Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

COMPORTAMENTO: UM COMPÊNDIO SOBRE A MUDANÇA COMPORTAMENTAL DO BRASILEIRO

O artigo a seguir na nossa coluna COMPORTAMENTO deste sábado é extremamente valioso para qualquer indivíduo, pois trata de um assunto que diz respeito a análise da mudança comportamental dos brasileiros nas últimas décadas, desde as crianças até os mais idosos e verifica uma mudança de paradigma comportamental importante que transformou a nossa sociedade. Vale a pena a leitura desse estudo para o melhor entendimento dessa mudança comportamental.

O paradigma mudou e, no Brasil, a cultura influenciou uma mudança do comportamento humano em suas fases da vida

Garota de frente olhando para foto

Por séculos a criança era vista como um complemento do trabalho dos pais, trabalhando arduamente na agricultura e na criação de animais, entre outras tarefas ligadas ao cotidiano doméstico.

No século 18 e início do século 19, tínhamos uma infância bem mais curta, e discussões sobre o trabalho infantil começaram a surgir. Um menino ou menina com 5 ou 6 anos já trabalhava e era tratado como adulto no período da Revolução Industrial, sujeitando-se a condições muito duras e demasiado difíceis para a sua idade. Depois, o século 20 surge e culmina em três décadas atípicas, dos anos 70 aos 2000, em que a criança começou a ser vista como isso mesmo, uma criança. Era tratada e mimada como tal. O “mimo” continuou, de uma maneira diferente, com os pais comprando o tempo e satisfazendo-a com objetos.

A sexualidade precoce devido à cultura e ao fácil acesso à informação e conteúdos incentivou o que chamo de “criança mimada com liberdade libidinal”.

Garoto de perfil olhando para o alto com fundo escuroFoto de mohamed Abdelgaffar no Pexels

Hoje em dia verificamos que a infância inocente é um período relativamente curto, a criança assume-se como um ser sexualizado muito mais cedo, mas mentalmente não possui consciencialização real. Os nossos jovens são precoces mas ao mesmo tempo são infantilizados por mais tempo. Os adultos são considerados jovens durante mais anos e a velhice esconde em si traços joviais que antigamente não se verificavam.

Infância encurtada – A cultura e o maior número de informações (seja pela internet, seja pela interação social), que anteriormente não era recebida pelas crianças conjugadas com a evolução cerebral acelerada, consequência da evolução tecnológica, tiveram um papel preponderante nessa mudança. Essa tomada de conhecimento faz com que a criança reaja a estímulos, sexuais ou não, que na verdade ela não conhece, e para os quais nem o corpo dela está preparado. O acesso à vida adulta e a maior liberdade fazem com que a criança tenha pressa de chegar a uma fase da vida que quando alcançada a fará ter saudade de voltar a ser criança. A infantilidade adulta também promoveu esse encurtamento entre as fases, entrelaçando comportamentos entre ambas.

É a “Síndrome da Porta Giratória”. Numa eterna volta.

Sempre na tentativa de eternizar a fase em que a felicidade está na irresponsabilidade.

Garotinha de perfil na janela com vestido e pé levantado
Foto de Johan Bos no Pexels

A criança na primeira ou segunda infância ou ainda na pré-adolescência ou na adolescência encontra-se na fase que ainda pode desfrutar de muitos benefícios e cuidados.

Em que tem muitos direitos e poucas obrigações.

A solidão proveniente da atual sociedade também favoreceu o uso da criança pelos próprios pais como companhia. Ser adulto é ter forma e conteúdo para promover e produzir amparo aos mais jovens. E não para usá-los como antídoto para a solidão ou depressão.

A adolescência prolongada – O consumismo gerou uma necessidade financeira que mantém os jovens mais tempo com os pais. As mães, com o reflexo da solidão, consequência da sociedade atual e devido aos novos perigos, como a violência e as más companhias, tornaram-se mais protetoras, induzindo assim o filho a ser mais dependente. As gerações anteriores tinham toda a segurança e nenhuma liberdade. A geração atual tem total liberdade e nenhuma segurança. É necessário parar e rever esta equação para encontrar o elo perdido e restabelecer o equilíbrio.

