeu permissão para apoiar sua decisão para que os lucros ajudem crianças e refugiados na Ucrânia”, disse Olav Njølstad, secretário do comitê que concede o prêmio.

“É um objetivo louvável. Só podemos felicitá-lo pelo resultado e torcer para que a ajuda chegue a quem mais precisa”, afirmou em email à AFP.

Em seus 120 anos de história, o Prêmio Nobel foi concedido a 975 indivíduos e organizações, recompensando carreiras em áreas como a promoção da paz, literatura, medicina, física, química e, desde 1968, economia.

Com o tempo, vários prêmios acabaram sendo leiloados pelos herdeiros, permitindo que uma dessas medalhas fosse conquistada sem ter sido distinguida com o reconhecimento por “um serviço à humanidade”.

O Nobel vendido por menos dinheiro em leilão foi o prêmio do francês Aristide Briand, distinguido em 1926 por seu papel na curta reconciliação entre França e Alemanha. Em 2008 foi adquirido por um museu e, sete anos depois, roubado por desconhecidos.

Há alguns anos, o apetite por essas medalhas começou a aumentar. Na última década, vários prêmios em física, química ou economia atingiram preços entre US$ 300 mil e US$ 400 mil.

Entre as medalhas do Prêmio Nobel da Paz, a do belga Auguste Beernaert, distinguido em 1909, chegou a US$ 661 mil, e o prêmio concedido ao argentino Carlos Saavedra Lamas em 1936 atingiu US$ 1,16 milhão.

Esse era o prêmio de medicina que detinha o recorde, mas o americano James Watson, um dos cientistas que descobriram a estrutura do DNA, arrecadou US$ 4,76 milhões em 2014.

Por outro lado, às vezes as expectativas de um leilão não são atendidas. A medalha concedida ao escritor americano William Faulkner, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura em 1949, foi retirada de um leilão depois que ele não conseguiu arrecadar o meio milhão de dólares que seus herdeiros esperavam ao pôr a peça à venda em 2013.

Continuar lendo JORNALISTA RUSSO LANÇA LEILÃO DE PRÊMIO NOBEL PARA BENEFICIAR CRIANÇAS UCRANIANAS

RÚSSIA CLASSIFICA PROIBIÇÃO PELA LITUÂNIA DE TRÂNSITO FERROVIÁRIO EM SEU TERRITÓRIO COMO “SEM PRECEDENTES E ILEGAL”

Lituânia proíbe o trânsito ferroviário pelo território russo de Kaliningrado

Rússia classificou a ação como ‘sem precedentes’ e ‘ilegal’

Com a interrupção do transporte, os materiais ficaram parados na ferrovia

Com a interrupção do transporte, os materiais ficaram parados na ferrovia | Foto: Reprodução/Redes sociais

A Lituânia proibiu o trânsito de materiais sancionados para a Rússia através da região de Kaliningrado (território russo na União Europeia).

A Rússia reagiu ao anúncio e afirmou nesta segunda-feira, 20, que a decisão é “sem precedentes” e é considerada “ilegal”, segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov. “Isso é uma violação de tudo”, disse.

Desde sábado 18, os trens de trânsito com mercadorias sujeitas a sanções da União Europeia não podem mais passar pela região, segundo o governador de Kaliningrado, Anton Alikhanov. A companhia ferroviária estatal lituana notificou a Rússia sobre a proibição.

A lista dos bens proibidos inclui material de construção, cimento, metais e “uma série de outros bens importantes tanto para a construção quanto para a produção”, segundo Alikhanov. Ainda segundo ele, a medida teria um impacto de 50% das importações do pequeno território.

A decisão da Lituânia é a mais recente de um Estado membro da UE a sancionar a Rússia depois da invasão da Ucrânia, em fevereiro

Kaliningrado

O enclave de Kaliningrado é um pequeno território que chegou a fazer parte da Prússia e passou a fazer parte da União Soviética, após o fim da Segunda Guerra Mundial. Encontra-se quase completamente separado do país, ficando entre a Lituânia e a Polónia, e é banhado pelo Mar Báltico — que acaba por ser a única ligação direta possível com a Rússia.

O pequeno território de Kaliningrado (em vermelho no mapa) é uma importante ligação do Mar Báltico com Belarus | Foto: Reprodução
Continuar lendo RÚSSIA CLASSIFICA PROIBIÇÃO PELA LITUÂNIA DE TRÂNSITO FERROVIÁRIO EM SEU TERRITÓRIO COMO “SEM PRECEDENTES E ILEGAL”

VEJA RELATOS DE PESSOAS QUE FAZEM PARTE DOS 26,6 MILHÕES DE REFUGIADOS EM TODO MUNDO

Dia Mundial do Refugiado: relatos de um afegão, um venezuelano e uma síria

Segundo dados da Acnur, quase 27 milhões de pessoas em todo o mundo são consideradas refugiadas

INTERNACIONAL

 Lucas Ferreira, do R7

O afegão Kazem Ahmad (à esq.), o venezuelanos Juan Kirpa (ao centro) e a síria Razan Suliman (à dir.)

MONTAGEM/R7

Segundo dados da Acnur (Agência da ONU para Refugiados), 26,6 milhões de pessoas são consideradas refugiadas em todo o mundo. As nações com o maior número de pessoas nesta situação são a Síria (6,8 milhões), Venezuela (4,6 milhões) e Afeganistão (2,7 milhões).

Para celebrar o Dia Mundial do Refugiado nesta segunda-feira (20), o R7 entrevistou um refugiado afegão, uma síria e um venezuelanos que são refugiado e contam as dificuldades e as particularidades da luta para fugir da guerra e da fome em seus países de origem.

Kazem Ahmad deixou o Afeganistão em 2011 por medo de ser forçado a servir ao lado do grupo extremista Talibã. O refugiado viveu alguns anos no Irã até conseguir chegar à Grécia, onde hoje é tradutor.

“A minha história é muito parecida com a de muitos jovens do meu país: não queria fazer parte do exército do Talibã. No Afeganistão, você é praticamente forçado a fazer isso depois dos 12 anos.”

Razan Suliman fugiu da cidade de Aleppo, na Síria, após uma guerra civil tomar conta do país. Além dos confrontos entre governo e oposição, a refugiada ainda sofria com o temor do grupo terrorista Estado Islâmico, que dominou parte de seu país.

“Quem está na Síria ainda enfrenta a guerra. A situação deles é muito difícil, sem trabalho e algumas das casas não têm agua ou luz. Nada de uma vida humana normal.”

Juan José Kirpa saiu da Venezuela e veio ao Brasil em busca de trabalho. Segundo o refugiado, ele e sua família enfrentaram um duro racionamento alimentar empregado pelo governo de Nicolás Maduro.

“Infelizmente tive que deixar muita coisa para trás. Família, história, amigos… Nossa, quantas coisas deixei para trás.”

Fonte: R7

Continuar lendo VEJA RELATOS DE PESSOAS QUE FAZEM PARTE DOS 26,6 MILHÕES DE REFUGIADOS EM TODO MUNDO

NOVO PRESIDENTE DA COLÔMBIA SERÁ ELEITO NESTE DOMINGO (19)

Colombianos vão às urnas para eleger o presidente do país

O esquerdista Gustavo Petro e o milionário independente Rodolfo Hernández estão empatados nas intenções de votos

INTERNACIONAL

 Do R7, com AFP

O esquerdista Gustavo Petro (à esquerda) e o milionário Rodolfo Hernández (à direita)O esquerdista Gustavo Petro (à esquerda) e o milionário Rodolfo Hernández (à direita)RAUL ARBOLEDA / AFP

Os colombianos vão às urnas, neste domingo (19), para eleger o novo presidente do país entre o esquerdista Gustavo Petro, de 62 anos, e o milionário independente Rodolfo Hernández, de 77 anos, que derrotaram os partidos tradicionais para prometer uma nova era política.

No primeiro turno, realizado no dia 29 de maio, o senador e ex-guerrilheiro venceu com 40% dos votos contra 28% o magnata da construção. Os dois candidatos estão empatados em inteções de voto para suceder o impopular Iván Duque e as pesquisas antecipam uma disputa acirrada.

“Um resultado muito apertado afetará a governabilidade de qualquer um dos dois”, diz Luisa Lozano, cientista política da Universidade de La Sabana.

A Colômbia enfrentou protestos sangrentos e massivos em 2019, 2020 e 2021 que já refletiam uma sociedade dividida e em transformação no segundo país mais desigual do continente, de acordo com a Comissão Econômica para a América Latina e Caribe.

Os dois candidatos se envolveram em uma campanha suja e agressiva. O eleitorado já mostrou que está farto e agora vai decidir se instala a esquerda no poder pela primeira vez ou um excêntrico sem partido que promete banir a corrupção.

Perfil dos candidatos à presidência que disputam o segundo turno na Colômbia

Mudança e castigo

Petro e Hernández encarnam o desejo popular de mudança e a punição das elites que historicamente governaram este país com um conflito armado de seis décadas, a maior produção de cocaína do mundo e uma sociedade polarizada empobrecida pela pandemia. Seus programas e formas são opostos.

Petro é um economista que concorre à presidência pela terceira vez. Pegou em armas contra o Estado e assinou a paz em 1990. Mais tarde, destacou-se como deputado da oposição e tornou-se prefeito de Bogotá (2012-2015), onde conquistou opositores por seu estilo “autoritário” e pelo plano caótico de nacionalizar a coleta de lixo.

“Não chegarei ao governo para buscar vingança pessoal (…) nem pensarei em confiscar ou minar” a propriedade privada, prometeu diante dos temores despertados por um governo de esquerda sem precedentes com um ex-guerrilheiro à frente da economia e das forças militares.

Gustavo Petro concorre à presidência da Colômbia pela terceira vez

Seu rival é um engenheiro que fez fortuna como construtor. Foi prefeito de Bucaramanga (2016-2019), cidade de 600 mil habitantes onde é muito popular por sua autoconfiança, austeridade e por ter limpado as finanças públicas.

Nesta campanha desembarcou como um ‘outsider’ milionário, muito ativo no TikTok que surpreendentemente tirou o direita da disputa.

“Podem votar em quem vai tirar o dinheiro do seu bolso ou em mim, que vai colocar o dinheiro no bolso de todos”, diz.

Rodolfo Hernández é um engenheiro que fez fortuna como construtor e goi prefeito de Bucaramanga

Hernández, que unifica sua proposta de desburocratização e combate à corrupção, é chamado a julgamento por irregularidades em um contrato durante sua gestão. Imprevisível, geralmente se retrata de seus ditos intemperantes.

“Ambos são igualmente incertos e arriscados, porque são impulsivos na tomada de decisões”, observa Germán Prieto, cientista político da Universidade Javeriana.

Como candidatas à vice-presidência, escolheram duas mulheres negras. A ambientalista Francia Márquez acompanha Petro e a acadêmica conservadora Marelen Castillo é o binômio de Hernández.

As candidatas à vice-presidência da Colômbia

Desafios

O próximo presidente colombiano terá que dar respostas a um país de 50 milhões de habitantes onde a pobreza chega a 39%, o desemprego a 11,1% e a informalidade a 44,5%.

A violência também ganhou terreno com vários grupos armados financiados por narcotraficantes, centenas de líderes sociais assassinados, milhares de pessoas deslocadas e fronteiras inseguras.

O acordo de paz de 2016 com os rebeldes das Farc diminuiu sem extinguir o conflito.

Diante dos muitos desafios, Petro pretende fortalecer o Estado, aumentar os impostos dos ricos, reformar a previdência e o sistema de saúde e parar a exploração de petróleo em prol de energias limpas.

Sem maioria garantida, tem uma bancada importante para realizar seus projetos no Congresso.

Seu oponente, por outro lado, apela ao capitalismo e à austeridade.

Hernández recebeu o apoio das forças que detestam Petro, mas em princípio não teria apoio parlamentar. Também enfrenta um julgamento por corrupção que pode tirá-lo da presidência enquanto se defende perante o Supremo Tribunal Federal.

Petro representa uma “mudança dramática, antiestrutura, antissistema, antitradicionalismo”, mas Hernández “tirou essas bandeiras dele”, diz Lozano.

E no front externo, apenas uma certeza: a Colômbia, de mãos dadas com Petro, entraria pela primeira vez no trem da esquerda que de vez em quando viaja pela América Latina. Hernández, por outro lado, é indiferente à política externa.

Continuar lendo NOVO PRESIDENTE DA COLÔMBIA SERÁ ELEITO NESTE DOMINGO (19)

ITALIANO TETRAPLÉGICO FOI O PRIMEIRO CASO DE SUICÍDIO ASSISTIDO DO PAÍS

Homem tetraplégico faz 1º suicídio assistido da Itália após briga judicial

Federico Carboni era motorista de caminhão e ficou paralisado do pescoço para baixo depois de um grave acidente de trânsito

INTERNACIONAL 

 Do R7, com informações da Reuters

Federico Carboni foi a primeira pessoa a ter permissão para o suicídio assistido na Itália

REPRODUÇÃO SITE/ASSOCIAÇÃO LUCA CONSCIONI

Um italiano morreu na última quinta-feira (16) no primeiro caso de suicídio assistido da Itália, segundo uma associação que faz campanha pela eutanásia legal.

