ADELE É ACUSADA DE TRANSFOBIA POR DECLARAR QUE TEM ORGULHO DE SER MULHER

Adele diz ter orgulho de ser mulher e é acusada de transfobia

Cantora levou uma estatueta do prêmio BRIT Awards 2022

Militantes da causa trans pediram boicote ao trabalho da artista em virtude do comentário

Militantes da causa trans pediram boicote ao trabalho da artista em virtude do comentário | Foto: Divulgação/Facebook

A cantora Adele se tornou a mais recente vítima do cancelamento na internet. A artista está sendo chamada de “transfóbica” nas redes sociais por ter dito que se orgulha de ser mulher. “Amo ser uma artista feminina”, disse, ao receber uma estatueta do BRIT Awards 2022 (prêmio para músicos), na quarta-feira 9.

No Twitter, um dos representantes da causa trans, o influencer digital Jacob, lamentou a fala da cantora: “Por favor, não, Adele não pode ser uma TERF (termo pejorativo usado contra feministas que não apoiam a causa trans)”. “Eu amo Adele, mas esse comentário de ‘mulher’ soa engraçado. Artistas não binários merecem mais que isso”, disse outro internauta.

Militantes da causa trans pediram ainda boicote ao trabalho da artista em virtude do comentário. O ataque de cancelamento dividiu a esquerda nas redes sociais, com defensores da cantora negando as acusações de “ameaça a trans” e, o outro lado, anunciando que não mais ouviria as músicas de Adele.

Em 2021, o Brit Award decidiu excluir a distinção entre cantoras e cantores e criou a categoria “Melhor Artista” para incluir aqueles que não se identificam nem como ele nem como ela, a exemplo do músico Sam Smith, que já levou o prêmio para casa e informou ao público ser uma “pessoa não binária”.

Deixe uma resposta