Entre o sim e o não, o tudo e o nada, há muito e muitas questões que necessitam de discussão.

Os adultos são garotões – A cultura e a questão financeira promoveram uma situação em que os homens pudessem ter mais acesso a mulheres mais novas, fazendo com que adotassem uma cultura de “garotões” para “igualar” a idade da companheira.

A velhice mais jovem – A internet fez com que pessoas mais velhas tivessem acesso a informações variadas. O mundo virtual já não é exclusivo dos mais jovens e é partilhado por gente de todas as faixas etárias. Os mais velhos são agora mais atualizados e pertencem ao mundo das novas gerações. A velhice não é tão pesada no sentido de que pode ser efetivamente vivida e deixou de ser vista apenas como uma espera pelo fim. A própria sexualidade mudou entre os mais velhos. O sexo continua a fazer parte da sua vivência e o namorar voltou a não ser visto mais como tabu numa idade avançada. Ser velho passou a ser apenas um número e não uma realidade que tem que ser necessariamente vivida dentro dos paradigmas que assistíamos em décadas anteriores. Assistimos hoje a uma terceira juventude na terceira idade!

Há desdobramentos nessas alternâncias.

Nem sempre damos conta de ser o que aparentamos e demonstramos.

Será que você quer o que deseja?

Há relações curtas que não são pequenas.

Mas há relações intensas que ganharam profundidade atravessando o tempo e as fases da vida. Construindo o que somos e mostramos ter conquistado.

É tão bom a verdade que nos habita ser vivida na integralidade.

Para viver um personagem há muito desgaste de energia.

Ser o que somos verdadeira e genuinamente é libertador.

Isso começa na infância, pois o projeto do adulto é lançado nos primeiros anos em que a semente conhece seus próprios mistérios e segredos.

Precisa do tempo, do clima e de terreno fértil para florescer.

Assim somos nós.

Precisamos da família, da educação, da formação, da sociedade, da cultura.

Somos multifatoriais.

Que possamos ser conscientes e permitir que as gerações atravessem o tempo e se desenvolvam a cada fase como o projeto humano nos proporciona, crescimento, desenvolvimento, maturidade.

Caso contrário, estaremos todos na “Terra do Nunca”, como na história de Peter Pan, que não queria crescer!

Fabiano de Abreu
Escrito por Fabiano de Abreu

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo COMPORTAMENTO: UM COMPÊNDIO SOBRE A MUDANÇA COMPORTAMENTAL DO BRASILEIRO

COMPORTAMENTO: XI JINPING NÃO ESCONDE MAIS O SEU PLANO DE PODER

É cada vez mais evidente o plano de poder  e a atitude criminosa do Partido Comunista e do líder Xi Jinping para conquistar o mundo. Não tem mais como esconder e os governantes dos países direta ou indiretamente atingidos devem se mobilizar para frear ou parar esse ímpeto do governante chinês. A China hoje é o grande fornecedor do mundo, mas não é insubstituível!

China força países atingidos por vírus chinês a se ajoelharem diante da Huawei: “Nós lhe daremos máscaras se aceitar a Huawei 5G”

Thaís Garcia

Publicado em 06.04.2020

Como se a fabricação da pandemia de coronavírus chinês que enfraqueceu países em todo o mundo não fosse suficiente, a ditadura comunista de Xi Jinping agora também está procurando lucrar com a crise global de saúde pública – empurrando sua gigante de tecnologia 5G, a Huawei, para o Ocidente, forçando países atingidos pelo vírus chinês a aceitá-la.

O Dragão asiático sabe que vários países estão fragilizados com a crise gerada pelo vírus chinês e, assim, lançou uma guerra de propaganda contra os países atingidos pelo vírus, numa tentativa de se apresentar como “o país que salvará o mundo da pandemia do coronavírus chinês”.

A mídia comunista estatal chinesa começou agora a publicar fotos da ajuda médica do país.

