AUTOCONHECIMENTO: DOMINAR SUAS EMOÇÕES É O PONTO DE PARTIDA PARA VOCÊ TRANSFORMAR SUA REALIDADE

Um artigo muito interessante para REFLEXÃO e para o aprendizado na seara da expansão da consciência é o destaque deste domingo, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO. O texto da terapeuta Claudia Regina Pinto fala sobre como você pode e deve reconhecer suas emoções previamente para poder fazer uma mudança no seu comportamento e te melhorar como pessoa, como ser humano, além de melhorar os seus relacionamentos. Através do domínio das suas emoções você estará dando um grande passo rumo a sua melhor vresão. Então, não deixe de ler o texto completo a seguir, refletir e fazer seu juízo de valor!

Domine suas emoções ou elas te dominam

Pequenos blocos de madeira coloridos com rostos desenhados.
tomertu / 123rf

Olá, quero falar com você, sobre a dimensão emocional. É mais ou menos assim: 🤨😶🙄😤😭😔😲

Sua emoção determina sua personalidade, que determina seu comportamento e te traz um resultado ou uma consequência. Boa ou ruim, tudo partiu de sua escolha de como responder ao meio.

E você será reativo ou proativo, a depender da forma como você sentiu e registrou determinado fato expresso e sentido por sua dimensão emocional, pelas crenças no seu corpo mental e pela ação do seu corpo físico.

Sim, o corpo é o responsável também por nos defender. Assim, se a emoção chegou forte, sua defesa pode passar a ser a de agressão, do silêncio extremo, da chantagem, do vício, da manipulação, da submissão… Enfim… muitos comportamentos surgem de uma emoção sentida.

Tudo vai depender de quais óculos você usou perante as emoções que sentiu quando seus pais, tios, avós, irmãos e o meio te disseram algo que te colocou numa situação conflituosa, de comparação, de dúvidas, de vergonha, de desconfiança, de raiva etc. As mesmas coisas ditas para outra pessoa são sentidas de jeito diferente. Você escolheu como se sentir, portanto isso é seu, não do outro. Mas para não lidar com essa dor em você, diz que o outro foi o culpado.

Da forma como sentiu e reagiu, sem dúvidas você recebeu méritos ou deméritos para consigo mesmo e o meio.

Essas memórias ficaram “arquivadas” em seu corpo.

E toda vez que você vivencia algo similar, essas memórias são ativadas, emitem uma mensagem ao seu corpo, que reage àquela velha emoção.

Reagir, por si só, já diz: tomar uma atitude ou ter um comportamento defensivo baseado naquela velha emoção do passado, estando no momento presente, antes mesmo de identificar o fato novo, então cai na cilada do mesmo padrão repetido de comportamento. O outro, que não sabe da sua história nem dos seus traumas, olha você com cara de espanto e diz: “Eu, hein, o que deu em você?”.

E as relações se estremecem.

Isso acontece ou já aconteceu com você?

Quem nunca deu um fora por puro desequilíbrio das emoções, não é mesmo?

Mas o bom é saber mesmo que pra tudo tem jeito e você pode sempre desenvolver novos comportamentos, novas atitudes, habilidades e competências.

E aí, o que escolhe fazer?

Permanecer na reatividade ou buscar soluções melhores para que suas relações sejam mais harmoniosas?

O primeiro passo, não tem jeito, é você se conhecer mais e compreender os gatilhos das suas emoções reativas, observá-las, perceber qual caminho da rota a mente toma para identificar as repetições, as verdades absolutas criadas no plano mental e, a partir daí, estar aberto e pronto para iniciar a mudança!

Perfil de mulher branca com expressão dolorosa.

Malicki M Beser / Unsplash

Conte comigo! Sei que posso te auxiliar e quero fazer isso, mas, antes, quem precisa querer é você.

Muita luz em sua vida!
Você não está sozinho!
Estamos juntos!
Se quiser agendar uma sessão, acesse minha página!

https://www.claudiaregina.terapeutastop.com.br/

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Deixe uma resposta