Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!
BOAS NOTÍCIAS: ARVORES GIGANTES AGORA PODERÃO VIVER PARA SEMPRE NA ITÁLIA

Arvores que podem viver por séculos estão sendo protegidas legalmente na Itália pela lei das árvores monumentais da Itália, que foi aprovada no século 20 e protegeu 22.000 árvores de vários tipos – faia, carvalho, pinheiro, oliveira, cipreste – de danos. Essas arvores gigantes retorcidas estão protegidas para sempre. Leia o artigo completo a seguir e conheça os detalhes!

A Itália está protegendo suas árvores gigantes para sempre – árvores monumentais que podem viver por séculos

Árvores grandes e velhas. Existem coisas vivas que falam conosco da mesma maneira que as grandes árvores velhas?

A Itália garantiu por lei que todos os italianos e visitantes do país têm o direito de dar de cara com as árvores mais antigas, retorcidas e cheias de histórias do país e, assim, ter aquele maravilhoso sentimento de descoberta e reverência que sentimos ao ver uma árvore antiga.

A lei das árvores monumentais da Itália foi aprovada no século 20 e protegeu 22.000 árvores de vários tipos – faia, carvalho, pinheiro, oliveira, cipreste – de danos.

A lei de 1939 descreveu as árvores monumentais como “coisas imóveis que têm características notáveis ​​de beleza natural”, o que, como Elisabetta Zavoli escreveu para a National Geographic , deu uma ênfase visual no que já era uma categorização vaga para a lei.

Um dos aspectos mais importantes das árvores monumentais não é sua beleza, mas seu efeito como micro-ecossistemas. Suas cavidades, cicatrizes, galhos mortos e vivos hospedam uma ampla variedade de espécies, como insetos, cogumelos, pássaros e pequenos roedores.

Sinais de danos ou decomposição, embora dificilmente sejam agradáveis ​​à vista, fornecem nutrientes vitais e abrigo para os animais da floresta, de modo que em 2013 uma definição melhor e mais representativa de uma árvore monumental foi aprovada na lei italiana.

É uma coisa boa também, já que muitas das árvores monumentais que Zavoli destaca não se tornaram monumentais por sua beleza, mas por sua idade. A oliveira da vila de Villastrada, na Umbria, pode ter 2.500 anos, mas não é exatamente uma bela vista. Seu tronco principal há muito se deteriorou, e outros troncos mais jovens cresceram ao longo de sua vida.

Oliveira milenar, licença Dennis Koutou / CC 

Outro exemplo é a faia Pontone em Abruzzo, que na verdade são sete faias fundidas, envoltas na mesma camada de casca.

Desde 2013, mais de 3.000 novas entradas se juntaram ao registro nacional de árvores monumentais.

Alguns são estimados por sua beleza, outros por sua idade; ainda mais são valorizados pela lenda e mito que cerca suas vidas.

O cipreste de São Francisco, de 800 anos, teria sido plantado quando, voltando de uma caminhada, São Francisco de Assis tentou queimar a bengala que acabava de usar.

Quando não pegou fogo, ele decidiu plantá-lo, supostamente dizendo “Se você não quer queimar, cresça!” Os cones que caem todos os anos daquela árvore, situada num convento, são recolhidos na esperança de que os peregrinos que conseguem fazer crescer alguma coisa das suas sementes tenham uma árvore abençoada.

Fonte: Good News Network

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×

Carrinho