Li Aihua, presidente do Banco da China (Canadá), posa com Lee Errett, uma autoridade canadense, diante de caixas de suprimentos médicos chineses em Toronto. O Banco da China doou 7,5 toneladas de suprimentos médicos ao Canadá. Fotografia: China News Service / China News Service via Getty Images.

Médicos chineses posando em 13 de março, depois de chegar a Roma de Xangai para ajudar a combater o vírus chinês. Foto: ANSA / AFP via Getty Images.

Até mesmo grupos chineses doaram equipamentos médicos para outros países, e um desses gigantes corporativos, que tem sido um componente importante da campanha de assistência médica de Relações Públicas de Pequim, é o provedor de serviços 5G Huawei, uma empresa de telecomunicações que até ontem estava sendo rejeitada por países em todo o mundo.

Ameaças evidentes

As primeiras indicações de que a China quer lucrar com a pandemia em termos de empurrar a Huawei vieram quando o porta-voz do Partido Comunista Chinês (PCCh), o Global Times, lançou uma ameaça aberta, citando um analista chinês dizendo: “Os movimentos dos EUA para restringir as vendas de tecnologia à Huawei podem sair pela culatra em meio ao #COVID19, pois a China poderia proibir a exportação de máscaras faciais e outros equipamentos médicos para os Estados Unidos”, publicou o Global Times no Twitter.

Global Times

@globaltimesnews

US move to restrict sales of technology to Huawei may backfire amid the , as China could ban the export of face masks and other medical gear to America: analyst http://bit.ly/2v9powO 

Ver imagem no TwitterVer imagem no Twitter

A China sabe que com as redes de suprimentos vazias e os países desesperados por suprimentos médicos, qualquer equipamento médico proveniente da China deve ser tratado como um favor, mesmo que seja uma venda direta e não-doações ou ajuda humanitária. Afinal, a China é o único país do mundo que “voltou a funcionar” até o momento.

O Partido Comunista Chinês de Xi Jinping está mirando um país de cada vez, aproveitando ao máximo as linhas de falha que surgem entre o resto do mundo, em meio a tentativas desesperadas de impedir a propagação do vírus chinês.

No Canadá, por exemplo, a China interveio na exportação de milhões de máscaras para o país, alterando o cálculo político entre Pequim e Ottawa.

Há pouco mais de um ano, a executiva sênior da Huawei, Meng Wanzhou, havia sido presa em Vancouver, no Canadá, por solicitação de extradição dos Estados Unidos. Isso provocou tensões bilaterais entre o Canadá e a China, mas agora, a “diplomacia de máscara” da China fará incursões para a Huawei no Canadá.

No caso da França, o ditador chinês Xi Jinping nem sequer está brincando, e quando o presidente francês, Emmanuel Macron, solicitou o fornecimento de máscaras, Jinping deixou sem rodeios claro que o equipamento médico seria fornecido apenas se a França aceitasse a tecnologia 5G da Huawei.

 “Reportagem: China diz que enviará à França 1 bilhão de máscaras faciais – mas apenas se comprarem seus equipamentos 5G da Huawei”, publicou Ezra Levant no Twitter.

Ezra Levant 🇨🇳🦠

@ezralevant

Report: China says it will ship France a billion face masks — but only if they buy their 5G equipment from Huawei:

Vídeo incorporado

A China também não poupou a Itália, mesmo depois de Roma suportar o peso de se aproximar do dragão asiático e ingressar na Iniciativa do Cinturão e Rota da Seda (veja mais neste link) – o principal programa de diplomacia da China e também conhecido como “a armadilha da dívida”; e vendeu Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para a Itália.

No caso de países como o Reino Unido, que abertamente atacou a China, a escolha é realmente entre ser fortemente impactado pelo vírus chinês ou aceitar a tecnologia 5G da Huawei contra sua vontade.

O mundo quer “favores” da China, mas nada neste mundo é de graça, especialmente quando se trata do “socialismo light” chinês. O preço de negociar com a China é alto! O dragão asiático está empurrando sua tecnologia 5G goela abaixo, em troca de “salvação” para os países afetados pelo vírus chinês.

