Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

GEOPOLÍTICA: CAOS NA BOLÍVIA DEPOIS DE ELIÇÃO FRAUDULENTA

Um eleitor e resolveu fazer uma pesquisa no servidor da Amazon e comprovou que os dados eleitorais da Bolívia foram manipulados e que, por isso houve fraude. Ele informa que os dados foram encontrados no exterior e que todas as informações privadas de cada eleitorestão nas nuvens, num servidor estrangeiro. O texto deste cidadão está transcrito a seguir, bem como a Ata Eleitoral de Escrutínio. Leia o artigo completo a seguir e veja o caos em que se encontra a nossa vizinha Bolívia!

Uma pilha de pedras em um ponto de bloqueio localizado na Avenida Pequim. Dico Solis

Sem auditoria mais !!! Agora #EleccionesBoliviana2020 está anulado porque os dados são encontrados no exterior !!! Artigo 122.º (CPE) São nulos os actos de usurpação de funções que não lhes correspondem, bem como os actos de quem exerce jurisdição ou poder que não emanem da lei !!! Quer dizer é que pelo facto de a Ata ter sido processada por Servidor Estrangeiro, ficam nulas as Eleições porque todas as Informações privadas de cada Cidadão Votante (Impressões Digitais, Assinaturas, Data de Nascimento, Novo Bilhete de Identidade) Identidade etc) estão nas Nuvens (nuvens) e isso não é Legal se eu não cuidar de um servidor Nacional !!! Compartilho aqui o Link onde você pode vê-los com seus próprios olhos !!! Acabei de fazer o teste com este e se o # (80411) pode ser alterado para ver mais minutos com o servidor Amazon

Ativistas anunciam radicalização dos bloqueios desde terça e dois departamentos aderem

No domingo, Mário BR, do RJC, foi condenado à prisão domiciliar. Também tem raízes, a proibição de se aproximar do “cenário dos acontecimentos” e deve comparecer ao Ministério Público todas as segundas-feiras para assinar.
Ativistas anunciam radicalização dos bloqueios desde terça e dois departamentos aderem

Os bloqueios em Cochabamba serão radicalizados a partir de terça-feira e, no país, mais duas secretarias se somarão ao pedido de anulação dos resultados das eleições presidenciais e de restituição de dois terços na Assembleia Legislativa Plurinacional.

A notícia foi divulgada ontem pelo “Movimento Cívico Cochabambino”, do qual faz parte a Resistência Juvenil Cochala (RJC), depois que a Justiça determinará prisão domiciliar para um de seus integrantes, Mário BR, acusado de porte de artefatos explosivos.

Teddy Gamboa, que faz parte desse movimento, informou ainda que duas secretarias vão se somar às mobilizações que começaram em Santa Cruz e Cochabamba: La Paz e Potosí.

DETALHES

Sobre Cochabamba, disse que a partir de amanhã vão reforçar com mais gente os pontos de bloqueio que somam 10.

Ele ressaltou que o tráfego de veículos é impedido nas avenidas Oquendo, Belzu, Blanco Galindo e Perú, Melchor Pérez de Olguín, Pequim, Simón López, Circunvalación, Libertador (para Atahuallpa), América e Juan de la Rosa e na ponte Huayculli ( quilômetro 12 do Blanco Galindo).

Essas dez mobilizações foram “planejadas” pelo Movimento Cívico Cochabambino e pelo RJC, mas, supostamente, também existem outros setores no centro e norte de Cochabamba que estão bloqueados por pessoas que apóiam o pedido.

Segundo Gamboa, eles estão fazendo um “inventário” desses pontos onde há interdições de estradas com “pneus, entulhos, pedras, fitas e pititas”. Preliminarmente, ele estimou que há mais de 100 lugares ocupados por “moradores do lugar e também por membros da Resistência Juvenil de Cochala”.

Ele acrescentou que estão organizados em grupos de 20 a 30 pessoas e “em atitude passiva”.

CONTRADIÇÃO

Esse anúncio de “contundência” nos bloqueios a partir desta terça-feira contrasta com o que alguns ativistas disseram que no domingo foram apoiar Mário BR, integrante do RJC, durante audiência em que foi condenado à prisão domiciliar.

“Temos que levar algum tempo para pensar se o que estamos fazendo está surtindo efeito”, disse um ativista.

A este respeito, Gamboa disse que, após o incidente com Mário BR, “as pessoas baixam a guarda para se protegerem”, mas garantiu que se encontram “com outras pessoas”.

DETENÇÃO

No caso de Mario BR, seu advogado Cristian Ramírez informou que lhe deram prisão domiciliar, arraigo e ordem para comparecer todas as segundas-feiras ao Ministério Público para assinar.

Na sexta-feira, em um ponto de bloqueio da cidade, Juan de la Rosa e Pequim, dois veículos motorizados foram atacados e sofreram alguns danos. A Polícia apreendeu Mário BR em posse de explosivos.

A esse respeito, Ramírez disse que, durante o processo seguido por seu cliente, mostrará que não é o dono dos artefatos explosivos.

Fonte: opinion.com.bo

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: CAOS NA BOLÍVIA DEPOIS DE ELIÇÃO FRAUDULENTA

GEOPOLÍTICA: AUSTRÁLIA FOCARÁ SUA PRESENÇA NO MAR DO SUL DA CHINA, E NÃO ENVIARÁ MAIS MARINHA AO ORIENTE MÉDIO

Devido a pandemia e outros interesses de segurança nacional a Austrália muda o seu posicionamento estratégico GEOPOLÍTICO e resolve retirar sua já tradicional presença no Oriente Médio para focar sua presença militar no Mar do Sul da China. Leia o artigo completo a seguir e saiba o porquê! 

Austrália não enviará mais Marinha ao Oriente Médio e focará sua presença no Mar do Sul da China

Thaís Garcia

Publicado em 23.10.2020

Por  

 

A presença naval australiana de três décadas no Oriente Médio chegará a um fim abrupto neste ano, enquanto o Governo Federal se debate com um ambiente estratégico cada vez mais incerto perto de casa.

A ministra da Defesa australiana, Linda Reynolds, anunciou que a Austrália não enviará mais um navio da Marinha Real Australiana ao Oriente Médio, o que ocorria todos os anos. O último navio da Marinha australiana implantado na região, o HMAS Toowoomba, retornou à Austrália em junho deste ano.

A Austrália também se retirará da coalizão naval liderada pelos Estados Unidos que patrulha o Estreito de Ormuz no final de 2020. Isso significa que cerca de 30 anos de operações marítimas australianas no Oriente Médio – amplamente focadas em operações de contraterrorismo e pirataria – logo chegarão ao fim.

Em comunicado, Reynolds disse que as prioridades do governo australiano agora mudaram.

“Só este ano a Marinha respondeu ao incêndio florestal e às crises de covid-19, uma implantação de cinco navios em todo o Sudeste Asiático e no Pacífico, um compromisso contínuo com as iniciativas do ‘Pacific Step Up’ e várias atividades de grande sucesso com nossos parceiros regionais”, disse a ministra.

“Agora enfrentamos um ambiente estratégico cada vez mais desafiador, que exige mais recursos da Força de Defesa Australiana (ADF) mais perto de casa.

“Como resultado, a Força de Defesa Australiana reduzirá sua presença naval no Oriente Médio para permitir que mais recursos sejam implantados em nossa região”, acrescentou.

A mudança foi sinalizada na recente Atualização Estratégica de Defesa do Governo, que declarou que a deterioração das circunstâncias estratégicas forçaria os militares a se concentrarem mais fortemente no Indo-pacífico e na região imediata da Austrália.

A China se envolveu em um grande aumento naval na última década, além de afirmar um controle crescente sobre as águas contestadas do Mar do Sul da China, construindo uma série de fortificações militares.

A relação entre os Estados Unidos e seus aliados e a China também se tornou cada vez mais hostil no pós-pandemia, aumentando drasticamente o risco de conflito na região.

A Austrália tem participado de um número crescente de exercícios navais na região com uma série de aliados e parceiros, incluindo os Estados Unidos e o Japão.

No início deste ano, navios de guerra australianos encontraram a Marinha chinesa enquanto navegavam perto de ilhas contestadas “reivindicadas” por Pequim em seu caminho para exercícios trilaterais.

No próximo mês, a Marinha australiana também voltará aos exercícios navais do Malabar com os EUA, Japão e Índia, após um hiato de mais de uma década.

Altos funcionários, militares e ministros do Governo Morrison vêm contemplando a mudança do Oriente Médio há vários anos. No ano passado, houve um debate dentro do governo federal quando o Governo Trump pediu à Austrália para se juntar a uma coalizão naval liderada pelos EUA para proteger os navios no Estreito de Ormuz, perto do Irã. No final, o Governo Morrison concordou em enviar uma aeronave de vigilância e uma fragata para se juntar à missão.

O Chefe de Operações Conjuntas da Marinha autraliana, Tenente-general Greg Bilton, disse que a mudança anunciada pelo governo foi “histórica” ​​e a ministra Reynolds declarou que a Austrália poderia estar “orgulhosa” de sua contribuição naval.

“Há mais de 30 anos apoiamos a liberdade de navegação, a segurança marítima e o livre fluxo de comércio no Oriente Médio”, disse ela.

“Em cooperação com nossos parceiros, nossos compromissos têm sido inestimáveis ​​para cessar o comércio global de drogas, apoiando a redução de linhas de financiamento para atividades de terrorismo e aumentando a capacidade das forças regionais.”

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: AUSTRÁLIA FOCARÁ SUA PRESENÇA NO MAR DO SUL DA CHINA, E NÃO ENVIARÁ MAIS MARINHA AO ORIENTE MÉDIO

GEOPOLÍTICA: EDUARDO SOLIZ CASTRO ESCANCARA TODA A VERDADE SOBRE EVO MORALES

Neste sábado você vai se atualizar, aqui na coluna GEOPOLÍTICA com os últimos acontecimentos na Bolívia, através de uma postagem no Facebook de Eduardo Soliz Castro em carta para seu amigo Santiago Marpegan, onde ele simplesmente revela e desmascara o criminoso Evo Morales, de forma que, quem ler, por mais leigo que seja em política sul americana vai querer esse cocaleiro mofando pro resto da vida na cadeia! Então, não deixe de ler para poder formar a sua opinião!

Post especialmente dedicado ao meu amigo Santiago Marpegan que me perguntou há alguns dias qual era o perigo (e para quem) de um eventual retorno democrático do MAS ao poder.

Querido Santi,
se o MAS retorna de forma democrática, que assim seja. Ninguém tem o direito de impedi-lo. Somos um povo com convicções profundamente democráticas. De qualquer forma, o pano de fundo do governo de Evo Morales terá de ser analisado para que eu possa responder qual é o perigo e para quem, se houver.

Ufa…. por onde começar… cevada um fosco que dá por muito tempo.
(E levar em conta que votei em Evo em suas duas primeiras eleições)

• Assim que assumiu, em poucas semanas, o presidente da YPFB, a maior e mais importante empresa estratégica do país, foi preso por uma coleção de coimas onde a pessoa que os pagou foi morta. O homem, Santos Ramirez, foi o segundo homem mas atrás de Morales. A prisão não aconteceu porque Evo sacrificou sua amizade em busca da luta contra a corrupção, mas diante da bandeira do crime ele não teve escolha e soltou a mão, traindo-o como fez com muitos mais.

• Alguns anos depois, juntamente com seu ministro da Presidência e o monge negro Juan Ramón Quintana, ele montou uma operação “negra” para ter a desculpa de intervir nos departamentos (províncias) “rebeldes”. Eles recrutaram um grupo de mercenários que lutaram na guerra dos Balcãs para combater o separatismo entre países. Já aqui, eles foram mortos a tiros e executados enquanto dormiam, e os exibiam como “terroristas” contratados por movimentos autonomistas. Entraram militarmente em Santa Cruz, perseguiram, prenderam e exilaram seus líderes, e concordaram com bancos, mídia e agronegócio. Em 14 anos, os bancos ganharam mais dinheiro do que nunca, os canais de TV receberam todo o padrão oficial, e os agroindustriais receberam a bênção do governo para expandir a fronteira agrícola e cultivar OGMs.
Em Pando, eles mataram diretamente dezenas de camponeses, atribuindo os assassinatos ao governador rebelde Leopoldo Fernández, que pegou 10 anos de prisão. O MAS tomou Pando de tempestade e Quintana estava encarregado de gerenciar uma fronteira quente para o tráfico de drogas e contrabando.
A nova situação permitiu que a Vice García Linera assumisse o pacote de ações da Gravetal (produção de grãos) e as Ferrovias Orientais, bem como canais de TV, imprensa e rádio. Tenho uma fonte confirmada que calculou sua fortuna $us 300 milhões. Evo é imortal.

• Como Presidente das 6 federações de Cocalero, Evo encomendou um aeroporto internacional com a maior pista da Bolívia nos trópicos, no meio do nada, em uma pequena cidade de 2000 habitantes. Os Antonovs russos e aeronaves de pequeno porte pousaram periodicamente, levando valiosas “cargas” para a Venezuela e Moscou, onde foram trocados por armas que terminam no Irã. Evo Morales tornou-se o padrinho mais importante do mundo. Claro, ele expulsou a DEA e a Embaixada dos EUA no país primeiro. Competição que eu não poderia ter.

• Para expandir o negócio, ele ordenou a construção de uma estrada que levava os trópicos de cocalero para o Brasil. Uma rota absolutamente impraticável e antieconômica, sem acesso a rios que poderiam trazer bens comerciais convencionais ao mundo. Mas amplamente usado por narcos. A rota se dividiu em dois santuários de biodiversidade, um gigantesco parque natural e afetou severamente a vida dos indígenas. Desesperados por tratores, álcool, drogas e doenças, os indígenas fizeram uma marcha pacífica em direção a La Paz. Milhares de homens, mulheres e crianças andando centenas de quilômetros. Diante da iminente “ameaça”, Evo ordenou que fossem reprimidos com gases, balas de borracha e equipamentos de motim. Enquanto isso, organizou uma Cúpula para a Ecologia, Mudanças Climáticas e “Dignidade” dos povos originais. Hipocrisia e crueldade no seu melhor.

Para expandir o negócio, ele ordenou a construção de uma estrada que levaria dos trópicos de cocalero para o Brasil. Uma rota absolutamente impraticável e antieconômica, sem acesso a rios que poderiam trazer bens comerciais convencionais ao mundo. Mas amplamente usado por narcos. A rota se dividiu em dois santuários de biodiversidade, um gigantesco parque natural e afetou severamente a vida dos indígenas. Desesperados por tratores, álcool, drogas e doenças, os indígenas fizeram uma marcha pacífica em direção a La Paz. Milhares de homens, mulheres e crianças andando centenas de quilômetros. Diante da iminente “ameaça”, Evo ordenou que fossem reprimidos com gases, balas de borracha e equipamentos de motim. Enquanto isso, organizou uma Cúpula para a Ecologia, Mudanças Climáticas e “Dignidade” dos povos originais. Hipocrisia e crueldade no seu melhor.

• No mesmo nível de crueldade, um grupo de pessoas com deficiência de baixa renda queria entrar na Praça Murillo para conversar com ele e pedir-lhe um bônus de $us 70 para ajudá-los a lidar com suas doenças. Ele cercava a praça e não queria recebê-los. O bônus também não deu a ele. O que ele lhes deu foi uma surra da polícia que os reprimiu como se fossem terroristas muito perigosos. Eu estava com eles, Santi. Eles não me disseram. Eu vi os policiais batendo com seus paus e protege pessoas sem pernas em muletas, mulheres paralisadas em cadeiras de rodas, realmente tristes e cruéis. Ele os deixou acampar por mais de 3 meses na chuva e no frio.

• Mais de 100 pessoas foram mortas durante seu governo pela polícia e pela repressão militar, ordenada por ele.

• Os militares eram leais a ele enquanto Evo os pagava. A polícia também. Assim que o dinheiro parou de fluir, eles se viraram.

• Em um país tão pobre como o nosso, um avião de US$ 40 milhões foi comprado, um palácio presidencial de 70 foi construído, um museu foi construído por conta própria que custou 10, em uma cidade andina de 100 capita que é onde ele nasceu. Sua cidadezinha ainda não tem água potável.

• Ele gastou milhões fazendo hospitais, mas eles foram deixados na cadeia porque ele não equipou ou os equipou. Ele só se importava com o trabalho espesso e a execução dos negociadores. Eles não me contaram, eu vi um hospital muito moderno (do lado de fora), no meio dos pampas de Sucre, a 200 km da cidade, mas vazio e fechado.

• As rotas que ele fez são as mais caras do planeta. Mais de $us 1 milhão por km, em comparação com os US$ 200.000 que custa na Espanha. Obras públicas são onde mais dinheiro desapareceu.

• Colocar um satélite em órbita que traria telefonia e internet para o campo. Os camponeses ainda estão sem telefonia ou internet para aulas virtuais.

• Nas escolas do estado os livros didáticos dos pequenos são estrelados por um personagem de desenho animado chamado Evito.

• O famoso teleférico la Paz tem um preço excessivo ultrajante de mais de US$ 300 milhões.

• Construiu canchitas, coliseus e estádios com capacidade para milhares de pessoas em villorios de algumas centenas, para comprar as consciências e votos dos camponeses.

• Suas negociações com a China eclodem quando foi descoberto que ele havia colocado sua amante e mãe de seu filho em um consórcio chinês, um consórcio que ganhou licitações de mais de $us,6 bilhões.

Ele disse que teve a criança, assinou a certidão de nascimento, mas depois negou e mandou o juiz declarar que a criança não existia. Eles o desapareceram.

• Ele estuprou meninas que o sindicato e líderes políticos do seu partido lhe ofereceu como homenagem.

• As agressões às mulheres e as violações pela cúpula de seu partido eram moedas constantes. Paralelamente, o número de violência e feminicídio contra a mulher subiu na Bolívia para o topo das estatísticas.

• Seu vice García Linera tornou-se acionista em vários meios de comunicação, dos quais elogiou a gestão de Evo. O padrão oficial fluiu como água para seus cofres.

• Nenhum outro governo gastou tanto dinheiro ($us,8 bilhões) em propaganda, em um país onde as crianças ainda estão famintas.

• Nunca antes, na democracia, a mídia tinha sido perseguida de tal forma que não seguissem a batida oficial. Jornalistas foram presos, donos de jornais ficaram assustados, notícias censuradas, jornalistas críticos foram perseguidos. Liberdade de imprensa e expressão cidadã estavam sob fogo durante seu governo.

• Instituiu o Fundo Indígena, fonte de financiamento para obras no campo. Com todo o seu conhecimento, os fundos foram desviados para contas privadas de líderes camponeses para projetos em aldeias que nem sequer existiam. O dano é de mais de $us 200 milhões.

• Reformou a Constituição e violou-a quantas vezes quisesse. Ele pretendia se reeleger quatro vezes, embora as pessoas o proibissem através de um referendo vinculativo.

• Cometeu fraude ultrajante em 2019, depois de concorrer como candidato ilegalmente, mas armado por justiça “viciada” (paga).

É claro que há dezenas de outros casos, mas me parece que esse fundo é mais do que suficiente para formar um critério e concluir que um novo governo mas representa um sério perigo para a democracia, um sério perigo para a economia e um sério perigo para a estabilidade política do país (uma vez que, embora haja uma base de 30% difícil que sempre a apoiará , há 70% que nem querem vê-los na pintura).

E aqui faço um pequeno hiato, porque as organizações internacionais explicam o progresso econômico do país e o crescimento econômico incomum durante seu governo, bem como a redução da pobreza. Creio que, com a renda que ganhamos ao longo de 14 anos com os altos preços das commodities energéticas, a Bolívia deveria ser uma potência industrial, aumentou suas reservas prováveis e comprovadas, e desapareceram da pobreza, não a reduziram em alguns pontos. Com qualquer governo inepto, com o tsunami de dólares entrando em 14 anos de governo mas, a pobreza teria sido reduzida por terremotos e o crescimento econômico teria sido tão alto quanto. Não foi à toa que o MAS gastou mais de $us,3 bilhões em todo o seu governo, mas ele nos indeluscou como nenhum outro antes e nos deu oito anos de déficits fiscais. Como entende-se que tanta abundância, desperdício e bonança não se traduzem em um sistema de saúde minimamente justo ou níveis razoáveis de emprego?
A Bolívia tem 70% de emprego precário e uma economia informal.

Santi, não somos a Argentina, onde, embora o peronismo tenha governado por mais de 30 anos e afundado em profundidades inimagináveis, eles votam nele repetidamente.

Na Bolívia, o MAS nunca mais.

Autor: Eduardo Soliz Castro

Fonte: Facebook

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: EDUARDO SOLIZ CASTRO ESCANCARA TODA A VERDADE SOBRE EVO MORALES

GEOPOLÍTICA: O PARTIDO DE EVO MORALES NUM BECO SEM SAÍDA E AS ELEIÇÕES É O MURO NO FIM DO BECO

O destaque da coluna GEOPOLÍTICA desta quinta-feira é o desespero masista diante da iminente eleição para presidente em 06 de setembro próximo, que na opinião de Gary Prado Araúz, depois do fiasco dessa mobilização conspiratória e malsucedida, não haverá masismo, no segundo turno das eleições. Lendo o artigo completo a seguir você ficará a par de verdadeira situação política na Bolívia.

O desespero masista se espalha

Gary Prado Araúz: “Não vou desistir, moro na cama para ...

 

 

 

 

 

 

 

Abog. Gary Prado Arauz

Quando você ficar sem gasolina no carro, instintivamente acelerará um pouco para tentar cobrir a maior distância e chegar mais perto de uma bomba. Quando a vela ou lamparina está quase terminando, você apressa a leitura para aproveitar a pouca luz que resta. Quando o que você tem de energia acabar…. Você começa a promover leis de impunidade, declarações de conduta segura, bônus de quatro dígitos tentando ser mais solidário, você busca opções para o refúgio de seu chefe, você reclama na CIDH e em todo o mundo pelo processo criminal de quem cometeu crimes. Em suma, quando os masistas perdem seu poder … eles se desesperam e procuram acomodar o que está pendente.

Massacre os indígenas do TIPNIS em Chaparina; tornar a corte do chefe milionária; converter a prata do Fundo Indígena em uma piñata; contornar a soberania popular no referendo de 2016; repassar sob a proteção de um suposto direito humano; desconsiderando a gravidade do incêndio em Chiquitania, entre outros, foram os maiores erros do masismo. Eles foram colocados contra a maioria da população boliviana, incluindo muitos que os apoiaram com seu voto nas últimas duas eleições. Mas o poder é cegante e viciante.

Eles queriam continuar aproveitando a vida de prazer e luxo que conquistaram no governo e no controle absoluto do estado. O que sabemos hoje, o que foi relatado … é apenas a ponta do iceberg. Sob o escrutínio público, há muito mais que ainda ninguém ousou revelar. Tudo a seu tempo diz o livro de Eclesiastes (capítulo 3, versículos 1 a 8).

Mas os sonhos do patrão e a mitomania os fizeram acreditar que convocando novas eleições, com pouco esforço e algum dinheiro mal recebido, poderiam ganhar e voltar … sendo milhões. Aí as pesquisas começaram a ser divulgadas e a realidade bateu nelas sem anestesia. Eles não desfrutam mais do apoio urbano popular e nas áreas rurais são deficientes. Eles não têm mais a unidade monolítica das organizações sociais. Eles não desfrutam mais da popularidade e simpatia da mídia. Os números diminuem e os custos aumentam.

A tarefa fica mais difícil a cada dia. E as reclamações são somadas e seguidas. Não há mais confiança nem mesmo na camisa. Os áudios e mensagens orgânicos são tornados públicos. Os promotores relutantemente têm que abrir investigações. O concerto internacional deteriorou-se, os mímicos e os adultos desapareceram. Além disso, o candidato do chefe é duvidoso e não tem muita credibilidade. As pessoas se lembram de seus tapetes persas e de toda a família em lugares públicos. O lobo é feio.

E quando o Tribunal Supremo Eleitoral, num raro lampejo de lucidez, decide adiar a data das eleições porque se sabe que a pandemia ainda se agravará até setembro, os ideólogos da conspiração decidem jogar o Ás que têm na manga.

As notas que foram declaradas em desuso e nunca foram destruídas sairão das maçanetas do masista e serão distribuídas para a mãe das batalhas. “Vamos colocar fogo no país e derrubar o usurpador.” Esse é o slogan. Eles são considerados mais fortes e legítimos do que os chamados “pititas”.

E como um Napoleão comandando suas tropas em Waterloo, da distante Buenos Aires o patrão manda todos para matar ou morrer. “Não deixe o oxigênio entrar nas cidades”, ele terá dito. E assim foi. O Pacto de Unidade é revigorado (pastas no meio).

Os cocaleiros fecham o centro do país, os garimpeiros explodem morros e tapam as estradas com pedras, os colonos arrastam paus e pedras no asfalto, os fiéis FEJUVES, como os nazistas do pré-guerra, marcam as casas de quem não quer partir para Março. Tráfego incessante de chamadas (abençoada invenção imperialista do WhatsApp). E o argumento inicial era sólido. Eleição em 6 de setembro ou todos morreremos.

Enrijecendo as fileiras, sacaram suas armas, inundaram as redes de imagens e vídeos das milícias e ameaçaram a todos. “Os fachos vão vir à nossa procura” devem ter pensado. “É necessária uma pequena morte”, terão dito. E se, do leste e do oeste, os mais bravos saíram para gritar exigindo o uso da força, a legítima violência do Estado. E os pacientes começaram a morrer em hospitais. E o público ficou nervoso. E parecia que os bloqueadores estavam sendo atingidos pela polícia e pelos militares.

Faça planos e verá Deus sorrir, diz um ditado. E o plano falhou. Porque a racionalidade prevaleceu e as forças da ordem não surgiram. E o diálogo foi apelado (ao qual o candidato masista não foi) e o diálogo foi realizado. E ninguém apoiou a reversão da data das eleições. E, aos poucos, a opinião pública se concentrou na crítica, no questionamento e na rejeição daquela mobilização impiedosa, dessas práticas violentas, desse discurso dissociativo.

E não havia escolha a não ser recuar. E o primeiro a recuar foi o patrão “também não vamos criar problemas durante duas ou três semanas”. E ele foi abandonando o mobilizado, se distanciando. E os parlamentares votaram rapidamente uma lei desnecessária e também se distanciaram da rua. E a rua os estigmatizou como traidores, para usá-los, para tirar vantagem deles.

E o dinheiro para o diário de bloqueio desapareceu. E assim, sem glória e com grande dor pelos mortos, a mãe das batalhas não era mãe, porque o objetivo não dava à luz: não derrubavam o governo, não havia repressão, não mudavam a data. A mãe das batalhas ficou com uma gravidez psicológica.

E voltamos ao início. “Essa festa acabou, pessoal. Em quatro meses o congresso estará fechado para nós e os poucos que voltarem ou ganharem uma vaga não serão suficientes nem para brigar pela comissão de ética. Vamos, mas pelo menos compliquemos um pouco as coisas ”. E o tempo está passando e o dia do fim se aproxima. Não haverá nada além da triste lembrança de como eles se saíram mal.

Acredito sinceramente que depois do fiasco dessa mobilização conspiratória e malsucedida, não haverá masismo, nem mesmo para o auge. Duvido que disputem o segundo turno. Eles foram agredidos e desacreditados.

Fonte: Eju.tv

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: O PARTIDO DE EVO MORALES NUM BECO SEM SAÍDA E AS ELEIÇÕES É O MURO NO FIM DO BECO

GEOPOLÍTICA: EVO MORALES TAMBÉM É ESTUPRADOR!

Como se não bastasse, agora Evo Morales, também é acusado de reiterados estupros em múltiplas vítimas e o que é pior, com o consentimento dos pais dessas garotas. É sujeira pra ninguém botar defeito!

Na quarta-feira da semana seguinte farão nova denúncia contra o ex-presidente Evo Morales pelo crime de estupro e múltiplas vítimas, pois envolve várias famílias que puderam fazer a denúncia, informou a advogada Paola Barriga.

A jurisconsultora, especialista nesses tipos de casos, explicou que espera que outras mães de meninas entregues às operadoras de Morales participem de uma denúncia que ela elabora com uma pessoa que já a contatou e está disposta a enfrentar o ex-presidente.

“Esperamos que as outras mães aceitem fazer parte desse processo, por isso estamos aguardando mais pessoas que forçaram suas filhas a se juntarem . Se não, mesmo que seja com uma única vítima, temos que iniciar o processo , já temos todos os dados do menor ”, disse o advogado.

O governo já ajuizou ação de estupro contra Evo Morales no caso do menor que apareceu em fotos e vídeos. Barriga afirmou que a denúncia por esse crime não corresponde porque a pena é menor .

Ela garantiu que entrará com a ação pelo artigo 308 bis do Código Penal, ” violação de criança, menino, menina ou adolescente ” que se qualifica como violação de relacionamento com menor de 14 anos e contempla prisão de 25 anos “, mesmo que não haja uso de força ou intimidação e seja alegado consentimento ”, diz o artigo citado.

A acusação

Barriga disse que com o mesmo status legal podem ser retomados outros escândalos públicos conhecidos na época em que Morales era presidente , como os casos “Zapata” e “Achacollo”. Censurou o facto de o Ministério Público não ter tomado a iniciativa de instaurar um processo ex officio por crimes públicos.

Disse que nos dois casos conhecidos, a investigação deve ser alargada aos pais porque se apurou que, em ambos os casos, os protagonistas eram menores no momento dos acontecimentos.

Gabriela Zapata tinha duas ações judiciais , uma por enriquecimento ilícito e outra por se passar por um menor se passando por filho. O primeiro julgamento teve uma pena de 10 anos e ela está detida na prisão de Miraflores, mas o segundo caso nunca avançou e ainda está em tribunal .

No caso da filha da ex-ministra Nemesia Achacollo, nunca houve investigação e nem foi aberto processo no Ministério Público.

Fonte: Eldeber

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: EVO MORALES TAMBÉM É ESTUPRADOR!

GEOPOLÍTICA: A CENTRAL OBREIRA BOLIVIANA EXPLODE ESTRADAS E O MAS CAPITULA NA BOLÍVIA

Situação delicada e de muita tensão na Bolívia faz a Central Obreira Boliviana partir para as ruas e bloquear estradas dinamitando-as e destruindo-as, paralisando o transporte de cargas no país. Do jeito que a coisa caminha talvez o governo e o país entre em colapso antes mesmo das eleições marcadas para 11 de outubro. A seguir um artigo que explica essa relação COB X MAS e um vídeo que mostra a situação de calamidade das estradas explodidas!

Depois disso, o COB ainda existe?

Carlos Federico Valverde B 16/08/2020 03:00

OUÇA ESTA NOTA AQUI

Falar ou escrever sobre o COB atual se tornou um assunto desagradável. Huarachi ou Guarachi, (importa? Porque ele escreve nos dois sentidos) acredita que todos os cidadãos são imbecis e que ele é o único inteligente e, nessa lógica, muda radicalmente o seu discurso em menos de 24 horas: primeiro a “declarar-se traído” por todos e, a seguir, assumir o seu “triunfo” por tudo o que foi alcançado e acordado na Assembleia Plurinacional entre os partidos que a compõem.

O que é desagradável? É a mentira, é a desculpa, é autorreferencial, é aquela mania de acreditar que as pessoas não o conhecem e que, com exceções é claro, entregou a Central Obrera Boliviana ao regime de Morales sem nenhuma vergonha, recebendo em seu momento um hotel de cinco andares onde foi localizado um busto do doador, mais de uma dúzia de veículos; hotel no qual foram equipadas 18 camas duplas e bipolares, que, segundo o próprio Morales, foram feitas desta forma “a pedido dos colegas do COB; ou seja, o famoso hotel funcionaria como motel ou pousada temporária para que os hierarcas dos trabalhadores desfrutam de suas tentações de “amor”.

Mas, independentemente daquela anedota vergonhosa que mostra um dos motivos pelos quais a organização matriz dos trabalhadores caiu tanto, existe o fato de se negar o que já se sabe em todo o país, que não foi o COB quem gerou os bloqueios ou o mobilizações de dias passados, mas emprestou seu nome ao MAS para que este partido consiga articular sua enésima tentativa de desestabilizar tão frágil democracia com a ideia de gerar polarização, dando a sensação de não só serem os únicos em condições de governar ou , o que é pior, a chantagem política que mostra às pessoas que sem elas as coisas podem correr muito mal, porque “elas” são capazes de dar à sociedade muito mais daquilo que vimos na semana que terminou, durante muito tempo.

O COB emprestou seu nome ao MAS porque sabe que não tem nada a perder. Em todo caso, qualquer efeito moderadamente positivo (por menor que fosse) geraria algo a seu favor, mas não alcançou nada, como os do chamado ‘pacto de unidade’, as Bartolinas ou outras organizações que durante anos estiveram paralisadas e ligada ao MAS e de quem não se pode esperar nada de bom em um momento como este.

A cereja do bolo, como corolário da besteira cobista, parece ter sido um auto-ataque na sede da matriz operária, acusado por Huarachi (ou Guarachi) de tentativa de acabar com sua vida, quando se sabe que ele não estava em o lugar, levando à pergunta, quem eles poderiam ter matado se o lugar estivesse vazio? A coletiva de imprensa no dia seguinte à explosão do COB (sexta-feira) teria terminado com o homem escondido no porta-malas de um veículo para partir para um destino desconhecido, o que pinta exatamente o nível do quadro teatral do líder operário.
Em outro assunto, vamos lá ver o resultado do que aconteceu, porque, como tudo neste país se mede entre prováveis ​​vencedores e perdedores, vou experimentar a minha ideia:

O pacto de unidade COB-Bartolinas e o MAS foram categoricamente os perdedores nesta semana. Não há diferença entre eles porque todos fazem parte de um pacto de pelo menos 13 anos. Se assim for, dá a impressão de que alguém ganhou e muitos podem pensar que este “alguém” é o Governo-Juntos, facto que, a meu ver, não o é, pois, se o resultado dos bloqueios é semelhante 40 mortos por falta de oxigênio, estradas destruídas pela barbárie dos bloqueadores e, presumivelmente um aumento de casos Covid, temos que concluir que é difícil que tenha havido um vencedor. Pelo contrário, o país também perdeu, porque o Governo retirou ao Estado as suas responsabilidades fundamentais como a garantia da segurança pública, a manutenção dos serviços essenciais e a paz social.