Federico Carboni, 44, era ex-motorista de caminhão e ficou tetraplégico, há 12 anos, após um acidente de trânsito.

O homem morreu com a família ao lado da cama dele depois de administrar um coquetel de medicamentos letais. Uma máquina especialmente projetada para esse fim foi utilizada.

“Não nego que me arrependo de ter me despedido da vida”, disse ele à Associação Luca Coscioni, que o ajudou a superar a resistência dos tribunais e das autoridades de saúde.

“Fiz tudo o que pude para viver da melhor maneira possível e tentar aproveitar ao máximo minha deficiência, mas agora estou no fim das minhas forças, tanto mental quanto fisicamente”, completou Carboni.

O Tribunal Constitucional da Itália abriu o caminho para o suicídio assistido em 2019, diante da forte oposição de partidos conservadores e da Igreja Católica Romana, mas disse que as autoridades de saúde locais precisam revisar e aprovar cada pedido.

Alguns pacientes em busca de autorização acusaram as autoridades de arrastarem deliberadamente para não decidir a respeito do tema.

Carboni obteve permissão para receber os medicamentos letais em novembro de 2021, depois de vencer dois processos judiciais e superar uma recusa inicial dos órgãos de saúde.

Em decisão final, um painel de ética disse que a condição de Carboni atendeu aos requisitos estabelecidos pelo Tribunal Constitucional, que incluíam uma patologia crônica e irreversível causando um sofrimento que a pessoa considera intolerável.

O caso dele ajudou a movimentar o apoio aos defensores do direito de morrer, que, no ano passado, coletaram mais de um milhão de assinaturas para tentar forçar um referendo que tornaria a eutanásia mais acessível.

No entanto, o Tribunal Constitucional rejeitou a petição, dizendo que uma votação sobre o assunto não protegeria suficientemente as pessoas “fracas e vulneráveis”.

“Continuaremos lutando para que obstruções semelhantes e violações da vontade dos doentes não se repitam”, afirmou a Associação Luca Coscioni.

Buscando ajuda

O suicídio assistido é um tema controverso que, apesar de ter autorização legal na Suíça, Bélgica, Holanda, Luxemburgo e Espanha, é amplamente questionado mundialmente.

Também não deve ser confundido com o suicídio comum, que é um ato de desespero de alguém em profundo sofrimento psicológico. Essas pessoas podem — e devem — procurar ajuda.

Depressão é uma doença para o qual há tratamento, e é possível voltar a ter uma vida normal.

No Brasil, o CVV (Centro de Valorização à Vida) oferece atendimento gratuito para acolhimento de pessoas que em algum momento cogitaram tirar a própria vida.

A entidade, sem fins lucrativos, foi fundada há 57 anos e tem representação em 19 estados e no Distrito Federal. O telefone 188 (gratuito para todo o país) é o principal canal de atendimento.

Milhares de voluntários que integram o CVV trabalham diariamente. Também é possível entrar em contato pelo chat no site, no qual disponibiliza uma lista de endereços físicos das unidades.

Continuar lendo ITALIANO TETRAPLÉGICO FOI O PRIMEIRO CASO DE SUICÍDIO ASSISTIDO DO PAÍS

SERVIÇO DE INTELIGÊNCIA DA HOLANDA IMPEDIU ESPIÃO RUSSO DE ENTRAR NO TRIBUNAL PENAL INTERNACIONAL DE HAIA

Espião russo usa passaporte brasileiro para tentar entrar no Tribunal Penal Internacional

Segundo o serviço de inteligência da Holanda, homem queria investigar os supostos crimes de guerra cometidos na Ucrânia

INTERNACIONAL

 Do R7, com AFP e EFE

Espião russo tentou entrar no prédio do Tribunal Penal Internacional

PIROSCHKA VAN DE WOUW/REUTERS – 31/03/2021

O serviço de inteligência da Holanda informou, nesta quinta-feira (16), que havia impedido, em abril, um espião russo de acessar o Tribunal Penal Internacional, com sede na cidade holandesa de Haia. O objetivo do suspeito seria investigar supostos crimes de guerra cometidos desde o início da invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro.

O espião usava um passaporte brasileiro com o nome  de Viktor Muller Ferreira e data de nascimento de 4 de abril de 1989, mas na verdade ele se chama Sergey Vladimirovich Cherkasov e nasceu em 11 de setembro de 1985.

 

O espião russo foi considerado uma “ameaça à segurança nacional” e teve a sua entrada na Holanda negada. Ele foi enviado de volta ao Brasil no primeiro voo com saída de Amsterdã.

O homem em questão planejava iniciar um trabalho no Tribunal Penal Internacional, o que lhe daria acesso ao prédio e aos sistemas do tribunal. Segundo o serviço de inteligência da Holanda, ele usava uma “identidade falsa bem construída, que escondia todos os vínculos com a Rússia em geral e com a inteligência militar russa em particular”.

“Se o oficial de inteligência tivesse obtido acesso ao Tribunal Penal Internacional, ele teria sido capaz de reunir informações, buscar (ou recrutar) fontes e organizar o acesso aos sistemas digitais da corte”, influenciado os procedimentos criminais, disse o serviço de inteligência holandês.

Esta não é a primeira vez que a Holanda expulsa espiões russos. Uma das ocasiões mais controversas foi em 2018, quando o país deportou quatro agentes dos serviços secretos russos que planejavam atacar, em uma época de investigações-chave sobre Moscou, a rede de internet da Opaq (Organização para a Proibição de Armas Químicas), também em Haia.

Em março deste ano, o governo holandês expulsou 17 “oficiais de inteligência” de Moscou que estavam ligados a representações russas na Holanda “sob cobertura diplomática” e argumentou que a presença desses espiões no país era “uma ameaça à segurança nacional”.

Nem a Rússia nem a Ucrânia são membros do tribunal, mas Kiev aceitou a jurisdição da corte e está trabalhando com a promotoria na investigação de possíveis crimes de guerra e crimes contra a humanidade cometidos em território ucraniano.

Continuar lendo SERVIÇO DE INTELIGÊNCIA DA HOLANDA IMPEDIU ESPIÃO RUSSO DE ENTRAR NO TRIBUNAL PENAL INTERNACIONAL DE HAIA

EMPRESA AMERICANA DE CONTROLE DE PRAGAS ESTÁ OFERECENDO CERCA DE R$ 10 MIL PARA INFESTAR CASAS COM BARATAS

Empresa americana oferece mais de R$ 10 mil para quem aceitar viver com cem baratas

Experimento deseja fazer testes em um ambiente real de um novo veneno que será usado para o controle de pragas urbanas

INTERNACIONAL

Maria Cunha*, do R7

A Pest Informer, uma empresa de controle de pragas com sede na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, está oferecendo cerca de R$ 10 mil para infestar casas com baratas.A ideia é testar um novo veneno que será usado para o controle de pragas em um ambiente real. Para isso, serão selecionadas entre cinco e sete residências que ficarão cheias de insetos.

Segundo o tabloide britânico Daily Mail, será usada “uma técnica específica de controle de pragas”.

O experimento também espera descobrir quão eficaz será o novo produtor para combater pragas urbanas.

Quem aceitar participar do teste dá à empresa o direito de liberar cem baratas na própria casa, além de permitir que toda a experiência seja filmada.

Caso qualquer um dos insetos sobreviva após a conclusão do experimento, a Pest Informer se ofereceu para acabar com a infestação com produtos já usados para esse tipo de trabalho sem nenhum custo.

A empresa ainda diz que a experiência levará um total de 30 dias. O jornal New York Post relata que o produto usado é seguro para famílias e animais de estimação.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Marques

Continuar lendo EMPRESA AMERICANA DE CONTROLE DE PRAGAS ESTÁ OFERECENDO CERCA DE R$ 10 MIL PARA INFESTAR CASAS COM BARATAS

JUSTIÇA MEXICANA PROÍBE TOURADA NA PLAZA MÉXICO CONSIDERADA MAIOR ARENA DO MUNDO

Juiz afirma que os animais passam por ‘sofrimento desnecessário’; decisão pode influenciar outras suspensões pelo país

INTERNACIONAL

 Do R7

Tourada estão proibidas na Plaza México, considerada a maior arena do mundo

MARIO GUZMÁN/EFE 15/05/2022

A justiça mexicana proibiu a realização de touradas na Plaza México, na Cidade do México, considerada a maior arena no mundo com espaço para 42 mil pessoas. A decisão foi divulgada na última sexta-feira (10) depois que o juiz do tribunal administrativo Jonathan Bass Herrera acatou a um pedido da organização Justicia Justa. As informações foram publicadas pelo jornal espanhol El País.

O argumento usado para pedir a suspensão desses espetáculos foi que as leis que permitem as touradas são inconstitucionais porque permitem que os animais sejam tratados de forma degradante.

“A suspensão definitiva não viola a ordem pública e nem afeta o interesse social, mas, ao contrário, permite que as autoridades exerçam seus poderes legais para impedir violações do direito ao meio ambiente saudável que causa mortes injustificadas, cruéis e o sofrimento desnecessário de touros bravos”, escreveu Bass em sua decisão.

O juiz descreve em 50 páginas os detalhes dos danos emocionais e físicos que são causados aos animais durante as touradas: “Dor excessiva e agonizante que leva à morte por hemorragia grave ou parada respiratória.”

Em nota, a empresa Tauro Plaza México disse que “continuará sua defesa legal dos costumes e tradições mexicanas” para lutar a favor das touradas. Em 76 anos, esta é a primeira vez que o espaço está proibido de realizar a atração, tirando o período em que as atividades foram suspensas devido à pandemia de Covid-19.

Segundo a imprensa espanhola, os responsáveis por organizar esses eventos na capital mexicana têm 10 dias para recorrer à decisão da justiça. Durante o processo judicial, que pode durar meses, os touros e os toureiros permanecerão afastados da arena.

“As touradas não são declaradas inconstitucionais, mas sim reconhecidas pela constituição”, disse ao El País Mario Zulaica, gerente da empresa que administra a arena.

A decisão afeta apenas a Plaza México, mas é uma brecha para que decisões semelhantes sejam tomadas pela justiça mexicana em outras cidades.

Continuar lendo JUSTIÇA MEXICANA PROÍBE TOURADA NA PLAZA MÉXICO CONSIDERADA MAIOR ARENA DO MUNDO

ITALIANA COM 100 ANOS RENOVA CARTEIRA DE HABILITAÇÃO

 

Com 100 anos, mulher renova carteira de motorista

Candida Udezo raramente toma remédios

Candida Uderzo, no volante | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Candida Uderzo, no volante | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Com 100 anos de idade, a italiana Candida Udezo possui uma ótima visão, tem reflexos apurados e sabe conduzir muito bem um carro. É o que dizem os avaliadores que permitiram que ela renovasse a carteira de motorista para dirigir.

Atualmente, ela vive em Breganze, na província italiana de Vicenza. O Corriere della Sera, um jornal local, informou que Candida teve sua licença renovada para os próximos dois anos.

“Eu sempre dirigi e gosto de ser independente, principalmente para não ser um peso ao meu filho”, disse Candida, com a carteira de motorista renovada. “Essa renovação me deixou muito feliz e me fará sentir livre por mais tempo.”

Ela também não escondeu que a boa saúde surpreende a si mesma. Candida garante que raramente toma remédios.

“Eu acredito que tenho sorte”, afirmou. “Eu tenho 100 anos e ser tão saudável também me surpreende. Eu nunca tomo remédios, no máximo de vez em quando alguns comprimidos para dormir.”

A única coisa que a mulher lamentou foi a morte do marido, mas esse acontecimento foi o ponto de virada na vida de Uderzo. Ele morreu aos 54 anos, quando Candida tinha 48 anos.

“Pensava que continuar viva significava aproveitar ao máximo e não abrir mão de nada”, declarou. “Primeiro comecei a caminhar e a fazer longas caminhadas com meus amigos, isso me ajudou muito a superar o luto. Eu me inscrevi em um grupo de caminhada de Breganze e, desde aquele momento, não perco um passeio. Todos os domingos às 6 horas da manhã, você me encontra na porta de casa pronta para sair

Fonte: R7

 

Continuar lendo ITALIANA COM 100 ANOS RENOVA CARTEIRA DE HABILITAÇÃO

ACORDO ANUNCIADO PELOS SENADORES DOS EUA PREVÊ MAIS RIGOR PARA COMPRADORES DE ARMAS

Senadores americanos anunciam acordo para limitar a violência com armas de fogo

Medidas incluem mais rigor no controle de antecedentes para os compradores de armas, mas estão longe das demandas de Biden

INTERNACIONAL

por AFP

Medidas do Senado dos Estados Unidos ocorrem após massacres em Nova York e no Texas

CHANDAN KHANNA/AFP – 25.5.2022

Um grupo bipartidário de senadores dos Estados Unidos anunciou neste domingo (12) um acordo para limitar a violência com armas de fogo após tiroteios no Texas e em Nova York, mas as medidas incluídas estão longe das demandas apresentadas pelo presidente Joe Biden.