No mundo pré-coronavírus chinês, o Ocidente se opunham firmemente à Huawei, com todos os principais mercados, como Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, Japão e Austrália, proibindo a introdução dessa tecnologia chinesa devido a questões de segurança nacional e privacidade.

Mas agora que a sobrevivência se tornou a principal preocupação, todos esses países estão prontos para ceder sua soberania e colocar a questão da violação de segurança em segundo plano. Para eles, a principal prioridade é salvaguardar a vida de sua equipe médica e cidadãos comuns, para os quais precisariam do apoio da China – o único país que recomeçou a se abrir economicamente.

Defeitos em máscaras e kits de teste “made in china”

No entanto, na tentativa de inundar nações europeias em dificuldades com “ajuda” e equipamentos médicos baratos como parte de uma estratégia ofensiva de propaganda e “charme” diplomático, essa estratégia adotada pela China pode sair pela culatra, já que os países estão devolvendo seus produtos médicos defeituosos.

Os últimos países a aderir ao movimento de rejeitar os materiais  “Made in China” são a Holanda, as Filipinas, a Ucrânia e a Turquia, a Espanha e a República Tcheca.

Leia também: Mundo rejeita o “Made in China”, depois de defeitos constatados em máscaras e kits de teste

Hidroxicloroquina

A China também não contava com a descoberta do uso da hidroxicloroquina e a azitromicina para o tratamento de infectados, e que têm mostrado resultados positivos em vários países. Por isso, o PCCh têm utilizado todos os seus recursos nos países atingidos, incluindo a OMS, para evitar o uso desses medicamentos que estão salvando milhares de vidas do vírus chinês.

Os países afetados precisam reconhecer que já existem outras saídas mais eficientes, como o tratamento com a hidroxicloroquina. As nações não precisam entregar sua soberania e segurança nas mãos do comunismo chinês. O mundo não precisa de mais um “negócio da china“.

O novo coronavírus é de fabricação chinesa, e a China, em vez de enfrentar a catástrofe global que criou, na verdade está utilizando-a para obter lucro econômico.

O ditador Xi Jinping pegou o mundo de surpresa com sua campanha de desinformação e agora está capitalizando a miséria e a devastação global; uma velha tática comunista.

O governo “socialista light” da China é desumano com seu próprio povo, e cada vez mais está usando meios injustos para acertar as contas em meio à pandemia do vírus chinês. E agora, também está impulsionando o objetivo econômico específico de tornar a Huawei a líder em tecnologia 5G – uma meta do regime comunista na China.

Fontes: The Guardian, Ezra Levant, Global Times, TIF Post, Político e DW.

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo COMPORTAMENTO: XI JINPING NÃO ESCONDE MAIS O SEU PLANO DE PODER

BOLSONARO COPIA CONDUTA DE TRUMP NO COMBATE AO CORONAVÍRUS

Trump pretende afrouxar as restrições antes de 12 de abril, enquanto casos de Covid-19 disparam nos EUA

Desafiando os especialistas, presidente defende que “se perderá mais gente se o país mergulhar em uma recessão enorme”

O presidente Donald Trump durante entrevista coletiva.O presidente Donald Trump durante entrevista coletiva.CONTACTO / CONTACTO (EUROPA PRESS)

Donald Trump quer que os norte-americanos voltem ao trabalho o quanto antes, apesar do coronavírus. Deixou isso claro, em cada oportunidade que teve, desde domingo à noite. Nesta terça-feira, enquanto o número de casos confirmados se multiplica no país, o presidente se aventurou inclusive a marcar uma data para o fim das medidas de confinamento. “Adoraria ter o país aberto para o domingo de Páscoa.” Que cai no dia 12 de abril. Daqui a 19 dias. O domingo de Páscoa será “o dia da ressurreição dos Estados Unidos”, disse no jardim da Casa Branca Bill Hemmer, apresentador do programa da Fox News que substituiu a habitual entrevista coletiva diária.