O Estado não pode faltar tantos dias em situações como as do passado, isso é um facto, porque o uso racional da força e a assunção de responsabilidades legais devem fazer parte da conduta do encarregado de impor o Estado de Direito e garantir o paz social. Isso não aconteceu e é uma pena, embora haja quem festeje “que não aconteceu aos adultos”, porque alguém terá que se responsabilizar pelo falecido por falta de oxigênio! Essa não é uma questão menor, alguém precisa fazer porque a ideia de que, entre os mortos nas estradas e os mortos nos hospitais, ficamos com estes; essa é uma ideia perversa e não convincente.

Além disso, as últimas notícias relatam uma explosão em uma subestação de energia elétrica em Oruro, que pode ser considerada um ataque terrorista, além da resistência de um mínimo de anarquistas que tentarão continuar com seus trabalhos em estradas e rodovias. o que pode significar que no MAS há pessoas que estão tentando “marcar” que aquela festa definitivamente não estava nas ações violentas e criminosas fracassadas e inúteis da semana passada, quando você apenas tem que fazer uma revisão dos tweets do fugitivo Morales para verificar do que ele é acusado.

As eleições serão um bom termômetro para saber o quanto Morales está longe de retornar; podem marcar o início do aperfeiçoamento das coisas ou, ao contrário, a continuação e o aprofundamento da estupidez e da não-democracia. Lá ele não vai depender dele, porque isso vai ser definido nas urnas e acredito que Romero Ballivian, pelo menos nisso, não vai apadrinhar a fraude.

Entre tantas coisas, temos uma vantagem: depende dos cidadãos o que acontecer a partir de agora

Fonte: Elderber

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: A CENTRAL OBREIRA BOLIVIANA EXPLODE ESTRADAS E O MAS CAPITULA NA BOLÍVIA

GEOPOLÍTICA: QUEM REALMENTE ESTÁ NO COMANDO DA BOLÍVIA?

Quem realmente está no comando da Bolívia? Esta é a pergunta que continua correndo os quatro cantos do país, já que a presidente interina, Jeanine Añes, ao promulgar a lei convocando as eleições para o dia 06 de setembro está responsabilizando os ex-presidentes Evo Morales e Carlos Mesa, por “exigirem com insistência” a realização do pleito em plena pandemia. Então leia o texto completo a seguir para entender o que está acontecendo na política boliviana!

QUEM ESTÁ NO COMANDO NA BOLÍVIA?

Isso já parece um aviso inútil, um monserga inútil, mas não é. Tudo o que estamos vendo hoje é uma farsa. É uma armadilha porque os masistas sabem que a eleição geral não será realizada em 6 de setembro, mas eles tomam isso como pretexto para seu outro propósito, que, em nossa opinião, é forçar a presidente Añez a renunciar. Em outras palavras, os bloqueios têm um destino puramente político. O MAS quer derrubar a presidente, não apenas para fazê-la renunciar à sua candidatura eleitoral, o que é muito diferente.
Nunca fomos apocalípticos, nem pretendemos começar os leitores sem motivo. No entanto, agora parece que Evo Morales enviou de volta ao país, porque nem todo pela fustan pode organizar 70 bloqueios em um único dia e paralisar a nação. Nem ordenar por telefone como a Assembleia Legislativa deve agir. Em meio à pandemia de Covid, com pessoas mortas se multiplicando, quando a maioria das pessoas está se sacrificando em suas casas para cuidar de si mesmas, aparece o que os masistas agora chamam de “o povo organizado”, ou seja, os oportunistas do COB, o Pacto da Unidade, e outros setores menos parecidos com Morales, colocando um bloqueio duplo. Não se trata mais de ficar trancado em casa, mas de ser cercado abusivamente na região.
Aqueles de nós que têm alguma experiência política pelos anos vividos, sabemos que um golpe está sendo atingido, uma clara conspiração que derruba o poder constituído, porque o MAS sabe perfeitamente bem que seu candidato, o melífluo Arce Catacora, vai perder, porque não arrasta ninguém. Só a atomização de seus oponentes “certos” pode salvá-lo. Portanto, temos que estar convencidos de que o MAS não se interessou por eleições em 6 de setembro. O que importa para ele é complicar o Tribunal Supremo Eleitoral, semear a agitação, entrar em pânico, se possível, e promover uma insurgência popular que traga Morales de volta ao comando, mesmo que seja factual.

Infelizmente, o governo está muito desgastado e vive um de seus piores momentos. Faltam recursos, a pandemia se espalha e a presidente, mal informada, não depõe sua impopular candidatura presidencial. Se Jeanine Añez anunciar que deixará de lado sua aspiração presidencial e que se dedicará ao combate à peste, aliviando a situação econômica dos bolivianos e garantindo uma transição democrática impecável, ocorreria uma trégua social e seu valor voltaria a crescer. O MAS perderia sustentação porque lhe seria retirado o argumento de que o suposto governo “de fato” quer se estender.
Não se pode falar com bêbados, drogados e muito menos com ativistas que recebem suborno e álcool. Esse “diálogo” ao qual eles apelam é uma conhecida história chinesa. É hora de decidir quem manda no país, quem manda. Se você obedece às disposições das autoridades reconhecidas ou aceita as gangues de bandidos que enxameiam gritando bobagens em todas as estradas da Bolívia; aqueles que em seus bloqueios e parapeitos não permitem a passagem de ambulâncias, remédios ou mesmo oxigênio para os enfermos.
De uma mesa, não é a mesma coisa ver a situação de um escritório ministerial ou de uma barricada. Compreendemos isso perfeitamente e é por isso que nunca incentivamos a violência. Sabemos que é muito perigoso e que não deve ser feito. Mas estamos convencidos de que tudo tem seus limites e que o que os masistas fazem hoje deve ser reprimido pela força. É chegado o momento de a Polícia e o Exército cumprirem sua função constitucional e permitir que os bolivianos viajem com segurança e capturem e aprisionem aqueles que promoveram ataques contra pessoas e bens públicos.
Não fazer isso significa esquecer o criminoso exilado em Buenos Aires e dar lugar a um confronto entre os masistas bêbados que bloqueiam e os cidadãos acuados, impedidos de trabalhar, desprotegidos, que por conta própria já ameaçam romper com sangue e atirar nas cercas que enfrentam. eles estão subjugados. O MAS quer isso quando seus apoiadores gritam “agora sim, guerra civil”?

Fonte:

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: QUEM REALMENTE ESTÁ NO COMANDO DA BOLÍVIA?

GEOPOLÍTICA: COM SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE EM COLAPSO BOLÍVIA TEM PESSOAS MORRENDO NA PORTA DE HOSPITAIS

O Sistema Público de Saúde da Bolívia apresenta-se totalmente colapsado com um déficit de pelo menos 600 leitos para o tratamento de pacientes com covid-19. Há pessoas morrendo dentro de casa, nas ruas e nas portas dos hospitais. Leia a reportagem completa a seguir e assista aos vídeos. 

6 mortes de Covid-19 relatadas nas ruas da Bolívia

A Bolívia conta quase 20.000 casos confirmados do novo coronavírus, lamentando a morte de mais de 600 deles, segundo dados do governo de fato.A Bolívia conta quase 20.000 casos confirmados do novo coronavírus, lamentando a morte de mais de 600 deles, segundo dados do governo de fato. Foto: EFE

16 de junho de 2020 – Publicada na Amazon.com

Pelo menos seis pessoas morreram na porta das instalações do hospital, em suas casas ou no meio da rua, por não terem recebido a atenção médica que exigiam.

Cidadãos bolivianos, além de figuras políticas daquele país e da mídia local, denunciam o colapso do sistema nacional de saúde, que causou mortes nas ruas por não receber atendimento médico.

Leia também:

TSE boliviano registra reclamação em processo para as eleições de 2019

Um dos casos mais recentes é o de um cidadão que esteve no último sábado no Hospital Municipal Cotahuma em La Paz, capital da Bolívia. O mesmo não foi atendido no referido estabelecimento e foi enviado por seus próprios meios para outro centro de saúde, onde ele poderia receber o tratamento necessário.

Essa pessoa desapareceu na porta do hospital ao sair do hospital, devido aos efeitos nocivos que o Covid-19 havia causado em seu corpo.

O momento foi capturado em um vídeo que circula nas redes sociais. Mais tarde, ele foi transferido para o hospital, onde perdeu a vida.

Situações semelhantes foram registradas em outros locais da capital e também nas cidades de Cochabamba, Beni e Santa Cruz, nas quais são registradas mortes na rua ou em bancos de centros de saúde.

As queixas registradas colocam a causa dessa situação no colapso do sistema de saúde, dado o aumento de casos confirmados do novo coronavírus.

O chefe da Vigilância Epidemiológica do Serviço Departamental de Saúde (Sede) de Cochabamba, Rubén Castillo, disse à imprensa que os leitos de terapia intensiva destinados ao Covid-19 em sua demarcação são 100% cobertos. Esse mesmo comportamento está registrado em La Paz.

De acordo com a Sociedade Boliviana de Medicina Crítica e Terapia Intensiva (Sbmcti), a Bolívia possui pouco mais de 100 leitos para o Covid-19, quando é necessário pelo menos sete vezes mais. Segundo a instituição, também é necessário dobrar o número de médicos intensivistas, que atualmente são 210.

A situação é agravada pela disponibilidade de equipamentos médicos e, principalmente, ventiladores mecânicos. Segundo porta-vozes de fato do governo, estão sendo feitos esforços para aumentar essas capacidades.

No entanto, em meados de maio passado, o presidente da Sbmcti, Dr. José Luis Prieto, revelou a uma mídia local que os fãs comprados pelas autoridades de fato não cumpriam os requisitos mínimos a serem usados ​​nos casos Covid-19.

Ele explicou que estes eram equipamentos de emergência, não para tratamentos intensivos e progressivos. Ele ressaltou que estes são respiradores que não possuem baterias ou permitem o monitoramento da função pulmonar do paciente, elementos essenciais, de acordo com o Dr. Prieto.

Vídeos relacionados

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: COM SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE EM COLAPSO BOLÍVIA TEM PESSOAS MORRENDO NA PORTA DE HOSPITAIS

GEOPOLÍTICA: PRIMEIRO-MINISTRO DE PORTUGAL AMEAÇA BARRAR BRASILEIROS CASO UNIÃO EUROPEIA DETERMINE

Primeiro-ministro de Portugal diz que país pode barrar brasileiros

Publicado  

em 16.06.2020

Por Tiago Netto

 

António Costa, primeiro-ministro português, afirmou nesta última segunda-feira (15) que, caso a União Europeia determine, o país vai barrar a entrada de brasileiros como medida de precaução por causa da pandemia de Covid-19.

Até o momento, Portugal continua liberando a entrada de brasileiros — desde que sejam residentes do país, parentes de residentes ou parentes de portugueses.

“A partir do momento em que houver sinalização por parte do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças da União Europeia, nós cumpriremos as regras comuns da União Europeia a países de fora do bloco. O que podemos desejar é que o Brasil tenha evolução positiva da situação. Aguardamos que cumpra os critérios e desejamos que um país-irmão como é o Brasil possa recuperar a sua situação epidemiológica e preencher critérios para que não seja afetado pela medida da União Europeia”, disse Costa.

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: PRIMEIRO-MINISTRO DE PORTUGAL AMEAÇA BARRAR BRASILEIROS CASO UNIÃO EUROPEIA DETERMINE

GEOPOLÍTICA: ESTUDO FEITO POR INVESTIGADORES DA OEA SOBRE ELEIÇÕES NA BOLÍVIA EM 2019 CONCLUI QUE HOUVE FRAUDE

Na nossa coluna GEOPOLÍTICA desta terça-feira o assunto é as eleições presidenciais da Bolívia de 2019. O estudo conclusivo da missão eleitoral da Organização dos Estados Americanos (OEA) é de que houve “manipulação intencional” e “graves irregularidades” nas eleições de 20 de outubro de 2019. No artigo a seguir você vai conhecer todos os detalhes da investigação feita pela OEA.

Estudo confirmou que as eleições presidenciais da Bolívia foram uma fraude

Foto: EFE 

Na Bolívia houve fraude eleitoral, disse um novo estudo que confirma as conclusões da OEA nas eleições do ano passado e descarta as perguntas de dois investigadores norte-americanos divulgadas há dois meses pelo The Washington Post.

A missão eleitoral da Organização dos Estados Americanos (OEA) concluiu que houve “manipulação intencional” e “graves irregularidades” nas eleições de 20 de outubro de 2019 na Bolívia e observou a impossibilidade de validar os resultados, o que causou a renúncia do presidente reeleito Evo Morales em meio a um levante social.

“As conclusões da OEA sobre a integridade eleitoral das eleições bolivianas estão corretas”, disse John Newman, ex-economista do Banco Mundial na Bolívia e atual consultor nos Estados Unidos, em um estudo divulgado no Twitter na sexta-feira pela missão permanente do País sul-americano antes da OEA.

A auditoria da OEA desencadeou a renúncia de Morales após quase 14 anos no poder, depois que os chefes de polícia e militares retiraram seu apoio, bem como seu refúgio primeiro no México e depois na Argentina.

As novas eleições foram inicialmente agendadas para 3 de maio pelo governo de transição liderado por Jeanine Áñez, mas foram adiadas em março devido à pandemia do COVID-19.

Agora, o Congresso, no qual o partido de Morales tem uma maioria confortável, aprovou esta semana a realização das eleições em 90 dias, mas Áñez se recusou a promulgar a regra devido à crise da saúde.

Newman disse que ratificou as conclusões da OEA depois de contrastar o relatório da missão de observação e posterior análise do estatístico Irfan Nooruddin, encomendado pela OEA para analisar os resultados das eleições, com pesquisa dos acadêmicos John Curiel e Jack Williams. , que garantiu que a investigação “não encontrou motivo para suspeitar de fraude”.

“Com base na revisão dos três documentos e em uma nova análise de dados de todas as tabelas que registraram votos, dos distritos eleitorais (distritos), localidades e municípios, este documento mostra que a análise de Curiel e Williams é falha e suas conclusões eles não têm justificativa. Nooruddin e a OEA estavam corretos ao questionar a integridade das eleições presidenciais bolivianas de 20 de outubro de 2019 “, afirmou Newman.

– Falhas –

A investigação de Curiel e Williams havia sido solicitada pelo Centro de Pesquisa Econômica e Política (CEPR), um grupo de estudos progressivos com sede em Washington, e seus resultados foram publicados em 27 de fevereiro no Monkey Cage, um blog sobre pesquisa científica. Política publicada pelo The Washington Post.

“Não conseguimos encontrar resultados que nos levem à mesma conclusão que a OEA. Acreditamos que é muito provável que Morales tenha obtido a margem de 10 pontos percentuais necessários para vencer no primeiro turno ”, indicaram Curiel e Williams.

Mas Newman apontou falhas na análise de Curiel e Williams.

“Os números de Nooruddin mostram que a mudança nas margens de votação de Morales antes e depois da suspensão do registro de votos é consideravelmente maior do que a sugerida pelos números de Williams e Curiel”, disse o especialista.

A oposição boliviana denunciou “fraude” desde o dia seguinte às eleições, quando houve uma mudança “drástica” e “inexplicável” na tendência de contagem após uma paralisia de 20 horas do sistema de computação rápida.

A contagem final deu à reeleição esquerdista de Morales o primeiro turno com 47,08% dos votos, com mais de 10 pontos à frente do ex-presidente centrista Carlos Mesa (36,51%).

A OEA denunciou alterações nas atas e falsificação das assinaturas dos júris da mesa. Além disso, afirmou que, quando os resultados foram processados, o fluxo de dados foi redirecionado para dois servidores ocultos e não controlado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), possibilitando suplantar as atas.

Ele também apontou a falta de proteção da ata e a perda de material sensível.

Morales denunciou ter sido vítima de um “golpe de estado”. | Por Alina Dieste / AFP

Fonte: Lapatilla

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: ESTUDO FEITO POR INVESTIGADORES DA OEA SOBRE ELEIÇÕES NA BOLÍVIA EM 2019 CONCLUI QUE HOUVE FRAUDE

GEOPOLÍTICA: EVOCRACIA, UMA DITADURA MALDITA

Na nossa coluna GEOPOLÍTICA desta sexta-feira temos um documentário produzido por Ariel Duranboger Bascoé, Criativo, Publicitário, Fotógrafo, Diretor, roteirista e produtor audiovisual sobre a verdade do governo Evo Morales que durou 13 anos de muita corrupção e impunidade. Evo Morales continua, assim como Lula, influenciando parte da população boliviana incitando a violência. Assista o vídeo e tire as suas conclusões.

A corrupção do governo Evo Morales, acumulada ao longo de 13 anos, permanece impune. Desde seu asilo, o ex-presidente da Bolívia continua a conduzir a eselidade de classe no país, fingindo voltar ao poder. A cada dia que passa, novos atos de corrupção cometidos durante seus esforços são descobertos e com eles as mentiras que eles estavam estilizando para desfalcar ainda mais a Bolívia.
Este documentário independente, puramente pulmonar, é uma coleção de testemunhos que atestam como a defesa pacífica da democracia boliviana e da liberdade foi sistematicamente distorcida pelas mentiras que Evo e seus seguidores espalharam para escapar da fraude eleitoral, fingindo que a opinião pública internacional acredita que houve um golpe, este vídeo de 46 minutos foca sua narrativa sobre os eventos que ocorreram durante os 21 dias de resistência pacífica da Bolívia para enfrentar o fraude do autoritarismo por Evo Morales e seus seguidores.
Muitas das imagens e músicas de apoio foram coletadas das mídias sociais e mídias sociais locais e internacionais. Agradecemos e pedimos permissão para incluí-los neste documentário, em todos os casos seus créditos foram respeitados.
Agradecemos também às pessoas que corajosamente deram seus testemunhos para contar o que muitos sabem e muitos buscam distorcer.

Fonte:

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: EVOCRACIA, UMA DITADURA MALDITA

GEOPOLÍTICA: GOVERNO ANGOLANO TOMA MEDIDAS PREVENTIVAS APÓS DECRETAÇÃO DA PANDEMIA PELA OMS

O governo de Angola toma medidas severas no reforço da vigilância sanitária nas suas fronteiras, após a OMS ter reconhecido a expansão do coronavírus como Pandemia. Leia o artigo completo a seguir e saiba quais são essas medidas!

COVID-19: Angola reforça vigilância sanitária nas fronteiras

12 de Março, 2020

O Governo angolano vai reforçar, nos próximos dias, as medidas de prevenção e vigilância epidemiológica e sanitária nas zonas fronteiriças, tendo em conta a expansão do número de casos do novo coronavírus (COVID-19) no mundo, que nesta quarta-feira passou de epidemia para pandemia.

Secretário de Estado para Área de Saúde Pública, Franco Mufinda
Fotografia: DR

O anúncio foi feito ontem em Luanda, pelo secretário de Estado para Área de Saúde Pública, Franco Mufinda, que apontou as fronteiras das regiões norte e leste como as que mais vão merecer a atenção do Governo, por causa do surgimento do primeiro caso de COVID-19 na República Democrática do Congo (RDC).

Em declarações à Televisão Pública de Angola (TPA), o dirigente afirmou que as medidas de prevenção passam, essencialmente, na disseminação de informações úteis, como a lavagem e desinfestação frequente das mãos, tapar a boca ao tossir ou espirrar, bem como evitar o aperto das mãos no acto das saudações e aglomerações de pessoas nos eventos.

Advogou também a necessidade de reforçar a vigilância sanitária nos aeroportos e portos, em função do aumento do número de casos nos países de maior proximidade geográfica e histórica com Angola, como Portugal e a África do Sul.

Na ocasião, apontou o adiamento da vinda do navio cruzeiro de turistas a Angola como uma das medidas preventivas que o Governo adoptou, enquanto permanecer a situação de alerta mundial.

Além desse navio, que tinha a previsão de chegar em Angola (Namibe-Benguela-Luanda) no dia 26 deste mês, Franco Mufinda disse que a mesma medida de restrição vai abranger os demais turistas vindos de países com maior índice de casos de novo coronavírus.

Angola continua sem registo de nenhum caso positivo de novo coronavírus, enquanto a RDC, Costa do Marfim, Camarões, Senegal, Togo, Egipto, Tunísia, Argélia, Marrocos, entre outros, são os países africanos afectados pela pandemia mundial.

Fonte: Jornal de Angola

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: GOVERNO ANGOLANO TOMA MEDIDAS PREVENTIVAS APÓS DECRETAÇÃO DA PANDEMIA PELA OMS

GEOPOLÍTICA: CRESCIMENTO DE BERNIE SANDERS CAUSA TEMOR ATÉ NA ALA MODERADA DOS DEMOCRATAS

GEOPOLÍTICA: CRESCIMENTO DE BERNIE SANDERS CAUSA TEMOR ATÉ NA ALA MODERADA DOS DEMOCRATAS
NASHUA, NH - DECEMBER 13: Democratic presidential candidate, Sen. Bernie Sanders (I-VT), speaks during his event at Nashua Community College on December 13, 2019 in Nashua, New Hampshire. The Iowa Caucuses are less than two months away. (Photo by Scott Eisen/Getty Images)

O crescimento da provável candidatura do senador social-democrata Bernie Sanders por causa das sua vitórias nas primárias causa arrepios até no próprio Establishment partidário, que teme a sua pssível indicação para concorrer a presidência da república com Donald Trump, pelo fato dele ser considerado socialista, palavra que nos EUA é associada ao comunismo. Leia a reportagem completa a seguir e tire suas conclusões!

Crescimento de Sanders gera temor no ‘establishment’ democrata

Rivais e setores moderados do partido advertem contra uma candidatura presidencial do senador social-democrata e temem um efeito também no Congresso

 

A trajetória ascendente de Bernie Sanders nas primárias democratas inflamou as críticas de seus rivais internos e desatou o medo no establishment partidário. A possível indicação do veterano senador independente, autointitulado socialista num país que associa esse termo ao comunismo, semeia o temor de que um candidato com um viés mais à esquerda possa favorecer a reeleição do republicano Donald Trump. Em 2016, o hoje presidente, à época também um outsider, acabou conquistando a indicação republicana – e a própria Casa Branca –, para o desconcerto dos cardeais do seu partido. Sanders busca repetir essa façanha.

Cada vez que Bernie Sanders é lembrado em alguma entrevista ou debate de que é socialista, apressa-se em acrescentar o adendo de “democrata”, ou seja, que é um social-democrata. A necessidade desse esclarecimento mostra como, aqui nos EUA, falar em socialismo equivale a evocar o demônio, mesmo em alguns âmbitos progressistas.

O deputado James Clyburn, da Carolina do Sul, Estado que realiza suas primárias neste sábado, advertia no domingo passado sobre uma possível candidatura presidencial de Sanders: “Se você olhar os distritos onde vencemos [nas eleições legislativas de 2018], não eram os progressistas, e sim os moderados ou conservadores, e será difícil mantê-los se tivermos que convencê-los a aceitarem um social-democrata”, disse ele à rede ABC. Marc Veasey, deputado pelo Texas, afirmou que algumas pessoas o abordaram desesperadas no domingo, na sua igreja em Forth North. “Serão Bernie e sua causa desmantelando o partido”, alertou. Tanto Clyburn como Veasey apoiam o ex-vice-presidente Joe Biden, o candidato predileto do establishment, que lidera com folga em número de apoios institucionais, mas se encontra na terceira posição no cômputo de delegados até agora. É uma boa foto da situação: enquanto pesos-pesados do partido alertam contra Sanders, o senador enche os comícios e ganha nas urnas.

“Alguns democratas temem que, diante da alternativa de mais quatro anos de Trump ou uma alternativa à esquerda, os eleitores não só reelegerão Trump como também devolverão o controle do Congresso ao seu partido”, escreveu Kyle Kondik, do Centro de Política da Universidade da Virgínia, em um artigo publicado nesta quarta no The New York Times. Dos 46 distritos eleitorais que seus pesquisadores consideram estar em jogo em novembro, nenhum apoia Sanders.

A hipótese da fraca elegibilidade de Sanders contra Trump se choca, entretanto, com os resultados já selados: o senador ganhou com autoridade no caucus mais importante até agora, o de Nevada, e sai vencedor nas pesquisas em que enfrenta Trump. Essa elegibilidade – ou seja, a capacidade que os eleitores atribuem a um candidato para derrotar o rival na eleição geral, melhora também à medida que vão saindo resultados positivos. Na pesquisa Reuters/Ipsos da semana passada, 26% dos democratas consideravam Sanders como o mais preparado para vencer Trump, seguido de Mike Bloomberg (20%).

Sua agenda econômica, marcadamente social-democrata, parece atrevida para os EUA e sua tradição liberal, mas nenhum presidente tem condições de promover revolução alguma a partir da Casa Branca. As políticas mais transformadoras do senador de Vermont, como a elevação dos impostos sobre grandes fortunas, a instituição da saúde pública universal e o Green New Deal, exigiriam o aval de ambas as câmaras do Congresso, onde não só os republicanos farão oposição, como também os democratas moderados poderão obrigar o mandatário a moldar suas políticas. Foi um remédio do qual provou Trump, já que não conseguiu levar adiante sua contrarreforma da saúde e se viu continuamente desautorizado em política externa e no financiamento público do muro com o México.

O republicano, em todo caso, já mostrou que sua linha de ataque com candidatos como Sanders e Elizabeth Warren consiste em estimular o medo em relação à “esquerda radical”, um relato que pode servir para agitar suas bases independentemente do que tenha de real. Numa entrevista ao EL PAÍS em dezembro passado, o progressista Nobel de Economia Paul Krugman citou como exemplo o descalabro trabalhista no Reino Unido, mas advertiu que o problema não tinha tanto a ver com a tão propalada guinada à esquerda dos democratas dos Estados Unidos, e sim com o relato que fique no imaginário do eleitor.

Enquanto isso, rivais políticos como Pete Buttigieg o acusam de divisor, e Elizabeth Warren, que compete no flanco esquerdista, o recriminam pela falta de rigor na sua proposta sanitária. Também choveram críticas a ele por seus elogios ao “programa de alfabetização” da Cuba de Fidel Castro. E, como se ainda faltasse algum ingrediente polêmico, os serviços de inteligência advertiram em janeiro passado que a Rússia tenta influir nas primárias para favorecer a campanha de Trump.

“Os defensores do senador argumentam, por um lado, que a indicação de uma candidata mais moderada [Hillary Clinton] não serviu em 2016 para derrotar Trump e, por outro, que o movimento sanderista encontrou novos filões de eleitores entre jovens e trabalhadores brancos frustrados do Meio Oeste, aos quais o hoje presidente se lançou a seduzir quatro anos atrás. Os dois argumentos têm seus senões. A derrota de Clinton, que teve três milhões de votos populares a mais que o republicano, não implica necessariamente que Sanders – derrotado por ela naquelas primárias – teria se saído melhor. Quanto à mobilização dos eleitores, os caucus e primárias feitos até agora mostraram um aumento notável na participação.

Há um fator fundamental diferente de 2016, entretanto: Donald Trump já não é mais uma aposta improvável ou um risco, e sim uma realidade. É o presidente dos Estados Unidos desde janeiro de 2017, e as tradicionais bases democratas têm grandes incentivos para votarem no candidato escolhido nas primárias – tenha ou não a etiqueta de socialista – a fim de evitar um novo mandato do magnata.

Fonte: El País

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: CRESCIMENTO DE BERNIE SANDERS CAUSA TEMOR ATÉ NA ALA MODERADA DOS DEMOCRATAS

GEOPOLÍTICA: NO CASO 500 MILHÕES DE DÓLARES DO BNA SUPREMO AGUARDA ENVIO DE DOSSIÊ

Na coluna GEOPOLÍTICA deste sábado temos mais notícias sobre o Caso 500 milhões de dólares em que o Tribunal Supremo pede agilidade pelo Ministério das Finanças no envio dos documentos considerados “relevantes para a descoberta da verdade material”, na fase de apresentação de provas. Leia a reportagem completa a seguir e se atualize. 

Supremo solicita às Finanças brevidade no envio do dossier

Santos Vilola

29 de Fevereiro, 2020

O Tribunal Supremo aguarda, até o dia 10 de Março, que o Ministério das Finanças envie documentos considerados “relevantes para a descoberta da verdade material” no “Caso 500 milhões de dólares do BNA”, em julgamento na Câmara Criminal.

Juizes do “Caso 500 milhões de dólares do BNA” querem resposta até dia 10 Fotografia: João Gomes| Edições Novembro

O juiz conselheiro principal do caso, João da Cruz Pitra, solicitou, ontem, ao Ministério das Finanças o dossier relati-vo à recuperação do dinheiro que tinha sido transferido de uma conta do banco central angolano, no Standard Chattered, a outra da Perfectbit no HSBC, em Londres.O magistrado judicial, que ditou o pedido para a acta da audiência de discussão e julgamento de ontem, justificou a decisão por “parecer de maior relevância para a descoberta da verdade material.”
O tribunal estendeu até ao próximo dia 10 de Março, às 10h30, o prazo de produção de prova, fase que já leva meses no julgamento iniciado em Dezembro do ano passado e que tem, ainda, as fases das alegações finais, antes da elaboração dos quesitos e da decisão final. Na sessão de ontem, o juiz deu conta que não foram juntados aos autos os documentos requeridos na última audiência de discussão e julgamento. O Ministério Público (em representação do Estado) solicitou ao Ministério das Finanças documentos que atestam a garantia financeira do investimento junto do banco Crédit Suisse.
A conclusão da fase de produção de prova no julgamento do “Caso 500 milhões de dó-lares do BNA” está “presa” a diligências já solicitadas pela defesa e pela acusação, mas até ontem algumas não tiveram respostas.
No processo nº 002/18, que apura responsabilidades na transferência de 500 mi-lhões de dólares de uma conta do BNA no banco Standard Chattered para outra da em-presa Perfectbit, no HSBC, em Londres, José Filomeno “Zenu” dos Santos e Jorge Gaudens Pontes Sebastião são acusados dos crimes de burla por defraudação, branqueamento de capitais e tráfico de influências, e António Samalia Bule Manuel e Valter Filipe Duarte da Silva pelos crimes de burla por defraudação, branqueamento de capitais e peculato.

Reclamações da defesa
Na audiência suspensa ontem, que durou menos de uma hora, a defesa de Jorge Gaudens Pontes considerou que há documentos solicitados que já constam nos autos, por isso não vê a pertinência de voltarem a ser solicitadas diligências para os obter e anexar no processo.
O jurista Bangula Quemba vê nisso uma tentativa de dilatar o prazo de produção de provas da parte do Ministério Público que, no seu entender, já devia requerer há mais tem-po e não agora.
O processo de reversão/-estorno dos 500 milhões de dólares do BNA foi dirigido pelo Ministério das Finanças depois de fracassado, por inexistência de um sindicato de bancos, o projecto de instituição de um fundo de investimento estratégico no valor de 30 mil milhões de euros para financiar projectos estruturantes em Angola.

Fonte: Jornal de Angola

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: NO CASO 500 MILHÕES DE DÓLARES DO BNA SUPREMO AGUARDA ENVIO DE DOSSIÊ

GEOPOLÍTCA: CASO 500 MILHÕES DE DÓLARES DO BNA CHEGA A FASE DE PRODUÇÃO DE PROVAS

Na coluna GEOPOLÍTICA deste domingo temos mais um episódio do “Caso 500 milhões de dólares do BNA. O processo na justiça chega a fase de produção de provas que pode estar condicionada a diligências já solicitadas pelas defesas dos réus  Valter Filipe e Jorge Gaudens Pontes. Leia a reportagem completa a seguir e saiba o que vem a seguir!

Produção de provas presa a diligência sem respostas

Santos Vilola

22 de Fevereiro, 2020

A conclusão da fase de produção de prova no julgamento do “Caso 500 milhões de dólares do BNA” pode estar condicionada a diligências já solicitadas pela defesa dos réus de Valter Filipe e de Jorge Gaudens Pontes há várias semanas, mas sem respostas das instituições em causa.

Fotografia: DR

Uma das diligências solicitadas é uma cópia do correio electrónico enviado pelo escritório de advogados britânico Northon Rose, representante do Estado angolano e do BNA, no processo de estorno dos 500 milhões de dólares transferidos de uma conta do banco central angolano no Standard Chattered para outra da empresa Perfectbit, consorte da Mais Financial Service e da Resource Revertion no processo de mobilização de um fundo de investimento estratégico para Angola no valor de 30 mil milhões de euros.

A defesa de Valter Filipe quer atestar se este correio electrónico confidencial detalha a forma como foi devolvido o dinheiro e o procedimento legal usado pelos advogados britânicos.

Na última sessão, o tribunal deu cinco dias, sob pena de desencadear mecanismos legais, para que o Ministério das Finanças e o BNA respondam à esta diligência.

Outra diligência feita cujo resultado deve ser conhecido na próxima sessão de discussão e julgamento foi solicitada pelo Ministério Público (titular da acção penal) relativamente a documentos que atestam a garantia financeira do investimento junto do banco Crédit Suisse.

Deve ser conhecido ainda a resposta à carta rogatória ao Supremo Tribunal de Justiça do Reino Unido para atestar se a decisão foi judicial/coerciva ou por ordem de consenso.

O tribunal agendou para o próximo dia 27 a apresentação das análises feitas a estes documentos diligenciados.

Na última sessão, o juiz disse esperar que a sessão de discussão e julgamento do dia 27 seja a última dessa fase de produção de prova em que se encontra o processo.

Finda a produção das provas, provavelmente no próximo dia 27, será dada a palavra para as alegações orais, sucessivamente, aos representantes do Ministério Público, da acusação particular (assistente) e da defesa (advogados dos réus). Os advogados dos réus serão os últimos a falarem. Ninguém poderá falar, de cada vez, mais do que uma hora, salvo se a natureza da causa o exigir e o tribunal o autorizar.