O acordo prevê mais rigor no controle de antecedentes para os compradores de armas com menos de 21 anos, o aumento dos recursos para que os estados mantenham tais armamentos fora das mãos de pessoas consideradas de risco e o combate ao comércio ilegal.

“Hoje anunciamos uma proposta bipartidária de senso comum para proteger as crianças americanas, manter nossas escolas seguras e reduzir a ameaça da violência em todo o país”, afirma um comunicado conjunto do grupo de 20 congressistas, democratas e republicanos.

 

estudantes, além de ajudar a garantir que os criminosos perigosos e os que são considerados pacientes mentais não possam comprar armas”, afirma o texto.

Os senadores também pediram um investimento maior em serviços de saúde mental e para a segurança nas escolas, assim como a inclusão das condenações por violência doméstica e as ordens de restrição no banco de dados nacional de verificação de antecedentes.

Biden celebrou o anúncio e pediu aos congressistas que aprovem o acordo rapidamente, mas deixou claro que as medidas não são tão profundas como gostaria.

“Obviamente, não inclui tudo o que acho necessário, mas reflete passos importantes na direção correta e seria a legislação sobre segurança de armas mais significativa a ser aprovada no Congresso em décadas”, disse o presidente em um comunicado.

“Com o apoio bipartidário, não há desculpas para o atraso e nenhuma razão para que não passe rapidamente pelo Senado e pela Câmara”, acrescentou.

O presidente havia solicitado reformas ainda mais profundas, como a proibição das vendas públicas de fuzis ou pelo menos o aumento da idade mínima de compra de tais armas, assim como reforço dos comprovantes de antecedentes do cliente.

A Câmara de Representantes, controlada pelos democratas, aprovou um amplo pacote de propostas que incluía o aumento da idade de compra da maioria dos fuzis semiautomáticos de 18 para 21 anos.

Mas o partido não tem os 60 votos necessários para fazer o pacote avançar no Senado, o que deixa o acordo bipartidário como a única esperança de medidas federais para enfrentar a violência com armas de fogo no país.

Continuar lendo ACORDO ANUNCIADO PELOS SENADORES DOS EUA PREVÊ MAIS RIGOR PARA COMPRADORES DE ARMAS

REABERTURA DE ESCOLAS EM PEQUIM É ADIADA DEVIDO NOVA ONDA DE COVID-19

Pequim adia reabertura de escolas por nova onda de Covid-19

As autoridades haviam anunciado um plano de retorno às aulas por etapas a partir da próxima semana

Muitos alunos dos ensinos fundamental e médio continuarão com aulas remotas

REUTERS

A maioria das crianças de Pequim não poderá voltar à escola na próxima semana, como estava previsto, devido a uma nova onda de coronavírus, anunciaram as autoridades chinesas neste sábado (11).

Muitos alunos dos ensinos fundamental e médio “continuarão com aulas remotas” na segunda-feira, informou o porta-voz do governo local, Xu Hejian, neste sábado.

As autoridades haviam anunciado um plano de retorno às aulas por etapas a partir da próxima semana.

A China é o último país que aplica a estratégia “covid zero”, que consiste em erradicar os casos com testes em larga escala e confinamentos. Mas os números da pandemia nos últimos meses provocaram o questionamento da política.

A cidade de Xangai, centro econômico do país, foi obrigada a adotar um confinamento de vários meses. Na capital Pequim impera o ensino à distância e o teletrabalho.

As autoridades de Pequim flexibilizaram várias restrições no início da semana, mas a detecção de novos casos provocou a retomada de várias medidas.

A cidade registra um surto de 115 casos relacionados com um bar, disse Liu Xiaofeng, secretário de Saúde do município.

Em Xangai, quase 20 milhões de pessoas começaram a ser submetidas a testes neste sábado, menos de duas semanas depois do confinamento rígido que irritou os moradores.

Neste sábado, a China registrou 138 novos casos de covid, quase metade deles em Pequim, segundo os números oficiais.

Fonte: R7

Continuar lendo REABERTURA DE ESCOLAS EM PEQUIM É ADIADA DEVIDO NOVA ONDA DE COVID-19

EUA DECIDEM DEIXAR DE EXIGIR TESTE DE COVID-19 PARA VIAJANTES INTERNACIONAIS

EUA deixam de exigir testes de Covid-19 a viajantes internacionais

Segundo a imprensa americana, medida passa a valer a partir da meia-noite do próximo domingo (12);

INTERNACIONAL  

por Agência EFE

EUA decidem deixar de exigir testes de covid-19 a viajantes internacionais

CAROLINE BREHMAN/EFE

Os Estados Unidos deixarão de exigir aos viajantes internacionais que façam teste negativo de Covid-19 realizado nas últimas 24 horas para entrar no país, anunciou no Twitter um dos porta-vozes da Casa Branca Kevin Muñoz.

O anúncio oficial acontecerá nesta sexta-feira (10) e marcará o fim de uma das principais medidas dos EUA para evitar a propagação da Covid-19 através de viagens internacionais.

A emissora CNN, que antecipou a notícia, explicou que a nova norma entrará em vigor a partir da meia-noite de domingo (12).

Os Centros de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) do governo reavaliarão a situação em 90 dias e decidirão se a exigência de testes de Covid-19 deve ou não ser reimplementada, disse a CNN, citando um alto funcionário do governo.

Os requisitos de Covid-19 para viajantes internacionais estavam em vigor desde janeiro de 2021 e foram implementados pelo presidente dos EUA, Joe Biden.

Inicialmente, as regras exigiam que os viajantes internacionais apresentassem comprovação de teste negativo realizado nos últimos três dias para entrar no país. Mas, em novembro do ano passado, quando a variante ômicron disparou o número de casos, Biden estabeleceu que os testes de Covid-19 deveriam ser realizados 24 horas antes da entrada em território americano.

Além disso, ficou estabelecido que quem não é cidadão americano ou residente permanente deve apresentar documentação que comprove que está vacinado contra a Covid-19.

Este requisito permanecerá em vigor, uma vez que a única alteração é a regra sobre testes de Covid-19.

As principais companhias aéreas dos EUA e o setor de turismo pressionam há meses o governo Biden para remover as restrições devido à Covid-19, argumentando que estavam prejudicando o turismo internacional.

Continuar lendo EUA DECIDEM DEIXAR DE EXIGIR TESTE DE COVID-19 PARA VIAJANTES INTERNACIONAIS

SEGUNDO A ONU, QUASE 5 MILHÕES DE UCRANIANOS SÃO CONSIDERADOS REFUGIADOS NA EUROPA

Número de ucranianos registrados como refugiados na Europa está próximo de 5 milhões, diz ONU

Desde o início da invasão russa, 44 países europeus fizeram registros de refúgio de pessoas que saíram da Ucrânia

Idosa tenta sair da Ucrânia em meio à invasão russaIdosa tenta sair da Ucrânia em meio à invasão russa JORGE SILVA/REUTERS – 03.05.2022

Quase 5 milhões de ucranianos foram registrados como refugiados em toda a Europa desde que a Rússia invadiu o país, há menos de quatro meses, informou a ONU (Organização das Nações Unidas) nesta quinta-feira (9).

“A guerra na Ucrânia desencadeou uma das maiores crises de deslocamento humano do mundo”, disse o Acnur (Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados).

Uma atualização do portal de dados do órgão sobre a situação na Ucrânia, que visa refletir os movimentos de saída e entrada no país devastado pela guerra, mostra que 4.816.923 ucranianos se registraram como refugiados em 44 nações europeias desde 24 de fevereiro.

Os dados do Acnur revelam que, até o dia 7 de junho, mais de 7,3 milhões de passagens para fora da Ucrânia foram registradas. Outros 2,3 milhões de travessias de volta para o país foram computados, segundo os dados.

Segundo a ONU, mulheres e crianças representam 90% dos que fugiram para o exterior, pois homens entre 18 e 60 anos são elegíveis para o serviço militar e não podem deixar o país.

No total, a Organização Internacional para as Migrações da ONU estima que mais de 8 milhões de pessoas tenham sido deslocadas dentro do país.

Mais da metade das pessoas que deixaram a Ucrânia foi para a vizinha Polônia, que registrou 3,8 milhões de chegadas.

Fonte: R7
Continuar lendo SEGUNDO A ONU, QUASE 5 MILHÕES DE UCRANIANOS SÃO CONSIDERADOS REFUGIADOS NA EUROPA

PRESIDENTE DOS EUA PODE TER ENCONTRO COM PRESIDENTE DO BRASIL NA CÚPULA DAS AMÉRICAS

Biden busca aproximação de líderes latino-americanos na Cúpula das Américas

Presidente dos EUA pode ter encontro bilateral com Bolsonaro; evento ter a presença de mais de 20 chefes de Estado

O presidente dos EUA, Joe Biden, discursa no Rehoboth Beach Convention Center, em Delaware

TOM BRENNER/REUTERS – 03.06.2022

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, abre oficialmente nesta quarta-feira (8) em Los Angeles a 9ª edição da Cúpula das Américas, onde espera fará ofertas de financiamento e diálogo aos colegas da região.

O encontro, que deve ter a presença de mais de 20 chefes de Estado, começa ofuscado pelo boicote do presidente do México, Andrés Manuel López Obrador (AMLO), que desistiu de participar porque Washington não convidou Cuba, Nicarágua e Venezuela, por considerar que os três países não cumprem os parâmetros de uma democracia. A presença de AMLO era crucial para abordar a crise de migração regional.

O governo Biden minimizou a questão e prosseguiu com os planos para consolidar os vínculos com a América Latina, onde a China faz cada vez mais avanços.

Horas antes da chegada de Biden a Los Angeles, sua administração anunciou a criação de um novo Corpo de Saúde das Américas para melhorar a formação de 500 mil profissionais da saúde na região, aproveitando as lições da pandemia de Covid-19.

A capacitação em saúde custará 100 milhões de dólares, mas Washington não pagará por tudo e buscará uma arrecadação de fundos.

Na última terça-feira (7), a vice-presidente americana Kamala Harris anunciou investimentos privados de 1,9 bilhão de dólares para estimular a criação de empregos e conter a migração para os EUA a partir de Honduras, Guatemala e El Salvador.

Harris se reuniu na terça-feira com empresários e representantes da sociedade civil. Ela falou sobre as causas que estimulam a migração, no momento em que a fronteira sul dos Estados Unidos registra números recordes de migrantes interceptados procedentes de países como Venezuela, Nicarágua ou Haiti.

Mauricio Claver-Carone, presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento, declarou à AFP que a América Latina pode ser vista como um “mar de paz” para os investidores, em meio às turbulências provocadas pela invasão da Rússia à Ucrânia.

“A América Latina e o Caribe podem ser uma solução para esses problemas de abastecimento, seja de manufatura na Ásia ou de alimentos e energia na Europa”, disse.

Como parte do apoio à região, o chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, anunciou na terça-feira o lançamento de uma nova “Rede de Comunicação Digital” para a América Latina.

Com a iniciativa, os jornalistas poderão trocar experiências e combater a desinformação que, destacou Blinken, teve um papel importante durante o avanço da pandemia de Covid-19.

A Cúpula das Américas, que não acontecia nos Estados Unidos desde 1994, começou na segunda-feira com pouco entusiasmo.

Encontro entre Biden e Bolsonaro

Apesar das várias ausências, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, anunciou sua presença e, inclusive, deve ter um encontro bilateral com Biden.

Poucas horas antes do encontro, Bolsonaro, que foi aliado do ex-presidente americano Donald Trump, voltou a questionar a eleição de Biden em 2020.

Nayib Bukele, presidente de El Salvador e outro político importante para a questão migragória, ainda não revelou se viajará a Los Angeles.

Em contrapartida, o presidente do Chile, Gabriel Boric, estreante no evento, foi um dos primeiros a chegar.

Em seu discurso, Biden anunciará uma aliança com a América Latina para melhorar a situação econômica, em plena recuperação pós-pandemia, com o objetivo de mobilizar investimentos, informou uma fonte do governo.

Com a segurança reforçada ao redor da zona hoteleira e do Centro de Convenções de Los Angeles, onde acontecerão as plenárias, vários protestos também estão previstos para os próximos dias.

Representantes indígenas da Amazônia se reunirão nesta quarta-feira para criticar as atividades extrativistas na floresta, que engloba oito países da região.

“O destino da Amazônia está nas mãos dos líderes que se reúnem aqui. É o futuro da vida no planeta, precisamos agir”, declarou à AFP a fundadora e presidente da organização Amazon Watch, Atossa Soltani, que criticou a exclusão de líderes dessas comunidades do evento.

Continuar lendo PRESIDENTE DOS EUA PODE TER ENCONTRO COM PRESIDENTE DO BRASIL NA CÚPULA DAS AMÉRICAS

ESTUDO COM MEDICAMENTO PARA PACIENTES COM CÂNCER RETAL SURPREENDE CIENTISTAS

Câncer: medicamento elimina a doença durante estudo

É a primeira vez na história que os cientistas obtêm o resultado

Os pacientes foram submetidos aos exames de imagem que não detectaram a doença

Os pacientes foram submetidos aos exames de imagem que não detectaram a doença | Foto: Divulgação/MSKCC

Um pequeno estudo com um medicamento para pacientes com câncer retal surpreendeu os cientistas pelo resultado. Dos 12 pacientes que fizeram o mesmo tratamento com imunoterapia (que usa o sistema imunológico do paciente para combater a doença), todos tiveram uma notícia animadora: o câncer havia desaparecido ficando indetectável em exames físicos, endoscopia, tomografia e ressonância magnética.