“Você pode destruir um país se o desligar”, disse Trump. “Perdemos milhares de pessoas todos os anos devido à gripe e nunca fechamos o país. Perdemos muito mais gente em acidentes de automóvel e não o proibimos. Podemos nos distanciar socialmente, podemos deixar de apertar as mãos por um tempo. Morrerá gente. Mas perderemos mais gente se mergulharmos o país em uma recessão ou uma depressão enorme. Milhares de suicídios, instabilidade. Você não pode fechar os Estados Unidos, o país mais bem-sucedido. As pessoas podem voltar ao trabalho e praticar o bom senso.” “O remédio é pior que a doença”, acrescentou, “mais gente morrerá se deixarmos que isto continue”.

Os Estados Unidos entraram em sua segunda semana de contenção da expansão do coronavírus na segunda-feira. Os casos confirmados se multiplicam e se aproximam dos 50.000 nesta terça-feira. Já é o terceiro país mais afetado. A cidade de Nova York, que concentra mais de 60% dos casos do país, tornou-se um dos epicentros globais da pandemia, com uma taxa de contágio que dobra a cada três dias.

Ao mesmo tempo, as medidas decretadas de distanciamento social causaram uma desaceleração sem precedentes na economia. As ações de Wall Street perderam um terço de seu valor em um mês. Os analistas esperam que a economia encolha até 30% no segundo trimestre do ano e que a taxa de desemprego dispare até 13%. No pior momento da recessão de 2008, os Estados Unidos perderam 800.000 empregos por mês. Agora, alertam os especialistas, o país pode estar perdendo vários milhões em uma semana.

Entre governos e autoridades médicas o consenso é que a melhor maneira de deter a propagação do vírus é manter os cidadãos em casa e fechar os estabelecimentos não essenciais. Há evidências empíricas. A China conseguiu achatar a curva com uma estratégia de fechamento máximo. O Reino Unido tentou uma abordagem diferente, mas teve de recuar e ordenar o confinamento. Hong Kong conseguiu conter a disseminação decretando o distanciamento e, depois de afrouxar as medidas rigorosas cedo demais, assistiu a um aumento do número de casos.

Mas nos últimos dias a convicção de que o impacto na economia poderia ser mais grave para o país do que o coronavírus ganhou força entre certas vozes conservadoras e do mundo empresarial nos Estados Unidos. A Administração Trump estuda abrir setores da economia, isolar populações vulneráveis e permitir que os jovens trabalhem. Na próxima segunda-feira expira o período de 15 dias de vigência das diretrizes publicadas pelo Governo federal. Nesse dia, explicou o vice-presidente Mike Pence: “vamos reavaliar como podemos começar a abrir o país de maneira responsável nas próximas semanas”.

A postura encontra eco nos círculos empresariais. “As medidas extremas para achatar a curva do vírus são razoáveis, durante um tempo, para aliviar a pressão na infraestrutura de saúde. Mas destruir a economia, o emprego e o moral também é uma questão de saúde e mais do que isso. Em muito poucas semanas, deixemos aqueles com menor risco voltar ao trabalho”, disse no Twitter Lloyd Blankfein, ex-CEO do Goldman Sachs.

A urgência de voltar ao trabalho também é manifestada por políticos de todas as tendências. Alguns vão muito longe, como o vice-governador do Texas, Dan Patrick, de 70 anos. “Ninguém me perguntou se, como pessoa idosa, eu estaria disposto a arriscar minha sobrevivência para manter os Estados Unidos que amamos para meus netos e bisnetos. Se esse é o trato, eu aceito”, disse. Outros, como o democrata Andrew Cuomo, governador de Nova York, reconhecem que “não se pode paralisar a economia para sempre”. “Devemos começar a pensar sobre se todo mundo deve ficar sem trabalhar? Os jovens deveriam voltar a trabalhar antes?”, perguntou na segunda-feira.

