BOAS NOTÍCIAS: PACIENTE FICA CURADO DE CÂNCER TERMINAL APÓS CONTRAIR COVID-19

Um paciente que se curou de um câncer terminal após contrair covid-19 é o destaque, aqui na coluna BOAS NOTÍCIAS, nesta quinta-feira. O caso se deu no Royal Cornwall Hospital, na província de Cornuália, na Inglaterra, a 430 quilômetros de Londres, onde o idoso de 61 anos estava hospitalizado tratando um linfoma de Hodgkin em estágio III. Quatro meses depois da alta da Covid-19 um exame de tomografia revelou a remissão generalizada do linfoma. Essa história você não pode deixar de ver os detalhes!

Câncer avançado entra em remissão após paciente contrair Covid

Impressionante! Um homem de 61 anos, com câncer avançado, teve a remissão generalizada da doença após contrair o novo coronavírus.

O caso foi publicado no periódico médico British Journal of Hematology e está sendo estudado por especialistas.

O paciente tinha linfoma de Hodgkin em estágio III e estava hospitalizado no Royal Cornwall Hospital, na província de Cornuália, na Inglaterra, a 430 quilômetros de Londres.

Os autores da publicação médica informaram que o paciente deu entrada no departamento de hematologia do Royal Cornwall Hospital com inflamação nos gânglios e perda de peso.

Ele fazia hemodiálise para insuficiência renal em estágio terminal, após um transplante de rim malsucedido.

Coronavírus

Depois disso, o homem foi internado com falta de ar, chiado no peito e com pneumonia. A contaminação pela Covid-19 foi confirmada após exame de PCR.

De acordo com os cientistas, o idoso ficou em tratamento por 11 dias e foi liberado para finalizar a recuperação da Covid-19 em casa.

Também não foram administrados corticosteroides ou imunoquimioterapia, medicamos usados no tratamento do linfoma.

A remissão

Quatro meses depois, os médicos afirmaram que o inchaço dos nódulos havia diminuído.

Um exame de tomografia revelou a remissão generalizada do linfoma.

A hipótese levantada pelos autores do artigo é de que a infecção pelo novo coronavírus desencadeou uma resposta imune contra o tumor.

As citocinas inflamatórias produzidas em resposta à infecção poderiam ter ativado células T específicas com antígenos tumorais e células que naturalmente agem contra o tumor.

Ainda segundo o artigo, casos de remissão espontânea já haviam sido descritos, porém com outras infecções de pneumonia infecciosa e no contexto do linfoma não Hodgkin de alto grau.

Com informações da CNN

Fonte: Só Notícia Boa

Deixe uma resposta