No processo n• 002/18, que apura responsabilidades na transferência de 500 milhões de dólares de uma conta do BNA no banco Standard Chattered para outra da empresa Perfectbit no HSBC, em Londres, José Filomeno “Zenu” dos Santos e Jorge Gaudens Pontes Sebastião são acusados dos crimes de burla por defraudação, branqueamento de capitais e tráfico de influências, e António Samalia Bule Manuel e Valter Filipe Duarte da Silva pelos crimes de burla por defraudação, branqueamento de capitais e peculato.

Fonte: Jornal de Angola

Continuar lendo GEOPOLÍTCA: CASO 500 MILHÕES DE DÓLARES DO BNA CHEGA A FASE DE PRODUÇÃO DE PROVAS

GEOPOLÍTICA 2: A DEPORTAÇÃO EM MASSA DE BRASILEIROS NOS EUA POR CAIO COPPOLLA

O destaque desta quarta-feira na nossa coluna GEOPOLÍTICA é A “deportação em massa” de brasileiros nos EUA sob olhar de Caio Coppolla, que nos trás dados e números reais dessa celeuma esclarecendo como são as tratativas entre os governos dos EUA, México e Brasil. Vale a pena ler esse artigo esclarecedor desse brilhante jornalista!

CONSIDERAÇÕES SOBRE A “DEPORTAÇÃO EM MASSA” DE BRASILEIROS NOS EUA

O “muro”de Trump: combate à imigração ilegal é prioridade e bandeira de campanha. Foto: Reuters

CONHEÇA OS FATOS

Transcrevemos alguns trechos de matéria do O Estado de S. Paulo relatando aumento sensível na deportação de brasileiros dos Estados Unidos e denúncias de excessos das autoridades de imigração americanas no processo de detenção e expulsão desses imigrantes ilegais:

Número de imigrantes do Brasil detidos na fronteira sul bate recorde, aumentando de 1.504, em 2018, para 17.893, em 2019, e leva governo americano a expulsar ilegais para Ciudad Juárez, uma das cidades mais violentas do México”.

“Os dados mais atuais, referentes aos primeiros meses do ano fiscal de 2020 (outubro, novembro e dezembro de 2019), mostram as prisões ainda em alta: foram 4.469 detenções no trimestre”.

“A maioria entra por El Paso, no Texas, cidade gêmea de Juárez, do lado mexicano. Segundo dados oficiais, existem hoje 28.316 brasileiros com ordem de deportação nos EUA, dos quais 983 já foram condenados. Há ainda 313 sob custódia do Serviço de Imigração e Alfândegas (ICE, na sigla em inglês) com ordem final de deportação autorizada.”

Em janeiro deste ano, “o governo americano ampliou o Protocolo de Proteção a Migrantes (MPP, na sigla em inglês), programa adotado pelo presidente Donald Trump. O MPP estabelece que os imigrantes devem permanecer no México enquanto tramitam seus pedidos de asilo nos EUA– antes, eles aguardavam julgamento em território americano.”

“A medida faz parte do esforço do governo para diminuir o número de solicitações de asilo, no momento em que Trump disputa a reeleição e precisa mostrar resultados concretos no combate à imigração ilegal, sua grande bandeira de campanha.”

Brasileiros reclamam do tratamento recebido pelas autoridades americanas, denunciando superlotação no cárcere, fome, frio e violência psicológica – inclusive contra crianças. A resposta do governo brasileiro foi tímida e protocolar.

Seguem trechos da reportagem da Gazeta do Povo, relatando bastidores e resultados do acordo inédito entre os governos americano e mexicano, que viabilizou a extradição de imigrantes ilegais de diferentes nacionalidades para o país de procedência (o México):

López Obrador, presidente do México: medo de “tarifaço” estimulou o governo mexicano a controlar melhor suas fronteiras. Foto: Reuters

“O chanceler do México, Marcelo Ebrard, anunciou que o fluxo de imigrantes ilegais que cruzam a fronteira para os Estados Unidos diminuiu 74,5% em oito meses, desde que o México apresentou seu plano de migração e desenvolvimento.”

“Em junho, o México se comprometeu com os Estados Unidos a tomar “medidas sem precedentes” para conter a migração, um acordo que foi a tábua de salvação para impedir a tarifação de suas exportações – 80% das quais vão para os EUA. Desde então, o governo López Obrador enviou cerca de 26 mil militares, além de agentes de imigração, para as fronteiras norte e sul.”

*********************

O DIREITO DE EMIGRAR E IMIGRAR

Sede da ONU, em Nova Iorque: a carta das Nações Unidas consagrou o princípio da autodeterminação dos povos. Foto: ONU/Rick Bajornas

Precisamos estabelecer o alcance do direito de migração: transitar livremente no exterior e fixar residência em país estrangeiro são direitos naturais do homem?

Direitos naturais são aqueles inerentes à condição humana – são direitos universais, atemporais, que sequer dependem de Lei para legitimá-los. A vida é um direito natural; a liberdade é um direito natural. Não é o caso da imigração: o imigrante está sempre sujeito à legislação do seu país de destino.

A carta da ONU, no seu primeiro artigo, trata do “respeito à autodeterminação dos povos” – o direito de cada povo ao autogoverno em seu território, conforme escolhas próprias e sem qualquer ingerência de forças externas. Portanto, respeitadas as garantias fundamentais do indivíduo, cada povo tem o direito de criar suas próprias regras para receber e domiciliar estrangeiros – inclusive restringindo ou proibindo o trânsito de pessoas conforme suas previsões legais.

O ponto aqui é que a soberania dos Estados prevalece sobre o direito à imigração, porque deriva do direito natural de um povo se autodeterminar. Cruzar fronteiras (seja para lazer, para negócios ou para estabelecer domicílio) não é um direito absoluto; depende das leis e das políticas de imigração do Estado visitado.

Assim, quando um brasileiro tenta ingressar ilegalmente nos Estados Unidos, ele está sujeito às normas de deportação estipuladas pelo governo americano, que não viola direito pelo simples fato de recusar a permanência de nossos compatriotas.

*********************

A DEPORTAÇÃO PARA O PAÍS DE PROCEDÊNCIA

O presidente americano em discurso ao Congresso: “leis que faliriam nossa nação”. Foto: AP

Críticos mais ferrenhos (e desavisados) das políticas americanas de combate à imigração ilegal  argumentam que a deportação para o país de procedência (no caso, para o México) configura tratamento indevido aos nossos compatriotas. Contudo, é interessante observar que essas regras são similares àquelas previstas na própria Lei de Migração brasileira (Lei nº 13.445/17).

O artigo 50 da Lei trata da deportação de “pessoa que se encontre em situação migratória irregular em território nacional” e, anteriormente, o artigo 47 prevê que essa deportação pode ser feita “para o país de nacionalidade ou de procedência do migrante” – ou seja, o país pelo qual o migrante entra em território nacional. É exatamente a situação dos brasileiros que tentam ingressar ilegalmente nos Estados Unidos pelo México: se forem detidos, nossos compatriotas estarão sujeitos à deportação para o Brasil ou para o México.

Por isso, considerando nossa própria legislação, criticar a política de deportação americana para o país de procedência é, de certa forma, apontar o dedo pro espelho sem reconhecer o próprio reflexo. A diferença é que, no processo de regularização da situação migratória nos EUA, o processo tramita com o imigrante já deportado – uma forma de desestimular a “indústria do asilo”, muito mais em voga por lá do que por aqui. Se o Brasil fosse um país mais atraente a estrangeiros, teríamos sérios problemas em manter indivíduos irregulares em território nacional por longos períodos (como prevê a atual legislação, que estipula prazo mínimo de 60 dias). Do monitoramento dos imigrantes em processo de regularização ao custo de uso dos serviços públicos, os desafios seriam enormes e, muito provavelmente, impeditivos.

Nesse sentido, vale a pena destacar um trecho do discurso do Presidente Trump ao Congresso Americano (State of the Union, 2020), em que ele denuncia a irresponsabilidade de parlamentares do Partido Democrata ao criarem incentivos para a imigração ilegal, garantindo benefícios de assistência social e cobertura de saúde para pessoas em situação irregular no país:

Mais de 130 legisladores nesta Câmara endossaram a criação de leis que faliriam nossa nação ao oferecer cobertura de saúde gratuita a milhões de imigrantes ilegais, obrigando os pagadores de impostos a subsidiar atendimento grátis a qualquer estrangeiro que entrasse ilicitamente em nossas fronteiras.

******************

AS DENÚNCIAS DE TRATAMENTO DESUMANO

Nenhuma ilegalidade cometida pelos brasileiros imigrantes autoriza (ou relativiza) qualquer violação de direitos por parte das autoridades americanas. A sabedoria popular já ensina que “um erro não justifica outro”.

Juridicamente, o imigrante ilegal assume o risco de ser deportado e julgado conforme os rigores da lei, mas não de ser destratado e ter sua integridade física violada. Há, inclusive, relatos de maus-tratos a crianças brasileiras sujeitas a fome, frio, superlotação no cárcere e violência psicológica.

Essas denúncias são gravíssimas, devem ser apuradas e, se procedentes, o governo brasileiro tem sim obrigação institucional e moral de se manifestar enfaticamente a respeito – e não varrer o problema para debaixo do tapete a pretexto de manter suas boas relações com a administração americana.

Ex-embaixador brasileiro em Washington, Rubens Ricupero, se antecipou um pouco à conclusão dos fatos e teceu duras críticas ao alinhamento Brasil-Estados Unidos, descrevendo um país de joelhos: “Se imaginaria que um país que fez tantas genuflexões aos EUA, como o Brasil, pelo menos seria tratado com um pouco menos de dureza. Mas eles nem se dão o trabalho de fazer isso.” Fiquemos atentos: parceria não pode significar submissão e o respeito aos direitos fundamentais dos brasileiros no exterior deve ser uma prioridade para o nosso governo.

******************

A “DEPORTAÇÃO EM MASSA DE TRUMP”

Imagem de centro de detenção para imigrantes: fotos da gestão Obama atribuídas falsamente a Trump. Foto: Lusa

Reproduzo aqui dados compilados em matéria da Gazeta do Povo com enorme potencial de surpreender os leitores do Boletim:

“No governo Obama, o total de deportações foi de mais de 385 mil por ano fiscal, entre 2009 e 2011, com o auge em 2012, com 409 mil deportações. No governo Trump, as deportações caíram para cerca de 226 mil no ano fiscal de 2017, depois subiram para mais de 250 mil em 2018.”

Demonizar o governo Trump por inaugurar uma nova era de deportações em massa é demonstrar total desconhecimento de causa sobre o assunto. Na verdade, o grande algoz da imigração na Casa Branca foi o presidente Barack Obama, à época apelidado de “deporter in chief” (deportador-em-chefe) – um trocadilho com a expressão “comander in chief” (comandante-em-chefe), uma das atribuições de Estado do presidente americano.

Contudo, setores da imprensa americana, que confundem análise e jornalismo com torcida e militância, trabalharam (e trabalham) diuturnamente para estigmatizar o presidente republicano, chegando ao cúmulo de atribuir à gestão Trump imagens dos centros de detenção durante a gestão Obama. As fotos mostravam crianças “enjauladas”, entre outras cenas de partir o coração.

#Fakenews

Fonte: Boletim Coppolla


Caio Coppolla

Editor do Boletim e comentarista político

Continuar lendo GEOPOLÍTICA 2: A DEPORTAÇÃO EM MASSA DE BRASILEIROS NOS EUA POR CAIO COPPOLLA

GEOPOLÍTICA: EX-PRESIDENTE DE ANGOLA, JOSÉ EDUARDO, ASSUMIU ENVOLVIMENTO EM ESCÂNDALO FINANCEIRO

Na coluna GEOPOLÍTICA desta quarta-feira temos mais notícias sobre o escândalo conhecido como “Caso 500 milhões de dólares do BNA”, cujo Ex-Chefe de Estado de Angola, José Eduardo dos Santos responde criminalmente pelo envolvimento direto no desvio dos recursos financeiros. Leia a reportagem completa a seguir e saiba de todos os detalhes! 

Caso BNA: Ex-Chefe de Estado assume que orientou a transferência de 500 milhões de dólares

18 de Fevereiro, 2020

O ex-Presidente da República, José Eduardo dos Santos, assumiu que orientou Valter Filipe a transferir 500 milhões de dólares de uma conta do Banco Nacional de Angola (BNA) para outra da empresa Perfectbit, em Londres (Inglaterra), para a mobilização de um financiamento no valor de 30 mil milhões de euros destinado a instituir um fundo de investimento estratégico.

José Eduardo dos Santos afirmou que assinatura do contrato com o consórcio (Mais Financial Service e a Perfectbit) visava obtenção de recursos financeiros para enfrentar a crise económica
Fotografia: DR

Em resposta a um questionário de oito perguntas enviado à Barcelona (Espanha), a 12 de Dezembro do ano passado, sobre o processo conhecido como “Caso 500 milhões de dólares do BNA” em que é declarante por ter sido citado várias vezes na qualidade de Titular do Poder Executivo, José Eduardo dos Santos admitiu que orientou a transferência da primeira de três tranches de 500 milhões cada, com o valor global de 1,5 milhões de dólares, era “a garantia de instituição do fundo, mas por se tratar de uma conta fiduciária os valores continuariam na posse do BNA.”

Na resposta à questão se orientou o então governador do BNA, Valter Filipe, a assinar os contratos que permitiriam ao Estado angolano embolsar o financiamento de 30 mil milhões de euros, o ex-Presidente da República afirmou que, depois de receber o dossier, dada a urgência que havia para a instituição do fundo autorizou Valter Filipe a assinar os contratos.

José Eduardo dos Santos afirmou que a finalidade do contrato assinado com o consórcio composto pela Mais Financial Service e a Perfectbit era a obtenção de recursos financeiros para enfrentar a crise económica e a promoção de acções para o desenvolvimento do país.

O ex-Titular do Poder do Executivo disse, “dado ao carácter secreto, ter orientado que fossem seguidos procedimentos legais para, depois, o projecto ser publicado em Diário da República para ser do conhecimento público.

À pergunta feita se orientou o então ministro das Finanças, Archer Mangueira, e Valter Filipe para realizarem acções para mobilizar o financiamento, José Eduardo dos Santos escreveu afirmativamente que sim.

O ex-Presidente da República, interrogado se o ex-governador do BNA se excedeu nas orientações que recebeu, disse que indigitou Valter Filipe, na qualidade de governador do BNA, para negociar o contrato com os promotores da iniciativa.”Por decisão minha, foi incumbida a missão a Valter Filipe”, escreve José Eduardo dos Santos na carta de quatro páginas, datada de 06 de Fevereiro, Barcelona, e que subscreve na última página a sua assinatura.

José Eduardo dos Santos afirmou que, depois de constatar que o então ministro das Finanças, Archer Mangueira, coordenador indigitado para negociar a iniciativa, elaborou um memorando unilateralmente, decidiu orientar que o documento fosse feito em conjunto com Valter Filipe que viria a liderar o projecto numa segunda fase, já depois do afastamento do ministro das Finanças.

Desde Dezembro, o Processo nº 002/18 registou a audição de 19 declarantes, incluindo o ex-ministro das Finanças, Archer Mangueira, e o governador do BNA, José de Lima Massano. Como testemunha, o último a ser ouvido foi o ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, à data dos factos (2017) ministro de Estado para o Desenvolvimento Económico e Social.

No processo, José Filomeno “Zenu” dos Santos e Jorge Gaudens Pontes Sebastião são acusados dos crimes de burla por defraudação, branqueamento de capitais e tráfico de influências, e António Samalia Bule Manuel e Valter Filipe Duarte da Silva pelos crimes de burla por defraudação, branqueamento de capitais e peculato.

Passagem do dossier ao novo Governo

Na carta, o ex-Presidente da República admite que orientou o novo Governo, que tomou posse a 30 de Setembro de 2017, sobre os passos subsequentes que deviam ser dados para a concretização da iniciativa de instituição do fundo de investimento estratégico.

José Eduardo dos Santos afirmou que não só orientou que fosse entregue o memorando sobre a iniciativa ao Governo como promoveu um encontro no Palácio Presidencial, uma vez que já não era Presidente da República. “Nada foi feito de forma oculta”, escreve José Eduardo dos Santos nas repostas ao questionário.

O ex-Presidente da República refere que o contrato não foi assinado porque não compareceu nas reuniões em Londres o sindicato de bancos.

Fonte: Jornal de Angola

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: EX-PRESIDENTE DE ANGOLA, JOSÉ EDUARDO, ASSUMIU ENVOLVIMENTO EM ESCÂNDALO FINANCEIRO

GEOPOLÍTICA: PROCESSO CONTRA JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS NO TRIBUNAL SUPREMO DE ANGOLA EM FASE FINAL

Os advogados do ex-presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, têm até a próxima terça-feira para fazerem as alegações finais no processo que corre no Supremo Tribunal Federal de Angola, quanto ao desvio de U$ 500 milhões do BNA. Leia a reportagem completa a seguir e saiba quais a s chances do ex-ditador de ir pra cadeia! 

Advogados têm até terça-feira última oportunidade de defesa

Santos Vilola

16 de Fevereiro, 2020

O advogado de Valter Filipe tem de apresentar, até terça-feira, à Câmara Criminal do Tribunal Supremo declarações escritas do ex-Presidente da República, José Eduardo dos Santos, que arrolou como declarante no processo de arguição criminal conhecido por “Caso 500 milhões de dólares do BNA”.

Fotografia: Edições Novembro

Termina terça-feira o prazo de cinco dias dado pelo juiz conselheiro principal do processo, João da Cruz Pitra, na última sessão, à defesa do réu Valter Filipe, a cargo de Sérgio Raimundo, depois daquele órgão de soberania ter desistido de obter, durante um mês, as declarações de José Eduardo dos Santos e passar para o advogado do réu a responsabilidade de as obter e apresentar na fase de produção de prova, antes das alegações orais e da elaboração dos quesitos pelo tribunal.
A sessão de discussão e julgamento na Câmara Criminal do Tribunal Supremo retoma terça-feira, no Palácio da Justiça. Na última sessão de discussão e julgamento, o juiz afirmou que o tribunal não obteve de José Eduardo dos Santos qualquer resposta, “nem sequer a manifestação de não prestar declarações”. Em função disso, sem querer coarctar os direitos da defesa de Valter Filipe, o juiz João da Cruz Pitra orientou o advogado do réu Valter Filipe no sentido de obter as declarações do ex-Presidente da República.
Protegido por imunidades legais, José Eduardo dos Santos não pode comparecer em juízo em qualquer condição processual. Em consequência disso, o tribunal enviou um questionário à Espanha onde o ex-Presidente fixou residência há mais de um ano.
No processo que apura responsabilidades na transferência de 500 milhões de dólares de uma conta do BNA para outra da empresa Perfectbit, em Londres, (Inglaterra), destinada à instituição de um fundo de investimento estratégico de 30 mil milhões de euros, o então Titular do Poder Executivo é citado várias vezes por ter orientado a criação de um grupo de trabalho para negociar a iniciativa.
Desde Dezembro, o Processo nº 02/18 registou a audição de 19 declarantes, incluindo o ex-ministro das Finanças, Archer Mangueira, e o governador do BNA, José de Lima Massano. Como testemunha, o último a ser ouvido foi o ministro de Estado para o Desenvolvimento Económico, Manuel Nunes Júnior, à data dos factos (2017) ministro para a Coordenação Económica e Social.
A previsão do Tribunal Supremo é proferir a decisão final (em primeira instância) até princípios de Março, segundo a porta-voz do julgamento, Amor de Fátima, à imprensa. Em caso de recurso da decisão a ser tomada na Câmara Criminal, o processo sobe para o Plenário do Supremo (reunião do tribunal com todos os juízes conselheiros).
No processo, José Filomeno “Zenu” dos Santos e Jorge Gaudens Pontes Sebastião são acusados dos crimes de burla por defraudação, branqueamento de capitais e tráfico de influências, e António Samalia Bule Manuel e Valter Filipe Duarte da Silva pelos crimes de burla por defraudação, branqueamento de capitais e peculato.

Recurso à rejeição de novas acareações

Terça-feira, o advogado de Sérgio Raimundo deve igualmente apresentar recursos ao indeferimento dos pedidos de acareação a declarantes já ouvidos no processo.
O Tribunal Supremo rejeitou hoje acareações solicitadas por considerar que “não houve qualquer contradição nas declarações prestadas, além de não se tratar de questões com relevância para a boa decisão da causa.”
De acordo com o juiz João da Cruz Pitra, “não há fundamento para proceder às acareações e que constituem meras manobras dilatórias”, por isso indeferiu os pedidos em nome dos princípios da celeridade e da economia processuais.
Na última sessão, Sérgio Raimundo pediu ao juiz, depois de ver negado pedido de acareação, uma análise detalhada, em foro próprio, a recusa do tribunal.
A defesa de Valter Filipe pretendia que regressassem ao tribunal a maioria dos declarantes para novas acareações.
A defesa de Valter Filipe pretendia fazer acareações a José de Lima Massano e responsáveis dos departamentos de Operações, de Contabilidade e de Auditoria do BNA, bem como ao arguido António Bule sobre as formalidades observadas no processo de transferência dos 500 milhões de dólares.
O Supremo rejeitou ainda as acareações a responsáveis dos departamentos de Contabilidade e de Operações sobre as circunstâncias de utilização do sistema “swift” directo na transferência dos 500 milhões de dólares.
O Tribunal também não deu provimento às acareações entre Hernani Santana e António Nelson Canga, já ouvidos pelo tribunal, sobre as circunstâncias e a forma de contacto mantidas entre ambos, bem como a elaboração e envio ou não de um parecer emitido por Hernani Santana e, a existir, qual era o seu conteúdo.
A defesa de Valter Filipe viu também rejeitada a acareação entre Valter Filipe, Archer Mangueira, Tiago Dias e Manuel Nunes Júnior sobre se o então Titular do Poder Executivo orientou ou não o arguido Valter Filipe para entregar o dossier sobre o financiamento de 30 mil milhões de euros.

Fonte: Jornal de Angola

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: PROCESSO CONTRA JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS NO TRIBUNAL SUPREMO DE ANGOLA EM FASE FINAL

GEOPOLÍTICA: RELAÇÃO COMERCIAL ENTRE REINO UNIDO E EUA EM RISCO

Na coluna GEOPOLÍTICA deste sábado o assunto é a permissão do Reino Unido do 5G da Huawei operar na infraestrutura em seu território que pode afetar relação comercial entre EUA e Reino Unido. Alguns avisos já foram dados ao primeiro ministro Boris Johnson pelo governo americano, mas até o momento ele não parece ter ouvido. Leia a reportagem completa a seguir, saiba o que está acontecendo e tire suas conclusões!

Decisão que permite 5G da Huawei no Reino Unido pode atrapalhar acordo comercial com os EUA

Guilherme L. Campos

Publicado em

Decisão que permite 5G da Huawei no Reino Unido pode atrapalhar acordo comercial com os EUA 12

Já não é mais possível deixar de vincular a Huawei, empresa controlada pelo Partido Comunista Chinês, aos episódios de roubo de tecnologias e espionagem. Uma rápida “googada” na internet revela a quantidade de episódios envolvendo a empresa e governos do ocidente.

Envolvimento com universidades americanas, com o objetivo de comprar pesquisadores e suas pesquisas além de infiltrar nos campus propaganda chinesa, é também uma realidade antiga, segundo o Departamento de Educação dos EUA.

A decisão britânica de selar o acordo foi tomada no fim de janeiro desse ano pelo Conselho de Segurança Nacional do Reino Unido, grupo presidido pelo próprio Primeiro Ministro Boris Johnson, apesar dos muitos avisos de possíveis armadilhas apresentadas pela proposta da Huawei.

O acordo prevê que a Huawei não poderá fornecer equipamentos para “partes sensíveis” do núcleo da rede, mas fornecerá um terço do equipamento ao que a BBC relata ser a “periferia” da futura rede 5G do Reino Unido.

Ainda segundo a BBC, a China parece ter dado ao Reino Unido uma escolha simples – escolher a Huawei ou enfrentar repercussões “substanciais” ao comércio e ao investimento. Dada a escolha entre os EUA e a China, o primeiro-ministro Johnson parece ter escolhido Pequim, relata o site Breitbart.

Os EUA, que alertaram o Reino Unido quanto ao perigo de conectar equipamentos e tecnologia da Huawei à rede 5G do país, demonstram preocupação com a decisão.

O jornal britânico The Times relata comentários de um “alto funcionário dos EUA”: “O apetite por um acordo comercial EUA-Reino Unido pode ser diminuído se o Reino Unido tomar a decisão errada sobre a Huawei”. Essa parece ser também a posição do presidente americano.

O presidente Trump disse anteriormente que o Reino Unido deveria ser “muito cuidadoso do ponto de vista da segurança nacional”.

Apesar dos avisos de que um acordo com a Huawei causaria problemas para seus aliados, a agência de inteligência interna do Reino Unido, o MI5, insistiu que não há motivo para preocupação.

Farage condena acordo com Huawei

Outra figura importante britânica, Nigel Farage, líder do partido Brexit, manifestou preocupação com o novo acordo com os chineses. Farage também teme que o acordo inglês com a Huawei pode comprometer o tão aguardado e necessário acordo comercial pós-Brexit com os EUA.

Escrevendo em sua coluna da Newsweek nesta semana, Farage alertou: “A recente decisão do governo do Reino Unido de envolver a empresa chinesa de tecnologia Huawei na criação de nossa rede 5G põe em risco não apenas o compartilhamento de informações, mas um futuro acordo comercial.

“A formação de laços com esta empresa está provando ser um erro monumental no momento em que um relacionamento especial [com os Estados Unidos] deveria estar florescendo”, completou Farage.

EUA têm evidências de perigo chinês

No início desta semana, as autoridades americanas alertaram os aliados de que a Huawei possui acesso ‘backdoor’ embutido em suas redes que poderiam ser exploradas pelo Partido Comunista Chinês.

“Temos evidências de que a Huawei tem capacidade secreta de acessar informações pessoais e confidenciais nos sistemas que mantém e vende em todo o mundo”, disse Robert O’Brien, consultor de segurança nacional do presidente Trump.

Encontro com Trump cancelado?

Há poucas horas, durante uma ligação telefônica entre Trump e Johnson, ficou decidido que a visita que o primeiro-ministro britânico faria ao colega norte-americano para discutir o acordo comercial será adiada para junho, quando o premiê estiver em Camp David, Virgínia, para o encontro do G7. O adiamento pode ser uma resposta de Trump ao acordo fechado entre britânicos e Huawei.

Guilherme L. Campos

Católico, Conservador, Correspondente Internacional, Observador Político e criador do ‘The Right Talking’. Atualmente vive no estado da Pensilvânia, Estados Unidos.
Continuar lendo GEOPOLÍTICA: RELAÇÃO COMERCIAL ENTRE REINO UNIDO E EUA EM RISCO

GEOPOLÍTICA: FILHA DO EX-DITADOR ANGOLANO TEM CONTAS BANCÁRIAS CONGELADAS

Congelamento das contas bancárias da mulher mais rica da áfrica e uma das mais ricas do mundo é o destaque da nossa coluna GEOPOLÍTICA desta sexta-feira. A justiça portuguesa a pedido do Ministério Público Angolano congelou as contas bancárias de Isabel dos Santos, filha do ex-presidente de Angola, José Eduardo dos Santos. Veja reportagem completa a seguir e entenda o porquê da ação e todos os detalhes!

Justiça portuguesa ordena o congelamento das contas da empresária Isabel dos Santos

12 de Fevereiro, 2020

A empresária Isabel dos Santos tem as contas em Portugal congeladas, por ordem das autoridades judiciais. A notícia é desde ontem avançada pelo jornal Expresso, confirmada pelo Dinheiro Vivo.

Esta decisão da justiça portuguesa acontece numa altura em que a empresária angolana está a desfazer-se de participações em empresas portuguesas, como é o caso do Eurobic
Fotografia: DR

“Confirma-se que o Ministério Público requereu o arresto de constas bancárias, no âmbito de pedido de cooperação judiciária internacional das autoridades angolanas”, esclarece fonte da Procuradoria-Geral da República ao Dinheiro Vivo.
Além das contas de Isabel dos Santos, estarão congeladas também as contas do marido, Sindika Dokolo, e de Paula Oliveira, sócia da empresária. Os bancos serão quatro: Eurobic, CGD, Millennium BCP e BPI. O Dinheiro Vivo contactou a empresária Isabel dos Santos, a Polícia Judiciária, o Banco de Portugal, o BCP e o Eurobic e todos escusaram-se a comentar.
A filha do ex-Presidente angolano está a ser investigada por suspeitas de gestão danosa e evasão fiscal, num caso relacionado com a petrolífera Sonangol, envolvendo 115 milhões de dólares.
No total, de acordo com a decisão de arresto de bens decretada pelo Tribunal Provincial de Luanda, em Dezembro, Isabel dos Santos é suspeita de ter lesado o estado angolano em mais de mil milhões de dólares em negócios que envolveram a Sonangol, a Sodiam e o processo de compra da Efacec.
No passado dia 19 de Ja-neiro, o Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação divulgou informações suportadas em mais de 715 mil ficheiros, sob o nome de Luanda Leaks, que incidem sobre os esquemas financeiros de Isabel dos Santos e de Sindika Dokolo, o seu marido, e que terão permitido retirar dinheiro do erário angolano para paraísos fiscais.
Esta decisão da Justiça portuguesa acontece numa altura em que a empresária angolana está a desfazer-se de participações em empresas portuguesas, como é o caso do Eurobic.

Fonte: Jornal de Angola

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: FILHA DO EX-DITADOR ANGOLANO TEM CONTAS BANCÁRIAS CONGELADAS

GEOPOLÍTICA: UM IMPORTANTE ACORDO DE PAZ ESTÁ A CAMINHO ENTRE ISRAEL E RUSSIA

Na nossa coluna GEOPOLÍTICA desta terça-feira temos finalmente um importante acordode paz  para acontecer no Oriente Médio entre o Premier de Israel Netanyahu e o presidente da Russia Vladimir Putin, com a libertação de Na’ama Issachar, uma jovem israelense que foi presa na Russia durante uma escala em Moscou no último mês de abril, quando voltava de avião da Índia para Israel. Leia o artigo completo a seguir e saiba como vai ser!

Netanyahu vai à Rússia discutir com Putin o Plano de Paz e a provável libertação de Na’ama Issachar

Thaís Garcia

Publicado em 

Netanyahu vai à Rússia discutir com Putin o Plano de Paz e a provável libertação de Na'ama Issachar 16

Imagem: Maxim Shipenkov/Pool/Reuters

Netanyahu deve deixar Washington D.C. na quarta-feira (29) em direção a Moscou, após a divulgação do Plano de Paz do Governo Trump no Oriente Médio nesta terça-feira (28).

Netanyahu deve discutir os detalhes do Plano de Paz com o presidente russo, Vladimir Putin, durante a visita.

Leia também sobre: A relação de Putin e Israel

A reunião também pode ser usada como uma oportunidade para libertar a jovem Na’ama Issachar, a turista israelense de 26 anos que foi presa durante uma escala em Moscou no último mês de abril, quando voltava de avião da Índia para Israel.

Se Issacar for libertada durante a visita, ela poderá retornar a Israel com o o primeiro-ministro Netanyahu.

Netanyahu vai à Rússia discutir com Putin o Plano de Paz e a provável libertação de Na'ama Issachar 17A jovem Na’ama Issachar presa na Rússia.

Issachar, condenada por “contrabando de drogas”, depois que 9 gramas de maconha foram encontradas em sua bagagem, pediu perdão presidencial no domingo (26).

Na segunda-feira (27), uma comissão de liberdade condicional russa recomendou que o pedido de Issacar fosse atendido.

Um dia depois, o governador do Oblast de Moscou, Andrey Yuryevich Vorobyov, assinou o pedido de perdão de Issachar, enviando-o ao presidente Putin para aprovação final.

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: UM IMPORTANTE ACORDO DE PAZ ESTÁ A CAMINHO ENTRE ISRAEL E RUSSIA

GEOPOLÍTICA: A PEQUENA GUIANA PODE SE TRANSFORMAR NO PAÍS COM A MAIOR RENDA PER CAPITA DO MUNDO

Na nossa coluna GEOPOLÍTICA desta quarta-feira trago uma importante e interessante notícia sobre a descoberta de petróleo na Guiana Francesa, nosso vizinho a noroeste, país pobre que faz parte da Amazônia Legal e é colônia da França, que explora toda a riqueza gerada lá. Com essa descoberta a Guiana passará a ser um dos maiores produtores de petróleo do mundo e poderá ter a sua taxa de crescimento, o PIB, multiplicada de tal forma que pode alcançar 86% de aumento. Cálculo feito em função do tamanho da jazida de petróleo transformada em barris e dividido pela população do país de 800 mil habitantes. Infelizmente é muito provável que toda essa riqueza não seja consumida no país e vá para a França que explora a Guiana há mais de 200 anos e outros percalços que afligiram países que se viram na mesma situação e não conseguiram administrar toda essa riqueza em prol do desenvolvimento da sociedade como um todo. Vale a pena ler a reportagem completa a seguir para entender a dimensão dessa descoberta e quais as consequências para os países da América do Sul.

O país sul-americano que deve crescer 14 vezes mais que a China neste ano

Publicado em 15 janeiro 2020
Habitantes da Guiana Direito de imagemGetty Images
A Guiana pode se tornar um dos países com maior riqueza per capita do mundo

A Guiana ganhou na loteria e está prestes a resgatar o prêmio. Seus vizinhos, especialmente a Venezuela, aguardam intrigados para saber em que ela vai gastar.

De acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), a economia deste pequeno país sul-americano, que tem quase 800 mil habitantes, crescerá em 2020 a uma taxa anual de 86% — ou seja, 14 vezes mais rápido que a economia chinesa. Basta dizer que será a economia que mais vai crescer no mundo.

Também pode se tornar rapidamente uma das nações mais ricas per capita do hemisfério e, inclusive, do mundo, devido ao petróleo que está começando a emergir do seu subsolo.

Há o temor, no entanto, de que a Guiana tenha dificuldade em converter esse enorme fluxo de dinheiro em estabilidade econômica para o povo — e se comporte como aqueles ganhadores que torram todo o prêmio da loteria e, um ano depois, estão mais pobres do que antes.