A ideia também é levantada por acadêmicos de prestígio, como David L. Katz, especialista em saúde pública e medicina preventiva da Universidade de Yale, que defende um trânsito da “proibição horizontal” que é a norma para uma “mais vertical” ou “cirúrgica”, focada em concentrar os recursos na população mais vulnerável e colocar o resto na rua com as recomendações próprias de uma temporada de gripe. “Estou profundamente preocupado que as consequências sociais, econômicas e de saúde pública desse colapso quase total da vida normal possam ser duradouras e calamitosas, possivelmente mais graves do que o preço direto do próprio vírus”, escreveu Katz em um artigo publicado pelo The New York Times na sexta-feira.

Mas entre as autoridades sanitárias continua imperando a defesa de manter as restrições. Entre aqueles que não compartilham uma mudança brusca nas prioridades está o prestigioso epidemiologista Anthony Fauci, um homem-chave na estratégia contra o coronavírus na Casa Branca, que reiterou em várias ocasiões que é preciso que passem “ao menos” várias semanas para que as pessoas possam retomar sua vida normal. Trump reconheceu suas diferenças nesse ponto. “Não estamos de acordo”, admitiu o presidente na segunda-feira. Trump insistiu na terça-feira que sua relação com Fauci permanece boa. Mas o especialista, que acompanhava o presidente até recentemente em quase todas as entrevistas coletivas sobre o coronavírus, não esteve presente nas duas últimas dadas pela da equipe de trabalho. “Se dependesse dos médicos”, disse Trump, “diriam que parássemos o mundo inteiro”.

Durante seus três anos de presidência, agitada em muitos campos, Donald Trump cavalgou por um período extraordinariamente longo de expansão econômica. O presidente construiu sua campanha à reeleição com base no argumento do vigor da economia e se recusa a ver como tudo vai pelos ares a menos de oito meses das eleições nas quais se decidirá se ele entra na história como um presidente de um único mandato ou de dois.

Adotar as medidas de restrição por causa do coronavírus, disse Trump na terça-feira, foi “uma das decisões mais difíceis” que tomou. “Vieram e me disseram praticamente que era preciso fechar o país”, explicou. “Estão falando sério? Com pleno emprego? Do que estamos falando? Falam de perder 25 pontos de PIB. Já tivemos conflitos antes. Há 36.000 mortes por ano devido à gripe. Pensem nisso. Mas nunca fechamos o país por causa da gripe. Isso nunca foi feito. Dei a eles duas semanas. Agora eu avaliarei, daremos um pouco mais de tempo se for necessário. Mas é preciso abrir o país.”

Fonte: EL PAÍS

Continuar lendo BOLSONARO COPIA CONDUTA DE TRUMP NO COMBATE AO CORONAVÍRUS

COMPORTAMENTO: DRÁUSIO VARELA PEDE DESCULPAS E ASSUME TODA A RESPONSABILIDADE. A GLOBO ASSUME TODA A COVARDIA!

Na nossa coluna COMPORTAMENTO desta quarta-feira trago o vídeo do Dr. Dráusio Varela em que ele pede desculpas a família da vítima e a população brasileira pela lambança orquestrada pela TV GLOBO. No vídeo ele isenta totalmente a emissora da responsabilidade do mal feito e assume toda a responsabilidade. Ato corajoso e heroico do Dr. Dráuiso e covarde da Rede GLOBO. A emissora sabe que a imagem, a honra e o conceito do Dr. Dráusio perante a sociedade está num patamar bem mais alto do que a da emissora que hoje está na lama e por isso usou-o como escudo numa atitude vergonhosa e covarde. A seguir assista ao vídeo em que o Dr. Dráusio Varela pede desculpas e se responsabiliza totalmente pelo erro.

Vídeo: Drauzio Varella pede desculpas à família do menino estuprado e morto por Suzy

Em vídeo divulgado no Twitter, Dráuzio Varella pede desculpas à família do menino estuprado e e morto pela transexual Suzy e explica o que ocorreu na entrevista que fez com ela para o Fantástico.

Assista:

 

Fonte:

 

Continuar lendo COMPORTAMENTO: DRÁUSIO VARELA PEDE DESCULPAS E ASSUME TODA A RESPONSABILIDADE. A GLOBO ASSUME TODA A COVARDIA!

BOAS NOTÍCIAS: UMA NOVA TÉCNICA DE CIRURGIA DEVOLVE MOVIMENTOS DAS MÃOS A TETRAPLÉGICOS

Na coluna BOAS NOTÍCIAS deste sábado temos uma nova técnica de cirurgia que devolve os movimentos das mãos aos tetraplégicos. Uma notícia pra lá de boa! Veja a reportagem completa a seguir e saiba de todos os detalhes.

Tetraplégicos recuperam movimentos das mãos com cirurgia inovadora

Paul Robinson recuperou os movimentos. Foto: Arquivo Pessoal

Uma nova vida para quem ficou tetraplégico. Uma cirurgia inovadora, que realoca os nervos danificados, está devolvendo movimentos a pessoas que ficaram paralisadas durante décadas.

Ela já foi feita em 16 pacientes durante um teste médico no Austin Health, em Melbourne, EUA.

A nova técnica de transferência de nervos redireciona um nervo funcional e o implanta em um músculo paralisado,”conectando” seus sinais a outra parte funcional da medula espinhal.

Na tentativa de restaurar a extensão do cotovelo a equipe cirúrgica realizou um total de 59 transferências nervosas nos 16 pacientes, sendo que cada participante recebeu uma transferência nervosa única, ou múltipla, em um ou ambos os membros superiores, juntamente com terapia.

Dos 13 que completaram o estudo, todos experimentaram melhora na extensão do cotovelo e na função da mão.

“Antes da cirurgia, nenhum dos participantes foi capaz de realizar os testes de força de agarrar ou apertar, mas dois anos depois, essa força foi suficiente para permitir que eles fizessem a maioria das atividades diárias”, de acordo com um artigo da Pursuit, na Universidade de Melbourne.

Sucesso 1

O australiano Paul Robinson, vítima de um acidente de trânsito, foi um dos submetidos ao teste e teve resultados surpreendentes, após 30 anos paralisado.

Ele quebrou uma das vértebras do pescoço, o que o deixou na cadeira de rodas, incapacitado de sair de casa.

Robinson, que anteriormente não tinha nenhuma função de mão, agora é capaz de usar suas mãos e braços para impulsionar sua própria cadeira de rodas, pegar itens no chão e, com uma mão, usar um controle remoto da televisão e segurar um copo (como na foto acima).

“Antes, eu estava confinado a uma cadeira de rodas, mas não conseguia empurrar a não ser que usasse luvas especiais. Se eu deixasse cair algo no chão, tinha que pedir a alguém para pegar. Eu não conseguia dirigir. Para pegar uma bebida, eu teria que usar as duas mãos”, disse Robinson à CNN .

“Isso fez uma diferença enorme na minha vida.”

Sucesso 2

Outro jovem recrutado para o estudo foi um empresário, ferido num trágico acidente de barco.

“Ele decidiu que iria fazer essa cirurgia, mas se não funcionasse, ele não queria mais viver”, disse a Dra. Natasha van Zyl, a principal cirurgiã reconstrutora.

Depois da combinação de transferências de tendões e nervos, ele começou a trabalhar de novo em casa e foi capaz de levar sua família para o cinema de forma independente, manipulando o dinheiro, pegando os ingressos e comprando a pipoca.

Técnica melhorada

As transferências de tendão têm sido usadas há muito tempo para restaurar a função dos membros superiores paralisados, por meio do transplante estratégico dos músculos em atividade para assumir a função mecânica que foi perdida devido ao tecido paralisado.

Transferências nervosas para melhorar o funcionamento do membro superior foram realizadas em 1962 , mas a técnica nunca recebeu muita atenção até recentemente.

Van Zyl admite que sua equipe não inventou o procedimento, mas explica que ninguém usou a técnica tão extensivamente, ou para pacientes tetraplégicos.

Em 2014, a equipe fez um procedimento de tripla transferência de nervo bem sucedido. Publicado no mês passado na revista médica The Lancet, ele mostrou resultados surpreendentes.

Com informações do GNN

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: UMA NOVA TÉCNICA DE CIRURGIA DEVOLVE MOVIMENTOS DAS MÃOS A TETRAPLÉGICOS

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: RESUMO ANIMADO DO LIVRO SONHO GRANDE

Na coluna DESENVOLVIMENTO PESSOAL deste sábado você vai assistir a mais um resumo animado de Albano do canal Seja Uma Pessoa Melhor. Desta vez do livro Sonho Grande de Jorge Paulo Lemann, o mega empresário dono da Ambev. Vamos aprender com a experiência do homem mais rico do Brasil!

Fonte: 

Publicado em 19 de dez de 2016

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: RESUMO ANIMADO DO LIVRO SONHO GRANDE

SAÚDE: CUIDADO COM AS SUAS ESCOLHAS NA ALIMENTAÇÃO

Na coluna SAÚDE deste sábado temos mais uma mini-palestra do Dr. Dalle Laste. Desta vez ele fala sobre “Cuidado com as suas escolhas na alimentação, não saber disso pode custar a sua saúde! Os principais riscos da má alimentação vem das suas escolhas. Neste vídeo, o Dr. Samuel Dalle Laste mostra os erros mais comuns na escolha dos alimentos das pessoas. Assista ao vídeo e aprenda um pouco mais como preservar a sua saúde a alcançar a longevidade!

Fonte: 

Publicado em 31 de mai de 2019

Continuar lendo SAÚDE: CUIDADO COM AS SUAS ESCOLHAS NA ALIMENTAÇÃO

POLÊMICA: AUGUSTO NUNES RESPONDE A GUILHERME BOULOS: GIGOLÔ DE SEM TETO!

Na coluna POLÊMICA deste sábado você vai se divertir com a troca de farpas entre Guilherme Boulos e Augusto Nunes da rádio Jovem Pan e o desafio feito por Augusto nunes à Boulos. Quero ver se Boulos vai ser capaz de dar o troco! Não perca, vale a pena conferir, pois a esquerda está tão acuada que não tem argumentos plausíveis, apenas narrativas de embromação!

Fonte: 

Publicado em 16 de ago de 2019

Continuar lendo POLÊMICA: AUGUSTO NUNES RESPONDE A GUILHERME BOULOS: GIGOLÔ DE SEM TETO!

SAÚDE: OS 8 BENEFÍCIOS DOS EXECÍCIOS FÍSICOS POR DR. MARCO MENELAU

Na coluna SAÚDE desta sexta-feira você vai saber com Dr. Marco Menelau os 8 benefícios dos exercícios físicos e como se processa essa transformação no seu corpo e na sua saúde. Assista ao vídeo e ganhe mais saúde e longevidade!

As informações transmitidas no canal do Dr. Marco Menelau, não visam o tratamento de doenças específicas, possuem apenas um caráter informativo de educação em saúde! Por este motivo, não devem ser utilizadas para o auto-diagnóstico, o auto-tratamento e a auto-medicação. Procure sempre seu médico!

Fonte: 

Continuar lendo SAÚDE: OS 8 BENEFÍCIOS DOS EXECÍCIOS FÍSICOS POR DR. MARCO MENELAU

EDITORIAL: A ÚNICA SAÍDA PARA O POVO BRASILEIRO É A UNIÃO EM TORNO DA RECONSTRUÇÃO DO PAÍS

Caro(a) leitor(a),

O que as pessoas ainda não notaram é que na situação que o Brasil se encontra temos que nos desapegar das ideologias e partir para um “Deus nos acuda”, pois a situação é muito grave. O país está literalmente quebrado e não podemos ficar nos digladiando em cima de ideologias. O país precisa urgentemente de um administrador competente, que salve o país à margem da politica e da ideologização. Precisamos ser humildes, esquecer o ranço político-partidário e nos unirmos para vencermos a mãe de todas as guerras, sob pena de vermos o a venezuelização do Brasil.

Fonte

Publicado em 14 de ago de 2019

Continuar lendo EDITORIAL: A ÚNICA SAÍDA PARA O POVO BRASILEIRO É A UNIÃO EM TORNO DA RECONSTRUÇÃO DO PAÍS

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho