AUTOCONHECIMENTO: EMANCIPAÇÃO DA ALMA ATRAVÉS DA PROJEÇÃO DA CONSCIÊNCIA

O artigo Emancipação da Alma, destaque da nossa coluna AUTOCONHECIMENTO, deste sábado é uma ENTREVISTA, com Altivo Panphiro, altamente esclarecedora sobre projeção astral, que você não pode deixar de ler e tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. Então, aproveite essa oportunidade única e expanda sua consciência! 

EMANCIPAÇÃO DA ALMA

Emancipação da Alma e Projeção astral | Espiritismo da alma

Nesta entrevista, Altivo Panphiro esclarece as dúvidas mais comuns sobre a projeção da consciência, segundo a concepção da doutrina espírita.

Entrevista realizada pelo site www.irc-espiritismo.org.br

Por que algumas vezes não lembramos dos nossos sonhos?

As pessoas que não lembram dos sonhos não têm facilidade para registrá-los no cérebro físico. Fica apenas registrado no cérebro do perispírito. Digo cérebro do perispírito no cérebro do perispírito. Digo cérebro do perispírito para um melhor entendimento. Agora, quando você recorda dos detalhes dos sonhos é porque você tem uma particular predisposição cerebral para registros. O fato de não lembrarmos dos sonhos não significa que não tenhamos sonhado, ou seja, vivemos uma vida no plano espiritual e não recordamos.Pessoas que sonham com freqüência, vêem pessoas na casa, levantam e conversam. Como isso se explica?

É justamente o fato de você, como espírito, ir aos lugares de sua preferência. Você vai a uma casa, em espírito, e ali vê as pessoas que moram naquela casa. Você pode também ir a lugares públicos, como praças, ruas, etc. Neste caso, você não terá um sinal particular, isto é, verá as coisas como se vêem na rua de um modo bem geral.

Como você explica a interação relativa a aplicação dos passes magnéticos em torno de nossas estruturas espirituais, possibilitando que o nosso corpo perispiritual possa se afastar do corpo físico através do processo emancipatório?

Quando o passe magnético é aplicado, provoca-se um desligamento parcial do perispírito com relação ao corpo, isto faz com que, por um processo ainda não devidamente explicado, ou entendido, haja este afastamento do corpo espiritual do corpo físico. Essas descobertas foram analisadas por um inglês chamado Braid. Ele aplicava passes e verificou que, em certas pessoas, os passes provocado pelo passe dado por espíritos ou por encarnados, provocando este estado de emacipação.

Até que ponto o sonho pode atingir o físico? Ou seja, o real?

Não existe, a rigor, um medida. O que sabe é que, em alguns casos de liberdade do espírito, este passa por situações que ficam profundamente gravadas no cérebro. Vou contar um caso pessoal: há muitos anos, participei de um socorro espiritual dado a uma pessoa obsediada, louca mesmo. Isto que vou relatar foi durante o sono físico. No processo de socorro, esta pessoa batia-me nos olhos com suas mãos, que eram muito grandes. Eu a conhecia encarnada. Ao acordar, passei um ou dois dias com profunda dor nos olhos, como se eles estivessem, realmente, edemaciados. Posso dizer, então, que foi uma situação bem particular, mas tenho passado por outras situações menos agressivas que também influenciaram meu corpo. Situações de socorro médico, de participação em locais que visitei, espiritualmente etc.

Todos os sonhos são o desprendimento do espírito do corpo físico ou alguns sonhos podem simplesmente ser projeções do inconsciente?

A maior parte dos sonhos se passam entre espíritos. O que sei, por parte do plano espiritual, é que mesmo quando você projeta seu inconsciente, você vai em busca de uma situação, de um parceiro, ou de uma circunstância que caracteriza o seu desejo íntimo. Assim, a projeção do seu inconsciente leva você para o lugar que deseja.

Porque, às vezes, quando sonhamos, parece que entramos num estado entre o sono e a realidade?

O desprendimento do espírito do corpo vai ocorrendo aos poucos e por isso ficamos entre dois mundos: um mundo “real”, material, e o mundo que vamos visitar.

O desdobramento é perigoso? Pode algum desencarnado nos “molestar” e até nos “matar”?

O desdobramento não é perigoso a partir do momento em que oramos e contamos com a proteção dos benfeitores espirituais. Quando você sai do corpo e em sua casa não há uma proteção fluídica, você pode ter o corpo molestado por um espírito que entrou na sua casa. Mas o comum é você voltar logo para o corpo, uma vez que você se sente prejudicado. Neste caso, o espírito apenas incomodará. Mas há casos em que o espírito tem um grande ascendente sobre aquele que dorme e então, este se aproveitará deste ascendente para fazer o que bem entender. É o caso dos grandes pesadelos. Não há na literatura específica casos registrados de pessoas morrerem por conta desta influenciação durante o sono, embora, muitas vezes, as pessoas tenham se sentido muitíssimo mal quando perseguidas por um espírito. No livro Entre a Terra e o Céu de André Luiz, temos um exemplo muito interessante de um grupo de pessoas que viviam uma realidade no corpo físico e outra no corpo espiritual.

Existe algum momento em que pode se passar do sonho para viagem astral, ou vice-versa?

Sim. Você pode começar a ver um espírito no estado de sonho e depois seguir com ele para mais longe, dando início a um processo de desdobramento. Será um momento em que seu espírito precisará ficar bem longe do corpo. Este momento é o do desdobramento.

E as pessoas que têm problemas de insônia. Isto pode significar que elas são por demais ligadas às coisas materiais? Mesmo existindo problemas neurológicos, esse problema pode retardar o desligamento do espírito após o seu desencarne?

Entendo que a insônia pode ter suas causas físicas. No caso da dificuldade espiritual, o espírito está realmente muito preocupado com alguma coisa, impedindo o descanso físico, como, por exemplo, nas nossas grandes preocupações. No caso das pessoas com problemas neurológicos, temos que distinguir se o problema é provacional ou apenas um problema do próprio espírito. Quando é provacional, o corpo é que é o doente. O espírito, tão logo se veja liberto das amarras físicas, esquece e nada mais sente. O corpo doente fica de lado e o espírito liberto voa para onde quiser. Mas quando é o espírito o doente, este carrega consigo todas as suas marcas dolorosas e, assim, ele tem dificuldades para se desprender, para dormir e não consegue ter nem um sono, nem um desprendimento tranqüilo, uma vez que ele é um grande doente da alma.Qual é a diferença entre sonho e desdobramento (viagem astral)?

No desdobramento, o corpo espiritual se liberta inteiramente do corpo físico e vive a vida de espírito. No sono físico, o espírito não se afasta muito do corpo e, assim, ele é capaz de passar para o cérebro físico as recordações do que vê. A rigor, há horas que, realmente, fica difícil fazer a distinção entre os dois estados.

Quando passamos a ter pesadelos, terríveis, pode significar que estamos em sintonia com um plano espiritual inferior no estado de vigília?

Sim, quando você se liga àquela pessoa ou àquelas situações. Mas você pode também estar em processo de auxílio a ela ou mesmo estar vendo como simples participante como ela vive em espírito.

Até que ponto podemos ter certeza de estar mos realmente nos encontrando com entes queridos desencarnados em determinados sonhos? Como pode-se diferenciar um simples sonho de um encontro em desdobramento?

Realmente, não há outra medida senão a certeza íntima que temos, ao acordarmos, que estivemos com alguém. Por outro lado, temos alguns outros referenciais, como vermos pessoas que não conhecemos, situações diferentes das nossas habituais e ainda devemos entender que há muitos momentos de apoio espiritual. É quando os desdobramentos trazem características de suavidade, de beleza que não são habituais no nosso cotidiano.

Os mentores podem fixar a recordação de uma conversa mantida durante o desdobramento no cérebro físico, fazendo com que nos lembremos ao acordar?

Sim, desde que isto tenha importância para o encarnado. André Luiz é pródigo em informações neste sentido. E nós mesmos temos muitas vezes o apoio, o ensino dos guias, quando, num desdobramento, nos recordamos de uma situação que tem a ver com a nossa necessidade crescimento espiritual.

Qual a influência do sono em nossa vida?

Dizem os bons espíritos que o sono representa a possibilidade de nos reencontrarmos com os nossos guias espirituais. Ao mesmo tempo que ouvimos seus conselhos e admoestações, temos a oportunidade de nos recuperarmos das fadigas próprias da reencarnação. Ò sono repousa o corpo e permite ao espírito recuperar-se da vida terrena.

Por que, às vezes, vemos pessoas das quais não conhecemos e que nos tratam de maneira diferente?

São espíritos que nos visitam e cuja convivência se dá toda no plano espiritual, isto é, não temos convívio na vida material. Assim, estes conhecidos nos visitam, até porque têm liberdade para isso, o que raramente ocorre conosco (encarnados).

Durante o sono, onde está o “anjo da guarda” de cada um?

Poderá estar ao nosso lado, velando por nós ou nos acompanhando no curso da nossa existência.

Extraído da  Revista Cristã de Espiritismo nº 29, páginas 26-29)

Deixe uma resposta