Petróleo

A Guiana encontrou petróleo e, em 2020, vai começar a exportá-lo para o mundo. Pode não ser muito, se comparado a outros grandes produtores mundiais.

Georgetown, capital da Guiana Direito de imagemGetty Images

A população do país é de apenas 800 mil habitantes

“Eventualmente, poderá chegar a entre 700 mil e 1 milhão de barris de petróleo por dia”, diz à BBC News Mundo, serviço em espanhol da BBC, Marcelo de Assis, especialista do grupo de consultoria em energia Wood Mackenzie.

Para efeito de comparação, é o equivalente ao que um exportador intermediário, como a Colômbia, vende ao exterior.

Mas, se você dividir pelo número de habitantes, dá para entender o efeito avassalador que o petróleo pode ter sobre a economia da Guiana, país 50 vezes menos povoado que a Colômbia.

Um relatório recente da rede americana CNBC estima que a Guiana poderá ser o país com o maior número de barris de petróleo per capita do mundo.

Experiências negativas

Experiências recentes em países igualmente pequenos, beneficiados pela riqueza repentina do petróleo, não são animadoras, adverte o professor Michael Ross, da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, que estudou o fenômeno.

“O dinheiro chega diretamente para o Estado, que se torna cada vez mais poderoso e pode potencialmente se afastar das demandas democráticas de seus cidadãos. É também, obviamente, um terreno fértil para a corrupção em pequenos Estados que têm instituições frágeis.”

Parlamento da Guiana

 Direito de imagemGetty Images
O governo da Guiana anunciou grandes investimentos na área social

“O Timor-Leste e a Guiné Equatorial são exemplos recentes de países que tiveram aumentos significativos na renda per capita. Nos dois casos, a força do dinheiro criou tensões locais profundas. Na Guiné Equatorial, especialmente, o dinheiro acabou muitas vezes nas mãos de altos funcionários do governo, e o país se tornou menos democrático e mais corrupto”, acrescenta.

Segundo ele, há poucos exemplos de países que administraram bem esse tipo de riqueza — e, nestes casos, costumam ser nações que receberam essas receitas em um ritmo mais gradual.

“Na Guiana, o dinheiro vai chegar como um tsunami. Se o país conseguir administrar bem esse dinheiro e limitar a corrupção, mantendo a responsabilidade democrática do governo, será um caso excepcional no mundo, que qualquer outra nação em situação semelhante jamais conseguiu “, avalia Ross.

Planos de investimento

Thomas Singh, professor de economia da Universidade da Guiana, afirmou à BBC News Mundo que o “boom” do petróleo pode levar seu país “ao paraíso, ou diretamente para a direção oposta”.

“Com instituições frágeis, uma cultura de corrupção, baixa confiança e uma severa escassez de capital humano… Seria inocente esperar que a Guiana possa de alguma forma superar todas as dificuldades para se tornar um dos poucos países petrolíferos em desenvolvimento a alcançar uma transformação econômica e social com uma riqueza encontrada de repente.”

Meninas da Guiana dançando Direito de imagemGetty Images

O povo espera que a bonança do petróleo mude suas vidas

No momento, lembra Singh, a plataforma eleitoral dos dois principais partidos políticos — o PNC do atual presidente, David Granger, e o PPP, liderado por Irfaan Ali — que vão disputar as eleições em março deste ano, promete aos cidadãos educação gratuita e expansão da infraestrutura, além de investimento público em outras áreas.

Ele explica que o país é caracterizado por profundas divisões políticas e culturais.

A população está fragmentada entre pessoas de ascendência africana e de ascendência asiática que chegaram durante a era colonial britânica.

Ao longo de sua breve história desde a independência em 1966, o país apresentou um crescimento econômico modesto, baseado principalmente na indústria açucareira e na mineração.

Segundo Singh, as instituições políticas de seu país não foram propícias ao desenvolvimento.

“Parece um pouco provável que a Guiana, apenas com a riqueza de petróleo, possa superar as tremendas dificuldades que parecem se opor à sua transformação econômica e social”, diz.

A BBC News Mundo tentou entrar em contato com a Comissão de Geologia e Mineração da Guiana para saber a posição do governo em relação aos planos de desenvolvimento de petróleo, mas até agora não recebeu resposta.

A relação com a Venezuela

Outra questão em relação à situação da Guiana é a sua localização, ao lado da Venezuela, o país com as maiores reservas de hidrocarbonetos do planeta, mas cuja indústria petrolífera está em crise.

“Não é que a Guiana vai competir com a Venezuela por recursos de investimento na indústria de petróleo, porque eles não vão para a indústria venezuelana de qualquer maneira. Atualmente, não há praticamente nenhum investimento estrangeiro em petróleo venezuelano”, diz Marcelo D’Assis à reportagem.

Mas não se trata apenas de capital — é possível que os venezuelanos atravessem a vasta e desprotegida fronteira entre os dois países.

A Venezuela ainda possui sobretudo uma força de trabalho qualificada no setor de petróleo, mas que hoje encara em seu país “o menor salário mínimo da América Latina e possivelmente do mundo”, alerta à BBC News Mundo José Manuel Puente, pesquisador associado do Instituto de Estudos Superiores de Administração (IESA), em Caracas.

Por isso, os especialistas preveem um êxodo de mão de obra qualificada para a Guiana, o que agravaria a situação do setor petrolífero venezuelano, que já foi seriamente afetado.

Trabalhadores do setor de petróleo instalando equipamentos na Guiana

A descoberta de enormes reservas de petróleo na Guiana pode mudar o futuro do país

Se a Guiana consolidar a riqueza que muitos esperam, também serão criados outros tipos de emprego, como postos de trabalho no setor de serviços, que exigiriam menos qualificação e ofereceriam salários mais baixos.

“Potencialmente, é uma situação complexa. Vários países pequenos que viveram essas bonanças do petróleo, por exemplo no Golfo Pérsico, se tornaram destinos de migrantes de países vizinhos”, lembra Michael Ross.

“Mas essas nações geralmente têm um sistema elaborado para gerenciar a migração. Na Guiana, vai ser mais complexo”, acrescenta o acadêmico, alertando que em vários países esses fluxos migratórios geraram tensões políticas internas.

A Venezuela e a Guiana têm uma longa história de disputas na fronteira. Se acrescentarmos possíveis tensões devido ao aumento da migração, a relação entre os dois países estará à beira de novas dificuldades.

Os desafios

Neste ano, conforme informou Marcelo de Assis à BBC News Mundo, a produção de petróleo da Guiana vai chegar a cerca de 300 mil barris por dia — o início de um fluxo de capital que fará o mundo se voltar para o país sul-americano.

“Se você me pedisse para prever como será a Guiana em dez anos, eu diria que as áreas urbanas estarão irreconhecíveis por causa do forte desenvolvimento econômico”, diz Ross.

“A questão principal é se o povo será capaz de manter as instituições democráticas e se vai resistir às tentações da corrupção.”

Fonte: BBC.com

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: A PEQUENA GUIANA PODE SE TRANSFORMAR NO PAÍS COM A MAIOR RENDA PER CAPITA DO MUNDO

GEOPOLÍTICA: ACORDO DE COOPERAÇÃO AGRÍCOLA BRASIL-ALEMANHA TRARÁ MAIS DESENVOLVIMENTO

TEXTO

Brasil assina acordo de cooperação agrícola com a Alemanha

Acordo prevê troca de informação, visita técnica e financiamento rural.

Redação

Publicado em 

Por  

 

Brasil assina acordo de cooperação agrícola com a Alemanha 15

F. Sommer

 

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, assinou neste sábado (18) um acordo de cooperação técnica com a Alemanha.

O acordo prevê troca de informações, visitas técnicas e financiamento rural entre os dois países.

Durante encontro do Fórum Global da Alimentação e da Agricultura (GFFA), em Berlim, Tereza Cristina e a ministra da Alimentação e Agricultura da Alemanha, Julia Klockner, assinaram uma declaração na qual o Brasil e a Alemanha se comprometeram a buscar uma agricultura sustentável para a demanda global por alimentos.

Na reunião, a ministra brasileira destacou que somente 2,3% do território brasileiro são utilizados para produção agrícola e 10,5% para a pecuária, e a agricultura não pode ser apontada como a vilã dos problemas ambientais ocorridos no mundo.

Esse acordo vai aproximar mais os dois países. Trocaremos conhecimento e nós poderemos mostrar a tecnologia que desenvolvemos para criar a agricultura tropical brasileira”, disse a ministra, em nota.

Após a reunião do GFFA, a ministra da Agricultura segue para a Índia, onde fará parte da comitiva do presidente Jair Bolsonaro que visitará o país.

Com informações, Agência Brasil

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: ACORDO DE COOPERAÇÃO AGRÍCOLA BRASIL-ALEMANHA TRARÁ MAIS DESENVOLVIMENTO

GEOPOLÍTICA: PARECE QUE FINALMENTE O BRASIL VAI ENTRAR NA OCDE

Uma grande vitória do Brasil essa notícia vinda do governo dos EUA sobre a inclusão do Brasil na OCDE. Agora podemos dizer que o Brasil terá acesso aos programas e assuntos tratados com países de primeiro mundo que antes não tinha e que a parceria com os Estados Unidos é sólida! No artigo a seguir da jornalista Thaís Garcia veja como tudo se processou!

“Estamos construindo uma parceria sólida com os EUA”, diz Ernesto Araújo sobre prioridade dada ao Brasil para o ingresso na OCDE

Thaís Garcia

Publicado em 15.01.2020

“Estamos construindo uma parceria sólida com os EUA”, diz Ernesto Araújo sobre prioridade dada ao Brasil para o ingresso na OCDE 15

Imagem: EFE/ERIK S. LESSER

 

O Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, confirmou nas redes sociais o comunicado da embaixada americana que afirma oficialmente o apoio dos EUA para o Brasil ser o próximo a iniciar adesão à OCDE.

O ministro enfatizou que o anúncio americano de prioridade ao Brasil para o ingresso na OCDE comprova mais uma vez que o Brasil está construindo uma parceria sólida com os EUA.

Ernesto Araújo

@ernestofaraujo

Anúncio americano de prioridade ao Brasil para ingresso na OCDE comprova uma vez mais que estamos construindo uma parceria sólida com os EUA, capaz de gerar resultados de curto, médio e longo prazo, em benefício da transformação do Brasil na grande nação que sempre quisemos ser

Os Estados Unidos afirmaram na terça-feira (14) que o Brasil será o próximo país a iniciar o processo de adesão à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O comunicado foi feito por meio de nota à imprensa emitida pela embaixada, em Brasília.

“Os Estados Unidos querem que o Brasil seja o próximo país a iniciar o processo de acessão à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)”, afirmou a embaixada dos EUA em Brasília.

“Nossa decisão de priorizar a candidatura do Brasil, agora, como próximo país a iniciar o processo é uma evolução natural do nosso compromisso, como reafirmado pelo secretário de Estado [Mike Pompeo] e pelo presidente Trump em outubro de 2019”, acrescentaram.

Com a nova decisão, Argentina perdeu a prioridade que tinha.

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: PARECE QUE FINALMENTE O BRASIL VAI ENTRAR NA OCDE

GEOPOLÍTICA: MOVIMENTO ANTICAPITALISMO NA ALEMANHA PREOCUPA

Neste domingo estou postando na coluna GEOPOLÍTICA um artigo muito importante para todos nós do respeitado jornalista J. R. Guzzo, publicado em sua coluna na Gazeta do Povo, sobre o avanço da esquerda na Alemanha. Devemos ler esse artigo e ficar bastante alerta, pois a Alemanha é um dos países mais prósperos do mundo, mas nos últimos anos vem sutilmente voltando as costas para o capitalismo. Apesar J. R. Guzzo não fazer menção em seu artigo eu alerto para uma possível influência do neonazismo nesse movimento anti-capitalismo. Portanto leia o artigo completo a seguir e tire suas conclusões! 

Resultado de imagem para A alemanha capitalista

Por que a Alemanha dá as costas ao capitalismo

J.R Guzzo analisa o modo como a maior parte do mundo político, o aparelho estatal e as “classes intelectuais” da Alemanha, um país que cresceu às custas da liberdade econômica, se voltam contra o capitalismo e demonstra que ser um sucesso pode ser tão ruim para um país quando fracassar. Confira trechos:

O que está acontecendo com a Alemanha? Ninguém no Brasil, e numa porção de outros lugares, costuma se preocupar com a Alemanha. Por que, na verdade, alguém deveria se preocupar? A Alemanha é um dos países mais ordeiros do mundo. Os serviços públicos são de primeira categoria, levando-se em conta que estamos aqui diante de um país de verdade, com mais de 80 milhões de habitantes.

O centro da questão, mais do que tudo, está na hostilidade inédita, crescente e, para resumir as coisas, cada vez mais incompreensível, contra a liberdade econômica, contra a atividade produtiva em geral e, no fim das contas, contra o capitalismo. É como se a maior parte do mundo político, o aparelho do Estado e as “classes intelectuais” da Alemanha estivessem achando mais ou menos o seguinte: o país que nós temos, esse mesmo que foi descrito no primeiro parágrafo deste artigo, é um fracasso e tem de ser radicalmente mudado. Soa estranho. A Alemanha, vista da posição ocupada hoje pela maioria dos países, é exatamente o contrário – é um sucesso. Mas não. O esforço do governo, dos partidos de esquerda e de boa parte da sociedade é tentar construir uma Alemanha oposta à que teve o êxito espetacular dos últimos 60 anos.

O resumo mais preciso do que está hoje na cabeça dessa gente toda foi dado por uma outra líder política de peso na esquerda alemã, Amira Mohamed Ali. “É assustador que os ricos e poderosos continuem lucrando sem serem perturbados por um sistema econômico prejudicial ao clima”, disse ela. “Acham que o lucro importa mais que um planeta intacto”.

É isso, em suma. Para salvar a Terra da destruição, é preciso bater no lucro – e, necessariamente, na liberdade econômica, no direito de empreender, na iniciativa privada, na propriedade e no sistema capitalista em geral […] dar certo, às vezes, é tão ruim para os países quanto dar errado.

J.R. Guzzo
Jornalista e colunista, para a Gazeta do Povo

Fonte:

Boletim Coppolla <contato@boletimcoppolla.com.br>
Continuar lendo GEOPOLÍTICA: MOVIMENTO ANTICAPITALISMO NA ALEMANHA PREOCUPA

GEOPOLÍTICA: DEVEMOS FICAR ATENTOS COM OS PRÓXIMOS MOVIMENTOS NA POLÍTICA DA ARGENTINA

Na coluna GEOPOLÍTICA deste domingo temos um aviso e uma previsão do Diácono Jorge Sonnante sobre um possível golpe por extorsão na eleição do novo governo de Alberto Fernandes da Argentina em face a fraude ocorrida que pode reverter o resultado das urnas. Assista ao vídeo a seguir e leia o texto com a tradução para o português do vídeo do diácono.

6 janeiro vai saber a verdade ALBERTO FERNANDEZ e CRISTINA FERNANDEZ tem o helicóptero preparado

Um grupo de inteligência, uma agência privada com sua equipe de “Cyber Patrol” monitorando as eleições de 27/10 encontrar muitas irregularidades. Dada a gravidade do assunto, a Presidência, a Autoridade de Segurança e o Conselho Eleitoral foram informados. As queixas correspondentes foram apresentadas no Tribunal de Romilda Cervini de Cubria.

Também não foi obtida qualquer resposta, violando todas as leis constitucionais e dando a impressão ou
De um acordo político vergonhoso ou um duro golpe para extorsão.

Seja como for, seja o perigo que queríamos acreditar que ele vai sobreviver (isso é muito possível, a ovelha assustada é mais mansa)

É PIOR PARA O QUE É PARA SOFRER O NOSSO PAÍS.

Dadas estas circunstâncias, pessoas e equipes da Organização do Norte entraram em contato com esta agência e corroboraram o FRAUDE.

Isso dá o vencedor a Mauricio Macri.

No entanto, as informações serão tornadas públicas e certificadas, está em fase de papelada.
Temos de preparar a população para esta verdade.

Essas pessoas não vão permitir que mentir em nosso país … parece que, novamente, nossa vontade foi enganada e devemos despertar.

Mostrar que o # governo da FF é ilegítimo

Com comentários e placas e ações concretas que serão apoiadas a partir de … A mídia de todo o mundo # saberá, e a Argentina terá seu dia sombrio.

Cabe-nos a nós gerar paz, tranquilidade e, acima de tudo, mostrar que não podemos pensar nela.

Não sabemos por que razão o Governo cessante agiu assim e não queremos imaginá-lo.
Só eles sabem …

Mas.. SE OU SE A VERDADE VIRÁ À TONA PORQUE ELA JÁ ESTÁ NAS MÃOS CERTAS.

Vamos preparar o país. viralizar fraude.

É verificado pelo melhor equipamento,

NÃO DEIXAMOS NOSSO PAÍS SE TORNAR UM ANTRO DE NARCOTRAFICANTES
PRECISAMOS DELES JUNTOS.

Não há nenhuma maneira isso é algo contra MM
Pelo contrário…

ALBERTO TEM O HELICÓPTERO PRONTO
E esta verdade será um golpe muito forte nos mercados e na credibilidade
A PÁTRIA NOS CHAMA
Hoje, os CIUDADANOS COMUNS são os seus soldados mais valiosos

Fonte:

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: DEVEMOS FICAR ATENTOS COM OS PRÓXIMOS MOVIMENTOS NA POLÍTICA DA ARGENTINA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

Por G1

13/12/2019 20h30  Atualizado há 26 minutos


Laudos mostram que as lesões nas 9 vítimas de Paraisópolis são compatíveis com pisoteamento. A paralisação na saúde do Rio entra no 4º dia, e o governo federal libera R$ 150 milhões para o pagamento dos salários atrasados. EUA e China fecham 1ª parte do acordo comercial, e a Bovespa bate novo recorde. Deputados americanos aprovam as denúncias no impeachment contra Trump. No Reino Unido, a vitória avassaladora dos conservadores aumenta as chances do Brexit. E o Flamengo embarca rumo ao Mundial de Clubes em Doha.

INTERNACIONAL

Trégua comercial

China e EUA anunciaram oficialmente hoje a conclusão da 1ª fase de um acordo comercial que tenta pôr fim à guerra de tarifas entre os dois países. Com a decisão, as novas taxas sobre importações, que deveriam entrar em vigor no domingo, serão suspensas. O mercado financeiro reagiu ao anúncio, e a Bovespa bateu novo recorde, superando os 112 mil pontos.

Impeachment de Trump

Comitê Judiciário da Câmara vota artigos de impeachment de Trump — Foto: Reuters/Patrick SernanskyComitê Judiciário da Câmara vota artigos de impeachment de Trump — Foto: Reuters/Patrick Sernansky

A Comissão de Justiça da Câmara dos EUA aprovou hoje as acusações contra o presidente Donald Trump no processo de impeachment. O presidente dos EUA foi enquadrado por abuso de poder e obstrução de Justiça ao pressionar a Ucrânia para investigar um rival político. Os deputados deverão votar na próxima semana se Trump sofrerá impeachment, mas a decisão final sobre afastamento da presidência depende do Senado.

Brexit mais perto

Premiê Boris Johnson é recebido com palmas em Downing Street nesta sexta-feira (13) — Foto: Stefan Rousseau/ Reuters Premiê Boris Johnson é recebido com palmas em Downing Street nesta sexta-feira (13) — Foto: Stefan Rousseau/ Reuters

O Reino Unido está mais próximo de um divórcio da União Europeia, depois que o partido conservador, liderado pelo premiê Boris Johnson, teve uma vitória histórica nas eleições parlamentares. O partido teve o melhor resultado desde a eleição de Margaret Tatcher, em 1980. A expectativa é de que Johnson tenha mais facilidade para cumprir sua promessa e aprovar o Brexit em 31 de janeiro de 2020.

NA CIONAIS

Mortes em Paraisópolis

Exames realizados nos corpos dos 9 jovens mortos no baile funk em Paraisópolis mostram traumas combatíveis com pisoteamento. Os laudos foram anexados ao inquérito sobre as mortes, que foram registradas como suspeitas, e moradores disseram que houve uma emboscada da polícia. A PM nega.

Colapso na saúde

Funcionário da saúde do Rio protestam em frente ao Palácio da Cidade — Foto: STEFAN RADOVICZ/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDOFuncionário da saúde do Rio protestam em frente ao Palácio da Cidade — Foto: STEFAN RADOVICZ/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

No 4º dia de paralisação na saúde do Rio de Janeiro, o governo federal vai liberar uma ajuda emergencial de R$ 150 milhões para o pagamento de parte dos salários atrasados. A Prefeitura diz que já começou a fazer os pagamentos, mas os funcionários negam.

Saque complementar do FGTS

O saque extra nas contas do FGTS com até R$ 998 serão liberados a partir do dia 20 de dezembro, segundo novo calendário divulgado hoje pela Caixa. Mais de 10 milhões de trabalhadores serão beneficiados pela parcela completar, que injetará mais R$ 2,6 bilhões na economia.

Flamengo rumo ao Mundial

Multidão cerca o ônibus rubro-negro — Foto: Divulgação/FlamengoMultidão cerca o ônibus rubro-negro — Foto: Divulgação/Flamengo

Flamengo embarcou hoje para a disputa do Mundial de Clubes da Fifa. No embarque para Doha, uma multidão de torcedores fez festa. O time estreia na competição na terça contra vencedor de Al-Hilal x Espéranca.

Também teve isso…

 

Filha de Lula pede demissão da ALERJ para ganhar o dobro no Senado

Foto: Divulgação/Redes sociais

O senador Rogério Carvalho (PT-SE) contratou Lurian Cordeiro Lula da Silva, filha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para ser assistente parlamentar em seu gabinete.

Lurian pediu demissão da Assembleia Legislativa do Rio, onde estava nomeada com um salário líquido de R$ 5.715,49, para ter uma remuneração de R$ 10.763,57 (incluindo auxílio-alimentação) no Senado.

A nomeação de Lurian foi publicada nessa quinta-feira, 12, no Boletim Administrativo do Senado. DE IstoÉ o que foi aconteceu com ela,

Então, eva Todor, essa guerra está a fim de bater papo.

Comments

Viúva e sem filhos, atriz Eva Todor deixou fortuna de herança para empregada, motorista e secretário

Foto: Reprodução/TV Globo

A atriz Eva Todor, que morreu no dia 10 de dezembro de 2017, aos 98 anos, deixou sua fortuna de herança para as três pessoas que a acompanharam na reta final de sua vida: a empregada, o motorista e seu secretário. O montante não foi divulgado.

A artista, que não tinha filhos e era viúva, não possui nenhum herdeiro direto e resolveu demonstrar toda sua gratidão pelos serviços prestados pelos funcionários nos anos em que estiveram com ela.

Natural de Budapeste, na Hungria, Eva é uma das grandes estrelas da teledramaturgia e humor brasileiros.

Além dos trabalhos com o autor, Eva também brilhou nos recentes “O Cravo e a Rosa” e “Salve Jorge”, além de grandes clássicos da TV brasileira, como “Hilda Furacão”, “Top Model” e outros.

aguinaldo silva

@aguinaldaosilva

Inesquecível Eva!
Atriz Eva Todor deixou fortuna de herança para empregada, motorista e secretário https://www.hypeness.com.br/2017/12/atriz-eva-todor-deixou-fortuna-de-heranca-para-empregada-motorista-e-secretario/?utm_source=social  via @Hypeness

Atriz Eva Todor deixou fortuna de herança para empregada, motorista e secretário

A atriz Eva Todor, que morreu no dia 10 de dezembro aos 98 anos, deixou sua fortuna de herança para as três pessoas que a acompanharam na reta final de sua vida: a empregada, o motorista e seu…

hypeness.com.br

Hypeness

 

Para Fux, não pagar ICMS só deve ser crime se houver intenção de fraudar

Foto: Divulgação/EBC

O ministro Luiz Fux, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou à TV Globo nesta sexta-feira (13) que não pode ser aplicado de modo genérico o entendimento de criminalizar quem declarar mas deixar de pagar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Nesta quinta (12), o Supremo formou maioria a favor da tese de que o empresário que deixar de pagar o ICMS pode ser processado criminalmente por apropriação indébita – ou seja, se apropriar indevidamente de valores que deveriam ser repassados aos cofres públicos. O julgamento terá continuidade na próxima quarta-feira (18).

G1

Projeto que proíbe sacrifício não justificado de animais é aprovado pelo Senado

Foto: Ilustração

O Senado aprovou uma proposta que proíbe o sacrifício de gatos, cães e aves por órgãos de controle de zoonoses, como canis públicos. Por ter sofrido modificações, o PLC nº 17/2017 será enviado de volta à Câmara.

De acordo com o projeto, é permitida a eutanásia com justificativa de doenças graves ou enfermidades infecto-contagiosas incuráveis, que podem, assim, colocar em risco a saúde de outros animais e seres humanos. Além disso, o procedimento deve ser justificado por laudo responsável veterinário e poderá ter a legalidade confirmada por revisão e análise irrestrita de documentação por acesso entidades de defesa dos animais.

(mais…)

Comments

Papo de Fogão recebe neste sábado Julliane Britto, da Maníacos por Cacau

Foto: Divulgação

Pratos tradicionais das festas de final de ano, o panetone e a rabanada recheada são as receitas de amanhã do Papo de Fogão. Julliane Britto da Maníacos por Cacau é a convidada que vai preparar e incrementar o panatone.

O Papo de Fogão é exibido amanhã na TV Ponta Negra/SBT, 9h e na Band Nordeste – Alagoas e Maranhão, 10h e Piauí, 10h30.

Comments

Morre Danny Aiello, ator de ‘O poderoso chefão II’, aos 86 anos

Foto: Showbizz

Danny Aiello, de 86 anos, morreu na noite de ontem. O veterano ficou conhecido por seus papéis em filmes como Faça a Coisa Certa (1989), A Última Batalha de um Jogador (1973) e O Poderoso Chefão: Parte II (1974). Tracey Miller, porta-voz do ator, confirmou a informação por meio de um comunicado oficial. “É com profunda tristeza que comunicamos que Danny Aiello, o amado marido, pai, avô, ator e músico morreu ontem após uma breve doença. A família pede privacidade neste momento”, diz o texto.

Segundo a família, o ator norte-americano estava passando por um tratamento depois de sofrer um mal súbito. Durante este processo, contraiu uma infecção e acabou não resistindo. Eles foram informados sobre sua morte assim que terminaram a última visita no hospital onde ele estava internado.

Nascido Daniel Louis Aiello Jr. em 20 de junho de 1933, o ator tem mais de 80 títulos em sua filmografia, com destaque para diversas atuações nas décadas de 1980 e 1990. Com família de origem italiana em Nova York, Danny era o quinto filho entre seis irmãos.

UOL

Comments

Lula sobre reportagem de Bolsonaro o imitando na voz: “Fazendo bolsonarisse”

Até que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pegou leva com a brincadeira. Em sua conta pessoal no Twitter, Lula comentou reportagem sobre o presidente Jair Bolsonaro o imitando na voz. Ele se resumiu apenas a uma frase: “Bolsonaro fazendo bolsonarisse”.

Em sua live na noite dessa quinta-feira, Jair Bolsonaro imitou a voz de Lula para dizer por que vetou um projeto de autoria de Gleisi Hoffmann.

O projeto permitiria ao MP mover ação ou investigação de agressão a menores de idade, sem necessidade de autorização dos pais.

Lula

Bolsonaro fazendo bolsonarisse. https://revistaforum.com.br/politica/bolsonaro-imita-voz-de-lula-para-criar-fake-news-sobre-projeto-de-lei-de-gleisi-hoffmann/ 

Bolsonaro imita voz de Lula para criar fake news sobre projeto de lei de Gleisi Hoffmann | Revista…

O presidente inventou declaração de Lula para vetar projeto que busca beneficiar crianças vítimas de violência doméstica

revistaforum.com.br

Queiroz: câncer de ex-assessor volta a se manifestar, apontam exames

Foto: Reprodução/SBT

O ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, recebeu uma notícia que o deixou arrasado: o câncer que havia sido retirado de seu intestino voltou a se manifestar, dessa vez em nódulos. Ele esteve no hospital Albert Einstein, no bairro do Morumbi, em São Paulo, onde ficou sabendo, na última quinta 12, o resultado de uma colonoscopia junto com a uma bateria de exames pela qual passou recentemente.

Queiroz trata há cerca de um ano uma neoplasia com transição retossigmoide, o mais comum entre os tumores de intestino. Acomete uma a cada dezesseis pessoas até os 90 anos de idade. Ele está localizado no intestino grosso, próximo da saída do reto. Manifesta-se, em geral, por sangramentos. A gravidade é definida não tanto pelo tamanho do tumor, mas se (e quanto) ele atingiu os gânglios linfáticos — há gânglios linfáticos próximo ao reto. Nesse caso, o risco de metástase é alto.

(mais…)

Comments

Área de alerta de desmatamento na Amazônia cresce 103,7% na comparação com novembro passado, apontam dados do Inpe

Infográfico mostra os registros de alertas de desmatamento para o mês de novembro, segundo o Inpe — Foto: Elida Oliveira/G1

O mês de novembro de 2019 teve recorde no registro de áreas sob alertas de desmatamento na Amazônia: foram 563,03 km² entre 1° e 30 de novembro, a maior área em toda a série histórica, que começa em 2015. Na comparação com o mesmo mês de 2018, o aumento foi de 103,7%.

De janeiro a novembro de 2019, 8.974,31 km² estiveram sob alerta, quase o dobro do registrado nos mesmos meses em 2018, 4.878,7 km² – aumento de 83,9%.

Os dados são do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), ligado ao Ministério da Ciência, e fazem parte do sistema de Detecção em Tempo Real (Deter). Este sistema não é usado como a taxa oficial de desmatamento na Amazônia, mas pode indicar a tendência de devastação do bioma. Ele só tem registro a partir de 2015 porque o sistema de detecção passou a usar novos padrões de satélites e a comparação com os dados obtidos desde 2004 não é indicada pelos cientistas.

A taxa oficial de desmatamento é medida pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes). O dado mais recente foi divulgado no mês passado: foram devastados 9.762 km² entre agosto de 2018 e julho de 2019, aumento de 29,5% em relação ao período anterior. O G1 entrou em contato com o Ministério do Meio Ambiente para saber que medidas estavam sendo tomadas para evitar a devastação, mas ainda aguarda retorno.

Com informações do G1

Fumar maconha deteriora qualidade de espermatozoides

Foto: Pixabay

O médico da Divisão de Clínica Urológica do HC (Hospital das Clínicas), Jorge Hallak, ficou intrigado com a aparente pior qualidade do sêmen de seus pacientes usuários de maconha.

Essa dúvida se tornou uma ampla pesquisa, que lhe rendeu o prêmio da Associação Americana de Andrologia de 2019. O urologista acompanhou mais de mil pacientes por 19 anos e demonstrou o mecanismo de lesão celular causado pelo THC (tetra-hidrocanabinol) nos espermatozoides.

O THC é o derivado psicoativo da Cannabis. Hallak, que é professor da Faculdade de Medicina da USP, argumenta que existem poucos ensaios clínicos sobre os efeitos da substância no médio e no longo prazo.

Em seu artigo, ele identifica a formação de radicais livres de oxigênio dentro da membrana celular dos gametas masculinos. Ou seja, além de uma simples redução da produção de espermatozoides, “o DNA reprodutivo fica sujeito a risco de alteração”, conta ao Jornal da USP no Ar.

Na pesquisa, o urologista trabalhou quatro grupos como objetos. Usuários de maconha por períodos prolongados, de oito a dez anos; fumantes; pacientes pré-vasectomia que tiveram filhos nos últimos 12 meses; homens diagnosticados com infertilidade.

No escopo da saúde reprodutiva masculina, os efeitos do THC foram piores do que o do consumo do tabaco. O cigarro também facilitou a produção de radicais livres, só que em menores quantidades e externamente aos gametas. Em prazos estendidos, os resultados da maconha eram semelhantes ou piores aos daqueles já inférteis.

O médico deixa claro que a comparação com o tabaco se dá somente nesse âmbito.

“O cigarro é uma tragédia da saúde pública”, diz. Ele também defende que o debate sobre o uso recreacional da maconha deve ocorrer sob a luz da ciência. Como faltam pesquisas sobre os efeitos colaterais da inalação da fumaça produzida pela queima da maconha, o urologista recomenda que o uso de derivados da Cannabis seja feito por spray, óleo ou comprimido. Canabidiol e canabinol são os produtos medicinais, que não são psicoativos.

Toda escolha na medicina é feita a partir de uma avaliação de riscos, de acordo com Hallak.

“A quimioterapia é nociva, mas faz sentido no tratamento de um câncer”, esclarece.

Muitos dos pacientes do urologista minimizam o consumo da maconha com outros detalhes de sua rotina, como exercícios físicos e alimentação saudável, por exemplo.

Isso não basta para fazer receita médica e tampouco para política pública, conta o médico, esperando que seu ensaio dê evidências importantes aos gestores nessa discussão.

R7, com Jornal da USP

 

LOCAIS

Trânsito e transporte mudam em Lagoa Nova entre esta sexta e domingo de Carnatal e Halleluya; confira

Mapa: SPV/STTU

A Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU), vai alterar o trânsito e o transporte no entorno da Arena das Dunas, em Lagoa Nova, devido a realização do Carnatal e do Halleluya neste fim de semana.

De acordo com o órgão, a Avenida Lima e Silva será fechada no trecho entre a Avenida Prudente de Morais e a BR-101 Sul, no sentido BR-101. No sentido Viaduto Estaiado, a Av. Lima e Silva permanecerá aberta. Também será fechado o Túnel da Avenida Romualdo Galvão. Nesta sexta-feira (13/12) inicia às 16h e encerra às 03h. Por sua vez, sábado inicia às 15h e encerra às 04h. No domingo inicia às 15h e encerra às 02h.

A STTU recomenda que os participantes dos eventos evitem ir de carro e utilizem o transporte público, o táxi ou o transporte por aplicativo. Para facilitar o acesso aos táxis, o órgão instalará praças na Avenida Prudente de Morais, em frente ao Posto 30 de Setembro; na Avenida Romualdo Gavão, entre Rua Padre João Damasceno e a Avenida Lima e Silva; e na Rua Morais Navarro, em frente ao Hotel Ibis. Para quem for de aplicativo, a plataforma de embarque e desembarque será na Avenida Prudente de Morais, em frente a Nacional Veículos.

DESVIOS DO TRANSPORTE PÚBLICO

As sete linhas de ônibus que circulam na Avenida Lima e Silva sofrerão desvios de itinerário durante os bloqueios para o Carnatal, apenas no sentido Avenida Prudente de Morais/BR-101. No sentido contrário, o itinerário não sofre mudanças.

A linha 08 (Redinha/Mirassol) muda de itinerário a partir da Avenida Amintas Barros, de onde segue direto para Avenida Senador Salgado Filho, BR-101, Viaduto da Arena das Dunas e Marginal da BR-101, onde retorna ao itinerário normal.

Por sua vez, as linhas 33 (Planalto/Praia do Meio) e 44 (Rocas/Cidade Satélite) mudam de itinerário a partir da Avenida Prudente de Morais, onde entram na Avenida Miguel Castro, Rua São José, Avenida Amintas Barros, Avenida Senador Salgado Filho, BR-101, Viaduto da Arena das Dunas e chegam a Marginal da BR-101, de onde seguem o trajeto normal.

Já as linhas 33A (Planalto/Praia do Meio) e 39 (Cidade Nova/Ribeira) mudam de itinerário a partir da Avenida Prudente de Morais, seguindo pelo Viaduto Estaiado e entrando na Avenida Amintas Barros, de onde acessa a Avenida Senador Salgado Filho e segue seu itinerário normal. Essas linhas deixam de atender a parada do Centro Administrativo, da Passarela de Potilândia e da Igreja Universal.

A linha 31 (Felipe Camarão/Pirangi) muda de itinerário a partir da Avenida Prudente de Morais, seguindo pelo Viaduto Estaiado e entrando na Avenida Amintas Barros, de onde acessa a Avenida Senador Salgado Filho, BR- 101, Viaduto da Arena das Dunas, Marginal da BR-101 e segue seu itinerário normal.

Por fim, a linha 66 (Ponta Negra/Cidade da Esperança) muda de trajeto a partir da Avenida Antônio Basílio, de onde segue direto para Avenida Xavier da Silveira e entra na Rua da Saudade, de onde segue o itinerário normal. Essa linha deixa de atender as paradas da Avenida Prudente de Morais e Avenida Rui Barbosa.

HORÁRIOS EXTRAS DO TRANSPORTE PÚBLICO

Para auxiliar no deslocamento, 15 linhas de ônibus operarão até mais tarde na sexta-feira (13/12) e no sábado (14/12). São elas:

No domingo (15/12), a operação será realizada pelas linhas opcionais, as quais partirão a partir das 23h00 em direção ao destino identificado no veículo.

Além das linhas acima, o usuário pode contar com as linhas corujão. A linha E (Felipe Camarão/Ponta Negra) sai do terminal em Felipe Camarão às 00h20, 01h20, 02h10, 03h10 e 04h10. Já a linha 33 (Planalto/Praia do Meio), que circula 24h, sai do terminal no Planalto às 23h35, 02h00 e 04h00.

Em caso de dúvidas os usuários podem ligar para o Alô STTU – no telefone 156 – ou perguntar pelo Twitter oficial, o

IBGE: Natal tem 31º PIB entre municípios brasileiros

portal G1-RN destaca nesta sexta-feira(13), que entre os municípios do Brasil, Natal possuía o 31º maior Produto Interno Bruto (PIB) do País em 2017. É o que mostra um levantamento divulgado nesta sexta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com R$ 23,4 bilhões em bens e serviços produzidos, a capital do Rio Grande do Norte teve uma participação de 0,36% no PIB nacional.

Segundo a reportagem, o PIB da capital potiguar representa 35,6% de toda a produção do estado. Isso equivale à soma dos 159 municípios com menores PIBs do Rio Grande do Norte. No Nordeste, Salvador (R$ 62,7 bi), Fortaleza (R$ 61,5 bi), Recife (R$ 51,8 bi) e São Luís (R$ 29,7 bi) ficaram à frente de Natal. Na região, a capital norte-riograndense representa 2,46% do PIB.

Outros dois municípios do Rio Grande do Norte aparecem na lista dos 30 maiores PIBs do Nordeste: Mossoró (R$ 6,1 bi), em 23º lugar, e Parnamirim (R$ 5 bi) em 28º. As duas cidades representam, respectivamente, 0,65% e 0,53% do PIB do Nordeste.

Com acréscimo de informações do G1

 

 

 

Fonte:

Continuar lendo ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

GEOPOLÍTICA: AS RELAÇÕES COMERCIAIS BRASIL X ARGENTINA PARECE TOMAR UM RUMO CERTO

Na nossa coluna GEOPOLÍTICA desta sexta-feira o destaque é as relações Brasil x Argentina na visão de William Waack: O novo presidente da Argentina assumiu dizendo as coisas certas, e o presidente Jair Bolsonaro, após rusgas iniciais, também escolheu as palavras corretas. Há severas divergências entre a Argentina e o Brasil, porém, em questões como política econômica e especialmente protecionismo nas negociações com a União Européia. O comentarista também vê que os fatos em 2019 se impuseram sobre frases que inicialmente provocaram grande turbulência na política externa brasileira em áreas muito sensíveis aos nossos interesses comerciais, como política ambiental. Uma lição, porém, não parece ter sido aprendida pelo presidente do Brasil: não brigue com pirralhos, você perde sempre.

Fonte:

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: AS RELAÇÕES COMERCIAIS BRASIL X ARGENTINA PARECE TOMAR UM RUMO CERTO

GEOPOLÍTICA: MINISTRO DE GOVERNO DA BOLÍVIA FAZ GRAVE DENÚNCIA CONTRA MADURO

Na coluna GEOPOLÍTICA desta quarta-feira temos a denúncia e revelação feita pelo ministro do governo, Arturo Murillo, que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, financiou o terror que o país financiou no último mês.  Uma denúncia aparentemente consistente que compromete significativamente o governante venezuelano. Leia o texto com tradução completa e tire suas conclusões!

Murillo denuncia que Venezuela financió el  “terror” que vivió el país en el último mes

2019-12-02

ImageMinistro de Gobierno, Arturo Murillo (Foto: Twitter Ministerio de Gobierno)

El ministro de Gobierno, Arturo Murillo, denunció el lunes que el presidente de Venezuela, Nicolás Maduro, “financió el terror” que vivió el país en el último mes.

“Tenemos algo realmente alarmante, porque resulta ser que el señor (Nicolás) Maduro por medio de Diosdado Cabello, utilizando a su primo, ha financiado todo el terror que hemos vivido los bolivianos, el terror que están viviendo los colombianos, los chilenos y los peruanos, también esto es una conspiración contra América, no solo es contra Bolivia, obviamente se están iniciando las acciones judiciales contra estos terroristas, narcoterroristas que han ingresado a Bolivia”, dijo en conferencia de prensa.

Murillo anunció que solicitará una reunión con las autoridades de Gobierno de los países afectados con esas acciones “terroristas”, para compartir la información destinada a realizar una investigación sobre la “corriente de desestabilización desde el señor Maduro”.

Por su parte, el director departamental de la Fuerza Especial de Lucha Contra el Crimen (Felcc) de la ciudad de Santa Cruz, Óscar Gutiérrez, informó que se realizó una investigación técnica y objetiva para detectar a esas personas que buscaban desestabilizar el país.

Dijo que el 8 de noviembre de manera clandestina apareció en el país Facundo Molares, quien después de una investigación, se pudo identificar que es un miembro activo de las FARC (Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia) con una alta trayectoria y peligrosidad.

Mencionó que también se identificó a otro personaje peruano, Martín Serna Ponce, también con antecedentes de terrorismo, quien habría participado en el secuestro de Samuel Doria Medina y, además dijo que tiene una relación “estrecha” con Facundo Molares.

Ayer, domingo, manifestó que Molares en una audiencia cautelar admitió haber participado en esos hechos de violencia, “indicando que ha tenido tres días de dura batalla”.

Asimismo, mencionó que Molares llegó al país el 13 de octubre desde Venezuela con Pedro Nel Carvajalino Amaya y Oswaldo Rivero Curvelo, que no llegan juntos para burlar los controles, pero llegan en el mismo avión.

“El 13 de octubre ellos ingresan al país con fines desestabilizadores con fines de generar un terrorismo mediático, son capacitados a manipular las redes informáticas Facebook, Twitter. Pedro Nel Carvajalino, colombiano, que radica en Venezuela que tiene programas a favor de gobierno Maduro y contrario a ese régimen, y actúan en participado en revueltas de Argentina, Chile y otros países”, indicó.

Además, dijo que Carvajalino publicó un Twitter falso de la presidenta Jeanine Áñez para generar racismo y discriminación.

Informó que se realizó una serie de vínculos que “desnuda una organización criminal” que vincula al “narco terrorismo”, entre ellos al vicepresidente Álvaro García Linera y a su hermano Raúl García Linera, este último trabajaba de manera estrecha con Serna Ponce, quien es buscado en Perú.

También dijo que se establecieron vínculos entre Carvajalino, cuya enamorada es Ana Rodríguez de la Rosa, su padre es el general Alexis Cabello, que es comandante de Venezuela, primo hermano de Diosdado Cabello quien tiene relación con Maduro y con el expresidente Evo Morales.

Por otra parte, informó que producto de las investigaciones también se ha identificado a personas involucradas en esos hechos que están vinculadas con el Movimiento Al Socialismo (MAS), que habrían recibido instrucciones para incitar a la convulsión en el país.

“Producto de esto se ha logrado a la aprehensión de Deysi Choque (diputada electa de las elecciones anuladas), de Alberto Fuentes Urquiza, Iván Cala Ventura hijo de un diputado, Elías Nina y David Peñaloza López, y del equipo médico, de manera clandestina ha brindado protección y asistencia médica al señor Molares”, detalló. //ABI/CM

Fonte: Bolivia TV

 

TRADUÇÃO DO ARTIGO PARA O PORTUGUÊS

Murillo relata que a Venezuela financiou o “terror” que o país experimentou no último mês

2019-12-02

Ministro do Governo, Arturo Murillo (Foto: Twitter Government Ministry)
O ministro do Governo, Arturo Murillo, denunciou na segunda-feira que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, “financiou o terror” que o país experimentou no último mês.
“Temos algo realmente alarmante, porque acontece que o Sr. (Nicolás) Maduro através de Diosdado Cabello, usando seu primo, financiou todo o terror que nós bolivianos temos experimentado, o terror que os colombianos, os chilenos e os peruanos. Também esta é uma conspiração contra a América, não é apenas contra a Bolívia, obviamente, uma ação legal está sendo iniciada contra esses terroristas, os narcoterroristas que entraram na Bolívia”, disse ele em entrevista coletiva.
Murillo anunciou que solicitará uma reunião com as autoridades governamentais dos países afetados com essas ações “terroristas”, para compartilhar as informações destinadas a conduzir uma investigação sobre o “fluxo de desestabilização do Sr. Maduro” “.
Por sua vez, o diretor departamental da Força Especial de Controle do Crime (Felcc) da cidade de Santa Cruz, Oscar Gutiérrez, informou que uma investigação técnica e objetiva foi realizada para detectar as pessoas que tentaram desestabilizar o país.
Ele disse que, em 8 de novembro, clandestinamente apareceu no país facundo Molares, que após uma investigação, foi identificado como um membro ativo das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) com um alto histórico e perigo.

Ele mencionou que outro personagem peruano, Martín Serna Ponce, também foi identificado com uma história de terrorismo, que teria participado do sequestro de Samuel Doria Medina e também disse que tem uma relação “próxima” com Facundo Molares.
Ontem, domingo, ele afirmou que Molares em uma audiência de precaução admitiu ter participado desses atos de violência , “indicando que ele teve três dias de dura batalha.”
Ele também mencionou que Molares chegou ao país em 13 de outubro da Venezuela com Pedro Nel Carvajalino Amaya e Oswaldo Rivero Curvelo, que não chegam juntos para burlar os controles, mas chegam no mesmo avião.
“Em 13 de outubro, eles entram no país para fins desestabilizadores, a fim de gerar terrorismo de mídia, eles são treinados para manipular o facebook, redes de computadores Twitter. Pedro Nel Carvajalino, colombiano, com sede na Venezuela, que tem programas a favor do governo maduro e contrário a esse regime, e atua em revoltas na Argentina, Chile e outros países”, disse ele.
Além disso, ele disse que Carvajalino postou um Twitter falso da presidente Jeanine Añez para gerar racismo e discriminação.
Ele relatou que uma série de ligações foram feitas que “desnuda uma organização criminosa” que liga ao “narcoterrorismo”, entre eles o vice-presidente Álvaro García Linera e seu irmão Raúl García Linera, este último trabalhou em estreita colaboração com Serna Ponce, que é procurado no Peru.
Ele também disse que foram estabelecidas ligações entre Carvajalino, cuja amante é Ana Rodríguez de la Rosa, seu pai é o general Alexis Cabello, que é comandante da Venezuela, primo de Diosdado Cabello, que tem um relacionamento com Maduro e o ex-presidente Evo Morales.
Por outro lado, relatou que, como resultado das investigações, pessoas envolvidas nesses eventos que estão ligadas ao Movimento para o Socialismo (MAS) também foram identificadas, que teriam sido instruídas a incitar a convulsão no país.

“O produto disso foi alcançado com a apreensão de Deysi Choque (deputado eleito das eleições canceladas), Alberto Fuentes Urquiza, Iván Cala Ventura filho de um deputado, Elías Nina e David Peñaloza López, e a equipe médica, de forma clandestina, forneceu proteção e assistência médica ao Sr. Molares”, disse ele. ABI/CM ABI/CM

Fonte: Bolivia TV

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: MINISTRO DE GOVERNO DA BOLÍVIA FAZ GRAVE DENÚNCIA CONTRA MADURO

GEOPOLÍTICA: OS BASTIDORES DO ALTO COMANDO DAS FORÇAS ARMADAS HORAS ANTES DA RENÚNCIA DE EVO MORALES

Na coluna GEOPOLÍTCA desta terça-feira temos em primeira mão toda a verdadeira história dos bastidores do alto comando das Forças Armadas Boliviana das últimas horas de tensão que antecederam a renúncia de Evo Morales e quase culminou com uma revolução. Leia o artigo completo a seguir e entenda como tudo aconteceu!

Fiel a Evo hasta el final, Kaliman sacó a las tropas amenazado por su Estado Mayor

El general del Ejército Grover Rojas fue uno de los protagonistas de las horas cruciales en las que las amenazas a la población derivaron en la imploración de tener a los soldados en las calles de todo el país.

domingo, 01 de diciembre de 2019 · 00:24

“¡Compatriotas, primero la patria y siempre la patria!”. El entonces comandante de las Fuerzas Armadas, Williams Kaliman, anunciaba de esa forma que las tropas saldrían a resguardar a la población ante las amenazas de grupos violentos afines a Evo Morales. Eran las 21:00 del lunes 11 de noviembre, cuando los ciudadanos vivían momentos de extrema zozobra.

En esa conferencia de prensa que ofreció, Kaliman estaba rodeado de todos los generales de su Estado Mayor, pero no lo acompañaban ahí en señal de respaldo. Minutos antes de salir ante las cámaras,  los militares lo amenazaron con arrestarlo y tomar el mando si no sacaba a los soldados a las calles.

Ese fue el desenlace de un día en el que los militares del Alto Mando Militar y su consejo superior, integrado por generales de las tres fuerzas (Ejército, Fuerza Aérea y Armada), pasaron horas tensas por “la pasividad e indiferencia de Kaliman”.

El relato de lo que pasó el 11 de noviembre nace de algunos miembros del Estado Mayor  que estuvieron cerca de Kaliman. Ellos hablaron con Página Siete.

Dos noticias dieron la alerta a los generales para levantarse contra Kaliman:  El aviso de un alzamiento de los coroneles del Ejército (amotinamiento) en el que se pretendía arrestar a los generales, tomar el mando y sacar a las tropas  a las calles; y la “sumisión y obediencia” de Kaliman y del comandante de la Fuerza Aérea, Jorge Terceros, a Evo Morales, Álvaro García Linera y a Javier Zavaleta, pese a que éstos ya habían renunciado un día antes a la Presidencia, Vicepresidencia y Ministerio de Defensa, respectivamente.

A las 18:45 de ese lunes todos los generales y almirantes de las FFAA se reunieron de emergencia en la oficina del Jefe de Operaciones, en el piso 4 del Comando, en  la zona de Obrajes.

El país estaba convulsionado. Tras la renuncia de Morales a la presidencia, el domingo 10 de noviembre,  grupos masistas  quemaron en La Paz 64 buses PumaKatari y casas de autoridades. El lunes  incendiaron decenas de estaciones policiales, ante la mirada absorta de sus efectivos que intentaban resguardar la Plaza Murillo con los recursos que podían.

Pero Kaliman no daba señales y la población vivía momentos de terror. Incluso la que hasta ese día era presidenta del Senado,  Jeanine Añez, lo había  conminado públicamente  a que saque a sus tropas. En un video, le muestra la carta del entonces comandante de la Policía, Vladimir Calderón, quien afirma que sus efectivos ya no son suficientes y que fueron rebasados por las turbas.

“No queremos muertos. Si hay alguna persona que cae en este país, después de esta solicitud escrita del comandante, es de su entera responsabilidad”, le dijo.

 Lo que no esperaba Kaliman

Los generales del Estado Mayor, reunidos, decidieron subir al sexto piso del Comando, al despacho de Kaliman. “Lo increpamos por su extrema pasividad y obediencia a ciegas a Evo Morales. Le dijimos sobre los peligros que se cernían contra las Fuerzas Armadas y particularmente contra la población boliviana”, contó uno de los generales de División.

El comandante estaba acompañado del Jefe del Estado Mayor, Flavio Arce; el inspector de las FFAA, Jorge Fernández; y el general Terceros de la Fuerza Aérea.

Ante todo el panorama hostil que le explicaron,  Kaliman respondió que la Policía aún no había sido rebasada y que además esperaba órdenes de Zavaleta.

Esto encolerizó a los generales. Uno de ellos, Grover Rojas, se paró delante del comandante. “En este momento debe convocar a una conferencia de prensa y ordenar que los soldados salgan a proteger al pueblo. ¡¿No ve que el pueblo está  llorando y usted viendo televisión?!”, le cuestionó.

Morales felicita al nuevo comandante Kaliman. Enero de 2019.

Foto: ArchivoLos otros camaradas que estaban a su lado trataron de calmarlo, pero Rojas insistió: “Si esta noche los coroneles nos toman presos, desde usted hasta el último general vamos a ir a la cárcel, eso no le voy a permitir jamás”, le advirtió.

El almirante Arce se puso entre Kaliman y Rojas, trató de apaciguar la situación, pero los ánimos ya estaban caldeados, cuentan los generales consultados.

El general Rojas le había mandando una carta a Kaliman a las 14:32 de ese 11 de noviembre, en la que le pide que cumpla con lo que dicta la Constitución Política del Estado (CPE) y le reprocha el hecho de que “jamás” pidió consejos ni se reunió con su Estado Mayor.

“Finalmente, señor general, como general de División del Estado, como soldado profesional del Ejército, no puedo ser indiferente a la realidad que atraviesa el pueblo boliviano, del cual somos parte y nos debemos a él. Debo recordarle nuestro principio y trilogía: Dios, patria y hogar, que por más de 30 años juramos preservarla” (ver la foto).

El comandante jamás le respondió, pero  tuvo a Rojas frente a sus ojos horas después cuando éste le presionaba para que saque las tropas a cuidar a la gente.

Este medio llamó a Rojas para corroborar lo que pasó. El general dijo que por ahora no puede dar declaraciones y hará conocer todo a su debido tiempo. “Esa noche yo sólo cumplí con mi deber, nada más”, aseveró y confirmó la autenticidad de la carta. Página Siete también llamó a Kaliman, pero ante insistentes llamadas a su celular no respondió.

El comandante de las FFAA, que hasta ese día se había mostrado firme y decidido, se quebró delante de su Estado Mayor, se tomó la cabeza con las dos manos y por primera vez pidió a gritos que le aconsejen.

El temor de los generales y almirantes del Estado Mayor era que Kaliman “se diera la vuelta” a último momento y ordenara  públicamente otra cosa y no la salida de los soldados a las calles. “Si sucedía eso, otra iba a ser la historia para el comandante y para todo el Alto Mando, todos estábamos en la punta de un precipicio y Kaliman nos iba a dar el último empujón”, afirma un general de División del Ejército.

“Las Fuerzas Armadas harán operaciones conjuntas con la Policía  para evitar sangre y luto a la familia boliviana, empleando en forma proporcional la fuerza contra los actos de grupos vandálicos que causan terror en la población, recordando que nunca las FFAA abrirán fuego contra ella”, sentenció públicamente Kaliman esa noche.

Militares   en la avenida 6 de Marzo, El Alto, hace 2 semanas.

Foto: Freddy Barragán / Página Siete

Las llamadas de Evo

Esa parecía una señal de que la institución castrense estaba al lado del pueblo, pero además esa parecía una señal de que Kaliman dejaba de ser el profeta del proceso del MAS y comenzaba a abogar por la tranquilidad de Bolivia.

Sin embargo, los generales de su Estado Mayor afirman todo lo contrario. “Si eso pasó el domingo fue decisión de él, le pidió la renuncia sin haber hablado con nosotros. Pero era difícil de creer, pensamos que había algo oculto”, cuenta el general de la FAB.

Las siguientes horas al pedido de renuncia de Morales, Kaliman seguía recibiendo llamadas de él. “Le hablaba de ‘hermano, Evo’, ‘hermano Presidente’. Seguía recibiendo órdenes el lunes, eso nos molestó mucho”, recuerda otro entrevistado.

Otra cosa que fastidió a los oficiales fue la visita de Zavaleta al Comando en Jefe. “El lunes en la tarde su coche blanco estaba en Obrajes, en el garaje. Nos preguntamos qué hacía el que ya no era Ministro de Defensa reunido con Kaliman”, dice un general.

En ese encuentro Zavaleta le reclamó al comandante por qué sacó a los soldados a resguardar los bienes públicos mediante el plan Sebastián Pagador, si Morales nunca lo había instruido. De hecho, circuló una carta en la que el exministro aseguraba que nunca ordenó que se ejecute esa acción militar.

La noche del lunes, los generales, con el uniforme de combate, esperaban al comandante en la testera de un salón del Estado Mayor de Miraflores. Los periodistas y camarógrafos ya estaban en el lugar.

Kaliman entró con unos papeles en la mano, saludó  a los generales y se volvió a salir. “En ese momento pensamos que se iba a dar la vuelta. Lo hacía y nosotros lo arrestábamos delante de todos”, cuenta un militar.

Había nerviosismo no sólo en el Estado Mayor, sino  en los hogares, donde las familias aguardaban la palabra de Kaliman. Los soldados salieron y esa noche un alivio inundó la ciudad. Muchos agradecieron “el valor” de Kaliman, pero los generales aseguran que el verdadero coraje lo tuvieron Rojas y otros cuantos que “pensaron en Bolivia”.
Kaliman, “el soldado del MAS”

Williams Kaliman fue el militar más apegado al gobierno de Evo Morales, desde que era comandante del Ejército hasta sus últimas horas como comandante de las Fuerzas Armadas. A continuación algunas de sus frases célebres dedicadas al MAS.

1  “Sólo un hombre con alta visión de futuro y que vistió nuestro sagrado uniforme sabe cómo ser un verdadero patriota y sabe cómo querer a nuestro glorioso Ejército”, en referencia a Morales (noviembre de 2018).

2 Kaliman se declaró “un soldado del proceso de cambio” al asumir como comandante de las Fuerzas Armadas. “No, no estamos hablando de política, estamos hablando de que nuestra institución siempre estará en los procesos de cambio positivos para nuestro país” (enero de 2019).

3 “Las Fuerzas Armadas nacimos durante la lucha contra la colonia y moriremos anticolonialistas porque es nuestro orgullo y nuestra razón de vida (…). Las Fuerzas Armadas son del pueblo y trabajan para el pueblo porque apoyamos  la nacionalización de los hidrocarburos y las políticas de Estado que favorecen a los más necesitados” (agosto de 2019).

4  “A nuestros gratuitos detractores antinacionalistas, que por su apetito de poder piden cambiar la estructura vertical, la disciplina y la jerarquía de las Fuerzas Armadas, con oscuras intenciones. Decirles a estos antipatrias que la institución más antigua del Estado, creada bajo el fragor de los cañones y forjadora del Estado, jamás permitirá que esto suceda” (agosto de 2019).

 5  En todos sus discursos llamaba a Evo Morales “hermano”. Kaliman ocupó cargo importantes en la institución, como estar al mando de la Fuerza de Tarea Conjunta (FTC), de erradicación de coca en el Chapare, bastión del expresidente del país.

Fonte: Pagina Siete

 

TRADUÇÃO DO ARTIGO PARA O PORTUGUÊS

 

Fiel a Evo até o fim, Kaliman retirou as tropas ameaçadas por seu Estado Maior Geral

O general do exército Grover Rojas foi um dos protagonistas das horas cruciais em que as ameaças à população resultaram na implantação de soldados nas ruas em todo o país.

Fiel a Evo hasta el final, Kaliman sacó a las tropas amenazado por su Estado MayorKaliman y su Estado Mayor; detrás de él, Grover Rojas, la noche del 11 de noviembre.

“Compatriotas, primeiro o país e sempre o país!” O então comandante das Forças Armadas, Williams Kaliman, anunciou assim que as tropas iriam proteger a população contra as ameaças de grupos violentos relacionados a Evo Morales. Era 21:00 da segunda-feira, 11 de novembro, quando os cidadãos viviam momentos de extrema ansiedade. Na conferência de imprensa que ele ofereceu, Kaliman estava cercado por todos os generais de seu Estado Maior, mas eles não o acompanharam lá como sinal de apoio. Minutos antes de aparecer diante das câmeras, os militares ameaçavam prendê-lo e assumir o comando se ele não levasse os soldados para as ruas. Esse foi o resultado de um dia em que os militares do Alto Comando Militar e seu conselho superior, composto por generais das três forças (Exército, Força Aérea e Marinha), passaram horas tensas pela “passividade e indiferença de Kaliman”. A história do que aconteceu em 11 de novembro vem de alguns membros do Estado Maior que estavam perto de Kaliman. Eles conversaram com a página sete. Duas notícias alertaram os generais a se oporem a Kaliman: O aviso de um levante dos coronéis do Exército (motim) no qual eles pretendiam prender os generais, assumir o comando e levar as tropas para as ruas; e a “submissão e obediência” de Kaliman e do comandante da Força Aérea, Jorge Terceros, a Evo Morales, Álvaro García Linera e Javier Zavaleta, apesar de já terem renunciado um dia antes da Presidência, Vice-Presidência e Ministério da Defesa respectivamente. Às 18h45 da segunda-feira, todos os generais e almirantes das Forças Armadas se reuniram no escritório do Chefe de Operações, no 4º andar do Comando, na área de Obrajes.

O país estava convulsionado. Após a renúncia de Morales à presidência, no domingo, 10 de novembro, grupos de massa queimaram 64 ônibus e casas da PumaKatari em La Paz. Na segunda-feira, eles queimaram dezenas de delegacias de polícia, antes do olhar absorvido de suas tropas tentando proteger a Plaza Murillo com os recursos que podiam. Mas Kaliman não deu sinais e a população estava passando por momentos de terror. Até aquele que era presidente do Senado até aquele dia, Jeanine Añez, o havia exortado publicamente a retirar suas tropas. Em um vídeo, ele mostra a carta do então comandante da polícia, Vladimir Calderón, que afirma que suas tropas não são mais suficientes e foram sobrecarregadas por multidões. “Nós não queremos mortos. Se houver alguém que caia neste país, após esse pedido por escrito do comandante, é de sua exclusiva responsabilidade ”, afirmou.

O que Kaliman não esperava


Os generais do Estado Maior, reunidos, decidiram subir ao sexto andar do Comando, para o escritório de Kaliman. “Nós o incrível por sua extrema passividade e obediência cega a Evo Morales. Contamos a ele sobre os perigos que pairavam contra as Forças Armadas e, particularmente, contra a população boliviana ”, disse um dos generais da Divisão. O comandante estava acompanhado pelo chefe de gabinete, Flavio Arce; o inspetor das Forças Armadas, Jorge Fernández; e terço geral da força aérea. Primeiro de tudo o panorama hostil que lhe foi explicado, Kaliman respondeu que a Polícia ainda não havia sido excedida e que ele também estava aguardando ordens de Zavaleta. Isso irritou os generais. Um deles, Grover Rojas, estava na frente do comandante. “Nesse momento, ele deve convocar uma conferência de imprensa e ordenar que os soldados saiam para proteger o povo. Você não vê que a cidade está chorando e você está assistindo TV?! ”Ele perguntou.

Morales parabeniza o novo comandante Kaliman. Janeiro 2019 Foto: Arquivo

Os outros camaradas que estavam ao seu lado tentaram acalmá-lo, mas Rojas insistiu: “Se hoje à noite os coronéis nos levarem prisioneiros, de você até o último general iremos para a cadeia, que eu nunca vou permitir”, alertou. .  O almirante Arce ficou entre Kaliman e Rojas, tentou acalmar a situação, mas o clima já estava aquecido, disseram os generais consultados. O general Rojas enviou uma carta a Kaliman às 14h32 do dia 11 de novembro, na qual pedia que ele cumprisse o que a Constituição Política do Estado (CPE) dita e o reprovava pelo fato de “nunca” Ele pediu conselhos ou encontrou-se com o Estado Maior.

“Finalmente, senhor general, como general da divisão estadual, como soldado profissional do exército, não posso ser indiferente à realidade pela qual o povo boliviano está passando, do qual fazemos parte e devemos isso a ele. Devo lembrá-lo de nosso princípio e trilogia: Deus, país e lar, que há mais de 30 anos juramos preservá-lo ”(ver foto). O comandante nunca respondeu, mas ele tinha Rojas diante de seus olhos horas depois, quando o pressionou para retirar as tropas para cuidar do povo. Essa mídia ligou para Rojas para corroborar o que aconteceu. O general disse que, por enquanto, ele não pode dar declarações e divulgará tudo no devido tempo. “Naquela noite, cumpri meu dever, nada mais”, disse ele e confirmou a autenticidade da carta. A página sete também ligou para Kaliman, mas, com ligações persistentes para o celular, ele não atendeu.

De um momento para outro, um silêncio incomodava todos no escritório de Kaliman. “Todos nós gritamos para ele por dentro que uma vez que ele ordenou que as tropas partissem em nível nacional”, diz um general da Força Aérea. O comandante das Forças Armadas, que até aquele dia estava firme e determinado, desmoronou na frente de seu Estado Maior, pegou a cabeça com as duas mãos e, pela primeira vez, pediu gritos para aconselhá-lo. O medo dos generais e almirantes do Estado Maior era que Kaliman “se virasse” no último momento e pedisse publicamente outra coisa, e não a saída dos soldados para as ruas. “Se isso acontecesse, outra seria a história para o comandante e para todo o Alto Comando, estávamos todos no topo de um penhasco e Kaliman nos daria o último empurrão”, diz um general da Divisão do Exército. “As Forças Armadas realizarão operações conjuntas com a Polícia para evitar sangue e luto pela família boliviana, usando proporcionalmente a força contra atos de grupos de vandalismo que causam terror na população, lembrando que as Forças Armadas nunca abrirão fogo sobre ela” Kaliman condenou publicamente naquela noite.

Militar na Avenida 6 de Marzo, El Alto, há 2 semanas. Foto: Freddy Barragan / Página Sete

Las llamadas de Evo

Às 16:50 de domingo, 10 de novembro, Evo Morales renunciou à Presidência do Estado, de Chapare, em Cochabamba. Uma hora antes, Kaliman e o Alto Comando Militar pediram publicamente que ele se demitisse “pela pacificação do país”. Isso parecia um sinal de que a instituição militar ficava próxima à cidade, mas também parecia que Kaliman não era mais o profeta do processo do MAS e começou a advogar pela tranquilidade da Bolívia. No entanto, os generais de seu Estado Maior afirmam o contrário. “Se isso aconteceu no domingo, foi uma decisão dele, ele pediu a demissão sem ter falado conosco. Mas era difícil de acreditar, pensávamos que havia algo escondido ”, diz o general da FAB. Nas horas seguintes ao pedido de demissão de Morales, Kaliman continuou a receber ligações dele. “Eu estava falando sobre ‘irmão, Evo’, ‘irmão presidente’. Ainda estava recebendo pedidos na segunda-feira, o que nos incomodou muito ”, lembra outro entrevistado. Outra coisa que incomodou os oficiais foi a visita de Zavaleta ao comando principal. Na segunda-feira à tarde, seu carro branco estava em Obrajes, na garagem. Imaginamos o que aquele que não era mais o ministro da Defesa se encontrou com Kaliman ”, diz um general.

Naquele encontro, Zavaleta exigiu do comandante por que ele retirou os soldados para proteger os bens públicos através do plano de Sebastian Pagador, se Morales nunca o havia instruído. De fato, circulou uma carta na qual o ex-ministro disse que nunca ordenou a realização de uma ação militar.

Na segunda-feira à noite, os generais, de uniforme de combate, aguardavam o comandante na frente de um salão do Estado Maior de Miraflores. Jornalistas e cinegrafistas já estavam lá. Kaliman entrou com alguns papéis na mão, cumprimentou os generais e saiu novamente. “Naquele momento, pensamos que ele iria se virar. Ele fez isso e nós o prendemos na frente de todos ”, diz um militar. Havia nervosismo não apenas no Estado Maior, mas também nos lares, onde as famílias aguardavam a palavra de Kaliman. Os soldados foram embora e naquela noite um alívio inundou a cidade. Muitos agradeceram “o valor” de Kaliman, mas os generais dizem que a verdadeira coragem foi Rojas e outros que “pensaram na Bolívia”.