“Acredito que esta seja a primeira vez que isso acontece na história do câncer”, disse o autor do estudo, Luis Diaz Jr, do Centro de Câncer Memorial Sloan Kettering. O artigo foi publicado em 5 de junho na revista científica New England Journal of Medicine.

O estudo foi patrocinado pela empresa farmacêutica GlaxoSmithKline. O artigo foi apresentado na reunião anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica.

O estudo

Os pacientes receberam o dostarlimab, um medicamento conhecido por ser inibidor de pontos de controle. Foram escolhidos pacientes com câncer retal localmente avançado — tumores que se espalharam no reto e às vezes para os gânglios linfáticos, mas não para outros órgãos.

A medicação foi dada a cada três semanas durante seis meses e custou cerca de US$ 11 mil (cerca de R$ 52 mil) por dose. O medicamento ajudou a desmascarar as células cancerosas, permitindo que o sistema imunológico identificasse quais eram e as destruísse. Segundo os pesquisadores, não houve efeito colateral significativo.

Resultados

Os pacientes que enfrentam um câncer retal passam por uma dura rotina de tratamento, com quimioterapia e radioterapia e cirurgia.

Os 12 pacientes que participaram do estudo acreditavam que ao terminar a pesquisa teriam que passar por esses procedimentos, porque ninguém esperava realmente que seus tumores desaparecessem. No entanto, tiveram uma surpresa: nenhum tratamento adicional foi necessário.

Em um editorial que acompanha o artigo, Hanna Sanoff, do Centro Abrangente de Câncer Lineberger, da Universidade da Carolina do Norte, que não participou do estudo, o chamou de “pequeno, mas interessante”.

Os autores do estudos disseram na conclusão da pesquisa que, apesar dos resultados promissores, “É necessário um acompanhamento mais longo para avaliar a duração da resposta”.

Continuar lendo ESTUDO COM MEDICAMENTO PARA PACIENTES COM CÂNCER RETAL SURPREENDE CIENTISTAS

NA FRANÇA, HOMEM É ACUSADO DE ATACAR COM AGULHA PESSOAS EM BOATES E FESTIVAIS D MÚSICAS

Homem é preso na França por atacar cerca de 20 pessoas com agulhas em um show

Uma mulher que estava no evento foi hospitalizada; desde o início do ano, pelo menos cem incidentes semelhantes foram registrados

França registrou pelo menos cem ataques com agulhas desde o início do ano

PIXABAY

Promotores franceses acusaram um homem de 20 anos no sul da França de uma série de ataques com agulha em boates e festivais de música que criaram um clima de pânico e alarmaram as autoridades.

O homem foi preso e acusado no domingo (6), dois dias depois que cerca de 20 pessoas relataram ataques com agulha na noite de sexta-feira (3) durante um show televisionado em Toulon (sul da França).

Uma mulher foi hospitalizada e a polícia precisou intervir devido ao pânico gerado por esses ataques.O homem, que foi identificado por duas mulheres, foi acusado de agressão premeditada com violência, segundo os promotores. O detido nega as acusações.Desde o início do ano, houve pelo menos cem incidentes semelhantes em todo o país, com jovens que alegaram ter sido feridos com agulhas em boates e festivais de música.

Outros novos ataques parecidos ocorreram no último fim de semana em dois festivais de música. Seis adolescentes, de 17 e 18 anos, relataram ter perfurado as mãos ou braços, durante um festival em Belfort, no leste da França.

Outras sete pessoas disseram ter sofrido ferimentos com agulhas no festival Vic-Fezensac, no sudoeste do país, onde um indivíduo foi preso, segundo o procurador-regional Jacques-Edouard Andrault.

A maioria das vítimas desde o início do ano é de mulheres jovens, que muitas vezes sofreram náuseas, vertigens ou dores fortes após os ataques.

Continuar lendo NA FRANÇA, HOMEM É ACUSADO DE ATACAR COM AGULHA PESSOAS EM BOATES E FESTIVAIS D MÚSICAS

TERMINA AS COMEMORAÇÕES DOS 70 ANOS DE REINADO DA RAINHA ELIZABETH II

Jubileu de Platina termina com aparição da rainha Elizabeth e desfile

Monarca subiu ao trono em 1952, quando tinha 25 anos

Elizabeth II aparece na sacada do Palácio de Buckingham para o encerramento do Jubileu | Foto: Reprodução/Twitter

Elizabeth II aparece na sacada do Palácio de Buckingham para o
encerramento do Jubileu | Foto: Reprodução/Twitter

Terminou neste domingo, 5, o feriado de quatro dias em celebração aos 70 anos de reinado — o Jubileu de Platina. Depois de faltar aos últimos dois dias de celebrações por problemas de saúde, a rainha Elizabeth II apareceu na varanda do Palácio de Buckingham ao lado do príncipe Charles.

Também estiveram presentes no Jubileu de Platina a duquesa Camila, esposa do príncipe; o neto William; Kate Middleton; e os bisnetos George, Charlotte e Louis. Mais cedo, ainda neste domingo, carros alegóricos desfilaram pelo centro de Londres, reunindo milhares de pessoas, além de autoridades.

Ao término, o cantor Ed Sheeran fez um show em frente ao palácio, antes da aparição de Elizabeth

Elizabeth subiu ao trono aos 25 anos com a morte de seu pai, George VI, em 1952, herdando a Grã-Bretanha no pós-Segunda Guerra Mundial. De lá para cá, a monarca testemunhou os principais eventos dos séculos 20 e 21, como Guerra Fria, a queda do Muro de Berlim e a saída do Reino Unido da União Europeia.

O que rolou no Jubileu de Platina

No primeiro dia, quinta-feira, 2, a rainha apareceu com a família na sacada. Tropas aéreas foram observadas por ela. Um desfile militar também marcou o primeiro dia das comemorações do Jubileu de Platina.

Na sexta 3, o segundo dia de evento, a Rainha Elizabeth não marcou presença na missa, na Catedral de Saint Paul, em Londres. O destaque do dia foi o comparecimento de Harry e Meghan Markle. O casal renunciou aos títulos reais em 2020, depois de conflitos internos na família.

No sábado, 4, uma multidão comparece às ruas de Londres para um show em frente ao palácio, que reuniu grandes nomes da música, como Elton John, Alicia Keys, Andrea Bocelli, Craig David, Hans Zimmer, Rod Stewart, Queen, com Adam Lambert nos vocais, Duran Duran e mais. Assim como no dia anterior, a rainha não compareceu aos eventos.

O príncipe Charles e seu filho William recepcionaram os artistas no show em frente ao palácio. No mesmo dia, a princesa Anne representou a monarca na tradicional corrida de cavalos de Epsom Downs.

Problemas de saúde

Já na quinta-feira 5, a rainha precisou se ausentar das festividades por um “mal-estar”. “A rainha gostou muito do desfile por seu jubileu hoje (quinta) e o desfile aéreo, mas sentiu um certo mal-estar”, informou o Palácio de Buckingham em nota. “Levando em conta a jornada e a atividade necessária para participar do Serviço Nacional de Ação de Graças de amanhã na Catedral de São Paulo, Sua Majestade, com grande relutância, concluiu que ela não comparecerá.”

Fonte: R7

Continuar lendo TERMINA AS COMEMORAÇÕES DOS 70 ANOS DE REINADO DA RAINHA ELIZABETH II

RAINHA ELIZABETH 2ª COMPLETA 70 ANOS À FRENTE DO TRONO BRITÂNICO

Para se manter, família real tenta equilibrar modernidade e tradição conservadora, diz especialista

Rainha Elizabeth 2ª completa 70 anos à frente do trono britânico enquanto a realeza encara os desafios de sua sucessão

INTERNACIONAL

 Letícia Sepulveda, do R7

Para se manter, família real tenta equilibrar modernidade e tradição conservadora, diz especialista – Notícias – R7 Internacional – Iporã News

A família real britânica conseguiu exaltar sua importância nacional diante de milhões de espectadores mundo afora e de milhares de pessoas que lotaram as proximidades do Palácio de Buckingham para celebrar os 70 anos do reinado de Elizabeth 2ª, o chamado Jubileu de Platina. Como um grande símbolo da realeza, a rainha se mantém querida pelos súditos, mas sua sucessão expõe os desafios para manter a monarquia no Reino Unido.A especialista Carolina Pavese, professora de relações internacionais da ESPM, explica que a família real tem relevância cultural e identitária, não só histórica e política.“Para os britânicos, a monarquia é um elemento importante na formação de sua identidade, assim como o samba é um elemento que faz parte da identidade nacional brasileira”, aponta a professora Carolina.

“Essa relação ultrapassa uma percepção política. A monarquia é um elemento importante que assegura a estabilidade e a continuidade em um mundo cada vez mais permeado por incertezas, é uma referência de estabilidade para o povo britânico.”

Para além de sua natureza conservadora e de reforçar os valores mais tradicionais da sociedade, a família real vem fazendo um grande esforço para tentar modernizar sua imagem.

Pavese afirma que a sociedade está se tornando mais intolerante em relação a comportamentos autoritários, e repensa o papel histórico que o Reino Unido tem no mundo em relação a sua responsabilidade pela desigualdade entre os países.

“É um desafio muito grande para a coroa dar uma resposta à altura das questões atuais da população sem descaracterizar sua essência tradicional e conservadora, e isso tende a se acentuar nos anos futuros”, explica a especialista.

De acordo com a YouGov, agência pública de pesquisas, 62% dos britânicos acham que a monarquia deveria continuar no futuro. Entretanto, quando a opinião dos jovens entre 18 e 24 anos é analisada, a porcentagem cai para 33%.

Analisando os dados, a professora da ESPM ressalta uma grande ameaça para a família real: “No futuro, à medida que o grupo jovem for se tornando mais velho e mais significativo na população, se não houver uma mudança de opinião, teremos uma mudança de estatística também, em que a maioria vai se opor à existência da monarquia”.

Em meio aos esforços da família real para se aproximar dos súditos, segurando o peso dos escândalos recentes, que envolvem uma acusação de abuso sexual contra o príncipe Andrew, terceiro filho da rainha, e também uma acusação de racismo por parte de um dos membros da realeza contra o filho de Harry e Meghan, o Jubileu de Platina ocorre em um momento oportuno para o país.

Para muitos, a celebração veio como um grande respiro em meio ao fim do isolamento social por causa da pandemia da Covid-19, à maior taxa de inflação em 30 anos e à crise de popularidade do primeiro-ministro Boris Johnson, envolvido em escândalos relacionados às festas na residência oficial durante o período de lockdown no país.

O príncipe William, segundo na linha de sucessão ao trono britânico, e sua esposa, Kate Middleton, ocupam um papel importante na estratégia da família real para se aproximar de seus súditos e manter a popularidade na monarquia entre os britânicos.

Para Pavese, “eles são as figuras ideais no esforço para popularizar a coroa e para aproximar a realeza sobretudo do público mais jovem. Eles tentam passar a imagem de que são pessoas comuns, apesar de serem da realeza”.

Recentemente, William quebrou um protocolo ao abraçar um idoso, que ficou emocionado ao conhecer o futuro rei. Em 2016, o príncipe participou de uma edição da revista Attitude e se tornou o primeiro membro da família a aparecer na capa de uma revista voltada para o público LGBT.

Na contramão de William e Kate, o príncipe Harry e sua esposa, Meghan Markle, deixaram de representar a monarquia britânica em 2020 e se tornaram impopulares entre a população.

Para Astrid Beatriz Bodstein, historiadora e criadora do perfil @royaltyandprotocol, Meghan Markle não quis se adaptar à realeza, por isso o casal decidiu se afastar.

“O mais grave na situação foram as mentiras que ela contou, como ao dizer que nunca teve ajuda para entender o mecanismo de funcionamento da família. Existem provas de que isso é uma grande falácia, a própria rainha determinou que funcionários de sua confiança a ajudassem a exercer seu papel de alteza real”, explica a especialista.

Dados da YouGov revelam que 32% dos britânicos têm uma opinião positiva sobre o príncipe. A aprovação de Meghan é ainda menor, apenas 23%.

A professora Carolina Pavese diz que “eles são percebidos como traidores dos britânicos. Quando abandonaram a coroa, abandonaram também o povo do país”.

Continuar lendo RAINHA ELIZABETH 2ª COMPLETA 70 ANOS À FRENTE DO TRONO BRITÂNICO

ALUNOS E PROFESSORES DE UMA ESCOLA NA CALIFÓRNIA RECEBERAM A INUSITADA VISITA DE UM LEÃO DA MONTANHA

Leão da montanha entra em escola na Califórnia

O animal foi avistado dentro de uma sala de aula

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Foto: Reprodução/Redes Sociais | Foto: Reprodução/Redes Sociais

 

Alunos e professores do Condado de San Mateo, na Califórnia tiveram um encontro próximo com um leão da montanha na manhã de quarta-feira 1º. O animal entrou nas dependências do Distrito Escolar Unificado La Honda-Pescadero.

De acordo com a polícia local, ninguém se feriu. “Todos os alunos e professores estão seguros”, avisou o escritório do Xerife por meio de uma postagem no twitter, citando a aparição do felino. O animal foi avistado dentro de uma sala de aula.

Segundo o Half Moon Bay Review, um jornal de San Mateo, Randy Vail, um professor de inglês que estava na escola, enviou um e-mail por volta das 10h40 de quarta-feira, horário local, relatando a situação.

Ele disse que o leão da montanha foi visto pela primeira vez em frente à escola na manhã daquele dia por um professor e um aluno. O animal correu para as portas de vidro da entrada principal e de alguma forma entrou.e

Uma vez dentro do prédio, o leão da montanha não conseguiu encontrar a saída. Em vez disso, ele entrou em uma sala de aula, onde um funcionário fechou a porta, prendendo-o na sala.

Outro leão da montanha

Não é a primeira vez que um leão da montanha é flagrado em áreas urbanas no condado de San Mateo. Em 6 de maio, um espécime apareceu em imagens de uma câmera de vigilância.

Fonte: R7

Continuar lendo ALUNOS E PROFESSORES DE UMA ESCOLA NA CALIFÓRNIA RECEBERAM A INUSITADA VISITA DE UM LEÃO DA MONTANHA

GOVERNO DOS EUA ANUNCIA ACORDO BILATERAL COM TAIWAN

Estados Unidos e Taiwan estreitam laços econômicos

País asiático é o grande fornecedor global de semicondutores

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos | Foto: Adam Schultz/Casa Branca

O governo dos Estados Unidos anunciou, na quarta-feira 1º, um acordo bilateral com Taiwan. O pacto promove integração no comércio digital, de energia limpa e direitos trabalhistas. Os dois países devem colaborar também em áreas fora do mercado, como as conduzidas por empresas estatais.

Além disso, Gina Raimondo, secretária de Comércio, trabalha em negociações separadas com Taiwan para abordar o comércio e os investimentos em tecnologia. Na mira, a importância dos taiwaneses como líderes mundiais no fornecimento de semicondutores avançados.

“Taiwan é um parceiro incrivelmente importante para nós, especialmente no que se refere a semicondutores”, disse Gina a repórteres na terça-feira. Ela destacou esperar que os laços das duas nações devem continuar se aprofundando, citando conversas ativas com Taipei

A ilha possui governo próprio, mas tem a soberania reivindicada pelo Partido Comunista da China. No mês passado, Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, afirmou que interviria militarmente, caso os chineses invadissem o território taiwanês.

Em resposta, Wang Wenbin, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, disse que “nenhuma força, incluindo os EUA, pode conter os chineses no esforço do povo para reunificar a nação”.

Taiwan, potência tecnológica

Segundo um relatório da Casa Branca, 92% da produção mundial de condutores avançados ocorre no país por meio da Taiwan Semiconductor Manufacturing.

Autoridades dizem que o pacto revelado na quarta-feira mostra o compromisso dos EUA em fortalecer os laços com a ilha. De acordo com o Wall Street Journal, um alto funcionário do governo norte-americano declarou que ‘a gestão “Biden-Harris vê Taiwan como uma democracia líder, uma potência tecnológica e um parceiro econômico e de segurança importante”.

O comércio norte-americano com o país se expandiu acentuadamente depois das tarifas sobre as importações chinesas criadas durante a gestão do ex-presidente Donald Trump.

Produção estratégica

Taipei está no centro das preocupações crescentes das autoridades dos EUA sobre a produção altamente concentrada de semicondutores no leste da Ásia. A questão ganhou urgência em meio à escassez de chips gerada pela pandemia. A falta do item prejudicou a fabricação de produtos eletrônicos de consumo a veículos.

“Imagine o que aconteceria com os Estados Unidos se Taiwan nos negasse semicondutores”, disse Gina durante um painel de discussão no Fórum Econômico Mundial na Suíça na semana passada. “Prevemos que compraremos mais de 70% de todos os nossos semicondutores avançados de Taiwan. Essa é uma situação insustentável e vulnerável.”

A dependência está fazendo os legisladores norte-americanos discutirem o incentivo de US$ 52 bilhões em novos subsídios para impulsionar a fabricação de semicondutores nos EUA e reduzir a dependência do mercado externo.

Fonte: R7

Continuar lendo GOVERNO DOS EUA ANUNCIA ACORDO BILATERAL COM TAIWAN

BIDEN ATACA REPUBLICANOS POR APROVAREM LEIS QUE BARRAM CIRURGIAS DE TRANSIÇÃO DE SEXO PARA CRIANÇA

Biden ataca leis que ‘miram crianças trans e seus pais’

Presidente emitiu comunicado em defesa do ‘Mês do Orgulho de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros, Queer e Intersex’

O presidente Joe Biden faz comentários sobre a redução dos custos de energia e os investimentos da Lei de Infraestrutura Bipartidária em comunidades rurais, e Iowa - 12/04/2022 | Foto: Adam Schultz/Casa Branca

O presidente Joe Biden faz comentários sobre a redução dos custos de energia e os investimentos da Lei de Infraestrutura Bipartidária em comunidades rurais, e Iowa – 12/04/2022 | Foto: Adam Schultz/Casa Branca

 

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, atacou os republicanos por aprovarem leis estaduais que barram cirurgias de transição de sexo para crianças e a presença de homens trans em esportes femininos.

“Os direitos da população LGBT+ estão ameaçados”, observou Biden, em um comunicado emitido na terça-feira 31. O documento exalta junho como o “Mês do Orgulho de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros, Queer e Intersex”.

Segundo Biden, os LGBTs “continuam enfrentando discriminação e esforços cruéis para minar seus direitos humanos”. O democrata sustenta que os conservadores são responsáveis pelo suposto preconceito contra os LGBT.

-Publicidade-

“Um ataque de legislação anti-LGBT+ perigosa foi introduzida e aprovada em Estados de todo o país, visando crianças transgênero e seus pais e interferindo em seu acesso aos cuidados de saúde”, argumentou Biden. “Esses ataques inescrupulosos deixaram inúmeras famílias LGBTQI+ com medo e dor.”

O presidente fez um apelo aos norte-americanos para que tratem essas minorias “com amor e carinho”. “Condenamos as perigosas leis e projetos de lei que visam a juventude LGBTQI+”, comunicou. “E continuamos firmes em nosso compromisso de ajudar as pessoas a viver livres de preconceito.”

Continuar lendo BIDEN ATACA REPUBLICANOS POR APROVAREM LEIS QUE BARRAM CIRURGIAS DE TRANSIÇÃO DE SEXO PARA CRIANÇA

ESPANHA APROVA PROJETO DE LEI QUE REDUZ PARA TRÊS MINUTOS O TEMPO DE ESPERA DE CLIENTE NA LINHA TELEFÔNICA

Na Espanha, empresas deverão atender clientes em até 3 minutos

O governo aprovou um projeto de lei para reduzir o tempo de espera na linha telefônica

A lei destaca que a empresa não poderá incluir atendimento por robô

A lei destaca que a empresa não poderá incluir atendimento por robô | Foto: Reprodução/Flickr

O governo espanhol aprovou um projeto de lei para reduzir o tempo de espera na linha telefônica para até três minutos. A informação foi divulgada nesta terça-feira, 31, pelo ministro dos Direitos do Consumidor da Espanha, Alberto Garzón. A intenção, segundo ele, é “deter os abusos que ocorrem nas relações de consumo” e, assim, beneficiar “a população como um todo”.

Mudanças

De acordo com o projeto, as reclamações e os incidentes relativos a um serviço devem ser resolvidos em um prazo “de até 15 dias”, dando como exemplo casos de contratos de gás, água e eletricidade. O ministro disse que “o fornecimento não pode ser interrompido a nenhuma família se houver uma reclamação em andamento

Em relação às ligações de atendimento, a partir de agora, o tempo de espera será de no máximo três minutos. Da mesma forma, a lei destaca que a empresa não poderá incluir um atendimento por robô “como meio exclusivo”, pois terá de garantir atendimento humano. “Os tempos de espera praticamente infinitos acabaram”, disse Garzón, ao fazer o anúncio.

Por fim, e de olho na população com mais de 65 anos e nas pessoas com deficiência, “as empresas devem se adaptar com serviços de mensagens instantâneas ou linguagem de sinais”.

O ministro da Espanha também detalhou que ninguém está isento dessa lei, pois ela afeta grupos empresariais públicos e privados que têm relações com o consumo. Estes devem cumprir os seguintes requisitos: ter mais de 250 trabalhadores ou um volume de negócios superior a € 50 milhões.

Fonte: R7

Continuar lendo ESPANHA APROVA PROJETO DE LEI QUE REDUZ PARA TRÊS MINUTOS O TEMPO DE ESPERA DE CLIENTE NA LINHA TELEFÔNICA

SEGUNDO DADOS DO DESTATIS, ALEMANHA REGISTRA EM MAIO NÍVEL MAIS ALTO DE INFLAÇÃO EM QUASE 50 ANOS

Inflação na Alemanha registra em maio nível mais alto em quase 50 anos

Centro de Estatísticas destacou os preços de energia

Conflito entre Ucrânia e Rússia contribuiu para a situação econômica negativa da Alemanha

Conflito entre Ucrânia e Rússia contribuiu para a situação econômica negativa da Alemanha | Foto: RalfWieckhorst/ Pixabay

O instituto de estatísticas Destatis informou nesta segunda-feira, 30, que a inflação na Alemanha em maio foi de quase 8%. Trata-se do nível mais alto registrado desde dezembro de 1973, observou o Destatis. No mês anterior, o crescimento do índice de preços ao consumidor foi de pouco mais de 7%.

Em nota, o instituto comunicou que os preços de energia impactaram a alta da inflação na Alemanha por causa da invasão russa à Ucrânia — na relação anual, subiram cerca de 40% em maio deste ano. O Destatis observou que o conflito entre os dois países somou-se aos “efeitos sobre os preços das cadeias de abastecimento perturbadas em resultado da pandemia de covid-19”.

Alta da inflação na Alemanha se repete em outros países

A inflação na Argentina chegou a quase 60% em abril, informou o Instituto de Estatística e Censos (Indec). Trata-se do maior avanço da inflação em 12 meses desde janeiro de 1992, sob o governo do então presidente, Carlos Menem.

No quarto mês do ano, os preços aumentaram 6% em relação a março, queda de quase 1 ponto porcentual na comparação com o valor do mês anterior, quando ocorreu o maior aumento mensal dos últimos 20 anos (quase 7%).

Departamento do Trabalho dos Estados Unidos informou que a inflação nos EUA em 12 meses está em pouco mais de 8%. Em abril, o índice de preços ao consumidor teve alta de 0,3% — no mês anterior, 1,2%.

“Aumentos nos índices de moradia, alimentação, passagens aéreas e veículos novos foram os maiores contribuintes para a elevação de todos os itens com ajuste sazonal”, registrou a pasta, em um relatório. “O índice de alimentos subiu 0,9% no mês, enquanto o índice de alimentação em casa subiu 1%.”

No Brasil, no acumulado em 12 meses até abril, o Índice de Preços ao Consumidor chegou a quase 12,15% no acúmulo dos últimos 12 meses, maior alta em 19 anos.

Fonte: R7

Continuar lendo SEGUNDO DADOS DO DESTATIS, ALEMANHA REGISTRA EM MAIO NÍVEL MAIS ALTO DE INFLAÇÃO EM QUASE 50 ANOS

PRESIDENTE UCRANIANO VISITOU O LESTE DO SEU PAÍS PELA PRIMEIRA VEZ DESDE A INVASÃO RUSSA

Zelenski visita o leste da Ucrânia, e Rússia intensifica cerco à região

Presidente viajou para Kharkiv pela primeira vez desde o começo da guerra no país, em 24 de fevereiro

Presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, em visita a Kharkiv, no leste do país Presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, em visita a Kharkiv, no leste do país STR / UKRAINIAN PRESIDENTIAL PRESS-SERVICE / AFP

O presidente ucraniano Volodmir Zelenski visitou neste domingo (29) o leste do seu país pela primeira vez desde o início da invasão russa, que aperta o cerco sobre as cidades de Severodonetsk e Lyssychansk, no Donbass.Em imagens divulgadas no Telegram, ele aparece vestido com colete à prova de bala, inspecionando prédios em ruínas, bem como veículos destruídos na beira da estrada, acompanhado por colaboradores e soldados armados.

Kharkiv, bombardeada quase diariamente desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro, vivencia uma pausa de algumas semanas, com a saída de tropas russas para outras direções, no leste e no sul da Ucrânia. A parte leste da cidade, no entanto, continua sendo bombardeada às vezes pela artilharia russa.

A Rússia assumiu a responsabilidade pela tomada da cidade-chave de Lyman no sábado (28), um avanço que acentua a pressão contra Lyssychansk e Severodonetsk.

Zelenski permaneceu na capital, Kiev, desde que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, lançou a invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro.

“Nesta guerra, os invasores estão tentando obter um resultado, seja ele qual for. Mas eles devem saber há muito tempo que defenderemos nossa terra até o fim”, disse Zelenski.

Zelenski falará na segunda-feira (30) na cúpula europeia em Bruxelas, onde os líderes dos 27 Estados-membros se reunirão para tomar uma decisão sobre um possível embargo ao petróleo russo. O bloco europeu está considerando excluir o oleoduto que entrega petróleo à Hungria do novo pacote de sanções, disseram fontes da UE à AFP.

‘Bombardeios constantes’

A situação em Lyssychansk “claramente se agravou”, disse o governador da região de Lugansk, Serguei Gaidai, no aplicativo de mensagens neste domingo.

No sábado, o ministério da Defesa russo anunciou a ocupação da cidade-chave de Lyman. Seu controle abre caminho para Sloviansk e Kramatorsk, no Donbass.

O comandante das Forças Armadas russas do distrito central, general Alexandre Lapine, elogiou no domingo “a coragem e o heroísmo” dos soldados russos que participaram na tomada de Lyman.

No domingo, o Exército ucraniano também informou que as tropas russas estavam se reagrupando massivamente nessa área.

Até Zelenski reconheceu que “a situação nesta região do Donbass [era] muito, muito difícil”, com bombardeios pesados de artilharia e mísseis.

Por sua vez, o prefeito de Severodonetsk, Olexander Stryuk, assegurou que “os russos usaram muitos meios para tomar a cidade mas não conseguiram […]. Achamos que a cidade vai resistir”.

Os “bombardeios constantes” dificultam muito o abastecimento, especialmente de água potável, e a cidade está sem eletricidade há mais de duas semanas, disse o funcionário via Telegram.

Cara nova

Durante sua viagem a Kharkiv, Zelenski discutiu planos de reconstrução com as autoridades locais. Segundo ele, existe a possibilidade de que as áreas devastadas pelos combates “tenham uma cara nova”.

Os moradores apareceram para tomar um café, comer alguma coisa ou tomar o sorvete Biloshka, uma especialidade da casa que é servida desde a década de 1960.

“Precisamos manter o trabalho. A cidade está voltando aos poucos ao que era”, disse Alyona Kostrova, proprietária do café, à AFP.

O cardápio foi cortado por problemas de abastecimento, e o estabelecimento funciona com mão de obra reduzida.

A atmosfera é muito diferente em Saltivska, um bairro distante do centro onde ainda caem mísseis russos.

“Eu não diria que as pessoas compram muito. As pessoas não têm dinheiro”, disse Vitaly Kozlov, 41, enquanto vendia ovos, carne e legumes.

“Venho uma vez por semana” para vender coisas, disse Volodymyr Svidlo. O homem, de 82 anos, que não tem aposentadoria, vive do que colhe em sua roça.

‘Negociações na UE sobre sanções’

Zelenski recorrerá ao bloco europeu para continuar suas tentativas de aumentar a pressão contra Moscou.

Até agora, uma nova rodada de sanções contra a Rússia que atinge a maior parte do setor de hidrocarbonetos foi interrompida pela Hungria, que depende fortemente desses recursos e teme consequências para sua economia.

O país da Europa Central — sem litoral e abastecido pelo gasoduto Druzhba — pediu 800 milhões de euros (US$ 860 milhões) em fundos da UE para adaptar suas refinarias e capacidades de gasodutos para receber suprimentos alternativos, por exemplo, da Croácia.

Atualmente, uma nova proposta está sendo discutida para excluir Druzhba do embargo de petróleo para limitar as sanções sobre o fornecimento de petróleo por navio.

Continuar lendo PRESIDENTE UCRANIANO VISITOU O LESTE DO SEU PAÍS PELA PRIMEIRA VEZ DESDE A INVASÃO RUSSA

FUNCIONÁRIA DA ONU VAI A RÚSSIA PARA ‘DISCUTIR O ESQUEMA’ PARA EXPORTAÇÃO DE FERTILIZANTES

Enviado da ONU vai à Rússia para conversar sobre exportação de fertilizantes

Afirmação é de Vassily Nebenzia, embaixador russo na Organização das Nações Unidas

Vassily Nebenzia, embaixador russo na ONU | Foto: Reprodução/ONU

Vassily Nebenzia, embaixador russo na ONU | Foto: Reprodução/ONU

 

Rebecca Grynspan, uma alta funcionária da Organização das Nações Unidas (ONU), vai à Rússia nos próximos dias para “discutir o esquema” para a exportação de fertilizantes. A afirmação foi feita na quarta-feira 25 por Vassily Nebenzia, embaixador da Rússia na ONU.

De acordo com o diplomata, Rebecca deve debater as exportações russas durante uma visita a Moscou. Ela é chefe da Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento e coordenadora do Grupo de Resposta a Crises Globais da ONU sobre Alimentos, Energia e Finanças — órgão criado para ajudar os países pobres a enfrentar os choques econômicos decorrentes da guerra na Ucrânia

Em entrevista concedida à Reuters, na quarta-feira 25, Nebenzia disse que “formalmente fertilizantes e grãos não estão sob sanções, mas há problemas de logística, transporte, seguro e transferência bancária” criados pelas sanções ocidentais impostas à Rússia. Segundo ele, essas questões impedem o país de exportar livremente.

“Estamos preparados para exportar fertilizantes e grãos de nossos portos para o mercado mundial”, afirmou o embaixador. Sobre as exportações de grãos da Ucrânia, impedidas pelo bloqueio feito pela Rússia aos portos do país, Nebenzia declarou que “isso deve ser negociado com os ucranianos, não com os russos”.

Nebenzia também acredita que Martin Griffiths, chefe de Ajuda da ONU, vai à Rússia  no início de junho. Entretanto, o embaixador russo comentou não saber “até que ponto” Griffiths está envolvido nas discussões sobre exportações de grãos e fertilizantes.

Continuar lendo FUNCIONÁRIA DA ONU VAI A RÚSSIA PARA ‘DISCUTIR O ESQUEMA’ PARA EXPORTAÇÃO DE FERTILIZANTES

HOMEM MAIS VELHO DO MUNDO RECONHECIDO PELO GUINNESS BOOK COMEMORA ANIVERSÁRIO DE 113 ANOS

Homem mais velho do mundo comemora aniversário de 113 anos

Juan Vicente Pérez Mora nasceu em 27 de maio de 1909. Desde 2020, esperava a certificação do livro dos recordes

INTERNACIONAL

 Do R7, com EFE e AFP

Juan Vicente Pérez Mora, de 113 anos, o homem mais velho do mundo

JOHNNY PARRA/EFE

O venezuelano Juan Vicente Pérez Mora, o homem mais velho do mundo reconhecido pelo Guinness Book, o livro dos recordes, completa nesta sexta-feira (27) 113 anos e vai comemorar a data com uma série de eventos em seu estado natal, Táchira.

A celebração de mais um ano de vida de Tio Juan, como é conhecido na região onde vive, contará com cerimônia religiosa, apresentação de banda e número de dança liderado por sua neta. Autoridades locais e estaduais foram convidadas para o aniversário.

O homem nasceu em 27 de maio de 1909. Desde 2020, esperava a certificação do recorde de homem mais velho do mundo pelo Guinness, que foi oficializada em 17 de maio.

Pérez foi casado por 60 anos, e sua esposa faleceu há 25. Desse casamento nasceram 11 filhos, que deram a Pérez 41 netos, 18 bisnetos e 12 tataranetos.

Sua família se sente “muito grata pela saúde” que Pérez tem, segundo uma de suas filhas, Nelyda. O homem quer ser lembrado como uma pessoa trabalhadora, fiel à sua esposa e à sua profunda devoção religiosa.

Até janeiro passado, o homem mais velho do mundo era o espanhol Saturnino de la Fuente García, nascido em 11 de fevereiro de 1909. Ele também tinha 112 anos, e faltava pouco menos de um mês para completar 113 quando faleceu.

A pessoa viva mais velha do mundo é uma francesa nascida em 11 de fevereiro de 1904. Ela tem 118 anos.

Continuar lendo HOMEM MAIS VELHO DO MUNDO RECONHECIDO PELO GUINNESS BOOK COMEMORA ANIVERSÁRIO DE 113 ANOS

PLANOS DA CHINA PARA ASSINAR ACORDOS COMERCIAIS COM PAÍSES DO PACÍFICO SUL DEIXAM POTÊNCIAS OCIDENTAIS EM ALERTA

Potências ocidentais alertam sobre planos da China no Pacífico Sul

Porta-voz da diplomacia americana chamou de ‘sombrios’ os acordos propostos por Pequim aos pequenos países da região

INTERNACIONAL

por AFP

26/05/2022 – 10H14

Presidente da China, Xi Jinping

YOAN VALAT/REUTERS – 25.03.2019

As potências ocidentais alertaram nesta quinta-feira (26) sobre os planos vazados da China para assinar acordos comerciais e de segurança com países do Pacífico Sul, uma área de importância estratégica para os Estados Unidos e seus aliados na região.

Os acordos de cooperação propostos por Pequim vazaram pouco antes da visita a oito países do ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, que desembarcou na capital das Ilhas Salomão, Honiara, nesta quinta-feira.

De Washington, o porta-voz da diplomacia americana, Ned Price, v e expressou sua preocupação de que sejam negociados em um “processo apressado e não transparente”.

O acordo ofereceria a 10 pequenos países milhões de dólares em ajuda, a perspectiva de um acordo de livre comércio com a China e acesso ao enorme mercado chinês.

Em troca, a China treinaria a polícia local, se envolveria em sua segurança cibernética, expandiria os laços políticos, faria mapas marinhos sensíveis e obteria maior acesso aos recursos naturais dessas ilhas.

Esses acordos devem ser aprovados em 30 de maio em Fiji em uma reunião entre Wang e vários colegas regionais, mas já causaram alarme em alguns países da região.

“Esta é a China tentando expandir sua influência na região do mundo onde a Austrália tem sido o parceiro de segurança número um desde a Segunda Guerra Mundial”, declarou o novo primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, nesta quinta-feira.

Na sua opinião, a Austrália “precisa responder” com um “aumento” do seu compromisso no Pacífico que se materializaria num plano de 350 milhões de dólares em ajudas adicionais.

Também a Nova Zelândia, que mantém laços estreitos com a China, considerou que os planos de segurança de Pequim na região não eram necessários, nas palavras de sua primeira-ministra, Jacinda Ardern.

O presidente dos Estados Federados da Micronésia, David Panuelo, um aliado próximo de Washington, alertou seus colegas do Pacífico que o acordo pode parecer “sexy”, mas dá à China “acesso e controle de nossa região”.

O vazamento ocorre depois que Pequim conseguiu assinar um controverso acordo de segurança com as Ilhas Salomão em abril, que pegou Washington e seus aliados desprevenidos.

Neste contexto, o chanceler chinês garantiu hoje que seu país “não tem intenção” de construir uma base militar nas Ilhas Salomão, referindo-se ao pacto de segurança assinado.

O ministro minimizou a suspeita dos países ocidentais após este acordo, especialmente da Austrália e dos Estados Unidos, que temem que permita à China estabelecer sua presença militar no arquipélago.

Fonte: R7

Continuar lendo PLANOS DA CHINA PARA ASSINAR ACORDOS COMERCIAIS COM PAÍSES DO PACÍFICO SUL DEIXAM POTÊNCIAS OCIDENTAIS EM ALERTA

MANOBRA MILITAR DA CHINA PERTO DE TAIWAN É UMA ADVERTÊNCIA APÓS DECLARAÇÃO DE BIDEN

China faz manobra militar perto de Taiwan como ‘advertência’ por declarações de Biden

Presidente americano afirmou que interveria militarmente na ilha em caso de uma ataque de Pequim

Porta-voz do exército da China destacou em fala que Taiwan é território chinês

DADO RUVIC/REUTERS – 28/04/2022

O Exército da China anunciou nesta quarta-feira (25) que realizou manobras militares perto de Taiwan como uma “advertência contra a conspiração entre as forças separatistas e os Estados Unidos”, depois que o presidente americano, Joe Biden, disse que seu país interviria militarmente se Pequim tentasse se apoderar da ilha.

“Esta é uma patrulha do Exército Popular de Libertação (EPL) em torno de Taiwan com o objetivo de prontidão de combate e exercícios de treinamento tanto no mar quanto no ar”, disse o coronel Shi Yi, porta-voz do Comando do Teatro Oriental, em comunicado.

Shi afirmou que os exercícios são “uma advertência solene contra o recente conluio entre os Estados Unidos e as ‘forças separatistas taiwanesas”.

“É hipócrita e fútil que os EUA tomem ações completamente opostas a suas palavras e frequentemente encorajem as ‘forças de independência de Taiwan’. Todos esses atos dos EUA só levarão a uma situação perigosa e terão sérias consequências para si mesmos”, declarou.

O porta-voz também enfatizou que “Taiwan é parte da China”, e por isso o país quer “salvaguardar firmemente a soberania e a segurança nacional, bem como a paz e a estabilidade na região”.

Na segunda-feira (23), a China reagiu com veemência às declarações de Biden de que os EUA continuam empenhados em defender Taiwan e que podem intervir militarmente no caso de uma invasão chinesa à ilha, que Pequim considera uma parte “inalienável” de seu território.

