BIDEN RECEBE PRESIDENTE DO MÉXICO NA CASA BRANCA AFIM DE ATENUAR A INFLAÇÃO E A CRISE MIGRATÓRIA E APARAR AS ARASTES DE UMA RELAÇÃO LONGE DE TRANQUILA

Biden encontra presidente do México na Casa Branca em meio à crise migratória

Líderes pretendem melhorar sua relação e traçar planos para atenuar a inflação de seus países

O presidente do México, López Obrador, se encontra com o presidente dos EUA, Joe Biden

JONATHAN ERNST/REUTERS – 18.11.2021

O presidente dos EUA, Joe Biden, recebe o presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador na Casa Branca nesta terça-feira (12), em busca de atenuar a inflação e a crise migratória e aparar as arestas de uma relação que está longe de ser tranquila.

O desprezo de López Obrador por Biden em junho na Cúpula das Américas em Los Angeles – à qual ele não compareceu em protesto contra a recusa da Casa Branca em convidar os governos de Cuba, Venezuela e Nicarágua – decepcionou a classe política americana.

López Obrador, pragmático, minimiza a situação: “É uma reunião para reafirmar nosso compromisso de trabalhar juntos em benefício de nossos povos”, disse o presidente, que antes de se reunir com Biden participará de um café da manhã de trabalho com a vice-presidente Kamala Harris.

A visita é marcada pelo luto pela tragédia dos mais de 50 migrantes mortos em um trailer no Texas, dos quais mais da metade era mexicana. Um drama que dá o tom do diálogo: migração e segurança.

Grande apoiador de “programas de cooperação para o desenvolvimento”, não só no México, mas também na América Central, López Obrador provavelmente pedirá a Biden mais vistos para trabalhadores temporários, especialmente no setor agrícola, e investimentos em alguns projetos para deter as caravanas de migrantes.

Uma funcionária do governo dos Estados Unidos, que pediu anonimato, concorda que lidar com a migração irregular requer “abrir vias legais adicionais” que podem impulsionar o crescimento econômico e “buscar outras vias legais, como reassentamento de refugiados e reunificação familiar”.

Mas acrescentou que a reunião será muito mais focada “na cooperação e na implementação” de acordos “e não tanto em compromissos numéricos específicos”.

Outro funcionário do governo, que também não quis revelar sua identidade, garantiu que anúncios serão feitos durante o encontro.

“Esperamos anunciar ações conjuntas para melhorar a infraestrutura fronteiriça” e “melhorar a cooperação policial para interromper o fluxo de fentanil”, acrescentou, reiterando a importância da segurança nas fronteiras, não só pelo tráfico de drogas, mas também de pessoas e de armas.

Além da migração, a questão que realmente preocupa os cidadãos é conter a inflação, superior a 6% nos Estados Unidos e de quase 8% no México, e afastar o espectro da recessão.

Deixe uma resposta