Kaliman, “o soldado do MAS”  Williams Kaliman foi o militar mais ligado ao governo de Evo Morales, desde que comandou o Exército até suas últimas horas como comandante das Forças Armadas. Aqui estão algumas de suas famosas frases dedicadas ao MAS.

1 “Somente um homem com uma alta visão do futuro e que usava nosso uniforme sagrado sabe como ser um verdadeiro patriota e sabe amar nosso glorioso exército”, referindo-se a Morales (novembro de 2018).

2 Kaliman se declarou “um soldado do processo de mudança” assumindo como comandante das Forças Armadas. “Não, não estamos falando de política, estamos falando de nossa instituição sempre estará nos processos de mudança positiva para o nosso país” (janeiro de 2019).

3 “As Forças Armadas nasceram durante a luta contra a colônia e morreremos anticolonialistas porque é nosso orgulho e nossa razão de vida (…). As Forças Armadas pertencem ao povo e trabalham para o povo, porque apoiamos a nacionalização de hidrocarbonetos e políticas estaduais que favorecem os mais necessitados ”(agosto de 2019).

4 “Aos nossos detratores anti-nacionalistas livres, que, por seu apetite pelo poder, pedem para mudar a estrutura vertical, a disciplina e a hierarquia das Forças Armadas, com intenções obscuras. Dizendo a esses antipatrícios que a instituição mais antiga do Estado, criada sob o calor dos canhões e falsificadores do Estado, nunca permitirá que isso aconteça ”(agosto de 2019).  

5 Em todos os seus discursos, ele chamou Evo Morales de “irmão”. Kaliman ocupou posições importantes na instituição, como estar no comando da Força-Tarefa Conjunta (FTC), pela erradicação da coca em Chapare, a fortaleza do ex-presidente do país.

Fonte: Pagina Siete

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: OS BASTIDORES DO ALTO COMANDO DAS FORÇAS ARMADAS HORAS ANTES DA RENÚNCIA DE EVO MORALES

GEOPOLÍTICA: FORO DE SÃO PAULO, UMA AMEAÇA À SEGURANÇA NACIONAL

Na coluna GEOPOLÍTICA desta quarta-feira você não pode deixar de assistir a palestra da deputada estadual Ana Caroline Campagnolo do PSL sobre a ameaça que o Foro de São Paulo representa para toda a América Latina, com explicações claras e concisas que vão tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. Confira o vídeo e tire suas conclusões!

A seguir um resumo da palestra da deputada para você ter uma noção do que estamos falando.

“A soltura em massa de criminosos para promover a desordem e o caos na sociedade é um instrumento corriqueiro na ação dos movimentos revolucionários ao longo da História. Já na Revolução Russa, em 1917, os comunistas desenjaularam assassinos e estupradores para atacar e dizimar povoados inteiros, estabelecendo o seu poder sobre as pessoas através de um regime de terror. Curiosamente, foi num 7 de novembro – mesma data do golpe bolchevique que levou a barbárie marxista da teoria para a prática –, que o STF, passando por cima da lógica, derrubou a possibilidade de prisão após condenação em 2ª instância para soltar o presidiário Lula – e de reboque criar o precedente que permite a libertação de diversos outros bandidos; concomitantemente, vários porta-vozes da esquerda começaram a promover uma pregação radical com o intuito de estimular a desordem revolucionária no país. Derrotados pela força popular e sem conseguir recuperar o terreno perdido na guerra cultural apesar do incessante bombardeio de narrativas sensacionalistas promovido pela grande mídia para tentar arruinar o governo de Jair Messias Bolsonaro, os agentes do Foro de São Paulo – que precisam recuperar o domínio no Brasil para alimentar seu esquema de controle sobre toda a América Latina, conforme confissão do próprio Fidel Castro no auge da operação –, vêm há semanas articulando ações de radicalização em outros países do continente, e agora, com os condenados Lula e José Dirceu à solta, buscam incitar agitações dentro do território nacional. Mais do que nunca, este é o momento de se posicionar contra as atrocidades desse império do crime. Não existe mais espaço para isentismo e picuinhas. A realidade não pode continuar sendo confundida com a percepção enganosa da esquerda e abrandada pelos que vivem em cima do muro, porque, como bem disse Musashi, “a verdade não é o que você quer que seja; é o que é, e você deve se curvar ao seu poder ou viver uma mentira”. As ações perpetradas até agora livremente pelo Foro de São Paulo devem ser investigadas e tratadas como atentados à segurança nacional. Nossa gente não pode continuar sendo feita de refém por essa organização estrangeira que conspira contra a nação brasileira.” Dep. Ana Caroline Campagnolo

Fonte:

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: FORO DE SÃO PAULO, UMA AMEAÇA À SEGURANÇA NACIONAL

GEOPOLÍTICA: COM O TEMPO A VERDADE SOBRE EVO MORALES APARECE CADA VEZ MAIS

Na coluna GEOPOLÍTICA desta terça-feira você vai se atualizar com os últimos acontecimentos na Bolívia e no México, que fazem cair, aos poucos, a máscara por trás da qual o déspota se esconde! A seguir, leia a reportagem original em espanhol ou mais adiante a sua tradução para o português e tire suas conclusões!

Resultado de imagem para Evo Morales chegou ao México quase como herói

Vuelta

El fin del hechizo

Hernán Terrazas E.

El fin del hechizo esté cerca. Evo Morales llegó a México casi como un héroe, como el último gran revolucionario obligado a abandonar su país por un supuesto golpe de Estado, pero a medida que pasan los días, quienes secundaron este relato y le añadieron capítulos cómplices, van dejando entrever, entre las líneas de sus propias entrevistas, la impostura de un ex gobernante que ya no puede mantener por más tiempo su narrativa conmovedora.

México ha sido sin duda generoso y hospitalario con diversos exilios a lo largo de la historia. Los españoles republicanos que huían del horror de la guerra civil y de la persecución del franquismo, no van a olvidar nunca las gestiones del ex presidente Lázaro Cárdenas, como no lo van a hacer tampoco los verdaderos exiliados de Bolivia, Chile, Argentina, Uruguay, Perú y Brasil, con los nombres de ex mandatarios mexicanos como Luis Echevarría Álvarez y José López Portillo.

El caso de Morales es, sin embargo, distinto, y no son pocos los analistas y dirigentes políticos que en México han cuestionado la actitud del presidente Andrés Manuel López Obrador y de su canciller, Marcelo Ebrard, quienes sin argumentos convincentes otorgaron refugio y asilo a un presidente Morales en realidad perseguido solo por su sombra.

Morales llegó a México con ese aire de víctima indígena que tanto le gusta mostrar, aunque pronto se vio que la humildad es una pose y que su teoría del golpe de Estado es tan o más frágil que su supuesto apego a la democracia.

Morales no es Allende, ni siquiera Juan José Torres, o tantos otros líderes de la izquierda latinoamericana que fueron perseguidos, encarcelados, asesinados y expulsados por los regímenes de facto.

En sus primeras declaraciones, muy poco después de haber descendido del avión en uno de los hangares del aeropuerto Benito Juárez –él sí primer indígena en llegar a la presidencia– agradeció al presidente López Obrador por haberle salvado la vida, aunque nadie en Bolivia pensó nunca en llegar a semejante extremo.

La narrativa de Morales, que se mantiene hasta hoy, incluía referencias a una supuesta traición de los mandos militares y policiales, a la conspiración, cuándo no, de la embajada de Estados Unidos, a la conjura de los dirigentes cívicos y a la ingerencia de la OEA, cuyos observadores primero y sus informáticos después pusieron al descubierto el fraude mas descarado de la histora de Bolivia.

El expresidente no habló nunca de la heróica y pacifica resistencia de cientos de miles de jóvenes de todo el país, que enfrentaron a grupos vandálicos, financiados y armados por el gobierno. Ni se le ocurrió mencionar y a los periodistas mexicanos mucho menos recordar, que durante casi 20 días, Bolivia había quedado paralizada no por una oposición partidaria, sino por una ciudadanía que no estaba dispuesta a soportar nuevamente que le fuera robado su voto.

Sorprendidos en su buena fe o cegados por su fanatismo ideológico, algunos periodistas mexicanos reprodujeron esas declaraciones sin tomarse la molestia de verificar lo que verdaderamente había pasado en Bolivia. Y entonces el “golpe” fue el titular fácil e irreflexivo en las portadas de algunos diarios o el tema reiterado en noticieros y redes supuestamente “progresistas”.

Con la popularidad en descenso, el gobierno mexicano utilizó el asilo del exmandatario boliviano más como una suerte de símbolo de reafirmación ideológica, que como un acto de consistencia con los principios de su política exterior.

Ni Evo Morales era un perseguido, ni corría peligro su vida, ni había una sola razón para pensar que alguno de los 20 ex funcionarios de diverso rango que buscaron refugio en la Embajada de México debiera temer por algo.

Los gobernantes mexicanos se prestaron a desempeñar un papel, lamentable, en el drama fraguado por Evo Morales y el MAS para dar aires de grandeza a lo que en realidad fue una retirada cobarde.

Como los reporteros argentinos, que se dedicaron en La Paz a fabricar escenas represivas y falsearon la realidad con imagenes de pocos ciudadanos, convertidos aritificialmente en multitud, periodistas mexicanos, desde la distancia, cayeron en un error similar.

El humilde dirigente político, que fue recibido con una palmadita paternal en el rostro por el canciller mexicano, Marcelo Ebrard, se desplaza ahora por las calles de la Ciudad de México en vehículos blindados, protegido por 14 guardaespaldas y con un viático cuantioso para tratarse a cuerpo de rey y visitar restaurantes selectos y caros de la capital azteca.

Cómodo en medio de reporteros y redactores que le hacen preguntas “a medida”, Morales no tenía necesidad de reaccionar con violencia, como lo hacía cuando alguien le consultaba por algo que no estaba en su guion. Ahora sonrie y llama hermanos o compañeros a quienes lo miran arrobados, como si estuvieran ante la representación misma de la revolución.

Pero los días pasan y las verdades llegan. La prensa solidaria va dejando espacio al periodismo más serio y responsable, y aparecen las primeras, profundas grietas, en el discurso/narrativa de Morales.

El expresidente no pudo ser convincente con la periodista Carmen Aristegui a la hora de explicar qué fue lo que lo llevó a postular por cuarta vez consecutiva y no le quedó más que admitir que utiliza México como una suerte de barricada desde la cual continúa incitando a la violencia en Bolivia.

Con Aristegui y más tarde con un periodista de BBC mundo, al que llamó “mentiroso” y acusó de recibir las preguntas vía whatsapp, el mundo comenzó a ver al verdadero Evo Morales, al personaje ambicioso que estuvo a punto de llevar a los bolivianos a un enfrentamiento civil solo por mantenerse en el poder, al mitomano que inventa declaraciones que nunca hizo, al refugiado que sigue tocando los tambores de guerra mientras los bolivianos comienzan a construir, con dificultad, un futuro de paz.

No solo en Bolivia, sino también en el mundo el hechizo de Evo Morales ha comenzado a perder efecto y a cundir también el ejemplo de un pueblo que supo, en paz y con valentía, quitarse de encima a un gobernante autoritario.

Hernán Terrazas es periodista.

TRADUÇÃO PARA O PORTUGUÊS

O fim do feitiço está próximo. Evo Morales chegou ao México quase como herói, como o último grande revolucionário forçado a deixar seu país devido a um suposto golpe de estado, mas com o passar dos dias, aqueles que apoiaram essa história e acrescentaram capítulos cúmplices, vislumbram entre nas entrelinhas de suas próprias entrevistas, a impostura de um ex-governante que não pode mais manter sua narrativa comovente.

O México, sem dúvida, foi generoso e hospitaleiro com vários exilados ao longo da história. Os espanhóis republicanos que fugiram do horror da guerra civil e da perseguição à Franco nunca esquecerão os esforços do ex-presidente Lázaro Cárdenas, como também os verdadeiros exilados da Bolívia, Chile, Argentina e Uruguai. Peru e Brasil, com nomes de ex-líderes mexicanos como Luis Echevarría Álvarez e José López Portillo.

O caso de Morales é, no entanto, diferente, e há poucos analistas e líderes políticos que no México questionaram a atitude do presidente Andrés Manuel López Obrador e seu ministro das Relações Exteriores, Marcelo Ebrard, que sem argumentos convincentes concederam refúgio e asilo ao presidente Morales, que realmente foi perseguido apenas por sua sombra.

Morales chegou ao México com o ar de uma vítima indígena que ele gosta tanto de mostrar, embora logo tenha sido visto que a humildade é uma pose e que sua teoria do golpe de estado é tão ou mais frágil do que seu suposto apego à democracia.

Morales não é Allende, nem Juan José Torres, nem tantos outros líderes da esquerda latino-americana que foram perseguidos, presos, mortos e expulsos por regimes de fato.

Em suas primeiras declarações, pouco depois de descer do avião em um dos hangares do aeroporto Benito Juárez – o primeiro indígena a chegar à presidência -, ele agradeceu ao presidente López Obrador por salvar sua vida, embora ninguém na Bolívia tenha pensado em chegar a tal extremo.

A narrativa de Morales, que permanece até hoje, incluía referências a uma suposta traição de comandantes militares e policiais, à conspiração, quando não, da embaixada dos EUA, à conspiração de líderes civis e à interferência da OEA, cujos observadores primeiro e seus cientistas da computação descobriram a fraude mais flagrante da história da Bolívia.


O ex-presidente nunca falou da resistência heroica e pacífica de centenas de milhares de jovens em todo o país, que enfrentavam grupos de vandalismo, financiados e armados pelo governo. Não lhe ocorreu mencionar e muito menos aos jornalistas mexicanos que, durante quase 20 dias, a Bolívia ficou paralisada não por uma oposição partidária, mas por uma cidadania que não estava disposta a suportar novamente que seu voto fosse roubado.

Surpreendidos de boa fé ou cegos pelo fanatismo ideológico, alguns jornalistas mexicanos reproduziram essas declarações sem se preocupar em verificar o que realmente havia acontecido na Bolívia. E então o “golpe” foi a manchete fácil e impensada nas primeiras páginas de alguns jornais ou o tema reiterado nas notícias e redes supostamente “progressistas”.

Com a popularidade em declínio, o governo mexicano usou o asilo do ex-presidente boliviano mais como uma espécie de símbolo de reafirmação ideológica do que como um ato de coerência com os princípios de sua política externa.

Evo Morales não foi perseguido, nem sua vida estava em perigo, nem havia uma única razão para pensar que qualquer um dos 20 ex-oficiais de várias fileiras que procuravam refúgio na Embaixada do México devessem temer alguma coisa.

Os governantes mexicanos prestaram-se a desempenhar um papel infeliz no drama de Evo Morales e do MAS para dar um ar de grandeza ao que na verdade era um retiro covarde.

Assim como os repórteres argentinos, que se dedicaram em La Paz a fabricar cenas repressivas e falsificaram a realidade com imagens de poucos cidadãos, se transformaram artificialmente em uma multidão, os jornalistas mexicanos, à distância, caíram em um erro semelhante.

O humilde líder político, recebido com um tapinha paterno no rosto pelo ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, agora viaja pelas ruas da Cidade do México em veículos blindados, protegidos por 14 guarda-costas, com uma diária substancial para tratar O corpo de King, frequentar restaurantes selecionados e caros na capital asteca.

Confortável entre repórteres e redatores que fazem perguntas “personalizadas”, Morales não precisava reagir violentamente, como fazia quando alguém o consultava por algo que não estava em seu roteiro. Agora ele sorri e chama irmãos ou companheiros para aqueles que olham para ele, como se estivessem diante da própria representação da revolução.

Mas os dias passam e as verdades chegam. A imprensa solidária deixa espaço para o jornalismo mais sério e responsável, e a primeira e profunda rachadura aparece no discurso / narrativa de Morales.

O ex-presidente não pôde convencer a jornalista Carmen Aristegui quando se tratou de explicar o que o levou a concorrer pela quarta vez consecutiva e ele não teve escolha a não ser admitir que usa o México como uma espécie de barricada da qual continua incitando o violência na Bolívia.

Com Aristegui e mais tarde com um jornalista mundial da BBC, a quem chamou de “mentiroso” e acusado de receber as perguntas via whatsapp, o mundo começou a ver o verdadeiro Evo Morales, o personagem ambicioso que estava prestes a levar os bolivianos para um confronto civil apenas para permanecer no poder, para o mitômano que inventa declarações que nunca fez, para o refugiado que continua tocando bateria da guerra enquanto os bolivianos começam a construir, com dificuldade, um futuro de paz.

Não apenas na Bolívia, mas também no mundo, o feitiço de Evo Morales começou a perder efeito e também difundiu o exemplo de um povo que sabia, em paz e coragem, se livrar de um governante autoritário.

Hernán Terrazas é jornalista.

Fonte: Brujuladigital.net

 

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: COM O TEMPO A VERDADE SOBRE EVO MORALES APARECE CADA VEZ MAIS

GEOPOLÍTICA: EVA MORALES, FILHA DE EVO MORALES MANTÉM CONTA MILIONÁRIA NA FLÓRIDA

Na coluna GEOPOLÍTICA desta segunda-feira trago mais notícias vindas da Bolívia que revelam conta milionária em nome de Eva Morales, filha do ex-presidente boliviano Evo Morales, nos Estados Unidos. Leia a reportagem completa a seguir, inclusive a tradução logo abaixo, aprecie o extrato bancário fornecido por funcionário do banco emissor com o aval do Procurador Geral da Florida e tire suas conclusões!

Revelan cuenta millonaria de hija de Evo Morales en Estados Unidos

Asociación boliviana de inmigrantes Bolivianos en Estados Unidos consiguió estado de cuenta bancaria de quien sería la hija de Evo Morales. La principal activista de la asociación, E.R.B.H., indicó que fueron repetidas las veces que se vio a Eva Morales transitando las avenidas principales en ciudades de los Estados Unidos.

“Andaba siempre con bolsas de compra y sin descaro gastando el dinero de los Bolivianos”, indicó E.R.B.H., quien por seguridad prefiere no exponer su nombre.

La mencionada activista tiene contacto con empleado del banco emisor, quien es de nacionalidad Puerto Riqueña, persona que facilitó el documento, junto a otros más, previa aprobación del fiscal general del estado de la Florida WIFREDO A. FERRER. Dicho informe forma parte de un acumulado de documentos que serán enviados al ministerio de la Presidencia en Bolivia.

En exclusiva y gracias al apoyo de los Bolivianos en EEUU conseguimos una copia que demuestra la suma millonaria de Eva Morales en un banco “imperialista”. Las fuentes que nos proveyeron el documento también indican que existen centenas de cuentas de funcionarios afines al ex-presidente Morales, siendo la gran mayoría inscritas a nombre de terceras personas para evitar rastros e investigaciones.

A continuación, documento donde se revela la suma de más de 17 millones de dólares a nombre de Eva Morales, hija del ex-presidente Evo Morales:

“Tiene una cuenta millonaria a su propio nombre, imagínese cuánto dinero tendrá en otros bancos, a nombre de otras personas. Es dinero de tí y de mi, de todos, de todos los Bolivianos”, indicó E.R.B.H.

Caso similar sucedió con otros funcionarios del ex-gobierno Boliviano, donde se demostraron cuentas millonarias en el Vaticano, lugar considerado como paraíso fiscal off-shore.

Fiscal del estado de la Florida, WIFREDO A. FERRER, indica que es práctica común por parte de gobernantes corruptos y dictadores depositar fondos millonarios en cuentas en países extranjeros, así evaden y obstaculizan procedimientos legales.

“Roban en sus países. Extraen dinero que debiera ser destinado a la inversión pública, beneficiando a la totalidad de la población, sin embargo, despilfarran y hurtan fondos que no les pertenece. Acuden a paraísos fiscales para proteger sus fortunas”, indicó el fiscal en conferencia de prensa.

TRADUÇÃO PARA O PORTUGUÊS

A Associação Boliviana de Imigrantes Bolivianos nos Estados Unidos recebeu um extrato bancário de quem seria a filha de Evo Morales. A principal ativista da associação, E.R.B.H., disse que foram repetidas as vezes em que Eva Morales foi vista percorrendo as principais avenidas das cidades dos Estados Unidos. “Ele sempre andava com sacolas de compras e sem gastar descaradamente o dinheiro dos bolivianos”, disse E.R.B.H., que por segurança prefere não expor seu nome. O ativista acima mencionado tem contato com o funcionário do banco emissor, que é de nacionalidade Porto Riquenha, que forneceu o documento, juntamente com outros, com a aprovação do procurador-geral da Flórida, WIFREDO A. FERRER. Este relatório faz parte de um documento acumulado que será enviado ao Ministério da Presidência na Bolívia. Com exclusividade e graças ao apoio dos bolivianos nos EUA, obtivemos uma cópia que demonstra a quantia milionária de Eva Morales em um banco “imperialista”. As fontes que forneceram o documento também indicam que existem centenas de contas de funcionários relacionados ao ex-presidente Morales, sendo a grande maioria registrada em nome de terceiros para evitar vestígios e investigações.
Em seguida, um documento que revela a soma de mais de 17 milhões de dólares em nome de Eva Morales, filha do ex-presidente Evo Morales:


“Ele tem uma conta milionária em seu próprio nome, imagine quanto dinheiro ele terá em outros bancos, em nome de outras pessoas. É dinheiro de você e eu, de todos, de todos os bolivianos”, disse E.R.B.H. Um caso semelhante aconteceu com outras autoridades do antigo governo boliviano, onde foram demonstradas contas milionárias no Vaticano, um local considerado um paraíso fiscal offshore. O procurador do estado da Flórida, WIFREDO A. FERRER, indica que é prática comum que governantes e ditadores corruptos depositem fundos milionários em contas em países estrangeiros, evitando e impedindo procedimentos legais. “Eles roubam em seus países. Eles extraem dinheiro que deve ser alocado para investimento público, beneficiando toda a população; no entanto, desperdiçam e roubam fundos que não lhes pertencem. Eles vão a paraísos fiscais para proteger suas fortunas”, disse o promotor. em conferência de imprensa.

Fonte: Pique Notícias

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: EVA MORALES, FILHA DE EVO MORALES MANTÉM CONTA MILIONÁRIA NA FLÓRIDA

GEOPOLÍTICA: A VERDADEIRA RAZÃO DO CALDEIRÃO POLÍTICO-IDEOLÓGICO NA AMERICA LATINA

Neste sábado de feriadão temos um texto na nossa coluna GEOPOLÍTICA, vindo diretamente da Bolívia, enviado por uma brasileira que mora lá, de idoneidade e ilibada reputação, mas que não quis se identificar. Este texto, de autoria de Taiguara Fernandes de Sousa, expõe a verdadeira face da esquerda e sua maléfica influência nas crises políticas da Bolívia, Venezuela, Honduras, Equador, Chile, Colômbia, Peru e  a provável Argentina. Temos de entender o que está acontecendo realmente na América Latina. Leia o esclarecedor artigo a seguir e tire suas conclusões!

Resultado de imagem para crise política na américa latina

TEXTO ORIGINAL EM ESPANHOL

No le parece extraño que, en el último mes, todos los países latinoamericanos hayan comenzado a caer en el caos y sufrir desestabilización? Y que, de repente, en Brasil, ex aliados se están posicionando contra el presidente Jair Bolsonaro.

Hay una explicación para esto. Todo comenzó el 23 de septiembre de este año, cuando la Organización de los Estados Americanos (OEA), a través de una iniciativa de Brasil y Estados Unidos, asestó un duro golpe al Foro de São Paulo: invocaron el Tratado Interamericano de Asistencia Recíproca (TIAR) para investigar la relación entre Venezuela y el narcotráfico.
La resolución fue aprobada y reconoce la “amenaza que representa el régimen ilegítimo de Nicolás Maduro para la seguridad y la estabilidad del Hemisferio”.
La TIAR requiere que todas las agencias de los países miembros (FBI, CIA, Policías Federales, etcétera) participen en la investigación. Aquellos que no colaboren pueden ser investigados por prevaricación. Esta amplia investigación puede revelar los lazos de la izquierda latinoamericana con el narcotráfico.
Al día siguiente, 24 de septiembre, ¿adonde viaja el dictador Nicolás Maduro? A Rusia. Y su brazo derecho, Diosdado Cabello, va a Corea del Norte (¿se encontró con los chinos?). Fueron a buscar apoyo contra la nueva ofensiva.
Ahora, inicia el proceso. Vea usted:
Perú, 30 de septiembre. La crisis política interna hace que el presidente Martín Vizcarra cierre el Congreso y prohíba los nombramientos a la Corte Suprema. Se establece el caos.
Ecuador, 8 de octubre. Una serie de protestas violentas (similares a las que los black blocs  radicalizaron en 2013 en Brasil), presuntamente desencadenadas por el aumento de los precios del combustible, llevaron al presidente Lenin Moreno a declarar estado de sitio y reubicar la sede del gobierno ecuatoriano de Quito a Guayaquil.
Honduras, 10 de octubre. La oposición de la izquierda, partidaria del amigo del brasileño Luis Inácio ‘Lula’ da Silva, Manuel Zelaya, sale a la calle, en violentas protestas, exigiendo la caída del presidente Juan Orlando Hernández, poco después de anunciar un acuerdo de cooperación de seguridad con el presidente de Estados Unidos Donald Trump.
Chile, 18 de octubre. Inician una serie de protestas violentas en el interior del país (repitiendo nuevamente los métodos de los black blocs  brasileños de 2013), supuestamente “provocadas” por el alza de tarifas, lo que provocó caos, vandalismo, muertes y decreto del estado de emergencia por parte del presidente Sebastián. Piñera.
México, 18 de octubre. Una guerra entre el narcotráfico y las Fuerzas Armadas tras el arresto del hijo de “El Chapo” Guzmán provoca muertes, caos interno y es ganada por el tráfico. El presidente izquierdista Manuel Andrés López Obrador se rinde.
Venezuela, 19 de octubre. Diosdado Cabello declara públicamente: “Lo que está sucediendo en Perú, Chile, Ecuador, Argentina, Honduras es una brisita, vendrá un huracán bolivariano”.
No olviden a Argentina, donde Cristina Kirchner regresa al poder, a través de la candidatura de Alberto Fernández, y ayudado por la incompetencia de Mauricio Macri, que no tiene una base ideológica seria (una advertencia a los liberales que están persiguiendo al núcleo ideológico del gobierno de Bolsonaro).
Brasil, desde el 26 de septiembre hasta hoy. Misteriosas manchas de petróleo crudo comienzan a contaminar toda la costa noreste. Curiosamente, el número aumentó precisamente en el curso de los eventos descritos aquí. ¿Accidente o ataque? ¿El petróleo recuerda a qué país latinoamericano?
Además, el presidente Jair Bolsonaro enfrenta traición por todos lados, especialmente dentro de su base política. El establishment burocrático actúa para criminalizar a sus partidarios más leales, castigar al movimiento conservador y forjar un crimen para derrocar al presidente.
En palabras de Cabello, citadas aquí, el brazo derecho de Maduro confirma que todo está programado.
En julio pasado, los líderes socialistas latinoamericanos fundaron – con vestidos nuevos – el Foro de São Paulo en Puebla, México (cuyo presidente, Manuel Andrés López Obrador, es del Foro): el Movimiento Progresivo, que apoya todas las protestas violentas aquí citadas. Lula y Dilma también se unieron al Grupo Puebla, nueva cara del Foro de São Paulo.
Este es un proceso desencadenado por la victoria de Jair Bolsonaro en Brasil, que derrocó la hegemonia globalista en el segundo país más grande después de Estados Unidos y el líder natural de nuestra región. Este proceso se aceleró después de proponer el TIAR, que puede llevar a muchos socialistas a la cárcel.
No olvidemos a Paraguay, con el intento de derrocar al presidente Mario Abdo, y a Colombia, con la reanudación de la acción armada de las FARC. Todo está orquestado. El Foro de São Paulo se está reconstruyendo. El ataque a Brasil será el último y más fuerte.
Añadiendo dos notas de fuera de América Latina, el 24 de septiembre la Corte Suprema del Reino Unido golpea al Brexit y Boris Johnson. Al día siguiente, 25 de septiembre, abren proceso de impeachment contra Donald Trump.
La intención es aturdir a las fuerzas antiglobalistas con tantos problemas internos que simplemente se ocupan de ello y no se apoyan mutuamente en la lucha más amplia contra el esquema globalista. Esta es una nueva guerra mundial.
______

Por favor, diseminen sí aman su libertad, su familia, su libertad de credo, el derecho a la vida, a la propiedad privada, a ser el dueño de su propio destino.

Taiguara Fernandes de Sousa es una abogado y periodista brasileño.

Fonte:D VOX

TRADUÇÃO PARA O PORTUGUÊS

Não parece estranho que, no último mês, todos os países latino-americanos tenham começado a cair no caos e sofrer desestabilização? E que, de repente, no Brasil, ex-aliados estão se posicionando contra o presidente Jair Bolsonaro.

Há uma explicação para isso. Tudo começou em 23 de setembro deste ano, quando a Organização dos Estados Americanos (OEA), por iniciativa do Brasil e dos Estados Unidos, golpeou o Fórum de São Paulo: invocaram o Tratado Interamericano de Assistência Recíproca ( TIAR) para investigar a relação entre a Venezuela e o tráfico de drogas.

A resolução foi aprovada e reconhece a “ameaça representada pelo regime ilegítimo de Nicolás Maduro pela segurança e estabilidade do Hemisfério”.

O TIAR exige que todas as agências dos países membros (FBI, CIA, Polícia Federal, etc.) participem da investigação. Aqueles que não colaborarem podem ser investigados por prevaricação. Essa extensa investigação pode revelar os laços da esquerda latino-americana com o narcotráfico.

No dia seguinte, 24 de setembro, para onde viaja o ditador Nicolás Maduro? Para a Rússia. E seu braço direito, Diosdado Cabello, vai para a Coréia do Norte (ele conheceu os chineses?). Eles foram buscar apoio contra a nova ofensiva.

Agora, inicie o processo. Veja você:

Peru, 30 de setembro. A crise política interna faz com que o presidente Martín Vizcarra feche o Congresso e proíba nomeações para a Suprema Corte. O caos é estabelecido.

Equador, 8 de outubro. Uma série de protestos violentos (semelhantes aos que os Black Blocks se radicalizaram em 2013 no Brasil), supostamente desencadeados pelo aumento dos preços dos combustíveis, levou o presidente Lenin Moreno a declarar estado de sítio e a mudar a sede do governo equatoriano de Quito para Guayaquil.

Honduras, 10 de outubro. A oposição de esquerda, um apoiador do amigo brasileiro Luis Inácio ‘Lula’ da Silva, Manuel Zelaya, sai às ruas, em violentos protestos, exigindo a queda do presidente Juan Orlando Hernández, pouco depois de anunciar um acordo de cooperação de segurança com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Chile, 18 de outubro. Eles iniciam uma série de protestos violentos no interior do país (repetindo novamente os métodos dos black blocks brasileiros de 2013), supostamente “causados” pelo aumento das taxas, o que causou caos, vandalismo, mortes e decreto do estado de emergência da parte do presidente Sebastian Pinera.

México, 18 de outubro. Uma guerra entre o narcotráfico e as Forças Armadas após a prisão do filho de “El Chapo” Guzmán causa mortes, caos interno e é vencida pelo trânsito. O presidente esquerdista Manuel Andrés López Obrador se rende.

Venezuela, 19 de outubro. Diosdado Cabello declara publicamente: “O que está acontecendo no Peru, Chile, Equador, Argentina, Honduras é uma brisita, um furacão bolivariano virá”.

Não se esqueça da Argentina, onde Cristina Kirchner retorna ao poder, através da candidatura de Alberto Fernández, e ajudada pela incompetência de Mauricio Macri, que não tem uma base ideológica séria (um aviso aos liberais que estão perseguindo o núcleo ideológico de Governo Bolsonaro).

Brasil, de 26 de setembro a hoje. Manchas misteriosas de petróleo bruto começam a contaminar toda a costa do nordeste. Curiosamente, o número aumentou precisamente no decorrer dos eventos descritos aqui. Acidente ou ataque? O petróleo, se lembra de qual país da América Latina?

Além disso, o presidente Jair Bolsonaro enfrenta traição em todos os lugares, especialmente dentro de sua base política. O establishment burocrático age para criminalizar seus partidários mais leais, punir o movimento conservador e forjar um crime para derrubar o presidente.

Nas palavras de Cabello, citadas aqui, o braço direito de Maduro confirma que tudo está programado.

Em julho passado, líderes socialistas latino-americanos fundaram – com novos vestidos – o Fórum de São Paulo em Puebla, México (cujo presidente, Manuel Andrés López Obrador, é do Fórum): o Movimento Progressista, que apóia todos os protestos violentos citados aqui. Lula e Dilma também se juntaram ao Grupo Puebla, uma nova face do Fórum de São Paulo.

Este é um processo desencadeado pela vitória de Jair Bolsonaro no Brasil, que derrubou a hegemonia globalista no segundo maior país depois dos Estados Unidos e o líder natural de nossa região. Esse processo acelerou após a proposta do TIAR, que pode levar muitos socialistas para a cadeia.

Não devemos esquecer o Paraguai, com a tentativa de derrubar o presidente Mario Abdo e a Colômbia, com a retomada da ação armada das FARC. Tudo é orquestrado. O Fórum de São Paulo está sendo reconstruído. O ataque ao Brasil será o último e mais forte.

Adicionando duas notas de fora da América Latina, em 24 de setembro, a Suprema Corte do Reino Unido atinge Brexit e Boris Johnson. No dia seguinte, 25 de setembro, eles abrem um processo de impeachment contra Donald Trump.

A intenção é atordoar as forças anti-globalistas com tantos problemas internos que elas simplesmente lidam com isso e não se apoiam na luta mais ampla contra o esquema globalista. Esta é uma nova guerra mundial. ______

Por favor, divulgue se você ama sua liberdade, sua família, sua liberdade de credo, o direito à vida, à propriedade privada, a ser o dono do seu próprio destino.

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: A VERDADEIRA RAZÃO DO CALDEIRÃO POLÍTICO-IDEOLÓGICO NA AMERICA LATINA

GEOPOLÍTICA: DO EXÍLIO EVO MORALES CONVOCA A VIOLÊNCIA NA BOLÍVIA

Na nossa coluna GEOPOLÍTICA desta sexta-feira trago notícias da Bolívia publicadas no ABC Internacional que mostra a verdade sobre as intenções de Evo Morales, que desde sua saída da Bolívia está comandando à distância o cenário de violência que se estende pelo país. Leia o artigo completo a seguir e tire suas conclusões!

Desde el exilio, Morales convoca la violencia en Bolivia

El expresidente se presentó ilegalmente como candidato a las elecciones generales e instruyó el fraude lo que impidió que el segundo ganador Carlos Mesa de Comunidad Ciudadana vaya al balotaje

Actualizado:19/11/2019 17:10h Guardar

Por primera vez en la historia moderna de Bolivia, la sociedad civil salió a las calles a defender el voto de forma pacífica y a denunciar fraude electoral. Este fue confirmado por el Secretario General de la OEA tras una auditoria.

Fue una suerte de Revolución Boliviana de Terciopelo, algo parecido a lo que ocurrió en Praga en 1989.

Evo Morales se presentó ilegalmente como candidato a las elecciones generales e instruyó el fraude lo que impidió que el segundo ganador Carlos Mesa de Comunidad Ciudadana vaya al balotaje.

Luego Morales instó a sus seguidores a cometer actos de violencia que rebasaron a la policía. Estas solicitaron apoyo a las FFAA y ambas instituciones declararon su apoyo a la sociedad civil.

Morales salió de La Paz con la cola entre las piernas. Se refugió en la sede de la Federación de Cocaleros Cochabamba, que ha presidido incluso siendo siendo Presidente de Bolivia.

Desde allí anunció su renuncia argumentando que su vida y la de sus partidarios del MAS corría peligro y que se le había hecho un golpe de Estado. Una falacia ya que los golpes de Estado tienen otras características y nadie había asumido el poder. Eran «aletazos de ahogado».

La gente festejó su salida. Horas después el resentido exmandatario ordenó a sus huestes atacar a sus opositores a los que incendiaron sus casas, quemaron 65 autobuses y destruyeron lo que pudieron. Se llamó «la noche del terror».

Los bolivianos, rodeados de explosiones de dinamita, se encerraron en su casas, apagaron las luces y colocaron colchones en las ventanas.

Jeanine Áñez, se autoproclamó Presidenta Constitucional de Bolivia de forma transitoria en legítima sucesión constitucional avalada por el Tribunal Constitucional.

Morales desde el exilio violó su condición de asilado político. Afirmó que se instaló una «dictadura» y sigue instruyendo a sus huestes atacar lo que ha causado muertos y heridos.

Lo peligroso es que los seguidores de Morales, estarían armados principalmente en la zona del Chapare lugar donde se produce la mayor cantidad de cocaína en Bolivia.

Los agresores desconocen la legitimidad de Áñez y tienen a la ciudad de La Paz desabastecida de alimentos, gasolina y gas -no porque no los hayan- sino porque los masistas tienen bloqueados los caminos.

Añez ha nombrado a su gabinete ministerial y a otras autoridades. También se ha apresado a los miembros de las cortes electorales; expulsado a 725 ciudadanos cubanos; roto relaciones con Venezuela; y detenido a 8 sujetos venezolanos por sedición ya que fueron encontrados con armas de fuego. Le queda todavía tareas urgentes.

Primero, debe pacificar el país, lo cual es difícil a causa de Morales. Segundo, debe conformar un nuevo Tribunal Supremo Electoral y cortes electorales departamentales con ciudadanos notables que garanticen elecciones limpias y transparentes.

Tercero, debe llamar a elecciones generales que para aquello asumió el poder. Esto legitimará su gobierno.

Cuarto, debe hacer una ofensiva diplomática que aclare que en Bolivia no hubo un golpe de Estado, como declara Morales y se victimiza, sino que un levantamiento popular de los civiles en defensa del voto y de la democracia.

Verónica Ormachea es escritora, periodista

y Académica de la Lengua.

Fonte: ABC Internacional

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: DO EXÍLIO EVO MORALES CONVOCA A VIOLÊNCIA NA BOLÍVIA

GEOPOLÍTICA: EXÉRCITO BOLIVIANO E POVO MEXICANO MANDAM RECADO PARA A ESQUERDA E O FORUM DE SÃO PAULO

Na coluna GEOPOLÍTICA desta sexta-feira feriado da proclamação da República temos a verdade  sobre os acontecimentos na Bolívia após a renúncia de Evo Morales com notícias fidedignas vindas diretamente de La Paz, enviadas por brasileiros que moram lá. Temos dois vídeos: um do comando do exército boliviano enviando recado para Evo Morales e sua turba, informando que o exército está com a democracia na Bolívia, o autoproclamado Juan Guaidó na Venezuela e defendendo os interesses do povo boliviano. No outro vídeo representantes do povo no México também manda recado para o Andrés Manoel López Lobrador, presidente do México. Em seguida cartas do Dr. José Rivera, ex-magistrado do Tribunal Constitucional da Bolívia e de Stephanie Morón do México. Veja tudo e fique por dentro da verdade nos dois países!

Extraído de la cuenta de Facebook del Dr. JOSÉ RIVERA ex Magistrado del Tribunal Constitucional de Bolivia.

Atendiendo el pedido de amigas y amigos de la red, hago conocer mi opinión jurídica sobre lo acontecido con el reemplazo del Presidente; y lo hago desde una perspectiva estrictamente jurídica, sobre la base de la interpretación de la Constitución y el Reglamento General de la Cámara de Senadores, respectando otros valiosos criterios y opiniones, porque precisamente lo mejor de la democracia y el estado de Derecho es que, ejerciendo nuestra libertad de expresión podemos pensar diferente y no estamos obligados a pensar igual que el otro.
1º Desde el momento en que el Presidente Evo Morales y el Vicepresidente Álvaro García Linera comunicaron su decisión de renunciar al cargo y oficializaron la renuncia por escrito ante la Asamblea Legislativa Plurinacional, la aplicación de la sucesión presidencial prevista por el art. 169.I de la Constitución dependía de la decisión de la Asamblea Legislativa; ya que por previsión del art. 161.3 de la Constitución es atribución de la sesión conjunta de senadores y diputados admitir o negar la renuncia del Presidente y del Vicepresidente del Estado; por lo que hasta que dicha Asamblea no se pronuncie no se podía aplicar la sucesión presidencial y los renunciantes debían permanecer en el cargo, no podían abandonar hasta que se opere la sucesión presidencial porque no podían dejar sin conducción al Estado.
2º Ayer martes 12 de noviembre la situación tuvo un giro brusco, debido a que Evo Morales y Álvaro García Linera, sin esperar que la Asamblea Legislativa Plurinacional se pronuncie sobre su renuncia, abandonaron el territorio nacional en un avión de la Fuerza Aérea de la República Federal de México acogiéndose al asilo concedido por el gobierno de ese Estado. Con esa acción han incurrido en la cesación del cargo prevista por el art. 170 de la Constitución, por cuyo mandato el Presidente cesará en su mandato, entre otras razones, por ausencia o impedimento definitivo, ya que su ausencia del territorio nacional no fue por cumplimiento de funciones, sino acogiéndose a un asilo político, dando por hecho, de su parte, la aceptación de su renuncia.
3º Frente a la cesación del cargo por ausencia e impedimento material definitivo se activó la sucesión presidencial prevista por el art. 169.I de la Constitución, por cuyo mandato “En caso de impedimento o ausencia definitiva de la Presidenta o del Presidente del Estado, será reemplazada o reemplazado en el cargo por la Vicepresidenta o el Vicepresidente y, a falta de ésta o éste, por la Presidenta o el Presidente del Senado, y a falta de ésta o éste por la Presidente o el Presidente de la Cámara de Diputados”; caso en el que ya no era necesario que la Asamblea Legislativa Plurinacional considerara la renuncia para aceptarla o negarla; asimismo no se requiere de una Ley de Proclamación; así lo ha aclarado el Tribunal Constitucional Plurinacional en Comunicado Público colocado en su página web.

4º Por previsión del art. 30.I del Reglamento General de la Cámara de Senadores, la directiva de esa Cámara está conformada por un Presidente, dos Vicepresidentes y tres Secretarios; y por previsión del art. 36.a) del referido Reglamento Son atribuciones del Segundo Vicepresidente: reemplazar al Presidente y al Primer Vicepresidente, cuando ambos se hallen ausentes por cualquier impedimento. Conforme a esas normas, ante la renuncia hecha pública por la Presidente y el primer Vicepresidente de la Cámara de Senadores, se encontraba en ejercicio de la Presidencia la segunda Vicepresidente, en quien recayó la sucesión presidencial. Cabe advertir que en el Reglamento General de la Cámara de Senadores no existe ninguna norma que disponga que la renuncia al cargo de Presidente, Vicepresidente o Secretarios de la Directiva de dicha Cámara está sujeta a la aceptación por la Cámara, lo que significa que la dejación del cargo se opera con la sola renuncia. Finalmente aclarar que, si se recompone la Directiva de la Cámara de Senadores, ello ya no afecta a la sucesión que se produjo; ya que, según refleja la prensa, en el momento en que se produjo la ausencia e impedimento se encontraba en ejercicio de la presidencia del Senado la senadora Yanine Añez.

 

Carta de una Boliviana a los MILITANTES ZURDOS CON MICRÓFONO de Telefuturo.

– Muñequita Bareiro
– Menchi
– Rocio Pereira
– Estelita Ruiz
– Paty Vargas
– Chantula & Cia
…………………………………….
Por Stephanie Morón
Aquí en México, nadie, absolutamente NADIE habló de lo que pasaba en Bolivia. Todo el debate giraba en torno a lo qué pasaba en Chile. Ahora mágicamente mis profesores de la maestría y del doctorado, y compañeros mexicanos y extranjeros dicen que lo qué pasó en Bolivia fue UN GOLPE DE ESTADO?
Déjenme decirles lo siguiente y con todo respeto: El tema que se debe debatir ES EL FRAUDE GIGANTESCO QUE HIZO EVO MORALES CON AYUDA DEL TRIBUNAL SUPREMO ELECTORAL EL CUAL LLEVÓ A MÁS DE 20 DÍAS DE MOVILIZACIONES CIUDADANAS EN TODO BOLIVIA, PAROS EN CADA ESQUINA Y UNA LUCHA INCANSABLE EN LA QUE TODOS LOS BOLIVIANOS, DE LOS 9 DEPARTAMENTOS NOS UNIMOS COMO NUNCA ANTES EN LA HISTORIA.
Empezamos esta lucha porque Evo Morales quería quedarse en el poder por CUARTA VEZ CONSECUTIVA, después de haberse postulado como candidato de manera ILEGAL porque en el referéndum de 2016 LE DIJIMOS QUE NO queríamos que cambiara la CPE (Constitución Política del Estado), para su beneficio. O sea para autoproclamarse nuevamente presidente.
El día 20 de octubre de este año, Evo Morales cometió nuevamente EL DELITO DE FRAUDE Electoral, pero esta vez el pueblo acompaño de cerca el proceso y presentó PRUEBAS Reales que colocaron en evidencia la corrupción que hace mucho la gente ya sabía, lo que ocasionó que nuestro país convulsionara. Todos los bolivianos nos unimos con una sola consigna: LA RENUNCIA DE EVO MORALES COMO FORMA DE RESGUARDAR Y RECUPERAR NUESTRA DEMOCRACIA. Los que generaron la violencia fue el MISMO EVO MORALES y su gente!
Por si no lo sabían, fue EVO QUIEN AMENAZÓ EN CERCAR LAS CIUDADES SI NO ACEPTÁBAMOS QUE EL ERA EL GANADOR CUANDO EL FRAUDE YA ESTABA DEMOSTRADO, no por la OEA (Organización de Estados Americanos), sino por un grupo de ingenieros informáticos, el colegio de informáticos de Bolivia, que presentaron las pruebas aún cuando sus vidas corrían riesgo.
Desde los medios de comunicación, todos los canales estaban alineados a lo que el gobierno quería mostrar, excepto el canal universitario TVU dependiente de la universidad estatal de La Paz Universidad Mayor de San Andrés. Durante estos días, este medio recibió múltiples amenazas y hoy tuvo que cerrar su emisión.
Lo qué pasó hoy fue el resultado de una MOVILIZACIÓN CIUDADANA 100% que no se rindió ni se cansó durante más de 20 días. Y los bolivianos que residimos en el exterior también nos manifestamos en nuestras embajadas. Aquí específicamente en la Embajada de Bolivia en México ubicada en la colonia Anzures y en el Ángel de la Independencia.
El día viernes la Policía Boliviana se amotinó y lo que se esperaba era que las Fuerzas Armadas salieran a reprimirlos, tanto a la policía como a la ciudadanía. Al final no lo hicieron, y se declararon del lado de la ciudadanía.
ESTA ES LA PARTE MÁS IMPORTANTE: SI TU COMO EXTRANJERO PIENSAS QUE EN BOLIVIA HUBO UN GOLPE DE ESTADO PORQUE EL COMANDANTE DE LA FFAA LE PIDIÓ LA RENUNCIA A EVO, ESTÁS DESINFORMADO Y RESPONDES A UNA FORMA DE MANIPULACIÓN INFORMATIVA TREMENDA.
LAS FFAA TUVIERON ESA POSICIÓN COMO UNA FORMA DE AYUDA HACIA LA CIUDADANÍA BOLIVIANA QUE ACLAMABA LA RENUNCIA DE MORALES. Y A PESAR DE QUE LA OEA RATIFICÓ EL FRAUDE Y DIJO QUE SE LLAMARA A NUEVAS ELECCIONES, LO QUE TENEMOS QUE PENSAR ES QUE SI EVO HIZO FRAUDE CONFABULADO CON EL TSE, OBVIAMENTE NO ÍBAMOS A ACEPTAR UNA NUEVA ELECCIÓN ORGANIZADA POR EL MISMO.
Debido a esto fue que las FFAA se pronunciaron, y como Evo ya estaba acorralado y sin apoyo, ni de la policía, ni de los militares, ni de su misma gente, no le quedó más que renunciar.
Así fue como ocurrieron las cosas. NO FUE UN GOLPE DE ESTADO, FUE UNA LUCHA CIUDADANA EN LA QUE LA POLICÍA Y LAS FUERZAS ARMADAS ESTUVIERON DE NUESTRO LADO.
PARA MUCHOS DEFENSORES DE LA IZQUIERDA LATINOAMERICANA EVO “SERÁ UN MÁRTIR” PORQUE LO QUE REALMENTE PASÓ REPRESENTA UN GOLPE MUY FUERTE PARA ESTA IDEOLOGÍA, Y ESO LES DUELE Y LES MOLESTA.
EN CAMBIO PARA LOS BOLIVIANOS REPRESENTA LA RECUPERACIÓN DE NUESTRA DEMOCRACIA, El RESPETO POR NUESTRA ALTERNANCIA POLÍTICA COMO GARANTÍA DE UNA DEMOCRACIA REAL Y EL REFLEJO DE QUE POR MÁS DE QUE UN GOBIERNO QUE SEA DE IZQUIERDA O DE DERECHA, NO PUEDE ETERNIZARSE EN EL PODER.
Para que lo sepan amigos extranjeros, hoy la gente en Bolivia sigue sufriendo, amenazados con ataques salvajes de gente que no aceptan esta renuncia. Y nosotros los que migramos a otros países para buscar mejores oportunidades que no la encontramos en Bolivia, gracias a las puertas que nos cerró el mismo Evo, vivimos sumamente angustiados por la seguridad de nuestra familia y amigos que dejamos en nuestra tierra.
Así que si después de 20 días quieres subirte al “tren del mame” y hablar sin saber y decir que en Bolivia ocurrió un golpe de estado, puedes hacerlo y revictimizar a Evo Morales como el mártir de la izquierda o ver la realidad de las cosas desde la visión de los mismos bolivianos.
Aunque la teoría diga que las izquierdas son lo mejor que puede pasarle a America Latina esto no es así, y estoy segura que Bolivia se convertirá en el ejemplo más grande para el resto del continente. Un ejemplo de que la ciudadanía, de que el pueblo es quien gobierna y quien decide realmente quien está o no en el poder.
Ojalá nuestros amigos de Venezuela y Nicaragua puedan lograr lo que logramos nosotros, y a ustedes amigos mexicanos no les pese haber votado por AMLO de aquí a algunos años.
Como estudiante boliviana en México, no permitiré que se difame la lucha que hicieron mis compatriotas, y buscaré formas de que esto se socialice para mostrar la verdad. NUESTRA VERDAD.
La lucha aún no acaba, pero estamos cada día más cerca de la libertad y de que POR FIN SE HABLE Y SE SEPA DE BOLIVIA AL REDEDOR DEL MUNDO.
– Sthepanhie Morón
#VIVABOLIVIALIBRE
#NOFUEGOLPEDEESTADO

#FUEELCLAMORPOPULAR

A SEGUIR OS GUERRILHEIROS PRESOS, VINDOS DE CUBA, PAGOS POR EVO MORALES PARA ATERRORIZAR A POPULAÇÃO BOLIVIANA.

 

Guerrilheiro Cubano a serviço de Evo Morales.11

Fonte: Salete Queiroz, Bolívia

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: EXÉRCITO BOLIVIANO E POVO MEXICANO MANDAM RECADO PARA A ESQUERDA E O FORUM DE SÃO PAULO

GEOPOLÍTICA: A CONFIRMAÇÃO DA OEA SOBRE A CRISE NA AMÉRICA DO SUL PÕE ABAIXO A TEORIA DA CONSPIRAÇÃO DOS PETISTAS

Tudo que está dito no artigo a seguir é fato e não narrativa e é diante dos fatos que se constrói a história dos países e da humanidade. Portanto é fato que a OEA se pronunciou na pessoa do seu Secretário-Geral, Luis Almagro, afirmando que crise na América do Sul é fomentada por ditadores do Foro de São Paulo e que está à disposição dos estados atingidos para “fazer frente aos fatores de desestabilização organizados pela ditadura venezuelana e cubana”. Isso põe abaixo a teoria da conspiração que tanto alardearam os esquerdistas de plantão!

OEA garante que crise na América do Sul é fomentada por ditadores do Foro de São Paulo

“As brisas do regime bolivariano, impulsionadas pelo ‘madurismo’ e pelo regime cubano, trazem violência, saques, destruição e um objetivo político de atacar diretamente o sistema democrático e forçar interrupções nos mandatos constitucionais”, afirmou Almagro

A organização condenou “firmemente a ameaça de exportar más práticas e desestabilização à Colômbia, realizada pela ditadura bolivariana” e informou que:

“As atuais correntes de desestabilização dos sistemas políticos do continente têm origem na estratégia das ditaduras bolivariana e cubana, que buscam novamente se reposicionar, não através de um processo de reinstitucionalização e redemocratização, e sim através da velha metodologia de exportar polarização e más práticas, mas essencialmente financiar, apoiar e promover o conflito político e social”

Por fim, a OEA se colocou à disposição dos estados atingidos para “fazer frente aos fatores de desestabilização organizados pela ditadura venezuelana e cubana”.

As declarações são mais um banho de água fria para os que enchiam a boca para alardear que o Foro de São Paulo não “passava de uma teoria da conspiração da extrema-direita”.

Houve até mesmo quem ironizasse a declaração do presidente Jair Bolsonaro de que o Foro de São Paulo está mais vivo do que nunca. Como fica a situação agora que organizações internacionais garantem que ditadores ligados ao grupelho é que estão por trás na anarquia por boa parte do continente?

da Redação

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: A CONFIRMAÇÃO DA OEA SOBRE A CRISE NA AMÉRICA DO SUL PÕE ABAIXO A TEORIA DA CONSPIRAÇÃO DOS PETISTAS

GEOPOLÍTICA: CONFLITO NA SÍRIA PODE TOMAR PROPORÇÕES CONTINENTAIS

GEOPOLÍTICA: CONFLITO NA SÍRIA PODE TOMAR PROPORÇÕES CONTINENTAIS
BRUSSELS, BELGIUM - JULY 11: Turkish President Recep Tayyip Erdogan (R) and U.S. President Donald Trump (L) speak to each other during the 2018 NATO Summit at NATO headquarters on July 11, 2018 in Brussels, Belgium. Kayhan Ozer / Anadolu Agency

Na coluna GEOPOLÍTICA desta quarta-feira o tema é o conflito gerado entre a Turquia e a Síria depois que Trump retirou as tropas americanas da região. Leia o artigo completo a seguir e entenda esse conflito!

Trump ataca Turquia com imposição de tarifas; e tropas sírias prometem libertar curdos da tirania de Erdogan

Thaís Garcia

Publicado em 

Trump ataca Turquia com imposição de tarifas; e tropas sírias prometem libertar curdos da tirania de Erdogan 21

Imagem: AFP

Na semana passada, Donald Trump pediu à Turquia para se conter e não permitir que a situação piorasse. E caso Erdogan não desse ouvidos às palavras de Trump, o presidente dos EUA ameaçou “aniquilar” a economia turca, se eles usassem a violência contra os curdos na Síria. E o ditador turco não deu ouvidos.

“Não importa o que os outros países digam, não vamos parar”, respondeu Erdogan às “ameaças” de Trump.

Conflito
A invasão turca aconteceu apenas uma semana depois que Trump anunciou a remoção das tropas americanas da área. O tirano Erdogan viu a saída das tropas como um “sinal verde” para o lançamento de uma ofensiva militar à Síria, destinada a destruir as milícias curdas que ele chama de “terroristas”.

Nesta segunda-feira (14), um comboio militar turco foi visto atravessando o nordeste da Síria, perto de Tal Abyiad. Ao mesmo tempo, tropas sírias avançaram em direção à cidade fronteiriça de Manbij, prontas para a batalha com a Turquia.

Em Manbij, soldados sírios prometeram libertar os curdos e outros residentes de ‘Erdogan, o tirano’. Dezenas de milhares de residentes no norte da Síria já foram deslocados, após a invasão da Turquia. O número de pessoas que fogem do norte e nordeste da Síria aumentou para 130 mil, segundo as Nações Unidas. É possível que outras 400 mil pessoas tenham que deixar suas casas em um futuro próximo.

Sanções
Nos EUA, ações duras foram tomadas contra a Turquia na esperança de evitar uma crise pior. O presidente Trump anunciou que, em breve, assinará uma ordem executiva impondo sanções econômicas, cancelando um acordo comercial de US $ 100 bilhões e aumentando as tarifas de importação do aço turco.

Nesta semana, o vice-presidente americano, Mike Pence, está sendo enviado para liderar uma delegação americana na Turquia.

“As sanções anunciadas hoje continuarão e piorarão, a menos que a Turquia considere um cessar-fogo imediato, interrompa a violência e aceite negociar um acordo de longo prazo”, insistiu Pence.

Tropas americanas
Um pequeno número de tropas americanas foi visto ainda no nordeste da Síria, ao longo da estrada de Kobani a Manbij. O presidente Trump disse que as tropas dos EUA que deixarem a Síria serão enviadas ao Iraque, se necessário, para combater o EI.

O presidente americano e os membros do Congresso pediram à Turquia que inicie um cessar-fogo imediato e mantenha conversações com membros das Forças Democráticas Sírias (SDF), dominadas pelos curdos.

Armas nucleares na Turquia
Enquanto isso, 50 armas nucleares táticas americanas ainda estão sendo armazenadas na Turquia, na Base da Força Aérea de Incirlik. Funcionários do Departamento de Estado e Energia dos EUA estão silenciosamente considerando planos de evacuá-los. No momento, essas armas nucleares estão como “reféns” do tirano Erdogan.

Em comunicado divulgado na terça-feira (15), o senador republicano James Lankford, membro do Subcomitê de Operações Estatais e Estrangeiras do Comitê de Apropriações do Senado e o Comitê de Segurança Interna e Assuntos Governamentais do Senado, disse que os líderes da Turquia são responsáveis pelos danos à sua economia.

“Por 2 anos, a Turquia manteve preso, injustamente, o pastor americano Andrew Brunson, e o governo Trump, a meu pedido, respondeu com sanções. Quando a Turquia tentou comprar equipamentos militares da Rússia e dos EUA, pressionamos para interromper a transferência da tecnologia F-35 dos EUA para a Turquia. Agora, enquanto a Turquia continua a dar as costas à região, é certo que os EUA respondam com as consequências apropriadas, quando aliados estrangeiros fizerem avanços militares mal aconselhados, em vez de promover a paz na região”, dizia o comunicado.

“A Turquia moveu-se agressivamente para a Síria, causando vítimas civis, refugiados adicionais e causou a libertação de vários prisioneiros do EI. O dano causado pelas sanções dos EUA na economia turca é claramente de responsabilidade da liderança turca, que atacou os curdos e piorou ainda mais a situação na Síria”, concluiu o comunicado.

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: CONFLITO NA SÍRIA PODE TOMAR PROPORÇÕES CONTINENTAIS

GEOPOLÍTICA: A SOBERBA DE DONALD TRUMP NÃO TEM PRECEDENTES NA HISTÓRIA

Caro(a) leitor(a),

É impressionante que em pleno século XXI ainda existam líderes mundiais com tanta soberba, ego inflado e prepotência. É o caso de Donald Trump que tem a audácia e a estupidez de mencionar uma frase como a que vem a seguir. “Minha sabedoria incomparável”! Quem ele pensa que é? Um deus grego? Quando um governante da envergadura dele fala algo assim é hora de acender a luz vermelha!

Trump: “Se a Turquia fizer algo que eu, com minha sabedoria incomparável, me pareça exagerado, destruirei totalmente sua economia”

O presidente dos EUA, Donald Trump, ameaçou nesta segunda-feira, “destruir totalmente” a economia da Turquia, se Ancara fizer algo que pareça “exagerado” na ofensiva militar que planeja lançar em territórios no norte da Síria, onde estão localizados as forças curdas. Trump:

“Se a Turquia fizer algo que eu, com minha sabedoria incomparável, me pareça exagerado, destruirei totalmente […] sua economia”.

Nesse contexto, o inquilino da Casa Branca disse que, após a retirada das tropas americanas do território sírio, Ancara “com a Europa e outros” deve “monitorar os combatentes do Estado Islâmico capturados e suas famílias”. E agregou:

“Os EUA fizeram muito mais do que se poderia esperar, incluindo tomar 100% do ‘califado. Agora é a hora de outros [países] da região, alguns de grande riqueza, protegerem seu próprio território”.

Donald J. Trump

@realDonaldTrump

As I have stated strongly before, and just to reiterate, if Turkey does anything that I, in my great and unmatched wisdom, consider to be off limits, I will totally destroy and obliterate the Economy of Turkey (I’ve done before!). They must, with Europe and others, watch over…

Coordenação entre Ancara e Washington

Em 6 de outubro, a Casa Branca anunciou que a Turquia começará em breve uma operação militar no norte da Síria, mas os EUA “não apoiará nem participará”, uma vez que as tropas americanas não estarão lá.

De acordo com o documento, os EUA derrotou o ‘califado territorial do Estado Islâmico” e Ancara “agora será responsável” por todos os militantes dessa organização terrorista capturados naquela área nos últimos dois anos.

Por sua parte, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, em declarações a jornalistas em Ancara, confirmou em 7 de outubro que as tropas americanas começaram sua retirada de partes do nordeste da Síria, às vésperas da operação militar.

Além disso, o presidente turco alertou que sua operação no norte da Síria pode começar a qualquer momento. “É absolutamente impossível tolerarmos mais as ameaças desses grupos terroristas”, disse ele, referindo-se às forças curdas.

A Turquia está enviando forças adicionais na fronteira síria desde 5 de outubro (como visto aqui no GeoNotícias).

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: A SOBERBA DE DONALD TRUMP NÃO TEM PRECEDENTES NA HISTÓRIA

GEOPOLÍTICA: ASSISTA NA ÍNTEGRA O DISCURSO DO PRESIDENTE JAIR BOLSONARO NA ONU

Caro(a) leitor(a),

Se você não teve tempo de ver, assista agora na coluna GEOPOLÍTICA desta terça-feira, na íntegra, o discurso do presidente Jair Messias Bolsonaro na ONU. Um discurso que o mundo todo esperava com ansiedade e ele não decepcionou. Vale a pena conferir!

Fonte:

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: ASSISTA NA ÍNTEGRA O DISCURSO DO PRESIDENTE JAIR BOLSONARO NA ONU

GEOPOLÍTICA: WILLIAM WAACK COMENTA SOBRE AJUDA DO G7 À AMAZÔNIA E A IMAGEM DO BRASIL NO EXTERIOR

Na coluna GEOPOLÍTICA desta terça-feira o jornalista William Waack comenta que, o Brasil reconhece a gravidade do problema, o G7 promete ajudar respeitando a soberania de cada país afetado por queimadas. O calor do fogo da crise sobre o desmatamento diminuiu um pouco, mas o dano à imagem do Brasil no exterior é grave e permanece. Pressão interna e externa fizeram o governo brasileiro agir para diminuir a pressão externa. Assista ao vídeo e tire suas conclusões!

Fonte:

Publicado em 25 de ago de 2019

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: WILLIAM WAACK COMENTA SOBRE AJUDA DO G7 À AMAZÔNIA E A IMAGEM DO BRASIL NO EXTERIOR

GEOPOLÍTICA: WILLIAM WAACK EXPLICA O RECADO ARGENTINO PARA OS BRASILEIROS

Na coluna GEOPOLÍTICA desta quarta-feira William Waack mostra que a situação na Argentina oferece duas lições importantes para o público brasileiro. A primeira é o fato de que o mau desempenho da economia faz os eleitores se esquecerem rapidamente de quem foram os culpados pela situação, e abandonam o governo se a economia não melhora substancialmente. O segundo é o fato de que as relações internacionais são o campo da impessoalidade. Ele fala que países em interesses, não tem amigos. E que apostar na amizade com políticos na Argentina do mesmo espectro político, é o mesmo risco que o governo brasileiro corre quando aposta na amizade com Estados Unidos e Israel. O recado argentino é bem claro: estagnação econômica produz severos efeitos políticos colaterais que atingem em primeiro lugar o governo de plantão.

Fonte: 

Publicado em 12 de ago de 2019

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: WILLIAM WAACK EXPLICA O RECADO ARGENTINO PARA OS BRASILEIROS

ECONOMIA: A GRANDE AMEAÇA NÃO É A GUERRA COMERCIAL ENTRE EUA E CHINA, MAS O SISTEMA BANCÁRIO CHINÊS

Na coluna ECONOMIA deste sábado trago um artigo que é um grande alerta para a situação de insolvência do sistema bancário da China. Que a guerra comercial entre Estados Unidos e China não a grande encrenca no mercado bancário internacional e sim o sistema bancário chinês. Leia o artigo a seguir, de autoria de Tho Bishop e tire suas conclusões!

A guerra comercial é uma ameaça real, mas a verdadeira encrenca é o sistema bancário chinês

Bolhas e insolvências por todos os lados

 

Esta semana, o Banco Central da China anunciou uma desvalorização do yuan em relação ao dólar. A taxa de câmbio saltou de ¥6,85 por US$1 para ¥7,05 por US$1.

Embora possa parecer pouco, há um grande simbolismo nesta atitude: tal valor é o maior dos últimos 11 anos.

O governo americano retaliou acusando oficialmente a China de “manipuladora cambial“, uma medida que Washington sempre ameaçou fazer, mas que até então nunca havia realmente efetuado.

A ironia, no entanto, é que, ao contrário do sempre disseram a mídia e figuras do governo americano, a moeda chinesa não só não era artificialmente desvalorizada, como, ao contrário, sempre foi artificialmente valorizada. Confira no gráfico a taxa de câmbio do yuan em relação ao dólar desde o ano 2000.

renm.png

Figura 1: evolução da taxa de câmbio Yuan/dólar

Observe que, até o início de 2005, eram necessários 8,28 iuanes para comprar um dólar. Era um câmbio fixo. Desde então, o yuan começa a se apreciar em relação ao dólar, com o ápice da apreciação ocorrendo ao final de 2013, quando um dólar passou a custar apenas 6,05 iuanes.

De 2014 ao início 2017, aí sim, ocorreu uma desvalorização, a primeira desde o fim do câmbio fixo (não coincidentemente, a economia chinesa desacelerou fortemente desde então).

Após uma rápida apreciação ocorrida entre 2017 e 2018, o yuan voltou ao valor do início de 2017 e se manteve ali até esta semana, quando foi realmente desvalorizado.

Ou seja, a China, na realidade, vinha mantendo sua moeda apreciada, e não depreciada. Há, inclusive, analistas que afirmam que, se o governo chinês sair do mercado de câmbio e deixar a moeda flutuar — como quer o governo americano —, o yuan iria se desvalorizar de 30 a 40%. Exatamente o oposto do que deseja o governo americano.

Como era de se esperar de um conflito puramente político, a medida do governo chinês de deixar a moeda desvalorizar tem menos a ver com fatos e mais a ver com posicionamento político, dado que a guerra comercial entre Trump e o Partido Comunista Chinês voltou a esquentar.

A reação dos mercados financeiros ao ressurgimento desta batalha de egos entre os líderes das duas maiores economias do mundo foi significativa. As moedas de todas as economias emergentes derreteram. [N. do E.: o real, que vinha se fortalecendo perante as principais moedas do mundo, desabou, com a cotação do dólar indo de R$ 3,75 para quase R$ 4 em apenas três dias]. As bolsas de valores ao redor do mundo desabaram.

O fato de terem caído com a notícia de algo que já vinha ocorrendo desde 2017 mostra que os mercados financeiros esperavam algum tipo de acordo de cavalheiros entre os dois países. Talvez esperassem que Trump estivesse desejoso por um acordo, já que estamos adentrando a temporada eleitoral nos EUA (e nenhum presidente americano é reeleito quando a Dow Jones e o S&P 500 estão em queda). Ou então imaginavam que os distúrbios anti-governo em Hong Kong amolecessem Pequim.

Em todo caso, a queda dos mercados financeiros com a notícia ressalta um problema ainda mais fundamental: os agentes financeiros ainda acreditam que as políticas protecionistas de Trump representam o principal risco para a economia da China.