Em outubro passado, a China e os Estados Unidos tiveram uma discussão semelhante sobre Taiwan depois que Biden anunciou um “compromisso” explícito de defender a ilha no caso de uma invasão chinesa.

A China insiste em “reunificar” a República Popular com a ilha, que tem sido governada autonomamente desde que o partido Kuomintang lá se estabeleceu em 1949, após perder a guerra civil contra os comunistas.

Desde então, tem havido apelos crescentes para que Taiwan declare independência como um Estado soberano, o que irrita Pequim, que reitera que “a reunificação será alcançada”.

Continuar lendo MANOBRA MILITAR DA CHINA PERTO DE TAIWAN É UMA ADVERTÊNCIA APÓS DECLARAÇÃO DE BIDEN

MINISTRO DA DEFESA DO JAPÃO DEMONSTROU A PREOCUPAÇÃO DO PAÍS COM AVIÕES MILITARES PERTO DE SEU TERRITÓRIO

Japão protesta após aviões militares russos e chineses perto de seu território

Voos coincidem com uma cúpula realizada em Tóquio da aliança “Quad”, que reúne os líderes dos EUA, Japão, Austrália e Índia

O ministro da Defesa do Japão demonstrou a preocupação do país com os aviões militares

REPRODUÇÃO TWITTER/@KISHINOBUO

Bombardeiros chineses e russos voaram juntos nesta terça-feira (24) perto do território japonês, anunciou o ministro da Defesa, Nobuo Kishi, que explicou que o governo de seu país protestou oficialmente junto a Pequim e Moscou para expressar sua “grande preocupação”.

Estes voos coincidem com uma cúpula realizada em Tóquio da aliança “Quad”, que reúne os líderes dos Estados Unidos, Japão, Austrália e Índia, que manifestaram apreensão com a crescente influência militar da China na região Ásia-Pacífico.

“Depois disso, um total de quatro aviões, dois supostos novos bombardeiros chineses, que substituíram os dois bombardeiros anteriores, e dois bombardeiros russos, realizaram um voo conjunto do Mar da China Oriental ao Oceano Pacífico”, acrescentou.

Kishi disse que um avião de inteligência russo também voou do norte da ilha de Hokkaido até a península de Noto, no centro do Japão, e classificou essas manobras de “provocativas”, tendo em conta a cúpula em Tóquio.

Fonte: R7

Continuar lendo MINISTRO DA DEFESA DO JAPÃO DEMONSTROU A PREOCUPAÇÃO DO PAÍS COM AVIÕES MILITARES PERTO DE SEU TERRITÓRIO

PRESIDENTE DA CÂMARA DOS EUA FOI PROIBIDA DE RECEBER A COMUNHÃO EM RAZÃO DO APOIO PÚBLICO AO ABORTO

Presidente da Câmara dos EUA é proibida de comungar por apoio a aborto

Católica, Nancy Pelosi recebeu carta de arcebispo de São Francisco com pedido para rejeitar posicionamento sobre o tema

Nancy Pelosi foi confrontada publicamente pelo arcebispo Salvatore Cordileone

Nancy Pelosi foi confrontada publicamente pelo arcebispo Salvatore Cordileone | Foto: Divulgação/Flickr

A deputada Nancy Pelosi, atual presidente da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, foi proibida de receber a comunhão em sua cidade, São Francisco, em razão do apoio público à causa do aborto. A decisão partiu do arcebispo local, Salvatore Cordileone.

Por meio de carta, o arcebispo Cordileone expressou que havia pedido a Pelosi em outras ocasiões para “rejeitar publicamente sua defesa do ‘direito’ ao aborto ou se abster de fazer alusão à sua fé católica em público e receber a Santa Comunhão”. Caso contrário, continua o religioso, a política do Partido Democrata seria excluída do acesso ao sacramento.

“Como você não rechaçou publicamente sua posição sobre o aborto e continua se referindo à sua fé católica para justificar sua posição e recebendo a Santa Comunhão, chegou a hora”, escreveu o arcebispo, em comunicado público

“Estou, portanto, notificando que você não pode se apresentar à Santa Comunhão e que, se o fizer, não será admitida para recebê-la, até que repudie publicamente sua defesa da legitimidade do aborto e confesse e receba absolvição desse grave pecado no sacramento da Penitência.”

A Comunhão — rito no qual os fiéis comem pão e vinho consagrados por um sacerdote — é um ato central do dogma da Igreja Católica.

Revisão do aborto nos EUA

A Suprema Corte admitiu que analisa rever a decisão sobre o aborto, em vigor nos Estados Unidos desde 1973. A expectativa é que a legalidade da prática passe a ficar sob responsabilidade dos Estados. Atualmente, a interrupção da gravidez é um direito constitucional.

A possibilidade de revisão da legislação do aborto gerou uma onda de manifestações de rua pelo país, tanto de ativistas contra a prática como aqueles a favor. Em paralelo, centros de apoio à gravidez foram alvos de atentados nas últimas semanas.

A Suprema Corte dos Estados Unidos tem, desde 2020, maioria conservadora em sua composição, com seis juízes, contra três de viés liberal ou progressista. Hoje, pelo menos oito Estados têm leis proibitivas que podem ser implementadas se a Justiça autorizar.

Fonte: R7

Continuar lendo PRESIDENTE DA CÂMARA DOS EUA FOI PROIBIDA DE RECEBER A COMUNHÃO EM RAZÃO DO APOIO PÚBLICO AO ABORTO

DEVASTADORA GUERRA NA UCRÂNIA OCUPOU LUGAR CENTRAL NA INAUGURAÇÃO DA ASSEMBLEIA ANUAL DA OMS

Guerra na Ucrânia é tema central da abertura da reunião anual da OMS

Entidade acredita que onde há guerra também há doença e que paz é indispensável para a saúde

Tedros Adhanon, diretor-geral da OMS, em discurso na inauguração da assembleia anual

JEAN-GUY PYTHON/AFP/AFP – 22.05.2022

A “devastadora” guerra na Ucrânia ocupou um lugar central na inauguração da assembleia anual da Organização Mundial da Saúde (OMS) neste domingo (22) e ameaça ofuscar os esforços feitos em outras crises, assim como uma reforma para prevenir futuras pandemias.

“Onde há guerra, também há fome e doenças”, declarou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, durante seu discurso de abertura na 75ª Assembleia Mundial da Saúde.

“A paz é indispensável para a saúde”, frisou.

Essa assembleia deve decidir se renovará o mandato de Tedros por outros cinco anos, após uma primeira gestão marcada pela pandemia da Covid-19.

Pouco antes, o presidente francês, Emmanuel Macron, pediu aos 194 Estados-membros da organização que apoiem a resolução que será apresentada na terça-feira (24) pela Ucrânia. O texto condena duramente a invasão russa, em especial seus mais de 200 ataques ao sistema de saúde, incluindo hospitais e ambulâncias.

O conflito na Ucrânia não é, porém, a única emergência sanitária a ser discutida ao longo da semana.

“Esta reunião é uma oportunidade histórica para fortalecer a arquitetura universal de segurança e saúde”, disse à assembleia o presidente da República Dominicana, Luis Abinader Corona.

As negociações abordarão, por exemplo, como fortalecer as respostas a futuras pandemias por meio de um instrumento legal, como um tratado.

Entre as principais reformas em pauta, está a do orçamento da OMS. Os países devem dar sinal verde para um acordo para que a organização tenha um financiamento mais seguro e flexível.

O orçamento semestral da OMS para 2020-21 foi de US$ 5,8 bilhões, mas apenas 16% desse valor é procedente das cotas ordinárias de seus membros. A ideia é aumentar essas cotas, gradualmente, de modo a chegar a até 50%.

A assembleia termina no próximo sábado (28). Trata-se da primeira a ser realizada de forma presencial desde a eclosão da pandemia de Covid-19 no fim de 2019.

Fonte: R7

Continuar lendo DEVASTADORA GUERRA NA UCRÂNIA OCUPOU LUGAR CENTRAL NA INAUGURAÇÃO DA ASSEMBLEIA ANUAL DA OMS

CIDADE DA ALEMAHA ORDENA ISOLAMENTO DE GATOS PARA SALVAR COTOVIA-DE -POUPA

Cidade alemã determina isolamento de gatos para salvar pássaro raro

População da cotovia-de-poupa diminuiu acentuadamente nas últimas décadas

Cidade ordena isolamento de gatos para salvar a cotovia-de-poupaCidade ordena isolamento de gatos para salvar a cotovia-de-poupa

Autoridades da cidade de Walldorf, no sudoeste da Alemanha, ordenaram que alguns donos de gatos mantivessem os animais de estimação dentro de casa até o final de agosto para proteger uma ave rara durante sua época de reprodução.

O decreto visa ajudar a salvar a cotovia-de-poupa, que faz o ninho no chão e, por isso, é presa fácil para os caçadores felinos. A população da ave na Europa Ocidental diminuiu acentuadamente nas últimas décadas.

As autoridades de Walldorf escreveram que “entre outras coisas, a sobrevivência da espécie depende de cada filhote”.

O decreto, que se aplica a todos os gatos na parte sul da cidade e será repetido nos próximos três anos, gerou controvérsia dos donos de gatos.

O jornal regional Rhein-Neckar-Zeitung informou na quarta-feira, 18, que o chefe da associação local de proteção animal planeja tomar medidas legais para contestar o decreto.

“Por favor, mantenham a calma. Posso garantir que faremos o possível para impedir essa medida desproporcional”, ele disse.

Continuar lendo CIDADE DA ALEMAHA ORDENA ISOLAMENTO DE GATOS PARA SALVAR COTOVIA-DE -POUPA

VAZAMENTO DE DOCUMENTOS QUE SUGERIAM REVISÃO NA LEGISLAÇÃO DO ABORTO FEZ O DEBATE SOBRE O TEMA FERVER NOS EUA

Ativistas pró-aborto nos EUA pressionam Biden a ajudar a causa

Grupos a favor de interrupção da gravidez esperam influência do presidente na revisão da legislação, diz o Wall Street Journal

Revisão da legislação aquece debate sobre legalidade do aborto nos EUA

Revisão da legislação aquece debate sobre legalidade do aborto nos EUA | Foto: Reprodução/Twitter

Duas semanas depois do vazamento de documentos da Suprema Corte que sugeriam uma provável revisão na legislação do aborto, o debate sobre o tema ferve nos Estados Unidos. Como era de esperar, a discussão já bateu nas portas da Casa Branca. Um artigo do The Wall Street Journal nesta sexta-feira, 20, relata que grupos ativistas que defendem a interrupção da gravidez esperam por um posicionamento claro do presidente Joe Biden.

Apesar do tradicional apoio do Partido Democrata ao direito do aborto, Biden ainda não se posicionou sobre o tema desde que a Suprema Corte indicou que deve rever a questão. Ativistas de frente da causa não querem esperar que o presidente fale somente quando uma nova decisão sair do principal tribunal do país. A ideia é pressionar para que o chefe do Executivo dê peso à luta antes disso.

Oficialmente, a Casa Branca manifestou que não vai detalhar seus passos para proteger os direitos ao aborto até uma decisão final e que o presidente Biden orientou o Conselho de Política de Gênero a trabalhar em planos de como responder se a legislação atual for derrubada.

O jornal norte-americano ouviu Amy Hagstrom Miller, diretora da Whole Woman’s Health. A ativista pró-aborto participou de um encontro sobre o tema com a vice-presidente Kamala Harris em setembro de 2021. Desde então, cobra um retorno do governo sobre o tema e sugere que o Partido Democrata tem evitado o debate em razão das eleições para o Congresso neste ano.

“Eles dizem ‘Votem em novembro’. Temos maioria em todos os lugares”, disse Miller sobre os democratas. “Eu não sinto que eles estão fazendo o que podem.”

No último sábado, manifestações de rua que defendem a manutenção da atual legislação tomaram algumas ruas de Washington. A ativista Renee Bracey Sherman, fundadora do grupo We Testify, disse ao Wall Street Journal que esperava pelo menos um aceno simpático de Biden às manifestantes.

“Fiquei realmente desapontada ao ver que o presidente não reconheceu a manifestação em massa de apoio ao acesso ao aborto e o povo norte-americano fazendo sua voz ser ouvida no fim de semana”, disse Bracey Sherman.

Apesar da frustração com Biden, a tendência é de que o ativismo pró-aborto esteja na pauta da campanha dos democratas para as eleições deste ano, em diferentes Estados norte-americanos. O partido encara o tema como estratégico para atingir fatias do eleitorado de algumas regiões, mirando em mulheres nos subúrbios e mulheres mais jovens.

Revisão do aborto

A Suprema Corte admitiu que analisa rever a decisão sobre o aborto, em vigor nos Estados Unidos desde 1973. A expectativa é que a legalidade da prática passe a ficar sob responsabilidade dos Estados. Atualmente, a interrupção da gravidez é um direito constitucional.

A possibilidade de revisão da legislação do aborto gerou uma onda de manifestações de rua pelo país, tanto de ativistas contra a prática como aqueles a favor. Em paralelo, centros de apoio à gravidez foram alvos de atentados nas últimas semanas.

A Suprema Corte dos Estados Unidos tem desde 2020 maioria conservadora em sua composição, com seis juízes, contra três de viés liberal ou progressista. Hoje, pelo menos oito Estados têm leis proibitivas que podem ser implementadas se a Justiça autorizar.

Fonte: R7

Continuar lendo VAZAMENTO DE DOCUMENTOS QUE SUGERIAM REVISÃO NA LEGISLAÇÃO DO ABORTO FEZ O DEBATE SOBRE O TEMA FERVER NOS EUA

UCRANIANA ENTRA PARA O SELETO GRUPO DOS SETE CUMES ESCALADORES QUE SUBIRAM AS MAIORES MONTANHAS

Ucraniana escala o Everest e leva bandeira do país ao topo do monte

Antonina Samoilova entrou para o seleto grupo dos Sete Cumes — escaladores que subiram as maiores montanhas de cada continente

Continuar lendo UCRANIANA ENTRA PARA O SELETO GRUPO DOS SETE CUMES ESCALADORES QUE SUBIRAM AS MAIORES MONTANHAS

SEGUNDO DADOS DO IPC, INFLAÇÃO NO REINO UNIDO É A MAIOR EM 40 ANOS

Reino Unido tem a maior inflação em 40 anos

O índice foi impulsionado pelo aumento nos preços da energia elétrica e do gás

O valor no Reino Unido ficou na média projetada pelos economistas

O valor no Reino Unido ficou na média projetada pelos economistas | Foto: Divulgação

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) — que mede a inflação no Reino Unido — disparou a 9% em ritmo anual em abril, um recorde em 40 anos, segundo dados publicados nesta quarta-feira, 18, pelo Escritório Nacional de Estatísticas (ONS).

Em março, a inflação nos 12 meses anteriores foi de 7%. Em uma base mensal, o IPC subiu 2,5% em abril deste ano. No mesmo mês de 2021, o aumento foi de 0,6%.

“A inflação de abril foi impulsionada por um aumento brusco nos preços da energia elétrica e do gás”, disse Grant Fitzner, economista-chefe do ONS.

A alta no mês passado também foi puxada pela escalada do custo de alimentação e transporte. Fitzner destacou que foram registrados ainda “aumentos acentuados” nos preços dos metais, dos produtos químicos e do petróleo bruto.

Em comunicado, o ministro das Finanças britânico, Rishi Sunak, declarou que “países ao redor do mundo enfrentam uma inflação crescente” e que o índice no Reino Unido é impulsionado pelos preços nos mercados mundiais.

“Não podemos proteger a população por completo dos desafios globais, mas estamos proporcionando um apoio significativo onde podemos, e estamos dispostos a fazer mais”, disse.

Continuar lendo SEGUNDO DADOS DO IPC, INFLAÇÃO NO REINO UNIDO É A MAIOR EM 40 ANOS

RAINHA ELIZABETH 2ª COMPARECEU NA INAUGURAÇÃO DA ESTAÇÃO DO METRÔ COM SEU NOME

Rainha Elizabeth 2ª faz aparição surpresa em inauguração de estação de metrô com seu nome

Monarca compareceu à cerimônia acompanhada de seu filho mais novo e do primeiro-ministro Boris Johnson

 

A rainha britânica Elizabeth, cujos compromissos públicos foram limitados nos últimos meses devido a problemas de mobilidade, fez uma aparição surpresa nesta terça-feira (17) em uma cerimônia para marcar a conclusão de uma linha de trem de Londres nomeada em sua homenagem.

Elizabeth, usando um chapéu e um casaco amarelo brilhante e uma bengala, foi acompanhada por seu filho mais novo Edward e o primeiro-ministro Boris Johnson para revelar uma placa na estação de Paddington.

É a mais recente aparição pública da monarca de 96 anos que, apesar de ter se ausentado da abertura do Parlamento pela primeira vez em quase seis décadas na semana passada devido ao que o Palácio de Buckingham chama de “problemas episódicos de mobilidade”, compareceu duas vezes a uma apresentação de cavalos na sua residência no Castelo de Windsor nos últimos dias.

“Em um progresso feliz, Sua Majestade, a Rainha, está participando do evento de hoje para marcar a conclusão da linha Elizabeth”, disse um porta-voz do Palácio de Buckingham.

O projeto ferroviário de 24 bilhões de dólares deveria ter sido inaugurado em dezembro de 2018, mas foi repetidamente adiado por problemas com testes de segurança e sistemas de sinalização, mesmo antes do início da pandemia.

Originalmente chamada de ‘Crossrail’, a linha Elizabeth ligará destinos a oeste de Londres, incluindo o aeroporto de Heathrow e Reading com Shenfield no leste. Será aberta ao público em 24 de maio.

Elizabeth foi vista em público em apenas algumas ocasiões desde que passou uma noite no hospital em outubro passado por uma doença não especificada, após a qual ela foi aconselhada por seus médicos a descansar.

Continuar lendo RAINHA ELIZABETH 2ª COMPARECEU NA INAUGURAÇÃO DA ESTAÇÃO DO METRÔ COM SEU NOME

SUÉCIA SOLICITARÁ SUA ADESÃO A OTAN, SEGUNDO ANUNCIOU A PRIMEIRA-MINISTRA MAGDALENA ANDERSSON

Primeira-ministra anuncia que Suécia solicitará adesão à Otan

Governo russo é totalmente contrário à entrada de Suécia e Finlândia na aliança ocidental

Magdalena Andersson, primeira-ministra sueca, durante anúncio nesta segunda (16)

HENRIK MONTGOMERY/TT NEWS AGENCY/AFP – 16.05.2022

A Suécia solicitará sua adesão à Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), anunciou nesta segunda-feira (16) a primeira-ministra, Magdalena Andersson, que destacou que isso significa uma nova “era” para o país escandinavo.

O governo decidiu informar a Otan sobre a vontade da Suécia de virar um membro da aliança”, afirmou em uma entrevista coletiva. “Deixamos uma era para entrar em uma nova”, disse a primeira-ministra. O embaixador sueco na Otan apresentará em “pouco tempo” a candidatura de Estocolmo, segundo Andersson.

Suécia e Finlândia anunciaram o desejo de apresentar as candidaturas de forma simultânea. “Esperamos que (a adesão) não demore mais de um ano”, com a necessária ratificação pelos 30 membros da Aliança, declarou a chefe de Governo sueca.

Com a decisão, os suecos seguem os passos da Finlândia, que anunciou neste domingo (15), seu desejo de entrar para a Otan. A adesão dos dois países à aliança ocidental é uma reação à invasão da Ucrânia feita pela Rússia.

O país comandado por Vladimir Putin é radicalmente contra a entrada dos escandinavos na Otan, já que ficam geograficamente muito próximos do território russo. A Finlândia, por exemplo, tem fronteira de 1.340 quilômetros de extensão com a Rússia.Nesta segunda, Serguei Riabkov, vice-ministro das Relações Exteriores russo, afirmou que seu país considera um erro a adesão de Finlândia e Suécia à Otan. “Um grave erro adicional, cujas consequências terão um longo alcance”, declarou.

Desde 2007, a Rússia exige do Ocidente que não aumente os territórios da Otan.

Continuar lendo SUÉCIA SOLICITARÁ SUA ADESÃO A OTAN, SEGUNDO ANUNCIOU A PRIMEIRA-MINISTRA MAGDALENA ANDERSSON

PARLAMENTO DE CUBA APROVA CÓDIGO PENAL PARA EVITAR PROTESTOS E PRESERVAR ATUAL REGIME SOCIALISTA

PARLAMENTO DE CUBA APROVA CÓDIGO PENAL PARA EVITAR PROTESTOS E PRESERVAR ATUAL REGIME SOCIALISTA
Cuban national flag

Após atos contra o governo, Cuba endurece punição para subversão

Nova lei mantém pena de morte, ‘com caráter excepcional’, para 23 delitos e impede violações mais graves e lesivas à sociedade

INTERNACIONAL

por AFP

Governo cubano quer impedir manifestações contrárias ao regime

TIMOTHY A. CLARY / AFP

Dez meses depois de enormes protestos antigovernamentais, o Parlamento de Cuba aprovou neste domingo (15), por “unanimidade”, um novo Código Penal que tenta evitar a repetição desses acontecimentos e preservar o atual regime socialista.

A nova lei “tipifica como delitos os atos mais graves e lesivos para a sociedade e protege os interesses do Estado e do povo”, disse o presidente do Tribunal Supremo, Rubén Remigio Ferro, ao apresentar o novo código ao plenário da Assembleia Nacional.

Nos dias 11 e 12 de julho de 2021, milhares de pessoas protagonizaram, em 50 cidades, os maiores protestos contra o governo cubano em 60 anos, que terminaram com uma morte, dezenas de feridos e centenas de detidos.

O novo código substitui o de 1997 e complementa a Constituição de 2019, junto com a Lei de Amparo de Direitos Constitucionais e o Código de Execução Penal, que também serão submetidos a votação nesta sessão extraordinária da Assembleia Nacional, que começou na sexta-feira (13) e termina na segunda (16).

Entre as novidades do texto estão “sua aplicação a infrações e atos ilícitos que afetam o espectro radioelétrico, o meio ambiente e o patrimônio natural”, afirmou Ferro.

“Serão penalizadas as violações mais graves relacionadas com o uso abusivo dos direitos constitucionais, a participação em atividades subversivas e as agressões às tecnologias da informação e às comunicações”, acrescentou.

Para o jurista cubano Harold Bertod, radicado na Espanha, “o Código Penal amplia o catálogo de condutas delitivas relacionadas com a ordem constitucional para confirmar uma realidade do sistema político: não há espaço para alternativas no âmbito político”.

“O direito de manifestação […] só será permitido em um sentido de ‘confirmação’ das políticas do Estado, e nunca de forma ‘contraditória'”, disse ele à AFP.

Já o deputado Jorge González, médico que dirigiu a equipe responsável pela localização e pelo reconhecimento dos restos mortais de Che Guevara em 1997, na Bolívia, afirma que se trata de “uma lei que recolhe e atualiza todos os conceitos internacionais, adequando-os às condições de Cuba”.

A nova lei mantém a pena de morte, “com caráter excepcional”, para 23 delitos. Ela será aplicada basicamente “em crimes contra a segurança do Estado, terrorismo, tráfico internacional de drogas e assassinato”, acrescentou o presidente do tribunal.

A pena capital foi aplicada com bastante regularidade em Cuba na década de 1960. Contudo, desde o ano 2000 há uma espécie de moratória, apenas quebrada em 2003, com a execução de três sequestradores armados de um bote de passageiros.

“Não estamos de acordo com a pena de morte. Não estamos convencidos com base em nossa fé”, disse a deputada María Yi Reyna, uma pastora evangélica, em um dos raros momentos de discordância no Parlamento.

Continuar lendo PARLAMENTO DE CUBA APROVA CÓDIGO PENAL PARA EVITAR PROTESTOS E PRESERVAR ATUAL REGIME SOCIALISTA

CONHEÇA ESTRADA BOLIVIANA CONSIDERADA UMA DAS MAIS PERIGOSAS DO MUNDO

A estrada mais perigosa do mundo

Ela fica na Bolívia, tem 64 quilômetros e apenas três metros de largura

Uma estrada boliviana construída por prisioneiros de guerra paraguaios depois da Guerra do Chaco (1932-1935) é considerada uma das mais perigosas do mundo.

A pista tem apenas três metros de largura | Foto: Reprodução/Flickr

A estrada vai de La Paz, principal cidade da Bolívia, para uma região conhecida como Yungas. Ela tem 64 quilômetros e uma descida acentuada de 3,5 mil metros. Partes da rodovia têm apenas três metros de largura, há uma série de curvas fechadas e cantos cegos, além cachoeiras que escorrem pelas rochas.

Barreiras de segurança são raras. Ao longo do trecho, mais comum, são santuários à beira da estrada: cruzes brancas, cachos de flores e fotos.

Depois do trecho inicial até o topo da montanha é apenas pista de terra. E ainda, é uma rota importante para caminhões e ônibus. No começo dos anos 2000, estimava-se que 200 a 300 pessoas morriam na estrada.

Ela ainda é uma rota importante para caminhões e ônibus | Foto: Reprodução Flickr

A reputação macabra da estrada tornou-a uma espécie de atração turística e atrai um fluxo constante de viajantes. Em 1995, o Banco Interamericano de Desenvolvimento o batizou de “o caminho mais perigoso do mundo”.

A rota também é a porta de entrada para as Yungas (“terras quentes” na língua indígena de Aymara, falada por 1,7 milhão de bolivianos): regiões com ouro e a planta coca.

Uma parte importante de seu trecho é de terra | Foto: Reprodução/Flickr

Uma corrida do ouro está em andamento em partes do Yungas e da Amazônia boliviana, desencadeada pelo aumento dos preços do minério depois da crise financeira global de 2007-2008.

Grande parte da mineração é ilegal e ligada ao crime organizado, às vias navegáveis envenenadas e ao aumento do desmatamento, como destacado em um relatório de 2018 do Projeto de Informação Geo-Referencial Da Amazônia, uma coalizão de organizações da sociedade civil.

Continuar lendo CONHEÇA ESTRADA BOLIVIANA CONSIDERADA UMA DAS MAIS PERIGOSAS DO MUNDO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho