ARTIGOS: O SENTIMENTO É O ALTER EGO DO SUBCONSCIENTE

O poder do consciente e subconsciente - Marina Bernardi - Germânica Heilkunde

O SENTIMENTO E O SUBCONSCIENTE

A nossa realidade é resultado do que o consciente imprime no subconsciente que expressa tudo o que é impresso. O subconsciente não gera ideias, apenas aceita aquelas que a mente consciente acredita serem verdadeiras e apenas o subconsciente sabe com transformar as ideias aceitas em materialidade. Portanto, o homem tem controle sobre sua criação na medida em que utiliza seu poder de imaginar e sentir, bem como sua liberdade de escolher a ideia que alimentará. Então, ao controlar seus sentimentos e ideias é possível controlar o subconsciente.

Desta forma, ao imprimir uma ideia no subconsciente, através do sentimento e esta ideia é sentida, seja ela boa, ruim ou indiferente, fatalmente ela é expressa pelo subconsciente.

Controlar sentimentos é fundamental para uma vida plena.

Cada sentimento causa uma impressão subconsciente e, a menos que seja combatido com um sentimento mais forte de natureza oposta, deve ser expresso. É importante observar como lidamos com os pensamentos e palavras. Por exemplo: “Estou saudável” é um sentimento mais forte do que “Eu vou ser saudável.” Sentir “eu vou ser” é confessar que “eu não sou”. Eu sou, é mais poderoso do que eu não sou. Para se manifestar, o desejo deve ser sentido no presente, como um estado que é, em vem de um estado que não é ou que será.

Como sabemos, distúrbios emocionais, especialmente emoções reprimidas, são as causas de todas as doenças. Por isso é necessário um controle reflexivo do funcionamento do subconsciente, ou seja, o controle de suas ideias e sentimentos.

O subconsciente não é seletivo , é impessoal e não diferencia as pessoas.

O sentimento é a opinião para o subconsciente do que foi declarado como verdade.

O subconsciente não é seletivo e nunca altera as crenças aceitas do homem. Ele é impessoal, não diferencia as pessoas e não sabe o que é certo ou errado. Ele apenas expressa o que é impresso até os últimos detalhes se são ou não benéficos.

Wagner Braga

Deixe uma resposta