Só que isso não é verdade.

Apenas para não deixar dúvidas: as tarifas de importação implantadas por Trump sobre os produtos da China têm sido uma tormenta para o governo chinês. Não apenas elas impactaram as exportações chinesas para os EUA (que caíram quase 8% em julho), como também — e talvez ainda mais importante – as tarifas retaliativas que a China impôs sobre produtos americanos (particularmente produtos agrícolas como soja e carne de porco) contribuíram para aumentar os preços dos alimentos no país.

Este aumento no custo de vida, em conjunto com uma redução no crescimento econômico — o qual Xi Jinping rotulou como sendo “o novo normal” —, certamente traz pressões singulares e inéditas sobre o Partido Comunista. (O que apenas mostra como tarifar produtos estrangeiros é uma medida ignara, pois sempre afeta a população).

Tudo isso, no entanto, é uma ameaça menos grave quando se leva em consideração o real problema que assombra a China: um sistema bancário em crise.

Bancos inflados e insolventes

Dois meses atrás, o governo chinês encampou o Baoshang Bank, uma pequena instituição sediada na Mongolia. O que foi realmente notável neste ato não foram as ações tomadas pelo governo, mas sim o fato de que a medida foi noticiada. Embora o Partido Comunista Chinês (PCC) certamente tivesse o poder de manter suas ações secretas, com vários especulando que medidas similares já foram tomadas no passado, os próprios burocratas fizeram questão de eles próprios alertarem a imprensa sobre suas ações. Eles até mesmo escolheram a Reuters, em vez da mídia tradicional chinesa, para fazer o anúncio.

Há quem diga que esta medida do governo foi calculada para ser vista por todos como um sinal de que o PCC está a par dos amplos problemas em seus bancos regionais e está preparado para tomar as medidas necessárias. Com efeito, após essa medida, o governo criou um novo programa de seguro de depósitos, com o intuito de “ajudar instituições financeiras a lidar com riscos e criar mecanismos de saída”.

Ao final de julho, descobriu-se que outro banco estava em crise, desta vez o maior e regional Banco de Jinzhou. Embora feita de maneira distinta da explícita encampação do Baoshang, novamente o governo chinês teve de vir ao socorro: instituições financeiras estatais injetaram capital diretamente no banco.

Embora até seja possível que Baoshang e Jinzhou sejam incidentes isolados, vários analistas especializados em China estão alertando que estes são apenas os primeiros tremores de um sistema financeiro sobre-alavancado que está começando a sofrer as consequências de anos de expansão artificial do crédito. (Ver também aqui e aqui).

O país vivenciou uma maciça expansão do crédito na última década. Desde 2008, toda a dívida existente no país em relação ao PIB praticamente dobrou, ultrapassando 300% do PIB em 2019 (a espantosa quantia de US$ 34 trilhões). Dado que o mundo também apresenta altos níveis de endividamento, seria fácil ignorar estes dados chineses, mas há uma variedade de motivos por que os níveis de endividamento da China são particularmente preocupantes.

Para começar, o principal componente da dívida chinesa não é a dívida do governo, mas sim a dívida das empresas. Em 2017, de acordo com o FMI, a dívida corporativa foi de 160% do PIB. (A título de comparação, a dívida corporativa americana, que é considerada alta, é de 48% do PIB). Ainda mais inquietante é o fato de que as empresas controladas pelo estado foram as mais agressivas em assumir riscos: elas pegaram 85% de todos os empréstimos feitos no país.

Obviamente, o fato de serem controladas pelo estado concedeu a estas empresas uma vantagem comparativa no mercado de crédito, o que contribuiu para afugentar e impossibilitar o acesso de empresas privadas a empréstimos. E, também obviamente, empresas controladas pelo estado não estão interessadas em lucratividade, mas sim em atender aos desejos políticos dos líderes governamentais. Elas operam visando à política, e não a resultados econômicos. A consequência inevitável é que vários desses empréstimos foram tomados para efetuar projetos que nunca foram lucrativos. Ou seja: é uma dívida que simplesmente jamais será quitada.

O sistema bancário paralelo (shadow banking)

Há outras razões por que a situação de endividamento da China é mais volátil do que a de outros países. Eis uma delas:

A dívida chinesa é avassaladora não por causa de seu volume – mais de US$ 34 trilhões  — mas sim porque a cifra quadruplicou em sete anos (2007-2014). … Não é apenas a velocidade do crescimento da dívida; sua composição também preocupa. Quase metade dela foi direcionada ao setor imobiliário e aos setores relativos a esta indústria, e pelo menos outros 30% advém do sistema bancário paralelo (“shadow banking”), cujos critérios financeiros são altamente questionáveis.

sistema bancário paralelo (shadow banking) mencionado acima é outra área que sempre preocupou os burocratas do PCC.

shadow banking envolve instituições financeiras que oferecem retornos mais altos sobre os depósitos de clientes para fazer o que eles chamam de “gestão de recursos”. Este dinheiro é então emprestado a empresas que não conseguem obter empréstimos tradicionais. O shadow banking se tornou extremamente atrativo no país devido à sua capacidade de pagar juros maiores do que as contas bancárias tradicionais.

A própria natureza do shadow banking carrega em si mais riscos do que o sistema bancário tradicional. Dada a predominância das empresas estatais no mercado de crédito (quase apenas eles conseguem obter empréstimos), o sistema bancário paralelo se tornou uma desesperadoramente necessária fonte de crédito para empresas privadas, ainda que a juros muito maiores. Embora Pequim tenha tentado — exitosamente — reduzir o crescimento do setor no ano passado, tais esforços foram abandonados em decorrência da atual guerra comercial, o que fez com que o setor voltasse a crescer em 2019.

Trazendo a história de volta para os anteriormente mencionados socorros bancários, boa parte do sistema bancário paralelo chinês opera em conluio com bancos regionais, tais como os bancos de Baoshang e Jinzhou. À época de sua tomada, acreditava-se que 25% dos ativos do Baoshang eram investimentos no sistema bancário paralelo.

Simultaneamente, a Moody’s alerta que essa modalidade de crédito (arriscados empréstimos feitos pelos bancos convencionais ao sistema bancário paralelo) está crescendo rapidamente (foi de 100 para 300 bilhões de iuanes em três anos), colocando todo o sistema bancário tradicional em risco.

Outro alerta está no fato de que os balancetes dos bancos chineses são particularmente intrincados. Como observou a Bloomberg, o socorro ao Banco de Jinzhou foi adicionalmente complicado pelo fato de que “os balanços contábeis do banco estavam tão confusos e desorganizados, que ninguém ainda conseguiu decifrar e divulgar os dados de 2018”.

E complicando ainda mais a situação estão a desconfiança generalizada nas empresas de auditoria chinesas e a baixa confiabilidade das demonstrações financeiras dentro do país, como relatou o The Wall Street Journal no início deste mês.

Portanto, a qualidade destes empréstimos – tanto no sistema bancário tradicional quanto no paralelo — é uma enorme interrogação que os reguladores chineses estão tendo de decifrar à medida que vão tentando entender essas instituições.

Tudo isso ajuda a ilustrar por que há crescentes preocupações com o sistema bancário chinês.

Adicionalmente, a eventual insolvência destas instituições tem consequência para seus pares. Imediatamente após o encampamento do Baoshang, houve um acentuado aumento nas taxas de juros dos empréstimos interbancários e nas exigências de colateral (garantia), com os grandes bancos se tornando mais cautelosos até mesmo em seus empréstimos para instituições de mesmo tamanho.

Com efeito, os quatro grandes bancos da China viram os preços de suas ações cairem às mínimas históricas esta semana, com temores de que eles seriam convocados a socorrer instituições menores no futuro próximo – um sinal de que ninguém imagina que os pânicos bancários estejam perto do fim.

Quantas dessas instituições estão com problemas?

Kyle Bass, gestor de fundos multimercado que há muito vem alertando que o sistema bancário chinês é insolvente, afirmou que há “aproximadamente 500 bancos na China que são tidos pelo próprio governo como problemáticos”.

Se for verdade, é possível que o PCC esteja próximo de enfrentar sua maior crise financeira da era moderna.

Para concluir

Embora seja particularmente difícil para um estrangeiro ter uma visão sólida da real força da economia chinesa, há fortes motivos para acreditar que o país possui um sistema bancário altamente alavancado, com uma carteira de crédito composta por empréstimos de qualidade duvidosa e com calotes crescentes.

Embora praticamente toda a mídia permaneça concentrada em Trump e no guerra comercial, a maior ameaça à economia chinesa pode vir a ser uma maciça bolha financeira criada por eles próprios.

Fonte: Mises Brasil

Continuar lendo ECONOMIA: A GRANDE AMEAÇA NÃO É A GUERRA COMERCIAL ENTRE EUA E CHINA, MAS O SISTEMA BANCÁRIO CHINÊS

GEOPOLÍTICA: BENS DE NICOLÁS MADURO SÃO BLOQUEADOS NOS ESTADOS UNIDOS

Na coluna GEOPOLÍTICA desta terça-feira o presidente Donald Trump sanciona decreto que autoriza o congelamento dos bens da ditadura venezuelana de Nicolás Maduro devido à contínua usurpação de poder. Veja o artigo a seguir e tire suas conclusões!

Estados Unidos congelam bens do governo ditatorial venezuelano de Nicolás Maduro

Thaís Garcia

Publicado  em 06.08.2019

Por  

 

Estados Unidos congelam bens do governo ditatorial venezuelano de Nicolás Maduro 19

Imagem: Reprodução


Os Estados Unidos congelaram os bens americanos da ditadura venezuelana de Nicolás Maduro devido à continua usurpação de poder. O presidente americano Donald Trump determinou o congelamento por meio de um decreto e as sanções começam imediatamente.

Trump também acusou o governo ditatorial de “violações dos direitos humanos, prisões arbitrárias e a prisão de cidadãos venezuelanos, o cerceamento da liberdade de imprensa e o contínuo enfraquecimento do presidente interino Juan Guaidó e da Assembleia Nacional democraticamente eleita da Venezuela”.

De agora em diante, com algumas exceções, é proibido aos americanos negociar com o governo ditatorial venezuelano. Isso é problemático, uma vez que praticamente todos os ganhos de exportação são gerados pela estatal petroleira venezuelana. Em 2018, o país exportou diariamente 500 mil barris de petróleo bruto para os EUA.

A medida anunciada por Trump é a sanção mais abrangente que o governo americano impôs à Venezuela. Anteriormente, vários funcionários do governo, incluindo o filho de Maduro e a indústria petrolífera venezuelana, já haviam sido alvo de sanções.

No início deste ano, o ditador Maduro se empossou para um segundo mandato, depois de ter “vencido” as eleições que os EUA classificaram como “não-livres e injustas”. No entanto, pouco tempo depois, Juan Guaidó, líder da oposição e presidente do parlamento, declarou-se o presidente interino da Venezuela. Ele é reconhecido como presidente e líder da Venezuela por um grande número de países, incluindo os EUA e o Brasil.

Há vários anos, o regime socialista ditatorial na Venezuela vem causando uma grave crise econômica. Há falta de comida e remédios e a energia cai regularmente. Um grande número de venezuelanos já fugiu para os países vizinhos, inclusive para o Brasil.

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: BENS DE NICOLÁS MADURO SÃO BLOQUEADOS NOS ESTADOS UNIDOS

GEOPOLÍTICA: RODRIGO CONSTANTINO COMENTA USO DA EMBAIXADA POR ASSANGE PARA INTERFERIR NAS ELEIÇÕES DE 2016

Na coluna GEOPOLÍTICA desta quarta-feira o correspondente extrangeiro da Jovem Pan, Rodrigo Constantino comenta sobre o uso da embaixada do Equador em Londres durante 7 anos, por Assange, para interferir nas eleições de 2016. Assista ao vídeo e tire suas conclusões!

Fonte: Morning Show

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: RODRIGO CONSTANTINO COMENTA USO DA EMBAIXADA POR ASSANGE PARA INTERFERIR NAS ELEIÇÕES DE 2016

GEOPOLÍTICA: CASA BRANCA APOIA AGENDA DE REFORMAS ECONÔMICAS DO GOVERNO BOLSONARO

Na nossa coluna GEOPOLÍTICA desta terça-feira você vai ver o Brasil e os Estados Unidos afinados comercialmente. Donald Trump manifesta apoio a ‘agenda de reformas econômicas’ de Jair Bolsonaro.

Casa Branca manifesta apoio a ‘agenda de reformas econômicas’ do governo Bolsonaro

Matheus F. Romero

Publicado   em 01.07.2019

Jair Bolsonaro e Donald Trump no Jardim das Rosas (Imagem: Kevin Lamarque/Reuters)

A Casa Branca manifestou nesta sexta-feira (28) o apoio dos Estados Unidos com relação a “agenda de reformas econômicas” do presidente Jair Bolsonaro no Brasil.

Além disso, também foi dito sobre a atual situação da Venezuela, destacando que o Brasil está “ao lado do povo” do país.

Por meio do Twitter, a Casa Branca declarou:

“O presidente Trump apoia a agenda de reformas econômicas do presidente Bolsonaro, e eles estão ao lado do povo da Venezuela enquanto reivindicam sua democracia e sua liberdade.”

The White House

@WhiteHouse

Earlier today, President @realDonaldTrump met with President @jairbolsonaro of Brazil. President Trump supports President Bolsonaro’s economic reform agenda, and they stand with the people of Venezuela as they reclaim their democracy and their freedom.

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: CASA BRANCA APOIA AGENDA DE REFORMAS ECONÔMICAS DO GOVERNO BOLSONARO

GEOPOLÍTICA: WILLIAM WAACK E O RESULTADO DA REUNIÃO DO G20

Na coluna GEOPOLÍTICA deste domingo temos o jornalista William Waack comentando os fatos do encontro entre as 20 maiores potências do mundo onde Bolsonaro cumpriu seu papel.União Européia e Mercosul firmam acordo de livre comércio de grande impacto na política internacional, no momento no qual prevalecem forças protecionistas e contrárias a blocos supranacionais. São grandes as aberturas para o agronegócio brasileiro.

Fonte: 

Publicado em 28 de jun de 2019

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: WILLIAM WAACK E O RESULTADO DA REUNIÃO DO G20

ECONOMIA: PARECE QUE FINALMENTE A FICHA CAIU NO GOVERNO SOCIALISTA DA VENEZUELA

 

Continuar lendo ECONOMIA: PARECE QUE FINALMENTE A FICHA CAIU NO GOVERNO SOCIALISTA DA VENEZUELA

HISTÓRIA E POLÍTICA: HISTÓRIA COMPARADA – AS RELAÇÕES ENTRE GOVERNO E PARLAMENTO DESDE 1642, POR JILENE AUGUSTO

Na coluna HISTÓRIA E POLÍTICA desta terça-feira o nosso colaborador e intelectual Jilene Augusto relata as relações entre Estado e Parlamento em 1642 na Inglaterra e compara com as relações de Bolsonaro com o Congresso Nacional, mostrando que a história sempre se repete e parece que a humanidade nem sempre consegue tirar boas lições dos fatos passados. Assista ao vídeo e tire suas conclusões!

Fonte: 

Publicado em 20 de mai de 2019

Continuar lendo HISTÓRIA E POLÍTICA: HISTÓRIA COMPARADA – AS RELAÇÕES ENTRE GOVERNO E PARLAMENTO DESDE 1642, POR JILENE AUGUSTO

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA TERÇA-FEIRA

Por G1

 

STJ julga o pedido de liberdade de Temer, que passou a primeira noite no batalhão da PM em SP. O presidente Bolsonaro viaja hoje para o Texas, nos EUA. Moro e o presidente do Coaf defendem a permanência do órgão no Ministério da Justiça. SP tem 88 casos de lesão corporal por violência doméstica por dia. No RJ, menos de 4 em cada 100 investigações de mortes por policiais chegam à Justiça. E veja os confrontos da Libertadores e da Sul-Americana.

INTERNACIONAIS

Libertadores

Libertadores 2019 — Foto: ConmebolLibertadores 2019 — Foto: Conmebol

A Conmebol sorteou os oito confrontos de oitavas de final da Copa Libertadores, que terão início só depois da Copa América. Os jogos de ida serão entre 23 a 25 de julho, enquanto a volta acontece de 30 de julho a 1º de agosto.

  • Palmeiras x Godoy Cruz
  • Cruzeiro x River Plate
  • Internacional x Nacional-URU
  • Cerro Porteño-PAR x San Lorenzo
  • Libertad x Grêmio
  • Boca Juniors x Athletico-PR
  • Flamengo x Emelec
  • Olimpia x LDU Quito

Sul-Americana

Sul-Americana 2019 — Foto: ConmebolSul-Americana 2019 — Foto: Conmebol

A Conmebol também sorteou os confrontos da segunda fase da Copa Sul-Americana. Os jogos dos times brasileiros são:

  • Fluminense x Atlético Nacional
  • Unión La Calera x Atlético-MG
  • Sol de América-PAR x Botafogo
  • Corinthians x Deportivo Lara

Argentina

Maurício Macri, Cristina Kirchner e Roberto Lavagna — Foto: Marcos Brindicci e Agustin Marcarian / Reuters Maurício Macri, Cristina Kirchner e Roberto Lavagna — Foto: Marcos Brindicci e Agustin Marcarian / Reuters

Disputa entre Maurício Macri, Cristina Kirchner e ‘terceira via’ deve marcar eleição na Argentina em outubro. Presidente atual e antecessora lideram pesquisas e polarizam eleitorado. Roberto Lavagna surge em 3º como alternativa. Entenda.

Jimmy Carter

O ex-presidente dos EUA Jimmy Carter dá entrevista em Seul nesta quinta-feira (28) — Foto: AP O ex-presidente dos EUA Jimmy Carter dá entrevista em Seul nesta quinta-feira (28) — Foto: AP

O ex-presidente americano Jimmy Carter cai ao caçar perus e passa por cirurgia. Carter, de 94 anos, passa bem e descansa após a cirurgia, realizada no Phoebe Sumter Medical Center, na Geórgia.

Hackers no WhatsApp

Logotipo do aplicativo Whatsapp — Foto: Dado Ruvic / Arquivo / ReutersLogotipo do aplicativo Whatsapp — Foto: Dado Ruvic / Arquivo / Reuters

O aplicativo de mensagem instantânea WhatsApp, de propriedade do Facebook, informou que detectou uma vulnerabilidade em seu sistema que permitia que hackers instalassem spyware em alguns telefones e acessassem os dados contidos nos aparelhos. A empresa e pediu aos 1,5 bilhão de usuários em todo o mundo que “atualizem o aplicativo para sua versão mais recente” e mantenham durante o dia seu sistema operativo como medida de “proteção”.

Escalada de tensão

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump — Foto: Carlos Barria / ReutersO presidente dos Estados Unidos, Donald Trump — Foto: Carlos Barria / Reuters

O presidente dos EUA, Donald Trump, alertou que o Irã cometerá “um grande erro” se fizer “qualquer coisa” contra interesses americanos no Oriente Médio. A afirmação vem depois de Washington enviar navios e aviões para enfrentar supostas ameaças na região.

“Vamos ver o que vai acontecer com o Irã. Se fizerem qualquer coisa, sofrerão muito”, afirmou Trump, durante um encontro com o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, na Casa Branca.

Os comentários de Trump foram feitos depois que os Emirados Árabes Unidos informaram que quatro embarcações comerciais foram sabotadas no domingo (12) perto do emirado de Fujairah, nos arredores do Estreito de Ormuz, que separa o país do Irã. A Arábia Saudita também denunciou sabotagem a dois navios petroleiros.

Por Blog do BG

Amazon lança máquinas que embalam pedidos e substituem funcionários

A Amazon pretende instalar duas máquinas em dezenas de armazéns

Amazon está implementando máquinas para automatizar um trabalho mantido por milhares de trabalhadores: encaixotar pedidos de clientes. Essas instalações normalmente empregam mais de duas mil pessoas – a automação do trabalho resultaria em um corte de mais de 1,3 mil funcionários da empresa. Com a mudança, a Amazon pretende gastar US$ 1 milhão por máquina, mais as despesas operacionais.

“Estamos testando essa nova tecnologia com o objetivo de aumentar a segurança, acelerar os prazos de entrega e adicionar eficiência em toda a nossa rede”, disse uma porta-voz da Amazon em comunicado. “Esperamos que a economia de eficiência seja reinvestida em novos serviços para os clientes, onde novos empregos continuarão a ser criados.”

A tecnologia escaneia mercadorias que chegam por uma esteira e as embala segundos depois em caixas personalizadas para cada item, disseram à agência de notícias Reuters duas pessoas envolvidas no projeto. A ideia da Amazon é instalar duas máquinas em dezenas de armazéns, removendo pelo menos 24 funções em cada local.

A empresa espera recuperar os custos da automação em menos de dois anos. As mudanças não foram concluídas ainda porque a verificação da tecnologia antes de uma implementação importante pode levar muito tempo.

O plano mostra como a Amazon está tentando reduzir mão-de-obra e aumentar lucros, já que a automação da tarefa mais comum do armazém – que é pegar um item – ainda está fora do seu alcance. A Amazon é famosa por sua iniciativa de automatizar o maior número possível do seu negócio, seja no preço de mercadorias ou no transporte de itens em seus depósitos. Mas a empresa está em uma posição precária ao considerar a substituição de empregos que lhe renderam subsídios e boa vontade pública.

LINK / ESTADÃO

 

Natura deverá anunciar nos próximos dias a compra da Avon

Avon

Natura Cosméticos está perto de fechar um acordo para comprar a Avon Products, disse uma fonte com conhecimento do assunto nesta segunda-feira.

Segundo a fonte, o acordo pode ser anunciado a partir de sexta-feira, ou na próxima semana. Não ficou claro se a Natura pagaria um prêmio sobre os preços atuais do mercado ou não.

A Natura e a Avon, que tem um valor de mercado de 1,4 bilhão de dólares, não comentaram imediatamente sobre o assunto.

As discussões sobre o financiamento da proposta atrasaram o anúncio, acrescentou a fonte. Inicialmente, o UBS, que está assessorando a Natura no negócio, e o Morgan Stanley ofereceram o financiamento.

Mas a Natura recebeu ofertas de bancos locais como Bradesco, Itaú Unibanco e Santander Brasil, acrescentou a fonte. O Citigroup também pode se juntar ao financiamento, disse a fonte, embora os bancos brasileiros agora possam fornecer a maior parte.

Representantes dos bancos não comentaram o assunto de imediato.

ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: Blog do BG

NACIONAIS

Temer preso

O ex-presidente Michel Temer — Foto: Reprodução / JNO ex-presidente Michel Temer — Foto: Reprodução / JN

Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) analisará nesta terça-feira o pedido de liberdade de Michel Temer. Ele é réu pelos crimes de corrupção, lavagem e peculato. Defesa nega todas as acusações. O ex-presidente está preso desde a semana passada, em São Paulo.

Também será analisado o pedido de liberdade do coronel reformado da Polícia Militar João Baptista Lima Filho, o coronel Lima.

Ex-presidente citado em delação

O juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, homologou a delação premiada do empresário Henrique Constantino, um dos donos da empresa aérea Gol, em um desdobramento da Operação Lava Jato. Ele admitiu participação em crimes em troca da liberação de recursos da Caixa Econômica Federal após virar réu na Operação Cui Bono, desencadeada a partir das delações do ex-dirigente da Caixa Fábio Cleto e do doleiro Lúcio Funaro. A colaboração premiada foi assinada em fevereiro e validada pelo juiz em abril.

Bolsonaro nos EUA

O presidente Jair Bolsonaro — Foto: Antonio Cruz / Agência BrasilO presidente Jair Bolsonaro — Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil

O Ministério das Relações Exteriores confirmou a viagem de Jair Bolsonaro, hoje, para o Texas, nos Estados Unidos. Amanhã, ele tem um encontro com o ex-presidente George W Bush. Na quinta, vai receber o prêmio personalidade do ano, da Câmara de Comércio Brasil-EUA. A entrega do prêmio seria em Nova York, mas Bolsonaro cancelou a viagem depois que locais escolhidos pela organização para a cerimônia se recusaram a receber o evento. Além disso, patrocinadores desistiram de homenagear o presidente e o prefeito da cidade, Bill de Blasio, fez críticas ao líder brasileiro.

Coaf com a Justiça

O presidente do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), Roberto Leonel, defendeu a permanência a permanência do órgão no Ministério da Justiça e Segurança Pública, cujo titular é Sérgio Moro.

“O mais importante é que o Coaf tem uma maior proximidade, uma maior interação ou uma maior aderência aos órgãos do Ministério da Justiça. Praticamente 80% dos nossos relatórios de inteligência financeira são direcionados a órgãos de persecução penal, Ministério Público, Polícia Civil, Polícia Federal”, afirmou Leonel.

A declaração foi feita em um congresso sobre combate à corrupção, em Curitiba. Moro, também participou do evento. Ele afirmou que a tendência é que o Coaf seja “negligenciado” se mudar de ministério

Combate ao crime

 — Foto: Igor Estrella / G1Foto: Igor Estrella / G1

Apesar de crise e queda de receita, gastos de estados com segurança pública cresceram 30% em 10 anos. Estudo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública diz que aumento das despesas na área, porém, não foi suficiente para diminuir a criminalidade e a violência. Autores analisam mudanças recentes no financiamento para segurança, mas dizem que cenário para 2020 não é otimista.

Queda de avião em 2016

Peritos trabalham no local da queda do avião do ex-presidente da Vale, Roger Agnelli, em São Paulo — Foto: Mario Ângelo / Sigmapress / Estadão ConteúdoPeritos trabalham no local da queda do avião do ex-presidente da Vale, Roger Agnelli, em São Paulo — Foto: Mario Ângelo / Sigmapress / Estadão Conteúdo

O avião que caiu com o empresário Roger Agnelli em São Paulo em março de 2016 não poderia ter usado o Campo de Marte – de onde havia decolado antes de cair – nem fazer transporte privado de passageiros, aponta o relatório final da Aeronáutica sobre o acidente. Entenda.

Violência doméstica

Os crimes de lesão corporal por violência doméstica aumentaram 14% nos últimos 3 anos no estado, de acordo com levantamento exclusivo feito pela GloboNews e o G1, com bases em dados da Secretaria da Segurança Pública via Lei de Acesso à Informação. São Paulo tem 88 casos por dia. Aumento de agressões explica alta de feminicídios no estado, diz especialista.

Minério de ferro

O fechamento de minas e barragens de produção de minério de ferro em decorrência ao rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho (MG), traz impacto negativo para produção e as exportações de minério de ferro: a produção no país deve cair 6,5% em 2019. A tragédia completou cem dias no último dia 4.

Fonte: G1

Por Blog do BG

Paulo Guedes vai estudar correção da tabela do IR

O porta-voz da Presidência, general Otávio do Rêgo Barros, informou nesta segunda-feira, 13, que o ministro da Economia, Paulo Guedes, concordou em estudar uma atualização da tabela do Imposto de Renda pela inflação, como deseja o presidente Jair Bolsonaro, para ser implementada “no devido momento”.

Em entrevista à rádio Bandeirantes, no último domingo, o presidente afirmou que já havia pedido a mudança ao ministro e que seria implementada este ano. A tabela não é corrigida desde 2016.

“O presidente identifica acreditar que é possível que a inflação deste ano de 2019 possa ser considerada na elaboração da tabela do IR no ano que vem”, disse o porta-voz, complementando que o assunto foi tratado nesta segunda em audiência do presidente com o ministro da Fazenda.

Fontes da área econômica, no entanto, disseram à Reuters que não há espaço fiscal para atualização da tabela do IR.

Antes das declarações do porta voz, fontes da área econômica do governo disseram à Reuters que se “surpreenderam” com a notícia dada no fim de semana pelo presidente.

“Não estou envolvido diretamente, mas nunca ouvi isso”, afirmou uma fonte da equipe econômica, em condição de sigilo.

“Isso é uma novidade total, não ouvi isso nem formal nem informalmente. O ambiente fiscal não está propício”, adicionou uma segunda fonte que integra o time, também em condição de anonimato.

A correção da tabela do IR de 2020 seria baseada na inflação, segundo Bolsonaro disse na entrevista a rádio, sem esclarecer qual índice seria aplicado.

A tabela de IR não é corrigida desde o ano-calendário de 2015. Atualmente, são isentos de pagar Imposto de Renda os que ganham até R$ 1.903,98 por mês.

Uma correção da tabela faria com que mais pessoas fossem enquadradas como isentas ou em faixas salariais com alíquotas mais baixas, provocando uma perda de arrecadação para o governo num momento que a União vive forte restrição fiscal, caminhando para seu sexto ano consecutivo no vermelho. No fim deste mês, inclusive, deve ser anunciado novo contingenciamento orçamentário.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

Devassa nas contas de Flávio Bolsonaro tem potencial ‘avassalador’, avaliam políticos e magistrados

A abrangência da quebra dos sigilos fiscal e bancário do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) chamou a atenção de políticos e magistrados que observam, de longe, o desenrolar das investigações no Rio. Integrantes de órgãos de controle chamaram de “avassaladora” a devassa de mais de dez anos nas contas do filho do presidente, de sua mulher e de mais de 80 ex-funcionários, entre eles Fabrício Queiroz. A amplitude do material indica apuração de vida muito longa —e várias ramificações.

A quebra dos sigilos de Flávio, revelada pelo jornal O Globo, foi rapidamente associada por políticos ao “tsunami” anunciado por Jair Bolsonaro na semana passada. Integrantes de partidos de centro e centro-direita disseram que pai e filho, se antecipando à ofensiva, deram indícios de que houve vazamento.

Havia expectativa entre integrantes do Ministério Público do Rio que não atuam no caso de uma ação ainda mais incisiva sobre Fabrício Queiroz, como um pedido de prisão. Em local incerto desde o início do ano, Queiroz é apontado como a ponte entre o gabinete de Flávio e familiares de milicianos.

PAINEL / FOLHA

Comments

Bolsonaro está aberto a adaptar decreto das armas, diz porta-voz

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, disse na noite desta segunda-feira, 13, que o presidente Jair Bolsonaro está aberto a “eventualmente adaptar” o decreto assinado na semana passada para facilitar as regras de posse, porte e comercialização de armas de fogo.

Consultores da Câmara dos Deputados e do Senado apontaram, em análises técnicas, inconstitucionalidades no decreto presidencial. Parlamentares ameaçam sustar os efeitos do decreto de Bolsonaro. “O presidente coloca-se aberto a esse diálogo com o Congresso, para, a partir das proposições do parlamento, eventualmente adaptar aquele decreto que ele firmou na semana passada”, disse o porta-voz.

Rêgo Barros antecipou que Bolsonaro está propenso a gravar e divulgar nesta terça um vídeo sobre o decreto dos CACs, caçadores, atiradores e colecionadores, que abrangeu outras categorias. Na gravação, Bolsonaro deve reforçar seu posicionamento.
“O presidente imagina fazer-se necessário ele apresentar algum posicionamento em reforço àquilo que foi exarado pela Presidência, por meio da Casa Civil”, disse Rêgo Barros. O porta-voz afirmou que, no entender do Palácio do Planalto, o decreto é constitucional.
ESTADÃO CONTEÚDO

 

LOCAISComments

MPRN deflagra operação para investigar fraudes na coleta de lixo em Caicó; ex-secretário e empresários são presos

Além do RN, operação Máfia Capital cumpre mandados em São Paulo e Pernambuco. São investigados os crimes de organização criminosa, fraude a licitações, lavagem de dinheiro e corrupção

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta terça-feira (14) a operação Máfia Capital. A ação apura fraudes na contratação de veículos, maquinário e pessoal para coleta de lixo na cidade de Caicó com o cometimento dos crimes de organização criminosa, fraude a licitações, peculato e corrupção ativa e passiva. Além do RN, a operação cumpre mandados de prisão e de busca e apreensão nos Estados de São Paulo e Pernambuco. Um ex-secretário municipal de Caicó e dois empresários foram presos.

A operação Máfia Capital é desdobramento de três outras operações do MPRN: a Cidade Luz, deflagrada pelo MPRN em 2017 para investigar irregularidades no contrato de iluminação pública da Prefeitura de Natal, e as operações Blackout e Tubérculo, realizadas com os objetivos de apurar fraudes no contrato de iluminação pública da Prefeitura de Caicó.

A operação Máfia Capital foi deflagrada com o apoio da Polícia Militar potiguar e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) dos Ministérios Públicos do Rio Grande do Norte, de São Paulo e de Pernambuco. Promotores de Justiça e policiais militares cumprem os mandados de prisão e de busca e apreensão nas cidades de Caicó, Mossoró, Recife, Jaboatão dos Guararapes e São Paulo.

Comments

[VÍDEO] Clientes se revoltam com mudança em cobrança no estacionamento para idosos no Natal Shopping

Idosos e pessoas com mobilidade reduzida tinham direito a um desconto no estacionamento do Natal Shopping se revoltaram com o centro comercial que conseguiu na Justiça derrubar o benefício. O Caso foi filmado por por frequentadores do shopping e várias pessoas enviaram para o blog.

Em contato com o Blog, uma pessoa escreveu: “O Natal Shopping conseguiu uma liminar na Justiça e acabou com a isenção e com o desconto aos idosos e deficientes no estacionamento, e ainda aumentou o preço. Agora é preço R$ 14 reais. Um preço absurdo. Quase o valor de um almoço.

Eu, particularmente e sei que será uma gota d’água, deixarei de frequentar até que seja revista a medida absurda. É preciso que mais pessoas se revoltem também”.

Procurado pelo BG, O Natal Shopping se posicionou:

*Nota de esclarecimento*

O Natal Shopping informa não houve reajuste em sua tarifa de estacionamento e que a concessão de gratuidade para clientes maiores de 60 anos segue como critério a apresentação do cartão emitido pelo Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN/RN) e não mais o cartão da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU). A determinação obedece aos termos da Lei Estadual nº 9.320/2010. O Cartão Especial de Estacionamento deve incluir o número da placa do veículo e o símbolo internacional de acesso.

Assessoria de comunicação do Natal Shopping

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA TERÇA-FEIRA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho