Na nossa seção de autoconhecimento de hoje trago um texto de Wagner Borges bastante explicito sobre o que é espiritualidade. De uma forma simples, linguajar acessível ele fala das coisas do espírito para todo mundo entender. Leia o texto abaixo:

 

FALANDO DAS COISAS DO ESPÍRITO, NA LATA!
Olá, caro amigo das coisas do espírito.
Não se surpreenda com as tolices dos outros e nem com as suas.
Você sabe: o mundo está cheio de gente complicada.
Muitos querem desenvolver poderes psíquicos ou dominar certas magias.
No entanto, não suportam conviver com a responsabilidade inerente a isso.
Querem os poderes, mas sem nenhuma maturidade.
Querem a magia, mas sem nenhuma profundidade.
Inclusive, muitos são ridículos e se pelam de medo de espíritos.
Querem levantar o véu dos mistérios, mas estão cheios de leviandade.
E não se tocam de um detalhe fundamental: quando levantam o véu, eles veem o Invisível, mas também ficam visíveis para outros planos.
E, com medo de espíritos, como fica essa abertura?
Como essa gente leviana quer lidar com o Invisível, se, ao mesmo tempo, se borra de medo do Além?…
Para entrar e sair do Invisível, de forma segura, é necessário usar um preservativo de luz no corpo espiritual* – ou seria mais apropriado chamar isso de “camisinha da alma”?
Ou seja, revestir-se de Luz, para vibrar energias salutares na própria aura**.
Como a Luz de cada um reflete o seu próprio nível de consciência, não pode haver medo ou falta de caráter diante do Invisível.
Pensamentos claros e firmes produzem formas mentais*** limpas e saudáveis.
Sentimentos bons propagam vibrações salutares e dissolvem conjunções negativas.
As energias revelam o padrão de pensamentos e sentimentos de cada um.
Ao levantar o véu dos mistérios, também se expõe a própria consciência ao Invisível. Portanto, é necessário firmeza nisso! E resolução correta na perspectiva espiritual.
Para segurar a onda e crescer direito, é preciso cercar-se de Luz.
Alguns conseguem isso pela ação da prece honesta e verdadeira (feita de coração, e não por mera repetição ou por algum tipo de condicionamento religioso).
Outros ativam os chacras**** e movimentam suas energias.
E outros mais visualizam um fogo purificador circulando em sua aura.
Há muitas maneiras de fazer isso, mas todas elas demandam algum tipo de concentração e esforço para sua realização.
O fato é esse: é preciso revestir-se de Luz, com caráter e consciência.
Tentar acessar o Invisível sem a proteção da Luz é incorrer em graves perigos psíquicos… porque, poder sem sabedoria corrompe os melhores propósitos e leva a sérios riscos e entraves espirituais.
Sem Amor, o bicho pega! E, sem discernimento, a queda é certa.
Revestido de Luz, pode-se entrar e sair com segurança do Invisível.
Porém, sem esse revestimento e ainda cheios de leviandade e medo, muitas pessoas se submetem ao Invisível, que entra e sai delas, à sua revelia.
– Companhia do Amor***** –
A Turma dos Poetas em Flor.
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges.)

Deixe uma resposta